16 de outubro de 2016

Quarenta e um - Na dúvida, transforme-se em um inseto

EU ESTAVA COMEÇANDO a odiar o Grande Torneio de Boliche de Utgard.
Em seguida foi a vez de Hearthstone. Ele fez sinal para o fliperama e, com tradução minha, desafiou os gigantes a fazerem a maior pontuação no jogo que os competidores escolhessem. O time Jammers de Jötunn, de Hugo, indicou um cara chamado Kyle, que andou até a máquina de skee-ball e marcou exatos mil pontos. Enquanto os gigantes comemoravam, Hearthstone andou até a máquina de pinball Starsky & HutchJustiça em Dobro e colocou uma moeda de ouro vermelho na fenda.
— Espere! — protestou Hugo. — Não é o mesmo jogo!
— Não precisa ser — falei. — Hearth disse “qualquer jogo que os competidores escolhessem”, no plural. Seu jogador escolheu skee-ball. Hearth escolheu pinball.
Os gigantes resmungaram, mas no fim cederam.
Blitzen sorriu para mim.
— Você vai ver uma coisa e tanto, garoto. Hearth faz magia.
— Eu sei disso.
— Não, estou falando no pinball.
Hearthstone soltou a primeira bola. Eu não o vi usar magia, mas ele logo destruiu a pontuação de Kyle – o que, convenhamos, não foi justo, pois a pontuação de pinball vai bem mais alto do que mil. Mesmo depois de ter passado de quinhentos milhões, Hearth continuou jogando. Ele mexia na máquina e batia nos pinos com tanta intensidade que eu me perguntei se Hearth estava pensando no pai e em todas as moedas que ele o fizera guardar por tarefas completadas. Naquela máquina, Hearth logo se tornou um bilionário de mentirinha.
— Chega! — gritou Utgard-Loki, tirando a máquina da tomada. — Você provou sua habilidade! Acho que podemos concordar que este elfo surdo sabe jogar pinball. Quem é o próximo?
Blitzen desafiou os gigantes a uma repaginação completa de visual. Prometeu que conseguiria deixar qualquer gigante mais atraente e estiloso. Os gigantes escolheram por unanimidade um jötunn chamado Grum, que aparentemente estava dormindo embaixo do bar (acumulando sujeira e limo) pelos últimos quarenta anos. Eu tinha quase certeza de que ele era a deidade menor Falta de Higiene.
Blitzen não desanimou. Ele pegou os itens de costura e começou a trabalhar. Demorou algumas horas para aprontar roupas novas a partir de itens da lojinha do boliche. Depois, Blitz levou Grum para o banheiro para um tratamento de choque. Quando saíram de lá, as sobrancelhas de Grum haviam sido aparadas. A barba e o cabelo estavam mais bem-cortados do que os do hipster mais metrossexual. Ele estava usando uma camisa de boliche cintilante com GRUM bordado na frente, junto com uma calça prateada e sapatos de boliche combinando. As moças gigantes desmaiaram. Os homens gigantes se afastaram dele, intimidados por aquela vibe de astro do cinema. Grum voltou para debaixo do bar e começou a roncar.
— Não consigo mudar maus hábitos! — disse Blitz. — Mas vocês viram. Eu venci o desafio ou não?
Houve muitos murmúrios, mas ninguém ousou discutir. Nem a feiura incrementada magicamente era páreo para um anão especializado em moda.
Utgard-Loki se inclinou para mim e murmurou:
— Vocês estão indo muito bem! Vou ter que fazer com que o último desafio seja muito difícil, para você ter uma chance alta de morrer. Isso deve solidificar o respeito dos meus vassalos.
— Como é que é?
O rei solícito levantou as mãos para a multidão.
— Gigantas e gigantes! Nós temos mesmo convidados muito interessantes, mas não temam! Teremos nossa vingança! Restam ainda dois desafiantes. O destino quis assim, pois esse é o número perfeito para um desafio de duplas de boliche. Como o boliche é o motivo de estarmos aqui hoje, façamos nossos dois últimos visitantes enfrentarem os campeões dos Perus do Boliche do Miúdo!
Os gigantes berraram e comemoraram. Miúdo olhou para mim e passou o dedo pela garganta, um gesto que eu já estava ficando cansado de ver.
— Os vencedores receberão o prêmio de sempre, que é, claro, a cabeça dos perdedores! — anunciou Utgard-Loki.
Olhei para Alex Fierro e me dei conta de que agora éramos uma dupla.
— Acho que é uma péssima hora para confessar — disse Alex —, mas eu nunca joguei boliche.

