8 de outubro de 2015

Prólogo - Zoey

Acho que minha mãe está morta.
Testei as palavras na minha mente. Elas pareceram erradas, estranhas, como se eu estivesse tentando compreender o mundo virado de cabeça para baixo ou como se o sol estivesse nascendo no oeste.
Dei um suspiro profundo e soluçante e virei de lado para pegar outro lenço de papel na caixa que estava no chão ao lado da cama.
Stark resmungou, franziu a testa e se remexeu inquieto.
Devagar e cuidadosamente, saí da cama, peguei o enorme blusão de Stark no lugar onde ele o havia jogado, vesti-o e me encolhi no pufe que ficava perto da parede do nosso pequeno quarto nos túneis.
O pufe fez aquele barulho de piscina de bolinhas de festa de criança, e Stark franziu a testa e murmurou algo novamente. Eu assoei o nariz em silêncio. Pare de chorar, pare de chorar, pare de chorar! Isso não vai ajudar. Isso não vai trazer mamãe de volta. Pisquei algumas vezes e limpei meu nariz outra vez.
Talvez tenha sido só um sonho. Mas, no momento em que pensei nisso, meu coração já sabia a verdade. Nyx tinha me desviado dos meus sonhos para me mostrar uma visão de mamãe entrando no Outromundo. Isso significa que mamãe tinha morrido. Mamãe disse a Nyx que sentia muito por me decepcionar, lembrei a mim mesma, enquanto lágrimas escorriam pelas minhas bochechas de novo.
 Ela disse que me amava suspirei.
Eu quase não tinha feito nenhum barulho, mas Stark se agitou todo inquieto e murmurou:
Pare!
Fechei meus lábios, apesar de saber que não era o meu suspiro que estava atrapalhando o sono dele. Stark era meu guerreiro, meu Guardião e meu namorado. Não, namorado é uma palavra simples demais. Existe uma ligação entre mim e Stark mais profunda do que namoro, sexo e todas as coisas que fazem parte de relacionamentos normais. Era por isso que ele estava tão inquieto. Ele podia sentir minha tristeza – até nos seus sonhos, ele sabia que eu estava chorando, magoada, com medo e...
Stark tirou o cobertor de cima do seu peito e eu percebi que seu punho estava cerrado. Olhei atentamente para o rosto dele. Ele ainda estava dormindo, mas sua testa estava franzida e cheia de rugas.
Fechei os olhos e inspirei para me equilibrar.
Espírito — sussurrei Por favor, venha a mim instantaneamente, senti o elemento roçar minha pele. Ajude-me. Não, na verdade, ajude Stark, protegendo-o da minha tristeza e se possível, acrescentei mentalmente,  me proteja da minha própria tristeza também. Mesmo que seja só por um tempinho.
Inspirei profundamente outra vez, enquanto o espírito se movia dentro e em volta de mim, girando sobre a cama. Ao abrir os olhos, consegui ver uma agitação no ar envolvendo Stark. Sua pele parecia brilhar enquanto o elemento se acomodava sobre ele como braços, e percebi o mesmo brilho suave repousando sobra a minha pele. Stark soltou um longo suspiro junto comigo enquanto o espírito operava uma magia reconfortante, e pela primeira vez em horas senti uma pequena parte da minha tristeza ir embora.
Obrigada, espírito sussurrei e cruzei meus braços, abraçando-me com força.
Envolvida pelo toque suave do elemento ao qual eu me sentia mais próxima, senti-me um pouco sonolenta. Foi então que um tipo diferente de calor penetrou em minha consciência. Devagar, sem querer perturbar o feitiço de conforto que o elemento estava fazendo, soltei meus braços e toquei meu peito.
Porque a minha pedra vidente estava quente? A pequena e redonda pedra estava pendurada na minha corrente de prata, pousada entre os meus seios. Eu não a havia tirado desde que Sgiach me presenteara com ela antes de eu partir da linda e mágica Ilha Skye.
