2 de novembro de 2015

Doze

— E eu pensando que eu estava destinado a ir para Florença sem me despedir de você!— Miles me agarrou no que poderia ser descrito como um abraço de urso. Espiando por cima do meu ombro a Damen e olhou para ele com muito cuidado quando sussurrou: — Fico feliz em ver que vocês estão juntos novamente.
Eu me afasto e lanço um olhar duvidoso. Lembrando da última vez que eu vi Miles, lá na festa de despedida que eu fiz para ele na semana passada, e como ele me pediu para esquecer de Damen e encontrar a felicidade junto a Jude.
Ele lê o meu olhar como se estivesse lendo minha mente, os lábios curvados em um sorriso quando ele diz, — Eu só quero ver você feliz, isto é tão mal assim?— ele se vira, dando um pequeno aceno a Damen, quando acrescenta — Putz, eu quero ver todo mundo feliz – é por isso que eu quero limpar todos os quartos dessa casa, excerto um, o que você está agora.
Damen apertou seu braço em torno de mim, me puxando para um abraço protetor, e eu senti em sua voz um tom de preocupação enquanto ele dizia: — Então, existe alguém na lista de convidados que pode nos fazer infelizes?
Eu olho de relance entre eles, já sabendo a resposta. Eu sabia no instante em que nós saímos do carro e caminhamos em direção à porta. No momento em que um esquisito batimento despertou dentro de mim, me alertando para uma coisa, a única coisa que eu realmente precisava saber:
Roman está aqui.
O resto é apenas detalhe.
Miles apertou a boca de lado e correu os dedos em seu curto cabelo escuro.
— Oh não, não tem lista de convidados, apenas um grupo aleatório de pessoas que começaram a chegar em torno de meio-dia e que ainda não pararam de chegar. E só para você saber, eu sei tudo sobre você e Haven, então...
— Como?— Eu o estudei cautelosamente, analisando sua aura, geralmente amarela, mas que agora estava tingida de uma cor cinzenta conflituosa.
Ele olha para mim, franzindo os lábios e balançando a cabeça quando diz: — Ouça, eu sei tudo a respeito disso, ela me disse. E embora eu deseje ficar por aqui e ajudar vocês duas a trabalhar nisso...
— O que ela disse? Quais foram exatamente suas palavras?— Eu perguntei, meu olhar fixo em Miles assim como Damen mantinha minha cintura ainda mais apertada junto a ele, ambos em estado de alerta, observado como ele balança a cabeça e imita um zíper sendo puxado através de sua boca.
— Oh não, não fui a fundo. Sério, Ever, nem sequer tentei. Tudo o que sei é vocês não estão mais se falando. Quanto ao resto eu sou a Suíça. Totalmente neutro. Eu me recuso a me envolver. Porque a verdade é que eu realmente não desejo ficar aqui para ajudar a solucionar isso. Eu estava apenas sendo simpático. Eu mal posso esperar para chegar a Florença e deixar vocês aqui para resolver isso em seu próprio país. E é melhor você começar a trabalhar nisso logo, porque eu não quero ser forçado a escolher um lado quando eu voltar. Quer dizer, talvez você leve alguma vantagem desde que você me dê carona para ir a escola e tudo mais, mais ainda assim, eu conheço a Haven a mais tempo e isso tem que contar para alguma coisa, né?— ele fecha os olhos e balança a cabeça, como se toda a confusão fosse demais para processar.
— Miles, quanto a isso está tudo bem, mas eu receio que é indispensável nós sabermos exatamente o que a Haven te disse.— A voz de Damen era baixa, urgente, repleta de intenções, totalmente clara, ou pelo menos pra mim de qualquer maneira, que se Miles não se confessasse, ele estaria a poucos passos de quebrar nossa promessa de nunca espionar os pensamentos privados de nossos amigos e colegas e começar a olhar dentro da cabeça de Miles para ver por si mesmo. — Ele não vai contar para ela se isso é o que está preocupando você, mas eu temo que nós precisamos saber de tudo.
