5 de outubro de 2015

Capítulo 30 - Zoey

Era o mesmo telhado do castelo; não havia dúvidas. As laranjeiras estavam cheias de frutas gordas que mandavam uma brisa fria. No centro estava a mesma fonte com forma de uma mulher nua com água caindo de suas mãos. Vendo ela duas vezes, eu percebi porque ela parecia tão familiar. Ela me lembrava Nyx, ou pelo menos um dos rostos que eu vi a deusa usar. E então eu lembrei o que eu aprendi sobre esse lugar – que era o antigo lugar onde ficava o Alto Conselho Vampiro original, então fazia sentido que a fonte parecesse com a deusa. Eu queria sentar ao lado dela e respirar o aroma cítrico e o mar. Eu não queria virar para onde meus instintos estavam me dizendo para virar – e ver quem eu sabia que eu iria ver. Mas, como uma bola de neve descendo uma montanha, eu não parecia conseguir controlar a avalanche que passava por mim, então eu virei na direção que minha alma estava me levando. Kalona estava abaixado perto da beira dos ‘dentes’ do telhado do castelo. Suas costas estavam viradas para mim e ele estava de joelhos. Ele estava vestido, ou melhor, não vestido, como da última vez que estivemos aqui – ele usava jeans e só isso. Suas asas negras estavam abertas ao redor dele, deixando apenas seus ombros bronzeados visíveis. Sua cabeça estava abaixada, e ele não parecia saber que eu estava ali. Como se eu não pudesse impedir eles, meus pés se moveram até ele, e enquanto eu me aproximava, eu percebi que ele estava ajoelhado exatamente onde estive parada quando me atirei do telhado. Eu não estava longe dele quando vi seus ombros ficarem tensos. Suas asas bateram e então sua cabeça estava erguida e ele olhou por cima do seu ombro. Ele estava chorando. Lágrimas faziam caminhos molhados pelo seu rosto. Ele parecia esmagado, quebrado, completamente derrotado. Mas no instante que ele me viu, sua expressão mudou. Seu rosto foi preenchido com uma alegria tão incrível que minha respiração literalmente ficou presa com sua incomparável beleza. Ele levantou, e com um grito de felicidade veio até mim.
Eu achei que ele fosse me puxar para seus braços, mas no último segundo ele se olhou para que apenas uma mão estivesse erguida como se ele fosse tocar minha bochecha, mas seus dedos pararam perto da minha pele, hesitaram por um instante, e então, sem me tocar, sua mão caiu do seu lado.
— Você voltou.
— Sonhos não são reais. Eu não morri — eu disse, embora fosse difícil para eu falar.
— O reino dos sonhos é parte do Outromundo; nunca subestime o poder do que acontece aqui. — Ele limpou seu rosto com as costas de sua mão, me surpreendendo de novo, e deu uma risada embaraçada. — Eu devo parecer tolo para você. Eu sabia que você não estava morta, é claro. Ainda sim pareceu tão real – tão horrivelmente familiar.
Eu o encarei, sem saber o que dizer. Não saber como reagir a essa versão de Kalona – a versão que parecia e agia mais como um anjo do que um demônio. Ele me lembro o Kalona que tinha se rendido a A-ya, por vontade própria se permitindo ficar preso do abraço dele com uma vulnerabilidade que ainda me assombrava. Era um enorme contraste da última vez que eu tinha visto ele aqui, quando ele estava no modo super sedutor, me apalpando, e... Eu cerrei os olhos para ele.
— Como exatamente posso estar aqui de novo? Não estou dormindo sozinha, e eu não me refiro apenas a minhas amigas. Estou dormindo nos braços de um cara humano com quem tenho um Imprint. Ele e eu somos definitivamente mais do que amigos. Você não deveria ser capaz de chegar aqui. — Eu apontei para minha cabeça.
— Não estou na sua cabeça. Você nunca me chamou em seus sonhos. Eu atraio sua essência até mim. A invasão é minha, não por algum convite seu.
— Não foi isso que você disse antes.
— Eu menti antes. Estou falando a verdade agora.
— Porque?
— Pela mesma razão de eu ter sido capaz de te trazer aqui mesmo que você esteja nos braços de outro. Dessa vez – pela primeira vez – meus motivos são puros. Não estou tentando manipular você. Não estou tentando te seduzir. E vou falar apenas a verdade para você.
— Como você pode esperar que eu acredite nisso?
— Se você acredita ou não, não muda a natureza da verdade. Você está aqui, Zoey, quando não deveria estar. Isso não é prova o bastante para você?
Eu mordi meu lábio. — Eu não sei. Não sei quais são as regras aqui.
