26 de novembro de 2015

Capítulo 12

Elena buscou por sinais do amanhecer através das bordas da cortina da janela do quarto de hotel. Bonnie estava enrolada, cochilando em uma cadeira perto da janela. Elena e Meredith estiveram acordadas por toda a noite , e agora estavam cercadas por impressos da internet de jornais e fotos .
— Já se espalhou para além Fell's Church, — Meredith explicou, apontando para um artigo em um dos papéis. — Não sei se está seguindo as linhas de Poder, ou se está sendo controlado por Shinichi ou se está apenas se deslocando por conta própria , como um parasita...
— Você tentou contatar o Alaric?
Meredith olhou para a figura adormecida de Bonnie. Ela falou baixinho: — Essa é a boa notícia. Estive tentando encontrá-lo por um longo tempo, e finalmente consegui. Ele está chegando em Fell's Church em breve, só tem que fazer mais uma parada em um lugar, primeiro.
Elena respirou fundo.  Mais uma parada é realmente mais importante do que o que está acontecendo na cidade?
— É por isso que não contei a Bonnie que ele estava vindo. Se quer a Matt. Eu sabia que eles não entenderiam. Mas... vou dar-lhe uma pista sobre que tipo de lendas ele está rastreando no Extremo Oriente — Meredith fixou seus olhos negros em Elena.
— Não... é isso, não é não? Kitsune?
— Sim, ele está indo para um lugar muito antigo, onde eles supostamente destruíram a cidade... Assim como em Fell‘s Church. Não há mais ninguém vivendo lá agora. O nome 'Unmei No Shima' significa Ilha da Morte. Talvez ele encontre algo importante sobre espíritos de raposa lá. Ele esta fazendo algum tipo de estudo independente, multicultural com Sabrina Dell. Ela é da idade de Alaric, mas já é uma famosa antropóloga florense.
— E você não está com ciúmes? — Elena disse desajeitadamente. Questões pessoais eram difíceis de falar com Meredith. Perguntar-lhe coisas pessoais sempre a fez se sentir indiscreta.
— Bem — Meredith jogou sua cabeça para trás. — Não é como se estivessemos em um relacionamento sério...
— Mas você nunca contou a ninguém sobre tudo isso.
Meredith baixou a cabeça e deu uma olhada rápida em Elena. — Eu contei agora, — ela afirmou.
Por um momento, as meninas se sentaram juntas em silêncio. Então Elena disse baixinho, — O Shi No Shi, kitsune, Isobel Saitou, Alaric e a sua Ilha da Morte - eles podem não ter nada a ver uns com os outros. Mas se tiverem algo, eu estou certa de que vamos descobrir o que é.
— E eu vou ajudar, — disse Meredith simplesmente. — Mas pensei que depois que me formasse...
Elena não aguentava mais. — Meredith, lhe prometo, que logo que resgatarmos Stefan e a cidade se acalmar, vamos fazer Planos de A a Z até você prender Alaric — ela disse. Inclinou-se e beijou a bochecha de Meredith. — É um juramento de irmandade velociraptor, ok?
Meredith piscou duas vezes, engoliu o nó na garganta, e sussurrou, — Okay — E então, abruptamente, ela estava no controle de sí novamente. — Obrigada — disse.  Mas limpar a cidade não vai ser um trabalho tão fácil. O caos em massa se propagou por lá...
— E Matt queria estar no meio de tudo isso? Sozinho?  Elena perguntou.
— Como dissemos, ele e a Sra. Flowers formam uma equipe sólida — disse Meredith silenciosamente. — Foi isso que ele escolheu.
— Bem, — Elena disse secamente, — ele pode vir a ter o melhor negócio no final, depois de tudo.
Elas voltaram para os papéis espalhados. Meredith pegou várias fotos de santuários de Kitsune no Japão.
— Diz que eles são geralmente representados com uma 'jóia' ou uma chave. — Ela ergueu uma imagem de um kitsune segurando uma chave em sua boca na porta principal do Santuário de Fushimi.
— Aha, — disse Elena. — Parece que a chave tem duas asas, não é?