* * *

Nossos oponentes dos Perus do Boliche do Miúdo eram irmãos com os incríveis nomes de Herg e Blerg.
Era difícil saber quem era quem. Além de serem gêmeos idênticos, eles usavam camisas cinza iguais e capacetes de futebol americano, esse último item provavelmente para nos impedir de jogar machados na cara deles. A única diferença entre os dois eram as bolas de boliche. A de Herg tinha uma pintura do rosto do Prince. (Talvez ele tivesse providenciado a playlist do bar.) O irmão, Blerg, tinha uma bola vermelha com a cara do Kurt Cobain. Blerg ficava olhando para mim e para a bola, como se estivesse tentando me imaginar com o cabelo comprido.
— Muito bem, meus amigos! — anunciou Utgard-Loki. — Vamos jogar um jogo curto de três jogadas!
Alex se inclinou na minha direção.
— Como é uma jogada?
— Shhh.
Na verdade, eu estava tentando lembrar as regras do boliche. Fazia anos que eu não jogava. Havia uma pista no Hotel Valhala, mas como os einherjar faziam quase tudo até a morte, não fiquei ansioso para ir conhecer.
— É uma competição muito simples! — continuou Utgard-Loki. — A pontuação mais alta ganha. A primeira equipe: os Mortais Insignificantes!
Ninguém comemorou quando Alex e eu fomos buscar as bolas.
— O que você acha? — sussurrou Alex.
— Basicamente — expliquei —, você tem que rolar a bola pela pista e derrubar os pinos.
Ela me olhou com irritação, o olho cor de mel duas vezes mais brilhante e raivoso do que o castanho-escuro.
— Isso eu sei. Mas devemos violar as regras, certo? Qual é a ilusão aqui? Você acha que Herg e Blerg são deidades menores?
Eu me virei para Sam, Blitz e Hearth, que tinham sido forçados a ficar observando pelo lado de fora da grade. As expressões deles não me diziam nada que eu já não soubesse: estávamos com sérios problemas.
Fechei os dedos ao redor do pingente e pensei: Ei, Jacques, algum conselho?
Minha espada cantarolou, sonolenta, como costumava fazer quando estava em forma de pingente. Não.
Obrigado, pensei em resposta. Excelente ajuda da espada mágica.
— Mortais insignificantes! — chamou Utgard-Loki. — Há algum problema? Vocês querem desistir?
— Não! Não, nós estamos bem. — Respirei fundo. — Certo, Alex, nós temos três jogadas. Três rodadas para jogar. Vamos ver como vai ser a primeira. Pode ser que nos dê ideias. Observe como eu jogo.
Foi uma declaração que eu jamais achei que fosse dar. Boliche não era um dos meus superpoderes.
Mesmo assim, pisei no acesso com minha bola de boliche cor-de-rosa. (Ei, qual é?! Era a única que cabia nos meus dedos!) Tentei me lembrar das dicas que meu professor de carpintaria, o sr. Gent, nos dera quando tivemos nossa festa do ensino fundamental nas Pistas Lucky Strike. Fui até a linha, mirei e joguei com toda a minha força einherji.
A bola rolou lentamente, arrastada, e parou na metade da pista.
Os gigantes berraram de tanto rir.
Peguei a bola e voltei andando, com o rosto em chamas. Quando passei por Alex, ela resmungou:
— Valeu! Isso foi bem instrutivo.
Voltei para o meu lugar. Atrás da grade, Sam parecia pálida. Hearthstone sinalizou seu conselho mais útil: Jogue melhor. Blitzen sorriu e mostrou dois polegares para cima, o que me fez questionar se ele entendia as regras do boliche.
Alex foi até a linha. Ela jogou como uma criança, balançando a bola entre as pernas com as duas mãos e jogando pela pista. A esfera azul-escura quicou uma, duas vezes, e rolou um pouco mais longe do que a minha antes de cair na canaleta.
Mais risadas da plateia de gigantes. Alguns trocaram batidas de mãos. Moedas de ouro vermelho foram repassadas.
— Hora dos Perus do Boliche! — gritou Utgard-Loki.
Houve uma salva de palmas quando Herg entrou na pista ao lado.
— Esperem — falei. — Eles não têm que usar a mesma pista que nós?
Miúdo abriu caminho na multidão, os olhos arregalados de inocência fingida.
— Ah, mas o rei não falou nada sobre isso! Ele só disse que a maior pontuação vence. Vão em frente, rapazes!
Herg jogou a cabeça de Prince. A bola rolou direto pelo meio em velocidade relâmpago e derrubou os pinos com um som de marimba explodindo.
Gigantes comemoraram e balançaram os punhos. Herg se virou sorrindo por trás da máscara do capacete. Ele deu um tapa no ombro de Blerg, e eles trocaram algumas palavras.
— Preciso saber o que eles estão dizendo — disse Alex. — Já volto.
— Mas...
— PAUSA PARA O BANHEIRO! — gritou Alex.
Alguns dos gigantes franziram a testa por causa da interrupção, mas em geral, quando alguém grita pausa para o banheiro no meio de uma multidão, as pessoas não interferem. As consequências não são boas.
