7 de outubro de 2015

Capítulo 8 - Stevie Rae

— Eu acho que vocês deveriam dar uma pausa Zoey. Depois do que ela passou ela poderia ter umas férias — de Stevie Rae disse.
— Se isso é tudo o que é — disse Erik.
— O que é que isso quer dizer?
— Significa que ela não está pensando em voltar. De qualquer forma.
— Isso é simplesmente idiota.
— Você já falou com ela? — Erik perguntou.
— Não, e você? — ela respondeu.
— Não.
— Na verdade, Erik levantou um ponto válido — disse Lenobia. — Ninguém falou com Zoey. Jack disse que ela não está retornando. Eu falei com Aphrodite. Ela e Darius, de fato, chegarão em breve. Zoey não está fazendo ou recebendo chamadas.
— Zoey está cansada. Stark ainda é confuso. Não foi isso que Jack relatou? — Stevie Rae disse.
— Sim — Dragon Lankford disse. — Mas a verdade é que nós mal falamos com Zoey desde o seu regresso do Outromundo.
— Ok, sério, por que isso é um negócio tão grande? Você está agindo como Z é tipo de péssimo aluno que mata aula, e não uma chute-no-traseiro Sacerdotisa.
— Bem, por um lado, isso nos preocupa porque ela tem tanto poder. Com o poder vem responsabilidade. Você sabe disso — Lenobia disse. — E depois há a questão de Neferet e Kalona.
— Aqui tenho que falar — disse a professora Penthasilea. — Eu não sou o único de nós que recebeu a mensagem mais recente do Conselho Superior. Não há Neferet e Kalona. Neferet rompeu com seu Consorte desde que seu espírito retornou ao seu corpo e ele recuperou a consciência. Neferet o açoitou publicamente, e depois baniu-o de seu lado, e da sociedade vampírica por um século. Neferet liderou sua punição pelo crime de matar o garoto humano. O Conselho Superior deliberou que Kalona, e não Neferet, foi o responsável pelo crime.
— Sim, nós sabemos disso, mas... — Lenobia começou.
— O que vocês estão falando? — Stevie Rae interrompido, sentindo que sua cabeça ia explodir.
— Parece que não estamos na lista de e-mail — Kramisha disse, com olhar assustado como Stevie Rae.
À medida que o relógio começou a bater meia-noite, Neferet saiu de dentro da porta escondida que a entrada da Alta Sacerdotisa à Câmara de Conselho Tulsa. Ela se moveu com propósito para a enorme mesa redonda. Sua voz era como chicote e cheio de confiança e de comando.
— Eu vejo que retornei não tão cedo. Será que alguém poderia me explicar por que começaram a permitir acesso aos calouros em nossas reuniões de conselho?
— Kramisha é mais do que apenas um principiante. Ela é um poeta Laureate e profetisa. Adicione a isso o fato de que eu sou uma Alta Sacerdotisa e eu a convidei - tudo o que lhe dá o direito de estar nesta reunião de Conselho. — Stevie Rae engoliu o medo doentio que veio com confronto a Neferet e ficou incrivelmente aliviada que sua voz soou firme quando ela finalmente libertou as palavras do fundo da garganta. — E porque você não está presa pelo assassinato de Heath?
— Presa? — O riso de Neferet foi cruel. — Que descaramento! Eu sou uma Alta Sacerdotisa, uma que ganhou esse título e não simplesmente foi dada a ela por ausência de uma.
— E ainda assim você evita a questão de sua culpabilidade no assassinato do humano — Dragon disse. — Eu também não recebi comunicação do Alto Conselho Vampiro. Gostaria de uma explicação de sua presença, e por que não foi responsabilizada pelo comportamento de seu consorte.
Stevie Rae esperava que Neferet explodisse com o questionamento de Dragon, mas a expressão dela suavizou e seus olhos verdes ficaram cheios de pena.
