6 de maio de 2016

Fanfic: Just a brother


Sinopse:
Embora eu nunca a tenha visto como uma garota. Um dia tudo Isso mudou. Me chamo Landon Smith, e estou apaixonado pela irmã mais nova do meu melhor amigo. O problema é que, ela só me vê como o irmão dela.
Não está entendendo? Vou te explicar. Eu conheço a Lucy, desde meus seis anos de idade e eu sou três anos mais velho que ela. Percebi isso quando ela completou quinze anos. Dois anos depois de descobrir isso, eu nunca me declarei para ela. Porém, agora que ela está prestes a ir para a faculdade que fica em Nova York, eu não medirei esforços para faze-la me enxergar mais do que um irmão e finalmente me declarar para ela. E para isso contarei com a ajuda do meu melhor amigo e irmão dela, Bradley.

Categorias: romance, adolescência, ficção, história original
Classificação: +14
Autora: Nalanda Araújo

____________________________________

Capítulo 1: Maldita carta

Sempre pensei que ninguém nunca iria gostar de sair da Califórnia. Porque, cara, esse lugar é um paraíso. Contudo hoje, percebi que não é bem assim que a Lucy pensa. Hoje chegou sua carta de aceitação na NYU, que não é nada mais, que a Universidade de Nova York! Que fica do outro lado do país! Qual é?! Por que caralhos de motivo ela quer ir para o outro lado do país?
—Landon! Não vai dizer nada para a nossa irmãzinha? —Bradley me perguntou. Maldita seja essa raça de irmãos mais velhos! Essas pragas ficam enchendo a porra do saco! —Lucy, o Landon tem algo a te dizer não é Landon?
—Jura? O que é que você quer me dizer Landon? —Ele me encarou com aqueles olhos castanhos brilhando.—Dindin, se quer dizer algo diga logo. Ficar encarando o nada é coisa de pessoas que não são normais.
—Eu.... Nada. Parabéns pela a sua aprovação na NYU. Mas, por que essa faculdade? Eu pensei que você quisesse continuar aqui na Califórnia, sabe estudar em Stanford, comigo e com o seu irmão. O que mudou? —Perguntei não tentando soar desapontado. Mesmo já estando.
—Eu pensei bastante durante esse tempo em que estive no ensino médio. E eu apenas percebi que não queria medicina, direito, ou algo do tipo. —Ela disse calmamente olhando diretamente em meus olhos. —Você entende, não é?
—Eu não entendo! —Bradley falou com a maior cara cínica e lavada do mundo sorrindo. —Qual curso você quer então? E por qual motivo tem que ser do outro lado do país?
—Eu quero artes liberais! —OK, essa pirralha tem sérios problemas mentais. —Eu simplesmente pensei no que eu queria, e com certeza não era ser médica ou uma advogada. Na NYU, eles um dos melhores cursos de artes liberais do mundo. Isso sem contar que eu vou pra Nova York.
—Para que você quer ir pra Nova York?!—Perguntei incrédulo. Nós três tínhamos planos! E agora do nada ela quer mudar eles. Nós três iríamos para Stanford, nos formar. Bem, eu e o Bradley primeiro. E depois nós montaríamos um consultório só nosso. O Bradley como advogado e eu e a Lucy como médicos. Mas ela quer do nada mudar nossos planos agora! —E os planos que nós três fizemos? Sabe, montar o consultório, e tudo mais! Como podemos montar um consultório com você estudando artes liberais?!
—Bem... vocês podem montar o consultório. Eu apenas não vou mais participar desses planos. E outra, não vejo o motivo de você estar com toda essa pilha.
—Eu estou com essa pilha, pois você está sendo egoísta e estragando os nossos planos. Sempre fomos nós três! Desde de pequenos. Melhores amigos, o trio ternura. E agora você quer ir para o outro lado do país. O Bradley concorda comigo, não concorda?!
—Eu, estou sendo egoísta?!—Ela gritou e me olhou incrédula. —Jura? Nunca fomos o trio ternura. Nem mesmo melhores amigos Landon! Sempre foi você e eu o meu irmão em um canto, e eu no outro. Eu tenho dezessete anos! Vocês têm vinte! Acha mesmo que esses planos iriam dar certo? Eu quero estudar o que eu quiser, e o que bem entender. Nem que tenha que ir para o outro lado do país para conseguir isso.
—Mas você não disse que eu era seu irmão? E quando foi que nunca fomos o trio, hein?
—Landon, não é só porque eu digo que somos irmãos que isso quer dizer que, somos melhores amigos. Pensei que os dois iriam ficar felizes com a notícia. Parece que não. —Ela disse isso e subiu para o quarto dela. Bradley me olhou feio e subiu atrás dela.
                                                                ***
—Parabéns! Você conseguiu fazer ela chorar. —Bradley falou enquanto descia as escadas. —Por qual motivo você foi tão idiota?
—Eu não sei! Eu apenas fiquei abalado com a notícia que ela passou.
