10 de outubro de 2015

Capítulo 7 - Zoey

Thanatos havia cuidado para que Chera e sua equipe entrevistassem alguns garotos e fizessem algumas imagens do refeitório. Então ela fez com que Daimen explicasse (para a câmera) o seu horário de aulas, e depois os jornalistas da Fox News foram acompanhados, com toda a educação, rapidamente para fora do campus. Tudo isso havia acontecido em menos de meia hora, e Thanatos me contou que a reportagem sobre nós iria entrar no ar no noticiário da noite e na internet. Eu disse a ela que tinha sido genial deixar Damien ser o nosso porta-voz e então a coloquei a par do nosso plano.
— E Kalona disse que ele acha que Neferet não sabe sobre o porão, então nós decidimos fazer com que ele distraia Dallas e o seu grupo, enquanto nós arrumamos o lugar e mudamos os nossos garotos para lá. Esperamos que eles tenham um ou dois dias de paz e que então a gente possa voltar para a estação — terminei de explicar tudo para Thanatos. — Ah, e se a gente tiver que ficar aqui muito mais tempo do que isso, alguém precisa ir buscar os nossos gatos e a Duquesa. Eles têm alimentadores automáticos e água, mas vão se sentir muito sozinhos e a caixa de areia deles vai ficar nojenta.
A Alta Sacerdotisa de olhos negros havia ficado praticamente em silêncio enquanto eu não parava de falar. Contei a ela que o porão havia sido usado para guardar armamentos antigos e coisas do centro de mídia, e que Stark e Darius estavam levando tudo isso para uma das selarias de Lenobia. Eu não havia dito que as armas eram superantigas, cobertas de joias e que deviam valer tipo milhões de dólares. E na verdade não tinha nada do centro de mídia lá embaixo. Não que eu não confiasse em Thanatos, mas eu tinha resolvido que, quanto menos pessoas soubessem da fortuna melhor. Stark e Darius concordaram. Na verdade, quanto mais eu pensava nisso, mais eu acreditava que Dragon estava guardando aquelas armas lá há muito tempo, e Dragon foi um dos guerreiros mais leais que já conheci. Claramente, havia uma razão para ele esconder isso, e eu apostava que não era por um motivo egoísta.
Então deixei de fora do meu relato a questão das armas, das joias e da fortuna.
— Eu estou totalmente de acordo com relação aos gatos e à Duquesa. Vou providenciar para que eles sejam transportados para cá, se necessário. Mas como Kalona vai distrair Dallas? — Thanatos perguntou.
— Kalona vai contar a Dallas que eu não quis liderar o funeral de Erin nem construir a pira. Então ele vai dizer que você deixou essa função com ele.
Thanatos levantou as sobrancelhas.
— Em outras palavras, Kalona vai usar a construção da pira como isca para Dallas.
— Sim, e esperamos que ele lidere o funeral também. Depois de tudo que aconteceu com ela, eu realmente decidi que seria melhor para o meu círculo, principalmente para Shaunee, não se envolver nisso — fiz uma pausa e acrescentei: — Espero que esteja tudo bem por você.
— Quando uma novata rejeita a Transformação e morre, sempre é difícil para aqueles que ficam para trás. Nesse caso houve eventos complexos cercando a morte dessa garota. Vou confiar nos meus instintos, Zoey. Erin fazia parte do seu círculo e você foi sua Alta Sacerdotisa. Você tem o direito de acertar os detalhes do funeral dela.
— Obrigada — eu agradeci.
— Mas eu acho que seria sábio você permitir que Shaunee invoque o seu elemento na hora de acender a pira. Isso vai ajudar todo o processo a ser concluído mais rapidamente. Também vai ajudar Shaunee a dar um último adeus à sua amiga.
— Ok, sim. Eu vou falar com Shaunee.
— Acredito também que você deva falar com a sua Profetisa.
— Aphrodite? — a sugestão de Thanatos me surpreendeu. — Sobre o pai dela, você quer dizer?
— Sim. Avalie a saúde mental dela com atenção.
— Ahn? Acho que não estou qualificada para avaliar a saúde mental de Aphrodite — isso sem falar que ela poderia arrancar o meu coração e comê-lo se eu tentasse fazer isso.
