3 de outubro de 2015

Capítulo 6

— Yep, você tem que salvar o mundo, Z, mas estaremos lá com você — Stevie Rae disse, sentando na mesa de novo ao meu lado.
— Não, nerd. Eu vou estar com ela. Você precisa sair daqui até descobrirmos o que dizer ao resto da horda de nerds sobre você e seus amigos desafiadores de higiene — Aphrodite disse.
Stevie Rae franziu para Aphrodite.
— Huh? Amigos? — eu disse.
— Eles passaram por muita coisa, Aphrodite. Tudo o que eu digo é que tomar banho não é muito importante quando você está morto. Ou é um morto vivo — Stevie Rae disse. — Além do mais, você sabe que eles estão melhor agora e estão usando as coisas que você comprou para eles.
— Ok, vocês vão ter que voltar. De que amigos você - ? — E então eu parei quando percebi de quem elas deviam estar falando. — Stevie Rae, não me diga que você ainda está andando com aqueles garotos nojentos dos túneis.
— Você não entende, Zoey.
— Tradução: Sim Zoey, ainda estou andando com aqueles rejeitados nojentos dos túneis. — Aphrodite disse, imitando o sotaque Okie de Stevie Rae.
— Pare — eu disse a Aphrodite automaticamente antes de virar para Stevie Rae. — Não, eu não entendo. Me faça entender.
Stevie Rae respirou fundo. —Bem, eu acho que isso — ela apontou para as tatuagens escarlates — significa que eu preciso ficar perto do resto deles para ajudar eles a completarem a Mudança, também.
— O resto daqueles garotos mortos vivos tem tatuagens vermelhas como você?
Ela deu nos ombros e parecia desconfortável. — Bem, mais ou menos. Eu sou a única com tatuagens completas, o que acho que significa que eu Mudei. Mas as linhas da lua crescente na testa deles agora ficou vermelha. Eles ainda são calouros. Eles só, bem, são um tipo diferente de calouros.
Wow! Eu sentei ali, sem fala, tentando absorver o que Stevie Rae estava dizendo. Era incrível que agora havia um novo tipo de calouros, o que, é claro, significa que existe um tipo novo de vampiros adultos, e por um segundo isso me excitou. O que também significava que todos que foram Marcados iriam passar por algum tipo de Mudança, então mais nenhum calouro iria morrer! Ou pelo menos não permanentemente. Eles só se transformarim em calouros vermelhos. O que quer que isso signifique.
Então lembrei do quão horríveis aqueles garotos eram. Eles mataram adolescentes. De forma horrível. Eles tentaram matar Heath. Fui eu que o salvei. Diabos, eles teriam me matado se eu não tivesse usado minha afinidade com os cinco elementos para nos salvar.
Eu também lembrei do flash de vermelho que eu vi nos olhos de Stevie Rae mais cedo e da avareza que parecia tão deslocada no rosto dela, mas vendo ela agora, soando e agindo como si mesma, era fácil me convencer que eu estava errada – que eu imaginei e exagerei no que eu vi.
Eu mentalmente me chacoalhei e disse — Mas Stevie Rae, aqueles outros garotos são horríveis.
Aphrodite fez uma cara feia. — Eles ainda são horríveis e vivem num lugar nojento. E, sim, eles ainda são muito grossos.
— Eles não estão fora de controle como costumavam ser, mas eles também não são o que podemos chamar de normal — Stevie Rae disse.
— Eles são garotos nojentos, é isso que eles são — Aphrodite disse. — Como crianças ruivas adotadas.
— Yeah, alguns deles tem problemas e não são exatamente populares, mas e daí?
— Só estou dizendo que seria mais fácil descobrir o que vamos fazer com você se só tivéssemos que lidar com você.
— Nem sempre é pelo que é mais fácil. Eu não me importo com o que temos que fazer, ou o que eu tenho que fazer. Eu não vou deixar Neferet usar aqueles garotos — Stevie Rae disse a ela firmemente.
