10 de outubro de 2015

Capítulo 3 - Aphrodite

— Eu não sei o que é pior, o fato daquele policial idiota não deixar a gente voltar para casa nos túneis da estação ou o fato de eu realmente ter começado a pensar naqueles túneis de merda como meu lar — Aphrodite reclamou enquanto fuçava dentro de sua bolsa. — Que inferno, onde está meu pote de Xanax?
— Deixe-me ajudá-la, minha bela — Darius gentilmente pegou a bolsa RED Valentino de Aphrodite, abriu o zíper de um bolsinho interno e pegou o frasco de pílulas. — Xanax ou vinho; os dois juntos, não — ele falou, segurando o frasco fora do alcance dela.
— O meu pai está morto — disse ela sem emoção.
— Acho que o ponto é que Darius não quer ver você morta também — disse Zoey afundando no sofá ao lado dela, na pequena sala de espera da enfermaria. — Eu entendo o que você está sentindo, e sei pode parecer uma boa ideia ficar totalmente entorpecida hoje à noite, mas não dá pra fugir da morte de um dos pais.
— Nem da morte de um pai de merda? — Aphrodite perguntou a Z.
— Não, nem um desse tipo — Zoey assentiu como quem sabia do que estava falando. — Uma hora você vai ter que lidar com isso. Pela minha experiência, posso dizer que, quanto antes, melhor.
Aphrodite franziu a testa, mas largou a garrafa de vinho tinto em cujo gargalo já estava bebendo.
— Ok. Eu escolho o Xanax.
— Mas só um — Darius insistiu.
— Tudo bem, já disse. Pode me dar. Ficar semientorpecida parece ótimo agora.
Darius estava colocando a pequena pílula azul na mão de Aphrodite quando a voz de Shaunee fez com que ela levantasse os olhos, surpresa.
— Eu não quero ficar entorpecida. Nem semientorpecida — Shaunee entrou na sala de espera, seguida por Stevie Raa, Rephaim, Damien e Thanatos. — Se eu ficar entorpecida posso esquecer o que aconteceu hoje à noite, e isso significa que eu vou esquecer a última noite da vida de Erin. E a vida dela merece ser lembrada. Aphrodite, a vida do seu pai também merece ser lembrada.
Aphrodite colocou rapidamente a pílula na boca e engoliu a seco.
— Quando eu me lembrar do meu pai, vou me lembrar de um homem fraco que foi intimidado pela mulher até virar um cara de merda. Não sei se quero lembrar disso. E do que você vai lembrar da Erin? De como vocês compartilharam um só cérebro por aquele tempo todo ou da parte em que vocês romperam?
— Sério, Aphrodite, eu realmente sinto muito que o seu pai tenha morrido hoje, mas isso não é motivo para você ser maldosa com Shaunee — Stevie Rae disse.
— Stevie Rae, cada um lida com a morte de um jeito — Aphrodite explicou, soando muito mais paciente do que se sentia. — O meu jeito é dizer o que eu penso, e sinto muito se isso faz com que você se sinta desconfortável, mas eu não estou sendo maldosa, estou sendo verdadeira. E então, Shaunee, do que você vai lembrar?
— Das duas coisas — Shaunee respondeu devagar. — Vou me lembrar da minha gêmea como ela realmente era, não totalmente boa nem totalmente má. A maioria das pessoas é assim — ela desviou os olhos de Aphrodite e se voltou para Zoey. — Como você se lembra da sua mãe?
Zoey soltou um suspiro longo e triste.
— Eu tento me lembrar da visão que Nyx me concedeu, dela entrando no Outromundo. Ela estava em paz, e isso é uma lembrança boa.
— Bem, eu não tenho essa opção com meu pai — Aphrodite falou. — Não tenho certeza de onde ele está, mas o meu palpite é que não é no Outromundo de Nyx.
— Você pode se surpreender — Thanatos afirmou.
Aphrodite olhou pra ela, obviamente chocada.
— Você está em dizendo que o viu entrar no Outromundo?
