6 de outubro de 2015

Capítulo 9 - Stark

Quanto mais ele ficava na mesma sala que Neferet, mais a raiva de Stark queimava. E isso era bom. Ele podia pensar através da raiva. Ele podia pensar através da tristeza. Oh Deusa! A insuportável tristeza de perder sua Sacerdotisa... Sua Zoey.
— Então nós concordamos — Neferet disse. — Eu levarei o corpo de meu consorte até Capri. — Lá eu posso observá-lo melhor até o momento...
Stark finalmente registrou o que aquela piranha estava falando, e ele queria avançar nela. Somente sendo impedido de se lançar sobre a bruxa má graças ao punho de ferro de Darius em seu braço.
— Você não pode deixá-la escapar com ele! — Stark gritou para Duantia, a líder do Alto Concelho. — Kalona matou Heath. Eu vi. Foi isso que a deixou assim. Ele apontou para o corpo sem alma de Zoey, mas sem olhá-la. Ele não podia olhar para ela.
— Escapar? — A voz de Neferet era zombeteira. — Eu já concordei em ser escoltada por um grupo de Filhos de Erebus e me comprometi a mandar relatórios diários sobre o estado de consciência de Erebus, além disso, meu consorte não é um criminoso. É contra nossas leis um Guerreiro matar um humano se ele está a serviço da Deusa.
Stark ignorou Neferet e se concentrou em Duantia. — Não a deixe ir. Não a deixe levá-lo. Ele fez mais do que matar um humano e eles não estão a serviço de Nyx.
— Mentiras sendo propagadas por um adolescente ciumento, que teve tão pouco controle sobre ela que sua alma foi quebrada — disse Neferet.
— Sua puta de merda! — Stark gritou para Neferet, que não fez nada mais do que recuar. Ao invés disso, ela levantou uma mão elegante, com a palma aberta, para Stark. Enquanto ele lutava para se ver livre de Darius, pensou ter visto uma fumaça preta se materializando na mão de Neferet.
— Stark, pare, seu completo idiota!
De repente, Aphrodite estava bem a sua frente. Stark sabia que ela era amiga de Zoey, mas se Darius não o estivesse segurando, ele não hesitaria em derrubá-la para chegar até Neferet.
— Stark! — Aphrodite gritou para ele. — Você não está ajudando Zoey!
Então a loira disse alguma coisa que o chocou e pela respiração ofegante de Darius, ela também chocou seu Guerreiro. Ela colocou o rosto dele entre suas mãos suaves, forçando-o a olhar para ela, sussurrando palavras que mudariam sua vida.
— Eu sei como ajudar Zoey.
— Vejam como ele é descontrolado! Se o meu consorte permanecer aqui, quem sabe o que essa criança indisciplinada poderia fazer? — Neferet expeliu seu veneno enquanto Stark manteve seus olhos concentrados em Aphrodite.
— Você jura? — Stark sussurrou imediatamente de volta para ela. — Você não está só falando bobagem?
Aphrodite levantou uma sobrancelha loira.
— Se você me conhecesse melhor, saberia que eu nunca falo bobagens, mas sim. Eu juro pelo meu novo e irritante posto de Profetisa que eu sei como ajudar Zoey, mas nós precisamos dela longe de Neferet, entendeu?
Stark assentiu com a cabeça uma vez e se acalmou, esquivando-se de Darius. Aphrodite tirou as mãos de seu rosto. Parecendo e soando um pouco como a Profetisa de Nyx, ela se virou para Neferet e o Alto Concelho.
— Por que vocês estão todos tão dispostos a acreditar que Zoey vai morrer?
Duantia foi a primeira a responder:
— Sua alma deixou o corpo e não só como uma Jornada Espiritual ao Outromundo ou como uma comunhão com a Deusa. Zoey foi quebrada.
Um dos membros do Conselho que havia ficado em silêncio até aquele momento, resolveu falar.
— Você deveria entender o que isso significa, Profetisa. O espírito de Zoey está no Outromundo em pedaços. Vidas passadas foram retiradas dela. Assim como lembranças e diferentes aspectos de sua personalidade. Ela está se tornando uma dos “Caoinic Shi”. Uma coisa que não é morta, nem viva. Um ser que fica preso no mundo dos espíritos, ainda sem o conforto de seu próprio espírito.
— Não. É sério. Fale a minha língua e não essa coisa antiga, fodida e fora de moda europeia. — Aphrodite colocara uma mão em sua cintura e a outra estava com um dedo apontando para o Conselho em geral. — Sem essas referências confusas “woo-woo”, explique porque diabos você está colocando a Zoey como morta.