— Exatamente o que Bonnie e eu pensamos. E as 'jóias'... bem, olhe mais de perto — Elena olhou e seu estômago se contraiu. — Sim , era como o globo da neve que Shinichi havia usado para criar as armadilhas inquebraveis no Antigo Bosque.
— Descobrimos que eles são chamados hoshi no tama, — disse Meredith. — E isso se traduz em 'Bolas Estrela'. Cada kitsune coloca uma quantidade de seu poder em cada uma delas, juntamente com outras coisas, e destruir as bolas é a única forma de matá-los. Se você encontrar a Bola Estrela de um kitsune, você pode controlá-lo. É isso que Bonnie e eu pretendemos fazer.
— Mas como vão encontrar isso? — Elena perguntou, excitada com a ideia de controlar Shinichi e Misao.
— Sa...  Meredith disse, pronunciando a palavra — sah — como um suspiro. Então ela deu um dos seus raros sorrisos radiantes. — Em japonês, isso significa, 'Eu me pergunto; humm; não gostaria de comentar; Meu Deus, Meu Deus, eu realmente não poderia dizer.' Nós poderíamos usar uma palavra como essa em Inglês.
Apesar de si mesma, Elena riu.
— Mas, outras histórias dizem que kitsune pode ser morto pelo Pecado Do Arrependimento ou por armas abençoadas. Não sei o que é Pecado do Arrependimento, mas... — Ela remexeu em sua bagagem, e pegou um antiquado, mas útil revólver para o futuro.
— Meredith!
— Era do meu avô uma de um par. Matt está com o outro. Eles estão carregados com balas abençoadas por um padre.
— Mas que padre no mundo benzeria balas, pelo amor de Deus?  Elena exigiu.
O sorriso de Meredith se tornou sarcástico. — Aquele que percebe o que está acontecendo em Fell‘s Church. Você se lembra de como Caroline fez com que Isobel Saitou fosse possuída, e o que ela fez a sí mesma?
Elena assentiu. — Eu me lembro — ela disse.
— Bem, você se lembra de que contamos que Obaasan Avó Saitou tinha pertencido a um Santuário de Virgens? É uma sacerdotisa japonesa. Ela abençoou as balas para nós, tudo bem, especificamente para matar kitsunes. Você devia ter visto como o ritual foi assustador. Bonnie quase desmaiou de novo.
— Você sabe como Isobel está agora?
Meredith balançou sua cabeça escura lentamente. — Melhor, mas... Não acho que ela saiba sobre Jim ainda. Isso vai ser muito duro para ela — Elena tentou se impedir de tremer. Não havia nada além de tragédia na vida de Isobel, bem quando ela estava bem. Jim Bryce, seu namorado, tinha apenas passado uma noite com Caroline, mas agora ele tinha Síndrome de Lesch-Nye ou seja lá o que os médicos dizem. Na mesma terrível noite em que Isobel tinha se perfurado em toda parte, e cortado a sua língua como se ela tivesse sido bifurcada, Jim, um lindo jogador de basquete tinha comido seus próprios dedos e lábios. Na opinião de Elena, ambos estavam possuídos, e seus ferimentos eram mais uma razão para que os gêmeos kitsune sejam detidos.
— Nós vamos detê-los — Elena disse em voz alta, Meredith segurando ambas suas mãos pela primeira vez, como se Elena fosse Bonnie. Elena fingiu desmaiar, mas deu um sorriso determinado para Meredith. — Vamos resgatar Stefan, e deteremos Shinichi e Misao. Temos que conseguir — Agora foi Meredith quem concordou.
— Há mais — finalmente disse.  Você quer ouvir?
— Eu preciso saber de tudo.
— Bem, todas as fontes eu verifiquei concordam que a kitsune possui as meninas e, então, guia os meninos para a destruição. Que tipo de destruição, depende da forma como você vê. Pode ser simples como alguma coisa obscura que o guia a um pantano ou a pular de um penhasco, ou algo mais dificil, como a metamorfose.
— Oh sim— Elena disse com firmeza. — Eu entendi isso desde o que aconteceu com você e Bonnie. Eles podem parecer exatamente como uma pessoa.
— Sim, mas sempre com alguma pequena falha, se você tiver a inteligência para perceber isso. Eles nunca podem fazer uma replica perfeita. Mas podem ter até nove caudas, e quanto mais caudas eles têm, melhores em tudo eles são.