— Não, eu não estava presente no momento da morte do seu pai, e o espírito dele não ficou para se comunicar comigo, mas posso dizer que senti uma grande paz que permaneceu na terra no local da sua morte. Espero que saber disto a ajude: quando eu sinto uma paz tão grande após uma morte é porque o espírito que partiu se libertou de uma vida de tumultos, tragédias ou tristezas. Eu acredito que o espírito do seu pai ficou aliviado de se libertar desta vida, e ele vai voltar de novo e renascer em circunstâncias mais felizes.
Aphrodite piscou com força várias vezes, impedindo as lágrimas de caírem dos seus olhos. Levou bastante tempo até ela se recompor, mas os seus amigos esperam pacientemente. Quando ela finalmente falou, a sua voz estava trêmula.
— O-obrigada por me contar isso, Thanatos. Isso realmente ajudou. Sinceramente, eu não consigo me lembrar de nenhuma época em que meu pai foi feliz de verdade. Eu espero... — ela fez uma pausa, limpou a garganta e então continuou — eu espero que ele encontre a felicidade da próxima vez.
— Vou pedir isso em oração para Nyx — Thanatos disse.
— Eu também.
— Sim, eu também.
— E eu.
— E eu — ecoaram os outros.
— Nós vamos observar o corpo de Erin nos próximos dias? — a pergunta de Zoey pareceu abalar o aposento.
— Isso não vai ser preciso — Thanatos afirmou.
— Bem, eu sei que esse não é um assunto exatamente agradável, mas alguém precisa dizer isso — Zoey falou como se não percebesse ou não se importasse que todo mundo estivesse olhando chocado para ela.
Aphrodite disfarçou um sorriso surpreso. Uau, Z. está começando a soar como uma verdadeira Alta Sacerdotisa fodona.
— Bem, aqui há dois vampiros — Z. continuou, movimentando-se na direção de Stark e Stevie Rae — que rejeitaram a Transformação como novatos e “morreram” — ela fez aspas com os dedos. — Assim como Erin “morreu” hoje — ela fez aspas com os dedos de novo. — E ambos desmorreram e voltaram como novatos vermelhos depois de uns dias. Então, eu acho que...
— Z., não — Stevie Rae pareceu desconfortável. — Erin não vai voltar.
— Stevie Rae, eu sei que isso não é agradável, mas precisamos lidar com isso — Zoey foi firme. — Quem vai ficar observando...
— Ninguém precisa ficar observando a novata morta — Thanatos cortou Zoey. — Ela está morta de verdade.
— Thanatos viu o espírito dela entrando no Outromundo — Shaunee disse em voz baixa. — Nyx a recebeu.
— E eu posso jurar que Nyx não recebeu nenhum de nós quando morremos e depois desmorremos — Stevie Rae acrescentou.
— Não, ela não recebeu — Stark concordou.
— Erin está realmente morta — Damien afirmou.
— Ok, eu só... bem, eu não quis parecer fria nem nada disso — Zoey explicou com hesitação. — Eu só pensei que a gente precisava ter certeza.
— Nós temos certeza — Thanatos afirmou.
— Eu estou com Z. sobre falar as coisas como elas são, e acho que nós precisamos ter certeza sobre outra coisa também — Aphrodite falou. Ela encontrou o olhar sábio de Thanatos. — O círculo expulsou o que parecia o corpo parcialmente formado de Neferet e, quando foi chutada para fora do campus, ela passou através de Erin e saiu na direção exata onde depois meu pai foi encontrado. Acho que nós precisamos descobrir com certeza se Neferet matou os dois, Erin e meu pai.
Os ombros de Thanatos desabaram.
— Temo que não seja possível descobrir isso com certeza, mas a suspeita de Aphrodite sobre quem pode ser responsável pelas duas mortes faz sentido. Eu senti a presença da morte apenas alguns instantes antes de Zoey me ligar contando sobre as aranhas. Isso pode ter sido Erin começando a rejeitar a transformação ou Neferet tentando se manifestar dos mortos — ela olhou de modo questionador para o grupo. — Algum de vocês percebeu se Erin estava demonstrando algum sinal de doença antes de hoje? Alguém a ouviu tossir ou dizer que ela estava estranhamente cansada ultimamente?
— Por que você não pergunta para alguém que realmente a conhecia bem e ligava para ela? — Dallas estava no corredor do lado de fora, parecendo irritado.
