16 de dezembro de 2016

Fanfic: A estrela do amanhã


Sinopse:
Segundo livro da saga Artes da Escuridão.
Após a guerra com Prometheus, Clarisse pensa que pode desfrutar de uma vida com seu novo marido, Richard e sua filha ainda em sua barriga Ângela, mas sua guerra ainda não acabou, ela terá muitas provas pela frente, tornando seu sonho de uma vida "normal" quase impossível."

Categorias: ficção, aventura, ação, história original
Classificação: +18
Autor: Gabriel Barcellos

_____________________________________

Capítulo I


Acordei com uma grande dor, me sentei ofegante na cama, Richard dormia ao meu lado, me levantei e fui ao banheiro, lavei meu rosto que estava molhado de suor e decidi tomar um banho, tinha mandado eles fazerem banheiras, aquele modo deles tomarem banho estava me deixando muito cansada, e a ideia da banheira foi um sucesso, enchi ela e então entrei e fiquei ali, essa era a única maneira de diminuir minha dor. A cada duas vezes por noite eu acordava com dores no pé da barriga, já estava com sete meses e alguns dias, a dor tinha começado a partir dos meus quatro meses de gestação. Kely como madrinha e minha melhor amiga, tentou ver se tinha algo de errado com Ângela, mas era impossível ver alguma coisa, a bolsa era impenetrável, nem mesmo ela conseguiria entrar ali. Então entre a dúvida e o medo, eu preferi esperar e rezar para que ela nascesse bem, já que não poderia ter mais filhos. Sim isso mesmo, Kely e eu descobrimos isso dois dias depois que fiquei imortal, de acordo com todas as lendas e histórias, era impossível uma mulher, que antes era mortal, ter filhos. Tive sorte de isso ter acontecido antes disso, mas agora estou preocupada se isso não possa estar prejudicando minha filha.
Já estava na hora de sair, me levantei e peguei uma toalha felpuda vermelha e me enxuguei, vesti roupas novas, já que não conseguiria voltar a dormir, e tecnicamente não precisava dormir. Sai do banheiro o mais silenciosamente o possível, para não acordar Richard, fui para a porta e a abri, os dois guardas já estavam acostumados a me ver sair no meio da noite, então apenas acenaram com a cabeça. Desci as escadas, que agora pareciam muito maiores e cansativas e fui para o pátio.
Já tinha gravado cada centímetro daquele castelo, sabia as partes fracas das muralhas, os locais perfeitos para fugas, e também para entradas clandestinas. Mandei fechar e consertar todos esses pontos fracos. Agora eu tinha mais ou menos quinze mil homens, vários foram camponeses jovens, que foram treinados, e outros renegaram seus antigos Clãs e se aliaram a mim, mas com esses eu mantinha um pouco mais longe das entradas do castelo, pois se traiu um, para fazer o mesmo com outro era tal fácil quanto.
Quando cheguei perto dos estábulos vi a parte que foi reconstruída da muralha, por onde Eryna tinha entrado. E ao lado o local onde estava Brindigite, onde ela foi morta por uma flecha, bem tá mais por uma queda, mas morta de qualquer maneira. Tentei trazer ela de volta, mas era impossível, seu corpo ficou despedaçado, tinha pedaços para todos os lados. Eryna despois que tudo acabou pediu perdão por suas ações, não tinha por que eu prender ela ou qualquer um que estava ali, pois eles estavam sob poder de Prometheus. Ela tinha voltado para seu planeta com alguns líderes de Clãs e reestruturado o reinado dos Loriel, o Clã Reivel é que foi mais difícil, pois descobri que Victor não era um Reivel, então tive que ir até os parentes mais próximos dos Reivels que poderia ter herdado os poderes, depois de meses de procura finalmente achei. Seu nome era Lucas Reivel, ele tem vinte anos e ficou muito surpreso em saber que era o novo Lorde do Clã Reivel. Enquanto a Luliana estava hospedada em meu castelo, sim ela era minha hospede, depois da guerra ela tinha milagrosamente, voltado ao normal. Tinha até mesmo gerado uma simpatia por ela, que era bem engraçada. Depois que reunimos todos os Líderes responsáveis pelo Conselho Branco, nós reestruturamos Brimoudo e o devolvemos para Luliana, para que ela pudesse refazer seu Clã, ela tinha levado grande parte dos líderes para seu planeta, não fui contra, pois não tinha como alocar eles aqui em Morbidus.
Cheguei a torre que pertencia aos meus pais, que agora estavam no comando do Clã Gonums, meu primo foi morto na guerra e sua esposa pulou da janela de sua torre quando soube, sinceramente ela nem gostava dele para fazer tanto, mas enfim, meus pais reivindicaram o nome Gonums para eles e com isso o Clã também, para dar uma ajudinha a eles, eu tinha devolvido suas antigas posses e seu título de Lorde e Senhora, por incrível que parecesse minha mão já estava gravida de um mês do meu pai. Agora em sua torre estava a filha mais nova de Brindigite, a tinha pego para cuidar dela, já que era muito doente e por que também era a única herdeira do Clã Voltys, ela não se parecia tanto com a mãe, ela tinha cabelos negros lisos, olhos azuis e uma pele lisa igual a de um bebe, era muito bonita, mas também magra. Muitos vieram pedir sua mão em casamento, mas eu neguei todos, queria alguém que cuidasse dela não que cuidasse apenas de suas posses.
Cheguei em fim até o Grande Salão, onde tinha acabado tudo, ele foi reconstruído, já que alguns minutos depois ele desabou por inteiro, agora suas portas eram de carvalho e suas paredes de granito branco, o teto se estendia um pouco além de sua estrutura, sendo segurado por dois pilares também de granito branco, os três degraus eram os únicos que eram os mesmos de antes. Dei a volta nele e fui para a minha parte preferida do castelo, o jardim de minha tia.
Era uma grande estufa de vidro, dentro tinha milhares de arvores frutíferas e flores, era quase do mesmo tamanho do Grande Salão. O teto tinha uma abertura no centro, era ali que eu sempre me deitava, o jardim era macio e sedoso, deitei no gramado e fiquei ali olhando as estrelas, sempre as admirava, tanto que criei uma, a maior de todas, com o nome da minha filha, ela era vista em todos os mundos, seu tom avermelhado era perfeito e lindo. Fiquei ali olhando para ela, admirando sua beleza e seu grande poder, tinha descoberto que o pó de uma estrela caída, poderia elevar seus poderes dez ou até mesmo vinte por cento, ninguém conseguiria ir até elas, mas tinham aquelas que eu e minha mãe fizemos cair, elas sim foram um grande problema, ficamos quase cinco meses apenas mandando elas de volta e recolhendo o pó daqueles que surrupiaram.
Bem acho que poderia dizer que tudo está perfeito, tinha me casado com Richard, estava gravida, meus pais estavam vivos e juntos, tinha grandes amigos e aliados fiéis e um reino todo que confiava em mim e gritava por meu nome cada vez que passava por eles. Minha vida estava perfeita.

