18 de outubro de 2015

Trinta - Uma maçã por dia vai acabar matando você

ACRESCENTEM À MINHA lista de Atividades Menos Favoritas: surfar em águias.
A ave idiota não devia ter conseguido sair voando arrastando um garoto quase adulto. Mas foi o que ela fez.
Atrás de mim, Blitz e Sam gritaram coisas úteis como “Ei! Pare!” enquanto a águia me arrastava por mesas, cadeiras e vasos de planta, depois saía pela porta dupla de vidro e sobrevoava a rua Charles.
Um cara almoçando no décimo andar de um prédio do outro lado da rua cuspiu seu Cheetos quando eu passei. Deixei uma bela pegada na janela dele.
— Me solte! — gritei.
A águia riu enquanto me arrastava por um telhado.
— Tem certeza? Cuidado com a cabeça!
Eu me virei, e por pouco não dei de cara com um ar-condicionado. Bati em uma chaminé de tijolos, usando o peito como aríete. E então, a águia mergulhou pelo outro lado do prédio.
— Então! — disse ela. — Está pronto para negociar aquele favor?
— Com um pombo mutante que rouba falafel? Não, obrigado!
— Você que sabe.
A águia mudou de direção e me jogou em uma saída de emergência. Senti as costelas estalarem, e a dor era como frascos de ácido se quebrando no meu peito. Meu estômago vazio tentou, sem sucesso, vomitar.
Sobrevoamos uma igreja na rua Boylston e depois contornamos a torre da Old North Church. Tive um pensamento confuso sobre Paul Revere e aquela frase clássica das aulas de história: Uma lanterna se for por terra, duas se for pelo mar.
E se você vir um cara sendo arrastado por uma águia gigante, hã, nem sei quantas lanternas isso quer dizer.
Tentei curar as costelas com meu poder, mas não consegui me concentrar. A dor era intensa demais. Eu ficava sendo jogado contra paredes e chutando janelas.
— Tudo o que eu quero — disse a águia — é uma troca de favores. Vou dizer como pegar a espada, mas você tem que pegar uma coisa para mim também. Nada de mais. Só uma maçã. Uma maçãzinha.
— Qual é a pegadinha?
— A pegadinha é que, se você não aceitar... Ah, olhe! Grade contra pombos!
À nossa frente, a beirada de um telhado de hotel era cheia de aço, como uma miniatura de arame farpado das trincheiras na Primeira Guerra Mundial. As pontas estavam lá para impedir que pombos fizessem ninhos, mas também seriam ótimas para destroçar minha barriga.
Fui tomado pelo medo. Não gosto de objetos pontiagudos. Minha barriga ainda estava sensível por causa da morte recente por asfalto derretido.
— Tudo bem! — gritei. — Nada de espetos!
— Diga: Por minha fidelidade, concordo com seus termos.
— Eu nem sei o que isso quer dizer!
— Diga!
— Por minha fidelidade, concordo com seus termos! Maçãs, sim! Espetos, não!
A águia subiu e passou raspando no telhado. As pontas dos meus sapatos roçaram no arame farpado. Voamos em círculo sobre a praça Copley e pousamos no telhado da Biblioteca Pública de Boston.
A espada se soltou das costas da águia. Minhas mãos se desgrudaram, o que foi ótimo, mas agora eu não tinha em que me segurar. Era quase impossível ficar de pé nas telhas de argila vermelhas e curvas. O telhado era perigosamente inclinado. A uns três metros abaixo de mim, estendia-se uma ampla área pavimentada com gostinho de morte.
Eu me agachei para não cair. Com cuidado, embainhei a espada, que voltou à forma de corrente.
— Ai! — exclamei.
Minhas costelas doíam. Meus braços quase tinham sido arrancados. Meu peito parecia ter sido carimbado permanentemente com a forma da parede de tijolos.
À esquerda, a águia se empoleirou no para-raios, com jeito magnânimo junto aos grifos decorativos de bronze ao redor da base.
Eu não sabia que águias tinham expressão, mas aquela estava com uma muito arrogante.
— Estou feliz por você ter sido racional! — disse ela. — Embora, sinceramente, eu tenha adorado nosso tour pela cidade. É bom falar com você a sós.
— Você está me fazendo corar — resmunguei. — Ah, não, espere. É só o sangue espalhado na minha cara.