— Dallas, que bom que você se juntos a nós. Entre, sente-se, converse conosco. Quando você estiver pronto para ver o corpo de Erin e se despedir dela, vou levá-lo para dentro e contar para você sobre as boas-vindas com que a nossa Deusa recebeu o espírito da sua querida amiga no Outromundo — Thanatos disse.
— Eu não tenho nada para falar com nenhum de vocês. Ela estava bem antes de aquele maldito círculo ser traçado! Eu não queria que ela participasse daquilo. Tentei impedi-la. Eu teria conseguido se a Senhorita Eu Mando em Todo Mundo não tivesse falado para o guerreiro dela me tirar dali. Eu nem sabia que Erin tinha morrido até alguns minutos atrás, quando finalmente consegui sair daquele maldito armário — Dallas franziu os olhos vermelhos de raiva. — Não sei quem vocês estão tentando culpar por essa merda toda, mas posso dizer que sei a verdade, e todo mundo aqui na House of Night também vai saber: Erin está morta por causa de alguma bosta que Zoey Redbird e seus amigos provocaram naquele círculo hoje à noite. Ela estava bem antes disso e, se eu tivesse conseguido detê-la, ela ainda estaria bem!
As luzes da sala começaram a tremular enquanto a raiva de Dallas se tornava palpável.
— Já passou da hora de você calar a boca, Dallas — Stark se levantou para ficar entre o vampiro vermelho furioso e Zoey.
Darius se juntou a ele, ombro a ombro.
— Erin rejeitou a transformação, isso não tem nada a ver com o círculo de Zoey — Darius disse.
— Ela não queria ter sido detida por você — Shaunee tinha começado a chorar de novo. — Ela queria fazer parte do nosso círculo de novo.
— Ela não queria merda nenhuma com vocês! — Dallas gritou.
— Você não vai levantar a sua voz raivosa logo depois da morte precoce de uma caloura — a força contida dentro da voz de Thanatos fez com que as luzes parassem de tremular e Dallas desse um passo para trás. — Se você quer se despedir de sua amiga em paz, com amor e respeito, então você é bem-vindo. Se quer destilar a raiva e semear a discórdia, então você tem que ir embora, Dallas, levando a sua energia negativa com você. Não há lugar para isso ao lado de alguém que acabou de se juntar a nossa Deusa.
— Eu vou me despedir de Erin do meu próprio jeito, e não vai ser ao lado das pessoas que causaram a morte dela! — Dallas rosnou essas palavras, olhou com desprezo e deu alguns passos para trás, antes de se virar e sair correndo da enfermaria.
— Esse cara vai ser um problema sério — Stark disse.
— Ele já é um problema sério desde que descobriu sobre mim e Rephaim — Stevie Rae mordeu o lábio. — Isso acabou com ele.
— Não é sua culpa — Rephaim pegou a mão de Stevie Rae.
— Bem, eu queria sentir que não é minha culpa — Stevie Rae murmurou, recostando-se no seu namorado. — É que ele costumava ser tão doce, e agora ele não só é um babaca, como é um babaca perigoso — ela se virou para Thanatos. — Eu detesto dizer isso, mas tenho o pressentimento de que a morte de Erin vai ser a desculpa que ele precisava para fazer alguma coisa idiota, como vir atrás de nós.
— É, e agora que estamos todos presos aqui no campus, Dallas e os retardados que o seguem vão jogar o máximo de merda no ventilador que eles puderem — Aphrodite disse.
Stark respirou fundo e fez o grupo olhar para ele.
— Jogar merda no ventilador... é a mesma coisa que Neferet quer. E a gente sabe que, logo antes de Neferet sequestrar a Vovó Redbird, Dallas estava em contato com ela.
— O que significa que, se Neferet conseguiu se recompor o bastante para restaurar o seu corpo, é provável que ela entre em contato com Dallas de novo para obter informações privilegiadas de alguém da House of Night sobre o que está rolando aqui dentro — Zoey concluiu por Stark.
— Já que Dallas está nos culpando pela morte de Erin, ele vai ficar mais feliz que urubu num vagão de carne fazendo tudo que puder para acabar com a gente — Stevie Rae disse.
Aphrodite fez uma careta para a analogia de caipira de Stevie Rae, mas ela teve que concordar com sua lógica.
