7 de novembro de 2015

Capítulo 2 - É por não ter pedido que eu gostaria de recompensá-la, formidável Deusa...


Nyx vestiu-se cuidadosamente para a sua visita à Mãe Terra, levando a pequena deidade skeeaed, a mais semelhante aos Deuses das criaturas criadas a partir dos fios de Energia Divina que circularam sem descanso na atmosfera do Outromundo, para tomar um cuidado especial com o drapeado de seu vestido prata.
— Obrigada por escolher cor tão perfeita, L’ota! — ela disse à skeeaed enquanto seu corpo sinuoso circulava a Deusa, sussurrando “bonita cor de lua” em sua voz fluída.
Quando uma dríade começou a tecer hera através de seu cabelo longo e escuro, Nyx exclamou com prazer.
— Oh! Esse é um belo toque! A Mãe Terra apreciará tanto!
Apenas os skeeaeds tinham a capacidade de falar, mas a pequena dríade corou em tom de lavanda profundo e vibrou em prazer à gratidão da Deusa.
Em seguida, a Deusa virou a cabeça para o lado e então examinou seu reflexo no espelho de ônix-moldurado.
— Mas a hera está escondida na escuridão do meu cabelo. Eu quero que a Mãe Terra a veja para saber que tenho me enfeitado em respeito a ela!
Com um aceno de mão, Nyx mudou sua aparência, ficando com cabelos loiros tão claros que o verde da hera parecia luminoso.
— Perfeito! — Nyx sorriu em deleite.
Outra deidade, um coblyn que minava joias das cavernas do Outromundo, apareceu. Curvando-se respeitosamente, ele ergueu um colar formado a partir de uma cascata de brilhantes cristais de quartzo.
— Seu presente toca meu coração — disse Nyx, segurando seu grosso cabelo de modo que a criatura pudesse colocar o colar nela. — Espero que toque o coração da Mãe Terra também.
Nyx acariciou os cristais, pensando em como ela desejava desesperadamente companhia.
Ela adorava as deidades, mas eles eram mais espíritos e elementais que carne. Nyx desejava por tanto tempo um verdadeiro companheiro... O toque de outro imortal.
Nyx sentiu a tristeza que irradiava das deidades em resposta a seus pensamentos solitários e ficou instantaneamente arrependida de ter cedido à melancolia.
Ela era a última dos imortais e sabia que as deidades sentiam mais do que apenas o afeto compartilhado entre eles. Como a Mãe Terra, eles temiam que ela seguisse os outros e abandonasse seu voto e deixasse este reino.
— Nunca.
A voz de Nyx era suave, mas ela falou com tom definitivo, acariciando uma skeeaed tanto quanto acariciou o gato selvagem, que agora a seguia em todos os lugares.
— Vocês não tem nada a temer — ela tranquilizou L’ota e o conjunto de deidades. — Eu nunca quebrarei esse juramento ou qualquer outro que eu já tenha feito por toda a eternidade. Agora, por favor, ajudem a colocar o cocar de luar e as estrelas que foi meu presente da Mãe Terra, e não se preocupem mais!
As criaturas dançavam em torno dela, colorindo o ar de felicidade enquanto se alegravam na fidelidade de sua Deusa.
No canto da câmara da Deusa, dentro do mais profundo das sombras, algo tremeu no escuro. Enquanto se encolhia para longe da alegria contagiante das deidades, aquilo deslizou, sem ser visto, para fora do quarto.

