2 de novembro de 2015

Dez

— Ever... Ever... acorda! Nós temos que voltar logo!
Eu rolo e me estico, estendendo meus braços para o alto sobre minha cabeça, enquanto arqueio minhas costas e flexiono meus dedos, movendo devagar, tranquila, sem pressa, como um vagaroso calor, tentando apenas rolar de volta outra vez.
— Sério— Damen ri, seus lábios em meus ouvidos, mordendo o lóbulo de um jeito que me faz rir.
— Nós já discutimos isso, nós dois concordamos que nos ambos temos que voltar eventualmente.
Eu deixei uma pálpebra cair, então a outra, encontrando um excesso de seda, e a gola da camisa de Damen pinicando na ponta do meu nariz — Eu estou em Versailles? Quanto tempo eu dormi?— Eu reprimo um bocejo, mas não bem sucedido, vendo Damen pairando em cima de mim, um divertido olhar em sua face.
— Não há tempo em Summerland— Ele sorri — E acredite em mim, eu irei tentar não levar para o lado pessoal que você cochilou.
Eu endureço completamente acordada agora e boquiaberta — Espera, você quer dizer que eu dormi enquanto eu... enquanto nós...— Eu balanço minha cabeça, bochechas a 100 graus. Mal acreditando que eu dormi enquanto nós estávamos nos beijando.
Ele acenou, por sorte olhando mais divertido que com raiva. Mas eu ainda escondo meu rosto com minhas mãos horrorizada até pelo pensamento disso.
— Isso é tão embaraçoso. Sério eu estou tão... — Eu balanço minha cabeça e morro de vergonha, não precisando mais de testemunhas de como estou exausta depois de tudo que aconteceu na semana passada.
Ele levanta-se da cama, me ajudando a ficar de pé enquanto ele diz — Não fique, não se desculpe ou fique com vergonha. Você sabe que de certa forma foi meio que bonito. Eu não recordo nunca o que acontece antes e você não consegue realmente experimentar muitas primeiras vezes após hum... centenas de anos— Ele ri me puxando para ele com seus braços enrolados ao redor da minha cintura — Sentindo-se melhor?
Eu aceno. Esse é o primeiro sono decente que eu dormi desde... bem, desde que você sabe quem começou a invadir meus sonhos, e mesmo eu não tendo nenhuma ideia de quanto tempo eu estive fora, eu me sinto muito melhor agora, como estar pronta para voltar para o plano terrestre e enfrentar todos os meus demônios, ou pelo menos o ultimo em particular.
— Vamos?— Ele levanta a sobrancelha.
Ele está fechando os olhos e fazendo o véu quando eu digo — Mas e sobre essa cidade? O que aconteceu quando nós partirmos?
Ele dá de ombros — Bem, eu estava deixando-a ir, já que eu você sempre pode manifestar outra vez, você sabe isso certo?— Ele me dá um estranho olhar.
E apesar de saber que isso é fácil para ele recriar exatamente como é, de alguma forma eu quero que isso fique. Eu quero saber que isso é sólido e duradouro. Um lugar que eu posso retornar por capricho e não apenas alguma confusa lembrança de um dia muito bom.
Ele sorri, inclinando-se enquanto ele responde meus pensamentos — Então é isso— Ele pega minha mão — Versailles fica.
— E isso? — Eu dou risada, mexendo nos babados em sua camisa cor de creme, fazendo-o rir de uma maneira que eu não ouvi o suficiente mais.
— Bem, eu pensei que eu mudaria na viagem de volta para casa, tudo bem para você? — Eu inclino minha cabeça e contraio meus lábios para o lado, cuidadosamente olhando para ele como se estivesse considerando.
— Mas eu gosto de como você está. Você está tão lindo, tão galante, majestoso... realmente isso me faz sentir como olhar para você real, vestido no período que você parece ter gostado mais.
Ele dá de ombros — Eu gostei de todos eles, alguns melhores que outros, mais em retrospectiva eles todos tinham algo a oferecer. E você, por outro lado, parece impressionante também— Ele trilha seus dedos encima de minhas joias e para baixo no corpete do confortável encaixe do meu vestido — Mas ainda assim, se você quer voltar para casa, uma mudança de trajes tem que ocorrer.
Eu suspiro triste ao ver nossa elegância do século XVIII substituir nosso usual estilo Laguna Beach.
— E agora...— Ele acena, enfiando meu amuleto de volta abaixo do pescoço do vestido — O que você diz: minha casa ou sua?
