8 de outubro de 2015

Capítulo 8 - Zoey

Meu estômago se contraiu e eu me senti como se fosse vomitar.
 Estou indo — eu disse a Damien.  Mas adoraria que você fosse comigo — quando ele assentiu sombriamente, olhei para Stevie Rae e Aphrodite. — Vocês duas também, tá?
 É claro que nós vamos com você  Stevie Rae respondeu.
Desta vez Aphrodite não reclamou por Stevie Rae ter respondido por ela. Simplesmente concordou e falou:
 Estou dentro.
Estava me virando para procurar por Stark quando de repente ele apareceu do meu lado. Sua mão desceu pelo meu braço até que nossos dedos se encontraram e se entrelaçaram.
— É sobre a sua mãe?
Não confiei em minha voz, então apenas concordei com a cabeça.
— Sua mãe? Pensei que Damien tivesse dito que a sua avó estava aqui — Stevie Rae estranhou.
 Sim, ele disse isso  Aphrodite falou antes de Damien. Ela estava me observando com um olhar que a faz parecer mais velha (e mais agradável) do que era.
 É sobre a sua mãe?
Stark olhou para mim e eu concordei de novo com a cabeça. Então ele explicou:
 A mãe de Zoey está morta.
 Oh, não!  Damien exclamou, com lágrimas instantaneamente nos seus olhos.
 Não, ok?  eu disse rápido.  Não vamos fazer isso aqui. Não quero todo mundo em cima da gente.
Damien apertou os lábios, piscou forte e assentiu.
— Vamos lá Z. Vamos todos ver a sua avó  Stevie Rae veio para o meu outro lado e me deu o seu braço. Aphrodite segurou a mão de Damien e eles nos seguiram.
Durante todo o caminho, tentei me preparar para o que vovó ia me contar. Acho que eu estava tentando me preparar para isso desde que acordei do meu sonho em que visitei o Outromundo e testemunhei Nyx dando boas vindas para o espírito de minha mãe. Mas, na verdade, e eu somente percebi isso quando entrei no prédio principal da escola e me aproximei do saguão da frente, é que eu nunca estaria preparada para receber essa noticia.
Um pouco antes de atravessarmos a última porta, Stark apertou minha mão.
— Eu estou aqui. Te amo.
 Eu também te amo, Z.  Stevie Rae afirmou.
— Eu também  Damien falou e deu um pequeno soluço.
 Você pode pegar emprestado o meu brinco de diamantes de dois quilates — Aphrodite disse.
Eu parei e me virei para ela.
 Hã?
Ela deu de ombros.
 Isso é o mais próximo de uma declaração de amor que você vai ouvir de mim.
Ouvi Stevie Rae soltar um suspiro enorme e vi a testa de Damien ficar úmida quando ele se virou para ela sem acreditar. Mas eu simplesmente respondi.
— Obrigada. Vou aceitar.
Isso fez Aphrodite franzi as sobrancelhas e resmungar.
— Deusa, eu odeio ser gentil.
Eu me soltei de Stark e Stevie Rae e abri a porta dupla. Vovó estava sozinha no salão, sentada em uma espaçosa poltrona de couro. Damien estava certo, vovó andara chorando. Ela parecia velha e muito, muito triste. Assim que ela me viu, ficou em pé. Nós nos encontramos no meio do salão e nos abraçamos.
Quando ela finalmente parou de me abraçar, deu um passo para trás apenas o suficiente para olhar no meu rosto. Ela manteve suas mãos nos meus ombros. As mãos dela eram quentes, sólidas e familiares, e de algum modo aquele toque fez que o nó no meu estômago fosse suportável.
 Mamãe está morta  eu tive que dizer isso antes que ela o fizesse.
Vovó não pareceu surpresa por eu já saber. Ela simplesmente concordou e falou:
 Sim, u-we-tsi-a-ge-ya. Sua mãe está morta. O espírito dela veio até você?
 De certo modo. Na noite passada, enquanto eu estava dormindo, Nyx me mostrou mamãe entrando no Outromundo.
