2 de outubro de 2015

Capítulo 9

— Oh, de jeito nenhum! — Shaunee gritou.
— Idem, Gêmea! Se foda, de jeito nenhum! — Erin disse.
— Eu não consigo acreditar que isso está certo — Damien disse.
— Acredite — eu disse, minhas costas ainda para o resto do círculo enquanto ainda encarava Aphrodite. Antes dos meus amigos poderem surtar mais eu acrescentei, — Olhem para o círculo. — Eu não precisava olhar. Eu já sabia o que ia ver, e quando arfaram isso me disse que eu estava certa. Ainda sim, eu me virei devagar, aterrada pela beleza e poder do frio de luz que ligava os quatro juntos.
— Ela está dizendo a verdade. Nyx a mandou aqui. Aphrodite tem uma afinidade pela terra.
Chocados em silêncio, meus amigos só encararam quando eu me movi para o centro do círculo e peguei a vela púrpura. — Espírito o que nos faz únicos, o que nos da coragem e força, e é o que vive quando nossos corpos não vivem mais. Venha até mim, espírito! — Eu fui engolfada pelos quatro elementos quando espírito passou por mim, me enchendo de paz e alegria. Eu andei pelo círculo, encontrando o olhar confuso e chateado dos meus amigos, tentando ajudar eles a entender algo que eu nem entendia direito, mas o que eu podia sentir era que, de fato, essa era a vontade de Nyx.
— Eu não finjo entender Nyx. A deusa trabalha por caminhos misteriosos e as vezes ela pede coisas difíceis de nós. Isso é uma daquelas coisas difíceis. Precisamos estar em acordo sobre deixar Aphrodite entrar, ou — eu hesitei, sem saber como terminar. Tentamos fazer o círculo com outra pessoa, e Erik não recebeu permissão para representar a terra. Talvez fosse apenas Erik que a deusa não quisesse representando a terra, mas eu achava difícil de acreditar nisso. Erik não só era um cara legal ele já era um membro do nosso Conselho, mas eu tinha o pressentimento que o problema não era Nyx não querer Erik. O problema era que Nyx queria especificamente Aphrodite. Eu suspirei e continuei. — Ou eu suponho que possamos continuar procurando alguém e ver que mais ninguém pode manifestar a terra. — Eu olhei para longe do círculo e encarei os olhos de Erik. — Mas eu não acho que Erik é o problema. — Ele sorriu para mim, mas foi apenas um movimento que a boca dele fez; o sorriso não alcançou seus olhos ou seu rosto.
— Eu acho que temos que fazer o que Nyx quer que façamos. Mesmo não gostando — Damien disse. 
— Shaunee? — eu virei para ela. — Qual seu voto?
Shaunee e Erin dividiram um olhar e eu juro, por mais estranho que soe, eu quase podia ver palavras voando pelo ar entre elas.
— Vamos deixar a vadia se juntar ao círculo — Shaunee disse.
— Mas apenas porque Nyx quer — Erin disse.
— Yeah, mas queremos que seja registrado que não entendemos o que Nyx quer — Shaunee acrescentou, com Erin acenando em concordância.
— Eles podem continuar me chamando de bruxa? — Aphrodite disse.
— Você está respirando? — Shaunee perguntou.
— Se estiver respirando ainda é uma bruxa — Erin disse.
— Que é do que vamos chamar você — Shaunee terminou.
— Não — eu disse firmemente. As Gêmeas viraram seus olhares para mim. — Vocês não tem que gostar dela. Vocês não tem nem que gostar que Nyx queira ela. Mas se aceitarmos Aphrodite, então nós aceitamos ela. Isso significa que chamar ela por nomes tem que parar. — As Gêmeas sugaram o ar, obviamente se preparando para discutir comigo, então eu acrescentei com pressa, — Olhem dentro de si, especialmente agora quando estão manifestando seu elemento. O que sua consciência está dizendo?
Então segurei o fôlego e esperei.
As Gêmeas pausaram.
— Yeah, ok — Erin disse infeliz.
— Entendemos seu ponto. Só não gostamos — Shaunee disse.
— E quanto a ela? Então paramos de chamar ela de vadia, mas ela ainda pode agir como uma? — Erin disse.
— Agora Erin tem razão — Damien disse.
Eu olhei para Aphrodite. Pela expressão dela ela estava entediada, mas eu pude ver que ela continuava respirando fundo, como se não pudesse sentir o bastante cheiro da campina que a terra tinha manifestado ao redor dela. De vez em quando eu notei que ela passava os dedos para baixo ao redor dela como se estivesse passando pela grama. Claramente, ela não estava tão inafetada pelo que tinha acabado de acontecer como fingia estar.
— Aphrodite vai fazer o mesmo que vocês duas. Ela vai procurar em sua consciência e fazer a coisa certa.
Aphrodite parecia estar zombando como se estivesse procurando por algo que pudesse estar escondido na noite. Então ela deu nos ombros.
— Oops. Parece que eu não tenho uma consciência.
