23 de dezembro de 2016

47

Meu queixo chega ao meu cadarço.
— Você seria inestimável à nossa resistência — diz ele para mim.
— Há outros... como eu? — Mal consigo respirar.
Castle lança-me olhos que me falam à alma.
— Fui o primeiro a perceber que minha aflição não poderia ser só minha. Procurei outros, seguindo rumores, escutando histórias, lendo jornais em busca de anormalidades no comportamento humano. De início, isso era apenas por companhia. — Ele faz uma pausa. — Estava cansado da insanidade. De acreditar que eu não era um humano; que eu era monstro. Mas então percebi que o que parecia ser uma fraqueza era na verdade uma força. Que, juntos, poderíamos ser algo extraordinário. Algo bom.
Não consigo recuperar o fôlego. Não consigo reencontrar o chão. Não consigo expelir a impossibilidade presa na minha garganta.
Castle está esperando por minha reação.
Sinto-me tão nervosa...
— Qual é o seu... dom? — pergunto a ele.
Seu sorriso desarma minha insegurança. Ele estende a mão. Inclina a cabeça. Escuto o ranger de uma porta distante se abrindo, o som de ar e metal; movimento. Volto-me para o som apenas para ver algo vindo velozmente na minha direção. Baixo a cabeça. Castle ri. Pega esse algo na mão.
Respiro ofegante.
Ele me mostra a chave agora prensada entre os dedos.
— Você consegue mover coisas com sua mente? — Nem mesmo sei onde encontro as palavras para falar.
— Tenho um nível incrivelmente avançado de telecinesia. — Seus lábios desenham um sorriso. — Então, sim.
— Existe um nome para isso? — Acho que estou gritando. Tento me firmar.
— Para o meu caso? Sim. Para o seu? — Ele faz uma pausa. — Tenho dúvidas.
— E os outros... o que... eles são...
— Você pode conhecê-los, se quiser.
— Eu... sim.., quero sim — gaguejo, excitada, quatro anos de idade e acreditando em fadas.
Congelo a um som repentino.
Passos estão batendo na pedra. Respiro tensamente.
— Senhor... — grita alguém.
Castle se vira. Contorna um canto em direção ao mensageiro.
— Brendan?
— Senhor! — Ele arqueja novamente. Engole bastante ar.
— Tem novidades? O que você viu?
— Estamos ouvindo coisas no rádio — começa ele, suas palavras entrecortadas com um pesado sotaque britânico. — Nossas câmeras estão captando mais tanques do que o habitual patrulhando a área. Achamos que eles podem estar mais perto...
O som de energia estática. Eletricidade estática. Vozes distorcidas grasnando por uma frágil linha de rádio.
Brendan pragueja baixinho.
— Desculpe, senhor... não é frequente essa distorção... só não aprendi a controlar as cargas ainda...
— Não se preocupe. Você só precisa praticar. Seu treinamento vai indo bem?
— Muito bem, senhor. Tenho quase tudo sob meu controle. — Brendan faz uma pausa. — A maior parte.
— Excelente. Nesse meio-tempo, me mantenha informado se os tanques chegarem mais perto. Não estou surpreso por ouvir que eles estejam mais vigilantes. Preste atenção a qualquer menção de ataque. O Restabelecimento tenta localizar nosso paradeiro há anos, mas agora temos uma pessoa particularmente valiosa a seus esforços e estou certo de que eles a querem de volta. Tenho o pressentimento de que as coisas vão progredir muito rapidamente a partir de agora.
Um momento de confusão.
— Senhor?
— Há uma pessoa que eu gostaria que você conhecesse.
Silêncio.
Brendan e Castle contornam o canto. Entram em meu campo de visão. E eu tenho de fazer um esforço consciente para evitar que meu maxilar se arrombe. Não consigo parar de encarar.
A pessoa é branca da cabeça aos pés.
Não apenas seu estranho uniforme, que é de um ofuscante tom de branco cintilante, como também sua pele é mais pálida que a minha. Até seu cabelo é tão loiro que só pode ser corretamente descrito como branco. Seus olhos são hipnotizantes. Eles são do tom mais claro de azul que já vi. Penetrante. Praticamente transparente. Ele parece ter minha idade.
Ele não parece ser real.
— Brendan, esta é Juliette. — Castle nos apresenta. — Ela chegou ontem. Estava lhe dando um panorama do Ponto Ômega.
O sorriso de Brendan é tão luminoso que eu quase hesito. Ele estende a mão e eu quase entro em pânico, antes de ele franzir a testa. Ele recua, diz:
— Hum, espere... desculpe... — e flexiona as mãos. Estala os dedos.
Algumas faíscas saem de seus dedos. Estou boquiaberta.
Ele recua. Sorri um pouco, timidamente.
— Às vezes eletrocuto pessoas por acidente.
Algo em minha pesada armadura se desprende. Derrete-se. Sinto de repente que sou compreendida. Sinto não ter medo de ser eu mesma. Não consigo segurar o sorriso.
— Não se preocupe — digo a ele. — Se eu apertar sua mão, posso matar você.
— Caramba! — Ele pisca. Encara. Espera por mim para recolher a mão. — Está falando sério?
— Muito.
Ele ri.
— Certo, então. Nada de toques. — Inclina-se. Baixa o tom de voz. — Eu mesmo tenho um pouco de problema com isso, você sabe. As garotas estão sempre falando sobre dar eletricidade a seus romances, mas nenhum aparentemente fica muito feliz em ser eletrocutada de verdade. Confusão dos infernos, é isso que é. — Ele encolhe os ombros.
Meu sorriso é mais vasto que o oceano Pacífico. Meu coração está tão cheio de alívio, conforto, aceitação. Adam estava certo. Talvez as coisas possam ficar bem. Talvez eu não tenha de ser um monstro. Talvez eu tenha uma escolha.
Acho que vou gostar daqui.
Brendan pisca.
— Foi muito bom conhecê-la, Juliette. Vou vê-la mais vezes?
Faço que sim com a cabeça.
— Penso que sim.
— Brilhante. — Ele me lança outro sorriso. Vira-se para Castle. — Vou informá-lo se ouvir qualquer coisa, senhor.
— Perfeito.
E Brendan desaparece.
Volto-me para a parede de vidro que me mantém apartada da outra metade de meu coração. Pressiono minha cabeça contra a superfície fria. Gostaria que ele acordasse.
— Gostaria de dizer olá?
Levanto os olhos para Castle, que ainda está me estudando. Sempre me analisando. De algum modo sua atenção não me deixa desconfortável.
— Sim — digo a ele. — Quero dizer olá.