Miles olha para ele, soltando um suspiro dramático e revirando os olhos — Até tu, Damen? — Diz ele, olhando entre nós, claramente descontente com a pressão que estamos fazendo em cima dele. — Está bem, eu vou te dizer, mas apenas porque amanhã a esta hora já estarei fora daqui – voando através da nuvens a trinta mil pés de altura, assistindo filmes que eu já vi e me enchendo com comida de alto teor de sódio que certamente vão me servir. Mas lembre-se, não importa o quão feio for, você pediu por isto. — E ele olha pra nós, fazendo uma pausa dramática, sua face ficando completamente seria quando ele diz: — Ela me disse que vocês estão determinados a mantê-la afastada de Roman , porque, lembrem-se, estas são palavras delas e não minhas , então não matem o mensageiro, mas basicamente ela acha que você está com ciúmes. Bem, não é realmente você, Damen, mas a Ever pra ser mais sincero. Ela acha que Ever tem ciúmes, porque, são palavras dela novamente... — Ele limpa a garganta esforçando-se para alcançar o tom de voz de Haven. — Estou finalmente do jeito que eu queria e simplesmente Ever não pode suportar o fato de que agora não é a única garota especial por aqui. — Ele revira os olhos e balança a cabeça. E apesar de tudo eu me sinto mal por nós termos feito ele repetir tudo, mais ainda sim estou secretamente emocionada por ver que não era nada parecido com o que eu estava pensando. Ela podia me odiar, mas ainda sim ela conseguiu manter o segredo da imortalidade para si própria, ao menos por enquanto.
Damen assentou com a cabeça de modo frio e tranquilo, mas posso dizer que ele também estava aliviado. E basta olhar Miles dando de ombros casualmente quando eu digo: — Uau. Estou muito triste de ouvir isso.
Mas a verdade é que muita coisa mudou dentro de mim. Que a magia está mexendo comigo, fazendo meu coração acelerar, as palmas das mãos suarem, ficando inquieta, me sentindo suscetível novamente. E tudo o que eu quero fazer é abandonar os dois o mais rapidamente possível para que eu finalmente possa encontrá-lo. Roman. Eu tenho uma fome incontrolável que precisa ser alimentada, não importando o que isso possa custar a mim ou a meus amigos.
Eu engulo duramente, contraindo lentamente à medida que luto para me equilibrar. Apegando-me ao pequeno lampejo de sanidade que consigo manter apesar da batalha que travo dentro de mim.
— Então aí está você. Uma boa luta à moda antiga. — Miles dá de ombros. — Pena que eu não faço o gênero que aprecia esse tipo de coisa – embora você possa fazer.
Ele se movimenta em direção a Damen, mas Damen rapidamente o dispensa.
— Eu asseguro a você, eu deixei esse tipo de coisa a muito tempo atrás.— Ele assente , um breve flash de tristeza atravessa seu rosto, uma memória de Drina e eu transpareceu e se foi antes que eu pudesse piscar.
Miles concorda, olhando ente nós, quando ele acrescenta:
 — Embora ela esteja certa sobre uma coisa... — Damen já mudou lentamente, em estado de alerta para o que quer que seja, enquanto eu estou ao lado dele, nervosa, inquieta, desejando apenas que ele venha para mim.
— Ela realmente está escutando muito “Smokin” estes dias. Quer dizer, eu realmente não sei qual é a nova onda dela, pós-apocalipse, qual rock n’ roll cigano que ela está indo, ou o que. Mas é como se ela finalmente tivesse se encontrando, entrando dentro dela mesma igual ela disse, sabia? E depois de estar perdida por tanto tempo, ela tem a sensação de ter um pouco de poder próprio, então tente ignorar a negligencia dela, ok? Isso vai está ao redor dela eventualmente. Mas por agora, eu acho que nós devemos ter calma e tentar não levar para o lado pessoal. Ou pelo menos vocês deveriam, pessoal; porque eu — eu estou indo para Florença — eu mencionei isso?
Eu aceno, automaticamente, roboticamente, reorganizando meu rosto esperando que minha expressão seja agradável. Esperando que tudo me pareça agradável, porque dentro de mim, eu estou mexida, ardendo, e não existe nenhuma maneira nesse inferno de deixar ela se divertir com esse passeio, trazendo Roman envolvido junto a ela.
Nenhum jeito.
Mas eu não disse isso. Eu não disse uma palavra, eu apenas dei de ombros como se eu mal me preocupasse com isso, como se eu continuasse a inspecionar a sala. Apenas esperando até a hora em que meu garoto preferido, de olhos azuis e cabelo loiro dourado aparece.
