1 de fevereiro de 2016

Capítulo 54

Horas depois, Chaol fitava a porta da sala de jantar de Celaena. Não sabia exatamente o que fazia ali novamente, mas procurara por Dorian nos aposentos do príncipe e não o encontrara. Precisava dizer a ele que a cena testemunhada pouco antes não significava nada do que estava pensando. Chaol encarou as mãos.
O rei mal falara com ele nas últimas semanas. O nome de Cain nem fora mencionado em nenhuma das reuniões. Não que devesse ser. Cain não era membro da Guarda Real, era pouco mais do que um peão num jogo que distraía o rei. Mesmo assim, estava morto. Aqueles olhos não se abririam mais por causa de Chaol... Cain não respiraria mais por culpa do capitão... O coração do competidor havia parado por causa dele...
A mão de Chaol foi até o lugar em que deveria estar sua espada. O capitão havia jogado a arma em um canto do quarto logo que voltou do duelo na semana anterior. Caridosamente, alguém limpara o sangue da lâmina. Talvez um dos guardas que o levara até os aposentos e lhe oferecera uma bebida forte. Tinham permanecido em silêncio até que alguma semelhança com a realidade reaparecesse, então se foram, sem nenhuma palavra, sem esperar o agradecimento de Chaol.
O capitão passou a mão pelo cabelo curto e abriu a porta da sala de jantar.
Celaena estava brincando com a comida, jogada na cadeira. As sobrancelhas dela se ergueram.
— Duas visitas em um dia? — perguntou a jovem, repousando o garfo. — A que devo o prazer?
Chaol franziu a testa.
— Onde está Dorian?
— Por que ele estaria aqui?
— Achei que ele viesse sempre a esta hora.
— Bem, não espere encontrá-lo aqui depois de hoje.
Chaol se aproximou, parando na quina da mesa.
— Por quê?
Celaena abocanhou um pedaço de pão.
— Por que terminei tudo.
— Você o quê?
— Sou a campeã do rei. Certamente você entende o quão inapropriado é, para mim, ter um relacionamento com o príncipe.
Os olhos azuis dela brilharam, e Chaol se perguntou por que a jovem enfatizara levemente a palavra príncipe. E por que aquilo fez com que o coração dele pulsasse mais forte.
Chaol segurou o sorriso.
— Estava curioso para saber quando você agiria racionalmente.
Será que Celaena se angustiava tanto quanto ele? Será que lembrava sempre das mãos cobertas de sangue? Mesmo com toda a arrogância, as comemorações e a postura, caminhando com as mãos nos quadris...
Havia algo de doce naquele rosto. Deixava-o esperançoso... Esperançoso por não ter perdido a alma ao matar uma pessoa; porque a humanidade poderia ser encontrada e a honra, resgatada... Celaena saíra de Endovier e ainda conseguia rir. Brincava com uma mecha de cabelo entre os dedos. Ainda usava aquela camisola incrivelmente curta, que subia mais quando ela apoiava os pés na extremidade da mesa. Chaol se concentrava no rosto da jovem.
— Quer se juntar a mim? — convidou ela, apontando para um lugar na mesa. — É vergonhoso comemorar sozinha.
Chaol olhou para o sorriso de canto de boca no rosto de Celaena. O que quer que tivesse acontecido com Cain, o que quer que tivesse ocorrido no duelo... Aquilo o assombraria para sempre. Mas agora...
O capitão puxou uma cadeira à frente e se sentou. Celaena serviu uma taça de vinho e a entregou a ele.
— Aos quatro anos até a liberdade — disse ela, levantando a taça.
Ele brindou.
— A você, Celaena.
Os olhares dos dois se encontraram, e Chaol não escondeu o sorriso ao vê-la feliz daquele jeito. Quatro anos com ela talvez fosse pouco.



