3 de novembro de 2015

Fanfic: Vida de princesa



Resumo:
Vick é uma princesa de 17 anos cansada de sua vida cheia de etiqueta e elegância. Quando completa 18 anos, ela tem a chance de dar um tempo da sua vida "cor de rosa", para enfim ser uma garota normal.
Em seu baile de aniversário/despedida ela conhece Lyan, um cara lindo com um ótimo senso de humor que torna sua última noite como Princesa inesquecível. O que ela não esperava era reencontrá-lo em Londres. Um laço de amizade surge entre os dois e os torna inseparáveis. Vick acaba se apaixonando por Lyan, mas descobre que sua melhor amiga de Faculdade também está encantada com o rapaz e para " melhorar" as coisas seu Ex-namorado Eric está na cidade para tentar reconquistá-la.
Em meio as encrencas, possíveis brigas com o Ex-namorado, laços de amizade inquebráveis e segredos inimagináveis, ela viverá um romance cheio de aventuras.


Categorias: romance, amizade, adolescência, história original
Autora: Brenda Trajano
________________________________________


1


Minha mãe sempre disse que tenho vários talentos. Talentos que aos dezessete todos devem ter, como questionar por exemplo. E de uns tempos para cá, venho questionando bastante certos fatos da minha vida, principalmente o fato de que preciso casar ainda adolescente com um Idiota Real e me tornar rainha. Mas continuando com meus talentos, também sou capaz de fazer uma lista de coisas bestas que existem na Realeza. Como aquela frase que todas as rainhas, pelo menos a minha, dizem para suas filhas mimadas - Não que eu seja uma delas: "Milhares de garotas se matariam para estar no seu lugar...". Pode acreditar quando digo que sei essa frase em cinco línguas diferentes, e devo isso é claro a minha adorável mãe, Rainha Ana.
Agora o que realmente gostaria de saber é se elas, as malucas que dariam a própria vida para ser uma princesa, sobreviveriam um dia confinadas dentro de um Palácio.
Será que pelo menos sabem disso? Será que sabem que minha vida é incrivelmente chata comparada a delas?
Você não deve estar entendendo nada, não é? Vou começar do início: Me chamo Victória Melissa Stheyfield e moro na Nova Geórgia. Minha história não é como todos costumam pensar, não recebi uma carta e dancei em um baile com meu verdadeiro amor, muito menos vivi presa em uma torre esperando a boa vontade de um cara selar seu cavalo e vir me resgatar. Nasci com um título, título que se pudesse mandaria para longe, mas isso não é possível. Então terei de passar meus dias sendo o que sou. Uma princesa.
Mas e se houvesse uma forma de deixar de ser princesa? Pode parecer loucura, já que ninguém nunca fez isso, porém e se eu fosse a primeira?
Ando tentando conversar com minha mãe há semanas, mas algo me impede toda vez que toco, ou pelo menos tento, no assunto. Ás vezes sinto que ela mesma não quer falar sobre isso e como desculpa para encerrar a conversa, me manda para a Sala Principal onde sou obrigada encontrar Prudence, Justine e Olívia, as princesas mais sem noção que já vi na vida!
Não entendo o porquê de elas falarem tanto ou como se quer conseguem fazer isso. Agora mesmo estão fofocando sobre coisas medíocres que não vale a pena repetir. Geralmente quando estou com elas, que para minha infelicidade é quase sempre, faço o meu melhor para ficar surda. Não surda literalmente, mas viajando na maionese, pode se dizer assim. Funciona na maioria das vezes, mas hoje? Não consigo ficar surda!
-Vick, onde Lucyan está? - Pergunta Justine pela milionésima vez.
-Provavelmente reinando no vaso sanitário. - Sua boca se escancara na mesma hora e tento segurar a risada bebendo um gole de refrigerante. Já que não suporto chá.
Não ria, não ria! Se rir, vai ser pega na mentira, falo mentalmente para mim mesma.
Meu irmão mais velho, Lucyan, digamos que consegue chamar a atenção de todos para si. Onde quer que o Príncipe Herdeiro da Nova Geórgia esteja, todos - principalmente as mulheres - estão. Demorei um pouco para entender o que as pessoas vêem nele. Lucyan é muito inteligente e bem humorado, sem descartar o fato de que também é muito bonito e atraente, provavelmente pelo fato de ser dono de um sorriso de tirar o fôlego, intensos olhos azuis e cabelos negros sempre penteados para trás. O único problema de ser aparentemente tão perfeito, é que deixa qualquer princesa ou rainha louca. Meu irmão já recebeu, e ainda recebe, milhares de propostas de casamentos, - até mesmo de mulheres que têm idade para ser sua mãe - mas sempre recusa com seus melhores modos, dizendo que seu momento ainda não chegou.
-Entendo. - Responde constrangida.
Dou um sorriso pouco amigável e aceno positivamente com a cabeça. Imagino que Lucyan me cace até a morte quando descobrir o que falei.