— Então eu acho que o que eu estou tentando dizer é que não importa o que está acontecendo entre vocês, eu não estou escolhendo lados, o que significa que todos são igualmente bem vindos aqui. Mas isso não quer dizer que eu convidei toda a comitiva dela para vir aqui – Haven veio com todos por conta própria. Porque honestamente, não diga a ela que eu disse isso, mas há algo sobre Roman — Ele franziu a testa e olhou para o espaço, buscando a palavra certa, antes de balançar a cabeça e começar novamente. — Bem, que seja, vamos apenas dizer que há algo escondido sobre ele, alguma coisa estranha. Eu realmente não sei como explicar isso, mas é a mesma coisa que eu senti em relação à Drina.
Ele move o olhar entre nós, buscando a confirmação que realmente há algo, mas apesar de minhas atenções estarem em outro lugar, Damen e eu estamos unidos nesta, parados lado a lado, uma parede de indiferença que ele não pode penetrar.
— Que seja. — Ele dá de ombros. — Ele a faz feliz, e isso é tudo que importa. Quer dizer, não é como se pudéssemos impedi-la, certo?
— Quero dizer, sério...
Miles não parava de falar e eu aproveitei a oportunidade para espiar dentro de sua cabeça. Mergulhando superficialmente e dando uma leve espiada ao redor, sentido a excitação dele para sua viagem, sua ansiedade em sair de Holt, e absolutamente nenhum conhecimento sobre qualquer desonestidade, imortais, ou qualquer outra coisa do tipo.
—... Então, basicamente, você tem oito semanas e dois meses inteiros para resolver tudo. E eu estou contando com você, Ever, pois todos nós sabemos como Haven pode ser teimosa. Quer dizer, eu a amo e tudo, mas vamos encarar, ela ama estar certa mais do que qualquer coisa, eu sei – e vai lutar até a morte para defender suas ideias – mesmo quando ela está absolutamente errada.
Aceno, saindo de sua cabeça e renovando meu voto de nunca voltar a fazê-lo novamente.
Assisto a Damen enfiar a mão no bolso e retirar um papel dobrado em pequenos quadrados – uma nota que ele provavelmente manifestou apenas um segundo antes.
— Eu fiz pra você esta lista da qual nós falamos. — Ele acena, respondendo com olhar em branco para Miles quando ele acrescenta, — A lista de lugares que você deveria ver em Firenze, lugares que você não vai querer deixar de conhecer. É uma lista bem longa. — Ele dá de ombros. — deve manter você ocupado durante as próximas semanas. — O olhar dele encontra o de Miles, olhando para ele de uma forma calma, serena, desprovido de qualquer sugestão com segundas intenções, fazendo-se convincente. Mas eu consigo ver além disso. Sabendo, mesmo sem ser dito, que ele está empenhado em manter Miles longe do caminho da lista que Roman lhe deu algumas semanas antes – mas eu não sei bem o porquê disso.
A última vez que eu perguntei, ele ficou completamente frio e se recusou a falar sobre isso.
Tudo o que sei é que Roman está incentivando Miles para visitar algum lugar fora-do-caminho que sedia algumas raras antiguidades e isso tem deixado Damen preocupado. Embora eu não possa imaginar porque, uma vez que todas as suas pinturas morreram no incêndio que ele mesmo provocou há mais de 400 anos atrás — um incêndio que destruiu toda a sua coleção, incluindo — para todos os efeitos — ele mesmo.
Miles olha o bilhete, os olhos varrendo de cima para baixo antes de dobrar de volta e colocá-lo no bolso da camisa.
— Confie em mim, depois de ver a exaustiva programação que eles me enviaram ontem, eu terei sorte de encontrar tempo para dormir. Eles são muito sérios sobre como gastar cada segundo extra para melhorar nossas habilidades, você sabe, como um verdadeiro campo de concentração, e não exatamente as férias italianas com aquela liberdade que eu estava esperando.
Damen acena, um flash de socorro passa no seu rosto tão rapidamente que se piscar o olho não seria possível observar. Mas eu não pisquei. E eu vi. E se eu não estava tão preocupada viajando com meus pensamentos lá em Omã, eu poderia ter puxado ele de lado para perguntar o motivo. Mas em vez disso eu fiquei parada, incapaz de ignorar o fato o habitual formigamento que sinto por ele é completamente substituído pelo pulsar insistente que agora palpita em seu lugar.
