10 de outubro de 2015

Capítulo 9 - Zoey

— Zo, Thanatos me pediu para encontrar você. A conferência com o Conselho Supremo já começou — Aurox disse.
— Ah, que droga! Eu perdi totalmente a noção do tempo.
— Conferência com o Conselho Supremo? Que merda é essa? — Aphrodite perguntou.
— Pois é, que droga, de novo — eu conferi o horário no meu celular: 22 horas. Sim, eu estava dez minutos atrasada. — Desculpem-me, com toda essa coisa de mudança para o porão, eu me esqueci de contar para vocês. Thanatos vai pedir ao Conselho Supremo para interceder junto à polícia de Tulsa, pois ela acha que os humanos estão ultrapassando os seus limites na investigação. Ela quer que eu vá até lá para contar ao Conselho Supremo sobre aquela materialização totalmente louca de Neferet e sobre como o nosso círculo a chutou para fora daqui, que foi o que detonou o fato de ela ter acabado com o prefeito — fiz uma pausa e dei um olhar de desculpas para Aphrodite. — Sinto muito por ter falado desse jeito.
Ela deu de ombros.
— Você só disse o que aconteceu.
— Bem, ela poderia ter falado de um jeito mais agradável — Stevie Rae franziu os olhos para mim.
— Caipira, eu nunca dei a mínima para jeitos agradáveis. Z. só falou as coisas como elas são.
— Ei, todo mundo sabe que você ficou tão acabada na noite passada que ficou fora do ar na maior parte do dia hoje. Não há razão para fingir que nada pode incomodar você — Stark afirmou. Ele dirigiu o seu comentário para Aphrodite, mas não estava nem olhando para ela. Ele estava encarando Aurox com ar zangado.
— Stark, três palavras: cala a boca — Aphrodite rebateu — Ah, e mais duas: muito ciúme?
Deusa, eu estava cansa dessas picuinhas.
— Aphrodite, já que você não tem problemas em falar sobre o seu pai, eu quero que você me acompanhe para falar no Skype com o Conselho Supremo — eu falei rápido, antes que Stark pudesse fazer algum comentário irritante que ele já tinha se preparado para fazer, seja para Aphrodite ou Aurox. — Stevie Rae, venha comigo também.
— Ok — ela concordou.
— É melhor a gente ir logo. Thanatos mandou Aurox vir buscá-la, então isso significa que você está atrasada — Stark disse, segurando o meu pulso e soando totalmente babaca.
Levantei as sobrancelhas e puxei o meu braço, desvencilhando-me dele.
— A gente – e quero dizer Aphrodite, Stevie Rae e eu – está indo agora. E sim, eu estou atrasada porque tive que ficar apagando um monte de incêndios aqui. Enquanto a gente estiver falando com o Conselho Supremo, preciso que você cuide para que os novatos vermelhos terminem de levar todas as suas coisas para o porão, e depois ajude Darius e Damien a reunir todo mundo para ir até o funeral. Eu encontro com você lá.
— Mas eu queria...
— Queria o quê? — eu sabia que estava soando como uma pessoa horrível, mas a minha paciência tinha acabado. Era óbvio que o que ele queria era ficar colado em mim sempre que Aurox estivesse por perto — Stark, você não viu Neferet se materializar. É sobre isso que o Conselho Supremo quer saber.
— Eu só pensei que você poderia precisar de mim para...
Eu o cortei novamente.
— Eu preciso que você não brigue com Aphrodite nem comigo, e apenas cuide para que o funeral de Erin não acabe virando briga idiota de gangues.
Aurox limpou a garganta.
— Eu vou na frente para informar Thanatos que você vai se juntar a ela em alguns instantes.
— Sim, obrigada, Aurox — eu falei distraída quando o garoto foi embora, obviamente satisfeito por escapar da tensão que ele havia causado acidentalmente.