—Você não ficou abalado, ficou um babaca. —Olhei para ele. —Landon, você deveria saber que nunca foi nós três. Foi nós dois. E ela. Planos que fizemos quando tínhamos dez ou doze anos, não iriam durar para sempre.
—Ela está puta não está? —Perguntei mesmo sabendo a resposta.
—Pra caramba. E sinceramente, eu estou feliz por ela. E você também deveria estar. Nunca deveria ter feito esse showzinho. Você não é o namorado dela, lembre-se disso.
—Eu sei disso. Eu sou apenas um irmão para ela.
—Você é isso, por que é um covarde. —Encarei ele, esperando ouvir um dos seus conselhos. Bradley apesar de ser um idiota, se importa com outros e dá bons conselhos na maioria das vezes. — Você não é irmão de sangue dela. Você a ama? Então lute por isso. Desistiu só porque foi rejeitado uma única vez, e mesmo assim nem foi uma rejeição já que ela não sabe como você se sente por ela. É estranho e nojento isso que você sente pela a minha irmã, pra caramba. Mas se for verdadeiro, lute.
—Está inspirado hoje hein? —Finalmente falei ainda digerindo as palavras do babacão.
—Vocês dois são importantes para mim. Apenas isso. E agora, partiu balada! —Ele gritou. Tinha me esquecido que havíamos marcado de ir para a balada hoje. —Levanta essa bunda do meu sofá agora e vamos para a balada!
—Partiu balada! Mas antes eu preciso fazer algo. —Falei subindo as escadas e indo em direção a última porta do corredor. Bati. —Lucy, sou eu o Dindin.
—O que você quer? —Ouvi uma voz abafada me perguntar.
—Eu só queria dizer desculpe. E avisar que eu e o seu irmão vamos para a balada.
—Tudo bem. Tchau. —Me senti desapontado por essa resposta.
 Desci as escadas indo direto para a porta onde Bradley já me esperava impaciente. Bati em seu ombro e saímos de casa batendo a porta logo depois.
                                                             ***
Alguém ao meu lado, provavelmente alguma garota com quem eu conversava discava no meu celular algum número. Eu estava bêbado e não podia dirigir. E bem, o Bradley estava desmaiado em provavelmente algum tipo de coma alcóolico ou algo menos pior. Estávamos na porta da boate enquanto a garota discava algum número. Enquanto me sentava ouvi a garota falando ao telefone com alguém. Ela dizia no telefone se chamar Brenda e que precisa que viesse nos buscar agora. Não prestei mais atenção no resto até ela desligar o celular e me devolver.
—Sua namorada está vindo te buscar. —Olhei para ela confuso. Percebendo o meu olhar tratou de explicar para a anta mitológica bêbada de quem estava falando. —Sabe a tal Lucy do seu telefone. Vocês dois tem uma foto juntos achei que fossem namorados.
—Ela não é minha namorada. Pelo menos não por minha parte. —E me calei depois disso. Passou uns cinco minutos e Lucy chegou, acompanhada, mas chegou. Ela e ele, que se não me engano se chamava Lucas vieram na nossa direção.
—Mas que merda aconteceu com vocês dois?
—Era dia da bebida grátis. —Respondeu Brenda. —Enfim, os dois estão aqui e como você está acompanhada não precisa da minha ajuda. —E dito isso ela se virou entrando na boate novamente.
Vocês só me dão trabalho seus imbecis. —Lucy disse em meio a um suspiro. —Lucas, pega o Landon e eu pego o meu irmão.
Lucas, me apoiou em seus ombros. Olhei para ele o analisando. Ele era forte, e sua cabeça era raspada na máquina dois aos lados de cabeça. Não dava para enxergar a cor de seus cabelos, mas eu me lembrava que eram loiros. Sinceramente, prefiro mil vezes eu do que ele. Tenho olhos azuis e meu cabelo é preto liso. E sou mais ou menos forte. É, eu realmente me prefiro. Decidi irritar um pouco o Lucas para ver qual seria sua reação.
—Eu já fiquei com a Lucy sabia? —Falei olhando para trás na direção dela. —Ela te disse?
—Sim, ela disse. —Ele respondeu calmo. —E ela também disse, que não foi nada mais que um beijo e que não tinha importância, já que você é como um irmão para ela. —Ele terminou e me colou dentro do carro no banco de trás, e foi ajudar a Lucy a carregar o Bradley. Eles o colocaram no carro e entraram nele sentando no banco da frente.
—Me desculpe, por estragar a nossa noite te pedindo para vir buscar esses dois. —Lucy falou. —Prometo que da próxima vez eu faço algo melhor para nós dois.
—Tudo bem. —Ele falou mordendo o lábio inferior. Pera, era isso mesmo que eu estou entendo? — De qualquer forma amanhã você tem que vir buscar o carro do seu irmão, e eu posso vir com você.
—Eu adoraria. Enfim, vamos. —E assim o Lucas deu partida no carro. E eu apaguei no banco de trás.
___________________________________

