29 de fevereiro de 2016

Capítulo 66

Aelin se arriscou de madrugada a comprar o café da manhã dos comerciantes da principal feira das favelas. O sol já aquecia as ruas tranquilas, e sua capa com capuz rapidamente se tornou abafada. Pelo menos era um dia claro; ao menos essa parte do dia dera certo. Apesar dos corvos crocitando acima dos cadáveres nas plataformas de execução.
A espada batendo em sua perna era um peso morto. Logo ela a estaria usando.
Logo ela enfrentaria o homem que assassinara sua família e escravizara seu reino. Logo daria fim à vida de seu amigo.
Talvez ela nem sequer saísse viva do castelo.
Ou talvez ela saísse usando um colar negro, se Lorcan os traísse.
Tudo estava preparado; cada armadilha possível fora considerada; todas as armas tinham sido afiadas.
Lysandra levara Evangeline para ter suas tatuagens formalmente retiradas no dia anterior, e em seguida buscaram seus pertences no bordel. Agora elas estavam hospedadas em uma pousada de luxo do outro lado da cidade, paga com as pequenas economias que Lysandra poupara por anos. A cortesã oferecera ajuda novamente, mas Aelin ordenou que ela saísse da cidade e fosse à terra natal de Nesryn. A cortesã pediu para ela ter cuidado, beijou ambas as bochechas, e partiu com sua protegida – ambas sorrindo, ambas livres. Esperançosas por traçarem seu caminho para a liberdade agora.
Aelin comprou um saco de doces e algumas tortas de carne, mal ouvindo o mercado em torno dela, já alvoroçado com os primeiros foliões que celebrariam o solstício. Estavam mais moderados do que a maioria dos anos, mas dadas as execuções, ela não os culpava.
— Senhorita?
Ela endureceu, a mão indo para espada – e percebeu que o vendedor de tortas ainda estava à espera de seus cobres.
Ele se encolheu e recuou alguns passos atrás de seu carrinho de madeira.
— Desculpe — ela murmurou, atirando as moedas em sua mão estendida.
O homem deu um sorriso cauteloso.
— Todo mundo está um pouco nervoso esta manhã, parece.
Ela meio que se virou.
— Mais execuções?
O vendedor moveu o queixo em direção a uma rua que conduzia para fora do mercado.
— Você não viu a mensagem enquanto vinha? — ela sacudiu a cabeça bruscamente. Ele apontou. Ela pensara que a multidão ali no canto estivesse assistindo algum artista de rua. — A coisa mais estranha. Ninguém acha que faça algum sentido. Dizem que parece estar escrito em sangue, mas é mais escuro...
Aelin já ia na direção que o homem indicara, seguindo para a multidão de pessoas que se espremiam para ver.
Ela empurrou, abrindo caminho em torno dos foliões, vendedores curiosos e guardas comuns do mercado, até que dobrou uma esquina, dando em um beco sem saída bastante iluminado.
A multidão se reunia na parede de pedra pálida na sua extremidade, murmurando e remoendo.
— O que isso significa?
— Quem escreveu?
— Parece uma má notícia, especialmente no solstício.
— Há mais, todos dizem a mesma coisa, bem perto de todos os principais mercados na cidade.
Aelin enfiou-se pela multidão, um olho em suas armas e na bolsa de moedas para evitar batedores de carteiras que tivessem ideias ruins, e em seguida...
A mensagem fora escrita em letras negras gigantes, o fedor saindo delas com certeza era de sangue valg, como se alguém com unhas muito, muito afiadas tivesse aberto um dos guardas e o usado como um balde de tinta.
Aelin girou nos calcanhares e correu.
Ela voou pelas ruas da cidade movimentada e para as favelas, beco após beco, até que chegou à casa decrépita de Chaol e abriu a porta, gritando por ele.
A mensagem na parede era apenas uma frase.
O pagamento de um débito de vida.
Uma frase apenas para Aelin Galathynius; uma frase que mudava tudo:

ASSASSINA DE BRUXA, O HUMANO AINDA VIVE DENTRO DELE.

12 comentários:

  1. Laura do Bom Senso 42 #Zueira2 de março de 2016 18:18

    AMEEEEEEIIIIIIIII, mas era óbvio que ele não ia morrer, se não cadê a graça? Ele vai ser Forever Alone e deixar o reino dele ou pro Chaol ou pra Celaena depois que ele morrer, tenho quase certeza, velho, agora que eu descobri que vai ter mais dois livros fico me perguntando "O que ela vai arranjar de merda pra estragar a nossa felicidade nesses dois que estão faltando?" É bem assim, pq eles não querem que a gente seja feliz, escritores do caramba.

    ResponderExcluir
  2. OOMMMG,AINDA BEM!!! MUITO OBRIGADA, MANON ❤❤❤ Ai que emossaum, omg

    ResponderExcluir
  3. Manoooonnn... Sua Diva linda! Amei!

    ResponderExcluir
  4. Slk tio!!! Até arrepiou agora....

    ResponderExcluir
  5. Meeeu deus não consegui nao sorrir
    Dorian 😍😍😍😍😍😍😍😍

    ResponderExcluir
  6. OMG OMG OMG
    só tenho isso pra dizer
    OMG OMG OMG OMG OMG

    ResponderExcluir
  7. aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah q fodaaaaaaaaa

    ResponderExcluir
  8. AAAAEEEEEEEEEHOOOOOOOOO CARAAAAI TÔ MUITO FELIZZZZ! Manon é muito perfeeeita!
    Ass Thalissa

    ResponderExcluir
  9. Ahhh Dei meu grito de panteraa!
    M*ed* tenho 2 provas amanhã e ñ vou conseguir parar de ler msm!

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!