31 de outubro de 2015

Trinta e cinco

― Passei por seu trabalho. — Haven me estuda muito de perto, seu olhar movendo-se de meu cabelo, o cordão de seda negra pendura meu amuleto, apenas visível na base da minha camiseta, antes de voltar para minha cara.
Inclino a cabeça antes de retornar minha atenção a Honor, vendo como ela ri com a Stacia e Craig e o resto dos alunos. A turma que age como se tudo fosse normal – mas não é.
Não para ela. Ela está imersa na magia agora – uma séria estudante da arte, de acordo com Jude. Tudo sem seu consentimento.
― Havia pensado em comermos algo juntas, mas o rapaz atrás do balcão da livraria me disse que você estava ocupada. — Seus olhos me encarando.
Miles está olhando atentamente o celular, as sobrancelhas franzidas, os olhos como dardos fixos entre nσs.
― Perdão? Há um menino quente e ninguém me informa?
Viro-me para eles, finalmente entendendo as palavras de Haven. Ela foi a meu trabalho! Ela sabe onde trabalho! Que mais pode saber?
― Oh, é quente com toda a certeza. — Haven assente, ainda me olhando. ― Muito quente, é obvio, mas aparentemente Ever está determinada a mantê-lo em segredo. Nem sequer sabia que existia até que o vi por mim mesma.
― Como soube onde trabalho? — Pergunto, tentando de dizê-lo de forma casual, indiferente, sem deixá-la saber quão alarmada estou.
― As gêmeas me disseram.
Isto vai de mal a pior.
― Me encontrei com elas na praia. Damen as estava ensinando a surfar.
Sorrio, mas soa falso em minha cara.
― Suponho que isso explica o porquê não nos disse sobre seu novo trabalho — não queria que seus melhores amigos estivessem perto de seu quente companheiro.
Miles me olha, abandonando sua mensagem de texto por uma coisa mais interessante.
— Ele é meu chefe. — Sacudo a cabeça. — E não é que seja um segredo nem nada, simplesmente não tive um oportunidade de mencioná-lo, isso é tudo.
― Sim, porque as nossas conversas na hora do almoço são tão interessantes que você não teve tempo de mencioná-lo. Por favor! Haven revira os olhos. ― Αssim não dá para acreditar.
― Por que não fala dele agora? — Miles se inclina para frente, seus olhos ansiosos, como dardos entre nós.
Mas eu só encolho os ombros, vendo como Haven sorri e baixa seu cupcake, tirando as migalhas da saia negra enquanto diz:
― Imagine um cara bronzeado, para comê-lo com os olhos, corpo ardente, corpo duro como pedra, depravado como um surfista, quente do clã dos quentes tudo o que possa imaginar – é ele.
― De verdade? — Miles abre sua boca, me olhando. ― Como, de verdade?
Suspiro, fazendo pedacinhos com meu sanduíche, como refúgio, enquanto Heaven diz:
― Pode acreditar, as palavras não podem descrever o quão quente é. Os únicos que se aproximam dele em beleza são Damen e Roman, mas, eles são belos de sua maneira. Sendo assim, eles realmente não contam. Que idade tem? — Me olha. ― Parece muito jovem para ser chefe.
― Dezenove. — Encolho os ombros, esperando não falar de trabalho, Jude, ou qualquer outracoisa dessa lista. Esta é exatamente o tipo de coisas das que me advertiu Damen. O tipo de coisas das quais preciso figir. ― Falando de bombons, como está Josh? — Sorrio, fazendo uma mudança de conversa bruscamente e esperando que funcione.
Observando sua aura alargar-se à medida que se concentra em seu bolinho e diz:
― Terminamos no momento em que cismou de me dar uma gatinha. Deveria tê-lo visto, sorrindo como se fosse um dom milagroso. — Revira os olhos e parte sua bolacha pela metade. ― Quero dizer, sério. Como pôde ter sido tão equivocado?
― Ele só queria ser agradável — Miles começa, mas Haven o detém.
― Por favor. — Diz, franzindo o cenho. ― Se realmente entendia o que estava passando, não teria me obrigado a aceitá-lo. Algum gatos adoráveis são realmente meu destino, mas uma vez que envelheçam experimento a máxima quantidade de dor e sofrimento.
Miles revira os olhos enquanto diz:
― Nem sempre tem que ser assim.
Mas ela o corta imediatamente.
― De verdade? Cite uma coisa – uma coisa vivente – que não morre ou te abandona ou ambos? A última vez que te fiz essa pergunta você se engasgou. Então nomeie uma coisa.
Miles sacode sua cabeça, suas mãos para o alto em sinal de rendição, odiando toda confrontação e enfrentamento, perdido antes de que comece.
