28 de junho de 2016

Capítulo 5

Eles estavam de volta à estrada antes mesmo de o sol surgir no horizonte. As nuvens tinham desaparecido, carregadas para longe por um vento fresco vindo do sul, e o ar estava limpo e frio quando a trilha que percorriam subiu sinuosa para o alto das colinas que levavam à fronteira de Céltica.
As árvores ficaram mais mirradas e tortas, a grama era grosseira e a floresta densa tinha sido substituída por arbustos baixos e retorcidos pelo vento. Aquela era uma parte do território onde os ventos sopravam constantemente e a terra refletia sua incessante ação destruidora. As poucas casas que viram ao longe com suas paredes de pedra e telhados rústicos, estavam amontoadas ao lado das colinas. Aquela era uma parte fria e desagradável do reino e, conforme Gilan tinha dito a eles, ficaria ainda pior quando entrassem em Céltica.
Naquela noite, enquanto relaxavam em volta da fogueira do acampamento, Gilan continuou a dar aulas de esgrima para Horace.
— A coordenação é a essência da coisa toda — ele disse para o suado aprendiz. — Você está vendo como está se defendendo com o braço travado e rígido?
Horace olhou para o braço direito e, realmente, Gilan tinha razão. Ele pareceu aborrecido.
— Mas eu tenho que estar pronto para impedir o seu golpe — ele explicou.
— Olhe... está vendo como eu faço? — Gilan, com paciência, fez uma demonstração com a própria espada. — Quando o seu golpe está vindo, a minha mão e meu braço estão relaxados. Então, exatamente antes que a sua espada alcance o ponto em que quero que pare, faço um pequeno contragiro, viu?
E foi o que ele fez, usando a mão e o pulso para girar a lâmina da espada, formando um pequeno arco.
— Seguro a espada com mais força no último momento, e a maior parte da energia do giro é absorvida pelo movimento da minha própria lâmina.
Horace ficou em dúvida. Parecia muito fácil para Gilan.
— Mas... e se eu calcular mal o tempo?
— Bom, nesse caso, eu provavelmente vou arrancar sua cabeça — Gilan retrucou com um sorriso largo.
Ele fez uma pausa, porque viu que Horace não tinha ficado muito satisfeito com a resposta.
— A ideia é não calcular mal — Gilan acrescentou com delicadeza.
— Mas... — o garoto começou.
— E como você consegue melhorar a coordenação? — Gilan interrompeu.
— Eu sei. Eu sei. Prática — Horace respondeu cansado.
— Isso mesmo. Então, está pronto? — Gilan indagou radiante.
— Um, e dois, e três, e quatro, assim está melhor, e três, e quatro... Não! Não! Só um pequeno movimento do pulso... e um, e dois...
O tilintar das lâminas ecoava pelo acampamento. Satisfeito com o fato de que não era ele que estava suando em bicas, Will observava com pouco interesse.
Depois de alguns dias, Gilan percebeu que Will parecia um pouco relaxado demais. Gilan estava sentado afiando a lâmina de sua espada depois de uma sessão de treino com Horace quando olhou para o aprendiz de arqueiro com ar de zombaria.
— Halt já lhe mostrou a defesa da espada com faca dupla? — ele perguntou de repente.
Will olhou surpreso para ele.
— Faca dupla... o quê? — ele perguntou hesitante.
Gilan suspirou profundamente.
— A defesa da espada. Droga! Eu devia ter percebido que teria mais trabalho para fazer. Bem feito para mim! Trazer dois aprendizes...
Ele se levantou com um suspiro exagerado e fez sinal para que Will o acompanhasse. Atordoado, o garoto obedeceu.
Gilan mostrou o caminho para uma clareira circular onde ele e Horace tinham praticado esgrima. Horace ainda estava lá, dando golpes e cortes num inimigo imaginário enquanto contava baixinho o tempo para si mesmo. O suor corria livremente por seu rosto, e sua camisa estava ensopada.
— Certo, Horace — Gilan chamou. — Faça uma pausa de alguns minutos.
Agradecido, Horace obedeceu. Abaixou a espada e se deixou cair no tronco de uma árvore tombada.
— Acho que estou pegando o jeito da coisa — ele disse, e Gilan concordou.
— Bom para você. Mais três ou quatro anos e você poderá dominar essa arte.
Ele falou alegremente, mas a expressão de Horace ficou desanimada diante da perspectiva dos longos anos de treinamento cansativo que o esperavam.
— Olhe para o lado bom, Horace — Gilan disse. — No fim desse período, vai haver menos que meia dúzia de espadachins no reino que poderão vencer você num duelo.
O rosto de Horace se animou um pouco, mas logo tornou a ficar desconsolado quando Gilan acrescentou:
— O segredo está em saber quem são essas pessoas. Seria muito desagradável se você desafiasse um deles e só depois descobrisse isso, não é?
Ele não esperou a resposta e se voltou para o garoto menor.
— Agora, Will, vamos dar uma olhada nessas suas facas.
— As duas? — Will hesitou, e Gilan revirou os olhos.
A expressão era muito parecida com a que Halt usava quando Will fazia perguntas demais.
— Desculpe — Will murmurou, enquanto desembainhava as duas facas e as entregava a Gilan.
O arqueiro mais velho não as pegou, mas inspecionou rapidamente o gume e verificou se estavam cobertas por uma fina camada de óleo que as protegeria da ferrugem. Satisfeito, ele assentiu quando viu que tudo estava em ordem.
— Certo. A faca de caça fica na mão direita porque é a que se usa para bloquear um golpe de espada...
