23 de dezembro de 2016

33

— Por que você não dá uma olhada nesses machucados?
Adam está de pé na frente da porta de James, suas mãos enfiadas nos bolsos. Ele está vestindo uma camiseta vermelho-escura que lhe aperta o corpo. Seus braços são habilmente esculpidos, pintados com tatuagens profissionais. Ele me surpreende olhando para elas. Encontro-o do outro lado sala, toco os desenhos sobre sua pele. Balanço a cabeça.
Ele quase sorri. Sacode a cabeça um milímetro apenas.
— O quê? — Tiro minha mão.
— Nada. — Ele sorri. Desliza os braços ao redor de minha cintura. — Só não consigo acreditar ainda. Você está mesmo aqui. Na minha casa.
O calor sobe-me o pescoço e eu caio de uma escada sobre um pincel mergulhado no vermelho. Elogios não são coisas que eu saiba como processar. Mordo o lábio.
— Onde você conseguiu a tatuagem?
— Estas? — Ele olha novamente para os braços.
— Não. — Estendo a mão para sua camiseta, puxando-a para cima de modo tão desastroso que ele quase perde o equilíbrio. Ele cambaleia para trás e recosta na parede. Levanto o tecido até o colarinho. Resisto ao rubor. Toco seu peito. — Onde você conseguiu esta?
— Ah. — Ele está olhando para mim, mas de repente sou distraída pela beleza de seu corpo e as calças cargo estão situadas um pouco abaixo demais da cintura. Percebo que ele deve ter tirado o cinto. Forço meus olhos para cima. Permito que meus dedos apalpem-lhe descendo o abdome. Sua respiração é tensa.
— Eu não sei... — diz ele. — Eu só... fiquei sonhando com este pássaro branco. Os pássaros costumavam voar, você sabe.
— Você costumava sonhar com ele?
— Sim. O tempo todo. — Ele sorri um pouco, expira um pouco, a relembrar. — Era bom. Sentia-me bem... esperançoso. Quis me agarrar a esta memória porque não tinha certeza se duraria. Então a tornei permanente.
Cubro a tatuagem com a palma de minha mão.
— Costumo sonhar com este pássaro o tempo todo.
— Este pássaro? — Suas sobrancelhas poderiam tocar o céu.
Faço que sim com a cabeça.
— Exatamente este. — A compreensão toma seu devido lugar. — Até o dia em que você apareceu na cela. A partir de então não sonhei mais. — Olho para ele.
— Você está brincando? — Mas ele sabe que não estou.
Baixo sua camiseta e recosto minha testa em seu peito. Inalo seu perfume. Ele não perde tempo puxando-me para mais perto. Descansa o queixo na minha cabeça, suas mãos nas minhas costas.
E permanecemos assim até que estou velha demais para me lembrar de um mundo sem o seu calor.

