28 de maio de 2016

Fanfic: 29 dias


Sinopse:
O que você faria com uma segunda chance na vida? Uma chance de alterar as consequências de uma das suas escolhas passadas? E se, você tivesse esta opção? E se tivesse …, você aceitaria esta oportunidade?
Muitos podem dizer sim! Porém a Victor Lost um acidente lhe tirou o poder da decisão. Por coincidência ele estava tentando a consertar seu passado, consertar suas amizades há muito estraçalhadas.
No dia 15 de dezembro de 2015, Victor despenca de uma árvore em frente a sala dos diretores de sua escola. Tudo que ele se lembra, é de ver uma garota ruiva e de rosto claro. Nada mais. Aos poucos, se recorda de outras garotas ruivas e de rosto claro, na sua vida. Toda a memória que não era ligada a tal garota, aos poucos ele foi recordando.
Durante o coma, no qual ficou por um mês e 15 dias(nos últimos, ia acordando), a tal garota ruiva aparece para visitá-lo, como um amigo seu, Joey, e outra amiga, além de sua namorada e sua família.
Na 00 h do dia 1° de fevereiro, Lost acorda, mais perdido do que nunca. E por mais 20 dias fica em observação. Nestes 28 dias até o seu aniversário, ele se encontra em um dilema: por algum motivo tomou uma escolha que mudou sua vida.
Morrendo pela curiosidade (Quem é aquela garota?) e da chance de retornar a ser o cara leitor, que outrora amava ser, ele começa a escrever e também, acaba sonhando com os seus personagens favoritos de algumas sagas. Eles e seu recobrado amigo, Joey, iram ajudá-lo a conquistar sua memória perdida e uma vida, que agora ele idolatra.


Categorias: ficção, romance, Percy Jackson, Harry Potter, Jogos Vorazes
Autor: Thalis Sartorio

________________________________________

Prólogo


15 de dezembro de 2015. 10 horas.
            O dia estava claro. Um pouco ensolarado para um dia de inverno e nem tão frio como um mês de dezembro normal. Bem semelhante ao ano atípico se um jovem com 17 anos. Ele estava empoleirado em uma árvore de sua escola, de frente as salas de seus diretores e diretoras.
            Não é permitido subir nas árvores! Dizia o aviso na entrada e nas normas da escola. Victor Lost não se importava. Não naquele dia. Não depois do que aconteceu…
            Há uma semana ele não falava com a Garota Ruiva, com Joey – seu melhor amigo, que não se falavam há tempos – e sua namorada, a líder de torcida.
            Pensar na última semana, o fez refletir sobre seu último ano.
            Victor Lost – Os últimos sete dias foram reservados para uma grande reflexão. Refleti sobre meus últimos doze messes, sobre o rumo das minhas escolhas e, acima de tudo, como eu me sentia a respeito de todas as mudanças.
            Caso eu faça uma retrospectiva sobre os acontecimentos do último ano, o marco inicial foi o dia em que me declarei a garota ruiva. Apesar de todas palavras ditas e de toda a saliva desperdiçada, no exato segundo depois de passar pela porta do quarto dela, me arrependi. Por um lado porque eu não sei se posso fazer aquilo e por outro, que isso significaria me afastar dela. Bom, estou falando do meu eu de um ano atrás, agora, simplesmente não sei.
            “Aquilo” era me tornar capitão do time, e fiz isso não apenas para tirar o lugar no time do “cara perfeito ao olhos da garota ruiva”, mas também para mostrar a ela que eu consigo ser exatamente como o “cara perfeito”. Para realizar essa façanha de me tornar capitão, tive que usar uns créditos que Joey e eu temos com o treinador. No início do ensino médio, nos inscrevemos, e também o Peter, para um teste de seleção para entrar no time. Obtivemos bons resultados na seleção, mas após um tempo, notamos que aquilo não era para nós e saímos do time. Ano após ano, o treinador oferece-me uma vaga, e todas eu recusei. Aceitando uma destas vagas, que me tornei capitão do time.
            Viver treinando e rodeado de líderes de torcida, me distanciaram de alumas coisas que eu faço como ler e escrever(às vezes). Me distanciaram da garota ruiva e de Joey. E ele me avisou, sobre tudo isso. Ele também havia me avisado do quanto eu deveria mudar para atingir meu objetivo.
            Só hoje noto que nada me faria ser a tal pessoa, pois esta é apenas uma “casca de popularidade”, rasa e sem profundidade. Capaz de magoar a garota ruiva. A minha garota ruiva. Não, não. Isto está errado.
            Eu odeio ela, por partir meu coração. Estou com raiva do Peter, por ter feito aquilo com a Sarah. Estou com raiva do meu melhor amigo por estar certo. Também estou com raiva de mim, por mover meu último ano em uma busca desenfreada a me tornar quem não sou. Levei todo esse tempo para concluir algo que o Joey me havia dito, outra coisa, há tempos: Sarah gosta do Peter, e não dele ser capitão. Foquei meu ano em um aspecto do que Peter era, só para tentar ser alguém que a Sarah gostasse, mas estava errado. Sarah já gostava de mim por ser seu amigo.
            O ódio por ela estava forte. A raiva por Peter, por mim mesmo e um pouco por Joey, também. Porém lembrar do que o Joey disse, me fez entender o porque do ódio ser forte:
“Se você for buscá-la, significa que nada mudou. Você ainda gosta dela.”
            E eu fui.
            Eu sorri, havia entendido bem o que estava sentindo.
            Comecei a descer da árvore, mas hesitei. Não só mudei neste último ano, como me tornei superficial e raso. Um verdadeiro popular. Sarah ia gostar de mim assim, caso eu não tivesse sido amigo dela.
            Aquilo não era brincadeira, era minha vida e estava sendo uma fachada. Antes, eu tinha amigos de verdade. Agora, o que são as pessoas ao meu redor?
            Então, já desanimado recomecei a descer. Distraído, aborrecido e apressado comigo mesmo, resbalei em um galho e tive sorte de me segurar em outro. E o azar de escorregar, novamente. Logo, testava tocando o chão.
            Vi uma garota ruiva e de rosto claro. Não cheguei a distinguir quem é. Ela foi a última pessoa e imagem que eu vi antes de acabar.