Eu percebi que havia deixado Stark constrangido e provavelmente magoado, mas eu realmente não tinha tempo nem energia para ficar paparicando os sentimentos dele. Então eu não disse nada. Stark não disse nada. Ninguém disse nada. Até que Stark se curvou formalmente para mim, com a mão em punho sobre o coração, e falou:
— Tudo vai ser como ordena, Sacerdotisa. Espero que a sua conferência com o Conselho Supremo corra bem — então ele saiu andando, seguido por Darius e Damien em silêncio.
— Ok, isso foi embaraçoso — Aphrodite afirmou. — Você sabe que o Stark só está sendo possessivo por causa da história do Aurox barra Heath. Não precisa acabar com o garoto na frente do menino-touro.
— Eu não acabei com ele!
— Na verdade, Z., você foi bem maldosa — Stevie Rae comentou.
— Vai me dizer que você é sempre superdoce com Rephaim, mesmo quando ele está te irritando loucamente? — eu perguntei, meio arrependida de ter me descontrolado com Stark, principalmente na frente dos meus amigos, mas também ainda irritada com ele.
— Sim, eu posso dizer que nunca fui maldosa com Rephaim de propósito — Stevie Rae respondeu.
— Isso provavelmente porque ele só é um garoto na metade do tempo. Deve ser difícil ficar brava com um maldito pássaro. Deve ser tipo namorar um cachorro. Aposto que ele fica feliz e abanando a cauda, como se ele tivesse um rabinho, toda vez que ele volta para ver você. Jesus, fico passada só de pensar nisso! — Aphrodite exclamou.
— Já estou acostumada com o fato de você ser detestável, então não vou dizer nada sobre como você foi maldosa — Stevie Rae deu as costas para Aphrodite. — Há algo de errado com você, Z.? Você está nervosa como uma gata em teto de zinco quente.
— Elizabeth Taylor era uma deusa — Aphrodite comentou. — Meio louca, mas uma deusa.
— Do que você está falando? — eu perguntei.
— Do filme. Pergunte à Rainha Damien. Tenho certeza de que ele queria ter sido Elizabeth Taylor.
— Aphrodite, às vezes eu acho que você está falando em outra língua. Enfim, aí vai oficialmente o que há de errado comigo: eu estou cansada dessas briguinhas entre todo mundo. Estou cansada de Stark agindo estranho por causa de Aurox. Estou cansada de não saber como eu devo agir perto de Aurox por causa da coisa do Heath. Estou cansada de pessoas sendo destruídas. Estou cansada de ficar preocupada com o que Neferet vai aprontar da próxima vez. E eu estou supercansada de ficar aqui na House of Night como uma prisioneira.
Aphrodite e Stevie Rae olharam para mim como se tivessem crescido asas nas minhas costas.
— Caramba, Z. Você precisa começar a beber — Aphrodite a aconselhou.
— Será que Xanax funciona com calouras? — Stevie Rae perguntou a ela.
— Acho que vale a pena tentar — ela respondeu.
— Ei, eu estou bem aqui. Eu não gosto de beber e não quero um Xanax.
— Eu posso triturar um comprimido para você colocar na Coca dela — Aphrodite sugeriu.
— Feito — Stevie Rae disse.
Então as duas começaram a rir.
Eu balancei a cabeça.
 — Isso não tem graça e nós estamos atrasadas — eu saí andando e me afastei delas. As duas me seguiram, ainda rindo às minhas custas.


Fiquei surpresa ao ver Kalona em pé ao lado de Thanatos, com os braços cruzados sobre o seu peito nu e musculoso, parecendo uma estátua de um anjo vingador.
Porque ele nunca usa uma camisa? Esse pensamento passou rapidamente pela minha cabeça. Então Thanatos fez um gesto para que nós nos juntássemos a ela, dizendo:
— Ah, ótimo. Zoey está aqui. Fico feliz de ver que ela está acompanhada da jovem Alta Sacerdotisa Stevie Rae e da nossa Profetisa, Aphrodite.