Pensativamente, tirei a pedra de baixo do blusão, correndo meus dedos por sua superfície lisa de mármore. Ela ainda me lembrava uma pastilha de Life Safer de coco, mas o mármore de Skye cintilava com uma luz sobrenatural, como se o elemento que eu invocara tivesse feito a pedra ganhar vida – como se o calor que eu sentia fosse porque ela pulsava com vida própria.
A voz da rainha Sgiach ecoou na minha memória: Uma pedra vidente está em sintonia apenas com a mais antiga das magias: o tipo que projeto em minha ilha. Eu a estou presenteando com uma pedra vidente para que você possa, de fato, reconhecer a Antiga Magia, se ela ainda existir no mundo exterior.
Enquanto essas palavras se repetiam na minha mente, a pedra se virou devagar, quase preguiçosamente. O buraco no seu centro parecia um minitelescópio. Quando ela se virou, eu pude ver Stark iluminado através do buraco, e meu mundo se alterou também, estreitando-se, e então tudo mudou.
Talvez porque o espírito estivesse tão perto de mim naquele momento, o que eu vi não foi nada parecido com a alucinante primeira vez em que eu havia olhado através da pedra em Skye, e acabara desmaiando.
Mas isso não significa que tenha sido nem um pouco menos perturbador.
Stark estava lá, deitado de costas, com a maior parte do seu peito nu. O brilho do espírito tinha desaparecido. No seu lugar, vi outra imagem.
Era mal definida, no entanto, e eu não consegui perceber suas feições. Era como a sombra de alguém. O braço de Stark se contraiu e sua espada de Guardião – a enorme e longa espada que tinha vindo até Stark no Outromundo – tomou forma na mão de Stark. Eu arfei surpresa, e o guerreiro-fantasma virou sua cabeça na minha direção e fechou sua mão em volta da espada.
No mesmo instante, a espada se alterou e se transformou em uma longa lança negra – perigosa, letal e manchada de sangue, ela parecia familiar demais para mim. Pontadas de medo me atravessaram.
Não! gritei. Espírito fortaleça Stark! Faça essa coisa ir embora!
Com um barulho parecido com o bater de asas de um pássaro gigante, o espectro desapareceu, a pedra vidente ficou fria e Stark se sentou franzindo a testa para mim.
O que você está fazendo aí? ele esfregou seus olhos. Por que você está fazendo tanto barulho?
Abri minha boca para tentar explicar a coisa bizarra que eu tinha acabado de ver, quando ele deu um suspiro profundo e se deitou de novo, abrindo as cobertas e me chamando sonolentamente.
Vem aqui. Eu não consigo dormir se você não estiver de conchinha comigo. E eu realmente preciso dormir um pouco.
Eu também eu disse. E, com as pernas bambas, fui rápido em direção a ele e me encostei a seu lado, com a cabeça sobre seu ombro.
Ei, ahn, acabou de acontecer uma coisa estranha... comecei, mas, quando eu levantei a cabeça para olhar nos olhos dele, os lábios de Stark encontraram os meus. A surpresa não durou muito, e aos poucos eu comecei a beijá-lo também. Era bom, tão bom estar perto dele. Seus braços me envolveram. Pressionei meu corpo contra o dele, enquanto seus lábios seguiam a curva do meu pescoço. Pensei que você tinha dito que precisava dormi minha voz soou ofegante.
Eu preciso mais de você ele respondeu.
É, eu também eu disse.
Então, nos entregamos um ao outro. O toque de Stark afugentou a morte, o desespero e o medo. Juntos, Lembramos um ao outro sobre a vida, o amor e a felicidade. Depois de tudo, finalmente dormimos, e a pedra vidente repousou fria e esquecida sobre os meus seios entre nós dois.

Um comentário:

  1. essa nao agora lascou geral !!!!!!!!

    ass: aninha

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!