5 de outubro de 2015

Capítulo 36 - Zoey

Quando Aphrodite começou a gritar, Zoey sabia que só havia uma coisa a ser feita.
— Espírito, venha até mim! — ela comandou. Espírito instantaneamente preencheu ela com sua presença serena. — Ajude Aphrodite a se acalmar. — Ela sentiu o elemento deixar ela, e quase imediatamente Aphrodite se acalmou ofegando e soluçando. — Darius, eu preciso do celular de Lenobia. Agora!
Darius estava segurando Aphrodite em seus braços, mas ele obedeceu Zoey, tirando seu telefone do bolso de seu jeans e jogando para ela.
— Está na lista de contatos.
Forçando sua mão a não tremer, Zoey pegou os contatos e digitou o nome de Lenobia.
Ela respondeu no primeiro toque.
— Darius?
— É a Zoey. Temos uma emergência. Onde está Stevie Rae?
— Ela foi para o depósito tentar conversar com os outros calouros vermelhos. Eu esperava que ela tivesse voltado, já que está quase amanhecendo.
— Ela está com problemas.
— Queimando! — Aphrodite soluçou. — Ela está queimando!
— Ela está lá fora em algum lugar. Aphrodite disse que ela está queimando.
— Oh, Deusa! Ela sabe de mais alguma coisa?
Eu já conseguia ouvir pela mudança na voz de Lenobia que ela já estava se mexendo.
— Aphrodite, dá para saber onde Stevie Rae está?
— N-não. Só do lado de fora.
— Ela não sabe onde ela está, só que está do lado de fora.
— Eu vou encontrá-la — Lenobia disse. — Me ligue se Aphrodite puder dizer mais alguma coisa.
— Sim, me ligue assim que Stevie Rae estiver segura — eu disse, sem ser capaz de considerar nenhum outro resultado.
Lenobia desligou.
— Vamos levar Aphrodite para dentro onde possamos lidar com isso melhor — Erce disse.
Ela liderou o caminho para fora do barco até um prédio fechado, só que esse prédio não era como o hangar do aeroporto. Era antigo e feito de pedra. Eu só tive tempo para ficar aliviada por Stark estar protegido do sol enquanto Darius carregava Aphrodite para fora do barco e nós corríamos com Erce através de uma brisa.
Stark ficou do meu lado enquanto nós lutávamos para acompanhar Erce.
— Aphrodite tem um Imprint com Stevie Rae – ela é a outra vampira vermelha — eu expliquei.
Erce acenou, segurando aberta uma enorme porta de madeira e chamando Darius que carregava Aphrodite com ele.
— Lenobia me disse que elas tem um Imprint.
— O que você pode fazer para ajudá-la?
Entramos no enorme corredor. Eu tive a impressão de uma incrível e inacreditável opulência, tetos altos, candelabros, candelabros, candelabros; então Erce passou com pressa por um corredor, e para dentro de uma sala lateral.
— Coloque-a na cadeira ali. — Nós nos amontoamos ao redor da cadeira, observando Aphrodite. Erce virou para mim e numa voz baixa disse, — Não existe nada que possa ser feito por um humano quando seu vampiro com Imprint está sofrendo. Ela vai sentir a dor de Stevie Rae até a crise acabar, ou até morrer.
— Ela? — eu disse. — Stevie Rae ou Aphrodite?
— Qualquer uma das duas ou as duas. Vampiros podem sobreviver a eventos que matam seus consortes.
— Bem, merda — Heath murmurou.
— Minhas mãos! — Aphrodite soluçou. — Elas estão queimando!
Eu não consegui mais suportar e fui até ela. Ela ainda estava nos braços de Darius. O guerreiro estava sentado na cadeira, segurando ela com força e falando suavemente com ela. Seu rosto estava pálido e negro. Seus olhos imploravam para que eu o ajudasse.
Eu peguei uma mão de Aphrodite. Ela parecia anormalmente quente.
— Você não está queimando. Olhe para mim, Aphrodite. Isso não está acontecendo com você. Está acontecendo com Stevie Rae.
— Yeah, eu sei como você se sente. — Heath estava ao meu lado, abaixado de joelhos segurando a outra mão de Aphrodite. — É horrível estar com um Imprint e então sentir algo ruim acontecendo com seu vampiro. Mas não é você. Parece que é, mas não é.
— Isso não é sobre Stevie Rae fazendo com outra pessoa — Aphrodite disse, sua voz estrangulada trêmula e fraca.