Dia 1


                7 Horas, dia 1° de Fevereiro
            “Oi, meu é Victor… Não! Oi, meu nome é Victor, Victor Lost! Não faço a mínima ideia do que aconteceu comigo, para mim estar em um hospital. A última lembrança que me lembro é de um '‘rosto claro e de cabelos ruivos’', antes de eu apagar. Depois disso, às vezes sonhava com garotas assim, mas nunca defini quem ela era. Sei lá, não deve ser importante. Caso fosse eu lembraria quem ela é. Provavelmente é a minha vizinha nova, que se mudou ontem para minha casa… Será que foi ontem? Deve ser … Não! Não!! Não!!! Como hoje é dia 1° de Fevereiro de 2015?! Ontem era dia do retorno as aulas! Ontem era o dia do retorno as aulas de 2012? Não era? Bom, logo eu pergunto ao Joey. Meia-noite passada, eu encontrei o meu celular com uma mensagem do dele:
'‘Oi, cara! Olha, eu lhe trouxe o teu celular, para passares o tempo e quem sabe escrever ou fazer uma gravação. Logo, depois da escola eu passo aí e levo um caderno e lapiseira para escreveres melhor. Bom, não sei muito o que dizer. Fique em repouso, seus pais não vão demorar a chegar. Não se preocupe com nada, nem com o final do ensino médio, tudo será resolvido em breve. O.k., até logo! Aqui quem fala é o Joey!'”.
            “Sabia que era ele. Mas o Joey é assim, e é meu melhor amigo. Bom, acho que vou deixar para gravar mais tarde e quem sabe ouvir o que acabei de gravar. Agora, acaba de chegar minha comida. Espero que alguém me visite, já estou cansado de olhar as paredes. Até, está na hora do café!”

10 Horas, Manhã 
            “Bom, quando alguém chegar, vou pedir para me trazer os meus livros. Estou ansioso para terminar de ler a trilogia Jogos Vorazes. Quem sabe o Joey não traz junto com o caderno? Tentei ligar para alguém, mas não tenho créditos por algum motivo. Logo após ter tomado o café, ouvi a minha gravação anterior e fiquei com nada para fazer. Acabei dormindo e tive um dos meus melhores sonhos. É, sonhei sim.