Stark ouviu pouco o que os membros do Conselho falaram em resposta às imprudentes palavras de Aphrodite e ele registrou a presunção de Neferet.
— Eu disse que eles estavam fora do controle.
Mas Thanatos respondeu suavemente:
— O que Aether está dizendo é que as reencarnações que fizeram o espírito de Zoey ser o que ele é hoje, suas vidas passadas, suas experiências passadas, sua personalidade – foram arrancadas dela e sem essas reencarnações intactas, é impossível para ela descansar em paz no Outromundo ou para o espírito dela retornar aqui, para esse mundo. Pense como se você tivesse sofrido um terrível acidente e as camadas de pele, músculo e ossos que protegiam os seu coração tenham sido arrancadas, deixando seu órgão descoberto e sem defesa. O que aconteceria então?
Aphrodite pausou, e Stark pensou que ela tinha hesitado porque não queria responder o óbvio, mas ela olhou para ele, e quando seus olhos se encontraram, ele se sentiu surpreso por ver triunfo e excitamento nos olhos dela.
— Se meu coração não tivesse nenhuma proteção, não continuaria batendo. Então porquê não dar a Zoey alguma proteção?
Proteção? Eu sou a proteção de Zoey! Uma pequena ponta de esperança encheu todo seu corpo.
— Eu sou a proteção dela! — ele disse rapidamente. — Eu não ligo se é nesse ou no Outromundo. Só me mostre como chegar onde ela está que eu irei até lá, por ela.
— Isso realmente soa lógico, Stark. — Thanatos disse. — Mas seu juramento é de um Guerreiro, o que significa que suas obrigações são corpóreas e não espirituais.
— Proteção é proteção. — Stark insistiu. — Só me mostre como chegar onde ela está. E eu descobrirei todo o resto.
— Zoey deve fazer seu espírito inteiro novamente. Essa é uma batalha que você não pode lutar por ela. — Aether disse.
— Mas eu posso estar lá enquanto ela tenta recuperar seu corpo. Para protegê-la. — Stark insistia.
— Um Guerreiro vivo não pode entrar no Outromundo. Nem mesmo para seguir sua Sacerdotisa. — Aether disse.
— Você não deveria tentar isso, estaria perdido, também. — Duantia concordou.
— Você não tem certeza disso. — Stark disse.
— Em toda nossa história, não há Guerreiro que tenha retornado da tentativa de seguir sua Sacerdotisa dentro do Outromundo. Todos eles pereceram. Todo Guerreiro e toda Alta Sacerdotisa. — Thanatos disse.
Stark sentiu um lampejo de surpresa. Ele nem havia pensado nisso – que ele poderia morrer também. Com uma certa curiosidade, ele percebeu que não tinha cogitado a ideia de morrer, não se ele pudesse cumprir seu juramento para Zoey; mas antes de poder responder, a voz fria de Neferet se intrometeu novamente. — E todos aqueles Guerreiros e Altas Sacerdotisas eram mais experientes e velhos do que você.
— Talvez tenha sido esse o problema. — Aphrodite colocou sua voz alta o suficiente para somente Stark ouvir seu murmúrio. — Eles eram muito experientes e muito velhos.
A esperança voltou para Stark. Ele se virou para Duantia.
— Eu estava errado antes. Neferet pode levar Kalona para onde ela quiser. Mas eu quero ter o mesmo direito de levar Zoey comigo. — Ele pausou e fez um gesto que incluía Aphrodite, Darius e todos os outros que estava com eles. — Nós queremos levar Zoey conosco.
— Stark, eu não posso concordar com o que levaria você a uma sentença de morte também. — A voz de Duantia era compassada, mas firme. — Até o fim dessa semana, Zoey morrerá. O melhor lugar para ela é aqui, na nossa enfermaria, mantida confortável no tempo que ela ainda tem. A melhor coisa que você tem a fazer é se preparar para esse resultado e não sacrificar sua vida numa tentativa fracassada de salvá-la.
— Você é muito jovem. — Thanatos disse. — Ainda tem uma longa e produtiva vida pela frente. Não quebre o que o destino preparou para você.
— Zoey permanecerá aqui até o final — Duantia balançou a cabeça concordando. — Você pode, claro, ficar ao lado dela.
— Hum, desculpe, eu não quero ser desrespeitoso ou coisa desse tipo — a atenção de todos voltou-se para o grupo de amigos de Zoey, que tinha sido, até o momento silencioso com tristeza e choque. A mão de Damien estava levantada como se ele estivesse numa sala de aula esperando a professora chamá-lo.