Heath não se intimidou.
— O que acontece não importa. O que importa é que te machuca. Você tem que lembrar que não é realmente ela, embora pareça que você está tão ligada a ela que você é parte dela — ele pareceu atingir Aphrodite, e ela o encarou.
— Mas eu não queria isso. — Ela deu um pequeno soluço. — Eu não queria estar ligada a Stevie Rae, e você quer isso com Zoey.
Heath apertou a mão dela, e eu vi ela se segurar nele com tudo que ela podia. Todo mundo estava observando eles, mas eu acho que fui à única que me senti como uma forasteira.
— Querendo ou não, é demais às vezes. Você tem que aprender a poupar uma parte para você. Você tem que saber que você não divide de verdade sua alma com ela, não importa o que o Imprint diz.
— É isso! — Aphrodite tirou sua mão da minha e cobriu a de Heath. — Parece que estou dividindo minha alma. E eu não consigo suportar.
— Sim, você pode. Só lembre que é uma sensação. Não é real.
Eu me afastei alguns passos.
— Aphrodite, você está segura. Todos estamos aqui com você — Damien tocou o ombro dela.
— Yeah, está tudo bem. E seu cabelo ainda está muito bonito — Jack disse.
Eu ouvi Aphrodite rir – um pequeno escape da normalidade no meio de uma incrível turbulência. Então ela disse:
— Espere, de repente melhorou.
— Bom, porque você não pode morrer — Shaunee disse.
— Yeah, precisamos da sua experiência em compras — Erin disse.
As Gêmeas tentaram soar indiferentes e não afetadas, mas era óbvio que elas estavam preocupadas com Aphrodite.
— Aphrodite vai ficar bem. Ela vai superar isso — Stark disse.
Ele tinha se movido para meu lado, como sempre. Ele era uma presença firme ali, uma voz calma na tempestade.
— Mas o que está acontecendo com Stevie Rae? — eu sussurrei para ele.
Ele colocou seu braço ao meu redor e apertou. Uma linda vampira com um cabelo ruivo brilhante entrou no quarto, carregando uma bandeja com gelo, um copo, e várias toalhas dobradas. Ela foi direto até Erce, que estava parada perto da cadeira. Erce fez menção para que ela colocasse a bandeja na mesinha mais próxima. Eu notei que a nova vampira colocou a mão em seu bolso, pegou uma garrafa, e entregou para Erce antes de sair do quarto tão silenciosa quanto tinha entrado. Erce tirou uma pílula da garrafa e se aproximou de Aphrodite. Eu me movi antes de perceber o que estava fazendo, e me encontrei agarrando o pulso dela.
— O que você vai dar para ela? — Erce encontrou meu olhar.
— Algo para acalmá-la, para diminuir sua ansiedade.
— Mas e se ela perder contato com Stevie Rae por causa disso?
— Prefere duas amigas mortas ao invés de uma? Escolha, Alta Sacerdotisa.
Engoli meu tremor de raiva. Eu não queria escolher nenhuma de minhas amigas! Mas minha mente entendia que minha melhor amiga estava um oceano e um continente de distância, e Aphrodite morrer com ela era absolutamente desnecessário.
Soltei o pulso de Erce.
— Aqui, criança. Tome isso. — Erce deu a Aphrodite a pílula e ajudou Darius a segurar o copo de água gelada em seus lábios.
Aphrodite engoliu a pílula e bebeu a água como se tivesse corrido uma maratona.
— Deusa, eu espero que seja Xanax — ela disse trêmula.
Eu pensei que as coisas estavam melhorando. Aphrodite tinha parado de chorar e minha turma tinha se dispersado para as cadeiras no quarto. Fora Heath e Stark. Stark estava do meu lado. Heath ainda estava segurando a mão de Aphrodite. Ele e Darius estavam conversando baixo com ela. Então Aphrodite gritou e se afastou dos braços de Heath e Darius, se curvando em uma posição fetal.
— Estou queimando!
Heath olhou para mim.
— Você não pode ajudá-la?
— Estou canalizando espírito. Isso é tudo que posso fazer. Stevie Rae está em Oklahoma: eu não posso ajudá-la! — eu praticamente gritei com Heath, minha frustração se transformando em raiva.
Stark colocou seus braços ao meu redor.
— Está tudo bem. Vai ficar tudo bem.
