1 de outubro de 2015

Capítulo 32

— Tem certeza que tem que ser assim? — Detetive Marx perguntou pelo que parecia a zilionésima vez.
— Yep. — Eu acenei desgastadamente. — Tem que ser assim. — Eu estava tão cansada que eu pensei que eu podia pegar no sono bem ali no caminhão monstro da polícia. Mas eu sabia que eu não podia. Essa noite ainda não tinha acabado. Meu trabalho ainda não estava acabado.
O detetive suspirou, e eu sorri para ele.
— Você vai ter que confiar em mim — eu disse, soando muito como ele tinha me falado mais cedo.
— Eu não gosto disso — ele disse.
— Eu sei, e sinto muito. Mas eu te disse tudo que eu posso.
— Que algum sem teto é responsável por Heath e os outros dois garotos? — Ele balançou a cabeça. — Parece errado para mim.
— Você tem certeza que não está só um pouquinho psíquico? — Eu sorri, cansada, para ele.
— Se eu fosse, eu seria capaz de descobrir o que parece errado. — Ele balançou a cabeça de novo. — Explique esse – o que aconteceu com a sua memória?
Eu já tinha pensando na resposta para isso. — Foi o trauma de hoje à noite. Me fez bloquear o que aconteceu. E então minha afinidade pelos cinco elementos me ajudou a superar o bloqueio e eu lembrei.
— É por isso que você estava com tanta dor?
Eu dei nos ombros. — Eu acho que sim. Já sumiu de qualquer jeito.
— Olha, Zoey, tenho certeza que tem mais acontecendo aqui do que você está me dizendo. Eu quero que você saiba que realmente pode confiar em mim — ele disse.
— Eu sei disso. — Eu acreditava nele, mas eu também sabia que havia alguns segredos que eu não podia partilhar. Não com esse detetive muito bom. E nem com ninguém.
— Você não tem que lidar com isso sozinha. Eu posso ajudar você. Você é só uma garota – só uma adolescente. — Ele soava totalmente exasperado.
Eu encontrei os olhos dele firme — Não, eu sou uma caloura que é a líder das Filhas das Trevas e Alta Sacerdotisa em treinamento. Acredite em mim, isso é muito mais do que apenas uma adolescente. Eu te dou meu juramento, e você sabe pela sua irmã que meu juramento me obriga. Eu prometo que te disse tudo o que posso, e que se mais garotos desaparecerem, eu acredito que posso encontrar eles para você. — O que eu não disse é que eu não tinha 100% de certeza de como eu ia fazer isso, mas a promessa parecia certa, então eu sabia que Nyx iria me ajudar a mantê-la. Não que fosse fácil. Mas eu não podia trair a presença de Stevie Rae, o que significava que ninguém podia saber sobre as criaturas, ou pelo menos, não até Stevie Rae estar a salvo.
Marx suspirou de novo, e eu pude ver que ele estava murmurando para si mesmo enquanto ele parou para me ajudar a descer do seu caminhão. Mas logo antes dele abrir a porta para o prédio principal Marx (irritantemente) me descabelou e disse — Certo, vamos fazer isso do seu jeito. É claro, não é como se eu tivesse escolha.
Ele estava certo. Ele não tinha escolha.
Eu entrei no prédio antes dele e fui instantaneamente engolfado pelo calor e os cheiros familiares de incenso e óleo, e das suaves luzes que brilhavam como ansiosos e saudosos amigos.
Falando nisso...
— Zoey! — Eu ouvi as Gêmeas gritarem juntas, e então eu estava sendo imprensada no meio delas enquanto elas me abraçavam e choravam e gritavam comigo por preocupar elas e falavam sem parar sobre serem capazes de sentir quando eu usei os elementos. Damien não estava muito atrás delas. Então eu estava nos braços fortes de Erik enquanto ele me abraçava e sussurrava sobre o quão assustado ele estava por mim e o quão feliz ele estava por tudo estar bem. Eu me permiti descansar nos braços dele e retornei o seu abraço. Mais tarde, eu iria ver o que fazer sobre Heath e ele. Agora eu estava cansada demais, e de qualquer forma, eu precisava guardar minhas forças e lidar com –
— Zoey, você nos deu um belo susto.
