16 de outubro de 2016

Trinta e nove - Elvis deixou a bolsa de boliche

— PEDIMOS DIREITOS DE convidados! — gritei. — Utgard-Loki, solte nossos amigos!
Achei que foi um ato bem corajoso da minha parte, considerando que estávamos encarando uma convenção armada e malvestida de Estátuas da Liberdade.
O grupo de gigantes riu. No bar, um gritou:
— O que você disse? Fale mais alto!
— Eu falei...
O barman voltou a botar “1999” e abafou minha voz. Os gigantes uivaram de tanto rir.
Franzi a testa para Blitzen.
— Você me disse que as músicas da Taylor Swift eram as preferidas dos anões... Isso quer dizer que Prince era um gigante?
— Hã? — Blitzen manteve o olhar grudado em Hearthstone, que ainda estava preso e se debatendo na mão de Utgard-Loki. — Não, garoto. Isso só quer dizer que os gigantes têm bom gosto. Você acha que Jacques poderia cortar nossos amigos da mão do gigante?
— Antes de Utgard-Loki os esmagar? Improvável.
Alex enrolou o garrote na mão, apesar de eu não conseguir ver como isso ajudaria, a não ser que ela
pretendesse passar fio dental nos gigantes.
— Qual é o plano?
— Estou trabalhando nisso.
Finalmente, Utgard-Loki fez um gesto de basta, passando o dedo na garganta. (Não era meu gesto favorito.) A música foi interrompida outra vez. Os gigantes se acalmaram.
— Magnus Chase, estávamos esperando você! — Utgard-Loki sorriu. — Quanto aos seus amigos, eles não são meus prisioneiros. Eu só estava levantando os dois para que vissem que você chegou! Tenho certeza de que estão muito felizes!
Sam não parecia feliz. Ela mexeu os ombros, tentando se soltar. Sua expressão sugeria que ela tinha vontade de matar todos os presentes que estivessem usando camisa de boliche e talvez alguns que não estivessem.
Quanto a Hearth, eu sabia quanto ele odiava ficar com as mãos presas. Desse jeito ele não podia se comunicar nem fazer magia. A fúria gelada nos olhos do elfo me lembrou o pai dele, o sr. Alderman, e não foi uma semelhança que eu gostei de notar.
— Coloque meus amigos no chão se eles não são seus prisioneiros.
— Como desejar! — Utgard-Loki colocou Sam e Hearth em cima da mesa, e eles eram do tamanho da caneca de hidromel do gigante. — Nós deixamos os dois bem à vontade enquanto esperávamos vocês. Miúdo mencionou que trariam a bolsa de boliche dele no máximo até esta manhã. Eu estava começando a achar que vocês não iam conseguir chegar!
Pelo jeito que ele falou, pareceu que estávamos fazendo uma troca de reféns. Uma sensação fria e pesada surgiu nas minhas entranhas. Eu me perguntei o que teria acontecido com Sam e Hearth se não tivéssemos aparecido com a bolsa. Nós os deixamos esperando, presos aqui por vinte e quatro horas, provavelmente se perguntando se ainda estávamos vivos.
— Nós estamos com a bolsa! — falei. — Não se preocupe.
Cutuquei Blitzen.
— Certo! — Blitzen deu um passo à frente e levantou sua criação. — Esta é Courovazio, prestes a ficar famosa entre as bolsas de boliche, finalizada por Blitzen, filho de Freya! Com ajuda de Jacques!
Nosso velho amigo Miúdo abriu caminho pela multidão. Manchas de hidromel sujavam a camisa cinza. O coque havia se soltado. Como ele avisara, em comparação aos outros gigantes do local, ele realmente parecia pequeno.
— O que vocês fizeram com a minha bolsa? — gritou o gigante. — Lavaram na máquina? Está minúscula!
— Igual a você! — disse outro gigante, assobiando.
— Cale a boca, Hugo! — gritou Miúdo.
— Não tema! — prometeu Blitzen, a voz demonstrando qual era o som do temor. — Posso fazer a bolsa voltar ao tamanho normal! Mas, primeiro, quero garantias do seu rei de que temos direitos de convidados: nós três e nossos dois amigos na mesa.
