18 de outubro de 2015

Sessenta e cinco - Odeio essa parte

AS COISAS MAIS estranhas podem salvar sua vida. Como leões. Ou lenços à prova de balas.
Fenrir pulou no meu rosto. Escapei inteligentemente caindo sentado. Um borrão pulou no Lobo e o derrubou.
Dois animais lutaram pelo campo cheio de ossos, em uma movimentação de dentes e garras. Quando se separaram, percebi que Fenrir estava enfrentando uma leoa com um olho inchado.
— Sam! — gritei.
— Pegue a corda. — Ela manteve o olhar grudado no inimigo. — Preciso ter uma conversinha com meu irmão.
O fato de Sam conseguir falar estando em forma de leoa me assustou mais do que ela ter virado uma leoa. Os lábios dela se moviam de uma forma muito humana. Os olhos estavam da mesma cor. A voz também ainda era a mesma.
Os pelos do pescoço de Fenrir ficaram eriçados.
— Então você aceita sua herança de nascimento diante da morte, irmãzinha?
— Eu aceito quem sou — disse ela. — Mas não como você está dizendo. Sou Samirah al-Abbas. Samirah do Leão.
Ela pulou no Lobo. Eles se atacaram, morderam, chutaram e uivaram. Eu já tinha ouvido o termo arranca-rabo, mas nunca havia percebido o quanto isso podia ser horrível. Os dois animais selvagens estavam tentando se destruir. E um desses animais era minha amiga.
Meu primeiro instinto foi partir para a batalha. Mas não daria certo. Freya tinha me dito que matar era o menor dos poderes da espada.
Os filhos de Frey nunca foram guerreiros, dissera o Lobo.
Então, o que eu era?
Blitzen rolou, grunhindo. Hearthstone verificou desesperadamente o pescoço do anão. O lenço estava cintilando. De alguma forma, passou de seda amarela a metal trançado, deixando o pescoço de Blitzen intacto. Era realmente um adereço à prova de balas.
Não pude deixar de sorrir. Blitz estava vivo. Devido ao seu ofício.
Blitz não era um guerreiro. Nem eu. Mas havia outros jeitos de se vencer uma batalha. Peguei o rolo de corda. Parecia neve tecida, impossivelmente macia e fria. Na outra mão, a espada ficou parada.
— O que estamos fazendo? — perguntou Jacques.
— Decidindo coisas.
— Ah, legal. — A espada tremeu, como se estivesse se espreguiçando depois de uma soneca. — E como isso está indo?
— Melhor. — Enfiei a ponta da espada no chão. Jacques não tentou sair voando. — Surt pode pegar você um dia — falei —, mas ele não entende seu poder. Eu entendo agora. Somos uma equipe.
Amarrei a corda Andskoti no punho de Jacques e apertei bem. A batalha pareceu sumir ao meu redor. Parei de pensar em como combater o Lobo. Ele não podia ser morto, pelo menos não agora, não por mim.
Então, me concentrei no calor que sentia sempre que curava alguém: no poder de crescimento e vida, no poder de Frey. As Nornas me disseram nove dias antes: O sol irá para o leste. Aquele lugar era todo noite, inverno e luar prateado. Eu precisava trazer o sol do verão.
O lobo Fenrir sentiu a mudança no ar. Ele atacou Sam e a jogou rolando pelo gramado de ossos. O focinho dele estava todo ensanguentado. A runa de Tyr brilhava feia e preta na testa dele.
— O que você está tramando, Magnus? Nada disso!
O Lobo atacou, mas, antes que pudesse me alcançar, caiu no chão, se retorcendo e uivando de dor. Fui envolvido em luz, a mesma aura dourada de quando curei Sam e Hearthstone em Jötunheim. Não era quente como os fogos de Muspellheim. Não era particularmente intensa, mas estava claro que causava dor no Lobo. Ele rosnou e andou, apertando os olhos para mim como se eu tivesse virado um holofote.
— Pare com isso! — uivou. — Você está tentando me matar de irritação?
A leoa Sam se levantou com dificuldade. Estava com um corte horrível no flanco. O rosto parecia ter batido na traseira de um trator.
— Magnus, o que você está fazendo?
— Trazendo o verão.
Os cortes no meu peito se fecharam. Minha força voltou. Meu pai era o deus da luz e do calor. Lobos eram criaturas da escuridão. O poder de Frey podia controlar Fenrir do mesmo jeito que controlava os extremos de fogo e gelo.
Fincado no chão, Jacques zumbiu de satisfação.
— Verão. É, eu me lembro do verão.
Desenrolei Andskoti até se esticar atrás de Jacques como uma linha de pipa. Encarei o Lobo.
— Um velho anão me disse uma vez que os materiais mais poderosos de confecção são paradoxais. Esta corda é feita deles. Mas tenho mais um, o paradoxo final que vai prender você: a Espada do Verão, a arma que não foi feita para ser uma arma, a lâmina que funciona melhor quando está livre.
Desejei que Jacques voasse e confiei que ele faria o resto.
Ele poderia ter cortado as sobras das cordas do Lobo. Poderia ter atravessado o campo de batalha direto para as mãos de Surt, mas não o fez. Passou por debaixo da barriga do Lobo e amarrou a corda Andskoti ao redor das patas dele tão depressa que Fenrir sequer teve tempo de reagir, prendendo-o e derrubando-o.
O uivo do Lobo fez a ilha estremecer.
— Não! Eu não vou...!
A espada girou ao redor do focinho. Jacques deu um nó na corda em uma pirueta aérea e voltou para mim, com a lâmina brilhando de orgulho.
— Como fui, chefe?
— Jacques, você é uma espada incrível.
— Ah, eu sei disso. Mas e o trabalho com as cordas, hein? Aquele ali é um perfeito nó de pescador, e eu nem tenho mãos.
Sam cambaleou na nossa direção.
— Você conseguiu! Você... Ugh.
A leoa se transformou na velha Sam de sempre; muito ferida, o rosto maltratado e o corpo encharcado de sangue. Antes que ela caísse, eu a peguei e arrastei para longe do Lobo. Mesmo amarrado, ele se debateu e espumou. Eu não queria me aproximar mais do que o necessário.
Hearthstone cambaleou atrás de mim, segurando Blitzen. Nós quatro caímos juntos em um tapete de urzes.
— Vivo — falei. — Eu não estava esperando isso.
Nosso momento de triunfo durou mais ou menos... bem, foi um momento mesmo.
Os sons da batalha ficaram mais altos e mais claros ao redor, como se uma cortina tivesse sido arrancada. A magia de proteção de Hearthstone podia ter nos dado proteção adicional contra o Lobo, mas também tinha nos isolado da luta com os gigantes do fogo... e meus amigos einherjar não estavam indo bem.
— Para a valquíria! — gritou T.J. — Vamos!
Ele cambaleou pela crista, enfiando a baioneta em um gigante do fogo e tentando chegar a Gunilla.
Durante todo esse tempo, enquanto cuidávamos do Lobo, a capitã das valquírias deteve Surt. Agora, ela estava no chão, segurando a lança com fraqueza sobre o corpo quando Surt levantou a cimitarra.
Mallory cambaleou, desarmada, distante e ensanguentada demais para ajudar. X estava tentando sair de debaixo de uma pilha de cadáveres de gigantes. Mestiço Gunderson estava sentado, sangrando e sem se mexer, apoiado em uma pedra.
Percebi tudo isso em uma fração de segundo. Com a mesma rapidez, vi que Hearth, Blitz, Sam e eu não chegaríamos a tempo de fazer alguma coisa.
Mesmo assim, peguei a espada e me levantei. Cambaleei na direção de Gunilla. Nossos olhares se encontraram acima do campo, e a última expressão dela foi de resignação e raiva: Faça valer a pena.
O lorde do Fogo fincou a cimitarra.