Um pulsar que não é nem um pouco intimidado com a visão de Jude vindo em nossa direção.
Ele faz uma pausa, me concedendo um breve aceno de reconhecimento antes de se concentrar em Damen. Os dois estão enrijecidos, parados, com os ombros altivos, e expandindo o peito para frente de um jeito tão primitivo que eu até me lembrei do que Jude me disse em outra noite – sobre os dois estarem destinados a competir por mim.
Dois maravilhosos, inteligentes e talentosos caras competindo por mim. E tudo o que posso pensar é no cara que está na sala do lado. O namorado da minha amiga. O único que é tão mal como é irresistível. Damen aponta em direção ao braço enfaixado de Jude, e diz — Isso deve doer.
E o jeito que ele diz, o tom de sua voz, junto com o olhar do seu rosto, bem, eu não posso saber ao certo, mais me pergunto se ele quis dizer isso de uma maneira física ou de uma maneira emocional, já que nós todos sabemos que fui eu quem o machucou desse jeito.
Jude encolhe os ombros, um casual aumento e queda dos seus ombros fazem com que ele se entregue, colocando as armas de lado, olhando para mim quando diz — Eu já estive melhor. Mas a Ever está fazendo o seu melhor para compensar isso.
Miles olha entre a gente, com sua testa e nariz todo enrugado, quando diz:      
— Espera, você está dizendo que a Ever fez isso com você?— Eu olho para Jude, não tendo ideia de como ele poderia responder, apenas parando um suspiro de alivio audível quando ele balança a cabeça e ri. — Ela me socorreu na loja. — Ele dá de ombros. — Isso é tudo que tenho para dizer, nada sinistro, nada perto de como seria embaraçador quanto apanhar de uma mulher.
E a segunda vez eu te arrebento, eu ri. Parcialmente porque todo mundo está em um silencio mortal, apanhados em uma grossa teia de tensão que você teria que cortar com um machado – e parte porque ainda estou muito ferida, de modo traiçoeiro e nervoso, eu não consigo pensar em outra forma de contornar. Mas infelizmente aconteceu de ser uma daquelas risadas horríveis, do tipo alta, terrivelmente berrante e desesperadora que só consegue ampliar o quão verdadeiramente estranho o momento é.
Damen está ao meu lado, moralista, em conflito, determinado a fazer o que é certo para nós – para mim – embora nem sempre faça o certo. E eu me sinto tão mal por causa dessa confusão, por ser uma terrível namorada, por sentir falta da única pessoa que tornou nossa vida nada mais do que muito difícil, que eu fecho meus olhos por breves instantes e mando para ele uma avalanche telepática de tulipas vermelhas em uma tentativa de compensar isso. Mas em vez das flores que eu pretendia, ele recebe uma pulverização caótica, mal formada, de um borrão vermelho por cima de uns emaranhados verdes. O mais lamentável buque que já foi criado.
Ele se vira me olhando com preocupação quando Jude toma o momento para dizer:
 — Eu estou indo vamos então, Miles — Ele bate no centro da palma de Miles, resultando em algo entre um tapa e um aperto.
— E, Ever— Ele se vira para mim, com um olhar demorando por uns longos segundos, tempo suficiente para me fazer sofrer, tempo suficiente para que todos possam perceber. E eu não posso disfarçar, mas me pergunto se ele fez isso de propósito, assim Damen poderia descobrir que escolhi a Jude ao invés dele na hora que eu precisei, ou se ele é realmente um mentiroso tão ruim que está se esforçando pra esconder o segredo que partilhamos. Ele mudou o olhar para Damen, um olhar tão carregado entre eles que nem mesmo eu sou capaz de ler, virando-se apenas quando Miles o conduz para porta da frente. E isso é tudo o que preciso pra me convencer a fazer a coisa certa. Para parar de empurrar Damen para longe, ficar neutra e, finalmente, aceitar a ajuda que ele já havia oferecido para mim.
Dirijo-me, agarrando seu braço enquanto meus olhos procuram os seus, pronto para derramar toda a história sórdida, mas sinto um forte aperto na minha garganta, me fazendo engolir minhas palavras e cortando todo meu suprimento de ar, transformando o que era para ser uma confissão em uma faceta vermelha, uma sufocada tosse.
