2 de outubro de 2015

Capítulo 2

— Oooh, é lindo! — eu passei minha mão em cima do dobrado material do cachecol. Chocada por ter ganhado um presente legal.
— É cashemere — Damien disse feliz.
Eu tirei da caixa, feliz por ser uma chique, cor de creme ao invés de presentes vermelho e verde que eu normalmente ganhava. Então eu congelei, percebendo que fiquei animada cedo demais.
— Vê os bonecos de neve costurados nas pontas? — Damien disse. — Não são adoráveis?
— Yep, adoráveis — eu disse. Claro – para o natal eles são adoráveis. Para um presente de aniversário, nem tanto.
— Ok, nós somos as próximas — Shaunee disse, me entregando uma grande caixa embrulhada num papel verde natal.
— E não seguimos o tema do boneco de neve — Erin disse, franzindo para Damien.
— Yeah, ninguém nos contou — Shaunee também franziu para Damien.
— Está tudo bem! — eu disse um pouco rápido e entusiasmada demais, e então rasguei o pacote. Dentro havia uma bota de couro preto que seriam incrivelmente chiques, e legais, e fabulosas... se não fossem pelas árvores de Natal, completa com enfeites vermelho e dourado, que estavam colocadas na lateral de cada bota. Isso. Só. Pode. Ser. Usado. No. Natal. O que faz dela definitivamente um presente chato.
— Oh, obrigado. — Eu tentei me emocionar. — Elas são muito fofas.
— Levou uma eternidade para encontrar — Erin disse.
— Yeah, botas lisas não dariam para a Srta. Nasceu-dia-24 — Shaunee disse.
— Não, de fato. Botas de couro preto lisas nunca servem — eu disse, sentindo vontade de chorar.
— Hey, ainda tem mais um presente.
A voz de Erik me tirou do buraco negro da minha depressão de presentes de natal-aniversário. — Oh, algo mais? — e eu esperei que só eu tivesse escutado o tom que dizia, “Oh, outro trágico não-presente presente?”
— Yeah, mais outra coisa. — Quase bobo, ele me entregou uma caixa bem pequena de forma retangular. — Eu realmente espero que você goste.
Eu olhei para a caixa antes de a pegar e quase dei um grito de surpresa feliz. Erik estava segurando um presente embrulhado em prata e dourado com um adesivo de uma joalheria no meio. (Eu juro que ouvi um coro de “Aleluia” crescendo em algum lugar no fundo.)
— É da Moody´s! — Eu soava sem ar, mas não pude me impedir.
— Eu espero que você goste — Erik repetiu, erguendo a mão e oferecendo a pequena caixa prata e dourada como um brilhante tesouro.
Eu rasguei o adorável pacote e expus uma caixa preta de veludo. Veludo. Eu juro. Veludo de verdade. Eu mordi o lábio para me impedir de rir, segurei o fôlego, e a abri.
A primeira coisa que eu vi foi uma corrente de platina. Sem fala devido a felicidade meus olhos seguiram a corrente até as lindas perolas que estavam aninhadas no veludo. Veludo! Platina! Pérolas! Eu suguei o ar para poder começar meu ohmeudeusobrigadoErikvocêéomelhornamoradodomundo quando percebi que as pérolas tinham uma forma estranha. Elas eram defeituosas? A fabulosa e exclusiva joalheria Moody teria roubado meu namorado? E então eu percebi o que estava vendo.
As pérolas tinham a forma de um boneco de neve.
— Você gostou? — Erik perguntou. — Quando eu vi, gritou Aniversário da Zoey para mim, e eu tive que comprar pra você.
— Yeah. Eu gostei. É, uh, único. — Eu disse.
— Foi Erik que criou o tema de boneco de neve! — Jack disse feliz.
— Bem, não era realmente um tema — Erik disse, as bochechas ficando um pouco rosas. — Eu só achei que seria diferente, e não como aqueles tipos corações que todo mundo ganha.
— Yep, corações e coisas assim seriam um típico presente de aniversário. Quem iria querer isso? — eu disse.
— Me deixe colocar em você. — Erik disse.
Não tinha nada mais para fazer a não ser tirar meu cabelo do caminho e deixar Erik se aproximar para pegar a delicada corrente ao redor do meu pescoço. Eu podia sentir o boneco de neve pendurado de forma pesado e nojentamente festivo em meu pescoço.
— É fofo — Shaunee disse.
— E bem caro — Erin disse.
As duas Gêmeas deram os mesmos acenos de aprovação.
— Combina com meu cachecol perfeitamente — Damien disse.
— E com meu globo de neve! — Jack acrescentou.
— É definitivamente um tema natalino de aniversário — Erik disse, dando as Gêmeas um tímido olhar, que elas responderam com olhares de perdão.
— Sim, sim, é certamente um tema de Natal — eu disse, colocando os dedos no boneco de neve de pérolas. Então eu dei a todos um sorriso muito brilhante. — Obrigado, gente. Eu realmente aprecio todo o tempo e esforço que levou para vocês acharem presentes tão especiais. Eu falo sério. — E eu falei sério. Eu posso não gostar dos presentes, mas a intenção por trás deles é totalmente diferente.
Meus amigos absolutamente sem noção, todos se aproximaram e demos um estranho abraço grupal que nos fez rir. Então a porta abriu e a luz do corredor iluminou um cabelo muito comprido e loiro.
— Aqui.
Graças a Deus, meus reflexos transformando-em-vampiro eram muito bons, e eu peguei a caixa que ela me jogou.
— Correspondência. Chegou para você enquanto estava aqui com seus amigos nerds — ela disse.
— Vá embora, Aphrodite, sua bruxa — Shaunee disse.
— Antes de jogarmos neve em você e você derreter — Erin acrescentou.