— A pior coisa que poderia ser feita para acabar com a gente é descobrir um jeito de provar que um dos vampiros da House of Night matou o meu pai.
— Acho que sua suposição está correta. Neferet matou o seu pai. Também acredito que a manifestação dela pode ter causado um trauma tão grande no corpo de Erin que ela rejeitou a Transformação. Portanto, Neferet pode ser culpada de ter tirado duas preciosas vidas nesta noite — Thanatos concluiu.
— Ela vai querer jogar a culpa em outra pessoa — Aphrodite disse.
— Sim, ela vai querer plantar evidências que levem a crer que alguém daqui fez isso. — Z. concordou com ela. — Dallas a ajudaria a fazer isso. Não tenho a menor dúvida.
— Isso tem que ser evitado — Thanatos afirmou.
— Como? Isto aqui é uma escola, não uma fortaleza militar. Não é tão difícil entrar e sair sorrateiramente, sem ninguém ver. Todos nós sabemos disso; todos nós já fizemos isso. E a gente tem que lembrar que Neferet sabe como se deslocar por essa escola ainda melhor do que nós — Aphrodite falou.
— Então a minha tarefa é muito simples. Preciso imaginar um modo de evitar que Neferet entre no campus — Thanatos disse.
— Na verdade, você precisa fazer mais do que apenas evitar que Neferet entre. Já posso ver Dallas, ou qualquer um dos seus amigos nojentos, entrando e saindo às escondidas e fazendo qualquer coisa que aquela louca da Neferet invente para eles fazerem. Na verdade, ela não teria que fazer nada; ela gosta de delegar. Isso faz com que ela se sinta poderosa — Aphrodite observou.
— Bem pensado — Z. concordou.
— Vou refletir sobre isso e, até que eu tenha uma resposta, vou me certificar de que os jardins da escola sejam patrulhados cuidadosamente. Kalona e Aurox não vão deixar ninguém entrar em nosso campus durante dia — Thanatos falou. — Já está quase amanhecendo. Enquanto isso vocês precisam descansar.
Aphrodite se levantou e ficou surpresa ao sentir o aposento balançando ao seu redor. Satisfeita por o Xanax estar começando a fazer efeito, ela se apoiou no braço forte de Darius.
— Bem, eu gostaria de dizer que não quero parecer uma vadia, mas isso seria mentira. Eu não me importo. Vocês e o resto o Conselho da Escola precisam saber que Darius vai ficar comigo no meu antigo quarto no dormitório — Aphrodite se dirigiu a Thanatos com uma voz firme e prática que a fez se lembrar um pouco constrangidamente da sua mãe. — Sei que isso é contra as regras, mas também é contra as regras sequestrar a avó de alguém, matar um humano sem razão e fazer uma novata rejeitar uma Transformação e morrer, e isso são apenas três itens da longa lista de regras que foram quebradas pelos caras do mal recentemente. Então, eu estou quebrando uma regra pelos caras do bem. Não quero dormir sem o meu guerreiro, e posso jurar que Z. sente o mesmo — Aphrodite olhou rindo para Stevie Rae. — A caipira também iria insistir em dormir com o seu menino-pássaro, mas logo ele vai virar um pássaro e aparentemente ela ainda se recusa em colocá-lo em uma gaiola. Certo Stevie Rae?
— Eu não vou responder enquanto você continuar chamando Rephaim de menino-pássaro — ela franziu a testa para Aphrodite.
— É, exatamente como pensei. Nada de gaiola ainda. Enfim, há meses nós estamos combatendo o mal e salvando o mundo, e eu preciso do meu guerreiro. E não sinto muito se isso faz com que vocês se sintam desconfortáveis com isso. Ponto final.
Houve uma longa pausa em que Thanatos e Aphrodite ficaram se encarando, até que Thanatos disse:
— Acho que há precedentes de conselheiros compartilhando os aposentos de dormir com suas Sacerdotisas, principalmente se eles acreditam que suas Sacerdotisas possam estar em perigo.
— Z. está sempre em perigo — Stark disse rapidamente.
— Assim como minha profetisa — Darius acrescentou, colocando o braço protetor ao redor dela.
Aphrodite sorriu.
— Acho que isso resolve a questão.