— Você é a Alta Sacerdotisa dela e, se o meu palpite está certo, a sua amiga mais próxima. Nunca é fácil ter o dom de ser Profetisa de uma Deusa, e Aphrodite perdeu o pai e a mãe na mesma noite, violentamente e em público.
— Eu já dei uma olhada nela hoje. Darius disse que ela finalmente está dormindo, então eu não a acordei.
— Então acorde-a. Se ela não admitir que precisa da sua Alta Sacerdotisa, ela pode admitir que precisa da sua amiga — Thanatos afirmou.
— Vou fazer o melhor que posso.
— Você também deve alertá-la de que você deve esperar um mal-estar na escola. Sinto as Trevas crescendo, e elas se alimentam da raiva, da dor, do medo e da frustração, intensificando esses sentimentos, consumindo quem os hospeda, extraindo o seu poder deles. Observe com cuidado o seu círculo e aqueles que mais receberam dons da Deusa. Um grande poder atrai a atenção das Trevas.
— Pelo menos duas pessoas do meu círculo sofreram grandes perdas — expressei a minha preocupação em voz alta. — E, na verdade, a morte de Erin afetou todos nós. E agora nós estamos presos aqui com garotos que também estão perturbados e irritados. Você não pode fazer algo para nos tirar daqui? — estava sendo difícil controlar a minha própria frustração, e eu não tinha a menor ideia de como ia ajudar os meus amigos a lidar com as deles.
— Zoey, eu me encontrei com o detetive Marx antes de a equipe da Fox News chegar. Na verdade, a presença de Chera Kimiko aqui foi um indicativo de que esta situação não vai se resolver tão cedo.
— O detetive Marx não encontrou nada que prove que Neferet matou o prefeito?
— Ele mencionou amostras de DNA e requisitou exames comparativos em todos os nossos professores para descartar uma combinação idêntica — Thanatos falou com ar soturno.
— Mas isso é ótimo! Nenhum dos nossos professores matou o prefeito — eu disse.
— Zoey, se eu deixar que as autoridades humanas comecem a fazer exames nos meus professores, isso significa que vou permitir que eles cruzem uma fronteira que tem separado com sucesso e segurança os códigos de justiça dos humanos e vampiros há mais de quinhentos anos.
Eu balancei a cabeça.
— Ainda não consigo entender porque isso é ruim. Pelo menos não desta vez.
— Desta vez não é ruim. Mas e da próxima vez que um habitante local matar um humano e armar uma encenação para fazer parecer que foi um vampiro? Talvez ele até deixe uma mecha ou duas de cabelo de alguma de nossas Grandes Sacerdotisas na cena do crime. Se eu permitir uma brecha no muro que protege a nossa espécie contra a perseguição dos humanos, quanto tempo vai passar até que o muro caia completamente e os Tempos da Fogueira comecem novamente?
Eu estremeci.
— O que nós vamos fazer? Não podemos ficar trancados aqui para sempre.
— Eu solicitei uma audiência com o Conselho Supremo esta noite.
— Você vai pedir que o Conselho Supremo interceda junto aos humanos? — apenas pensar nisso me dava uma onda de esperança.
— Vou, e preciso de você aqui para servir como testemunha da aparição de Neferet.
— Ok, claro. Vou fazer tudo que puder — eu disse.
— Agora são nove da noite, nós marcamos a conferência no Skype para as dez horas, para que a gente ainda tenha tempo para acender a pira de Erin à meia-noite. Por favor, volte aqui nesse horário.
— Eu devo trazer Stevie Rae ou Aphrodite?
— Seja discreta, Sacerdotisa, e eu vou respeitar a sua decisão.
Cruzei minha mão em punho sobre o coração e me curvei para ela, desejando que eu tivesse tanto respeito pelas minhas decisões quanto Thanatos.


Aphrodite

— Jura que Chera é mesmo mais bonita pessoalmente? — Aphrodite franziu os olhos para Darius. Ele estava sentado na beira da cama enquanto ela bebia o iced coffee que ele havia trazido e a atualizava dos últimos desastres do dia. — Como se eu precisasse que você me contasse esse detalhe.