— Nenhum dos dois— Eu pressiono meus lábios juntos, sabendo que ele não irá gostar do que virá em seguida mas comprometida em ser completamente honesta durante as poucas vezes que eu posso — Eu preciso ver Jude.
Ele hesita, o mínimo, pouco visível a um olho destreinado, mas ainda assim, eu vejo isso, e eu preciso que ele saiba que Jude já sabe, que não há competição. Nunca realmente houve. Damen ganhou meu coração centenas de anos atrás. E tem desde então.
— Houve um acidente— Eu assinalo, determinada a manter minha voz calma, mesmo, e apenas me ater aos fatos não importando quão horrível. E embora eu pudesse apenas deixar a cena fluir de minha cabeça para a dele, eu não faço.
Há muitas partes que eu não quero que ele veja, coisas que ele poderia levar para o lado errado, então ao invés disso eu digo — Eu... eu meio que ataquei ele.
— Ever — ele hesita. Sua expressão tão chocada que tudo o que posso fazer é não desviar o olhar.
— Eu sei — eu balanço minha cabeça, pausando para tomar uma respiração — Eu sei como isso soa, mas isso não é o que você pensa. Eu estava tentando provar que ele era do mal, mas, bem, quando eu percebi que ele não era, eu corri para o pronto-socorro.
— E você me deixou de contar isso por quê... ? — ele olha para mim, obviamente machucado com minha negligência.
Eu suspiro, olhando bem para ele quando eu digo — Por que eu estava envergonhada, por que eu pisei na bola o tempo todo e eu não queria que você perdesse a paciência comigo, quer dizer, não que eu deva culpar você, mas ainda... — eu dou de ombros, arranhando meu braço, já sabendo que isso não é uma coceira, mas outro habito nervoso meu.
Ele coloca suas mãos em meus ombros, olhando bem nos meus olhos quando ele diz — Meus sentimentos por você não são condicionais. Eu não julgo você. Eu não perco a paciência com você. Eu não puno você. Eu apenas amo você, isso é tudo! Puro e simples! — Seus olhos buscam meu rosto, seu olhar tão quente, tão amoroso, claramente defendendo a promessa em suas palavras — Você não tem razão para esconder qualquer coisa de mim Ever, entendeu? Eu não irei a nenhum lugar. Eu irei estar sempre aqui para você, e se você precisar de qualquer coisa, se encontrar em um beco sem saída, ou sobre sua cabeça, tudo que você tem que fazer é pedir e eu irei estar ali para socorrer você!
Eu aceno incapaz de falar, eu estou tão miserável por minha incrivelmente boa sorte, me sentindo tão incrivelmente sortuda por ser amada por alguém como ele, que pensei que não era merecedora disso.
— Então você vai cuidar de seu amigo, e eu vou cuidar das gêmeas e nós iremos nos encontrar amanhã ok?
Eu me inclino para beijá-lo, rapidamente, cautelosa de largar sua mão já que iríamos a direções diferentes, fechando meus olhos por tempo suficiente para vislumbrar o portal atrás de mim, aquele dourado véu que irá me conduzir de volta para casa.
Eu paro na porta de Jude, levando um tempo para bater umas poucas vezes, dando tempo suficiente para ele responder antes de desistir e entrar sem ser convidada, procurando em cada último quarto de sua pequena casa de praia, incluindo a garagem e o jardim antes de olhar diretamente para a loja. Mas no meu caminho eu passo por Roman e tudo que eu levo é um olhar para a janela em exposição, um olhar para a assinatura no alto, lendo-se: RENASCIMENTO... Um olhar para abrir à porta a frente que leva diretamente para ele, e apenas assim a mágica de Summerland vai embora e este estranho pulso invasor, retoma novamente.
Eu vou em frente, convocando toda última gota de minha força para superá-lo, mas minhas pernas estão tão pesadas, relutante em colaborar, e minha rápida respiração entrando muito superficial e saindo muito rapidamente.
Eu estou enraizada, incapaz de fugir, superada por esta horrível necessidade de encontrá-lo, de vê-lo, de estar com ele. Este terrível invasor assumindo como se a minha noite de encantamento nunca tivesse ocorrido. Como se eu nunca estivesse em paz.
A fera acordou agora, exigindo ser alimentada e apesar dos meus melhores esforços para sair disso antes que seja tarde, antes que seja tarde demais. Ele está vindo me encontrar — Bem, imaginei encontrar você aqui.