— Quem é você, calouro? — perguntou Duantia.
— Meu nome é Damien, sou um dos amigos de Zoey.
— Ele também tem afinidade com o ar — Jack acrescentou.
— E eu fui chamada por você. — Duantia disse. — Tem algo a acrescentar?
— Ele é um calouro. Deveria estar vendo e não sendo ouvido pelo Conselho. — Neferet disse.
— Eu não sabia que você falava pelo Alto Conselho, Neferet — Aphrodite comentou.
— Ela não fala. — Thanatos disse, dando um olhar bravo para Neferet antes de voltar-se para Damien. — Calouro, você tem algo a dizer?
Damien sentou-se, cuidadosamente engoliu seco e disse:
— Afirmativo.
Os lábios de Thanatos ensaiaram um sorriso no canto da boca.
— Você tem permissão para falar. Também tem a permissão para abaixar a mão, Damien.
— Oh, obrigado — Damien abaixou sua mão. — Bem, tudo que eu tenho a dizer, muito respeitosamente, é que as leis vampíricas dizem que, assim como o Juramento de Guerreiro, é que Stark está no direito de decidir onde e como ela deve ser protegida. Pelo menos foi o que aprendi semestre passado na aula de Sociologia Vampírica.
— Zoey está morrendo — as palavras de Duantia eram duras, mas seu tom era gentil. — Você deveria entender que em breve Stark estará livre de seu Juramento.
— Eu realmente entendo. Mas Zoey ainda não está morta, e o tudo que estou dizendo é que Stark tem o direito de ser seu protetor, do jeito que ele quiser, no que acreditar que seja melhor para ela, enquanto ela estiver viva.
— Eu tenho que concordar com o calouro. — Thanatos disse, balançando a cabeça respeitosamente para Damien. — Ele está absolutamente correto. Essa é a lei, bem como a responsabilidade de um Juramento de Guerreiro, de decidir o que é melhor para a segurança de sua Sacerdotisa. Zoey Redbird está viva; assim, ela ainda está sob a proteção de seu Guerreiro.
— E o restante do Conselho? Vocês concordam com Thanatos? — Duantia perguntou.
Stark segurou a respiração enquanto as outras cinco Altas Sacerdotisas falavam sim ou concordavam suavemente com a cabeça.
— Muito bem, calouro Damien. — Thanatos disse.
As bochechas de Damien ficaram rosa.
— Obrigado, Sacerdotisa.
Duantia sacudiu a cabeça.
— Por mim, não estou satisfeita como Thanatos em ver a possibilidade da morte de um jovem tão promissor. — Então a vampira se mexeu em concordância. — Mesmo que isso me deixe triste, eu tenho que me curvar à vontade de meu Conselho e às nossas leis. Stark, para onde você deseja levar sua Alta Sacerdotisa para passar seus últimos dias?
Antes que ele pudesse responder, a voz fria de Neferet interrompeu.
— Isso significa que também estou livre para ir e levar o corpo de meu consorte também?
— Nós já decidimos sobre isso, Neferet. — O tom de Thanatos correspondeu ao dela, frio por frio. — Sobre as condições estabelecidas, você pode retornar a Capri com o corpo de seu consorte.
— Obrigada. — Neferet disse. Ela fez um gesto brusco aos Filhos de Erebus que haviam levado o corpo de Kalona até a Câmara do Conselho anteriormente. — Levem Erebus. Nós estamos deixando esse lugar. — Neferet saiu imperiosamente da sala.
Todos estavam olhando-a sair quando Aphrodite agarrou o braço de Stark, e disse urgentemente, — Não dê a eles a resposta para onde você levará Zoey.
— Agora que a interrupção acabou, você pode dizer ao Conselho para onde você deseja levar sua Alta Sacerdotisa, Stark. — Disse Thanatos.
— Agora eu quero levá-la até o nosso quarto no palácio. Isso se estiver tudo bem. Eu realmente preciso de tempo para pensar no melhor para Zoey, e eu ainda não tive chance para isso.
— Jovem, mas sensato. — Thanatos aprovou.
— Estou satisfeita de saber que você terá a chance de dominar sua raiva, Guerreiro. — Disse Duantia. — Você poderá pensar claramente e com sabedoria.
Stark cerrou os dentes e curvou sua cabeça respeitosamente, com cuidado para não encontrar os olhos de ninguém do Conselho, com medo de que eles pudessem ver a sua verdadeira raiva não controlada.