— Tanto faz — Aphrodite disse. Ela começou a se afastar, mas parou e me deu um grande e inocente sorriso antes de dizer, — Bonito colar de boneco de neve. — Nossos olhos se encontram e eu juro que ela piscou para mim antes de fazer seu cabelo esvoaçar, com sua risada flutuando no ar como uma neblina.
— Ela é totalmente vaca — Damien disse.
— Era de se imaginar que ela tivesse aprendido sua lição quando você tomou as Filhas das Trevas dela, e Neferet proclamar que a deusa retirou os dons de Aphrodite — Erik disse. — Mas a garota nunca vai mudar.
Eu olhei afiadamente para ele. Assim diz Erik Night, o ex-namorado dela. Eu não precisei dizer as palavras em voz alta. Eu sabia pelo jeito de Erik olhar rapidamente para longe de mim que era fácil ler isso em meus olhos.
— Não a deixe estragar seu aniversario, Z — Shaunee disse.
— Ignore a bruxa odiosa. Todo mundo ignora — Erin disse.
Erin estava certa. Desde que o egoísmo de Aphrodite tinha feito ela ser publicamente expulsa da liderança das Filhas das Trevas, o grupo mais prestigioso da escola, assim como da posição de sacerdotisa em treinamento e líder das Filhas das Trevas tinha sido dada a mim, ela perdeu sua posição de mais popular e poderosa caloura. Nossa Alta Sacerdotisa, Neferet, que também é minha mentora, deixou claro que nossa deusa, Nyx, retirou seu favor em relação à Aphrodite. Basicamente, Aphrodite era evitada onde antes ela era colocada num pedestal de popularidade e adoração.
Infelizmente, eu sabia que tinha mais na história do que todo mundo acreditava. Aphrodite tinha usado visões, que claramente não tinham sido tiradas dela, para salvar minha avó assim como Heath, meu namorado humano. Claro, ela foi vaca e egoísta durante o salvamento, mas ainda sim. Heath e vovó estavam vivos, e boa parte do crédito por isso ia para Aphrodite.
Além do mais, recentemente eu descobri que Neferet, nossa Alta Sacerdotisa – minha mentora, a vampira mais admirada da escola – não era o que ela fingia ser. Na verdade, eu estava começando a acreditar que Neferet era provavelmente tão maldosa quanto poderosa.
Escuridão nem sempre equivale ao mal, assim como luz nem sempre trás o bem. As palavras que Nyx disse para mim no dia que fui Marcada passaram por minha mente, resumindo o problema com Neferet. Ela não era o que parecia ser.
E eu não podia contar a ninguém – ou pelo menos não para alguém vivo (o que me deixa com minha melhor amiga morta viva que eu não consegui falar durante o mês). Graças a Deus, eu também não tinha falado com Neferet no último mês. Ela foi embora para um retiro na Europa e só iria voltar no Ano Novo. Eu achei que ia descobrir um plano sobre como lidar com ela quando ela voltar. Até agora meu plano consistia apenas nisso: bolar um plano. O que não era fácil. Merda.
— Hey, o que tem no pacote? — Jack disse, me tirando do meu pesadelo mental de volta para minha festa de aniversário horrível.
Todos olhamos para o pacote marrom que eu ainda estava segurando.
— Eu não sei — eu disse.
— Eu aposto que é outro presente de aniversário! — Jack gritou. — Abra!
— Oh, cara... — eu disse. Mas quando meus amigos me deram olhares confusos eu fique muito ocupada abrindo a caixa. Dentro da caixa havia outra caixa, essa enrolada em um lindo papel cor de lavanda.
— É outro presente de aniversário! — Jack gritou.
— Me pergunto de quem é — Damien perguntou.
Eu estava imaginando a mesma coisa, e pensando que o papel me lembrava da vovó, que vivia numa incrível fazenda de lavanda. Mas porque ela me enviaria um presente pelo correio quando eu ia encontrá-la mais tarde?
Eu descobri uma suave caixa branca, que eu abri. Dentro havia outra caixa branca muito menos colocada por cima de vários lenços de lavanda. A curiosidade me matando, eu tirei a pequena caixa do ninho de lenços de lavanda. Vários pedaços do papel grudaram devido a eletroestática no fundo e dos lados da caixa livre, e os tirei antes de abrir. Enquanto eles flutuaram para a mesa eu espiei dentro da caixa e suguei o ar em choque. Na cama de algodão branco havia o mais lindo bracelete de prata que já vi. Eu o peguei, fazendo barulhinhos devido aos brilhantes pingentinhos.
Havia estrelas do mar e conchas e cavalos marinhos, e cada um deles era separado por adoráveis pequenos corações de prata.
— É absolutamente perfeito! — eu disse, balançando meu pulso. — Eu me pergunto quem pode ter me mandado isso? — Rindo, eu virei meu pulso para cima e para baixo, deixando as luzes que eram tão suaves em nossos olhos sensíveis de calouros tocar a prata polida e fazer um reflexo. — Deve ter sido a vovó, mas isso é estranho porque vou encontrá-la daqui... — e eu percebi que todos estavam em um silêncio totalmente, absolutamente desconfortável.
Eu olhei para o meu pulso e depois para meus amigos. Suas expressões passavam de choque (Damien) a irritação (as Gêmeas) para raiva (Erik).
— O quê?
— Aqui — Erik disse, me entregando um cartão que deve ter caído fora da caixa junto com os lenços. 
— Oh — eu disse, instantaneamente reconhecendo a letra. Oh, diabos! Era do Heath. Mais conhecido como namorado número 2. Enquanto eu li a curta nota eu senti meu rosto ficar cada vez mais vermelho e eu sabia que estava numa cor totalmente nada atraente de vermelho brilhante.