— Pare! — eu surtei, e a energia que eu evoquei com o círculo passou entre Aphrodite e eu, passando perigosamente ao redor do corpo dela. O poder aumentou minha voz, fazendo os olhos azuis aumentarem em surpresa e medo. — Aqui não. Não nesse círculo. Você não irá mentir e fingir. Decida agora. Você também tem escolha. Eu sei que você ignorou Nyx antes. Você pode escolher ignorar ela de novo. Mas se escolher ficar e fazer a vontade da deusa, não irá fazer isso com mentiras e ódio.
Eu pensei que ela ia quebrar o círculo e se afastar. Eu quase desejei que ela fizesse isso. Seria mais fácil não ter ninguém representando a terra. Eu podia só acender a vela verde sozinha e a colocar no chão. Tanto faz. Mas Aphrodite me surpreendeu, e isso era apenas a primeira de muitas surpresas que Nyx tinha guardado para mim.
— Ótimo. Eu fico.
— Ótimo — eu disse. Eu olhei para meus amigos. — Ótimo?
— Yeah, ótimo — eles resmungaram.
— Ótimo. Então temos nosso círculo — eu disse.
Antes de outra coisa bizarra acontecer eu me movi na direção oposta do relógio, dando tchau para cada elemento. A linha prateada de poder desapareceu, deixando para trás o cheiro do oceano e flores selvagens numa brisa quente. Ninguém disse nada, e o silêncio constrangedor cresceu até eu começar a sentir pena de Aphrodite. É claro, ela abriu a boca e, como sempre, destruiu qualquer pena que alguém pudesse sentir dela.
— Não se preocupe. Eu vou deixar vocês para que possam voltar para suas reunião de Dungeons and Dragons ou algo assim — Aphrodite desprezou.
— Hey, não jogamos Dungeons and Dragons! — Jack disse.
— Anda, temos tempo de ir buscar algo para comer antes do filme começar — Damien disse, e o grupo todo completamente ignorou Aphrodite quando começaram a se afastar, conversando entre si sobre o quão bons os Espartanos eram e como dessa vez enquanto assistiam 300 eles iriam contar quantos vampiros atores estavam nele.
Eles já estavam a vários passos de distância quando Erik notou que eu não estava com eles.
— Zoey? — ele chamou. A turma parou e olhou para mim, obviamente surpresos por ver Aphrodite e eu ainda paradas no círculo desfeito. — Você não vem? — A voz dele era cuidadosamente neutra, mas eu podia ver sua mandíbula se endurecendo com uma mistura do que podia ser irritação e preocupação.
— Vão vocês na frente. Eu encontro vocês no cinema. Eu preciso falar com Aphrodite.
Eu esperei que Aphrodite fizesse um comentário espertinho, mas ela não fez. Eu dei um olhar lateral para ela e vi que ela estava olhando para escuridão sem prestar atenção em mim ou nos meus amigos.
— Mas, Z, você vai perder as panquecas de chocolate — Jack disse.
Eu sorri para ele. — Está tudo bem. Eu comi um pouco a noite passada – sendo meu aniversário e tudo mais.
— Elas precisam conversar, então vamos — Erik disse.
Eu não gostei de como ele falou – quase como se ele não se importasse – mas antes de poder dizer algo mais ele estava se afastando. Merda. Eu definitivamente ia ter que ficar com ele.
— Erik gosta das coisas do jeito dele. Ele também gosta de uma namorada que o coloque em primeiro lugar. Suponho que você ainda esteja descobrindo isso — Aphrodite disse.
— Eu não vou falar sobre Erik com você. Eu só quero saber sobre o que Nyx te mostrou da vontade dela.
— Você já não deveria saber sobre a vontade de Nyx, blá, blá, tanto faz? Você não é a escolhida?
— Aphrodite, eu já estou com uma horrível dor de cabeça. Eu gostaria de estar com meus amigos comendo panquecas. Então eu queria ir ver 300 com meu namorado. Então eu já estou cansada da atuação eu-sou-uma-vadia-total-o-tempo-todo. O negócio é esse – só responda a pergunta e nós duas podemos ir fazer o que queremos. — Eu estava esfregando minha testa. A última coisa que eu esperava era a bomba que ela de repente jogou.
— Você está falando mesmo que é para responder a pergunta para que possa ir encontrar a criatura que Stevie Rae virou, não é?
Eu senti como se a cor tivesse sido drenada do meu rosto. — Do que diabos você está falando Aphrodite?
— Vamos andar — ela disse e começou a andar no lado do enorme muro de pedra da fronteira da escola.
— Aphrodite, não. — Eu agarrei o braço dela. — Me diga o que você sabe.
— Olha, é difícil para mim ficar quieta quando acabei de ter uma visão, e a que eu tive e que me fez vir até aqui não foi uma visão normal. — Aphrodite se libertou de mim e passou a mão pela sobrancelha como se tivesse uma dor de cabeça também. Eu notei que as mãos dela estavam tremendo – na verdade o corpo dela estava tremendo e ela parecia anormalmente pálida.
— Está certo. Vamos andar.