— Stevie Rae, eu sei que você vai dormir sozinha assim que o sol se levantar — Shaunee falou em voz baixa. — Se você não se importar, eu realmente gostaria muito se você pudesse ficar comigo no quarto que eu dividia com Erin. E-eu acho que não consigo ficar lá sozinha.
— Oh, é claro que sim, eu fico com você! — Stevie Rae abraçou Shaunee. — Mas eu vou ter que deixar a janela aberta para Rephaim.
— A gente pode fazer isso, sem problemas — Shaunee concordou.
— Mas não esqueça de prender bem as cortinas escuras no lugar para que não entre nenhuma luz do sol durante o dia — Zoey a lembrou. Então ela olhou para o relógio. — Quanto tempo falta para o sol nascer?
— Vinte e quarto minutos — Stevie Rae e Rephaim responderam juntos.
— Ok, pessoal, vão se deitar. Stark, vá até o meu antigo quarto e faça o que eu disse para Stevie Rae: veja se as cortinas estão bem amarradas. Eu vou dar uma conferida no resto do nosso grupo para ver se estão todos acomodados, pelo menos por hoje — Zoey afirmou.
Aphrodite a observou. Soou normal, mas havia algo com ela... uma tensão na sua voz... uma aparência no seu rosto que não era comum... sombras escuras debaixo dos olhos. Tudo isso não combinava com a Zoey do dia-a-dia. A Zoey do dia-a-dia ficava cansada e até mal humorada de vez em quando, mas ela sempre saía dessa e fazia o que tinha que ser feito. Aphrodite percebeu que, quanto mais observava Zoey, mas ela via uma garota que estava fazendo o que tinha que ser feito, mas que obviamente não estava saindo dessa.
— Z. por que você não deixa Thanatos acomodar os garotos hoje ? Você traçou o nosso círculo e expulsou Neferet daqui. Usar esse tipo de poder deixa você exausta, física e mentalmente. Nós não somos mais um bando de refugiados fodidos, lambendo as nossas próprias feridas sozinhos. É um pé no saco ficarmos presos aqui, mas há alguns pontos positivos em estarmos encalhados na nossa House of Night. Não precisamos mais pedir pizza barata para ser entregue na rua. Ei, Cara do Arco, você precisa levar a sua garota até a cozinha e pegar algo de verdade para ela comer e beber antes que o sol transforme você em uma torrada — Aphrodite disse.
— Não preciso que você me diga como tomar conta de Z. — Stark respondeu rispidamente para ela.
— Que ótimo, é assim que você vai responder a um conselho descente? Isso é muito maduro — Aphrodite falou, balançando a cabeça, sentindo-se tonta.
— Se Darius não a estivesse segurando, você estaria ferrada — Stark disse.
— Vocês dois parem de se estranhar! — Zoey gritou. Então ela inspirou profundamente e soltou o ar devagar antes de continuar: — Aphrodite está certa. Eu estou supercansada e preciso comer algo.
— Descanse e recupere suas energias — Thanatos falou para Zoey. Então ela olhou para Aphrodite e Stark. — E sua Alta Sacerdotisa tem razão. Essas briguinhas não ajudam ninguém, exceto aqueles que desejam semear a discórdia entre nós.
— Desculpe — Stark murmurou para Aphrodite. — Eu fico mais sensível quando Z. está cansada.
— Desculpas aceitas. E eu fico acabada quando um dos meus pais é assassinado — Aphrodite recostou o corpo ainda mais em Darius. — Você poderia me levar para a cama, bonitão?
— Com prazer — Darius respondeu. Ele se curvou respeitosamente para Thanatos, Zoey e Stevie Rae e então saiu do aposento praticamente carregando Aphrodite.
Eles estavam caminhando embaixo dos velhos carvalhos que sombreavam os jardins em volta do dormitório feminino quando uma dor aguda atravessou as têmporas de Aphrodite, cegando-a na hora. O corpo dela se contraiu em espasmos, fazendo com que ela gritasse e caísse dos braços de Darius, desabando contra a terra enquanto aquela visão a invadia.