Alex entrou no banheiro feminino. Enquanto isso, Blerg chegou ao acesso. Levantou a bola do Kurt Cobain e a rolou pela pista, o rosto do cantor sumindo e aparecendo, dizendo oi, oi, oi até acertar os pinos e jogá-los longe com muito espírito roqueiro.
— Mais um strike! — gritou Miúdo.
Houve comemoração e hidromel sendo servido para todo lado, exceto entre mim e meus amigos. Blerg e Herg se encontraram no suporte de bolas, rindo e olhando na minha direção. Enquanto a multidão ainda estava comemorando e fazendo novas apostas, Alex voltou do banheiro.
— JÁ TERMINEI! — anunciou ela.
Alex correu até mim e agarrou meu braço.
— Acabei de escutar Herg e Blerg conversando — sussurrou.
— Como?
— Eu xeretei. Faço esse tipo de coisa quando viro uma mosca.
— Ah. — Olhei para Sam, que estava com a testa muito franzida. — Estou familiarizado com essa coisa da mosca.
— A pista deles é uma pista normal de boliche — relatou Alex. — Mas a nossa... não sei. Ouvi Herg dizer “Boa sorte para eles, tentando acertar as Montanhas Brancas”.
— As Montanhas Brancas — repeti. — Em New Hampshire?
Alex deu de ombros.
— A não ser que existam Montanhas Brancas em Jötunheim também. Seja como for, aquilo lá não são pinos de boliche.
Estreitei os olhos para o final da nossa pista, mas os pinos ainda pareciam pinos, não montanhas. Por outro lado, Pequeno Billy não parecia o Medo... até parecer.
Balancei a cabeça.
— Como é possível...?
— Não faço ideia — disse Alex. — Mas se nossas bolas de boliche estiverem rolando na direção de uma cadeia montanhosa em outro mundo...
— Elas nunca vão chegar ao final da pista. E não vamos conseguir derrubar nenhum pino. Como desfazemos o feitiço?
— Andem logo, mortais insignificantes! — gritou Miúdo. — Parem de enrolar!
Era difícil pensar com uma porção de gigantes gritando comigo.
— Eu... eu não sei — falei para Alex. — Preciso de mais tempo. Agora, a melhor coisa em que consigo pensar é em sabotar a pista deles.
Foi impulsivo, admito. Mas corri até a linha de falta e joguei minha bola de boliche cor-de-rosa com toda a minha força na pista de Herg e Blerg. A bola caiu com um baque que rachou o piso de madeira, ricocheteou para o meio da multidão e caiu em um espectador, que cacarejou feito uma galinha assustada.
— OHHHH! — gritaram os gigantes.
— O que foi isso? — gritou Miúdo. — Você acertou a cabeça de Eustis!
Utgard-Loki fez cara feia e se levantou do trono.
— Miúdo está certo, mortal. Você não pode jogar na outra pista. Quando escolhe uma pista, tem que permanecer nela.
— Ninguém disse isso — protestei.
— Bom, estou dizendo agora! Continuem!
Um gigante da plateia rolou a bola rosa de volta para mim.
Olhei para Alex, mas não tinha conselhos para oferecer a ela. Como se joga boliche quando o alvo é uma cadeia montanhosa distante?
Alex murmurou alguma coisa baixinho. Quando se aproximou, virou um urso-pardo. Ela se levantou nas patas de trás, com a bola de boliche presa nas patas da frente. Chegou à linha de falta e ficou de quatro, jogando a bola para a frente com cento e quarenta quilos de pura força. A bola quase chegou no primeiro pino antes de parar.
Um suspiro coletivo de alívio foi ouvido no meio dos gigantes.
— Agora é a nossa vez! — Miúdo esfregou as palmas das mãos com ansiedade. — Vamos, garotos!
— Mas, chefe! — disse Herg. — Nossa pista está com um amassado enorme.
— Vá para a pista ao lado — sugeriu Miúdo.
— Ah, não — retruquei. — Vocês ouviram o rei: quando você escolhe uma pista, tem que permanecer nela.
Miúdo resmungou. Até a tatuagem de Elvis no braço dele parecia com raiva.
— Tudo bem! Herg, Blerg, façam seu melhor. Vocês já estão com uma vantagem insuperável!
Herg e Blerg não pareceram felizes, mas fizeram a segunda jogada. Conseguiram evitar o amassado na pista, mas os dois rolaram as bolas na canaleta, sem acrescentar pontos ao total anterior.
— Tudo bem! — garantiu Miúdo. Ele fez cara de desprezo para Alex e para mim. — Fiquei tentado a pisar em vocês dois na floresta, mas agora estou feliz de não ter feito isso. Se vocês não fizerem uma última jogada perfeita, não vão conseguir nem empatar. Vamos ver do que são capazes, mortais. Mal posso esperar para cortar a cabeça de vocês.


2 comentários:

  1. Eu teria escolhido uma partida de Magic mas ok

    ResponderExcluir
  2. Eu usaria a bolsa de boliche envolta numa bola e gritaria "SENHA!!" qnd tivesse rolando.

    ~J.W

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!