5 de outubro de 2015

Capítulo 40 - Heath

Heath se perguntou se Zo sabia que ela estava quebrando seu coração. Não que ele quisesse ficar longe dela. Ele não queria. Na verdade, ele queria mais dela. O problema era que ele também queria o que era melhor para ela – ele sempre quis. Desde o Ensino Fundamental. Ele lembrou do dia que ele se apaixonou por ela. A mãe dela tinha surtado com ela e levado ela a uma amiga que trabalhava naqueles salões de beleza. Elas decidiram – a mãe de Zo e sua amiga – que seria fofo cortar o longo cabelo escuro de Zo. Então no dia seguinte ela apareceu para a terceira série com um cabelo super curto e meio estranho todo espetado e com aparência de bagunçado. Os garotos todos sussurravam e riam dela. Os seus grandes olhos castanhos eram enormes e assustados, e Heath tinha pensado que ele nunca viu ninguém tão lindo. Ele disse a ela que gostava do cabelo dela – na frente de todo mundo no almoço. Ela parecia que ia começar a chorar, então ele carregou a bandeja dela por ela, e sentou com ela, embora não fosse legal sentar com uma garota. Naquele dia ela tinha feito algo com seu coração. Ela estava fazendo algo desde então. Então, aqui estava ele, indo encontrar um cara que tinha um pedaço do coração dela porque era o melhor para Zoey. Heath passou os dedos por seu cabelo. Tudo isso ia acabar algum dia. Algum dia Zoey ia voltar para Tulsa, e embora a House of Night fosse tomar muito do tempo dela, ela estaria com ele quando pudesse. Eles iam ver filmes de novo. Ela ia ver ele jogar futebol na OU. Seria normal de novo, ou tão normal quanto poderia ser. Ele podia aguentar até lá. Quando essa merda com Kalona fosse ajeitada – e Zo ia ajeitar, Heath tinha certeza – quando essa merda fosse consertada, seria melhor. Ele teria sua Zo de volta. Ou pelo menos tanto dela quanto ela podia dar a ele. E isso seria o bastante.
Heath seguiu o caminho que levava para longe do castelo, ainda indo na direção que Stark tinha ido. Ele olhou ao redor e não conseguia ver muito da grande parede de pedra, na sua esquerda, e o estacionamento que era cheio de sebes que eram quase tão altas quanto ele, a sua direita. Ele estudou o estacionamento enquanto andava, percebendo que as sebes criavam um tipo de padrão circular. Ele decidiu que deveria ser um daqueles antigos caminhos de sebes – um labirinto, ele finalmente lembrou da história da mitologia grega sobre o Minotauro na ilha de um rei rico, cujo nome ele nunca conseguia lembrar. Merda, ele não tinha percebido o quão escuro estava até se afastar das luzes do palácio. Estava quieto aqui também. Tão quieto que ele podia ouvir o barulho das ondas do outro lado do muro. Heath se perguntou se ele deveria gritar por Stark, mas decidiu, nah, como Zo, ele precisava de um tempo para ele mesmo. Toda essa coisa com vampiros era muita coisa para absorver, e era normal ele precisar de tempo para processar. Não que ele não pudesse lidar com Stark e os outros vampiros. Diabos, ele meio que gostava dos vampiros – e calouros também. Se chegasse nisso, ele achava que Stark era um cara legal. Era apenas Kalona que estava fodendo tudo. Então, como se seu pensamento tivesse trazido o imortal até ele, Heath ouviu a voz de Kalona passando pela noite vazia, e ele diminuiu a velocidade, tendo cuidado para não pisar em nenhuma pedra solta no caminho.
— Foi exatamente como planejado — Kalona estava dizendo.
— Eu odeio evasivas! Não posso suportar que você finja que você não é por ela.
Heath reconheceu a voz de Neferet e foi para frente. Se mantendo nas sombras, ele abraçou o muro, absolutamente silencioso. As vozes estavam saindo do estacionamento, na frente e a sua direita, e enquanto ele se movia para frente, havia uma ruptura nas sebes, obviamente uma saída, e dentro do labirinto Kalona e Neferet ficaram visíveis. O som de água caindo foi o que mascarou seus passos. Se pressionando contra a parede fria de pedra, ele observou e escutou.
— Você chama de fingimento. Eu chamo de outro ponto de vista — Kalona disse.
— E é por isso que você pode mentir para ela e ainda parecer estar dizendo a verdade — Neferet respondeu para ele. Kalona deu de ombros.
— Zoey quer a verdade – então é a verdade o que eu dou a ela.
— Seletiva — Neferet disse.
— É claro. Mas todos os mortais, vampiros, humanos, ou calouros, não selecionam suas próprias memórias?
— Mortais. Você diz isso como se estivesse à parte de nós.
— Eu sou um imortal, o que me torna diferente. Mesmo de você, embora seus poderes de Tsi Sgili estejam te transformando em algo perto de uma imortal.