A voz de Neferet estava quente e compreensiva quando ela respondeu ao Mestre de Espada. — Eu imagino que o Conselho Superior está segurando a sua comunicação, porque eles estão cientes que você ainda está sofrendo profundamente pela perda de sua companheira.
A face de Dragon empalideceu, mas seus olhos azuis endureceram. — Eu não perdi Anastasia. Ela foi tirada de mim. Assassinada por uma criatura que foi criada pelo seu consorte, agindo sob seu comando.
— Eu entendo a sua dor pode manchar seu julgamento, mas você precisa saber que Rephaim e os outros Corvos Escarnecedores não estavam sob ordens de machucar ninguém. Pelo contrário, eles foram ordenados a proteger. Quando Zoey e seu conjunto de amigos jogaram fogo na House of Night e roubaram os nossos cavalos, eles encararam aquilo como um ataque. Eles simplesmente reagiram.
Stevie Rae e Lenobia trocaram um olhar rápido, que telegrafou a não deixá-los saber que estava em quem estava no que, e Stevie Rae manteve a boca fechada, recusando-se a desistir da parte de Lenobia na fuga de Zoey.
— Eles mataram a minha companheira — Dragon disse, chamando a atenção de todos para ele.
— E por isso eu serei eternamente arrependida — disse Neferet. — Anastasia era uma boa amiga para mim.”
— Você perseguiu Zoey e Darius e o resto da quadrilha — Stevie Rae disse. — Você nos ameaçou. Você mandou Stark atirar em Zoey. Como você vai se desculpar de tudo isso?
O belo rosto de Neferet parecia deformado. Ela se inclinou sobre a mesa, e chorou baixinho. — Eu sei... eu sei. Eu fui fraca. Eu deixei o imortal alado confundir minha mente. Ele disse que Zoey tinha que ser destruída, e porque eu acreditava que ele era Erebus Encarnado, eu também acreditei nele.
— Ah, isso é apenas um monte de merda — Stevie Rae disse.
Os olhos de esmeralda Neferet a espetaram. — Você nunca se importou com alguém, só para descobrir mais tarde que ele era verdadeiramente um monstro disfarçado?
Stevie Rae sentiu todo o sangue ser drenado de seu rosto. Ela respondeu da única maneira que sabia como - com a verdade. — Na minha vida, os monstros não disfarçam.
— Você não respondeu à minha pergunta, Sacerdotisa jovem.
Stevie Rae ergueu o queixo. — Eu vou responder à sua pergunta. Não, eu nunca me importei com alguém sem saber o que ele era do início. E se você está falando sobre Dallas, eu sabia que ele poderia ter problemas, mas eu nunca esperei que ele virasse para a Escuridão e ficasse todo louco.
O sorriso Neferet era manhoso. — Sim, ouvi falar de Dallas. Tão triste ... tão triste.
— Neferet, eu ainda preciso compreender a decisão do Conselho Superior. Como Mestre de Espada e Líder dos Filhos de Erebus nesta House of Night, eu tenho o direito de ser informado sobre qualquer coisa que possa comprometer a segurança da nossa escola, se eu estou de luto ou não — Dragon disse, pálido, mas determinado.
— Você está certo, Mestre de Espada. É realmente muito simples. Quando a alma imortal retornou ao seu corpo, ele me confessou que matou o garoto humano porque ele pensou que o ódio de Heath por mim era uma ameaça. — Neferet sacudiu a cabeça, com olhar triste e arrependido. — A pobre criança tinha de algum modo se convencido de que eu era a culpada pela morte da professora Nolan e Loren Blake. Kalona acreditava que através da execução de Heath, ele estaria me protegendo. — Ela balançou a cabeça. — Ele ficou para além deste mundo por muito tempo. Ele
realmente não entendeu que o ser humano poderia não representar ameaça para mim. Sua ação de executar Heath era simplesmente um guerreiro equivocado a proteger sua Alta Sacerdotisa, razão pela qual o Conselho Superior, e eu temos sido tão misericordiosos em sua punição. Como alguns de vocês já estão conscientes, Kalona foi açoitado cem vezes e, em seguida, banido da sociedade vampira e do meu lado por um século inteiro.