— Por que eu iria precisar bloquear um golpe de espada?
Gilan se inclinou para a frente e deu uma pancada não muito delicada com os nós dos dedos no alto da cabeça de Will.
— Bom, talvez impedir que ela rache o seu crânio seja um bom motivo — ele sugeriu.
— Mas Halt disse que os arqueiros não lutam corpo a corpo — Will protestou.
— Certamente não é nosso papel — Gilan concordou — mas, se isso acontecer e tivermos que fazer, é uma boa ideia saber como proceder.
Enquanto falavam, Horace tinha levantado do tronco caído e se aproximado para observá-los.
— Você não acha que uma faca pequena como essa vai parar uma espada, acha? — ele interrompeu com um certo desprezo.
— Dê uma olhada melhor nessa “faca pequena” antes de falar com tanta segurança — Will convidou.
Horace estendeu a mão para a faca, e Will rapidamente a virou e colocou o cabo na mão do amigo.
Will tinha que concordar com Horace. A faca era grande. Na verdade, quase uma espada curta, mas, comparada a uma espada de verdade, como a de Horace ou a de Gilan, parecia tristemente inadequada.
Horace girou a faca para testar o equilíbrio.
— É pesada — ele disse afinal.
— E dura. Muito, muito dura — Gilan acrescentou. — Facas de arqueiros são feitas por artífices que aperfeiçoaram a arte de endurecer o aço em um grau surpreendente. A sua espada pode ficar cega nessa lâmina e mal deixar uma marca nela.
— Mesmo assim, você tem me ensinado a noção de movimento e equilíbrio a semana toda. Uma lâmina curta como essa tem muito menos equilíbrio.
— Isso é verdade — Gilan concordou. — Então precisamos encontrar outra fonte de equilíbrio, não é mesmo? E vamos achar isso na faca mais curta, na faca de atirar.
— Não entendo — Horace retrucou com a testa muito franzida.
Will também não entendia, mas ficou satisfeito porque o outro garoto admitiu sua ignorância primeiro. Então, ele adotou um olhar sabido enquanto esperava a explicação de Gilan. Mas deveria ter previsto que os olhos atentos do arqueiro não perdiam nada.
— Bem, talvez Will possa explicar para você — Gilan disse feliz. Ele inclinou a cabeça na direção de Will, que hesitou.
— Bem... é o... ah... hum... a defesa de duas facas — ele balbuciou. — Não é? — acrescentou, em dúvida, depois de uma longa pausa em que Gilan não disse nada.
— Claro que é! — Gilan respondeu. — E que tal se você fizesse uma demonstração?
Ele nem mesmo esperou a resposta de Will, pois continuou depois de uma breve pausa:
— Eu achava mesmo que não. Então me dê licença, por favor.
Ele pegou a faca de caça de Will e tirou a própria faca de atirar da bainha.
Então fez um gesto na direção da espada de Horace com a faca menor.
— Pegue sua espada — ele ordenou muito sério.
Horace obedeceu hesitante. Gilan gesticulou para que ele se dirigisse à área de exercícios e se posicionou. Horace fez o mesmo, com a ponta da espada virada para cima.
— Agora, tente dar um golpe acima do ombro em mim — Gilan disse.
— Mas... — Horace mostrou com ar infeliz as duas armas menores nas mãos de Gilan, que revirou os olhos desesperado.
— Quando vocês dois vão aprender? — perguntou. — Eu sei o que estou fazendo. Agora, VAMOS CONTINUAR!
Ele chegou a gritar as últimas palavras. O grande aprendiz, estimulado a agir e condicionado a obedecer imediatamente às ordens proferidas aos gritos, depois de meses passados no campo de treino, agitou a espada num golpe mortal na direção da cabeça de Gilan.
Ouviu-se um tilintar forte de aço, e a lâmina parou de imediato no ar. Gilan havia cruzado as duas facas de arqueiro na frente dela, num movimento em que a faca de atirar dava apoio à lâmina da faca de caça, e bloqueou o golpe facilmente. Horace, surpreso, recuou um pouco.
— Viu? — Gilan perguntou. — A faca menor oferece o apoio ou o equilíbrio extra para a arma maior.
Ele dirigiu as observações principalmente para Will, que assistia a tudo com grande interesse.
— Certo. Agora um golpe por baixo, por favor — continuou dirigindo-se para Horace.
O aprendiz de guerreiro desferiu o golpe e, novamente, Gilan uniu as duas lâminas e bloqueou o movimento. Ele olhou para Will, que acenou mostrando que entendia.
— Agora, um golpe lateral — Gilan ordenou.
Novamente, Horace girou a espada. Novamente, a arma foi parada no mesmo instante.
— Está entendendo? — Gilan perguntou para Will.
— Sim. E quanto a um golpe direto? — ele quis saber, Gilan fez um aceno de aprovação.
— Boa pergunta. Esse é um pouco diferente.
Ele se virou para Horace.
Se, por acaso, algum dia você enfrentar um homem que esteja usando duas facas, uma estocada direta é a forma mais segura e eficiente de ataque. Agora, ataque, por favor.
Horace investiu com a ponta da espada, o pé direito abrindo caminho com força no chão a fim de dar mais impulso ao golpe. Desta vez Gilan usou somente a faca de caça para desviar a lâmina, fazendo que o aço passasse deslizando por seu corpo.
— É impossível parar esse golpe — ele ensinou a Will. — Por isso, nós simplesmente o desviamos. A nosso favor está o fato de que uma estocada vem com menos força, então podemos usar apenas a faca de caça.