— A beleza de ninguém é tão resplandecente quanto a sua — ele sorriu para ela.
— Só me diga que tipo de bolsa ela estava usando. Uma da Coach com aquele azul novo ou uma Valentino brilhante?
Uma ruga profunda se formou entre os olhos de Darius.
— Era feita de couro.
— De que cor?
— Branca.
Aphrodite suspirou.
— Duvido que Chera usaria uma bolsa branca em fevereiro. Você não tem ideia de como era a bolsa, tem?
— Não mesmo, mas o fato de você me perguntar isso mostra que, de fato, você está se sentindo melhor, minha bela.
— Eu não posso esperar que você seja completamente perfeito, mas da próxima vez, considere a bolsa dela como uma arma. Desse jeito você vai se lembrar de prestar atenção no modelo. E, sim, eu estou me sentindo melhor. Os meus olhos finalmente clarearam, e saber que ninguém espera que eu durma em um porão nojento junto com o fato de que este café está perfeito e com açúcar de verdade fizeram minha dor de cabeça ir embora — Aphrodite deu outro gole e suspirou de prazer. — Esse gosto é muito bom para que eu me sinta mal.
— Se faz você se sentir melhor, é isso o que importa.
— Se minha bunda ficar tão grande que mereça o seu próprio código postal, a culpa vai ser sua.
Darius sorriu.
— Você está melhor mesmo.
— É, mas a minha visão foi péssima. Foi foda.
— Você está pronta para falar sobre isso?
— Na verdade, não.
Darius desviou os olhos, parecendo desconfortável. Então Aphrodite acariciou o seu braço forte e entrelaçou seus dedos aos dele.
— Ei, não é que eu não queira falar com você. É que primeiro eu preciso processar o que vi e descobrir o que fazer em relação a isso.
— Quer que eu chame Zoey?
— Não! — Aphrodite disse e só depois percebeu que tinha praticamente gritado. — Não — ela repetiu em um tom de voz normal. — Não quero que ninguém saiba ainda que tive uma visão. Darius, eu só preciso de um tempo para pensar.
— Mas será que é sábio manter um visão para si mesma?
— Neste exato momento, o meu instinto está me dizendo que não é sábio sair por aí falando o que vi.
Darius se inclinou para frente e a beijou com delicadeza. Então ele encontrou o olhar dela e lhe disse exatamente o que ela precisava ouvir:
— Confie nos seus instintos, Profetisa. Eu acredito em você e no seu dom. Só quero que saiba que qualquer coisa que você me conte eu manterei em segredo, e juro, como seu guerreiro e protetor, não contar a ninguém a não ser que você me permita.
Aphrodite deslizou para os braços dele e sentiu aquele aperto terrível no seu peito se esvair. Ela não tinha que carregar o fardo das suas visões sozinha. Darius nunca iria traí-la.
— Eu sou tão péssima com essa coisa de amor. Eu nunca vou poder dizer o quanto significa para mim o fato de poder confiar em você.
Ela acariciou gentilmente as costas dele.
— Você não precisa me dizer. Você me mostra isso diariamente quando estamos juntos.
Aphrodite fechou os olhos, extraindo a força do toque e das palavras dele, e fez uma prece silenciosa: Por favor, Nyx, permita que os dias que estamos juntos se transformem em meses, que os meses se transformem em anos, e os anos, em décadas.
Ela o abraçou com força e então se afastou um pouco para poder olhar nos olhos dele. Sem nenhuma introdução, ela disse:
— Darius, preciso que você faça uma coisa para mim.
— Qualquer coisa — ele disse.
— Observe Zoey.
— Observá-la?
— Sim. Observe-a e veja se ela age como se estivesse irritada de um jeito estranho.
— E se eu a vir ficando irritada?
— Venha me chamar e eu vou lidar com ela. Não chame Stark. Ele pode sentir as emoções dela e, se ela estiver no nível de irritação que eu acho que ela vai ficar, tenho certeza de que ele também vai estar a ponto de explodir. Além disso, lembre-se de que Aurox barra Heath está preso dentro da House of Night com a gente. Todos nós vimos o reflexo de Heath no espelho. Z. tem praticamente evitado falar com ele desde aquela noite, mas quem ele realmente é com certeza a está deixando mexida. Isso uma hora vai vir para fora e, vamos falar sério, Stark não vai querer dividir Zoey de novo de jeito nenhum.