Utgard-Loki deu um risinho.
— Bem, Miúdo, parece que eles fizeram o que você pediu. Trouxeram sua bolsa.
Miúdo indicou, triste, a nova bolsa minúscula.
— Mas...
— Miúdo... — disse o rei, o tom engrossando.
Miúdo olhou de cara feia para nós. Ele não parecia tão tranquilo agora.
— Sim — afirmou o gigante com os dentes cerrados. — Eles cumpriram a parte deles da barganha. Eu asseguro... de um jeito muito, muito pequeno.
— Prontinho! — Utgard-Loki sorriu de modo radiante. — Vocês são convidados oficiais do meu boliche!
Ele pegou Sam e Hearth e os colocou no chão. Felizmente, a espada e a pedra Skofnung ainda estavam nas costas de Samirah.
O rei se virou para falar com os gigantes reunidos.
— Meus amigos, se recebermos esses convidados, no nosso tamanho atual, vamos ficar com a vista cansada só tentando não pisar neles. Vamos ter que servir comida com pinças e encher os copinhos deles com conta-gotas. Isso não é divertido! Vamos diminuir um pouco a festa, certo?
Os gigantes resmungaram, mas ninguém pareceu querer contradizer o rei. Utgard-Loki estalou os dedos. O salão girou. Meu estômago embrulhou, fiquei atordoado.
O boliche encolheu e passou de colossal a apenas enorme. Os gigantes agora tinham em média dois metros de altura. Eu conseguia olhar para eles sem inclinar o pescoço ou ter que ver suas narinas cavernosas.
Samirah e Hearthstone correram para se juntar a nós.
Você está bem?, Blitz sinalizou para Hearth.
Onde vocês estavam?, perguntou Hearth.
Samirah me deu um sorriso sofrido de eu-vou-te-matar.
— Achei que vocês estivessem mortos. E o que aconteceu com seu cabelo?
— Longa história — respondi.
— É, desculpa pelo atraso. — O pedido de desculpas de Alex me surpreendeu mais do que qualquer outra coisa até o momento. — O que a gente perdeu?
Sam olhou para ela como quem diz: Se eu contasse, você não acreditaria.
Eu não consegui imaginar que a história dela fosse mais esquisita do que a nossa, mas, antes que pudéssemos comparar as experiências, Miúdo cambaleou na direção de Blitzen. O gigante pegou a bolsa de boliche, que agora estava do tamanho certo para ele.
Ele a abriu e deu um suspiro de alívio.
— Graças aos céus! Elvis!
Miúdo tirou a bola de boliche de dentro da bolsa e a examinou para ver se estava danificada. Na superfície havia uma pintura de Elvis Presley dos anos 1970, com o macacão branco cheio de pedras.
— Ah, machucaram você, bebê? — O gigante beijou a bola e a abraçou contra o peito. E olhou de cara feia para Blitzen. — Você tem sorte de não ter acontecido nada com Elvis, anãozinho.
— Não tenho interesse nenhum em fazer mal a Elvis. — Blitzen tirou a bolsa agora vazia das mãos de Miúdo. — Mas vou ficar com Courovazio como garantia! Você pode pegá-la de volta quando sairmos daqui ilesos. Se tentar qualquer coisa, devo avisar que a bolsa só muda de tamanho com uma palavra de comando, e você nunca vai adivinhar sozinho!
— O quê? — gritou Miúdo. — É Presley?
— Não.
— É Graceland?
— Não.
— Amigos, amigos! — Utgard-Loki andou em nossa direção com os braços abertos. — Hoje é o dia do torneio! Temos convidados especiais! Não vamos brigar. Vamos comer, beber e competir! Aumentem a música! Aqui tem bebidas para todos!
“Little Red Corvette” começou a tocar nos alto-falantes. A maioria dos gigantes se dispersou, voltando para o hidromel, para o boliche e para a Sra. Pac-Man Não Tão Imensa. Alguns, principalmente os de camisa cinza como a de Miúdo, pareciam querer nos matar, independentemente dos direitos de convidados, mas me confortei sabendo que tínhamos uma opção catastrófica. Se as coisas fossem de mal a pior, sempre podíamos gritar senha e destruir a construção inteira em uma avalanche de couro bordado por anão.
