23 de dezembro de 2016

50

As gêmeas ainda estão dormindo quando alguém bate. Sonya e Sara me mostraram onde ficam os banheiros femininos, assim tive a oportunidade de tomar um banho ontem à noite, mas ainda estou vestindo as roupas extra-grandes de Kenji. Sinto-me um pouco ridícula ao andar em direção à porta.
Abro-a.
Pisco.
— Oi, Winston.
Ele me olha de cima a baixo.
— Castle achou que você fosse gostar de trocar essas roupas.
— Você tem algo para eu vestir?
— Sim... lembra? Fizemos para você algo sob medida.
— Ah. Puxa. Sim, parece ótimo.
Saio silenciosamente, acompanhando Winston pelos corredores escuros. O mundo subterrâneo é silencioso, seus habitantes ainda dormem. Pergunto a Winston por que estamos de pé tão cedo.
— Imaginei que você quisesse conhecer todo mundo no café da manhã. Deste modo você pode entrar na rotina regular das coisas por aqui... até iniciar seu treinamento. — Ele olha para trás. — Todos nós temos de aprender a utilizar nossas habilidades da maneira mais eficaz possível. Não é bom não ter controle sobre o seu corpo.
— Espera... você também tem uma habilidade?
— Há exatamente 56 de nós que têm. O restante são nossos familiares, filhos ou amigos próximos que ajudam com tudo o mais. Então, sim, sou um desses 56. Assim como você.
Estou quase pisando em seus pés em um esforço para acompanhar suas longas pernas.
— Então, o que você pode fazer?
Ele não responde. E eu não posso ter certeza, mas ele está corando.
— Desculpe-me... — retrato-me. — Não pretendia me intrometer... não devia ter perguntado...
— Está tudo bem — ele me corta. — Só acho meio estúpido. — Ele ri uma risada breve, dura. — De todas as coisas que eu deveria ser capaz de fazer — ele suspira —, pelo menos você pode fazer algo interessante.
Eu paro de andar, atordoada. Horrorizada.
— Você acha que isso é uma competição? Para ver qual truque de mágica é mais excêntrico? Para ver quem pode infligir mais dor?
— Não foi isso que eu quis dizer...
— Não acho que seja interessante ser capaz de matar alguém por acidente. Não acho que seja interessante ter medo de tocar uma coisa viva.
Ele fica tenso.
— Não queria dizer isso desse jeito. Eu só... gostaria de ser mais útil. Isso é tudo.
Cruzo os braços.
— Você não tem que me contar se não quiser.
Ele revira os olhos. Passa uma mão pelo cabelo.
— Eu só... sou muito... flexível — diz ele.
Levo um momento para processar sua confissão.
— Tipo... você consegue se entrelaçar todo?
— Claro. Ou me esticar se for preciso.
Deve ser constrangedora a cara de idiota que estou fazendo.
— Posso ver?
Ele morde o lábio. Reajusta os óculos. Olha para os dois lados do corredor vazio. E enlaça um braço pela cintura. Dando duas voltas.
Estou tão boquiaberta quanto um peixe morto.
— Uau!
— Isso é estúpido — resmunga. — E inútil.
— Você está louco? — Inclino-me para trás para olhar para ele. — Isso é inacreditável.
Mas seu braço já voltou ao normal e ele está caminhando novamente. Tenho de correr para alcançá-lo.
— Não seja tão duro consigo mesmo — tento dizer a ele. — Não há nada do que se envergonhar. — Mas ele não está ouvindo e eu estou me perguntando quando foi que me tornei uma palestrante motivacional. Quando deixei de odiar a mim mesma e passei a me aceitar. Quando ficou tudo bem para mim a escolha de minha própria vida.