            ' O meu sonho foi bem bacana. Sonhei que estava na soleira de uma porta, em um corredor. Abri a porta e me deparei no escritório da casa de Katniss Everdeen, na Vila dos Vitoriosos. Como na parte do livro “Em Chamas”, o presidente Snow se encontrava no recinto e estava olhando para imagens da mesma que fez com a Katniss. Desta vez, era as minhas memórias, só que não reconheci nenhuma. Será que era o meu futuro?
            Entre e feche a porta. ele me disse e eu fiz.
            No exato momento, ele me indicou a cadeira na frente da mesa da escrivaninha.
            Bacana estas imagens, não é Victor? Acha que serão seu futuro? Olhe para elas.
            Como Snow me disse, olhei para as imagens que eu, primeiramente, acreditei serem do meu futuro. Nas primeiras imagens, era como um vídeo de mim jogando… como capitão do time. Não estava certo. Joey e eu iríamos tentar entrar no time no primeiro ano do ensino médio.
            As próximas imagens passaram mais rápido, eu com uma garota loira e com o pessoal do time. Uma das imagens parecia que estava brigando com o Joey.
            Outras imagens nem defini. Uma delas eu me encontrava na soleira de uma porta, era inverno e parecia frio. Estava com uma cara triste. Me levantei e reconheci minha casa ao lado. Estava na soleira da casa da minha vizinha. Por que?
            As imagens terminaram e olhei para as minhas roupas. Vestia uma jeans e uma camiseta estampada com a frase “It's levi-o-sa, not leviosá”. Encarei o Snow e ele sorriu.
            Olhe-as novamente.
            Fiz como ele pediu e olhei-as de novo. Em seguida, ele começou a falar comigo.
            Victor, você não está vendo o seu futuro. Este é seu passado, meu jovem. Você deu as costas para seus verdadeiros amigos. Virou uma pessoa de fachada. Deixou para trás um amor, mas o amor não o deixou. Conquistou novos amigos, que só estão atrás dos seus ganhos. Você tem um amigo, melhor amigo que você não merece. Vejamos, seu último ano poderia ser definido por um eu anterior seu, como um retrocesso. Você deixou para trás os livros, meu jovem. Nada disso é do seu feitio.
            Ele olhou para o lado e pegou um biscoito de uma travessa.
            Pegue um, meu jovem.
            Peguei um e comi um pedaço. Era de chocolate, meu favorito.
            Então, você veio para o meu sonho me importunar.
            Ele pegou outro biscoito e me respondeu.
            Porque eu, um morto viria lhe importunar?
            Fiquei assim, “Snow me deu um spoiler sobre o fim dele na história”.
            Você tem ideia do que acaba de fazer? Me deste um spoiler sobre seu fim na história e eu não li ainda.
            Estou aqui tentando lhe ajudar e você achas que não vou lucrar com isso? novamente, ele me pareceu estranho.
            O.K., o que tens a me dizer para me ajudar?
            Eu vim lhe oferecer uma proposta. Continue a ser o cara longe dos amigos ou eu lhe importunarei em todos os sonhos. Escolha. Se decidir pelo lado difícil, eu traçarei sua trajetória e ela pode ser ruim e sangrenta. – Snow disse e ficou esperando a resposta.
            Não tinha nem o que pensar. Quero retornar a ser o cara anterior.
            – Decido me aproximar de meus amigos verdadeiros. Retornar a ser quem eu era.
            Snow me olhou de novo e comeu outro biscoito.
            – Este são cortesia do Peeta Mellark. Um bom garoto e bom padeiro. Você deveria seguir o exemplo dele. – ele pegou outro biscoito. – O.K., você deve se lembrar que quando visitei a Senhorita Everdeen, lhe dei uma rosa branca de aviso. Também tenho algo para você.
            Ele levou a mão para o seu paletó e retirou uma carta. Logo, reconheci o símbolo de Hogwarts.
            – Sim, sim. Você visitará Hogwarts e caso tenha algum pesadelo, é que eu o levei para o domínio do Hades. Porém, antes você deve encontrar o casal do distrito 12 e pedir para eles lerem ela para você. Você os encontrará na Turnê da Vitória.
            Peguei a carta e tentei abri-la, mas não consegui.
            – Agora, acorde.
            E assim, foi a minha visita ao presidente de Panem, ou ex.'

                                                4 Horas, Tarde               
            “Mas tarde, o Joey venho e me trouxe meu caderno e a lapiseira como havia prometido. Como suspeitei, ele me trouxe um livro, mas nenhum dos Jogos Vorazes e sim um outro livro. Este é intitulado: A Espada do Verão, da saga Magnus Chase e os Deuses de Asgard, de Rick Riordan. Não me lembro dele começar uma nova saga. Tenho que descobrir por qual motivo me afastei dos meus amigos e quem é a garota ruiva. Agora, ela me parece importante. Bom, vou descansar e esperar alguém para conversar. Meus pais disseram que viriam logo. Eles vieram no almoço e Joey disse que talvez voltaria hoje. Tinha um trabalho escolar ou algo assim. Teve uma hora estranha, em que uma garota loira apareceu e disse ser minha namorada. Foi depois de Joey sair, então não tinha como comprovar nada. Ela ficou brava com isso e disse que eu estava usando o que ocorreu comigo para terminar com ela, como se eu não me lembrar fosse uma desculpa para terminar com ela. Bom, furiosa ela foi embora e tentei me lembrar. Nada. Logo, perguntaria ao Joey. Com certeza ele sabe. Ela disse que se chama Isabela.”
________________________________________ 

Deixe sua opinião nos comentários!

2 comentários:

  1. Nossa, muito confusa. Você misturou várias histórias e um mesmo paragrafo. Na boa, não ficou muito bom não. Acho q vc deveria refazer isso.

    ResponderExcluir
  2. eu acho que ficou bom

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!