Pelas suas mãos, senti o tremor que atravessou o corpo de vovó. Ela fechou os olhos e cambaleou. Por um segundo, tive medo de que ela fosse desmaiar, então cobri suas mãos com as minhas.
 Espírito, venha até mim! Ajude vovó!
O elemento com o qual eu tinha a conexão mais forte respondeu imediatamente.
Eu o senti girar como um redemoinho através de mim e entrar na vovó, que arfou e parou de cambalear, mas não abriu os olhos.
 Ar, venha para mim. Por favor, envolva vovó Redbird e deixe-a respirar fundo  Damien deu um passo para o meu lado e tocou o braço de vovó suavemente, enquanto uma brisa impossível rodopiou em volta de nós.
 Fogo, venha para mim. Por favor, aqueça a avó de Zoey para que, mesmo que ela esteja triste, não sinta frio.
Pisquei surpresa quando Shaunee se juntou a Damien.
Ela também tocou o braço de vovó por um segundo, então sorriu com os olhos e falou:
 Kramisha disse que você precisava de nós.
 Água, venha para mim. Banhe a avó de Z. E, por favor, leve embora um pouco da tristeza dela com você  Erin tomou seu lugar ao lado de Shaunee, tocando as costas de vovó. Então, exatamente como sua gêmea, ela sorriu através de lágrimas para mim.  É, e a gente nem teve que ler o poema dela. Ela só disse para a gente vir para cá.
Os olhos de vovó ainda estavam fechados, mas eu vi seus lábios se curvarem levemente para cima.
 Mas o meu poema era bom  a voz de Kramisha veio de algum lugar atrás de mim.
Depois da bufada de Aphrodite, ouvi Stevie Rae dizer:
— Terra, por favor, venha para mim  ela veio para o meu outro lado e colocou seu braço em volta de vovó.  Deixe a vovó de Z pegar um pouco do seu poder emprestado para que ela possa ficar bem de novo logo.
Vovó inspirou profundamente três vezes. Quando ela soltou a respiração pela última vez, abriu os olhos e, apesar de ainda haver tristeza neles, seu rosto não estava mais com a aparência assustadora e desolada de uma pessoa velha que ela tinha na hora em que eu a vira.
 Explique a eles o que eu vou fazer, u-we-tsi-a-ge-ya.
Eu não estava certa sobre o que vovó estava aprontando, mas concordei. Eu sabia que ela ia me fazer entender, e eu estava certa. Ela foi até cada um dos meus quatro amigos. Começando por Damien, ela tocou seu rosto e disse:
— Wa-do, Inole. Você me fortaleceu.
Enquanto ela ia até Shaunee, eu expliquei para meus amigos:
 Vovó está agradecendo vocês nomeando-os com a palavra Cherokee para cada um dos seus elementos.
 Wa-do, Egela. Você me fortaleceu  vovó tocou as bochechas de Shaunee e se voltou para Erin.
 Wa-do, Ama. Você me fortaleceu  por último, ela tocou o rosto de
Stevie Rae, ainda molhado de lágrimas.
 Wa-do, Elohine. Você me fortaleceu.
— Obrigado, vovó Redbird  cada um dos quatro murmurou:
 Gv-li-e-le-ga – vovó disse, e repetiu em nossa língua:  Obrigada — então ela olhou para mim.  Agora eu consigo suportar contar para você  ela parou na minha frente e pegou minhas duas mãos.  Sua mãe foi assassinada na minha plantação de lavanda.
— O quê?  senti um choque me atravessar.  Eu não entendo. Como? Por quê?
— O xerife disse que foi um roubo e que ela estava no caminho dos bandidos. Ele acha que, como levaram meu computador, minha televisão e minhas câmeras, e por causa da violência gratuita do crime, provavelmente foram viciados que roubaram para comprar drogas  vovó apertou minhas mãos. — Ela tinha deixado o marido, Zoey RedBird, e vindo me procurar. Eu estava em uma cerimônia. Não estava lá para acolhê-la  a voz de vovó ficou estável, mais lágrimas se empoçaram nos seus olhos e então começaram a cair.