- Você gosta mesmo daqui – Disse Richard ao meu lado. Mesmo saindo sem fazer barulho ele saberia que não estava lá, ele sempre sabia e sempre vinha atrás de mim para saber se estava bem – Está sentindo muita dor?
- Estava, mas já estou bem melhor – Me sentei e olhei para ele, aqueles cabelos rebeldes e aqueles olhos penetrantes – Sente-se comigo, estava observando as estrelas – Eles fez o que pedi e se sentou ao meu lado, sentei a cabeça em seu ombro e ele a acariciou – Sabe as vezes tenho um pouco de medo quando sinto essas dores.
- Não precisa, eu sempre irei estar ao seu lado, custe o que custar – Disse ela beijando minha cabeça – E outra nossa pequena Ângela está bem e nascera forte – Mesmo não querendo dizer nada, Richard tinha a mesma preocupação que eu, como ela seria? Imortal ou mortal? Boa ou má? Essas eram nossas principais preocupações.
- Você tem razão, talvez isso seja completamente normal – Disse tentando acreditar em mi mesma – Nunca estive gravida antes para saber como é.
- Mais um motivo para não nos desesperarmos, Kely mesmo disse que era impossível penetrar na balsa onde ela está, não é?
- Sim.
- Então, isso significa que nada pode fazer mal a ela – Ele sabia da minha impossibilidade de não ter mais filhos além de Ângela, então sua esperança de ter algum filho do seu sangue se baseava apenas nela, não poderia estragar tudo dizendo que ela poderia nem mesmo estar viva.
- Está certo, não me preocuparei tanto assim mais – Voltei meus olhos para a estrela de minha filha, que brilhava mais do que nunca agora.
____________________________________

Deixe sua opinião nos comentários!

Saiba mais: https://fanfiction.com.br/historia/701994/A_Estrela_do_Amanha/

Um comentário:

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!