— Eu não sei como — eu disse. — Como as duas podem sobreviver a isso?
— Como um cara mau pode se tornar guerreiro de uma Alta Sacerdotisa? — ele respondeu, e sorriu. — Nyx – ela tem sua mão nas duas. Confie na nossa deusa.
Então eu fiquei parada ali, canalizando espírito, observando a agonia de Aphrodite e confiando na deusa. De repente, Aphrodite gritava, se agarrou nas costas, e chorou:
— Se abra e me proteja!
E então ela caiu, chorando de alívio nos braços de Darius. Eu me aproximei dela hesitante e me abaixei para poder ver seu rosto.
— Hey, você está bem? Stevie Rae está viva?
O rosto manchado de lágrimas de Aphrodite se ergueu para que ela pudesse me olhar nos olhos.
— Acabou. Ela está em contato com a terra de novo. Ela está viva.
— Oh, graças a deusa! — eu disse. Eu toquei o ombro dela levemente. — Você também está bem?
— Eu acho que sim. Não. Espere. Eu não sei. Me sinto estranha. Como se minha pele não estivesse muito certa.
— A vampira dela foi ferida — Erce disse em uma voz quase inaudível. — Stevie Rae pode estar bem agora, mas algo está terrivelmente errado com ela.
— Beba isso, amor — Darius disse, pegando um copo fresco de Erce e erguendo até os lábios de Aphrodite. — Isso vai ajudar.
Aphrodite bebeu a água.
Era uma boa coisa Darius estar ajudando ela a segurar o copo, porque estava tremendo tanto que não havia como ela se impedir de derramar água sem ajuda dele. Então ela deitou para trás, descansando nos braços dele, respirando superficialmente, como se não pudesse aguentar respirar sem sentir muita dor.
— Estou toda dolorida — eu ouvi ela sussurrar para Darius.
Andei até Erce, peguei o pulso dela, e tirei ela do alcance de Aphrodite.
— Não tem um curandeiro vampiro que possa ser enviado? — eu perguntei.
— Ela não é uma vampira, Sacerdotisa — Erce disse gentilmente. — Nosso curandeiro não poderia ajudar ela.
— Mas ela está assim por causa de um vampiro.
— Esse é um risco que todo consorte assume. Seu destino está ligado a seu vampiro. A maior parte dos consortes morre muito antes do vampiro, e isso é difícil o bastante. Essa situação ocorre menos frequentemente.
— Stevie Rae não está morta — eu sussurrei severamente.
— Ainda não, mas de observar o consorte dela, eu diria que ela está em grande perigo.
— Ela é um consorte por engano — eu murmurei. — Aphrodite não queria que isso acontecesse. Nem Stevie Rae.
— Intencionalmente ou não, ainda foi criado — Erce disse.
— Oh minha deusa! — Aphrodite se levantou, se afastando completamente de Darius.
Seu rosto era uma máscara de choque que passou devagar a refletir primeiro dor e então negação, e então ela tremeu uma vez, tão violentamente que eu podia ouvir os dentes dela batendo, antes de cobrir seu rosto com suas mãos e se dissolver em lágrimas de partir o coração.
Darius olhou me suplicando. Me preparando para ouvir que Stevie Rae estava morta, eu fui até Aphrodite e sentei ao lado dela.
— Aphrodite? — eu tentei sem sucesso impedir as lágrimas da minha voz. Como Stevie Rae pode estar morta? O que eu vou fazer agora, a um mundo de distância dela e complemente fora da minha capacidade? — Stevie Rae está morta?
Eu podia ouvir as Gêmeas chorando, e vi Damien colocar Jack em seus braços. Aphrodite ergueu seu rosto de suas mãos, e eu estava chocada por ver seu velho e sarcástico sorriso brilhar através das lágrimas.
— Morta? Diabos não, ela não está morta. Ela teve um Imprint com outra pessoa!

6 comentários:

  1. Wow... Kkkk... nossa... Caraca Véio...
    Ana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Woooooooow...Man como assimmmmmmmmmmmmmmm?!?!

      Excluir
  2. aaaaah minha deusa caceteee .o.

    ResponderExcluir
  3. kkkkkkk eu to feliz e assustada e viciada minhadeusa kkk
    ass:leticia

    ResponderExcluir
  4. ohminhadeusa!!! que cocõ
    lanny

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!