Celaena estava diante da tumba e sabia que era um sonho. Visitava a tumba constantemente nos sonhos... Para matar o ridderak de novo, para ficar presa no sarcófago de Elena, para encarar uma jovem sem rosto com cabelos dourados e uma coroa muito pesada para carregar... Mas naquela noite eram só ela e Elena, e a tumba estava iluminada pela lua. Nenhum sinal do cadáver do ridderak.
— Como está se recuperando? — perguntou a rainha, recostando-se contra o próprio sarcófago.
Celaena se manteve à porta. A rainha trocara a armadura pelo vestido fluido de sempre. A ferocidade de Elena também não estava estampada em suas feições.
— Bem — respondeu Celaena, baixando os olhos para si mesma. Naquele mundo dos sonhos, suas feridas tinham sumido. — Não sabia que você era uma guerreira.
Ao dizer isso, apontou o queixo para onde Damaris estava.
— Há muito que a história apagou sobre mim. — Os olhos azuis de Elena brilhavam de raiva e mágoa. — Lutei nos campos de batalha durante as guerras demoníacas contra Erawan, ao lado de Gavin. Assim nos apaixonamos. Mas suas lendas me retratam como uma donzela esperando numa torre com um cordão mágico que ajudaria o príncipe heroico.
Celaena tocou o amuleto.
— Sinto muito.
— Você pode ser diferente — sugeriu Elena, em voz baixa. — Você pode ser incrível. Maior do que eu, do que qualquer um de nós.
Celaena abriu a boca, mas não conseguiu falar.
Elena deu um passo na direção dela.
— Você poderia sacudir o universo — sussurrou a rainha. — Poderia fazer qualquer coisa, se ousasse. E, no fundo, também sabe disso. É o que mais lhe assusta.
Elena caminhou até Celaena, e a assassina mal conseguia evitar o desejo de virar as costas e sair correndo. Os olhos azul-escuro penetrantes da rainha eram tão etéreos quanto seu belo rosto.
— Você descobriu e derrotou o mal que Cain estava trazendo ao mundo. Agora é a campeã do rei. Fez tudo como pedi.
— Fiz pela minha liberdade.
Elena deu um sorriso sábio que fez Celaena querer gritar de medo, mas a assassina se manteve impassível.
— É o que você diz. Mas quando pediu ajuda, quando o amuleto se abriu e você deixou que sua necessidade fosse sentida, sabia que alguém viria em socorro. Sabia que eu acudiria.
— Por quê? — ousou perguntar Celaena. — Por que responder? Por que eu preciso ser a campeã do rei?
Elena levantou o rosto na direção da luz da lua.
— Porque há pessoas que precisam tanto ser salvas por você quanto você precisava ser salva. Negue o quanto quiser, mas há aqueles, como os seus amigos, que precisam de você aqui. Sua amiga Nehemia precisa de você aqui. Porque eu estava dormindo... Um sono longo e eterno... E fui acordada por uma voz. Essa voz não pertencia a uma única pessoa, mas a muitas. Algumas sussurravam, outras gritavam, algumas nem sabiam que estavam pedindo ajuda. Mas todas querem a mesma coisa. — A rainha tocou o centro da testa de Celaena. O calor emanou entre as duas. Uma luz azul brilhou através do rosto de Elena quando a marca de Celaena queimou por um momento, então, dissipou-se. — Quando você estiver pronta... Quando começar a ouvir os gritos de socorro também... Então saberá por que vim até você, por que fiquei ao seu lado e por que vou continuar cuidando de você, não importa quantas vezes me afaste.
Os olhos de Celaena ardiam, e a assassina caminhou em direção ao corredor.
Elena sorriu com tristeza.
— Até esse dia chegar, você está exatamente onde precisa estar. Ao lado do rei, entenderá o que precisa ser feito. Por ora, aproveite a conquista.
Celaena ficou enjoada só de imaginar o que mais poderiam querer dela, mas assentiu.
— Tudo bem — suspirou, preparando-se para sair, mas parou no corredor. A jovem falou por cima do ombro, olhando nos olhos tristes da rainha: — Obrigada por salvar minha vida.
Elena inclinou a cabeça.
— Laços de sangue não podem ser desfeitos — sussurrou ela, então desapareceu, deixando as palavras ecoarem no silencioso túmulo.

19 comentários:

  1. Sabe aquela vontade de desistir do livro quando você começa a achar que o casal que você shippa não vai ficar junto? Eu to puta com Celeaena, ou seja lá qual for o nome esquisito dela. Eu quero que ela fique com Dorian! Vou chorar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, eu também queria que ela ficasse com Dorian :( mas ainda tem mais liros, vamos ver o que acontece

      Excluir
    2. Karina ela tem que ficar com o cao

      Excluir
    3. Eu quero que ela fique com o Chaol, quero os dois juntos, e tão fofo, aquelas intrigas bobas dos dois!!
      Ass: Eli

      Excluir
    4. Pior q ela fica bem com o Dorian, mas se vcs prestassem bem atenção em alguns detalhes do livro dava pra notar q tudo indicava ela e o Chaol kkk desde o começo ela sempre foi ligada mais com ele do que com o Príncipe :s

      Excluir
    5. Eu tbm queria ela com o Dorian.. :'(

      Excluir
    6. Compartilho seus sentimentos rsrsrs também torcia por ele mais tô achando impossível ficarem juntos, ela foi muito fria quando terminou e não perdeu tempo pensando no assunto, nos resta nos apaixonar pelo capitão que tb é fofo né?!.

      Excluir
    7. Shippar n é tudo. O livro é ótimo sem essa chatice q foi com o Dorian e o Chaol. Pena q no segundo fica pior.

      Excluir
  2. Sempre quando leio ela dizendo que a família real foi assassinada imaginava que era a família dela. Após essa fala de Elena, tenho mais ctz de que Celaena é princesa de Terrassem

    ResponderExcluir
  3. Eu acho que ela pode até ser princesa de Terrasen (é assim?), mas pra mim, ela e os pais tem ligação forte com a magia, tipo os feéricos, as fadas (que deixaram flores pra ela nos primeiros capítulos, se não me engano). E aí, quando o rei tava matando é apagando da história toda a magia, assassinaram os pais dela. Acho que é isso.

    Bella

    ResponderExcluir
  4. "laços de sangue não podem ser quebrados"... Isso significa que a Elena é da família da Celaena?

    ResponderExcluir
  5. Se ela for, então a Celaena é a verdadeira rainha (ou será que é uma família bastarda?)

    ResponderExcluir
  6. Acho que a Celaena tem sague feérico, assim como a Elena. Ambas são de Terrasen. Também acho que a Celaena é a princesa, como já até falei em outro capítulo.

    Meg

    ResponderExcluir
  7. Ai que best o chaol se animou novamente será que ele vai conseguir se declarar.

    ResponderExcluir
  8. confesso que sempre torci pelo chaol, bem que tentei mudar pro doriam mais não consegui...
    vai que é tua chaol...

    ResponderExcluir
  9. Percebi que isso ia acontecer. O romance com o Dorian tava muito forçado. Muito clichê. Achei estranho uma escritora boa (eu nem sei se é uma escritora ou escritor, tanto faz) escreveer um romance enjoativo e que ficasse assim. Acho que ela fez de propósito para as pessoas ficassem com pena do Chaol. Eu cai direitinho. So peço desculpas se estou insultando alguém que gosta do shipp dela com o Dorian.

    ResponderExcluir
  10. "Laços de sangue não podem ser desfeitos"... Falei que ela é parente da rainha Elena... "Magia atrai magia"... Será que a Lana é meio feérica também...

    Ass:Shay Santos

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!