— Não, vovó, não se culpe. Não foi culpa sua e, se você estivesse lá, eu teria perdido vocês duas e não conseguiria suportar isso!
 Eu sei, u-we-tsi-a-ge-ya, mas a morte de uma filha, mesmo uma que havia se perdido da mãe, é um fardo muito pesado.
 Foi muito... ela... mamãe sofreu?  minha voz era um pouco mais que um sussurro.
— Não. Ela morreu rápido  vovó respondeu sem hesitar, mas eu pensei ter visto algo passar pelos seus olhos.
 Você a encontrou?
Vovó concordou, com lágrimas descendo cada vez mais rápido pelo seu rosto.
— Sim. Ela estava no campo bem ao lado de casa. Linda estava deitada ali e parecia tão em paz que no começo achei que ela estava dormindo  a voz de vovó foi interrompida por um soluço.  Mas ela não estava.
Segurei firme nas mãos de vovó e disse as palavras que eu sabia que ela precisava ouvir:
 Ela está feliz, vovó. Eu a vi. Nyx tirou a tristeza dela. Ela está esperando por nós no Outromundo e ela tem a benção da Deusa.
 Wa-do, u-we-tsi-a-ge-ya. Você me fortaleceu  vovó sussurrou para mim enquanto me abraçava de novo.
 Vovó — falei contra sua bochecha.  Por favor, fique comigo, pelo menos por um tempinho.
 Não posso u-we-tsi-a-ge-ya ela deu um passo para trás, mas continuou segurando a minha mão.  Você sabe que eu vou seguir as tradições do nosso povo e vou prantear por sete dias inteiros, e este não é o lugar certo para fazer isso.
— A gente não está ficando aqui, vovó  Stevie Rae disse, enxugando o rosto com a manga.  Zoey e todo o nosso grupo nos mudamos para os túneis embaixo da estação de Tulsa. Eu sou a Alta Sacerdotisa oficial de lá e adoraria se você viesse ficar com a gente, por sete dias, sete meses ou pelo tempo que quiser.
Vovó sorriu para Stevie Rae.
 É uma oferta generosa, Elohine, mas a sua estação também não é o lugar certo para eu ficar durante o período de luto  os olhos dela encontraram os meus e eu sabia o que ela ia dizer antes que começasse a falar.  Preciso ficar na minha terra, na minha fazenda. Tenho que passar a próxima semana comendo e dormindo bem pouco. Preciso me concentrar em purificar a minha casa e a minha terra desse horrível malfeito.
 Sozinha, vovó?  Stark estava ali ao meu lado, com sua presença forte e afetuosa.  É seguro depois do que aconteceu?
 Tsi-ta-ga-a-sh-ya, não se iluda com a minha aparência  ela chamou Stark de galo, o nome do animal que ela o batizou.  Eu posso ser muitas coisas, mas não sou uma mulher velha e indefesa.
 Nunca achei que você fosse indefesa  Stark emendou.  Mas talvez não seja uma boa ideia você ficar sozinha.
 É vovó. O que Stark diz faz sentido  falei.
 U-we-tsi-a-ge-ya, preciso purificar minha casa, minha terra e a mim mesma durante meu pranto e meu luto. Não posso fazer isso a menos que eu esteja em paz com a terra, e eu não vou ficar dentro de casa até que ela esteja totalmente purificada e os sete dias tenham passado. Vou acampar no jardim de trás, na clareira perto do riacho  vovó sorriu para Stark, Stevie Rae e o resto dos meus amigos.  Acho que você não ia passar muito bem exposto à luz do sol por tanto tempo.
 Bem, vovó, eu...  comecei, mas ela me interrompeu.
 Isso é algo que eu tenho que fazer sozinha, u-we-tsi-a-ge-ya. Mas há algo que eu preciso pedir a você.
 Qualquer coisa  eu falei.