— Eis a informação de que você precisa — prosseguiu a águia. — Quando sua espada caiu na água, a corrente a carregou rio abaixo. Ela foi reivindicada pela deusa Ran. Muitos tesouros valiosos vão parar na rede dela.
— Ran?
A águia estalou o bico.
— Deusa do mar. Tem uma rede. Preste atenção.
— Onde posso encontrá-la? E, por favor, não responda “no mar”.
— Ela pode estar em qualquer lugar, então você vai ter que chamar sua atenção. Como fazer isso? Conheço um cara. Harald. Ele tem um barco no Fish Pier, faz excursões em alto-mar. Diga que Big Boy mandou você.
— Big Boy.
— É um dos meus muitos nomes. Harald vai saber o que você quer dizer. Convença-o a levar você para pescar na baía de Massachusetts. Se você criar um tumulto por lá, vai atrair a atenção de Ran. Então, poderá negociar. Peça a espada e uma das maçãs de Idun.
— Éden?
— Você é surdo? I-D-U-N. Ela distribui as maçãs da imortalidade que mantêm os deuses jovens e imortais. Ran com certeza tem uma por perto, porque, sério, quando você a vir, vai perceber que ela às vezes se esquece de comê-las. Quando estiver com a maçã, traga-a para mim. Então liberto você da sua promessa.
— Duas perguntas. Você é maluco?
— Não.
— Como pescar na baía vai gerar um tumulto capaz de atrair uma deusa do mar?
— Isso depende do que você vai pescar. Diga para Harald que você precisa da isca especial. Ele vai entender. Se ele protestar, diga que Big Boy insistiu.
— Eu não faço ideia do que isso quer dizer — confessei. — Supondo que eu me encontre com Ran, como devo barganhar com ela?
— Aí já são três perguntas. Além disso, o problema é seu.
— Última pergunta.
— São quatro agora.
— O que me impede de pegar a espada e não trazer sua maçã?
— Ah, você me jurou fidelidade — respondeu a águia. — Sua fidelidade é sua palavra, sua fé, sua honra, sua alma. É um juramento incontestável, principalmente para um einherji. A não ser que você queira entrar em combustão espontânea e acabar preso na escuridão gelada de Helheim...
Mordi o lábio.
— Acho melhor cumprir minha promessa.
— Excelente! — A águia bateu as asas. — Seus amigos estão vindo, é minha deixa para ir embora. Vejo você quando estiver com minha maçã!
A águia levantou voo e desapareceu atrás das paredes de vidro da Hancock Tower, me deixando sozinho para encontrar um jeito de descer do telhado.
Na praça Copley, Blitzen, Hearthstone e Sam estavam correndo no gramado congelado. Sam me viu primeiro; parou na mesma hora e apontou, e eu acenei.
Não consegui ver sua expressão, mas ela abriu os braços como quem diz: Que diabo você está fazendo aí em cima?
Com certa dificuldade, me levantei. Graças ao meu plano de saúde de Valhala, meus ferimentos já estavam começando a cicatrizar, mas eu continuava dolorido e travado. Segui devagar até a beirada do telhado e espiei. O Magnus 1.0 jamais consideraria isso, mas agora imaginei uma série de pulos de três metros (para aquele parapeito da janela, depois para o mastro da bandeira, para o alto daquele poste e então para a escada em frente) e pensei: Tudo bem, tranquilo.
Em questão de segundos, estava seguro no chão. Meus amigos me encontraram na calçada.
— O que foi aquilo? — perguntou Blitzen. — Ele era um gigante?
— Não sei — respondi. — O nome dele é Big Boy e ele gosta de maçãs.
Contei a história toda.
Hearthstone bateu na testa. Você fez um juramento de fidelidade?
— Ah, era isso ou ser perfurado por espetos antipombos, então fiz.
Sam ficou olhando para o céu, talvez torcendo para ver uma águia que pudesse acertar com o machado.
— Isso vai acabar mal. Acordos com gigantes nunca dão certo.
— Pelo menos Magnus descobriu onde a espada está — disse Blitzen. — Além do mais, Ran é uma deusa. Ela vai ficar do nosso lado, certo?
Sam riu com deboche.
— Acho que você não ouviu as mesmas histórias que eu sobre ela. Mas, a essa altura, não temos muita escolha. Vamos procurar Harald.