E o que Stevie Rae disse me ligou. Eu tremi horrorizada enquanto um pressentimento me dizia meu terrível novo pensamento. — Oh meu Deus! É por isso que Neferet fez o que precisava fazer para trazer de volta os calouros mortos. Ela quer usar eles na guerra contra os humanos.
— Mas, Z, os garotos são mortos vivos a um tempo agora, e a professora Nolan e Loren foram mortos, então Neferet só declarou guerra agora — Stevie Rae disse.
Eu não disse nada. Eu não podia. O que eu estava pensando era muito horrível para falar em voz alta. Eu tinha medo que se eu falasse as palavras elas se transformassem em pequenas armas, e se colocadas juntas, destruíriam a todos nós.
— O que é? — Aphrodite estava me observando de perto.
— Nada — eu tirei as palavras da minha mente para que elas fossem suportáveis. — É só que essa coisa toda me faz pensar que Neferet tem esperado haver uma razão para lutar contra os humanos a muito tempo. Eu realmente não ficaria surpresa se ela criou os garotos mortos vivos como seu exército particular. Eu a vi com Elliott não muito depois dele estar supostamente morto. Era nojento o quanto de controle ela tinha sobre ele. — Eu tremi, lembrando claramente como Neferet tinha ordenado a Elliot e como ele se curvou e passou na frente dela, e então provando o sangue dela de um jeito nojento e sexual demais. Ver aquilo foi completamente nojento.
— É por isso que eu tenho que voltar para eles — Stevie Rae disse. — Eles precisam de mim para cuidar deles e mostrar que eles também podem mudar. Quando Neferet descobrir sobre a diferença na Marca deles, ela vai tentar controlar e manter eles – bem, vamos apenas dizer, não muito legais. Eu acho que eles podem ficar bem de novo, como eu estou bem de novo.
— E aqueles que nunca ficarem bem? Lembra daquele garoto Elliott que Zoey acabou de falar? Ele era um perdedor ao vivo e ele é um perdedor morto vivo. Ele ainda vai ser um perdedor se conseguir Mudar para um vermelho tanto faz. — Aphrodite deu um suspiro exagerado de sofrimento quando Stevie Rae olhou para ela. — O ponto é que estou tentando dizer que eles não são normais. Talvez não haja nada para salvar eles.
— Aphrodite, você não pode escolher quem pode ser salvo e quem não pode. Eu posso ter sido bem normal antes de morrer, mas eu não sou exatamente normal agora — Stevie Rae disse. — E eu mereci ser salva!
— Nyx — eu disse, fazendo as duas virarem e olharem para mim confusas. —Nyx escolhe quem pode ser salvo. Não eu, nem Stevie Rae, e nem você, Aphrodite.
— Acho que esqueci de Nyx — Aphrodite disse, virando seu rosto para longe de nós para esconder a dor em seus olhos. — Não é como se a deusa tivesse muito a ver com uma garota humana de qualquer forma.
— Isso não é verdade — eu disse. — As mãos de Nyx ainda estão em você, Aphrodite. A deusa está trabalhando muito aqui. Se ela não se importasse com você, ela teria tirado suas visões quando ela tomou sua Marca. — Enquanto eu falava, eu tive o pressentimento que eu tinha frequentemente quando eu tinha certeza que o que eu estava falando era verdade. Aphrodite era um saco, mas por alguma razão, ela é importante para nossa deusa.
Os olhos de Aphrodite encontraram os meus. — Você está chutando, ou você sabe disso?
— Eu sei. — Eu continuei a olhar ela nos olhos firme.
— Promete? — ela disse.
— Prometo.
— Bom, isso foi gentil e tudo mais, Aphrodite — Stevie Rae disse, — mas você deve manter em mente que você não é exatamente normal também.
— Mas eu sou muito atraente, e eu não ando em túneis nojentos e mostro os dentes para as visitas.
— Que trás outro ponto. Porque você foi para os túneis? — Eu perguntei para Aphrodite.