Adam limpa meus cortes em um banheiro ao lado. Trata-se de uma salinha com um toalete, um espelho pequeno e um chuveiro minúsculo. Amo tudo isso. Quando saio do banheiro, depois de finalmente me trocar e lavar as mãos e o rosto para dormir, Adam está me esperando no escuro. Há cobertores e travesseiros dispostos no chão e isso parece o paraíso. Estou tão exausta que poderia dormir durante alguns séculos.
Deslizo até o seu lado e ele me encaixa em seus braços. A temperatura neste lugar é bem mais baixa, e Adam é a perfeita fornalha. Enterro meu rosto no seu peito e ele me puxa firme. Meus dedos descem suas costas nuas, sinto os músculos tensos sob meu toque. Pouso minha mão na cintura de suas calças. Engancho meu dedo em um passador do cinto. Experimento o gosto das palavras na minha língua.
— Eu pretendia isso, você sabe.
— Pretendia o quê...? — Embora ele saiba exatamente o que pretendo.
Fico tão tímida assim de repente. Tão cega, tão desnecessariamente atrevida. Não sei nada sobre o assunto em que estou me aventurando. Tudo o sei é que eu não quero em mim as mãos de mais ninguém senão as dele. Eternamente.
Adam inclina-se para trás e eu posso apenas distinguir o contorno de seu rosto, seus olhos sempre brilhando na escuridão. Olho para seus lábios quando digo:
— Nunca pedi para você parar. — Meus dedos pousam sobre o botão que prende suas calças. — Nenhuma vez.
Ele está me encarando, seu peito subindo e descendo algumas vezes por minuto. Ele parece quase paralisado de tão incrédulo.
Inclino-me ao seu ouvido.
— Toque em mim.
E ele está quase desvanecido.
Meu rosto está em suas mãos e meus lábios estão em seus lábios e ele está me beijando e eu sou oxigênio e ele está morrendo para respirar. Seu corpo está quase em cima do meu, uma mão em meu cabelo, a outra descendo minha silhueta, deslizando para trás de meu joelho para me puxar para mais perto, mais alto, mais firme. Ele derrama beijos por minha garganta como êxtase, energia elétrica queimando em mim, incendiando-me. Estou à beira da combustão causada pela emoção absoluta de cada momento. Quero mergulhar em seu ser, experimentá-lo com todos os cinco sentidos, afogar-me nas ondas de mistério que envolvem minha existência.
Quero provar a paisagem de seu corpo.
Ele toma minhas mãos e pressiona-as contra seu peito, guiando meus dedos conforme estes trilham a extensão de seu corpo antes que seus lábios encontrem os meus de novo e de novo e mais uma vez, embriagando-me em um delírio de que nunca desejei escapar. Mas não é o bastante. Ainda não é o bastante. Quero me fundir nele, traçar a forma de sua figura unicamente com meus lábios. Meu coração está correndo pelo meu sangue, destruindo meu autocontrole, fazendo tudo girar em um ciclone de intensidade. Ele faz uma pausa para tomar ar e eu o puxo de volta, ávida de desejo, desesperada, morrendo por seu toque. Suas mãos deslizam sob minha blusa, contornando minhas curvas, tocando-me como ele nunca antes ousou, e minha blusa está quase sobre minha cabeça quando uma porta se abre rangendo. Nós dois congelamos.
— Adam...?
Ele mal consegue respirar. Ele tenta se abaixar deitando-se em um travesseiro ao meu lado, mas ainda posso sentir seu calor, sua forma, seu coração batendo aos meus ouvidos. Estou reprimindo um milhão de gritos. Adam inclina sua cabeça para cima, apenas um pouco. Tenta parecer normal.
— James?
— Posso vir dormir aqui com vocês?
Adam senta-se ereto. Ele está respirando com dificuldade, mas fica alerta de repente.
— Claro que pode. — Uma pausa. Seu tom de voz diminuiu, amolece. — Teve sonhos ruins?
James não responde.
Adam está de pé.
Escuto o soluço abafado de lágrimas de dez anos de idade, mas consigo distinguir o contorno do corpo de Adam abraçando James.
— Achei que você disse que estava melhorando — escuto-o sussurrando mas suas palavras são afáveis, não acusadoras.
James diz algo que não consigo ouvir.
Adam levanta James, e eu percebo quão pequeno James é em comparação a ele. Eles desaparecem dentro do quarto apenas para retornarem com o colchão e as roupas de cama. Somente quando James está aconchegado em um lugar a alguns centímetros de Adam é que ele finalmente se entrega à exaustão. Sua respiração pesada é o único ruído na sala.
Adam vira-se para mim. Tenho sido uma fatia do silêncio, impressionada, chocada, ferida profundamente por esta lembrança. Não faço ideia do James testemunhou em tão tenra idade. Não faço ideia do que Adam teve de suportar ao deixá-lo para trás. Não faço mais ideia de como as pessoas vivem. De como elas sobrevivem.
Não sei o que aconteceu com meus pais.
Adam toca meu rosto. Encaixa-me em seus braços. Diz:
— Lamento — e eu o beijo, como a responder que as desculpas não são necessárias.
— Quando for a hora certa — digo a ele.
Ele engole. Recosta-se em meu pescoço. Aspira. Suas mãos estão sob minha blusa. Sobem minhas costas.
Contenho um suspiro.
— Breve.