Horace, sem sentir uma verdadeira resistência ao seu golpe, tinha tropeçado para a frente quando a lâmina foi desviada. No mesmo instante, a mão esquerda de Gilan agarrou a camisa dele e o puxou para perto, até que os ombros dos dois ficaram quase se tocando. Tudo aconteceu tão depressa e casualmente que Horace arregalou os olhos surpreso.
— E é nesse momento que uma lâmina curta é muito útil — Gilan ressaltou.
Ele fingiu dar um golpe por baixo do braço no lado do corpo de Horace que estava exposto. O garoto arregalou os olhos ainda mais quando percebeu todas as implicações do que tinha acabado de ver. Seu desconforto aumentou quando Gilan continuou a demonstração.
— E, é claro, se você não quiser matar ele, ou se ele estiver usando uma malha de ferro, você sempre pode usar a lâmina da faca para aleijar.
Ele fez um movimento rápido em direção à parte de trás do joelho de Horace, deixando que a lâmina pesada e afiada parasse a alguns centímetros da perna. Horace prendeu a respiração, mas a aula ainda não tinha terminado.
— Ah, lembre-se — Gilan acrescentou alegremente — minha mão esquerda, que está segurando o colarinho, também está segurando uma lâmina afiada — ele agitou a faca de atirar, de lâmina larga e curta, chamando a atenção para ela. — Uma rápida estocada debaixo do maxilar e adeus para o espadachim, concorda?
Will balançou a cabeça admirado.
— Isso é fantástico, Gilan! — exclamou. — Nunca vi nada parecido.
Gilan soltou o colarinho da camisa de Horace, e o garoto recuou depressa antes que o arqueiro continuasse se aproveitando de sua vulnerabilidade.
— Não gostamos de fazer alarde sobre isso — o arqueiro admitiu. — É preferível nos depararmos com um espadachim que não saiba dos perigos que envolvem a defesa com duas facas — ele olhou para Horace com ar arrependido. — Naturalmente, isso é ensinado na Escola de Guerra do Reino. Mas é matéria para o 2° ano. Sir Rodney vai mostrar isso no ano que vem.
— Posso tentar? — Will perguntou ansioso, entrando na área de exercício e desembainhando a faca de atirar.
— Claro — Gilan concordou. — Vocês também podem praticar juntos, à noite, a partir de hoje. Mas não com armas de verdade. Cortem algumas varas para treinar.
— É mesmo, Will — disse Horace concordando com a ideia sensata de Gilan. — Afinal, você só está começando a aprender essa lição, e não quero machucar você. Pelo menos não muito — acrescentou sorrindo depois de pensar um pouco.
— Realmente esse é um dos motivos — Gilan comentou, e o sorriso no rosto de Horace desapareceu. — Mas nós também não temos tempo para amolar sua espada todas as noites.
Ele olhou para a lâmina de Horace de um jeito significativo. O aprendiz seguiu o olhar e soltou um leve gemido. Havia duas marcas profundas no fio da lâmina, obviamente causadas pelos bloqueios de Gilan. Um olhar disse a Horace que ele teria que passar pelo menos uma hora afiando a espada para se livrar delas. Ele observou a faca de caça e esperou ver os mesmos danos ali. Contente, Gilan examinou a pesada lâmina de perto.
— Nenhuma marca — ele afirmou sorrindo. — Lembre que eu disse que as facas dos arqueiros são fabricadas de um jeito especial.
Desanimado, Horace procurou o amolador em sua mochila e, sentando-se no chão duro, começou a passá-lo ao longo do fio da espada.
— Gilan — Will começou. — Andei pensando...
Gilan ergueu as sobrancelhas num falso desespero.
Novamente, sua expressão fez Will se lembrar de Halt.
— Sempre um problema — o arqueiro disse. — E o que pensou?
— Bom — Will respondeu devagar — está tudo bem com essa história das duas facas. Mas não seria melhor simplesmente atingir o espadachim antes que ele se aproximasse demais?
— Sim, Will, certamente seria — Gilan concordou com paciência. — Mas e se você estiver pronto para fazer isso e a corda do seu arco arrebentar?
— Eu poderia correr e me esconder — ele sugeriu.
— E se não houver lugar para se esconder? — Gilan pressionou. — Você está encurralado junto da parede de um penhasco íngreme. Não tem para onde ir. A corda do arco arrebentou e o espadachim furioso está se aproximando. O que vai fazer?
— Acho que então vou ter que lutar — ele admitiu relutante.
— Exatamente. Evitamos um combate direto sempre que possível. Mas, se isso tiver que acontecer quando não tivermos outra escolha, é uma boa ideia estar preparado, certo?
— Acho que sim — Will retrucou.
Então Horace apresentou uma questão.
— E se for alguém com um machado?
— Um homem com um machado? — Gilan perguntou.
— Sim — Horace reforçou a ideia. — E se você enfrentar um inimigo com uma acha? As suas facas vão funcionar?
— Eu não aconselharia ninguém a enfrentar uma acha somente com duas facas — ele disse com cuidado depois de hesitar.
— Então, o que devo fazer? — Will retrucou.
Gilan olhou de um para outro com a impressão de estar sendo vítima de uma brincadeira.
— Atire nele — ele disse simplesmente.
Will deu um sorriso.
— Não posso — ele lembrou. — A corda do arco arrebentou.
— Então corra e se esconda — Gilan devolveu entre os dentes cerrados.
— Mas há o penhasco — Horace ressaltou. — Uma parede alta atrás dele e um homem furioso com um machado se aproximando.
— O que devo fazer? — Will repetiu.
Gilan respirou fundo e encarou os dois, um depois do outro.
— Pule do penhasco. Vai fazer menos sujeira.