Deixe sua opinião nos comentários!

Saiba mais: https://www.wattpad.com/story/59742138-just-a-brother

15 comentários:

  1. Essa fic deveria ser censurada. Muito palavrão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Coloquei classificação +14, vc acha que eu devia aumentar?

      Excluir
    2. Não, está ok. Mas acho q seria melhor se estivesse no outro blog.

      Excluir
    3. Já tá boa assim ♥

      Excluir
  2. Farofa com queijo♥ Inlcua isso na fic e vou virar fã de carteirinha!
    #Jáamo #Farofacomqueijonafanfic

    ResponderExcluir
  3. Curti muito! Palavrões são da hora! ai não tinha muitos! Ficou top perfeito!

    ResponderExcluir
  4. Curti muito! Palavrões são da hora! ai não tinha muitos! Ficou top perfeito!

    ResponderExcluir
  5. Quando o capitulo tava ficando bom acaba :(

    ResponderExcluir
  6. Quando o capitulo estava ficando boa acaba :(

    ResponderExcluir
  7. Ridículo
    Historia ruim. Confusão d personagens tipo trocar ele por ela
    Os palavrões são desnecessários
    É clichê
    Tipo vc sab q no final ele fica com ela mas ao contrário dos romances levianos como os de kiera cass esse n da vontade de saber o desenrolar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As vezes um único capítulo não quer dizer nada. Jamais julgue algo sem nem ao menos ter conhecido melhor. E mesmo se vc n goste, não é muito legal ficar ofendendo. Se for pra criticar que pelo menos seja construtivamente pontuando os pontos negativos e formas de melhorar ;)

      Excluir
  8. pq eu só consigo ver o primeiro capitulo

    ResponderExcluir
  9. No wattpad aparece que a história não existe! 😢

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vish, ela deve ter excluído a história então :/

      Excluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!