12 de junho de 2016

Apêndice E - Os nomes de Celeborn e Galadriel

Em um ensaio acerca dos costumes da atribuição de nomes entre os eldar em Valinor, consta que eles tinham dois “nomes próprios” (essi), o primeiro dos quais era dado pelo pai por ocasião do nascimento; e este normalmente lembrava o próprio nome do pai, assemelhando-se a ele no sentido ou na forma, ou podendo até mesmo ser igual ao nome do pai, ao qual algum prefixo distintivo lhe poderia ser acrescentado mais tarde, quando a criança estivesse crescida. O segundo nome era dado depois, às vezes muito depois, mas às vezes logo após o nascimento, pela mãe; e esses nomes maternos tinham grande significado, pois as mães dos eldar possuíam um discernimento das características e habilidades dos filhos, e muitas possuíam também o dom da previsão profética. Além disso, qualquer elda podia adquirir um epesse (“pós-nome”), não necessariamente dado pela sua própria família, um apelido — geralmente dado como título de admiração ou honra; e um epesse podia tornar-se o nome geralmente usado e reconhecido nas canções e histórias posteriores (como foi o caso, por exemplo, de Ereinion, sempre conhecido por seu epesse Gil-galad).
Assim, o nome Alatáriel, que, de acordo com a versão tardia da história da sua relação, foi dado a Galadriel por Celeborn em Aman, era um epesse (para sua etimologia vide o Apêndice do Silmarillion, verbete kal-), que ela resolveu usar na Terra Média, vertido para o sindarin como Galadriel, de preferência a seu “nome paterno” Artanis, ou a seu “nome materno” Nerwen.
Evidentemente é apenas na versão tardia que Celeborn aparece com um nome alto-élfico, e não sindarin: Teleporno. Afirma-se que ele é na verdade de forma telerin; aantiga raiz da palavra élfica para “prata” era kyelep-, que se tornou celeb em sindarin, telep-, telpe em telerin, e tyelep-, tyelpe em Quenya. Mas em quenya a forma telpe tornouse usual, através da influência do telerin; pois os teleri prezavam a prata mais que o ouro, e sua habilidade como artífices de prata era apreciada até mesmo pelos noldor. Assim, Telperion era de uso mais comum que Tyelperion como o nome da Árvore Branca de Valinor. {Alatáriel também era telerin; sua forma quenya era Altáriel.)
O nome Celeborn foi inventado inicialmente com a intenção de significar “Árvore de Prata”; era também o nome da Árvore de Tol Eressea (O Silmarillion, p. 62). Os parentes próximos de Celeborn tinham “nomes arbóreos” seu pai Galadhon, seu irmão Galathil e sua sobrinha Nimloth, que tinha o mesmo nome da Árvore Branca de Númenor.
Nos últimos escritos filológicos de meu pai, no entanto, o significado de “Árvore de Prata” foi abandonado; o segundo elemento de Celeborn (como nome de pessoa) foi derivado da antiga forma adjetiva ornã, “ascendente, alto”, e não do substantivo cognato orne, “árvore”. (Orne aplicava-se originalmente a árvores mais retas e delgadas, como bétulas, ao passo que árvores mais robustas e largas, como carvalhos e faias, eram chamadas na língua antiga, de galadã, “grande crescimento”; mas esta distinção não era sempre observada em Quenya, e desapareceu em sindarin, idioma no qual todas as árvores passaram a ser chamadas de galadh, orn saiu do uso comum, sobrevivendo apenas em versos e canções, bem como em muitos nomes, tanto de pessoas quanto de árvores.) O fato de Celeborn ser alto é mencionado em uma nota incluída no estudo das Medidas Lineares Númenorianas.
Sobre a eventual confusão ocasional do nome de Galadriel com a palavra galadh, meu pai escreveu:

Quando Celeborn e Galadriel se tornaram governantes dos elfos de Lórien (que na origem eram principalmente elfos silvestres e se chamavam de galadhrim), o nome de Galadriel ficou associado às árvores, uma associação que foi auxiliada pelo nome de seu marido, que também parecia conter uma palavra arbórea. Desse modo, fora de Lórien e entre aqueles cujas lembranças dos dias antigos e da história de Galadriel se haviam embaçado, o nome dela costumava ser alterado para Galadhriel. Não na própria Lórien.

Pode-se mencionar aqui que galadhrim é a grafia correta do nome dos elfos de Lórien, e de modo semelhante Caras Ga-ladhon. Meu pai originalmente alterou a forma sonora do th (como em then, em inglês moderno) nos nomes élficos para d, visto que (como ele escreveu) dh não se usa em inglês e parece desajeitado. Depois mudou de ideia sobre esse ponto, mas galadrim Caras Galadon permaneceram sem correção enquanto não foi publicada a edição revisada do Senhor dos Anéis (em reimpressões recentes a alteração foi feita). Esses nomes estão grafados de forma incorreta no verbete alda do Apêndice do Silmarillion*.

Na tradução do Silmarillion da editora Martins Fontes, Caras Galadhon e galadhrim estão grafados corretamente no verbete em questão. (N. da R.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!