— O Conselho te dá a permissão de se retirar do palácio com sua Alta Sacerdotisa ferida e seus amigos. Nós perguntaremos sobre sua decisão sobre para onde levá-la amanhã. Por favor, saiba que você ainda pode decidir permanecer aqui. Se você decidir por isso, nós disponibilizaremos o santuário todo para você. Pelo tempo que lhe for necessário.
— Obrigado. — Ele se curvou formalmente ao grupo de poderosas Altas Sacerdotisas.
— A reunião está encerrada. Nós devemos recomeçar amanhã. Até lá, abençoado seja.
Antes que até mesmo Darius pudesse ajudá-lo. Stark foi até Zoey, colocou seu corpo em seus braços, e, agarrando-a em seu corpo, levou-a da Câmara do Conselho.


— Conte-me absolutamente tudo que você sabe. — Ele tinha acabado de deixar o corpo de Zoey na cama, no quarto designado para eles e foi confrontar Aphrodite.
— Bem, não é muito, mas é o bastante para eu achar que os vamps estão errados. — Disse Aphrodite sentando em uma grande cadeira de veludo ao lado de Darius.
— Você quer dizer que por um acaso sabe aonde um Guerreiro deve ir para poder trazer de volta sua Alta Sacerdotisa? — Perguntou Damien, enquanto ele e Jack traziam cadeiras da sala de estar para o quarto.
— Não, Não exatamente.
— O que você quer dizer então, Aphrodite? — Stark andava de um lado para o outro em frente à cama de Zoey.
— Eu quero dizer que não dou a mínima para histórias antigas. — Disse Aphrodite.
— Pessoas que ignoram a história, acabam repetindo-as. — Disse Damien.
— Eu não disse que ignoro a história, garoto gay. Só disse que não dou a mínima para ela. — Os olhos afiados de Aphrodite foram de Damien para as Gêmeas que ainda estavam paradas na porta. — Gêmeas estúpidas, por que vocês estão aí espionando?
— Nós não estamos espionando, odiosa. — A voz de Shaunee era um pouco mais que um sussurro.
— É, nós estamos respeitando, isso sim. — Erin completou com o mesmo sussurro.
— Ah pelo amor do saco plástico, sobre o que vocês estão falando? — Aphrodite disse.
— É desrespeitoso para Zoey, hum, o seu corpo, estarmos todos falando enquanto ela está... — Shaunee não sabia o que falar, olhando para sua gêmea a procura de ajuda.
Antes que Erin pudesse, como normalmente, completar a frase, Stark disse:
— Não, nós não estamos tratando Zoey como se ela estivesse morta, ela só não está aqui, só isso.
— Então, isso aqui é mais como uma sala de espera do que uma sala de hospital. — Disse Jack, mexendo-se em sua cadeira para que pudesse tocar a mão de Zoey.
— Sim, como uma sala de espera para alguma coisa realmente boa. — Disse Stark.
— Como no DETRAN, quando você passa no teste de direção e tem uma foto horrorosa tirada para sua carteira e fica esperando eles te darem a licença? — Jack perguntou.
— É, mas sem a sujeira e os grosseirões — Aphrodite disse. — Então peguem algumas cadeiras, garotas que dividem o cérebro e parem de agir como se Zoey fosse um cadáver.
As Gêmeas hesitaram, olharam uma para outra, balançaram os ombros e então pegaram cadeiras e entraram para o pequeno círculo.
— Está bem, agora que estamos todos juntos nisso, você precisa nos dizer o que a Stevie Rae te contou. — Darius disse.
Aphrodite sorriu para o Guerreiro. — Como você sabe que ela me deu a informação?
— Eu conheço você — ele respondeu.
Stark cerrou os punhos e desviou o olhar do vínculo que era tão óbvio entre Aphrodite e Darius. Ele queria bater em alguma coisa. Ele precisava bater em alguma coisa. Ele iria explodir se não pudesse colocar para fora todos os sentimentos que estavam o sufocando. Então as palavras de Aphrodite penetraram na bagunça que estava sua mente, e ele se virou para encará-la.
— Repita isso!
— Eu disse que Kalona realmente está no Outromundo. Neferet o enviou para lá para ter certeza de que Zoey não iria se recuperar e voltar para cá.
— Espere, não. Eu me lembro vagamente de ter ouvido Kalona falando com Rephaim uma vez. Ele estava realmente bravo porque o corvo tinha falado alguma coisa sobre retornar ao Outromundo. Eu tenho certeza de que Kalona disse que não poderia porque Nyx o expulsou de lá.