Darius assentiu pensativamente.
— Você está certa. Eu vou observá-la — ele fez uma pausa e então acrescentou: — A sua visão foi com Zoey.
Não foi uma pergunta, mas Aphrodite deu um gole em seu iced coffee e assentiu.
— É, foi sobre Zoey e sua raiva. Ela estava fora de controle.
— Por que você acha que não deve falar com Zoey sobre isso? Ela sabe que as suas visões são válidas. Talvez ela escute você.
— Eu também pensaria isso, mas a primeira coisa que eu disse quando voltei da visão foi pedir para você não chamar Zoey. Darius, eu estava falando guiada pelo meu instinto. Sim, eu podia estar toda ferrada e ter interpretado mal, mas é por isso que eu acho que não devo contar nada a Zoey, pelo menos por enquanto.
— Como eu disse, acredito em você. Confio nos seus instintos e no seu dom cedido pela Deusa.
— Vou fazer isso, mas eu também vou precisar de uma ajuda de fora, infelizmente de uma fonte irritante.
Darius levantou as sobrancelhas.
— Espero que você não esteja se referindo a mim.
— Não, bonitão, eu estava me referindo a Shaylin.
— Você vai contar a ela sobre sua visão?
— Não. Eu vou contar uma versão exagerada da minha visão.
— Em outras palavras, você vai mentir para ela.
Aphrodite adorou que ele tivesse dito isso de um jeito prático, sem julgamento, sem dar sermão.
— Sim, foi exatamente o que eu quis dizer, mas falar “uma versão exagerada” soa melhor.
— Você vai fazer com que ela também observe Zoey?
— Acertou de novo.
— O dom da Visão Verdadeira dela tem se mostrado válido até aqui — ele afirmou.
— É só por isso que eu vou pedir a ajuda dela. Aquela garota me irrita profundamente.
— E mesmo assim você é sábia o bastante para não deixar essa irritação a impeça de pedir a ajuda dos dons dela — o sorriso dele era cheio de afeto e orgulho. — Minha bela, percebe porque eu confio tanto em você?
— O que eu percebo é que eu e você não temos tido tempo de qualidade juntos.
— Agora nós estamos a sós — o sorriso dele se tornou sexy.
 — E a minha dor de cabeça definitivamente foi embora — ela matou o resto do iced coffee e botou a xícara na mesinha de cabeceira com tampo de mármore.
Aphrodite colocou os braços em volta dos ombros largos de Darius e o puxou para cima dela. Ele se deitou cheio de desejo. O beijo dele era intenso e, quando ela abriu a boca, ele gemeu e os dois rolaram na cama, de modo que ela ficou por cima dele, com o corpo contra o dele. A mão de Darius levantou a camiseta dela e começou a fazer carinhos gostosos em sua pele nua.
Quando alguém começou a bater na porta, Aphrodite sussurrou contra os lábios de Darius:
— Ignore e a pessoa vai embora.
O barulho começou a ficar mais alto e insistente.
Aphrodite deu uma mordidinha no pescoço de Darius.
— Finja que é o barulho da TV, ignore.
— Aphrodite! Oieee! — a voz de Zoey atravessou a porta. — Stark me disse que Darius estava trazendo iced coffee para você, o que significa que você está aí dentro e está acordada.
Com relutância, Darius abaixou a camiseta dela.
— Você tem que falar com ela.
Aphrodite o beijou de novo antes de sair batendo o pé até a porta, sem se importar em arrumar o cabelo, ajeitar a camiseta, ou disfarçar o seu ar de irritação. Então ela abriu a porta e disse:
— Ah, que merda, pode entrar, controle de natalidade.
— Ahn? Controle de natalidade? — Z. entrou no quarto de Aphrodite.
— Deixa pra lá. Já foi.
— Oi — Zoey disse. — Você não parece mal.
— Eu nunca estou mal — Aphrodite disse a ela.