As três continuam suas conversinhas com animação, enquanto me transporto para outra dimensão. Porém quando estou adentrando o meu portão de ouro para entrar em meu mundo imaginário, Olívia me trás de volta a realidade. O Príncipe Herdeiro da América Unida virá para Nova Geórgia à procura de uma futura rainha, e pelo que vejo, a notícia atiçou o fogo de baixo das saias das princesas de todo continente. Espero que a rainha não comente esse "Maravilhoso" acontecimento que estar por vir. Sempre que fala em príncipes, meu nome e casamento acabam surgindo. E se têm algo pior que ficar na companhia das três que estão a minha frente, é ser obrigada a conhecer príncipes metidos a machão querendo pedir minha mão:
-Não vejo a hora de conhecer o Príncipe! Dizem que é um dos mais bonitos atualmente, não esquecendo que possui grandes influências por todo o mundo!
-Já pararam para pensar que a beleza e grandes influências não são o mais importante? Pensei que o amor fosse o principal.
-Você tem cada ideia, Victória. - Comenta Olívia com petulância.
-Ah qual é? Parem um pouco para pensar. - Digo me sentando a beira da poltrona -Nossos antepassados casavam por interesses financeiros e sociais, mas não precisar ser mais assim! Não precisamos casar contra nossa vontade, nem ser obrigadas a fazer algo que não queremos e...
-Por favor, já chega. - Corta-me Prudence -Quem liga para o amor?
Olho para Olívia e a mesma transpira arrogância concordando com Prudence. Corro os olhos para a poltrona do lado aflita buscando o apoio de Justine - Ela é apaixonada pelo meu irmão, certo? É claro que vai concordar comigo. -, mas ela está com a cabeça abaixada fitando os sapatos.
-Como podem pensar assim? - Pergunto incrédula.
Elas voltam para seu chá não ligando para minha pergunta, me fazendo bufar de frustração. Para mim já basta! Peço licença para me retirar, dizendo que preciso por os pensamentos em ordem e me afasto da sala, parando por um pequeno instante na sacada. Como será o futuro de cada uma nos próximos anos? Provavelmente estarão casadas e com filhos, porém completamente infelizes e sem vida. Não quero isso para mim, posso até acabar como uma princesa solteirona, mas infeliz com alguém que não me ama? Nunca!
Volto a minha caminhada até a Escada Central olhando pouco distraída para as paredes pintadas de amarelo claro, abarrotadas de quadros. Assim que chego à escada olho para os degraus que terei de subir um tanto indisposta e começo a tirar os saltos. Malditas máquinas de tortura! Quando então me levanto, percebo um lindo vulto de branco descendo as escadas animadamente, fazendo seus cabelos darem pulinhos e voltarem ao seu penteado original. Se fosse eu, pareceria o demônio em pessoa!
-Aonde vai? - Pergunto sorrindo instantaneamente.
Algo que me admira muito em Lucyan é o incrível dom que possui. Onde quer que esteja, faz até a mais infeliz das pessoas ou a mais cansada se sentir nova em folha, por conta do seu senso de humor contagiante.
-A biblioteca, soube que um novo estoque de livros acaba de chegar.
-Se eu fosse você não iria por ali. Mamãe inventou mais um chá da tarde essa semana. - Lucyan faz uma careta engraçada me fazendo rir.
-Justine está aí?
-Sim e perguntou pelo amor da vida dela.
-Pobre coitado, vai sofrer muito quando se casarem...
-Vá se acostumando com a ideia, você vai ser o marido.
-Hum. Só um momento, vou até a janela me jogar de cabeça...Você está brincando? Prefiro morrer ao invés de passar o resto dos meus dias com ela!
-Já ouviu aquele ditado popular: "Quem desdenha quer comprar?"
-Não no meu caso. Pago o dobro para que fiquem com ela. - Comenta rindo. -Preciso ir agora, vejo você no jantar. - Lucyan me dá uma piscada e saí andando.
-Tudo bem. - Começo a subir as escadas, mas paro ao me lembrar de algo. -Lucyan?
-Sim? - Responde dando a volta.
-Não se esqueça de agradecer as melhoras.
-Mas que melhoras, se eu...?
Finjo que não ouvi sua pergunta e subo correndo para meu quarto. Quando abro a porta me deparo com Vilma, minha ajudante pessoal, dançando ao mesmo tempo em que limpa e arruma minha pequena bagunça diária. Vilma está há anos no Palácio, nunca perguntei sua idade, porém aparenta ter uns sessenta e cinco anos. É baixinha e gordinha com cabelos ruivos sempre bem presos em um penteado elaborado. Chego de mansinho perto de seu rosto e dou um beijo em sua bochecha rosada, fazendo-a dar um salto de susto:
-Vick! Você quer me matar do coração? - Pergunta pondo a mão direita no lado esquerdo do peito.
-Não seja dramática! - Digo rindo.
Antes de trabalhar no Palácio, Vilma foi uma atriz de famoso renome, sempre conhecida por ser uma das mulheres mais dramáticas do seu país, mas agora exerce um papel de avó que na minha opinião é o melhor de todos!