Houve um longo tempo de silêncio, então Penthasilea disse: — Parece que todo este desastre foi um trágico mal-entendido atrás do outro, mas certamente todos nós temos pagado o suficiente pelo que aconteceu no passado. O importante agora é reunir a escola novamente e todos seguirmos em frente com nossas vidas.
— Eu me curvo a sua sabedoria e experiência, a professora Penthasilea — Neferet disse, inclinando a cabeça respeitosamente. Então ela virou o rosto para Dragon. — Isso, na verdade, foi um momento difícil para muitos de nós, mas você pagou o maior preço, Mestre da Espada. Então é você que eu preciso pedir absolvição de meus erros, tanto pessoal quanto profissional. Você pode eventualmente levar a House of Night em uma nova era, a criação de uma Fênix das cinzas do nosso sofrimento?
Stevie Rae queria gritar para Dragon que Neferet estava enganando a todos - o que tinha acontecido na House of Night não foi um erro, foi um trágico abuso de poder por parte Neferet e Kalona. Mas seu coração se afundou quando ela viu Dragon abaixar a cabeça e com uma voz completamente inconsolável e derrotada dizer: — Eu gostaria que todos nós seguíssemos em frente, pois se não fizermos isso, eu tenho medo eu não sobreviverei à perda de minha companheira.
Lenobia parecia que queria falar, mas quando o Dragon começou a soluçar entrecortado, ela ficou em silêncio e se moveu para o seu lado para confortá-lo.
Isso me deixa contra Neferet, Stevie Rae pensou, e olhou para Kramisha, que estava olhando Neferet com um olhar WTF. Ok, então deixa eu e Kramisha contra Neferet, Stevie Rae se corrigiu dentro de sua cabeça. Ela endireitou os ombros e se preparou para o confronto épico que com certeza viria quando ela falasse merda da caída Alta Sacerdotisa.
Naquele momento, um barulho estranho ingressou na Câmara do Conselho da janela que havia sido deixada aberta para o ar fresco da noite. Era um som horrível, triste, e que fez os pequenos pêlos nos braços de Stevie Rae se levantarem.
— O que é isso? — Stevie Rae disse, sua virou sua cabeça virou junto com a de todos para a janela aberta.
— Eu nunca ouvi nada como isso — disse Kramisha. — E isso me dá arrepios.
— É um animal. E está em dor. — Dragon imediatamente se recompôs, sua expressão mudou, e ele virou, novamente, um guerreiro e não um companheiro com o coração partido. Ele se levantou e cruzou a Câmara do Conselho para a janela.
— Um gato? — Penthasilea disse, olhando aflito.
— Eu não posso vê-lo daqui. Ele está vindo do lado leste do campus — Dragon disse, virando-se da janela e indo com propósito para a porta.
— Oh, Deusa! Eu acho que sei o som. — Trágico e quebrado, a voz de Neferet fez todos voltarem a sua atenção de volta para ela. — É o uivo de um cão, e o único cães neste campus é o labrador de Stark, Duquesa. Aconteceu alguma coisa com Stark?
Stevie Rae assistiu Neferet prender uma mão magra contra sua garganta, como se para conter as batidas de seu coração com o pensamento terrível de que algo poderia ter acontecido com Stark.
Stevie Rae queria dar um tapa nela. Neferet poderia ter recebido um Oscar de Melhor Desempenho de Drama Falso por uma cadela de chumbo. É isso aí. Ela não ia ir embora com essa porcaria. Mas Stevie Rae não teria chance de enfrentar Neferet. No momento que Dragon abriu a porta para o corredor uma cacofonia de som inundou a todos. Calouros foram correndo em direção à Câmara do Conselho. A maioria deles estava chorando e gritando, mas, sobretudo, o ruído, acima até mesmo o uivo, um som horrível se tornou claramente reconhecível: a de um lamento de uma pessoa em luto. Entre a tristeza, Stevie Rae reconheceu a voz.