Ela virou os olhos. — Porque a senhora K 95.5 FM ali tinha que dar uma de cowboy e me seguir.
— Bem, você surtou quando sua Marca desapareceu, e diferente de algumas pessoas, eu não sou uma bruxa cheia da grana. Além do mais, pode ter sido minha culpa você perder sua Marca e foi a coisa certa a se fazer me certificar que você estava bem — disse Stevie Rae.
— Você me mordeu, nerd — Aphrodite disse. — É claro que foi sua culpa.
— Eu já disse que sinto muito por isso.
— Uh, gente, vocês poderiam por favor não fugir do assunto?
— Ok. Eu fui para os estúpidos túneis porque a sua estúpida amiguinha iria queimar viva se fosse pega pelo sol.
— Mas porque você ficou longe por dois dias?
Aphrodite parecia desconfortável. — Levou dois dias para eu decidir se eu deveria voltar. Além disso, eu tive que ajudar Stevie Rae a comprar algumas coisas para os túneis e os malucos de lá. Até eu não podia ir embora e deixar eles serem — ela parou e tremeu delicadamente para dar efeito — serem ecaaa.
— Não estamos acostumados a ter visitas ainda — Stevie Rae disse.
— Você diz, exceto as pessoas que seus amigos gostam de comer? — Aphrodite disse.
— Stevie Rae, você não pode deixar eles comerem as pessoas. Nem pessoas de rua — eu acrescentei.
— Eu sei. Essa é outra razão do porque eu preciso voltar para eles.
— Você precisa levar empregadas e um bom decorador com você — Aphrodite murmurou. — Eu te ofereceria os empregados dos meus pais, mas seus amigos podem comer eles, e como minha mãe diria, bons empregados ilegais são difíceis de se achar.
— Eu não vou deixar aqueles garotos comerem mais as pessoas, e estou trabalhando para organizar os túneis — Stevie Rae disse defensivamente.
Eu lembrei do jeito assustador escuro e nojento que aqueles túneis eram.
— Stevie Rae, não tem outro lugar para você e seus, uh, calouros vermelhos ficarem?
— Não! — Ela disse rapidamente, e então ela sorriu se desculpando. — Vê, é que ficar debaixo da terra parece o certo, para mim e eles. Precisamos ficar dentro da terra. — Ela passou seus olhos para Aphrodite, que estava enrugando o nariz para Stevie Rae e fazendo uma cara de nojo. — Sim, eu sei que isso não é normal, mas eu já disse que não sou normal!
— Uh, Stevie Rae — eu disse. — Eu concordo totalmente com você sobre o negócio de não haver nada errado em ser diferente. Eu quero dizer, olhe para mim. — Eu passei minhas mãos pelas minhas muitas tatuagens, que decididamente não eram normais. — Eu sou a Rainha da Terra do Anormal, mas talvez você devesse explicar o que você quer dizer com não ser normal.
— Isso vai ser bom — Aphrodite disse.
— Ok, bem, eu ainda não sei tudo sobre mim mesma ainda. Eu só estou viva e Mudada a dois dias, mas eu tenho algumas habilidades que eu acho que vampiros adultos não tem.
— Tipo... — eu disse quando ela sentou e mordeu o lábio.
— Como virar parte das pedras que eu fiz quando subi para seu dormitório. Mas pode ser que eu consiga fazer isso devido a minha habilidade com a terra.
Eu acenei com minha cabeça, considerando. — Faz sentido. Eu descobri que posso chamar os elementos para mim e posso mais ou menos desaparecer enquanto me transformo em névoa e vento e tudo mais.
Stevie Rae se alegrou. — Oh, yeah! Eu lembro de você praticamente invisível aquela vez.
— Yep. Então talvez ter essa habilidade não seja tão anormal. Talvez todos os vampiros com afinidades a um elemento possam fazer algo assim.
— Merda, eu acabei de pensar! Vocês duas tem habilidades legais. Eu tenho chatas visões — Aphrodite disse.