Ela não disse nada por um tempo, e eu tive que lutar para não agarrar ela e balançar ela até me contar como ela sabia sobre Stevie Rae. Quando ela finalmente começou a falar, ela não olhou para mim e parecia estar falando mais para a noite do que para mim.
— Minhas visões tem mudado. Começou com aquela que eu tive quando aqueles humanos foram mortos. Eu costumava poder ver as coisas como se fosse uma observadora. Eu via o que acontecia mas não era tocada por isso. Tudo e todos eram claros, fácil de entender. Com aqueles garotos foi diferente. Eu não estava mais deslocada. Eu era um deles. Eu podia me sentir sendo morta como eles. — Ela parou e deu nos ombros. — Eu também não podia ver as coisas claramente. As coisas ficaram um enorme emaranhado de pânico e medo e emoções malucas. Eu tenho flashes de coisas que não consigo identificar ou entender, como quando eu te contei o que tinha que fazer para tirar Heath daqueles túneis ou ele morreria. Mas na maior parte eu surto e fico confusa, e depois me sinto horrível. — Aphrodite olhou para mim como se estivesse lembrando agora quem ela realmente era. — Como foi quando tive a visão da sua avó se afogando. Eu era a sua avó, e foi sorte ter pego deslumbres da ponte e saber onde ela caiu na água.
Eu acenei. — Eu lembro que você não podia me contar muito. Eu pensei que era mais porque você não queria me contar mais do que podia.
O sorriso dela era sarcástico. — Sim, eu sei. Não que eu me importe com o que você pensou.
— Só fale sobre a parte com Stevie Rae. — Deus, ela era irritante.
— Eu não tinha uma visão a um mês. O que foi uma boa coisa, já que meus pais insistiram que eu os visitasse durante as férias de inverno. Frequentemente.
O olhar dela dizia que visitar seus pais não era exatamente uma coisa boa, o que eu já sabia. Na última visitação dos pais eu meio que acidentalmente assisti uma horrível cena entre Aphrodite e seus pais. O pai dela o prefeito de Tulsa. Sua mãe podia ser o Satã. Basicamente, eles faziam meus pais parecerem os pais de Brady (sim, eu sou uma nerd que assiste as reprises da Nickelodeon).
— Eu tive uma cena de aniversário com meus pais ontem.
— Seu padrasto é um dos malucos das Pessoas de Fé, não é?
— Totalmente. Minha avó o chamou de cocô de macaco.
Isso a fez rir. Eu digo realmente rir. Eu observei ela, maravilhada pela transformação no rosto dela de frio e bonito para quente e lindo.
— Yep. Eu também odeio meus pais — eu disse.
— Quem não odeia — ela disse.
— Stevie Rae não odiava os dela. Ou pelo menos não odiava antes... — Minha voz morreu e tive que lutar contra a vontade de não explodir em lágrimas embaraçosas.
— Então essa parte da visão já aconteceu. Stevie Rae já virou um monstro.
— Ela não é um monstro! Ela só está diferente do que costumava ser.
Aphrodite levantou uma sobrancelha perfeita. — Eu diria que poderia ser um melhoramento se não tivesse visto o que ela se tornou.
— Só me diga o que você viu.
— Eu vi vampiros sendo mortos. Horrível. — Aphrodite tinha parado para engolir, como se estivesse tentando com força não vomitar.
— Por Stevie Rae? — Eu guinchei.
— Não. Essa foi uma visão diferente.
— Ok, estou confusa.
— Tentei ver a merda das visões, ou pelo menos essas visões novas que eu tenho tido. Confusão é do que elas são. E dor. E medo elas são uma droga.
— Então Stevie Rae não estava na que os vampiros morreram?
Ela balançou a cabeça. — Não, mas as duas pareciam não estar juntas. — Aphrodite suspirou. — Eu vi Stevie Rae. Ela estava horrível. Suja e magra e seus olhos brilhavam de um vermelho estranho. E você não ia acreditar no que ela estava vestindo. Quero dizer, não que ela fosse uma Miss de Senso Fashion, mas ainda sim.
— Yeah, yeah, eu entendi. Então você a viu morta viva.
— É o que ela é, não é. Ela se transformou em algum horrível clichê vampiro, no monstro que os humanos tem nos chamado a séculos.
— Nem todos os humanos. Sabe, você realmente precisa superar sua péssima atitude sobre os humanos. Costumávamos ser um — eu disse.
— Tanto faz. Eu costumava ser apaixonada por Sean William Scott, também. Em falar em noticias velhas. — Ela virou os cabelos para as costas. — De qualquer forma, eu vi Stevie Rae quando morreu. De novo. Dessa vez para sempre. E sabia que se a visão se tornasse verdade de alguma forma ia significar a morte dos vampiros e vi o que realmente aconteceu. Então temos que descobrir um jeito de salvar Stevie Rae porque Nyx está seriamente nada feliz com o fato de vários vampiros serem mortos.
— Como Stevie Rae morre?
— Neferet mata ela. Ela empurra Stevie Rae diretamente na luz do sol e ela pega fogo.