Z. revirou os olhos e acenou para Darius.
— E aí, Darius. Stark me pediu para dizer que precisa da sua ajuda com as caixas, tipo, agora. O plano de Kalona funcionou e ele está com Dallas e o seu grupo empilhando madeira para a pira.
— Já estou a caminho — ele deu um beijo rápido em Aphrodite e partiu. — Ei, eu encontro você aqui quando o sol nascer.
— Sozinho — Aphrodite pronunciou a palavra demoradamente dando Aquele olhar para Zoey.
Depois que Darius saiu e fechou a porta, Z. se empoleirou em uma das cadeiras de veludo de Aphrodite.
— Então, se você já está fazendo brincadeirinha, não deve estar com tanta ressaca.
— Brincadeirinha é uma palavra que as pessoas com menos de dezoito anos usam apenas para descrever o comportamento de cavalos e eu não estou com nenhuma ressaca — Aphrodite ajeitou a sua camiseta e foi até o espelho do quarto, sentou-se no banquinho e começou a pentear o cabelo. Então, olhando para o reflexo de Zoey, acrescentou: — Bem, ok, talvez eu tenha ficado meio mal na noite passada, mas sono, cafeína e açúcar curam tudo.
— Uma Coca sempre faz isso por mim — Z. falou.
— Você sabe que isso não faz bem para a sua pele — Aphrodite disse a ela.
— E as suas mimosas fazem?
— Suco de laranja é supersaudável. Eu só gosto do meu um pouco diluído.
— Diluído em álcool — Zoey balançou a cabeça e tentou, sem sucesso, não sorrir.
— Em álcool bom. Como Marilyn Monroe. E você pode ver que a pele dela não é enrugada.
— Aphrodite, Marilyn morreu antes que a pele dela ficasse enrugada.
— É exatamente o que eu disse. Mimosas são saudáveis. Ponto final.
— Você está me dando dor de cabeça — Z. falou.
— De nada. Ah, e agora a pouco, antes de eu e Darius começarmos a dar uns amassos supergostosos, que iam acabar virando um sexo incrível, que você interrompeu, ele me contou sobre Chera e as joias.
— Em primeiro lugar, eca, a palavra “bricadeirinha” soa muito melhor do que a sua descrição. Segundo, Chera pareceu legal, mas a presença dela aqui basicamente significa que a House of Night está em um lamaçal profundo. Terceiro, você tem que entender que não são joias, mas sim armas antigas que têm diamantes, rubis e coisas assim incrustadas nela.
— O que só prova como os homens podem ser retardados. Pedras preciosas têm que ficar penduradas no corpo de uma mulher bonita, ou seja, eu. E não devem ser desperdiçadas em coisas pontudas ou tipo escudos.
— Tirando a parte de as joias terem que ficar apenas no seu corpo, concordo totalmente.
— E eu concordo com você sobre a gente ter que ficar de boca fechada sobre as joias.
— É, foi isso que o meu instinto me disse para fazer, mas foi estranho esconder algo de Thanatos.
— Se Thanatos não mencionou as armas para você, isso significa que era Dragon quem estava escondendo algo dela, não você, nem nós. Vamos encaixotá-las e escondê-las em um dos depósitos de Lenobia. Tenho certeza de que, se eu usasse o cartão de crédito da minha mãe hoje, iria perceber que eu estou com uma terrível falta de sorte, então acho ótimo a gente ter um plano B financeiro.
Zoey encontrou o olhar de Aphrodite no espelho.
— A noite passada foi horrível. Eu sinto muito sobre o seu pai e também pelas coisas que a sua mãe disse.
Aphrodite evitou dar uma resposta sarcástica que veio tão facilmente a sua cabeça, respirou fundo e foi honesta com sua amiga.
— Eu já sabia que a minha mãe nunca se importou comigo de verdade, mas há uma grande diferença entre saber disso e ouvir minha mãe colocando isso para fora na frente de todo mundo. São dois sentimentos bem diferentes. Aquilo doeu. Muito.
— Sim — Zoey falou baixinho, com os olhos marejando. — Eu sei o que você quer dizer.
Aphrodite girou o banquinho para encarar Zoey.