Winston me leva para o quarto onde o conheci. As mesmas paredes brancas. A mesma cama pequena. Só que, desta vez, Adam e Kenji estão lá dentro esperando. Meu coração dispara e estou subitamente nervosa.
Adam está de pé. Ele não se apoia em nada e parece perfeito. Belo. Incólume. Ele avança apenas com um ligeiro desconforto, sorri para mim sem dificuldade. Sua pele está um pouco mais pálida que o normal, mas positivamente radiante se comparada à sua tez na noite em que chegamos e mais radiante que ontem à noite. Seu bronzeado natural confere a um par de olhos azuis um matiz do céu da meia-noite.
— Juliette — diz ele.
Não consigo parar de fitá-lo. Admirá-lo. Maravilhada pela incrível sensação de saber que ele está bem.
— Ei — consigo sorrir.
— Bom dia para você também — intromete-se Kenji.
Fico surpresa. Estou mais corada que o pôr do sol de verão, e me encolhendo o mais rapidamente.
— Ah, oi. — Aceno uma mão frouxa em sua direção.
Ele bufa.
— Tudo bem. Vamos acabar com isso, então? — Winston caminha até uma das paredes, que se revela um armário no qual há uma explosão de cores. Ele a retira do cabide.
— Posso, é, ter um momento a sós com ela?
Winston tira os óculos. Esfrega os olhos.
— Preciso seguir o protocolo. Tenho de explicar tudo...
— Eu sei... está bem... você pode fazer isso depois. — Adam diz. — Só preciso de um minuto, prometo. Não tive a oportunidade de conversar com ela desde que chegamos aqui.
Winston franze as sobrancelhas. Olha para mim. Olha para Adam. Suspira.
— Tudo bem. Mas voltaremos. Tenho que me certificar de que tudo serviu e tenho que verificar o...
— Perfeito. Parece ótimo. Obrigado, cara... — e ele o está empurrando porta afora.
— Espere! — Winston abre novamente a porta. — Pelo menos pegue o traje para ela vestir enquanto aguardamos.
Adam olha para o tecido na mão estendida de Winston, que coça a testa e resmunga algo sobre pessoas que sempre desperdiçam o tempo dele, e Adam reprime um sorriso. Olha para mim. Encolho os ombros.
— Ok — diz ele, apanhando o traje. — Mas agora vocês têm que sair... — E empurra os dois de volta para o corredor.
— Vamos ficar bem aqui fora! — grita Kenji. — A cinco segundos de distância...
Adam fecha a porta atrás deles. Vira-se. Seus olhos estão ardentes em mim. Não sei como acalmar meu coração. Tento falar e falho.
Ele encontra sua voz primeiro.
— Ainda não lhe falei obrigado por ter salvado minha vida. — diz ele.
Baixo os olhos. Finjo que o calor não está subindo pelo meu rosto. Eu me belisco sem nenhum motivo.
Ele avança. Inclina-se. Pega minhas mãos.
— Estou tão feliz que você esteja bem — é tudo o que consigo dizer.
Ele está olhando para os meus lábios e eu estou por toda parte me doendo de desejo. Se ele me beijar neste momento, não sei se o deixarei parar. Ele respira bruscamente. Parece lembrar que está segurando algo.
— Ah. Talvez você devesse vestir isto. — Ele me entrega uma peça colante de alguma coisa roxa. Parece minúscula. Como um macacão que pudesse servir em uma criança pequena. Ela pesa menos que nada.
Ofereço a Adam um olhar vazio.
Ele sorri.
— Prove.
Olho de forma diferente.
— Ah. — Ele recua, um pouco acanhado. — Certo... vou só... ficar de costas...
Espero até que suas costas estejam viradas para mim antes de expirar. Olho em volta. Parece não haver qualquer espelho neste quarto. Tiro a roupa extragrande. Deixo cair cada peça no chão. Estou aqui de pé, nua, e por um momento fico apavorada demais para me mover. Mas Adam não se vira. Ele não diz uma palavra. Examino o tecido roxo reluzente. Imagino que ele deva esticar.
Ele estica.
Na realidade, é inesperadamente fácil vesti-lo... como se ele fosse desenhado para o meu corpo. Há um forro embutido onde deviam estar as roupas íntimas, suporte extra para o meu peito, um colarinho que vai até meu pescoço, mangas que tocam meus pulsos, pernas que tocam meus tornozelos, um zíper que liga tudo. Examino o tecido ultrafino.
Parece que não estou vestindo nada. É do mais vivo tom de roxo; justo, mas de modo nenhum apertado. Ele permite respirar, e é extraordinariamente confortável.
— E que tal...? — pergunta Adam. Ele soa nervoso.
— Pode me ajudar a subir o zíper?
Ele se vira. Seus lábios se apartam, vacilam, formam um sorriso inacreditável. Suas sobrancelhas estão tocando o teto. Estou ruborizando tanto que nem mesmo sei para onde olhar. Ele avança e eu me viro, ansiosa por esconder meu rosto. Adam toca meu cabelo e eu percebo que ele está quase me tomando as costas todas. Talvez seja a hora de cortá-lo.
Seus dedos são tão cuidadosos. Ele tira as ondas de cabelo sobre meus ombros de modo que elas não se enganchem no zíper. Traça a linha da base de meu pescoço até o início da costura, que desce até a região lombar. Mal consigo me manter ereta. Minha espinha está conduzindo eletricidade suficiente para iluminar uma cidade. Ele leva um tempo subindo o zíper. Desce as mãos pela extensão de minha silhueta.
— Céus, você está incrível — é a primeira coisa que ele diz para mim.
Volto-me. Ele está apertando a mão junto à boca, tentando esconder um sorriso, tentando impedir que as palavras saiam de seus lábios.
Toco o tecido. Decido que devo dizer alguma coisa.
— É muito... confortável.
— Sexy.
Levanto os olhos.
Ele está sacudindo a cabeça.
— É sexy pra cacete!
— Pareço uma ginasta — murmuro.
— Não — sussurra ele, quente quente quente contra os meus lábios. — Você parece um super-herói.