— Mas você sabe sobre o poder da verdade. Você me mostrou isso durante nosso último encontro. Você não pode se valer desse poder para julgar a veracidade do que estou dizendo? — Graças a Damien, eu sabia que veracidade significava verdade, então eu não estava por aqui mordendo um lábio com uma cara de desentendimento por não ter entendido o que ele disse. Eu estava com uma cara de desentendimento porque não sabia como responder a ele. Kalona estava me confundindo. Finalmente eu abri a boca para dizer a ele que não, eu não podia contar com o poder da verdade quando eu não fazia ideia sobre o que ele estaria mentindo, mas ele ergueu uma mão e impediu minhas palavras. — Você me perguntou uma vez se eu sempre fui o que sou agora, mas só fui evasivo e menti. Hoje quero te dar a verdade. Você vai permitir, Zoey?
De novo, ele me chamou de Zoey! Ele nem uma vez tinha me chamado de A-ya, como ele gostava. E ele não estava me tocando. Nenhum um pouco. — Eu – eu não sei — eu disse como uma idiota e dei um passo para trás, esperando que a atuação de cara-legal sumisse e o sedutor imortal reaparecesse. — O que você vai fazer para me mostrar?
Seus olhos âmbares lindos escureceram com tristeza. Ele balançou a cabeça. — Não, Zoey. Você não precisa temer que eu vá tentar fazer amor com você. Se eu tentar passar da verdade para a sedução, esse sonho se quebraria e você se encontraria acordando nos braços de outro homem. Para eu e mostrar o que você precisa ver, você só precisa pegar minha mão.
Ele a estendeu, forte e de aparência normal. Eu hesitei.
— Te dou meu juramento que minha pele não irá te queimar com o poder frio da luxúria que eu tenho por você. Eu sei que você não tem motivos para confiar em mim, então eu peço que você confie na verdade. Me toque, e você verá que não estou mentindo para você.
É só um sonho. Eu me lembrei. Não importa o que ele diz sobre o Outromundo, um sonho é um sonho. Isso não é real. Mas a verdade é real, seja no mundo dos sonhos ou na realidade, e a triste verdade é que eu queria pegar a mão dele. Eu queria ver o que ele precisava me mostrar. Então eu ergui minha mão e pressionei minha palma na dele. Ele tinha dito a verdade. Pela primeira vez, sua pele não me congelou com a paixão e poder que eu não podia aceitar, mesmo quando não conseguia me afastar totalmente.
— Eu quero te mostrar meu passado.
A mão que não segurava a minha passou em nossa frente como se estivesse limpando uma janela invisível, uma vez, duas vezes, três vezes. Então o ar oscilou e com um horrível som de algo se rasgando algo se abriu diante de nós, como se ele tivesse aberto um pedaço do reino dos sonhos. — Agora contemple a verdade! — Com o comando dele o céu rasgado tremeu e então, como se uma enorme TV tivesse repentinamente se ligado, eu comecei a ver pedaços do passado de Kalona. A primeira cena que eu vi me deixou sem fôlego tamanha beleza. Kalona estava lá, semi-nu como sempre, mas dessa vez ele segurava uma longa espada com aparência perigosa enquanto a outra mão estava nas suas costas, e suas asas eram de um branco puro! Ele estava parado do lado de fora de uma porta de mármore magnífica de um templo. Ele parecia perigoso e nobre – muito como um guerreiro. Enquanto eu observava, sua expressão dura mudou para algo mais suave, e enquanto a mulher subia as escadas do templo, ele sorriu para ela com uma adoração óbvia.
“Merry meet, Kalona, meu guerreiro.”
A voz dela ecoou do passado e eu ofeguei. Eu não precisava ver o rosto da mulher. Eu instantaneamente reconheci a voz dela.
— Nyx! — eu gritei.
— De fato — Kalona disse. — Eu era o guerreiro jurado de Nyx. — O Kalona da visão seguiu a deusa para dentro de seu templo. A cena mudou, e de repente Kalona estava usando duas espadas para lutar com algo que eu não conseguia ver. A coisa era preta e continua a mudar de forma. Num instante era uma enorme serpente, no outro era uma boca aberta com dentes brilhantes, e no outro parecia ser uma criatura parecida com uma aranha com garras e presas.
— O que é isso?
— Só um aspecto do mal. — Kalona falou suavemente, como se as palavras fossem difíceis para ele dizer. — Mas você não estava no reino de Nyx? Como mal poderia chegar lá?
— Mal está em toda parte, assim como o bem está em toda parte. É a forma como o mundo e Outromundo foram feitos. Tem de haver equilíbrio, até no reino de Nyx.
— É por isso que ela precisava de um guerreiro? — eu perguntei, observando a cena mudar de novo para mostrar uma campina. Os olhos dele nunca estavam parados, mas constantemente observando a área ao redor e atrás da deusa. Uma espada em sua mão. A outra estava pronta em seu cinto.
— Sim, é por isso que ela precisa de um guerreiro — ele disse.
— Precisa. — Eu provei a palavra, e então consegui olhar do Kalona do passado para o do presente. — Se ela ainda precisa de um guerreiro, então porque você está aqui ou invés de lá?
A mandíbula dele se apertou e seus olhos se encheram de dor. A voz dele era quebrada quando ele me respondeu. — Olhe ali, e você verá a verdade.