— Isso pode ser porque você é chata — Stevie Rae disse.
— O que mais? — Eu disse antes delas começarem a brigar de novo.
— Eu vou pegar fogo se for para o sol.
— Ainda? Tem certeza? — Eu já sabia que o sol era um problema quando ela estava morta viva.
— Sim, certeza — Aphrodite disse. — Lembra, foi por isso que tivemos que ir para aqueles túneis nojentos. O sol estava nascendo. Estávamos no centro. Stevie Rae surtou.
— Eu sabia que algo ruim ia acontecer se ficássemos lá em cima — Stevie Rae disse. — então eu não surtei de verdade, eu só estava muito preocupada.
— Yeah, bem, você e eu vamos ter que concordar em discordar sobre suas mudanças de humor. Eu digo que você totalmente surtou depois que seu braço recebeu um pouco de luz. Olha isso, Z. — Aphrodite apontou para o braço direito de Stevie Rae.
Stevie Rae relutantemente ergueu o braço e puxou a manga da blusa. Eu podia ver uma mancha de pele vermelha no antebraço e cotovelo dela, como se ela tivesse tipo uma queimadura de sol.
— Não parece tão ruim. Um pouco de protetor solar, sombra, e um boné e você vai ficar bem — eu disse.
— Uh, não. — Aphrodite falou de novo. — Você deveria ter visto antes dela beber sangue. O braço dela estava seriamente nada atraente e tostado. Beber sangue fez ela passar de uma queimadura de terceiro grau para uma queimadura chata, mas quem sabe o que diabos pode acontecer se o corpo dela todo for fritado.
— Stevie Rae, querida, me deixe esclarecer que eu não estou julgando, mas você não comeu uma pessoa de rua nem nada disso depois que você pegou fogo, comeu?
Stevie Rae balançou a cabeça para frente e para trás com tanta força, que os cabelos dela se balançaram feito loucos. — Nuh-uh. No caminho para os túneis, eu fiz um pequeno desvio e peguei emprestado um pouco de sangue do banco de sangue da Cruz Vermelha.
— Emprestado significa devolver quando terminar — Aphrodite disse. — E a não ser que você irá ser a primeira vampira bulêmica, eu não acho que você vai devolver o sangue. — Ela deu a Stevie Rae um olhar metido. — Então, na verdade, você roubou. O que trás a sua outra habilidade nova. Essa eu testemunhei. Mais de uma vez, na verdade. E, sim, foi perturbador. Ela controla bizarramente bem a mente dos humanos. Por favor note que a parte chave do que eu acabei de dizer é a palavra bizarra.
— Terminou? — Stevie Rae perguntou.
— Provavelmente não, mas você pode continuar — Aphrodite disse.
Stevie Rae franziu para ela, então continuou a me explicar. — Aphrodite tem razão. É como se eu pudesse entrar na mente humana e fazer coisas.
— Coisas?
Stevie Rae deu nos ombros. — Coisas que fazem eles virem até mim, ou esquecer que me viram. Não tenho certeza do que mais. Eu podia fazer isso mais ou menos antes de Mudar, mas nada como eu posso fazer agora, e realmente não estou confortável com o controle de mente. Só parece tão, eu não sei, maldoso.
Aphrodite bufou.
— Ok, o que mais? Você ainda precisa de convite para entrar na casa de alguém? — E então respondi minha própria pergunta. — Espera, isso deve ter mudado, porque eu não te convidei a entrar, e aqui está você. Não que eu não fosse te convidar. Eu definitivamente te convidaria — eu acrescentei rapidamente.
— Eu não sei quanto a essa. Eu entrei na Cruz Vermelha tranquilo.
— Você quis dizer que entrou logo depois que controlou a mente daquela técnica de laboratório para destrancar a porta para você. — Aphrodite disse.
Stevie Rae corou. — Eu não machuquei ela nem nada, e ela não vai lembrar de nada.
— Mas ela não te convidou a entrar? — eu perguntei.