Com um grande poder vêm grandes responsabilidades
Pese o prazer da liderança e do luxo com a espada de Dâmocles
Quando ela acreditar que antigo é a chave de todas as responsabilidades
É então que tudo vai ruir; é então que a Luz vai sangrar e sangrar

Aphrodite estava realmente ferrada. Ela não só estava tendo uma dor de cabeça infernal e aquele apagão que vinha antes de suas visões, como também estava ouvindo poesia.
Deusa, ela odiava poesia.
Linguagem figurativa era um pé no saco, e “pé no saco” na verdade também era linguagem figurativa, ou seja, ela estava sendo forçada a usar aquilo que ela odiava para explicar aquilo que ela odiava.
Ela teria rido de si mesma, mas a dor não deixou.
No limite da sua consciência, ela percebeu que Darius estava chamando seu nome e acariciando o seu cabelo.
Ele vai me manter segura. Ok, Nyx, eu estou pronta para o que quer que você tenha que me mostrar. Deusa, eu estou feliz por ter eu já ter tomado um Xanax. Imagino que isso vai me valer mais uma taça de vinho quando eu voltar e...
A consciência de Aphrodite foi arrancada de seu corpo, explodindo através de seus olhos com uma força que rompeu os seus vasos sanguíneos e fez sua cabeça pulsar de dor.
Não que ela tivesse aquelas sensações naquele momento. O espírito de Aphrodite estava seguindo uma fina faixa de luz prateada que a estava levando para longe... para longe...
O espírito de Aphrodite mergulhou na visão entrando no corpo de Zoey.
Deusa, ela detestava passar por merdas terríveis que aconteciam com as outras pessoas, especialmente quando as outras pessoas eram seus amigos. Aphrodite se endureceu e espiou através dos olhos de Zoey.
Z. estava sentada no refeitório. Parecia que não havia mais ninguém lá, exceto Aurox. Ela estava encarando os olhos de Aurox, e ele a estava chamando de Zo e falando para ela relaxar. Aphrodite sentiu a avalanche de emoções que as palavras dele despertaram dentro dela. Ela estava tão dividida entre o que ela queria e o que ela achava que devia fazer que o interior de Zoey parecia um caldeirão de emoções crescendo bem no meio do peito de Z., quase como se elas a estivessem queimando de verdade. Ela estava pensando que diabos aquilo significava, mas de repente Z., junto com Aphrodite, experimentou o sangue de Aurox. Então, quase todo o resto saiu da sua mente.
Beber o sangue do menino-touro grande e loiro não era nada nojento como Aphrodite poderia ter imaginado — não que ela tivesse pensando em beber o sangue do garoto. Nunca. Talvez parte do fato de não ser nojento fosse porque Z. definitivamente estava interessada naquela coisa de sangue. Eca. Z. realmente tinha uma queda por Aurox. Ela tinha que se lembrar disso. Além daquela estranha queimação.
Então a cena mudou e Stark estava ali, como sempre, estragando toda a diversão dela ( e de Z. ). Ele estava agindo como um babaca possessivo, então ele e Z. estavam brigando, o que era bem irritante.
Mas não parecia uma discussão que fosse motivo de uma raiva extrema. Porém, foi isso o que Aphrodite sentiu dentro de Z. A garota estava realmente irritada.
Aquela cena se alterou novamente, e a única coisa que permaneceu a mesma foi a frustração de Z. Aphrodite não sabia dizer onde ela estava. Não era um dia luminoso, mas também não era noite, pois o céu estava incomodando seus olhos. Então Zoey estava olhando para baixo, até que uns caras malvestidos começaram a mexer com ela. Zoey os enfrentou – e Aphrodite concordou totalmente com isso – mas então o nível de raiva dela passou muito da zona de perigo. Aphrodite ficou observando impotente Z. levantar as suas mãos e descarregar toda sua frustração, raiva e confusão mental neles. Aphrodite só viu de relance os rostos dos dois caras, mas iria ficar sempre gravado na sua memória o terror das suas expressões quando eles foram atirados contra uma parede de pedra e o sangue explodiu por toda parte.