Kalona deu um passo para trás, para que nós três pudéssemos ser capturadas pela câmera do computador junto com Thanatos. A tela grande mostrou a Câmara do Conselho Supremo no templo da Ilha de São Clemente, na costa de Veneza. Sete tronos de pedra, com adornos esculpidos, estavam em uma espécie de palco. Seis tronos estavam ocupados. Eu sabia que o sétimo pertencia a Thanatos. Eu não sabia o que sentir em relação ao fato de o lugar dela no Conselho Supremo não ter sido preenchido. Eu gostei de saber que Thanatos estava ali conosco, mas ainda tinha poder suficiente para manter o seu assento no Conselho Supremo. Eu não gostei de pensar que isso significava que ela poderia ser arrancada da House of Night a qualquer momento.
Percebi que ninguém estava dizendo nada e que todas as vampiras estavam olhando para mim. O meu rosto ficou quente e vermelho, então eu cruzei minha mão em punho sobre o coração e me curvei rapidamente, dizendo:
— Merry meet, Alta Sacerdotisa. Desculpe o meu atraso. Eu estava, ahn... — fiz uma pausa, esquecendo totalmente a desculpa que eu ia dar.
— Ela está estressada porque nós estamos todos presos aqui — Aphrodite terminou por mim e se curvou apressadamente — Merry meet. Sou eu, Aphrodite.
— Nós lembramos de quem você é, Profetisa — Duantia falou primeiro. — Seria bem difícil esquecer a nossa primeira Profetisa humana — ela estava sentada no trono mais decorado e, obviamente, estava liderando o Conselho Supremo. Então Duantia voltou os seus olhos escuros na minha direção e eu pude sentir o seu poder mesmo a milhares de quilômetros de distancia. — Às vezes, o atraso é inevitável. O estresse também é inevitável. Aprender a evitar o primeiro e a lidar com o segundo é parte de ser uma Alta Sacerdotisa — antes que eu começasse a me desculpar novamente, ela olhou para Stevie Rae. — Merry meet, Stevie Rae. Quando as circunstancias permitirem, o Conselho e eu gostaríamos de fazer um convite a você e ao seu Conserte incomum, Rephaim, para visitar a Ilha de São Clemente. Estávamos intrigadas com vocês dois. É verdade que o garoto alterna a sua forma entre humano e corvo diariamente?
 — Merry meet — Stevie Rae disse, curvando-se formalmente. Então ela sorriu um pouco tímida, mas respondeu a pergunta de Duantia sem hesitação ou vergonha. — Sim, senhora, Rephaim é como um garoto normal de noite, mas quando o sol nasce ele se transforma em um corvo.
— Ele não tem nenhuma lembrança de quando é um animal? — outra vampira do Conselho Supremo perguntou.
— Na verdade, não. Ou, se ele tem, não me contou. Rephaim não gosta muito de falar sobre isso.
— Nós conversaremos mais sobre isso quando você e seu Consorte nos visitarem — Duantia afirmou.
— É melhor você arranjar uma daquelas caixas grandes para transportar cachorros em viagem — Aphrodite sussurrou para Stevie Rae.
Dei uma cotovelada nela.
— Agora, voltando para o assunto mais urgente — Duantia continuou. — Thanatos resumiu os acontecimentos de ontem à noite. Aphrodite, o Conselho estende as nossas condolências a você. A morte de um pai nunca é fácil.
— Obrigada.
— Zoey, Stevie Rae e Aphrodite, vocês estavam presentes quando houve a aparição no campus. Thanatos disse que vocês acreditam que era Neferet. Vocês três estão de acordo quanto a isso?
— Sim, estamos — eu disse. — Aphrodite e eu vimos as aranhas primeiro. Eu sabia que era Neferet. Ela já se manifestou na forma de aranhas antes aqui na House of Night e, quando ela caiu da varanda, pareceu que o corpo dela se desintegrou todo em um ninho de aranhas.
— Era óbvio desde o começo que as aranhas não eram normais — Aphrodite acrescentou. — E só ficou mais óbvio depois que Z. começou a traçar o círculo.