E quando Damen passa seu braço em volta de mim e pergunta se eu estou bem, tudo o que posso fazer é não afastá-lo de mim. Eu reúno todas as minhas forças para puxá-lo para junto mim da melhor maneira possível. Curvando minha cabeça, fechando meus olhos, esperado a explosão morrer dentro de mim. Sabendo que eu não estou mais no comando, nem de mim, nem de nada. O monstro está assumindo agora, está acordado agora, e se trata de não deixar Damen e ir ao encontro de Roman.
Miles abre a porta para Jude e se vira para nós e diz: — Não, nada de estranho isso.
Olhando entre nós, ele suspira e balança a cabeça. Eu abro minha bolsa, procurando freneticamente, até que eu encontro o que eu quero. A pequena parte sã de mim sabe que eu preciso ir para longe, entregar meu presente e cair fora antes que seja tarde demais, antes que esta estranha magia tome conta de tudo e me obrigue a fazer algo que com certeza me arrependerei. Roman está se aproximando. Eu posso sentir a sua presença cada vez mais perto. Eu preciso sair daqui enquanto eu ainda posso.
— Não podemos ficar muito tempo, mais eu queria te dar isto. — Eu digo, esperando que ele não perceba o tremor de minhas mãos quando eu entrego o caderno com capa de couro que eu peguei na loja. Concentrando em respirar profundo e lentamente, determinada a manter o animal acuado, vendo como ele passa a mão na frente da revista antes de folhear as grossas páginas de dentro. Tentando esconder o nervosismo da minha voz quando eu digo: — Quer dizer, eu sei que você provavelmente vai colocar tudo sobre a viagem no seu blog, mas para o caso de você não ter acesso à internet, ou se quiser manter alguma coisa privada, pensei que você podia escrevê-lo aí.
Miles ri, olhando pra mim, quando diz: — Primeiro uma festa e agora um presente? Você está me estragando, Ever!
E embora eu responda com um sorriso, a verdade é que mau registro suas palavras. Tudo é ofuscado pelo simples fato de que Roman está aqui.
No segundo que eu o vejo, o invasor assume, sufocando qualquer pequeno controle que eu consegui segurar por algum tempo, e imediatamente é substituído por um tum-tum insistente que cresce cada vez mais ousado.
Um tum-tum que não vai parar até que eu e Roman sejamos um só.
Damen aperta o braço em volta de mim, ciente da mudança da minha energia, bem na borda. Preparados e prontos para qualquer coisa, com Misa vindo primeiro, seguida por Marco e Rafe, disseram adeus a Miles, assim como a Haven, vestida com um vestido de veludo púrpura, que trás o brilho da sua pele, perfeitamente pálida, observo. Seus olhos brilhando pairaram sobre mim, com os seus dedos fortemente tocando ameaçadoramente seus quadris. E se ela ainda tivesse uma aura para se ver, não tenho duvidas que eu estaria olhando para uma parede sólida do vermelho mais escuro, o mais ardente.
Mas eu não precisaria nem ler a sua energia para saber como ela está se sentindo ou o que ela está pensando. Ela é exatamente como eu agora – imortal – míope – com apenas um objetivo em vista – Roman. Disposta a fazer o que for preciso para deixar claro sua reivindicação. Seu olhar sobre mim, percorrendo desde minha cabeça até os meus pés. Tão certa de seus poderes, tão confiante em suas inexperientes habilidades, eu me despeço rapidamente com um encolher de ombros casual.
Ela se inclina em direção a Miles, dando-lhe um breve abraço de despedida, deslizando rapidamente para fora quando Roman o agarra em um desses breves abraços de homens com tapinhas nas costas, a mão ainda segurando seu ombro quando ele diz, — Agora, não se esqueça, logo depois de ter atravessado a Ponte Vecchio, desça no beco, vire a esquerda duas vezes, é a terceira porta a direita. Uma GRANDE PORTA VERMELHA – é imperdível. — Com olhos brilhando em um turbilhão de pontos de luz, quando ele olha para Damen e vê a forma como a cor é drenada do seu rosto. — Vale à pena a viagem, companheiro, confie em mim. — Ele se vira para Miles novamente.
— Inferno, pergunte a Damen, você não diria que vale a pena a viagem? Certamente você conhece o lugar?