* * *

A Mãe Terra estava à espera de Nyx. Ela já tinha tomado forma e estava de pé diante do bosque, respirando profundamente o aroma da prímula perfumada com a qual havia enfeitado seu cabelo. Ela acariciou a pele lisa e curvilínea que havia formado para o seu corpo a partir da mais pura das argilas. Ela chamou o Ar para si, fazendo-o a levitar o vestido diáfano que os adoráveis bichos-da-seda tinham criado para ela. Ela sabia que parecia especialmente sedutora. O sol irradiava em seu bosque do amanhecer ao anoitecer, e agora, fascinante, a lua aparecia.
Mãe Terra estava satisfeita.
A Deusa se manifestou quando a lua, cheia e atenta, estava alta no céu da noite clara.
— Nyx! Você me delicia! Escolheu minha hera para o seu cabelo. Ele complementa o cocar como flores complementam um prado.
A Deusa escolhera usar o rosto de uma menina com o cabelo louro-prateado e pele clara, e as familiares e delicadas tatuagens decoravam seus ombros lisos. Mãe Terra sorriu quando Nyx corou de prazer.
— Obrigada! As deidades ajudaram a adornar-me. Elas são inteligentes e atenciosas, embora raramente falem — Nyx tocou o colar de cristal. — Um coblyn fez isso para mim.
— É tão bonito quanto o seu cocar! Eles devem ser criaturas muito especiais. Estou curiosa para saber mais sobre eles, já que não criei nada como eles. Nyx, você os deixaria sair para me visitar? Eu gostaria de ter a presença das deidades.
— É claro! Tenho certeza de que ficariam encantadas. Você se importaria se elas se deixassem ser vistas por seus filhos? Acho que os tornaria menos solitários, embora eu devo avisá-la, algumas delas podem ser bastante travessos.
— Oh, não se preocupe. Meus filhos humanos poderiam aproveitar um pouco de maldade divina. Às vezes acho que a humanidade tornou-se séria demais. Esquecem-se da magia especial que pode ser encontrada em divertir-se, se comportando mal e rindo — o próprio riso da Mãe Terra fez com que os jacintos fechados no prado ao lado do bosque entrassem em plena floração.
— Essas flores são tão bonitas! As deidades particularmente adoram cores brilhantes. Obrigada, Mãe Terra.
Nyx e Mãe Terra sorriram uma para a outra e a ilha brilhava com alegria refletida.
Durante todo o tempo, a lua assistiu.
— Nyx, você poderia me contar mais sobre as deidades? Eu nunca conheci uma.
— Ah sim! Há tantos tipos delas.
O sorriso de Mãe Terra ficou satisfeito enquanto ela acariciava uma pedra branca que tinha sido saturada pelo luar e chamava musgo para cobri-la.
— Venha, sente-se ao meu lado.
Enquanto Nyx graciosamente acomodou-se, a Mãe Terra gentilmente acenou com a mão através da grama que crescia em tufos ao redor do pedregulho. Instantaneamente, várias plantas saltaram para a vida, produzindo flores brancas em forma de trompete. Agradecendo cada planta, a Mãe Terra puxou delicadamente as flores e ofereceu uma a Nyx.
— Beba lentamente, o néctar é tão delicioso quanto poderoso.
Bebendo do cálice vivo, Nyx começou a descrever os diferentes tipos de deidades para Mãe Terra, que ouvia, atenta e sorridente, até que a lua relutantemente começou a afastar-se.
Onde o horizonte encontra as águas cinza-azuladas que cercavam a ilha, o sol se aproximava, dando cor ao céu.
— Eu não tinha ideia de que era tão tarde. Você tem que me perdoar. Faz muito tempo desde que tive a oportunidade de conversar.
— Deusa amável, eu me diverti muito mais esta noite do que em eras. E tenho uma confissão a fazer: você não é a culpada por toda a demora da nossa conversa. Eu a mantive comigo propositadamente até agora. Quero recompensar sua fidelidade.
Nyx pareceu assustada.
— Mas isso não é necessário. Mãe Terra, permanecerei e cuidarei de seus filhos. Eu lhe dei o meu juramento. Não pedirei uma recompensa por manter minha palavra.
— É por não ter pedido que eu gostaria de recompensá-la. — Parecendo extremamente satisfeita consigo mesma, a Mãe Terra se levantou. Virando-se para o leste, em direção ao sol nascente, ela levantou o rosto para a lua poente.
— Mas o que... — Nyx começou.
A Mãe Terra sorriu carinhosamente por sobre o ombro para a Deusa.
— Este presente não é para mantê-la presa a mim. Confio na sua fidelidade. O que vou criar esta noite é uma mostra de amizade e apreço. Hoje à noite o meu único objetivo é acabar com sua solidão, trazendo-lhe a alegria.
Então, enquanto a jovem Deusa olhava com curiosidade, Mãe Terra levantou os braços.