— Como eu já disse, senti uma mudança na energia da escola antes mesmo de Zoey me ligar para reportar o que estava acontecendo. O meu pensamento inicial era que eu estava sentindo uma aproximação da morte, e a morte realmente visitou o nosso campus ontem à noite, mas pensando melhor, acredito que eu também senti a aproximação da Tsi Sgili. O poder dela vem da morte e das Trevas; foi isso o que alimentou a sua imortalidade. Eu concordo com Zoey e o seu círculo. Neferet tentou se manifestar.
— Nós a vimos — eu não estava gostando do fato de as vampiras do Conselho parecerem indecisas. — Definitivamente, foi o corpo de Neferet que quase se formou novamente antes de os elementos a jogarem para fora do campus.
— Mas ela não foi muito longe — Aphrodite completou. — Ela matou meu pai na entrada principal. Provavelmente, foi o máximo que ela conseguiu ir sem drenar alguém.
— Nós também achamos que Neferet pode ser responsável pela rejeição da Transformação da novata ontem — Thanatos disse. — O seu espectro passou pela garota quando ela escapou do círculo, e a novata morreu apenas minutos depois.
— Sim, a garota com afinidade com água — Duantia falou — É uma pena perder uma novata que recebeu um dom tão especial da Deusa.
— Embora faça sentido que uma imortal que se alimenta de morte e Trevas possa ter causado a morte de uma novata desse modo — uma vampira membro do Conselho disse. — Pode ser que isso tenha dado o poder que ela precisava para se manifestar completamente.
— Neferet matou Erin e o pai de Afrodite — eu disse firmemente. — Nós até tentamos contar isso aos detetives, mas sem chance de nós conseguirmos contar a eles toda a verdade. Sem chance de eles acreditarem na gente.
— E agora eles estão pedindo para nós começarmos a fazer testes de DNA com os meus professores para comparar com a prova que eles encontraram no corpo do prefeito — Thanatos contou.
Eu ouvi o tom de surpresa na respiração de Aphrodite e lembrei que eu deveria ter avisado a ela sobre esse detalhe. Droga! Eu realmente deveria começar a organizar melhor o meu tempo.
— Humanos querem investigar esse assassinato dentro da House of Night — Duantia não formulou a sentença como uma pergunta, mas Thanatos respondeu assim mesmo.
— Sim, o que vai completamente contra nossas tradições. Eu não vou dar permissão para invadirem esta escola. É por isso que eu peço que o Conselho interceda — Thanatos afirmou. — Todas as autoridades humanas precisam entender que a comunidade dos vampiros responsabilizou Neferet pela morte do prefeito e que nós estamos trabalhando incansavelmente para achá-la e trazê-la à Justiça. Eles podem terminar a sua investigação e retirar as restrições da nossa House of Night. Em troca, daremos nossa palavra de que temos certeza de que Neferet irá pagar pelos seus crimes.
— E os humanos locais ainda acreditam que ela própria foi vítima de violência — Duantia disse.
— Porque nós não podíamos explicar para eles que ela usou as Trevas para sequestrar minha avó e que nós tivemos que usar magia para salvá-la! — eu não tinha a intenção de gritar, mas eu estava tão frustrada com toda aquela injustiça!
— Há muitas coisas que não podem ser explicadas para os humanos, Zoey — Duantia falou. — A morte de sua mãe nas mãos de Neferet é outro triste exemplo disso.
Eu concordei com a cabeça, sem poder confiar na minha voz.
— Zoey, se as restrições à House of Night forem retiradas, você e Stevie Rae continuam determinadas a viver fora do campus, separadas da escola? — uma vampira do Conselho, que havia ficado em silêncio até então, perguntou repentinamente.
— Sim — eu respondi. — Os túneis embaixo da estação são mais confortáveis para os vampiros e calouros vermelhos.
— Mas você não é nenhum dos dois.
Eu franzi a testa.
— Bem, eu também não sou uma caloura normal — levanteis as mãos, com as palmas voltadas para fora, para que a tatuagem entrelaçada que a Deusa havia colocado ali ficasse totalmente visível para a câmera.