26 comentários:

  1. Aymê Filha De Athena28 de dezembro de 2016 17:00

    Amei!!!!!!!!
    Meu, esse livro é mais que demais, quero logo o próximo da série.
    Karina vc é um máximo, amo o seu trabalho com o blog.
    Muito Obrigada por postar os livros.

    ResponderExcluir
  2. agora temos a mulher invisível (versão homem). o homem elástico, se vier o coisa e o tocha humana já faz o quarteto fantástico

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. To imaginando q ele tem algum poder tipo pegar fogo dsd q ele dorme descamisado no chao frio

      Excluir
    2. O adam quis dizer

      Excluir
    3. Estou rindo litros... Adorei sei comentario kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
      É minha gente... Quarteto fantastico esta chegando

      Excluir
    4. Quarteto Fantástico kkk,bem observado Mih.Vou me desidratar de tanto rir desse comentário.

      Excluir
  3. acredito que seja muito fácil localizar um alvo roxo cintilante com curvas sexy, ainda bem que o Warner não quer matá-la (por enquanto, pelo menos)

    ResponderExcluir
  4. ka era pro epílogo estar junto com esse capítulo sem querer ser chato tá : P

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa heuaheuaheu era pra estar separado mesmo

      Excluir
    2. Rosana Schereave Forever 7329 de maio de 2017 15:27

      Olha aqui Adam,se tu tivesse se virado,eu torcia seu pescoço até sairem os miolos!Sexy?Sério,aposto como voce escolheu essa roupa de proposito

      Excluir
  5. Aiii meu Deus!!!!!!! Ameiiii!!!!

    ResponderExcluir
  6. Amei.Muito obrigada.

    ResponderExcluir
  7. Não consigo imaginar uma colam roxo vibrante colado ao corpo de uma forma bonita, ainda mais colocando luvas e botas de couro pretas... sou só eu??????

    ResponderExcluir
  8. Esse livro é tão diferente e comum ao mesmo tempo. Gostei bastante.
    Só não entendo porquê tem pouca gente lendo?

    Karina o que você acha, será que é pouco conhecido?

    Confesso que a primeira vista não tive vontade de ler...
    Mas è bom mesmo <3

    Carla

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Carla! Pelo contrário, acho até que tem uma boa quantidade de gente lendo. Eu que me atrasei na hora de publicar os comentários - fora os vários que foram marcados como spam pelo Blogger, sabe-se lá pq, e foram parar num local separado.

      Excluir
  9. "— Vamos ficar bem aqui
    fora! — grita Kenji. — A cinco
    segundos de distância...
    " amo o Kenji kkkkk esse casalsinho ta num fogo que meu Deus kkkkk

    ResponderExcluir
  10. Yesubai, a filha do vilão10 de abril de 2017 01:05

    tá vend até uniforme dos x-man tem kkkkk será que o James tb tem algum dom??

    ResponderExcluir
  11. Amei o livro. Perfeito
    Ansiosa pelos próximos
    Karina Obrigada! !! É o quarto livro que leio aki. Estou apaixonada
    👏👏👏👏👏👏💖💖💖💖

    ResponderExcluir
  12. Amei essa parte!! Já li duas séries aqui no blog e já não fico sem ele... obrigada Karina, você me salva de estar sozinha e sem o q fazer!!!

    ResponderExcluir
  13. Ja tem os X-MAN, Quarteto fantastico...Daqui a pouco temos a liga da justiça e os Vingadores skskkkskss

    ResponderExcluir
  14. Adorei!!! Li tudo em uma noite !
    Não sei qual meu problema mental mas ainda acho que o Warner vai surpreender com um relacionamento com a Juliette

    ResponderExcluir
  15. Ainda prefiro comparar essas pessoas com poderes aos sanguenovos(A Rainha Vermelha).Acredito que o Adam tem algum poder relacionado ao fogo.

    ResponderExcluir
  16. (...)estou me perguntando quando foi que me tornei uma palestrante motivacional. Quando deixei de odiar a mim mesma e passei a me aceitar. Quando ficou tudo bem para mim a escolha de minha própria vida.

    Você está evoluindo Juliette.Tem mais força do que pode imaginar e não me refiro apenas à força do seu dom.

    ResponderExcluir
  17. Sei nao... Depois que aquele cara elastico apareceu ... Ficou na minha cabeça mais como um desenho animado do que realidade-naum que fosse realidade eh claro-

    ResponderExcluir
  18. EU juro que viajei muito pensando nas partes que o doutor pode esticar o mentesinha suja kkkkkkkkkkkkkkkkk legal jaja vem o quarteto fantastico versão 2 e X-man juntos kkkk será que o adam pegua fogo??

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Boa leitura :)