Eu foquei meu olhar de volta nas cenas que mudavam para ver Nyx parada diante de Kalona. Ele estava de joelhos na frente dela, e como ele tinha estado quando entrei nesse sonho, ele estava chorando. Essa encarnação de Nyx parecia tanto com a estátua de Maria na gruta das freiras Beneditinas que eu senti uma onda de choque. Mas enquanto eu continuava a olhar, eu vi que algo estava errado com Nyx. Diferente da beleza serena da Maria das freiras, a expressão de Nyx era dura e parecia estranhamente mais como uma pedra do que a estátua.
“Por favor, não faça isso, minha deusa.” A voz de Kalona passou por nós. Soava como se ele estivesse implorando.
“Eu não faço nada, Kalona. Você tem uma escolha. Eu dou até a meus guerreiros livre arbítrio, embora eu não exija que eles a usem sabiamente.” Eu estava chocada por quão fria Nyx soava. Por um segundo, ela me lembrou de como Aphrodite costumava ser.
“Eu não posso me impedir. Eu fui criado para sentir isso. Não é livre arbítrio. É predestinação.”
“Ainda sim como sua deusa eu te digo que o que você é não é predestinado. Sua vontade modelou você.”
“Eu não posso impedir o que sinto! Não posso impedir o que eu sou!”
“Você, meu guerreiro, está enganado; portanto, você deve pagar as consequências do seu erro.”
Nyx ergueu um braço perfeito e apontou seus dedos para Kalona. O guerreiro foi erguido e arremessado para trás, descendo e descendo. Kalona caiu. Eu observei.
Eu observei ele gritar em agonia enquanto ele caia e caia. Quando ele finalmente pousou, amassado, quebrado, e ensanguentado, em um campo que me lembrava o Tallgrass Prairie, as asas dele tinham passado de branco para um preto como de um corvo, como são hoje. Com um choro cheio de dor, Kalona ergueu sua mão e limpou a visão do passado. Enquanto o ar ao nosso redor tremia e se tornava o jardim do castelo de novo, ele soltou minha mão e se afastou para sentar em um banco debaixo de uma laranjeira. Ele não disse nada. Ele só ficou sentado ali olhando o azul do mediterrâneo. Eu segui, mas não sentei ao lado dele. Ao invés disso, parei na frente dele, estudando ele como se eu pudesse julgar a verdade em seus olhos.
— Porque ela te expulsou? O que você fez?
Os olhos dele encontraram os meus. — Eu a amei demais. — A voz dele era tão sem emoção que ele parecia um fantasma.
— Como você pode amar demais uma deusa? — eu perguntei automaticamente, mesmo quando a resposta óbvio veio até mim. Existem diferentes tipos de amor – eu estava superciente disso. Kalona amou Nyx do jeito obviamente errado.
— Eu tinha ciúmes. Eu até odiava Erebus. — Eu pisquei chocada. Erebus era o consorte de Nyx, seu eterno amante. — Meu amor por ela me fez quebrar meu juramento. Eu estava tão obcecado com ela, eu não conseguia mais protegê-la. Eu falhei como guerreiro dela.
— Isso é terrível — eu disse, pensando em Stark. Ele só era jurado a mim a dias, e eu já sabia que seria como arrancar uma parte de sua alma se ele falhasse comigo. E por quanto tempo Kalona foi o guerreiro de Nyx? Séculos? Quanto tempo era um pedaço de eternidade?
Incrédula, eu percebi que eu estava sentindo pena de Kalona. Eu não podia sentir pena dele! Claro, ele teve seu coração partido e caiu do reino da deusa, mas então ele se tornou um cara mau. Ele se tornou o mal que ele costumava lutar. Ele acenou sua cabeça e, como se pudesse ouvir meus pensamentos, ele disse, — eu fiz coisas terríveis. Eu continuo a fazer elas. Cair me mudou. Então, por tanto tempo fiquei atordoado por dentro. Eu busquei e busquei, século depois de século, tentando encontrar algo, alguém para preencher a ferida ensanguentada que Nyx tinha deixado em minha alma. Quando encontrei ela, eu sabia que ela não era real, que ela era uma ilusão criada para me prender. Eu fui por vontade própria para os braços dela. Você sabia que quando ela começou a mudar sua forma para barro do qual ela foi feita, ela chorou?
Meu corpo tremeu. Eu sabia do que ele estava falando. Eu vivenciei isso com ela. — Sim. — Minha voz era um rouco sussurro. — Eu lembro.
Os olhos dele se arregalaram em choque. — Você lembra? Você tem as memórias de A-ya?
Eu não queria admitir a extensão da memória de A-ya, mas eu sabia que não podia mentir. Então eu modelei uma pequena parte da verdade e disse a ele com palavras apertadas.
— Só uma. Eu só lembro de dissolver. E eu lembrei de A-ya chorando.
— Estou feliz por você não se lembrar de mais nada, porque o espírito dela ficou comigo, preso na escuridão, por um longo tempo. Eu não podia tocar ela, mas eu podia sentir a presença dela. Eu acho que foi a única coisa que me manteve são.