11 comentários:

  1. "Gilan respirou fundo e encarou os dois, um depois do outro. -Pule do penhasco. Vai ser menos sujeira." KK

    ResponderExcluir
  2. kkkkkk... muito bom

    ResponderExcluir
  3. Chorei de tanto rir... Eles formam uma boa equipe

    ResponderExcluir
  4. Kkkkkkkkkkkkkk chorei de rir agora tbm

    ResponderExcluir
  5. Bom conselho! kkkkkkkkkkk. Pule do penhasco. Vai faz menos sujeira. kkkkk.
    Ass: Bina.

    ResponderExcluir
  6. Não consigo parar de rir!!!! 😂😂😂😂

    ResponderExcluir
  7. Simples , uma das facas serve pra arremessar (não lembro qual) , jogue ela na cabeça do agressor ou no braço que segura o machado num ponto vital , por exemplo na ligação que existe no braço que cria o cotovelo , use o momento de desabilitação que o inimigo teve e avance com a outra faca na mão , arqueiros experientes devem saber fazer esse tipo de movimento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas se o homem com o machado estiver longe o suficiente para ele atirar a faca, o Arqueiro também poderia acertar uma flecha. O problema é a proximidade...

      Excluir
  8. Muito bom kkkkkkkkkkkkkkk senhir Gilan o melhor (vai fazer a mesma sujeira) morri de tanto rir
    Ass:Lana

    ResponderExcluir
  9. Kkkkkkk, ri muito, pule do penhasco...

    ResponderExcluir
  10. Kkkkk.Boa idéia, vou pular quando aminha quiser me pegar☺😉

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!