— Não, mas a Cruz Vermelha é um prédio público, e parece diferente para mim. Oh, eu não acho que você tem que me convidar pra entrar, Z. Eu costumava viver aqui, lembra?
Eu sorri para ela. — Eu lembro.
— Se vocês vão começar a dar as mãos e cantar, eu vou me dar licença para não começar a vomitar — Aphrodite disse.
— Não dá para usar um pouco de controle mental e fazer ela parar de uma vez? — eu perguntei.
— Não. Eu tentei. Tem algo no cérebro dela que me impede.
— É a minha inteligência superior — Aphrodite disse.
— Pare mais sua chatice superior — eu disse. — Continue, Stevie Rae.
— Me deixe ver, o que mais... — Ela pensou por alguns segundos, então disse, — Sou muito mais forte do que costumava ser.
— Vampiros normais são fortes também. — Eu disse. Então eu lembrei que ela teve que parar pelo sangue. — Então, você ainda precisa de sangue?
— Yep, mas se eu não tiver, eu não acho que vou ficar louca como antes. Eu não gosto de ficar sem, mas não acho que vou virar um monstro sugador de sangue.
— Mas ela não tem certeza — Aphrodite disse.
— Eu odeio quando ela está certa, mas ela está certa — Stevie Rae disse. — Tem tanta coisa que eu não sei sobre o tipo de vampiro que eu Mudei que é mais do que um pouco assustador.
— Não se preocupe. Temos muito tempo para descobrir isso.
Stevie Rae sorriu e deu nos ombros. — Bem, vocês terão que descobrir isso sozinhas porque eu tenho que ir. — Me surpreendendo, ela começou a ir para a janela.
— Espera. Temos muito mais para conversar. E com o anúncio que as férias de inverno terminaram, vai haver muitos calouros e vampiros aqui de novo, sem mencionar os Filhos de Erebus e a guerra contra os humanos para lidar se eu tentar sair do campus para ver você, então não sei quando vou poder te ver de novo. — Eu estava começando a me sentir um pouco sem ar devido às muitas coisas que eu tinha para fazer.
— Não se preocupe, Z. Eu ainda tenho o celular que você me deu. Só ligue, e eu posso vir aqui a qualquer hora.
— Você diz a qualquer hora antes do sol nascer — Aphrodite disse, me ajudando a abrir a janela para Stevie Rae.
— Yeah, foi isso que eu quis dizer. — Stevie Rae olhou para Aphrodite. — Você sabe que pode vir comigo se não quiser ficar aqui e fingir.
Eu pisquei para minha amiga surpresa. Não era como se ela pudesse suportar Aphrodite, mas ela estava, oferecendo a ela um lugar para ficar, e usando um tom gentil de voz para isso, o que era exatamente como a Stevie Rae que eu conheço e amo – e eu me senti uma droga por que em algum lugar no fundo da minha mente eu a imaginei agindo como uma morta viva e desumana de novo.
— Verdade, você pode vir comigo — Stevie Rae repetiu, e quando Aphrodite não disse nada, ela disse algo que pareceu muito estranho para mim. — Eu sei como é fingir. Você não terá que fazer isso nos túneis.
Eu esperei que Aphrodite fizesse uma cara feia para ela e fizesse um comentário sobre calouros vermelhos e má higiene, mas o que ela disse me surpreendeu mais do que a oferta de Stevie Rae.
— Eu tenho que ficar aqui e fingir que eu ainda sou uma caloura. Eu não vou deixar Zoey sozinha, e eu não confio no garoto gay e nas Gêmeas Nerds para serem companheiras agora. Mas obrigado, Stevie Rae.
Eu sorri para Aphrodite. — Vê, você pode ser gentil quando tenta.
— Eu não estou sendo gentil. Estou sendo prática. Um mundo cheio de guerra não é atraente. Sabe, com todo o suor e luta e matando uns aos outros. Não é condizente a um bom cabelo ou unhas bem feitas.
— Aphrodite — eu disse cuidadosamente, — Ser gentil não é uma coisa ruim.