17 comentários:

  1. Até agr Achei Parecido Com Divergente e A Rainha Vermelha :(

    ResponderExcluir
  2. Super Choque, Vampira e Jean Grey versão homem, agora falta o Ciclope, a Fera, o Noturno, o Flash, Mulher Gavião e dá pra montar uma equipe de super heróis de boa kkkkk

    ResponderExcluir
  3. X man.... kkkk esse castle eo professor so q com cabelo...

    ResponderExcluir
  4. Pensei a msm coisa q todas aq, x men cara! Deu ate uma ponta d decepcao...

    ResponderExcluir
  5. "Certo, então. Nada de toques. — Inclina-se. Baixa o tom de voz. — Eu mesmo tenho um pouco de problema com isso, você sabe. As garotas estão sempre falando sobre dar eletricidade a seus romances, mas nenhum aparentemente fica muito feliz em ser eletrocutada de verdade. Confusão dos infernos, é isso que é. — Ele encolhe os ombros."
    Acho que vou gostar desse garoto!

    ResponderExcluir
  6. Lembrei da Rainha Vermelha e X-Men

    ResponderExcluir
  7. PROFESSOR XAVIER QUANTO TEMPO *0* sinceramente já gostei desse Brendan, a Juju tem uma nova família, o instituto Xavier vai fazer muito bem pra ela 'u'

    ResponderExcluir
  8. Será q eu sou a única a desconfia de tudo isso?

    Ass:TAÍS

    ResponderExcluir
  9. Teria um semelhança com A rainha vermelha?

    ResponderExcluir
  10. Yesubai, a filha do vilão10 de abril de 2017 00:45

    eu sabia que essa pohha toda era o instituto Xavier. kkkkkkkkkkkjj

    ResponderExcluir
  11. UM ALBINO UM ALBINO Q AMOR E AINDA TEM O PODER DA ELETRICIDADE MEU FAVORITO DO LADO DO VENTO YEEEEEEESSSS
    P.s:É que eu camo albinos,. ,

    Ass: Marcella

    ResponderExcluir
  12. Selecionada,audaciosa,divergente,bico negro.....18 de junho de 2017 20:05

    Merda, agora é x men, rainha vermelha e........pts, esqueci o nome do livro, q drigaaaaaaaa

    ResponderExcluir
  13. Selecionada,audaciosa,divergente,bico negro.....18 de junho de 2017 20:05

    Opa....DROGA É o certo

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Boa leitura :)