8 comentários:

  1. Eu acho que na verdade o fato deles morrerem com a transformação e que na verdade eles são os vampiros defeituosos, ou Neferet esta prendendo os espíritos deles no corpo já morto(isso esplica o fato da aparência horrível) e o fato deles perderem a humanidade e que o espírito se revolta fã sendo com que perde controle das suas vontades e necessidade para sobreviver.Acho que e tipo isso.

    Letícia

    ResponderExcluir
  2. CARA. ISSO TA FICANDO MTO LOKO
    LANNY

    ResponderExcluir
  3. Olha, não sou muito fã do Erik. E a atitude dele logo depois que a Aphrodite chegou me irritou. E a afirmação que a Aphrodite fez sobre ele, acho que tá mais que correta.
    "— Erik gosta das coisas do jeito dele. Ele também gosta de uma namorada que o coloque em primeiro lugar."
    Sei lá, ele não me conquistou, tem uns 9 livros pela frente, espero que apareçam mais boys pra Zoey, pq não gosto de nenhuma das três opções, tirando o Heath, mas ele é humano, então não orna.
    Espero que apareça aqueeeele boy de tirar o fôlego, pq não sinto firmeza no Erik, e também a Zoey ficar com o mesmo boy a história toda vai ficar cansativo demais! QUERO MAIS OPÇÕES NO CARDÁPIO, PLEASE!

    ResponderExcluir
  4. AH, E ESSA NEFERET É UMA VACA! Mas tá bem claro né, se a zoey continuar vendo a Stevie, a Neferet vai ficar com raiva, pq ela criou aquelas criaturas mortas-vivas pra obedecerem ela, pra serem seus criados, daí a zoey vai lá e coloca ideias na cabeça da Stevie, isso não vai acabar bem, a Neferet vai ficar fula da vida.

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!