— Sim, mas Zoey não é nada perto de um imortal. Eu ainda acredito que deveríamos matar ela.
— Você é uma criatura com sede de sangue — Kalona riu. — O que você faria, cortaria a cabeça dela e a empalharia como você fez com os outros dois que se meteram no seu caminho?
— Não seja ridículo. Eu não vou matar ela do mesmo jeito que fiz com eles. Seria muito óbvio. Ela poderia simplesmente encontrar um infeliz acidente quando ela visitar Veneza no dia seguinte.
O coração de Heath estava batendo tão alto que ele tinha certeza que eles seriam capazes de ouvir ele. Neferet tinha matado os dois professores de Zoey! E Kalona sabia e achava que era engraçado. De jeito nenhum Zoey iria acreditar que ainda havia bem nele se ouvisse isso. — Não — Kalona estava dizendo, — Não teremos que matar Zoey. Logo ela virá até mim por vontade própria; eu plantei a semente para isso. Tudo que eu preciso fazer é esperar ela florescer, e então os poderes dela, que são vastos mesmo que ela seja mortal, estarão a minha disposição.
— Nossa disposição — Neferet corrigiu ele. Uma das asas negras de Kalona se abriu, acariciando a lateral do corpo de Neferet e trazendo ela em direção a ele.
— É claro, minha rainha — ele murmurou antes de beijá-la. Heath sentia como se estivesse assistindo vídeo pornô, mas ele estava preso ali. Ele não podia se mexer. Ele provavelmente precisava ficar até eles estarem mesmo transando, e então ele podia fugir, ir até Zoey, e dizer a ela tudo que ouviu. Mas Neferet surpreendeu ele se afastando de Kalona.
— Não. Você não pode fazer amor com Zoey em seus sonhos, e então de novo com seus olhos na frente de todo mundo, e esperar que eu abra meu corpo para você. Eu não serei sua hoje à noite. Ela é demais entre nós. — Neferet se afastou de Kalona. Até Heath capturou a beleza dela. Seu grosso cabelo ruivo estava selvagem ao redor dela. A coisa sedosa que se envolvia ao redor do corpo dela parecia como uma segunda pele, e os seios dela estavam quase totalmente expostos enquanto ela respirava com força e rápido. — Eu sei que não sou imortal, e nem sou Zoey Redbird, mas meus poderes também são vastos, e você deveria lembrar que eu matei o último homem que tentou ficar com ela e comigo. — Neferet virou. Com um aceno de mão ela partiu a sebe na frente dela e passou por ela, deixando Kalona sozinho e a encarando no luz fraca. Heath estava se aprontando para se afastar devagar quando a cabeça de Kalona virou e seus olhos âmbares foram direto para onde ele estava parado.
— Então, pequeno humano, você agora tem uma história para dizer a minha Zoey — ele disse.
Heath olhou para os olhos do imortal e sabia de duas coisas além de qualquer dúvida. Uma é que essa criatura ia matar ele. A segunda era que de alguma forma ele tinha que mostrar a Zoey a verdade antes de morrer. Heath não recuou sobre o olhar da criatura. Ao invés disso ele usou a força de vontade que ele aprendeu a dominar tão bem em um tipo diferente de campo de batalha – um campo de futebol – e canalizou através do laço de sangue de seu Imprint, tentando encontrar o elemento que Zoey tinha a maior afinidade – espírito. Seu coração e alma gritaram pela noite: Espírito, venha até mim! Meajude a mandar uma mensagem para Zo! Diga a ela que ela precisa me encontrar! Enquanto isso sua voz calmamente disse a Kalona, — Ela não é sua Zoey.
— Ah, mas ela é — Kalona disse.
Zo! Venha até mim! A alma de Heath gritou. — Nah, você não conhece minha garota.
— A alma da sua garota pertence a mim e eu não vou permitir que Neferet ou você ou qualquer um mude isso. — Kalona começou a andar em direção a Heath. Zo! Sou eu, baby! Venha até mim!
— Qual é a expressão que os vampiros usam? — Kalona disse. — Eu acredito que é “a curiosidade matou o gato”. Isso parece se aplicar nessa situação.

5 comentários:

  1. Se o Heath morrer, eu largo essa série. :(

    ResponderExcluir
  2. Aff, tô ficando com raiva da Zoey

    ResponderExcluir
  3. A Zoey falou da Stevie Rae que quer salvar quem não tem salvação, mas ela está fazendo o mesmo. O Kalona foi muito perspicaz, ele fez com ela o mesmo que fez com o conselho, falou a verdade, mas não TODA a verdade. Ele pode até querer a Zoey, mas ele também quer TUDO como ele disse uma vez.

    ResponderExcluir
  4. E eu sabia que a Neferet tinha matado o Loren, impossível ela ficar com ele depois dele ter comido a Zoey e ter tido um imprint com ela.

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!