— Assim diz a Rainha da Terra do Anormal — Aphrodite respondeu.
— O que significa que ela é uma rainha para você, Garota da Visão — Stevie Rae disse. Então ela me deu um rápido abraço. — Tchau, Z. Te vejo logo. Prometo.
Eu a abracei, amando que ela parecia e cheirava e soava como sua antiga eu. — Ok, mas eu queria que você não tivesse que partir.
— Vai ficar tudo bem. Você vai ver. Isso tudo vai funcionar. — Então ela passou pela janela. Eu a observei começar a descer pelo lado do dormitório. Ela parecia assustadoramente como um inseto até o corpo dela se ondular e praticamente desaparecer. Na verdade, se eu não soubesse que ela estava ali, eu não iria ver.
— É como se ela fosse um daqueles lagartos que podem mudar de cor e o corpo deles combina com seus arredores — Aphrodite disse.
— Camaleões — eu disse. — É assim que eles se chamam.
— Tem certeza? Lagartixa parece muitos mais com a Stevie Rae para mim.
Eu franzi para ela. — Tenho certeza. Pare de ser uma espertinha e me ajude a fechar a janela.
Com a janela fechada eu fechei as cortinas de novo, suspirei e balancei a cabeça. Mais para mim do que para ela, e disse, — Então o que vamos fazer?
Aphrodite começou a procurar pela bolsa que ela usava como uma decoração por cima dos ombros. — Eu não sei, mas vou usar esse ridículo lápis delineador para desenhar minha Marca de novo. Da para acreditar que achei esse tom na Target? — Ela deu nos ombros. — Tipo, quem iria usar isso? De qualquer forma, eu vou arrumar isso, então vamos para a estúpida reunião que Neferet convocou.
— Eu quero dizer, o que vamos fazer sobre todas essas coisas de vida ou morte que vão acontecer?
— Eu não sei! Eu não quero isso. — Ela apontou para a Marca falsa. — Eu não quero nada disso. Eu só quero ser o que eu era antes de você aparecer aqui e o inferno começar. Eu quero ser popular e poderosa e namorar o cara mais gostoso da escola. Agora eu não sou nada disso, e eu sou uma humana que tem visões assustadoras e não sei o que fazer sobre nada disso.
Eu não disse nada por um segundo, pensando sobre o fato de eu ser a causa de Aphrodite perder a popularidade, o poder, e o namorado. Quando eu finalmente falei, eu me surpreendi dizendo exatamente o que estava na minha cabeça.
— Você deve me odiar.
Ela me encarou por muito tempo. — Eu odiava — ela disse devagar. — Mas agora eu principalmente me odeio.
— Não — eu disse.
— E porque diabos eu não deveria me odiar? Todos me odeiam. — As palavras dela soavam afiadas e maldosas, mas os olhos dela estavam cheios de lágrimas.
— Lembra as coisas ruins que você disse para mim não muito tempo atrás quando você achou que eu era tão perfeita?
Um pequeno sorriso apareceu nos lábios dela. — Você tem que me lembrar. Eu te disse muitas coisas ruins.
— Bem, dessa vez em particular você disse algo sobre o fato que o poder muda as pessoas e os faz fazer porcaria.
— Oh, yeah. Está voltando para mim agora. Eu disse que o poder muda as pessoas, mas estava falando das pessoas ao teu redor.
— Bem, você estava certa sobre eles e sobre mim, e eu entendo isso agora. Eu também entendi muitas coisas estúpidas que você fez — eu sorri e acrescentei, — não todas as coisas estúpidas que você fez, mas muitas delas. Porque agora eu fiz minha parte de coisas estúpidas, e eu acho que não parei de fazer coisas idiotas – por mais deprimente que isso seja.
— Deprimente, mas verdade — ela disse. — Oh, e por sinal, enquanto estamos falando sobre poder mudar as pessoas, você precisa lembrar disso quando estiver lidando com Stevie Rae.
— Como assim?