Roman se inclina no vão da porta, todo o cabelo dourado e brilhantes dentes, seus olhos azuis fixados diretamente em mim — Você está olhando irritada, está tudo bem?
Seu artificial sotaque britânico fazendo sua voz levantar de uma forma que normalmente me irrita, mas agora... Agora tão sedutora, trazendo aquele estranho... Estranho pulso contra mim.
Ele ri, jogando a cabeça para trás de um jeito que claramente mostra a tatuagem de Ouroboros em seu pescoço, a serpente em espiral, enrolando, seus olhos redondos buscando a mim, com a língua magra acenando para me aproximar.
E apesar de tudo o que eu sei sobre o bem e o mal, o certo e o errado, imortais e perversos, eu dou um passo a frente, dando um pequeno passo em direção a derrota, que é rapidamente seguido de outro, e outro, meu olhar fixo em Roman, maravilhoso, glorioso Roman. Ele é tudo o que eu posso ver, tudo que eu preciso! Somente vagamente consciente de um pequeno pedaço de mim, ainda lá em algum lugar, esforçando-se, gritando, exigindo ser ouvido, mas isso não consegue competir, e não é muito antes de ser silenciado por um único-concentrado pulso agora residindo dentro de mim, sua vista em somente uma coisa.
Seu nome preenche meus lábios, enquanto eu estou ali diante dele, tão próxima que posso dizer sobre cada mancha em seus olhos, e sentir o agradável frio que emana de sua pele. O mesmo frio que eu uma vez detestei, repudiei, mas não mais! Agora ele é bem vindo, me chamando para casa.
— Sempre soube que você iria voltar a si — ele ri, seu olhar devagar, tendo-me enquanto ele enterra seus dedos no emaranhado dos meus cabelos — Bem vinda ao lado negro Ever, eu acho que você irá ser bastante feliz aqui— ele ri, o som disso me envolvendo em um delicioso abraço gelado — Não estou surpreso que você ignorou aquele velho, idiota Damen, figura que você deveria ficar cansada dele eventualmente. Toda a espera, a angústia, a terrível procura da alma, sem mencionar o “se fazendo de santinho”.
Ele balança sua cabeça e faz careta como se o pensamento causa-se dor nele — Eu não sei como você aguentou todo esse tempo. E pelo o que? Eu me pergunto. Por que eu odeio quebrar isso querida, mas não há recompensas futuras quando seu futuro certamente esta aqui — ele bate seu pé no chão — Um desperdício sangrento de tempo, na verdade, sem utilizar a atrasada gratificação quanto um tipo instantaneamente funciona melhor. Há prazeres que você terá Ever, prazeres de uma magnitude que você não pode começar a entender. Mas para sua sorte, eu sou do tipo que perdoa, eu estou mais do que disposto a servir como seu guia! Então me diga, por onde nós deveríamos começar, querida? Sua casa ou a minha?
Seus dedos trilham pelo meu rosto, meu ombro, trabalhando a seu modo abaixando até frouxa gola do meu vestido. E mesmo que a sensação gelada, estimulante, no sentido forte da palavra, eu não posso deixar de me inclinar para isso, não posso deixar de fechar meus olhos e mergulhar na sensação disso, instigada por ele a ir mais longe, explorar ainda mais, preparada para ir aonde quer que ele me leve.
— Ever, é você? Você está brincando comigo?
Abro meus olhos para encontrar Haven em pé atrás de nós, seus olhos estreitados, brilhando com raiva enquanto eles disparam entre Roman e eu. Não deixando passar nada quando ele ri e me empurra para longe, descartando-me rapidamente e facilmente como se isso não significasse nada para ele.
— Disse-lhe que ela iria voltar, querida — seu olhar atravessa meu trêmulo, suado corpo, superado por um desejo não correspondido, dói vê-lo deslizar os braços em torno dela. Os dois virando as costas para mim, dirigindo-se para dentro enquanto ele diz — Você conhece a Ever, ela apenas não pode ficar longe.

2 comentários:

  1. Pelos Deuses o que foi isso?!
    Ass: Bina.

    ResponderExcluir
  2. "Eu aceno. Esse é o primeiro sono decente que eu dormi desde... bem, desde que você sabe quem começou a invadir meus sonhos"

    Voce sabe Quem ? So eu que lembrei de Valdemort ?

    By:Fabby Santtos

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!