Damen olha para Roman, com a mandíbula apertada, com os lábios estreitados, esforçando-se para manter a calma, com o tom de sempre quando diz, — não posso dizer que eu fui.
Mas Roman se finge de sonso, a cabeça inclinada para o lado enquanto ele fala em um sotaque londrino. — Você tem certeza disso, colega? Poderia jurar que já tinha visto você lá!
— Duvido—, Damen fala, a palavra duramente, no final, visivelmente desafiando com seu olhar.
Mas Roman apenas ri, com as mãos erguidas em sinal de rendição e virando-se para mim quando ele diz, — Ever.
Isso é tudo que eu preciso. A simples menção do meu nome em seus lábios e eu sou líquido puro.
Líquido puramente derretido.
Disposta a segui-lo aonde ele me levar.
Eu passo em direção a ele, atraída pelo seu olhar azul aço. Cada pequeno passo me trás para as imagens que estão se desenrolando em sua cabeça – aquela que ele colocou lá pra mim. O tipo exato de coisa que me dava nojo antes – que me fazia querer socar o seu chakras e acabar com tudo isso. Mas não agora. Agora eu estou tão ofegante e aquecida, que eu nem poderia chegar lá com a rapidez necessária.
Damen tenta vir até mim – tanto fisicamente como mentalmente – tentando me enviar uma mensagem, tentando me puxar de volta para ele, mas não adianta. Seus pensamentos estão confusos, atrapalhados, não fazem nenhum sentido. Apenas uma longa sequência de palavras que eu não tenho nenhum interesse em prestar atenção.
Roman é a única coisa que me interessa agora. Ele é o meu sol, minha lua e as estrelas e eu estou feliz por girar em torno dele.
Dou mais um passo, minhas mãos tremulas, corpo dolorido, ansiando o frio do seu toque na minha pele.
Não me importo mais com quem está vendo – o que eles estão pensando – eu só quero alimentar o monstro faminto dentro de mim.
E eu estou preste a fazê-lo, a ponto de dar o último passo para frente, quando ele corta pela direita e caminha até seu carro. Me deixando insegura, incerta, sem fôlego, e confusa – Miles ficou parado, sem saber o que fazer – o olhar de Damen reflete preocupação. Está presente, e voltando o assunto aonde paramos, quando diz: — O gosto de Roman na arte é trivial, na melhor das hipóteses. Grude na minha lista e você vai se dar bem. — Seu rosto parecendo composto, relaxado, mais eu sei que é tudo menos isso. A energia que emana dele, conta uma história totalmente diferente.
E eu desejo poder me comportar da maneira que eu suponho – da maneira que eu eventualmente costumo, uma vez que este pulsar estranho começa a desaparecer e o impacto que eu acabei de fazer vem cambaleando de volta para mim. Mas é um momento horrível reservado para o futuro. Certa de que agora, tudo que eu posso pensar é nele.
Onde ele está indo.
Se ela está com ele.
E o que eu posso fazer para detê-los.
Miles lança olhares entre nós, desejando pular a bordo do avião e apenas deixar tudo isso pra trás. Nervosamente ele limpa a garganta, quando diz: — Então, agora que eles foram embora você quer se juntar ao resto da festa? O elenco está na sala de jogos e estamos prestes a eleger os destaques das melhores músicas em breve.
Damen começa a sacudir a cabeça com um não, mas eu o interrompo. Mesmo que eu prefira fazer qualquer outra coisa, mas eu preciso participar de um show músicas para cantar junto, se eu tenho alguma esperança de salvação, eu preciso ficar aqui.
Bem aqui nesta casa onde é seguro. Se eu sair, eu vou atrás dele, e daquele momento em diante, não haverá mais volta.
Além disso, eu preciso de distração. Eu não posso suportar ver o olhar questionador de Damen, o olhar de mágoa no rosto. Preciso de um tempo para acalmar e concentrar-me, para que eu possa, eventualmente, explicar a verdade estranha e terrível do que está acontecendo comigo.
Eu aperto a mão com força e o levo lá para cima, esperando que o véu de energia que paira entre nós mascare a minha pele fria e pegajosa, que eu entre na sala de jogo com um sorriso.
Lembrando o segredo que Miles uma vez me contou sobre como atuar – que é tudo sobre projeção – projetar – se você acreditar na mentira tão fervorosamente o público comprará isso também.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!