26 comentários:

  1. desde q eles foram pra casa com o James eu já tava pensando "cuidado pra criança não pegar vcs em um momento ruim" quando o James chegou eu fiquei tipo "não falei?"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. EU TAVA PENSANDO MSM COISA QUANDO ELES TAVA SE PEGANDO, TIPO TEM UMA CRIANÇA NA CASA GENTE MAIS CUIDADO PF

      Excluir
    2. de algum jeito eu sabia q isso ia acontecer...

      Excluir
    3. Óbvio que iszo is acontecer. XD
      * Lanna *

      Excluir
  2. Tipo ham... O ser humano num pode mais nem ser feliz?

    ResponderExcluir
  3. obvio q isso ia acontecer.... na sala, sem porta? claro que alguem ia chegar

    ResponderExcluir
  4. Parece que todo mundo pensou a mesma coisa

    ResponderExcluir
  5. Quando o James chegou eu fiquei pensando tipo: "bonito, mais que bonito, será que eu estou atrapalhando o casalsinho aí?" e mais uma vez a "pureza" da Juju foi salva graças ao menino super poderoso James kkkkk
    #TeamJuliner

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou morta com seu cometario kkkkkkkk amei amei melhor parte do livro são os comentários 😊😊

      Excluir
    2. Kkkkk Que top o seu comentário! Kkkkk

      Excluir
  6. Eles nunca conseguem, alguma coisa sempre atrapalha.. aff

    ResponderExcluir
  7. Uau
    será que Warner tem o mesmo sonho com esse passado...

    ResponderExcluir
  8. "Adam?"
    Eu morri de rir. ... " vcs tão com sorte não hein! " Hahaha ..... James acabou com a farra. .. Hahaha
    Bianca

    ResponderExcluir
  9. irmãos caçulas são os maiores empata foda da historia

    ResponderExcluir
  10. Yesubai, a filha do vilão9 de abril de 2017 22:58

    Elogios não são coisas que eu saiba como processar.
    eu tb não sei Jullie

    ResponderExcluir
  11. Yesubai, a filha do vilão9 de abril de 2017 22:59

    eu amooo o James, mais ele podia ter demorado mais pra chegar kkkkkkkkkkkjj tadinho tendo pesadelos

    ResponderExcluir
  12. — Posso vir dormir aqui com vocês?

    Eu ri kkklkklkkkkkkkkk
    Gente,essa garota ta ousada em

    ResponderExcluir
  13. E nué
    Mais eu não consigo gostar do Adam
    Prefiro mil vezes o Warner, é tenho quedinha por vilões

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tenho uma leve impressão, de que:Adam e ela conseguem fazer sexo, algo acontece e Adam morre* ou passa a odia-la por algo. E para quem gosta do Warner eu (fique bem claro NUNCA li esse livro é a primeira vez) acho que ele força ela. E ela morre ou ela fica sozinha que o que eu espero. Odeio finais com casais ( não importa quais). E PARA FICAR CLARO TO LENDO ESSE LIVRO VAI FAZER DOIS DIAS NÃO É SPOILER É SUPOSIÇÃO

      Excluir
  14. Estava aki pensando... O Adam é uma fornalha, ela sempre fala isso, ele na cela falou que estava pegando fogo, que dormia sem roupa, ela fala que a casa e fria, será que ele tem algum "poder mágico" também, por isso pode tocar nela? E o Wanner também pode tocar nela falou que eles se parecem, mais do que ele pensa, será, será?

    ResponderExcluir
  15. O livro vai acabar e ela ainda vai ser virgem se depender do James

    ResponderExcluir
  16. Acho que o Adam matou seu próprio pai, isso e o que ele esconde e o James viu por isso tem pesadelo.
    Ps: Luke

    ResponderExcluir
  17. Breve...

    Se loko,imagina o povo que ta lendo no meio de outras pessoas!!! Fica com aquela carinhaaaa....seis sabe né???😭😂😂

    Semppre tem um pra atrapalhar

    ResponderExcluir
  18. Tatah/UMA_LEITORA_QUALQUER_S221 de novembro de 2017 20:29

    Ah, não James!!! MORA QUE AINDA TÁ TUDO BEM <3 <3

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Boa leitura :)