Haven sorri, satisfeita com nosso fracasso , quando diz:
― Acreditem em mim. A única coisa que fiz foi terminar antes dele. Terminaria cedo ou tarde de qualquer forma.
― Bom — Miles encolhe os ombros, retornando para sua mensagem de texto. ― O que vale é que eu gosto. Pensei que ficavam bem juntos.
― Então saia com ele. — Haven sorri, lançando um pedaço de cupcake para ele.
― Não obrigado. Muito magro e lindo. — Sorri. ― Agora, voltando ao assunto, o chefe de Ever...
Olho em volta de Miles, checando sua aura e vendo que está brincando em grande parte – em sua maior parte.
― Seu nome é Jude. — Suspiro, resignada à conversação e fechando o ciclo outra vez. ― E o que mais que posso dizer é que gosta das garotas que não o correspondem, mas se você quiser tentar... — Fecho a bolsa de meu almoço, com uma maçã sem comer, a bolsa cheia de batatas fritas, um sanduíche despedaçado dentro.
― Talvez devesse convidá-lo para ir a alguma festa — Miles diz. ― Quem sabe, assim posso encarregar-me dele lhe desejar um feliz adeus. — Passa sua mão por seu curto cabelo castanho e ri.
― Sobre isso — Haven diz, seus olhos parcialmente obscurecidos pelos cílios postiços que está usando. ― Minha mãe destruiu a casa – Literalmente a destruiu. Arrancou o tapete, tirou móveis, derrubou as paredes. Por um lado é bom, já assim que assim não tem como meu pai vendê-la, mas também significa que não há maneira de que possamos fazer a festa em minha casa como eu esperava.
― Claro. — Aceno, me encontrando com duas caras impressionadas que me deixam envergonhada. Me dou conta de que suas visitas regulares a minha casa, em nossas sextas-feiras,de noite, de pizza, terminaram no momento em que Damen entrou em minha vida. Mas agora que ele se foi ou ao menos está determinado a permanecer longe por um tempo, seja tempo de começar de novo.
― Está certa de que ao Sabine não se importará? — Miles pergunta, sua voz esperançosa e precavida.
Sacudo minha cabeça.
― Se não se importam de ver Muñoz por lá, tudo bem. — Viro meus olhos.
― Muñoz? Quer dizer o professor de história? — Eles me olham boquiabertos. Meus dois melhores amigos surpresos com os olhos saltados como quando eu soube.
― Eles estão saindo outra vez?
Eu assento, sabendo que por mais que o odeie, que certamente não os posso deter.
Haven empurra sua franja azul longe de sua cara e se inclina para mim.
― Espera, me deixe entender, sua tia Sabine está saindo com o nosso bonito professor de história?
― Quem é bonito só por ser professor agora? — Miles ri, empurrando seu braço.
Mas Haven só encolhe os ombros.
― Por favor. Não aja como se não o tivesse notado. Quero dizer, comparando-o com os professores velhos, especialmente esses que usam lentes e calças cáqui, ele é o mais atraente.
― Por favor não o chame de atraente. — Rio, pensando em mim mesma. ― E só para que saiba, de noite, abandona as lentes e usa um jeans de desenhado.
Haven sorri, levantando-se dos bancos.
― Isso é tudo então. Festa em sua casa. Isso eu tenho que ver.
― Damen irá? — Miles desliza seu celular para seu bolso, me olhando cuidadosamente.
― Hum – não sei – talvez.
Encolho os ombros, apertando meus lábios juntos e arranhando o braço que ferve como se usasse um símbolo que diz: HEY – REPARE-ME BEM!! ESTOU MENTINDO!
― Quero dizer, está muito ocupado estes dias cuidando das gêmeas e tudo isso.
― Foi por isso que faltou à escola toda a semana? — Haven pergunta.
Eu aceno, murmurando algumas coisas sem sentido a respeito de que Damen precisa tomar a lição das gêmeas para seus exames finais, mas meu coração não está com ele, e isso está claro. Vendo-os fazer um gesto de assentimento, mas só para me tranquilizar, seus olhos e auras dizem o contrário, não acreditaram em nenhuma palavra do eu disse.
― Só se assegure de que Jude vá. — Miles diz, a mera menção de seu nome faz dançar meu estômago.
― Sim, necessitaremos dele como reforço se minha entrevista não sair como espero. — Haven sorri.
― Tem uma entrevista? — Miles e eu dizemos, nossas vozes misturadas em um momento curioso.
― Quem? — Pergunto.
Justamente quando Miles diz:
― Isso foi rápido!
Mas Haven só sorri, girando sobre seu ombro enquanto se dirige a classe, cantando:
― Já verá!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!