— Nove? Fantástico. Nunca vimos um com nove caudas.
— Bem, nós temos o que apreender, ainda. Eles supostamente são capazes de cruzar um mundo para o outro livremente. Ah sim, e são especificamente responsáveis pelo Portal 'Kimon' entre as dimensões. Quer adivinhar a tradução disso?
Elena a encarava. — Oh não...
— Ah sim.
— Mas por que Damon está nos fazendo cruzar o país apenas para chegar ao Portal do Demônio que é controlado pelo espírito de raposa?
— Sa... Mas quando Matt nos disse que você estava indo para algum lugar perto de Sedona, foi o que fez Bonnie e eu nos decidirmos.
— Ótimo. — Elena passou as mãos pelos cabelos e suspirou. — Mais alguma coisa?  Ela perguntou, sentindo-se como um elástico que estava esticado ao máximo.
— Só isso, o que deveria realmente fazer você esquentar seus miolos depois de tudo o que pensamos. Alguns deles são bons. Kitsunes, eu quero dizer.
— Alguns deles são bons, bons como? Bons lutadores? Bons assassinos? Bons mentirosos?
— Não, verdade, Elena. Alguns deles supostamente são como deuses e deusas quem testam você, e se você passar no teste eles te recompensam.
— Você acha que devemos contar em encontrar com um desses?
— Não de verdade. — Elena deixou cair sua cabeça para mesa do café, onde os impressos de Meredith estavam espalhados.
 Meredith, sinceramente, como vamos lidar com eles após chegarmos ao Portal do Demônio? Meu Poder é tão confiável quanto uma bateria fraca. E não é só os kitsunes, são todos os diferentes demônios e vampiros, os Antigos, também! O que faremos?
Ela ergueu a cabeça, e olhou profundamente para os olhos da amiga – aqueles olhos escuros que ela nunca tinha sido capaz de dizer de qual cor eram.
Para sua surpresa, Meredith ao invés de parecer calma, engoliu o restante de uma Coca Zero e sorriu.
— Nenhum Plano A, ainda?
— Bem... talvez só uma ideia. Ainda nada concreto. E quanto a você?
— Algumas coisas boas para Planos B e C. Então o que vamos fazer é o que sempre fazemos: tentar o nosso melhor, e cair em cima de nós mesmos, e cometer erros até que você faça algo genial que possa nos salvar.
— Merry Meredith piscou. Elena sabia o porquê. Ela não usava esse diminutivo para Meredith há tantos anos que ela não podia nem se lembrar. Nenhuma das três garotas gostava de apelidos, e muito menos os usavam.
Elena estava séria enquanto sustentava o olhar de Meredith, — Não há nada que eu queira mais além de salvar todos, todos daqueles kitsunes bastardos. Eu daria minha vida por Stefan e todos vocês... Mas dessa vez pode ser que alguém mais tome uma bala.
— Ou uma estacada. Eu sei. Bonnie sabe. Conversamos sobre isso enquanto voávamos até aqui. Mas ainda estamos com você Elena. Você tem que saber disso. Estamos todos com você — Havia apenas um jeito de responder a isso. Elena agarrou as mãos de Meredith. Então ela deixou sua respiração sair, e, como uma dor no dente, tentou obter informações sobre um assunto delicado.
 Como Matt – ele – como estava quando você o deixou?
Meredith olhou para outra direção. Não muito incomum para Meredith. — Ele parecia bem, porém... distraído. Ficava encarando o nada, e não te ouvia quando conversava com ele.
— Ele lhe contou o porquê de partir?
— Bem... mais ou menos. Disse que Damon estava te hipnotizando e que você não estava – não estava fazendo tudo o que podia para impedi-lo. Mas ele é um garoto, e garotos tem ciúmes...
— Não, ele estava certo sobre o que viu. É só que eu - conheço Damon um pouco melhor. E Matt não gosta disso.
— Uh-hum — Meredith a observava com as pálpebras entreabertas, respirando fracamente, como se Elena fosse um passarinho que voaria para longe se fosse perturbado.