-Como foi seu chá hoje?
-Pior que os outros. - Respondo me jogando de bruços na cama.
-Justine perguntou por seu irmão?
-Umas mil vezes!
-Pobre menino Lucyan, sempre sendo perseguido por mulheres interesseiras ou quando não, é por egocêntricas! - Concordo com a cabeça esfregando o rosto na cocha macia.
-Ah! Quase ia me esquecendo. A Rainha mandou avisá-la que virá antes do jantar para ter uma conversa com você.
-Ela falo sobre o quê? - Levanto a cabeça e olho para Vilma a espera da resposta.
-Não. - Afirma balançando a cabeça. -Apenas disse que gostaria de ter uma conversa com Vossa Alteza.
-Já posso até imaginar que tipo de conversa teremos.
-Por favor, Vick. Tente se controlar dessa vez. Parte meu coração vê-las discutindo.
-Farei o melhor que puder. - Ela sorri agradecida e se retira me deixando a sós com meus pensamentos.
O que será que a rainha gostaria de falar? Que não seja nada sobre o tal Príncipe Herdeiro, tudo menos isso!
°°°°°°°°°°
Pouco tempo depois, Vilma volta para ajudar com meu vestido. Na Realeza muita coisa mudou com o passar dos séculos, até deixou de existir! Mas assim que a Monarquia voltou a controlar o mundo, os costumes foram modificados quase totalmente, quase, excerto a velha tradição, em que todas as mulheres devem usar vestidos apertados e redondos até o chão como um bolo de aniversário. Tive sorte em conseguir me livrar deles nos fins de semana - sorte não é a palavra certa, insistência talvez seja melhor -, podendo escolher qualquer peça confortável e para variar, algo que garotas da minha idade realmente usariam:
-Vilma, acha que a Rainha vai se importar se eu descer sem um vestido?
Uma voz então ecoou no quarto enorme em resposta, mas não era a de Vilma:
-Você sabe que sim.
Conheço muito bem essa voz, era dela que sempre recebi broncas e sermões. Viro-me para minha mãe e sorrio cínica:
-Olá mãe.
-Olá querida. Pode se retirar Vilma, cuidarei bem dela.
Vilma faz uma reverência e me olha com aflição antes de tomar rumo à porta. Volto a minha antiga posição esperando a Rainha se aproximar e começar o trabalho, apertando meu espartilho. Faço todo o esforço do mundo para não gritar e arrancar o mesmo tentando pensar em coisas boas, porém não funciona tão bem quando alguém está espremendo você dentro de uma máquina de tortura número 2. Para meu alívio a Rainha para de apertar e viro-me para enfim conversarmos:
-Vilma disse que a senhora queria falar comigo. - Falo pegando o vestido na cama e metendo o mesmo pela cabeça.
-Sim. Bom, como você já deve saber na verdade, o Príncipe Herdeiro da América Unida está vindo.
Não! Por favor, não!
-Não que eu me lembre. - Minto.
-Willyan estará completando vinte e um anos logo e está à procura de uma princesa para desposar.
-Bom para ele. - Comento seca.
-Victória!
-Mas o que eu disse? - A Rainha me lança um olhar de repreensão e dou de ombros indo pegar meus tênis favoritos.
-As Rainhas estão completamente eufóricas, igualmente as princesas, com a chegada do Príncipe e já começaram os preparativos para grandes bailes de boas vindas. Onde irão apresentar suas filhas para que então ele escolha uma delas.
-E é claro que não estou incluída na lista de solteiras disponível. Você não está planejando um baile de boas vindas, não é?
-Claro que não. Seria uma perca de tempo planejar um a essa altura - Ainda bem que ela pensa assim. - Ele já foi convidado para seu baile de aniversário.
-Ele o quê?! - Dou um salto da cama e urgentemente procuro algo para socar.
-É uma ótima oportunidade. Pense bem, se Willyan se interessar por você pedirá sua mão em seu baile de dezoito anos, na frente de todos!
-Mas eu não quero me casar! - Berro.
-Não seja tola, Vick. Um dia isso terá de acontecer.
-Esse dia não vai chegar tão cedo! Esse Príncipe não virá!
-Claro que virá, e o assunto está encerrado.
-Você não pode me obrigar a casar, muito menos sair convidado as pessoas para a MINHA festa.
-Sou a Rainha, posso tudo.
-Sinto lhe informar que não pode mandar na minha vida! - Falo por fim e caminho até a porta pisando duro, não me importando que ela esteja me chamando.
Como assim Willyan virá? Como foi convidado para meu baile? Céus! Eu nem o conheço, como me casarei?
Tento me acalmar pensando na possibilidade de ele se interessar por outra princesa antes de me conhecer. Mas e se Willyan não se interessar? E se eu for obrigada a casar com alguém que não amo? Não estava dizendo pouco antes de falar com a Rainha que não me casaria com nenhum Príncipe, muito menos se o amor não estiver envolvido? Não, ela não pode me obrigar a conhecê-lo, não pode!
Desço a escada deslizando pelo corrimão e vou para o único lugar no Palácio em que me sinto segura. O meu Jardim.
________________________________________