— Ela expulsou o corpo. E o corpo dele não está lá. — Aphrodite disse. — É a alma dele que voltou para lá.
— Ohminhadeusa! — Damien disse.
— Zoey está num problema bem maior do que pensávamos. — Erin disse, com tristeza.
— E este é um problema realmente grande. — Shaunee concordou.
— E fica cada vez pior. — Aphrodite disse. — Neferet está por trás de tudo isso. — Ela suspirou e encontrou os olhos de Stark. — Tá, isso não é muito legal de se ouvir, mas você precisa ouvir e se acostumar com isso. Kalona costumava ser o Guerreiro de Nyx.
A cor sumiu do rosto de Stark. — Zoey me falou sobre isso um pouco antes... — Ele passou uma mão pelo cabelo. — Eu não acreditei nela. Fiquei bravo, estúpido e com ciúme. É por isso que eu não estava lá quando ela viu Kalona matar Heath.
— Você tem que achar um jeito de se perdoar por esse erro. — Darius disse para Stark. — Se você realmente não fizer, não vai poder se concentrar no aqui e agora.
— E você vai ter que estar muito concentrado para salvar Zoey. — Aphrodite disse.
— Porque você terá que ir até o Outromundo lutar com Kalona por Zoey. — A voz de Jack era firme, como se ele estivesse falando durante a missa.
— E achar uma maneira de ajudá-la a recuperar os pedaços de sua alma. — Damien disse.
— Então é isso que eu vou fazer. — Stark ficou feliz por parecer confiante, porque sentiu como se alguém tivesse chutado sua barriga.
— Se tentar fazer isso sem nenhuma preparação, não terá chance de sucesso, jovem Guerreiro.
Os olhos de Stark seguiram a voz até a porta, onde Thanatos estava em pé, parecendo alta e severa além de um pouco como se fosse a morte personificada.
— Então me diga como me preparar! — Stark queria gritar de tanta frustração.
— Para entrar no Outromundo, o Guerreiro em você deve morrer para dar o nascimento a um Xamã.
Stark não hesitou.
— Tudo que eu tenho a fazer é me matar? Você quer dizer que assim poderei ir até o Outromundo e ajudar Zoey?
— Não uma morte, literalmente, Guerreiro. Pense em como ficaria o espírito já ferido de Zoey se ela ainda tivesse que suportar a sua morte assim como a do consorte dela.
— Ela não voltaria de jeito nenhum. — Damien disse, solenemente. — Até mesmo se ela pudesse juntar os pedaços de sua alma.
— É exatamente nisso que eu acredito que aconteceu com as outras Altas Sacerdotisas que foram seguidas por seus Guerreiros. — Thanatos disse, entrando no quarto e seguindo em direção à cama de Zoey.
— Então os outros Guerreiros realmente se mataram para proteger suas Sacerdotisas? — Aphrodite chegou mais perto de Darius e entrelaçou os dedos nos dele.
— Muitos deles sim, e os guerreiros que não morreram antes de suas almas deixarem seus corpos, morreram. Você deve saber que Guerreiros não são Altas Sacerdotisas. Eles não têm as habilidades necessárias para transitar livremente no mundo espiritual.
— Kalona está lá e ele definitivamente não é uma Alta Sacerdotisa. — Stark disse.
— Todos nós que não acreditam que ele é Erebus que voltou para terra, sabem que ele é alguém que voltou do Outromundo. As regras para um Guerreiro ou até mesmo um vampiro que não é guerreiro não se aplicam a ele.
— Mas ele é limitado — Aphrodite disse.
— Conte-me o que você viu, Profetisa. — Thanatos disse.
Aphrodite hesitou.
— Conte tudo a ela. — Damien disse. Aphrodite encontrou os olhos dele. — Nós temos que confiar em alguém, ou isso não terminará diferente para Zoey e Stark do que terminou para os outros Guerreiros e Altas Sacerdotisas.
— Nós devemos acreditar na morte, também — Stark disse. — Porque de um jeito ou de outro, é o que terei de fazer para chegar até Zoey.
Aphrodite olhou do rosto de Stark para Darius:
— Eu concordo.
— Eu também — disse Jack.
— Sim — disse Shaunee.
— Diga tudo a ela. — Erin completou.
— Está bem — Aphrodite concordou. Ela deu um sorriso a Thanatos. — Então acho melhor começar com Neferet, e você deveria se sentar.

Um comentário:

  1. — Sua puta de merda! — Stark gritou para Neferet

    kkkkkkkk rindo litros

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!