13 comentários:

  1. Que merda se ela morrer em batalha eu vou ficar com pena (ou ele vai parar no exército d e Odin já que as Valquírias ainda tão vivas)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. quem sabe uma valquíria leva ela pra valha

      ~coruja

      Excluir
  2. Eu to louca ou 9 lobo falou de alguém invisível aí? Seja quem for, seria bom se aparecesse. Invisível...não me dê falsas esperanças.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelo que entendi da fala do lobo mau essa pessoa escondida esta do lado dele...

      Ezequiel

      Excluir
  3. Não falou nada de invisível pelo q me lembro

    ResponderExcluir
  4. Pelo q me lembro lobo não falou nada de invisível

    ResponderExcluir
  5. Uma leoa e um lobo...
    Só eu lembrei de GOT?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exceto que em GoT queremos que os lobos ganhem!

      Excluir
  6. Seria muito perfeito se essa psssoa fosse Annabeth *--*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OMFG, e imagina se ela arranjasse um jeito de impedir o golpe final e salvasse a Gunilla? Seria um bom jeito de fazer uma aliança com os nórdicos.

      Excluir
  7. Falou de um ser invisivel sim. Pensei logo na beth com o bonezinho dando uma conferida no primo kkkkk

    ResponderExcluir
  8. "Ah o verão! Nao sei pq eu sempre gostei tanto da ideia do verao. Com sol e coisas quentin

    ResponderExcluir
  9. — Eu aceito quem sou! Sou Samirah al-Abbas. Samirah do Leão. Palmas pra ela, Sam sua linda! Fofa, Samirah virou uma leoa pelo Magnus (literalmente).
    Heartzen *_*
    -Como fui hein chefe?
    BlackJack querido, é vc disfarçado de espada falante?kkkk


    P.s: Gunilla NNÃÃÂOOO!!! Nem pra Annabeth chegar com o boné dos Yankes e impedir isso T_T

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!