Deixe sua opinião nos comentários!

Saiba mais: http://w.tt/1gVM6fj

12 comentários:

  1. Ameiii!! Estou lendo pelo wattpad!!

    ResponderExcluir
  2. Karina porque você não posta aqui no blog pooooor favoooor eu quero ler esse livro ,obrigada pela sua atenção

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahn, aqui só posto o primeiro cap mesmo... mas leia o restante lá no Wattpad, é só fazer uma conta, é fácil

      Excluir
  3. Karina queria pedir se não for encomodo,se você pode postar o livro QUEM É VOCÊ ALASKA obrigada 😊

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já foi postado! http://www.bloglivroson-line.com/2015/06/quem-e-voce-alasca.html

      Excluir
  4. Respostas
    1. É só clicar no link de saiba mais. Você será redirecionado para o Wattpad, onde poderá continuar a leitura (se não tiver uma conta, ele vai solicitar que faça uma - é de graça!)

      Excluir
    2. Karina você vai postar ano quivem a sereia da keira cass né ? Por favoooor
      E estou muito ansiosa pra você postar o felizes pra sempre da seleção que eu amo e a continuação da herdeira

      Excluir
    3. Sim, pretendo postar The Siren também :)

      Excluir
  5. Fernanda Boaventura18 de outubro de 2015 14:27

    Caracas!!!!!!!!!!!!!! Ameiiiiiiiiiiiiiii! Quero terminar!! Me lembra da seleção!

    ResponderExcluir
  6. Amei esse livro queria ler todo karina vc vai postar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nope, de fanfic posto só o primeiro capítulo

      Excluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!