— Lua, escute-me antes de partir do meu céu. A Mãe Terra vos chama a ti! — Ela deixou cair o queixo para que o seu olhar focado no céu mudasse para a ponta colorida do sol nascendo e continuou: — Sol, ouça-me antes de subir mais alto. A Mãe Terra vos chama a ti!
Por um momento, nada aconteceu, mas a Mãe Terra não se desesperou. Ela jogou para trás seu cabelo perfumado atraindo o Ar para si novamente. O elemento a acariciou, revelando sua beleza exuberante. Ela chamou o Fogo para ela para que ela brilhasse como uma chama viva. Chamou a Água, e de repente o mar que rodeava a ilha se acalmou e formou um espelho líquido, refletindo a beleza da Mãe Terra. Ela chamou o Espírito e fios de energia caíram sobre ela, aumentando a sua já extremamente luminosa forma.
Com confiança, Mãe Terra esperou.
A lua respondeu primeiro, mudando para sempre o destino de Nyx.
Como se uma pedra tivesse perturbado a superfície de um lago adormecido, a lua desapareceu e tremeu e, em seguida, iluminou-se de cinza a prata. Muito acima do bosque, uma voz profunda ecoou do céu.
A lua responde ao chamado da Mãe Terra. Qual é a tua vontade? O vigoroso luar está ansioso para cumprir.
Só então o sol se ergueu acima do horizonte aguado, brilhando com o amarelo e rosa do alvorecer no chão gramado do bosque. À partir das ondas acalmadas, uma voz, igualmente tão profunda e poderosa, falou:
O sol ouve o chamado da Mãe Terra. O que você exige? O poder do sol deve satisfazer os seus desejos.
O sorriso da Mãe Terra era tão promissor e fértil quanto um prado na primavera.
— Vigoroso luar e poder do sol, guardiões gêmeos do meu céu, peço um favor de cada um de vocês.
E o que eu ganho em troca?, Ambas as vozes falaram ao mesmo tempo.
O sorriso de Mãe Terra não escureceu. Ela ergueu o rosto para a lua.
— Para você, vigoroso lugar, dou o domínio sobre meus oceanos. Depois deste dia, a maré seguirá a sua vontade.
Eu aceito seu presente, a voz da lua retumbou, aprofundando com prazer.
A Mãe Terra olhou totalmente no sol nascente.
— Para você, poder do sol, dou o domínio sobre minhas terras setentrionais. Por todo verão, você reinará supremo lá, e nunca se porá.
Eu aceito o seu presente, o sol concordou ansiosamente.
— Vocês tem cada um voto para comigo, assim, são obrigados a cumprir seu dever – que assim seja! — proclamou a Mãe Terra. — Saibam primeiro que o pedido não é para mim, mas para Nyx, a Deusa sempre fiel que manteve o seu juramento e permaneceu, o último dos filhos do Divino.
Houve uma ondulação no ar enquanto a lua transmitia surpresa. Eles se foram? Todos os Deuses e Deusas?
— Todos, menos esta — confirmou a Mãe Terra.
O ar ao redor do bosque foi aquecido com o choque do sol. Mas parece que foi ontem que os Deuses e Deusas brincavam para cima e para baixo.
— Para mim também — a Mãe Terra concordou. Então ela se virou, acenando para a pálida e silenciosa Deusa ao lado dela. Segurando a mão de Nyx, continuou: — Mas para Nyx, conhecida por muitos nomes por meus filhos, esses dias e noites têm sido longos e vazios.
Já fiz meu voto para ajudar, eu estaria disposto a recompensar esta Deusa solitária e encantadora, disse o luar.
O sorriso de Nyx estava cheio de uma timidez encantadora.
— Obrigada, poderosa lua. Há muito que apreciava o seu rosto sempre em mutação e sua luz prata pura.
Eu, também, tenho o prazer de ajudar alguém tão leal e fiel, disse o sol.
— E obrigada, sol forte. Seu calor do verão trouxe-me incontáveis dias de prazer — falou Nyx, curvando-se para o leste.
— Maravilhoso! Então vamos faremos este sonho acontecer! — exclamou a Mãe Terra.
— Como? Sinto muito, mas não entendo — disse Nyx.
— Diga-me, doce Deusa, se você pudesse ter um companheiro, trazido à vida pelo vigor da lua e pelo poder do sol, como gostaria que este companheiro fosse?
Sem hesitação, Nyx respondeu:
— Ele seria um guerreiro e amante, companheiro e amigo.
— Muito bem, então é isso que você deve ter — a Mãe Terra apertou a mão de Nyx antes de liberá-la e voltar a sua atenção para a lua e o sol.
Ela levantou os braços novamente, e desta vez começou a mover as mãos suave e graciosamente, como se estivesse peneirando fios invisíveis ao seu redor.
— Mais uma vez, uso o que o Divino me concedeu. Poder da Criação, chamo-te diante do céu! Case o poder da lua e do sol, e traga à vida o imortal que será companheiro da minha fiel Deusa!
A voz de Mãe Terra assumiu uma cadência rítmica enquanto falava o feitiço:

Eu sou ela
Tanto amada pelo
Divino
A Criação é o meu dom

Eu sou ela
Bem querida pelo
Divino
Meu chamado da Terra ao céu se erguerá

Eu sou ela
Amada tão bem pelo
Divino

Lua! Sol! Céu! Juntem-se verdadeiramente,
juntem-se rápido – juntem-se!
Criem um guerreiro e amante, companheiro e amigo.
Não deixem minha Deusa sem companhia, solitária no fim!

O céu acima do bosque ganhou vida com correntes de magia antiga brilhante como o Divino – uma interminável energia obrigada a obedecer à ordem da Terra. Aquilo se multiplicou e dividiu, pulsando com a luz da criação tão brilhantemente que mesmo a Mãe Terra e da Deusa Nyx tiveram que proteger seus olhos. Então as correntes foram varridas para cima, até a lua pálida, e subindo, subindo, até o nascer do sol. A lua e o sol brilharam, pulsando com a união tão lindamente que a Mãe Terra pensou que parecia que o céu beijou primeiro a lua, e então o sol.
Houve uma explosão de luz acima e em torno da Mãe Terra e Nyx, e então tudo ficou quieto.
O sol continuou a subir, em silêncio, distante.
A lua desapareceu no céu.
A Mãe Terra tinha apenas começado a franzir a testa e pensava em como penalizaria tanto lua quanto o sol por não cumprirem seus votos quando ouviu surpresa o suspiro de Nyx.
A Mãe Terra moveu seu olhar. Ela estava olhando para cima, esperando um ser a flutuar para baixo do céu. Mas as expectativas dela tinham sido incorretas. Os seres já estavam lá, ajoelhando-se diante Nyx.
Em estado de choque, a Mãe Terra observou como duas criaturas aladas formadas a partir da junção do céu e da lua e do sol levantaram o rosto e olharam com adoração absoluta a sua Deusa.
— Eles têm asas! — exclamou Nyx.
— E há dois deles — a Mãe Terra falou, franzindo a testa em consternação. — Nyx, isto não foi exatamente como eu havia planejado.
— Eu acho que eles são perfeitos! — disse a Deusa.

5 comentários:

  1. Respostas
    1. Né! Se houvesse um só não haveria tantas confusões como sabemos que aconteceu...

      Excluir
  2. kaloma e erebus.. hihi
    lanny

    ResponderExcluir
  3. Eu acho que Kalona é o guerreiro e amante e Erebus o companheiro e amigo.

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!