Eu saí dos braços de Erik e virei para olhar Neferet.
— Sinto muito. Eu não queria chatear vocês — eu disse, e era verdade. Eu não queria preocupar ou chatear ou assustar ninguém.
— Bem, eu suponho que não houve nenhum mal feito. Estamos apenas felizes por você estar segura em casa. — Ela sorriu para mim com aquele incrível sorriso dela que parecia tão cheio de amor e luz e bondade, e embora eu soubesse o que aquele sorriso escondia, eu senti meu coração se apertar e desejei desesperadamente estar errada, que Neferet era tão maravilhosa quanto eu costumava achar que ela era.
Escuridão nem sempre trás o mal, assim como a luz nem sempre trás o bem. As palavras da deusa ecoaram na minha mente, me dando força.
— Bem, Zoey é definitivamente nossa heroína — Detetive Marx disse. — Se ela não estivesse ligada aquele garoto, ela nunca teria nos ligado a tempo de salvar ele.
— Sim, bem, esse é um pequeno problema que ela e eu teremos que discutir mais tarde. — Ela me deu um olhar severo, mas seu tom me disse que eu não estava com muitos problemas.
Se eles soubessem.
— Detetive, você pegou a pessoa que estava pegando os garotos? — Neferet continuou.
— Não, ele escapou antes de chegarmos, mas tem várias evidências de que alguém estava vivendo no depósito, na verdade parecia que ele estava sendo usado como algum tipo de QG. Eu acho que será fácil encontrar provas de que os outros dois garotos foram mortos por alguém que estava tentando fazer parecer que vampiros estavam levando adolescentes. E agora, embora Heath não lembre de muita coisa por causa do trauma, Zoey nos deu uma boa descrição do homem. É só uma questão de tempo antes de nós o pegarmos.
Eu fui a única que viu surpresa passar pelos olhos de Neferet?
— Isso é maravilhoso! — Neferet disse.
— Yeah. — Eu encontrei os olhos da Alta Sacerdotisa. — Eu contei muito ao Detetive Marx. Minha memória é muito boa.”
—Estou orgulhosa de você, Zoey Passarinha! — Neferet veio até mim e pôs seus braços ao meu redor, me abraçando de perto. Tão perto que apenas eu ouvi o que ela sussurrou no meu ouvido, — Se você falar contra mim eu vou me certificar de que nenhum humano ou calouro ou vampiro acredite em você.
Eu não me afastei dela. Eu não reagi de forma alguma. Mas quando ela me soltou, em dei meu golpe final – o único plano desde que a sensação quente e branca tinha passado pela pele das minhas costas.
— Neferet, você por favor poderia olhar nas minhas costas?
Meus amigos estavam conversando entre si, claramente rindo de alívio que sentiram desde que os chamei enquanto o Detetive Marx e eu conversávamos do lado de fora da escola e pedia a eles para me encontrarem dentro do prédio principal, e para se certificar que Neferet também estivesse lá. Agora meu estranho pedido, que eu me certifiquei de pedir em voz alta e claramente, os calou. Na verdade, todos na sala, incluindo o Detetive Marx, estavam olhando para mim imaginando se talvez eu tenha batido a cabeça ou algo assim durante minhas aventuras e um pouco do meu cérebro vazou para fora.
— É importante — eu disse, rindo para Neferet como se estivesse escondendo um presente embaixo da minha camiseta.
— Zoey, eu não tenho certeza do que — Neferet começou, o tom dela cuidadosamente dividido entre preocupação e embaraçamento.
Eu dei um suspiro exagerado. — Jeesh, só olhe. — E antes de qualquer um me impedir, em me virei para que minhas costas estivesse os encarando, e levantei a ponta da minha camiseta (tento cuidado para manter a parte da frente coberta).
Eu realmente não estava preocupada em estar errada, mas os barulhos de surpresa e exclamações de felicidade dos meus amigos foram um alivio de se ouvir.
— Z! Sua Marca se espalhou. — Erik riu e tocou as novas tatuagens da pele das minhas costas.