— Oh, não — disse ela, correndo pelo corredor. — É Damien.
Stevie Rae foi à frente até mesmo de Dragon, e quando ela abriu a porta para fora da escola, ela esbarrou em Drew Partain com tanta força que ambos caíram no chão. — Louise Jeeze, Drew! Sai da minha frente!
— Jack está morto! — Drew gritou, lutando com seus pés e puxando-a com ele. — Está lá na árvore quebrada no muro leste. É ruim. Muito ruim. Corre – Damien precisa de você!
Stevie Rae sentiu uma onda de náusea enquanto ela processava o que Drew estava dizendo. E então ela foi varrida com Drew em uma onda de vampiros e calouros, pois todos correram pelo campus.
Quando Stevie Rae chegou à árvore teve um terrível momento de déjà vu. O sangue. Havia muito sangue em toda parte! Ela piscou de volta para a noite que a flecha de Stark abriu seu corpo e escorreu praticamente todo o sangue de sua vida fora dele neste mesmo lugar.
Só que desta vez não era ela. Desta vez, ele era do gentil e doce Jack que realmente estava morto, por isso era dez vezes pior. Por um segundo a cena não parecia fazer sentido para ela, porque ninguém se mexeu, ninguém falou. Não havia nenhum som, exceto os uivos de Duquesa e o lamentos de Damien. O menino e o cachorro estavam agachados ao lado de Jack, que estava deitado, de bruços, sobre a grama encharcada de sangue, com a ponta de uma espada longa afiada a vários metros da parte traseira de seu pescoço. Ela deve tê-lo atravessado com tanta força que tinha quase cortado sua cabeça fora de seu corpo.
— Oh, Deusa! O que aconteceu aqui? — Foi Neferet que descongelou todos. Ela correu até Jack, inclinando-se para descansar a mão suavemente em seu corpo. — O jovem está morto — disse ela solenemente. Damien olhou para cima. Stevie Rae viu os olhos dele. Eles estavam cheios de dor, horror e, talvez, apenas talvez, até mesmo uma sombra de loucura. Enquanto ele olhou para Neferet ela viu seu rosto já pálido ficar quase incolor, e aquilo a sacudiu.
— Eu estou achando que você deve deixá-lo sozinho — Stevie Rae disse, movendo-se para que ela ficasse entre Neferet e Jack e Damien.
— Eu sou a Alta Sacerdotisa aqui. É o meu dever lidar com esta tragédia. O que há de melhor para Damien é você se afastar e deixar que os adultos classificar coloquem tudo isso em ordem — Neferet disse. Seu tom era razoável, mas Stevie Rae estava olhando em seus olhos de esmeralda, e ela viu algo mexer lá que fez a sua pele se arrepiar.
Stevie Rae podia sentir todos olhando para ela. Ela sabia que havia algo certo no que Neferet estava dizendo, ela não tinha sido uma Alta Sacerdotisa tempo suficiente para saber como lidar com algo tão horrível como o que aconteceu esta noite. Caramba, ela era apenas uma Alta Sacerdotisa porque não havia qualquer outra caloura vermelha que tivesse mudado. Será que ela tinha o direito a falar como a “Alta Sacerdotisa” de Damien? Stevie Rae estava ali, em silêncio e lutando com suas próprias inseguranças. Neferet ignorou ela e se agachou ao lado de Damien, pegando sua mão e forçando-o a olhar para ela.
— Damien, eu sei que você está em choque, mas você deve ter controle de si mesmo e nos diga como isso aconteceu com Jack.
Damien piscou cegamente para Neferet e, em seguida Stevie Rae viu a sua visão se clarear e ele focou nela. Ele tirou a mão da dela. Sacudindo a cabeça para trás e para frente, para trás e para frente, ele começou a chorar: — Não! Não! Não!