Elena riu. — Não é nada ruim — disse.  Pelo menos não penso assim. É só que... de certa forma, Damon precisa de mais ajuda do que Stefan quando chegou a Fell‘s Church.
Os olhos castanhos de Meredith se arregalaram, mas tudo o que ela disse foi, — Uh-hum.
— E... eu acho que Damon se parece muito mais com Stefan do que ele deixa transparecer.
Os olhos de Meredith estavam atentos. Elena finalmente olhou para ela.
Elena começou a falar uma ou duas vezes, mas por fim apenas encarou Meredith. — Eu estou enrascada, não é? — disse desamparada.
— Se isso tudo aconteceu apenas andando de carro com ele por uma semana... então sim. Mas não podemos esquecer que mulheres são a especialidade de Damon. E ele pensa que está apaixonado por você.
— Não, ele realmente está  Elena começou, mas mordeu seu lábio inferior. — Oh Deus, é sobre Damon que estamos falando. Estou mesmo enrascada.
— Vamos apenas ver o que acontece — Meredith disse, sensatamente.  Ele definitivamente mudou, também. Antes, ele teria dito que seus amigos não poderiam vir e pronto. Hoje, ele ficou por perto, e escutou.
— Sim. Eu só tenho que ficar em guarda agora — Elena disse um pouco instável. Como ela ia poder ajudar a criança do interior de Damon, se não puder chegar perto dele? E como poderia explicar essa necessidade para Stefan?
— Provavelmente vai dar tudo certo— murmurou Bonnie sonolenta. Meredith e Elena se viraram para olhar para ela e Elena sentiu um arrepio lhe subir pela espinha. Bonnie estava sentada meio recostada, mas seus olhos estavam fechados e sua voz era indistinta.  verdadeira questão é: O que Stefan vai dizer sobre aquela noite no hotel com Damon?
— O que?  A voz de Elena estava alta e aguda o suficiente para acordar qualquer dorminhoco. Mas Bonnie não se moveu.
— O que aconteceu em que noite e em que hotel?  Meredith exigiu. Elena não a respondeu imediatamente, ela agarrou o braço de Elena, e a virou de modo que ficassem cara a cara.
Ela finalmente olhou para amiga. Mas seus olhos, ela sabia, não expressavam nada.
— Elena, do que ela está falando? O que aconteceu com Damon?
Elena manteve seu rosto perfeitamente sem expressões, e usou uma palavra que tinha aprendido noite passada. — Sa...
— Elena, você está impossível! Você não vai chutar Stefan após resgatá-lo, não é?
— Não, é claro que não — Elena estava magoada. — Stefan e eu ficaremos juntos... para sempre.
— Mas você passou uma noite com Damon, e alguma coisa aconteceu entre vocês.
— Alguma coisa... eu suponho.
— E essa alguma coisa, foi?
Elena sorriu, se desculpando.
— Sa...
— Eu vou arrancar isso dele! Vou colocá-lo na defensiva...
— Você pode fazer um Plano A e um Plano B e tudo mais— Elena disse.  Mas não vai funcionar. Shinichi lhe roubou essa memória. Meredith, eu sinto muito... Você não sabe o quanto lamento. Mas jurei que ninguém saberia disso — Ela olhou para a garota mais alta, e sentiu seus olhos se inundarem de lágrimas. — Você pode, apenas uma vez, deixar isso desse jeito?
Meredith afundou na cadeira.  Elena Gilbert, o mundo é sortudo por existir apenas uma de você. Você é a... — Ela pausou, decidindo se diria ou não as palavras. Então ela disse: — Está na hora de ir para cama. O amanhecer está próximo, e então tem o Portal do Demônio...
— Merry?
— O que é agora?
— Obrigada...

4 comentários:

  1. Como Bonnie sabe o que aconteceu entre Elena e Damon?!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também queria saber, não entendi nada '-'

      Excluir
    2. Ela é uma bruxa, provavelmente nem era ela mesma falando... Minha dúvida mesmo é: o que diabos é "Sa..."?!

      Excluir
    3. ela eh tipo medium ou psica

      Excluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!