— E eu não sou uma Profetisa de Nyx normal — Aphrodite acrescentou — Então, eu vou com eles.
— Eu sou a primeira Alta Sacerdotisa vermelha — Stevie Rae afirmou. — Isso também não é normal, e eu estou com Zoey e Aphrodite. Nós não queremos causar problemas, mas é assim que as coisas são. Nós vamos ficar todos juntos.
— Eu não entendo por que o fato de a gente morar na estação possa ser um problema. Vocês concordaram com isso antes — eu questionei.
— Sim, isso foi antes de Neferet ser desafiada a ponto de sequestrar a sua avó e de matar uma novata e um humano, trazendo as autoridades locais para a sua House of Night — a mesma vampira falou.
Eu mal podia acreditar no que ela estava dizendo.
— Isso não foi culpa nossa!
— Ninguém está culpando vocês — Duantia interveio rapidamente. — Nós estamos tentando apenas examinar bem todos esses últimos acontecimentos trágicos — de repente, ela alterou o seu foco de atenção — Kalona, você é o único imortal aqui. Qual é a sua opinião? — a pergunta de Duantia pareceu pegar todos de surpresa.
Thanatos mudou a posição de sua cadeira e Aphrodite e eu nos afastamos um pouco para o lado, para que Kalona pudesse ficar entre nós e encarar o Conselho Supremo.
Ele se curvou, com a mão em punho sobre o coração, antes de responder:
— Eu não vejo problemas em Zoey e o seu grupo, e isso inclui meu filho Rephaim, viverem na estação. Eles são protegidos por guerreiros fortes e leais, e os túneis dão segurança a eles. Em relação aos assassinatos, não tenho dúvidas de que aquela criatura, Neferet, manifestou-se e causou as duas mortes. Também não tenho dúvidas de que os humanos não podem fazê-la pagar por esses crimes.
— Kalona, nós aceitamos como parte da nossa comunidade por causa do seu Juramento a Thanatos, mas todas nós estamos curiosas com a sua resposta a uma pergunta em particular que queremos fazer — Duantia disse.
As asas de Kalona farfalharam e o seu corpo ficou tenso, mas a sua voz permaneceu estável.
— Eu vou responder qualquer pergunta que deseje fazer, Alta Sacerdotisa.
— Apesar de você nunca ter admitido ser Erebus de volta a Terra, foi assim que Neferet o apresentou para nós. Ela disse que você a fez acreditar nisso.
— Eu nunca aleguei ser Erebus, e aqui estou, guerreiro sob Juramento de uma vampira membro do seu Conselho, enquanto Neferet está foragida, assassinando jovens e humanos.
— Sim, é uma reviravolta interessante nos acontecimentos. A nossa pergunta é: quem é você?
Todas, até Thanatos, estavam olhando embasbacadas para Kalona. Será que ele iria contar que era o irmão de Erebus? Caramba!
— Eu já fui muitas coisas: deus, amante, destruidor, salvador. Agora eu sou o guerreiro da Morte — Kalona respondeu. — Também é adequado dizer que eu sou um imortal.
Eu pensei em levantar a voz e contar a todas que ele era o irmão de Erebus, mas será que ele era mesmo? Eu já tinha chegado atrasada, parecendo irresponsável perante o Conselho, e elas tiveram que saber que eu estava muito irritada. Eu não precisava despejar uma história como essa e depois ver Kalona ficar quieto. Ou pior, negar tudo. Então, para variar, desta vez eu fiquei de boca fechada.
— Kalona, eu orei para Nyx e pedi para ela me falar sobre você e me contar se você representa um perigo para Thanatos ou para a House of Night — Duantia afirmou.
— E o que a Deusa disse? — Kalona perguntou.
— Nyx ficou em silêncio.
— Eu acho que isso já é uma resposta — Thanatos disse.