Zo – FELIZ ANIVERSÁRIO!
Eu sei o quanto você odeia aqueles presentes horríveis que tentam juntar o seu aniversário com o Natal, então te mandei algo que sei que você vai gostar. Hey! Não tem nada a ver com Natal!
Duh! Estou odiando essa estúpida Ilha e as férias chatas com meus pais e estou contado os dias até poder ficar com você de novo. Te vejo no dia 26! Eu te amo!
Heath.

— Oh — eu repeti como uma total retardada. — É, uh, do Heath. — Eu queria poder desaparecer.
— Por favor. Apenas por favor. Porque você não disse a ninguém que não gosta de presentes de aniversário que tem a ver com Natal? — Shaunee perguntou em seu jeito direto.
— Yeah, tudo que você tinha que fazer era dizer algo — Erin disse.
— Uh — eu disse sucintamente.
— Pensamos que o tema do boneco de neve era uma ideia fofa, mas não é se você odeia coisas de natal — Damien disse.
— Eu não odeio coisas de Natal — consegui dizer.
— Eu gosto de globos de neve — Jack disse suavemente, parecendo prestes a chorar. — A parte da neve me faz feliz.
— Parece que Heath sabe mais do que você gosta do que nós. — A voz de Erik era nivelada e sem emoção, mas seus olhos eram negros e magoados, o que fez meu estômago se apertar.
— Não, Erik, não é assim — eu disse rapidamente, dando um passo em direção a ele.
Ele se afastou como se eu tivesse alguma terrível doença que ele podia pegar, e de repente eu fiquei fula. Não era minha culpa Heath me conhecer desde a terceira série e ter descoberto o problema com presentes de Natal-aniversário anos atrás. Ok, sim, ele sabia coisas sobre mim que o resto deles não sabia. Não havia nada estranho nisso! O cara estava na minha vida a 7 anos. Erik e Damien, as Gêmeas e Jack estavam na minha vida há dois meses – ou menos. Como isso é minha culpa?
Propositalmente, eu olhei para o meu relógio de forma que todos pudessem ver.
— Eu deveria me encontrar com vovó na Starbucks em 15 minutos. É melhor não me atrasar — andei até a porta, mas parei antes de sair da biblioteca. Virei e olhei para meus amigos. — Eu não queria magoar ninguém. Sinto muito se o bilhete de Heath fez vocês se sentirem mal – mas isso não é minha culpa. E eu contei a alguém que não gosto quando as pessoas juntam meu aniversário com o Natal – contei para Stevie Rae.

2 comentários:

  1. Não é culpa da Zoey, coitada, ela contou pra Stevie, se a Stevie estivesse ali, nada disso teria acontecido, mais essa agora, pra lembrar a Z que ela não tem mais a amiga na vida dela. Só dá merda na vida dessa menina, pqp

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!