Um calafrio passou por seu corpo e eu vi suas mãos começando a se erguer, como se ele estivesse literalmente tentando afastar a memória. Ele ficou quieto por um longo tempo. Eu achei que ele tinha terminado de contar o passado, e estava tentando superar o choque e a descrença na minha mente para encontrar uma pergunta para fazer a ele quando ele começou a falar de novo.
— Então A-ya se foi. Foi quando eu comecei a chamar ela. Eu sussurrei minha vontade de estar livre para o mundo, e então o mundo finalmente me ouviu.
— Você não quer dizer que Neferet te ouviu?
— É verdade que ela me ouviu, mas não foi apenas a Tsi Sgili que respondeu meu chamado.
Eu balancei minha cabeça. — Você não me chamou na House of Night. Nyx me Marcou. É por isso que estou aqui.
— É? Eu devo falar apenas a verdade ou nosso sonho desaparecerá, então não estou tentando te persuadir fingindo que sei mais do que sei. Só vou dizer o que eu acredito, e o que eu acredito é que você me ouviu também. Ou pelo menos a parte de você que uma vez foi A-ya ouviu e reconheceu minha voz. — Ele hesitou, e então acrescentou, — Talvez a mão de Nyx estivesse guiando sua reencarnação. Talvez a deusa mandou você para –
— Não! — Eu não podia mais ouvir. Meu coração estava batendo com tanta força que eu pensei que ele ia pular do meu peito. — Nyx não me mandou para você, bem como não sou realmente A-ya. Não importa que eu tenha uma memória aleatória dela. Nessa vida sou uma garota de verdade, com livre arbítrio e mente própria.
A expressão dele mudou de novo. Seus olhos suavizaram e ele sorriu com ternura. — Eu sei, Zoey, e é por isso que eu tenho lutado tanto com meus sentimentos por você. Eu acordei da terra querendo a virgem que tinha me aprisionado, para encontrar uma garota com livro arbítrio lutando contra mim.
— Porque você está fazendo isso? Porque você soa assim? Você não é esse cara! — Eu gritei para ele, tentando gritar a terrível e maravilhosa forma como as palavras dele estavam me fazendo sentir.
— Aconteceu quando eu caí. Eu me vi cair de novo, e nessa visão também meu coração sendo quebrado de novo. Eu não consegui suportar. Eu jurei a mim mesmo que se eu pudesse atrair você para mim mais uma vez eu iria te mostrar a verdade.
— Se isso realmente é a verdade, então você sabe que você se tornou o mal que costumava lutar contra.
Ele desviou o olhar, mas não antes de eu ver vergonha em seus olhos. — Sim, eu sei.
— Eu escolhi um caminho diferente. Eu não posso amar o mal. E essa é a verdade — eu disse. Os olhos dele voltaram instantaneamente para mim.
— E se eu escolher rejeitar o mal? O que acontece? — As perguntas dele me pegaram desprevenida, então eu falei a primeira coisa que veio a minha cabeça.
— Você não pode rejeitar o mal, não enquanto estiver com Neferet.
— E se eu só sou mal com Neferet? E se a verdade é que se eu estivesse com você, eu poderia escolher o bem?
— Impossivel. — Eu estava balançando minha cabeça para frente e para trás, para frente e para trás.
— Porque você chama de impossível? Aconteceu antes. Você sabe porque você causou a escolha para o bem. O guerreiro que está ligado a você é prova disso.
— Não. Essa versão sua não é real. Você não é Stark. Você é um imortal caído, amante de Neferet. Você estuprou mulheres – fez das pessoas seus escravos – matou pessoas. Seus filhos quase mataram minha avó. Um deles matou a professora Anastasia!
Eu me agarrei em todas as coisas negativas que eu pude e atirei elas contra ele. — Os calouros e professores na House of Night começaram a questionar Nyx por sua causa. Eles ainda estão agindo de forma errada. Escolha deles ou não, eles estão cheios de medo e ódio e ciúmes, como você estava com Nyx!
Ele agiu como se eu não estivesse parada ali gritando com ele. Ele simplesmente disse, — Você salvou Stark. Você não pode me salvar também?
— Não! — eu gritei. E eu sentei na cama.
— Zo, está tudo bem. Estou contigo. — Heath estava ali, limpando o sono dos seus olhos com sua mão e esfregando minhas costas com a outra.
— Oh, deusa — eu disse, dando um longo e trêmulo suspiro. — Qual problema? Pesadelo?
— Yeah, yeah. Estranho pesadelo. — Eu olhei para a cama do outro lado do quarto. Stevie Rae não tinha se movido. Nala estava aninhada em seu ombro. Minha gata espirrou para mim. — Traidora — eu disse a ela, tentando me forçar a soar normal de novo.
— Bem, então, volte a dormir. Essa troca de dia pela noite está finalmente funcionando para mim e eu quero continuar treinando — Heath disse, abrindo seus braços para mim deslizar neles de novo.
— Oh, yeah, sinto muito. — Eu deitei, curvada numa bola que era assustadoramente similar a uma posição fetal.
— Volte a dormir — Heath repetiu dando um grande bocejo. — Tudo está bem.
Eu fiquei deitada acordada por um longo tempo desejando desesperadamente que isso fosse verdade.