 Daqui a sete dias, você pode ir a minha fazenda com seus amigos? Você pode traçar um círculo e conduzir o seu próprio ritual de limpeza?
 Eu vou  concordei e meu olhar se voltou para os meus amigos que me rodeavam.
 Nós vamos  Stevie Rae acrescentou. Suas palavras foram ecoadas pelos garotos que estavam de pé ao meu lado e à minha volta.
 Então é assim que vai ser  vovó disse com firmeza.  A tradição Cherokee de luto e purificação vai ser acoplada ao ritual vampiro. É bom que seja assim, já que minha família se expandiu para incluir tantos vampiros e calouros  ela olhou ao redor para o meu grupo.  Eu peço mais uma coisa. Que cada um de vocês tenham pensamentos de luz sobre mim e a mãe de Zoey pelos próximos sete dias. Não importa que Linda tenha vacilado durante sua vida. O que importa é que ela seja lembrada com amor e pensamentos bondosos.
As frases “pode deixar” e “ok, vovó” soaram em volta de mim.
 Agora eu vou embora, u-we-tsi-a-ge-ya. O sol não vai demorar a nascer, e eu vou saudá-lo na minha terra  ainda de mãos dadas, vovó e eu caminhamos até a porta. Quando passamos pelos meus amigos, cada um deles tocou e disse “até logo, vovó”, o que a fez sorrir entre lágrimas.
Ao atravessarmos a porta, tivemos uma pequena bolha de privacidade, e eu a abracei de novo, dizendo:
 Eu entendo por que você tem que ir, mas eu realmente preferia que você não fosse.
 Eu sei, mas daqui a sete dias...
Então a porta foi aberta e de repente Neferet estava lá, parecendo sombria e ilusoriamente bonita.
 Sylvia, eu soube da sua perda. Por favor, aceite meu sincero pesar por ter sido a sua filha quem morreu.
Vovó ficou tensa ao som da voz de Neferet e se soltou do meu abraço. Ela respirou fundo e encontrou o olhar da vampira.
 Eu aceito os seus pêsames, Neferet. Realmente sinto a sinceridade nas suas palavras.
 Existe algo que a House of Night possa fazer por você? Há alguma coisa de que você precise?
 Os elementos já me fortaleceram e a Deusa já deu boas-vindas para minha filha no Outromundo.
Neferet assentiu.
— Zoey e seus amigos são gentis e a Deusa é generosa.
 Eu não acredito que seja gentileza ou generosidade o que estava por trás das ações de Zoey, seus amigos e a Deusa. Acho que foi amor. Você não acha, Alta Sacerdotisa?
Neferet fez uma pausa, como se ela realmente estivesse pensando na pergunta de vovó, e então respondeu:
 O que acho é que você pode estar certa.
 Sim, eu posso. E há uma coisa que eu preciso da House of Night.
 Nós ficaremos honrados em ajudar uma Sábia Cherokee em um momento de necessidade  Neferet afirmou.
 Obrigada. Gostaria de pedir que Zoey e o seu círculo tenham permissão para ir até minha fazenda daqui a sete dias para realizar um ritual de purificação. Isso vai complementar o meu luto e limpar minha casa de qualquer mal que ainda possa ter restado.
Eu vi algo passar dentro dos olhos intensos de Neferet – algo que pelo menos por um momento, pode ter sido medo. Mas, quando ela falou, sua expressão e sua voz refletiam apenas um interesse educado.
 É claro. Eu dou permissão para esse ritual de bom grado.
 Obrigada, Neferet — vovó disse e então me abraçou mais uma vez e me beijou suavemente.  Daqui a sete dias, u-we-sti-a-ge-ya, eu vou vê-la de novo.
Pisquei com força para evitar que minhas lágrimas caíssem. Não queria que a última visão que a vovó tivesse de mim fosse relacionada a choro e meleca de nariz.
 Sete dias. Eu a amo muito, vovó. Nunca se esqueça disso.
 Eu não posso esquecer isso assim como não me esqueço de respirar. Eu também te amo, filha.