— Sabe qual foi uma das primeiras coisas que me deixaram feliz quando fui Marcada?
— Ficar com o cabelo incrível? — Zoey sorriu entre lágrimas.
— Não, sua idiota, eu já tinha o cabelo incrível — ela rebateu com ironia, e então a sua voz mudou e ela abaixou a cabeça. — Uma das primeiras coisas que me deixaram feliz foi que eu soube que os vampiros não podem ter filhos, então não tinha jeito de eu dar uma vacilada, acabar grávida, e depois virar uma mãe de merda, deixando alguma pobre criança tão infeliz quanto a minha mãe havia me deixado.
— Ei, isso não vai acontecer.
Aphrodite enxugou as lágrimas e olhou para Zoey.
— Não vai, desde que eu continue fazendo um sexo incrível com um vampiro.
— Bem, isso é meio grosseiro, mas é verdade. Mas não era disso que eu estava falando. Isso não vai acontecer porque você não é igual a sua mãe — Zoey falou devagar. — Você é boa, é leal e não machucaria alguém que ama.
— Obrigada — Aphrodite conseguiu agradecer enxugando os olhos de novo.
— E não me chame de idiota — Zoey disse.
— Eu não te chamei de retardada. Eu estava sendo gentil e politicamente correta — Aphrodite se virou de novo e começou a arrumar o rímel borrado.
— E mesmo assim você dá um jeito de falar essa palavra com “r” — Zoey suspirou. — Então você está bem mesmo, depois de perder o seu pai?
— Você ficou bem mesmo, depois de perder a sua mãe?
Zoey pareceu surpresa com a pergunta.
— Acho que vou ficar. Quero dizer, assim como a sua mãe, a minha não foi muito maternal por muito tempo. Eu já estava acostumada a não tê-la por perto.
— Então acho que eu também vou ficar bem.
— Se você precisar de alguém para conversar, sabe que pode contar comigo, certo?
— Certo. Também digo o mesmo. Sei que você e a caipira são muito próximas, mas ela tem a mamãe e papai perfeitos — Aphrodite falou imitando o sotaque de Stevie Rae.
— Não há nada de errado em ter bons pais. Na verdade, isso é o normal.
Aphrodite bufou.
— Vou ter que discordar, mas não é disso que estou falado. Só estou dizendo que, se você precisar falar com outra pessoa que pelo menos tenha um dos pais mortos, eu estou aqui.
— Obrigada, eu acho — Z. pegou um lencinho Kleenex e assoou o nariz fazendo bastante barulho. — Por que você não fica cheio de catarro e toda feia quando chora?
— Porque eu não sou tão nojenta quanto você — ela respondeu.
— Posso retirar as coisas agradáveis que eu disse sobre de você?
— Pode tentar. Você não vai conseguir, mas pode tentar — Aphrodite pegou em um cabide uma calça jeans skynning e apertou um botão que fez o seu compartimento eletrônico de sapatos começar a girar, fazendo aparecer uma nova fileira toda organizada de botas. Ela pegou um par de Louboutin com sola vermelha. Olhando por sobre o ombro para a cara estupefata de Zoey, ela falou:
— O que foi? Não vá me dizer que essas botas não são perfeitas.
— Não consigo nem olhar para as suas botas porque o seu closet me deixou surtada.
— É por isso que você é um desastre fashion.
— Como você pensou em mandar fazer isso no seu closet?
— Ah, que merda, minha mãe era foda, mas não era um desastre na moda — Aphrodite esfregou a testa. — Jesus Cristo, isso foi uma rima imperfeita, e eu falei isso de propósito. Vamos embora. Preciso beber algo e dar uma olhada naquelas coisas de menino que estão prendendo as nossas joias.
— Ok, mas se você não começar a agir de um jeito mais agradável, vou contar a Kramisha que você gosta de rima, porque isso faz você se sentir divina, e evita que você tome aspirina — Zoey sorriu para ela. — Hehehe!
— Estou sem palavras — balançando a cabeça, Aphrodite seguiu pelo corredor atrás de Zoey, que estava rindo feito uma garotinha da terceira série. — E depois ela não entende porque eu bebo...

2 comentários:

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!