Mudança de cena de novo, e desta vez Aphrodite não estava vendo através dos olhos de Zoey. Ela estava vendo Zoey um pouco distante. Z. havia retornado para a House of Night. A sua raiva tinha se transformado, e agora ela parecia perturbada, confusa e com medo. Mas essa não foi a única mudança que Aphrodite percebeu. Ela viu que Zoey estava carregando alguma coisa em seu corpo. Era horrível. Pareciam pulgas ou algum tipo de piolhos comedores de carne que estavam grudados em Zoey, rastejando em baixo de sua pele. Enquanto Aphrodite observava, totalmente enjoada, as coisas rastejantes se agitaram e se alteraram, parecendo purpurina ou mesmo um belo manto cobrindo Zoey. Então Aphrodite piscou e as coisas voltaram a ser um monte insetos horríveis e rastejantes.
Aphrodite não tinha a menor ideia do que eram aquelas coisas, mas era bem óbvio que elas não estavam vindo de Zoey. Elas não eram baseadas em elementos. A mente de Aphrodite fervilhava. O que estava irritando tanto Zoey eram coisas normais, frustração com garotos e com pessoas agindo de modo idiota em geral. A reação de Zoey é que havia sido anormal. Isso pode ter sido porque, na verdade, não foi a reação de Zoey. Será que foi frustração e raiva fluindo para dentro dela, sendo absorvidas por ela, sendo usadas por ela, e Zoey não percebeu? E então porque diabos aquelas coisas se alteraram e pareceram bonitas? Aphrodite não sabia o que estava acontecendo, mas ela sabia que resultado disso era Zoey irritada, poderosa e totalmente fora de controle.
Isso aterrorizou Aphrodite.
A cena seguinte seguiu tão rapidamente que Aphrodite sentiu uma tontura vertiginosa.
Da perspectiva de Z., Aphrodite se viu ser levada algemada para uma cela na prisão. Depois que o portão de ferro foi fechado com força, prendendo-a no confinamento claustrofóbico de uma cela solitária, os ombros de Zoey desabaram. A raiva que havia tomado conta dela com tanta intensidade se extinguira. Totalmente devastada e com raiva de si mesma, Zoey observou a porta da cela se fechar como se ela estivesse sendo encerrada em um túmulo. Então a jovem Alta Sacerdotisa, a melhor amiga de Aphrodite, foi até o canto da cela, deslizou até o chão encostando-se na parede, sentou abraçando os joelhos e começou a se balançar para frente e para trás. Duas palavras se repetiam sem parar na mente de Zoey: Eu mereço. Eu mereço. Eu mereço. Eu mereço...
Zoey não tinha nenhuma esperança.
E então Aphrodite foi arrancada do ponto de vista de Z. novamente e se viu pairando sobre o centro de uma grande catedral. Nauseada, ela olhou para baixo e viu que os paroquianos estavam mortos. Todos eles. Todas as suas gargantas estavam cortadas e todo o sangue havia sido sugado.
Uma voz repetia sem parar duas palavras na mente de Aphrodite: Eu mereço. Eu mereço. Eu mereço. Eu mereço...
Com um grande poder vêm grandes responsabilidades
Pese o prazer da liderança e do luxo com a espada de Dâmocles
Quando ela acreditar que o antigo é a chave de todas as suas necessidades
É então que tudo vai ruir; é então que a Luz vai sangra e sangrar...
A poesia ressoou na mente de Aphrodite enquanto a cena final e perturbadora se dissipava e o seu espírito explodia de novo dentro do seu corpo cego e cheio de dor.
— Darius! — ela ofegou, sentindo falta de ar e pressionando as mãos contra seus olhos fechados e ensanguentados.
— Eu estou aqui! Você está segura! — ele disse. — Eu vou mandar buscar Zoey e...
— Não! — ela falou com as últimas forças. — Não deixe Z. saber. Não deixe que ninguém saiba.
— Vou fazer o que me pede, minha bela. Descanse. Eu sempre vou mantê-la segura.
Então Aphrodite se permitiu desmaiar.

6 comentários:

  1. zoey vai permitir ser tocada pelas trevas triste muito triste isso

    ResponderExcluir
  2. Pode ser que Afridit não deixe isso ir até o final... Assim espero...

    ResponderExcluir
  3. Af, Zoey vai vacilar nesse livro...

    ResponderExcluir
  4. A chave disso tudo eu acho que é saber quem é o "antigo" ou é aurox ou é as trevas

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!