30 de outubro de 2015

Quinze

Meu pescoço dói. E o que está ao meu redor parece estranho. E quando eu abro os olhos e olho aos meus arredores. Eu sei por quê. Passei a noite neste quarto. Bem aqui neste sofá de veludo antigo, que foi originalmente planejado para provocações de luzes, flertes provocantes, mas definitivamente não para dormir.
Eu me esforço para ficar, meus músculos apertados, em protesto quando eu me estico em direção ao céu e depois para baixo em direção aos meus pés. E depois de dobrar o tronco de um lado para o outro e girar meu pescoço para lá e para cá, minha cabeça se põe entre as suas cortinas de veludo grosso e as arranca para os lados. Inundando a sala com uma luz tão brilhante em meus olhos molhados e ardentes, mal tendo tempo suficiente para ajustar antes de eu fechá-los novamente. Garanto que as bordas se sobreponham e nenhuma quantidade de luz solar seja permitida a se arrastar, retornando o espaço em seu estado normal de permanente meia-noite, tendo sido advertida por Damen que esses duros raios do sul da Califórnia podem causar estragos no conteúdo desta sala. Damen.
Apenas de pensar sobre ele faz inchar meu coração com muito tal anseio, com tal dor consumindo completamente  a minha cabeça cresce com tontura e balança meu corpo inteiro. E como eu me agarro em um elaborado armário de madeira, agarrando a borda bem detalhada, os meus olhos pesquisam a sala, lembrando-me que não estou tão sozinha como eu penso. Cada lugar que eu olho sua imagem me rodeia. Sua semelhança perfeitamente capturada pelos maiores mestres do mundo, entrelaçados em quadros de qualidade de museu, e montados sobre estas paredes. O Picasso de terno escuro sombrio, o Velásquez sobre o cavalete de criação branco – cada um deles retratando o rosto que eu pensei que eu conhecia tão bem, só agora os olhos parecem distantes e zombeteiros, o queixo levantado e desafiador, e aqueles lábios, aqueles quentes lábios maravilhosos que eu busco tão mal que eu posso prová-los, parecem tão longe, tão afastados, tão irritantemente distantes, como se alertassem para não me aproximar.
Eu fecho meus olhos, determinada a bloquear tudo para fora, com certeza que o meu estado de espírito em pânico está a me influenciar para o pior. Forçando-me a tomar várias respirações profundas, antes de tentar o celular novamente. Sua caixa de mensagem solicitando mais uma rodada de: Ligue-me... Onde você está... O que houve... Você está bem...
Mensagens que eu já deixei inúmeras vezes. Eu deslizo meu celular de volta na minha bolsa e olho em torno do quarto uma última vez, meus olhos evitando cuidadosamente seus retratos garantindo simultaneamente para mim que não há nada que eu perdi. Sem óbvias pistas que eu poderia ter negado o seu desaparecimento, sem pequenas, parecem dicas cada vez mais insignificantes que possam fazer o como e o porquê um pouco mais fáceis de entender.
E quando eu estou satisfeita que eu fiz de tudo o que posso, pego minha bolsa e vou para a cozinha, parando apenas o tempo suficiente para deixar uma pequena nota, repetindo as mesmas palavras que eu disse no telefone. Sabendo que no momento que eu ando até a porta, minha conexão com Damen vai ficar ainda mais tênue do que já está. Eu respiro fundo e fecho meus olhos, imaginando o futuro, que ainda ontem parecia tão certo – o único com Damen e eu, nós dois felizes, juntos, completos. Desejando que fosse possível manifestar tal coisa, já sabendo que no fundo não adianta.
Você não pode manifestar outra pessoa. Ou pelo menos não por muito tempo.
Então eu mudo minha atenção para algo que eu possa criar.
Retratando a mais perfeita tulipa vermelha – as suas pétalas macias e fluindo longamente o símbolo ideal para o nosso amor eterno. E quando eu sinto que tomo a forma em minha mão, eu volto para a cozinha, rasgo a nota, e em vez disso deixo a tulipa no balcão.

11 comentários:

  1. Anuncio: Procurasse, garoto sexy e lindão! Se alguém o ver por ai, cuidado por que ele já tem dona! kkkkkkk Onde o nosso Damen se meteu!
    Ass: Bina.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jah ta me preucupando esse sumico eu vou estrangular ele quando volta kkkk

      Excluir
  2. Fernanda Boaventura10 de novembro de 2015 12:35

    kkkkk
    Daaameeeen Cadê você?!

    ResponderExcluir
  3. desconfiaaadaaa com romam

    ResponderExcluir
  4. APARECE LOGO, DESGRAÇA!!! Foi mal, Damen, mas isso tá me dando nos nervos!!!

    ResponderExcluir
  5. só acho que.... ele podia ser mais gentil... e aparecer logo.. afff

    ResponderExcluir
  6. ja ta me dando nos nervos , que suspense

    ResponderExcluir
  7. O Roman é bastante suspeito!!! Tem treta aí!!!! Concordam comigo?

    ResponderExcluir
  8. To surtando...q coisa capitulo quinze desde as cinco da tarde..

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!