Era isso. Stevie Rae viu o suficiente. Ela não se importava se o universo inteirinho não podia ver através das mentiras de Neferet. Ela não ia deixá-la aterrorizar o pobre Damien.
— O que aconteceu? Você está perguntando o que aconteceu? Como é apenas uma coincidência que Jack é assassinado ao mesmo tempo que você aparece de volta aqui na escola? — Stevie voltou para o lado de Damien, pegando sua mão. — Você pode brincar de cego-como-morcegos do Conselho Superior. Você pode até enganar algumas dessas pessoas boas em acreditando que você ainda está do nosso lado, mas Damien e Zoey e — ela parou quando ouviu dois suspiros de horror muito semelhante com o das Gêmeas correram — e Shaunee e Erin e Stark e Eu. Nós não definitivamente acreditamos que você é a mocinha. Então por que você não explica o que aconteceu aqui?
Neferet sacudiu a cabeça, parecendo triste e tragicamente bela. — Eu sinto muito por você, Stevie Rae. Você costumava ser um jovem, doce e amorosa. Eu não sei o que aconteceu com você.
Stevie Rae sentiu o ódio por ela. Seu corpo tremia com a força dele. — Você sabe melhor do que ninguém nesta terra o que me aconteceu. — Ela não se conteve. A raiva era demais. Stevie Rae começou a se mover em direção a Neferet.
Naquele momento ela não queria nada tanto quanto envolver as suas mãos em torno da garganta da vampira e pressionar e pressionar e pressionar, até que ela já não respirasse, não fosse mais uma ameaça.
Mas Damien não afrouxou seu aperto. Essa relação de toque e confiança entre eles, bem como o sussurrar quebrado de Damien, a deteve.
— Ela não fez isso. Eu vi isso acontecer e ela não fez isso.
Stevie Rae hesitou, olhando para Damien. — O que quer dizer, querido?
— Eu estava muito longe. À porta da casa de campo. Duquesa não me deixou correr. Ela ficou me puxando de volta para aqui. Eu finalmente me rendi a ela. — A voz de Damien estava agitada e falava em rajadas afiadas de palavras. — Ela me deixou preocupado. Então, eu estava procurando. Eu vi. — Ele começou a soluçar de novo. — Eu vi o Jack cair do alto da escada até terra sobre a espada. Não havia ninguém ao seu redor. Ninguém.
Stevie Rae virou-se para Damien e puxou-o em seus braços. Quando ela fez isso ela sentiu mais dois pares de braços envolvendo-os como se as Gêmeas se juntassem a seu círculo, segurando-os firmemente.
— Neferet estava conosco na Câmara do Conselho quando este terrível acidente aconteceu — disse solenemente Dragon, tocando suavemente o cabelo de Jack. — Ela não foi responsável por esta morte.
Stevie Rae não poderia olhar para o pobre corpo quebrado de Jack, então ela estava assistindo Neferet quando Dragon falou. Só ela viu o brilho da vitória presunçoso que se passou em seu rosto, rapidamente substituído por um olhar experiente de tristeza e preocupação.
Ela o matou. Eu não sei como, e eu não posso provar agora, mas ela o fez. Depois, tão depressa como o pensamento formado, veio outro em seus calcanhares: Zoey iria acreditar em mim. Ela me ajudaria a descobrir como expor Neferet.
Zoey tem que voltar.

2 comentários:

  1. DE JEITO NENHUM QUE A NEFERET PODE ESCAPAR IMPUNE NESSA ATUAÇÃO DE MERDA APÓS MATAR O JACK!

    ResponderExcluir
  2. Pelo amor da deusa ! Algem mata logo neferet e leva a culpa que é mais rapido e menos tragico. Mas, não! Primeiro vão matar todo mundo e depois matar neferet

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!