Então vovó se virou e foi embora. Eu fiquei parada na entrada da escola, observando suas costas fortes e eretas até que a noite a encobriu totalmente.
— Vamos, Z  Stark colocou seu braço em volta do meu ombro. — Acho que já chega de escola por hoje. Vamos para casa.
 É, Z. Vamos para casa  Stevie Rae concordou.
Eu estava assentindo e me preparando para dizer “tudo certo” quando senti um calor súbito queimando o meu peito. No começo fiquei confusa.
Ergui minha mão para esfregar o local de ardência e toquei o círculo duro que estava irradiando o calor.
De repente, Aurox deu um passo e entrou no meu campo de visão. Ele estava com Dragon Lankford.
 Zoey, eu ouvi as noticias sobre sua mãe. Sinto muito  Dragon disse.
 O-obrigada  murmurei.
Não olhei para Aurox. Lembrei das palavras de Lenobia, de que eu precisava fazer cara de pôquer perto dele, mas eu me sentia tão machucada e ferida que não consegui fazer nada além de falar sem pensar para Stark.
— Quero ir para casa, mas primeiro preciso de um momento comigo mesma — antes mesmo que ele pudesse dizer “tudo bem”, eu me desvencilhei do seu braço e passei rápido por Dragon e Aurox.
 Zoey?  Stark me chamou. — Aonde você...
— Vou estar no chafariz do jardim perto do estacionamento  eu disse por sobre o ombro para ele. Pude ver que ele estava franzindo a testa preocupado, mas eu não consegui evitar. Eu precisava sair dali naquela hora.  Venha me chamar quando todos já estiverem dentro do ônibus e a gente puder partir.
Não esperei pela sua resposta. Abaixei a cabeça e andei apressada pela calçada que ladeava o prédio principal da escola. Quase correndo, virei à direita e fui direto para o banco de ferro que ficava abaixo de uma das árvores em círculo que emolduravam o chafariz e o pequeno jardim, que os calouros chamavam de jardim dos professores, pois era perto da parte da escola que eles moravam. Eu sabia que se alguém olhasse pelas janelas amplas e ornamentadas eu seria vista, mas eu também sabia que todos os professores deveriam estar terminando a sexta aula nas suas classes, o que significava que este era o único lugar do campus em que eu podia quase com certeza ficar sozinha a esta hora.
Então eu me sentei ali, na sombra de um grande ulmeiro, tentando controlar meus pensamentos. A presença de Aurox tinha confundido meus pensamentos.
Agora, neste segundo, eu não me importo nem um pouco. Mamãe está morta. Seja o que for que Neferet e o Mal estejam preparando para mim, eles podem tirar o cavalinho da chuva. Todos podem tirar o cavalinho da chuva.
Meus pensamentos pareceram maldosos e duros, mas a lágrima que estava deslizando pelo meu rosto contava uma história diferente.
Mamãe não está mais neste mundo. Ela não está mais em casa esperando pelo padrastro-perdedor e cuidando da cozinha. Eu não posso ligar para ela e deixá-la brava comigo e ouvi-la me dar um sermão por eu ser uma filha horrível.
Era uma sensação estranha ser órfã. Quero dizer, eu e ela não fomos próximas por mais de três anos, mas mesmo assim sempre continuava no fundo da minha mente a esperança de que um dia ela ia recobrar a razão, abandonar aquele idiota com quem ela tinha se casado e voltar a ser a Mamãe.
 Ela tinha-o abandonado  eu falei.  Tenho que lembrar disso — minha voz deu um nó, mas limpei a garganta e falei em voz alta novamente para a noite.  Mamãe, sinto muito que nós não pudemos nos despedir. Eu amo você. Sempre amei. Sempre vou amar  então coloquei meu rosto entre minhas mãos, cedi a terrível tempestade de tristeza que estava dentro de mim e comecei a chorar convulsivamente.

Aurox

A caloura chamada Zoey – aquela com as tatuagens estranhas que cobriam não apenas seu rosto, mas também seus ombros, mãos e, como Neferet havia contado, algumas outras partes do seu corpo – fez que ele se sentisse estranho.