7 comentários:

  1. Queeeeeeeeeee Foooooofoooooo!!!
    (Eu Acho)

    ResponderExcluir
  2. "Se eu tentar passar da verdade para a sedução, esse sonho se quebraria e você se encontraria acordando nos braços de outro homem."

    — Não! — eu gritei. E eu sentei na cama.

    Carambaaaaaa meu deeeeeus quando a Zoey disse não ela mentiu! É por isso ela acordou, pois o sonho só continuaria se ambos falassem a verdade!!!!


    A zoey pode salvar Kalona OH MY GOD

    ResponderExcluir
  3. O sonho era baseado na verdade e desapareceria se um dos dois mentisse. A ZOEY ACORDOU QUANDO DISSE QUE NÃO PODERIA SALVAR KALONA *O*

    ResponderExcluir
  4. Poorra odiei esse lado nyx e amei od kalona # dividida

    ResponderExcluir
  5. A Nyx tava certa, não era pro Kalona amar ela daquele jeito

    ResponderExcluir
  6. É claro que ela pode mudar o Kalona, ela "quer" mudar ele, mas... tudo depende do próprio Kalona gente, é ele que teria que decidir se quer ser mudado, ele que teria que escolher o bem acima do mal. Mas do jeito que as coisas andam, não tenho certeza se tudo isso não foi showzinho dele

    ResponderExcluir
  7. Lembra o negocio que a avó de Zoey falou que depois que Kalona estuprou uma virgem que ele virou mau será que essa virgem era na verdade Nix e foi por isso que ela expulsou

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!