— Wow, isso é incrível — Shaunee disse.
— Totalmente legal — Erin disse.
— Espetacular — Damien disse. — É o mesmo labirinto de suas outras Marcas.
— Yeah, com os símbolos de runa espaçados entre espirais — Erik disse.
Eu acho que eu fui a única que notou que Neferet não disse nada.
Eu soltei minha camiseta. Eu estava seriamente ansiosa para chegar a um espelho para poder ver o que eu só era capaz de sentir.
— Parabéns, Zoey. Eu imagino que isso significa que você continua a espalhar sua bondade — Detetive Marx disse.
Eu sorri para ele. — Obrigado. Obrigado por tudo hoje à noite.
Nossos olhos se encontraram e ele piscou. Então ele se virou para Neferet. — É melhor eu ir, senhora. Tem muito trabalho a ser feito ainda. Além do mais, eu imagino que Zoey está ansiosa para ir para cama. Boa noite a todos. — Ele tocou seu chapéu, sorriu para mim de novo, e saiu.
— Estou realmente cansada. — Eu olhei para Neferet. — Se estiver tudo bem, gostaria de ir para cama.
— Sim, querida — ela disse suavemente. — Isso está bem.
— E também eu gostaria de dar uma passada no Templo de Nyx no caminho para o dormitório, se estiver tudo bem para você — eu disse.
— Você realmente tem muita coisa para agradecer a Nyx. Parar no templo dela é uma boa ideia.
— Vamos com você, Z — Shaunee disse.
— Yeah, Nyx estava com todos nós hoje à noite — Erin disse.
Damien e Erik fizeram sons de concordância, mas eu não olhei para nenhum dos meus amigos. Eu mantive contato visual com Neferet e disse, — Eu vou agradecer Nyx, mas tem outra razão do porque eu ir até o templo. — Eu não esperei para ela me questionar, mas continuei seriamente, — Eu vou acender uma vela da terra para Stevie Rae. Eu prometi a ela que não a esqueceria.
Meus amigos estavam murmurando suaves palavras de concordância, mas eu mantive minha atenção focada em Neferet enquanto eu devagar e deliberadamente andava até ela.
— Boa noite, Neferet — eu disse e dessa vez eu a abracei, e a coloquei mais perto de mim e sussurrei, — Humanos e calouros e vampiros não precisam acreditar em mim porque Nyx acredita. Isso não acabou entre nós.
Eu me afastei dos braços de Neferet e virei minhas costas para ela. Juntos, meus amigos e eu saímos e cruzamos a curta distância até o Templo de Nyx. Finalmente tinha parado de nevar, e a lua estava aparecendo entre acúmulos de nuvens que pareciam ser feitas de seda. Eu parei na linda estátua de mármore da deusa que ficava na frente do templo dela.
— Aqui — eu disse firmemente.
— Zo? — Erin disse questionadoramente.
— Eu quero por uma vela para Stevie Rae aqui, nos pés de Nyx.
— Eu vou pegar para você — Erik disse. Ele apertou minha mão e entrou no Templo de Nyx.
— Você está certa — Shaunee disse.
— Yeah, Stevie Rae iria gostar que fosse acesa aqui — Erin disse.
— É mais perto da terra — Damien disse.
— E é mais perto de Stevie Rae — eu disse suavemente.
Erik voltou e me entregou a vela verde, junto com o isqueiro ritualístico. Seguindo meus instintos, eu acendi a vela e a coloquei nos pés de Nyx.
— Estou lembrando de você, Stevie Rae. Assim como eu prometi — eu disse.
— Eu também — disse Damien.
— Eu também — disse Shaunee.
— Digo o mesmo — disse Erin.
— Eu também estou lembrando — disse Erik.
O cheiro de grama de campina de repente cercou a estatua de Nyx, fazendo meus amigos sorrirem enquanto choravam. Antes de nos afastarmos eu fechei meus olhos e sussurrei uma reza que era uma promessa que eu senti profundamente na minha alma.
Eu vou voltar por você, Stevie Rae.

Um comentário:

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!