19 comentários:

  1. Cara ele é muito azarado! Se eu fosse apostar ia ser contra ele,

    ResponderExcluir
  2. Harald ?? Deusa das aguas e um ser dumal..isso ta ficando interessante...

    ResponderExcluir
  3. Atenção prêmio para lerdice:
    1- Percy
    2- Harry
    3- Magnus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Harry fica em primeiro. Percy é lerdo mas é inteligente, já Harry é burro pra caralho.

      Excluir
  4. Sua fidelidade é sua palavra, sua fé, sua honra, sua alma. É um juramento incontestável, principalmente para um einherji. A não ser que você queira entrar em combustão espontânea e acabar preso na escuridão gelada de Helheim... É o

    ResponderExcluir
  5. Jura pela fidelidade parece uma versão mais eficaz do juramento pelo Rio Estige.

    ResponderExcluir
  6. atenção e o premio de azarado do ano é de :

    MAGNUS CHASE !!!!!!!!!!!!!! parabéns azarado!!!!!!!!!!!!!!!!

    ~coruja

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pra q se dar ao trabalho de fazer uma premiaçao? Ele se atrasaria e depois alguém roubaria o prêmio dele...

      Excluir
  7. Karina me responde pq Harry seria lerdo??? Eu não acho ele assim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pq tem coisas que ele demora pra perceber... tipo com a Cho, por exemplo. Mione teve que explicar tudo pra ele...

      Excluir
  8. Estou aqui imaginando, sera que Rick vai falar da vez em que Thor e Loki se vestiram de Mulher para pegar o martelo de volta, sera que vai contar como Loki foi capturado pela propiá armadilha, sera que vai contar como Loki ficou gravido de um cavalo. Ou sera que ele vai deixar estes detalhes sórdidos da mitologia Nordita fora de suas historias?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nope, ele deve deixar de fora.. pra gente pesquisar se quiser

      Excluir
    2. Mas eu ja pesquiso estas coisas :P. gostos do livros do Rick pq ele conseguiu quebrar um paradigma que eu tinha, eu sempre amei mitologia, tudo que aparece nas historias (digo os fatos mitológicos) não são novidade para mi, so que eu tinha um paradigma de que as mitologia, nunca se encaixariam no mundo moderno, por isto nao poderiam ser usadas na literatura. tipo era difícil imaginar tipo, um minotauro andando livremente pelas ruas de uma cidade.

      Excluir
  9. ACRESCENTEM À MINHA lista de Atividades Menos Favoritas: surfar em águias.
    E a minha tbm msm que minha senhora seja a mãe de todos

    ResponderExcluir
  10. Fico imaginando se todos os livros estão no mesmo universo com pode haver desa o mar e poseidon??? ME responde Karina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cada mitologia tem seus deuses, cada um vive no seu canto e tá tudo certo heauehuahuae eles convivem um com o outro... sem interferir

      Excluir
  11. Cada mitologia tem deuses diferentes, cada uma com uma versão do fim do mundo. Queria muito ver todos os personagens do tio Rick juntos, mas tenho medo que para isso seja preciso um super fim do mundo mitológico. Será que ele não é um Oráculo tentando nos avisar de um fim do mundo real através dos livros?!?!?!!!!!!!! Buguei agora.

    ResponderExcluir
  12. Realmente esse Livro inteiro ta narrando cada conto da mitologia nordica só que com o magnus protagonizando o mais engraçado que a maioria dessas situações foi o safado do loki que era o centro de tudo.

    ResponderExcluir
  13. cara nao entendi ele nao quis beber a agua do mímir por motivo de nao querer pagar algum preco pra depois fz um acordo com uma ave ??
    melhor ele ter bebido a agua com gosto de cravo kkkkk

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!