Neferet dissera que Zoey era inimiga dela. Isso fazia de Zoey sua inimiga também. Ela era inimiga de sua mestre e representava perigo – e esse perigo deve ter sido a causa da estranheza que ele sentiu quando ela estava por perto. Aurox prestara atenção na direção que Zoey havia tomado quando ela saiu apressada. Ele deveria estar atento a tudo relacionado a ela. Zoey era perigosa.
 Neferet, preciso falar com você sobre as novas aulas que estão sendo ministradas na arena de Lenobia  Dragon Lankford estava dizendo.
Os olhos de Neferet se voltaram para Dragon.
 Foi decidido pelo Conselho Supremo que esses calouros vão ficar na escola, pelo menos por enquanto.
 Eu entendo, mas...
 Mas você prefere ter o Corvo Escarnecedor na sua classe?  Neferet foi ríspida.
 Rephaim não é mais um Corvo Escarnecedor  a Alta Sacerdotisa Vermelha saiu rapidamente em defesa do seu companheiro.
 E ainda assim ele chama aquelas criaturas, aqueles Corvos Escarnecedores, de irmãos  Aurox disse.
 De fato, Aurox, essa é uma observação relevante  Neferet falou sem olhar para ele. — Como você é o presente de Nyx para mim, acho que é importante que nós escutemos as suas observações.
— O que isso tem de mais? Eles são irmãos dele. Ele não está tentando esconder isso  balançando a cabeça, a Alta Sacerdotisa Vermelha encontrou seus olhos. Aurox viu tristeza e raiva ali, mas essas emoções não eram fortes o bastante para que ele extraísse poder delas. — Você não deveria ter matado aquele Corvo Escarnecedor. Ele tinha parado de atacar.
 Você acha que nós devemos esperar que aquelas criaturas destruam outro de nós antes de agirmos contra elas?  Dragon perguntou.
A ira do Mestre das Armas era mais tangível e Aurox absorveu algum poder dela. Ele a sentiu ferver seu sangue, pulsando, alimentando-o, transformando-o.
 Aurox, você não é necessário aqui. Pode continuar com as suas funções. Comece aqui no prédio principal da escola e ande em volta de todo o perímetro do campus. Patrulhe os jardins. Certifique-se de que nenhum Corvo Escarnecedor volte  sua mestra deu uma olhada para a Alta Sacerdotisa Vermelha e acrescentou:  Minha ordem é atacar apenas aqueles que ameacem você ou a escola.
 Sim, Sacerdotisa  ele se curvou para ela e então voltou para a porta e saiu para a noite, enquanto ouvia a Alta Sacerdotisa Vermelha ainda defendendo seu companheiro.
Ela também é uma inimiga, apesar de minha mestra dizer que é uma espécie diferente de inimiga, uma espécie que pode ser usada.
Aurox pensou sobre a dificuldade daqueles que se opunham a Neferet. Ela havia explicado que ele que em breve todos esses calouros e vampiros ou iriam se submeter à vontade dela ou seriam destruídos.
Sua mestra esperava ansiosa por esse dia. Aurox também.
Ele saiu da calçada, virando á direita em direção à extremidade do prédio principal da escola. Aurox se manteve afastado da luz bruxuleante dos lampiões de gás. Instintivamente, ele preferia as sombras mais profundas e os cantos mais escuros. Seus sentidos estavam sempre em alerta, sempre procurando. Então foi estranho que o lenço de papel o alarmasse.
Era um simples retângulo branco. Ele flutuou no vento, esvoaçando na frente dele quase como um pássaro. Ele parou e estendeu o braço, arrancando o lenço da noite.
Que estranho, ele pensou, um pedaço de papel flutuando.
Inconscientemente, ele o enfiou no bolso da sua calça jeans. Dando de ombros para o meu pressentimento, ele continuou andando.
As emoções dela o atingiram depois que ele deu mais dois passos.
Tristeza – um pesar muito sério e profundo. E culpa. Havia culpa entre os sentimentos dela também.