Achei que Thanatos soou irritada. Ela e Duantia ficaram se encarando em silêncio, até que Duantia desviou o olhar e se dirigiu ao Conselho:
— Sacerdotisas, algo que vocês ouviram hoje mudou a sua decisão anterior sobre o pedido de Thanatos para que nós intercedamos junto aos humanos de Tulsa?
As cinco Grandes Sacerdotisas responderam assustadoramente como se fossem uma só:
— Não.
Duantia nos encarou de novo.
— Então está decidido. O que está acontecendo em Tulsa já causou mal-estar entre os vampiros e os humanos, além de entre novatos e vampiros dentro da própria House of Night. Parte de vocês se separou do todo, e para nós ficou claro pelos últimos acontecimentos que esse rompimento não é saudável para a comunidade dos vampiros. Nós já banimos Neferet. Ela não é mais problema nosso. Não é nossa responsabilidade trazê-la à Justiça.
— Mas é Neferet quem está causando os problemas, é ela quem os humanos precisam culpar... é ela quem vocês devem culpar — eu quase me sufoquei tentando não gritar com elas.
— Ela é imortal. Como Kalona disse, ela não pode ser levada à Justiça pelos humanos — Duantia disse.
— Você espera que nós a levemos à Justiça — Kalona falou.
— Sim, nós esperamos — Duantia concordou. — Portanto, não vamos interceder junto aos humanos locais. Nem vamos mais reconhecer a separação de novatos e vampiros da sua House of Night.
— Sgiach é uma Alta Sacerdotisa vampira e ela vive separada de vocês, e há séculos vocês permitem isso — tentei argumentar.
— Sgiach não está causando mal-estar com os humanos. Sgiach não está vindo até nós para pedir ajuda — Duantia contra-argumentou.
— Quer saber, agora para mim faz todo o sentido o fato de ela viver em uma ilha cheia de armadilhas e ignorar vocês — eu falei.
— Talvez esteja na hora de Tulsa se tornar uma ilha também — Thanatos soou severa e poderosa. — Eu abdico de minha posição no Conselho Supremo imediatamente.
— Thanatos, você não pode pretender liderar a sua House of Night rompendo com o Conselho Supremo! — Duantia se levantou.
O resto das vampiras do Conselho pareciam superchocadas ou superirritadas.
— Eu pretendo mudar e adaptar. Pretendo permanecer aqui como Alta Sacerdotisa da House of Night de Tulsa. Eu pretendo apoiar essas duas Grandes Sacerdotisas e essa Profetisa incomuns em seu desejo de ter um lugar próprio para eles. E, o mais importante, eu pretendo levar Neferet à Justiça sem permitir que a minha escola seja invadida.
— Mas isso não é...
— Esse é o meu Juramento. Que assim seja!
Então Thanatos clicou no botão para desconectar. O Skype fez aquele barulhinho engraçado de desligar, e a tela ficou em branco.

5 comentários:

  1. Esses ''governos'' idiotas. Nunca podemos contar com eles. Ou mascaram a verdade; mentem; ou nos deixam na mão, como o Conselho Supremo faz. Tanta negligência. #suspiro. Era de se esperar que pessoas mais ''experientes'', mais ''sábias'' entendessem melhor, porém, tcharam! Obrigada pela mãozinha, hein! (・ิϖ・ิ)っ

    ResponderExcluir
  2. Mandaram bem as quatro o conselho supremo não fez nada desde que apareceu an história foram falhos e não procuraram a verdade só aceitaram o que lhes foi dito e fixaram suas bandas velhas nos tronos gelados foi a melhor coisa que fizeram.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo , Thanatos era assim ate sentir na pele o q a house of night de tulsa esta passando

      Aphodite

      Excluir
  3. É isso ai Thanatos, manda esse conselho pra casa do cacete!!

    ResponderExcluir
  4. O Conselho não foi útil pra nada até agora, só Thanatos foi a mais correta e tomou a atitude pra ajudar a House of Night de Tulsa, a ajuda delas seria de grande importância. Mas, pois bem, vida que segue agora.

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!