— Exatamente o que eu disse. Ela mudou.
— Você vai ter que fazer mais que isso — eu disse, me sentindo enjoada.
— Não finja que você não notou algo estranho nela — Aphrodite disse.
— Ela passou por muita coisa — eu justifiquei.
— Exatamente meu ponto. Ela passou por muita coisa, e isso mudou ela.
— Você nunca gostou de Stevie Rae, então não espero que você de repente comece a se dar bem com ela, mas não vou ouvir sua merda sobre ela – especialmente depois que ela acabou de te oferecer a ir com ela para não ter que ficar aqui e fingir ser algo que você não é. — Eu estava tentando ficar muito fula, e não sabia dizer se eu estava fazendo isso porque o que Aphrodite estava dizendo era horrível e errado, ou porque o que ela estava dizendo era assustadoramente verdade e eu não queria encarar isso.
— Você pensou que talvez ela queira que eu vá com ela porque Stevie Rae não quer que eu passe algum tempo com você?
— Isso é idiota. Porque ela iria se importar? Ela é minha melhor amiga, não meu namorado.
— Porque ela sabe que eu vi através da atuação dela e que eu iria te contar sobre o problema dela. A verdade é que ela não é o que costumava ser. Eu não tenho certeza do que ela é agora, e eu acho que ela também não sabe disso, mas ela com certeza não é a boazinha Stevie Rae que costumava ser.
— Eu sei que ela não é exatamente como costumava ser. — Eu surtei. — Como ela poderia? Ela morreu, Aphrodite! Nos meus braços. Lembra? E eu sou uma amiga boa o bastante para não virar as costas para ela porque passar por algo que muda a sua vida realmente a mudou.
Aphrodite ficou parada ali e me encarou muito tempo sem dizer nada – tanto que meu estômago começou a doer de novo. Finalmente ela ergueu um ombro. — Ótimo. Acredite no que quiser. Espero que você tenha razão.
— Estou certa, e não quero mais falar sobre isso — eu disse, me sentindo estranhamente abalada.
— Ótimo — ela repetiu. — Parei de falar sobre isso.
— Ótimo. Então termine de desenhar sua Marca e vamos para a reunião.
— Juntas?
— Yep.
— Você não se importa que as pessoas saibam que não nos odiamos? — ela disse.
— Bem, veja desse jeito: Pessoas, especialmente meus amigos, vão estar pensando muitas coisas não-tão-gentis sobre a possibilidade de você e eu de repente nos tornamos amigas.
Os olhos de Aphrodite se alargaram. — O que vai impedir o cérebro pequeno deles de pensar sobre Stevie Rae.
— Meus amigos não tem cérebro pequeno.
— Tanto faz.
— Mas, sim, Damien e as Gêmeas vão ficar ocupados pensando em coisas irritadas sobre você, o que definitivamente vai manter a mente deles ocupadas caso Neferet esteja ouvindo — eu disse.
— Parece o começo de um plano para mim — ela disse.
— Infelizmente, é tudo o que eu tenho para um plano.
— Bem, pelo menos você é consistente em não saber o que diabos está fazendo.
— É tão bom você olhar o melhor das coisas.
— Qualquer coisa que eu possa fazer para ajudar — Aphrodite disse.
Quando ela terminou sua Marca falsa, fomos para a porta. E logo antes de eu abrir, eu olhei para ela. — Oh, e eu também não te odeio. — Eu disse. — Na verdade, estou começando a gostar de você.
Aphrodite me deu seu melhor olhar de desprezo e disse, — Vê, isso é o que eu quis dizer sobre você ser consistente sobre não saber o que diabos você está fazendo.
Eu estava rindo quando abri a porta e dei um encontrão em Damien, Jack e as Gêmeas.

2 comentários:

  1. Eu definitivamente estou adorando a Aphrodite, que pena que ela virou humana.

    ResponderExcluir
  2. concordo a aphrodite esta se saindo muito bem por hora

    ass; aninha

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!