Aurox sabia que era a jovem Alta Sacerdotisa Caloura – Zoey Redbird. Ele disse a si mesmo que havia se aproximado dela apenas porque era sábio observar o inimigo. Mas enquanto ele se aproximava, enquanto os sentimentos dela o inundavam, algo inesperado aconteceu dentro dele. Em vez de absorver as suas emoções e se alimentar delas, Aurox as absorveu e as sentiu.
Ele não se transformou. Ele não começou a tomar a forma da criatura de grande poder.
Em vez disso, Aurox sentiu.
A tristeza de Zoey o puxou para a frente e, quando ele parou nas sombras ao redor dela e a observou chorando convulsivamente, a emoção dela fluiu para dentro dele e se acumulou em um lugar pequeno, quieto e escondido bem no fundo do seu espírito.
Enquanto Aurox absorvia a tristeza, a culpa, a solidão e o desespero de Zoey, alguma coisa se atingiu dentro dele em resposta. Era totalmente inesperado e completamente inaceitável, mas Aurox sentiu vontade de confortar Zoey Redbird. O impulso era tão estranho a ele que o choque fez que ele se movimentasse instintivamente, como se o seu subconsciente comandasse o seu corpo.
Ele saiu da escuridão no mesmo momento em que ela pressionou a palma da sua mão em um lugar no meio dos seus seios. Ela piscou, obviamente tentando ver entre lágrimas, e os olhos dela encontraram os seus.
O corpo dela se endireitou e ela pareceu prestes a sair em disparada.
 Não, você não precisa ir embora  ele se ouviu dizer.
— O que você quer?  ela falou e então deu outro pequeno soluço.
 Nada. Eu estava passando. Você estava chorando. Eu ouvi.
 Quero ficar sozinha  ela afirmou, enxugando o rosto com as costas da mão e fungando.
Aurox não percebeu o que ele estava fazendo até que ele e a garota ficaram olhando para o lenço de papel que ele havia tirado do bolso para oferecer a ela.
 Então vou deixar você sozinha, mas você precisa disto — ele disse, soando constrangido e estranho aos seus próprios ouvidos.  Seu rosto está muito molhado.
Ela olhou para o lenço de papel por um instante antes de pegá-lo. Então ela levantou os olhos para ele.
 Meu nariz fica cheio de muco quando eu choro.
Ele sentiu sua cabeça assentir.
 Sim, é verdade.
Ela soou o nariz e enxugou seu rosto.
 Obrigada. Eu nunca tenho um lencinho Kleenex quando preciso.
 Eu sei  então ele sentiu o rosto ficar vermelho e quente e seu corpo ficar frio, pois não havia motivo nenhum para ele dizer uma coisa dessas. Ele não devia falar com essa caloura inimiga de modo algum.
Ela estava olhando para ele de novo, com uma expressão esquisita.
— O que você disse?
 Que eu preciso ir  Aurox se virou e saiu rápido em direção à noite.
Ele esperava que as emoções que ela o havia feito sentir desaparecessem, saíssem dele, como havia acontecido com as emoções dos outros depois que ele as absorveu, usou-as e as deixou de lado. Mas um pouco da tristeza de Zoey ficou dentro dele, assim como a sua culpa e, o mais peculiar de tudo, como a solidão dela, que ficou empoçada em um abismo profundo e escondido na sua alma.

5 comentários:

  1. Só um lenço.
    Tanto a mostrar.
    ♡♥♡♥♡♥♡♥

    ResponderExcluir
  2. ''Que estranho, ele pensou, um pedaço de papel flutuando.'', own

    ResponderExcluir
  3. "— Obrigada. Eu nunca tenho um lencinho Kleenex quando preciso.
    — Eu sei"

    Pequenas coisas do meu Heath

    ResponderExcluir
  4. Ahhhh Heath ❤️❤️❤️❤️

    ResponderExcluir
  5. meu heath esta em algum lugar ali dentro...
    lanny

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!