Utgard-Loki bateu nas costas de Miúdo.
— Isso aí! Vá tomar um Suco Jötunn!
Miúdo aninhou Elvis nos braços e foi para o bar, olhando de cara feia para nós por cima do ombro.
— Utgard-Loki — falei —, nós precisamos de informações...
— Agora não, seu idiota. — Ele manteve o sorriso, mas o tom foi um rosnado desesperado. — Pareça feliz. Finja que acabou de me contar uma piada.
— O quê?
— Essa foi ótima! — gritou o rei gigante. — Ha-ha-ha!
Meus amigos tentaram entrar na farsa.
— É, ha-ha! — disse Sam.
Blitzen soltou uma boa gargalhada anã.
— Hilário! — disse Alex.
H-A-H-A, sinalizou Hearth.
Utgard-Loki continuou sorrindo para mim, mas seus olhos estavam afiados como adagas.
— Nenhum gigante aqui além de mim quer ajudar vocês — disse ele, baixinho. — Se não se mostrarem dignos, nunca vão sair vivos deste boliche.
— O quê? — sibilou Blitzen. — Você prometeu direitos de convidados. Você é o rei!
— E já usei toda a minha influência e credibilidade tentando ajudar vocês! De outro modo, não teriam chegado tão longe!
— Nos ajudar? — questionei. — Matando nosso bode?
— E se infiltrando em Valhala? — acrescentou Sam. — E possuindo um instrutor de voo inocente?
— Tudo isso para dissuadir vocês de caírem na armadilha de Loki. O que, até agora, vocês conseguiram fazer mesmo assim. — Ele virou a cabeça e gritou para quem estivesse olhando: — É verdade, pequeno mortal! Mas vocês nunca vão vencer os gigantes!
Ele baixou a voz de novo.
— Nem todo mundo aqui acha que Loki precisa ser impedido. Vou contar para vocês o que precisam saber para atrapalhar os planos dele, mas vão ter que colaborar. Se não se provarem dignos e não conquistarem o respeito dos meus seguidores, vou ser destronado, e um desses imbecis vai se tornar o novo rei. Aí, estaremos todos mortos.
Alex olhou para os gigantes como se decidisse que imbecil garrotear primeiro.
— Olhe, Vossa Majestade Penosa, você podia ter nos passado essas informações importantes por mensagem de texto ou telefone dias atrás. Para que todo o segredo e o Godzilla inflável?
Utgard-Loki franziu a testa para ela.
— Eu não podia mandar mensagem de texto para você, cria de Loki, por vários motivos. Primeiro e mais importante, porque seu pai tem meios de descobrir as coisas. Não concorda?
O rosto de Alex ficou vermelho, mas ela não disse nada.
— Agora — continuou o rei —, participem da festa. Vou levá-los à sua mesa.
— E depois? — perguntei. — Como vamos provar que somos dignos?
Os olhos de Utgard-Loki brilharam de um jeito que eu não gostei.
— Vocês vão nos entreter com feitos impressionantes. Vão nos superar na competição de boliche. Ou morrerão tentando.


5 comentários:

  1. — É, ha-ha! — disse Sam.
    Blitzen soltou uma boa gargalhada anã.
    — Hilário! — disse Alex.
    H-A-H-A, sinalizou Hearth.
    Eu ri disso e me sinto péssima kkkk

    ResponderExcluir
  2. O q ,em nome de Odin a/o Alex está escondendo?

    ResponderExcluir
  3. Pq na bola de boliche tem uma pintura de um mago egipcio ?
    Entendedores entenderao

    ResponderExcluir

  4. — Você me disse que as músicas da Taylor Swift eram as preferidas dos anões... Isso quer dizer que Prince era um gigante?
    — Hã? — Blitzen manteve o olhar grudado em Hearthstone, que ainda estava preso e se debatendo na mão de Utgard-Loki. — Não, garoto. Isso só quer dizer que os gigantes têm bom gosto.


    MANO KKKKKKKK

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!