2 de outubro de 2015

Capítulo 27

— Puta merda! — Shaunee gritou e deu um passo para trás, se agarrando no braço de Erin para não cair.
— Você estava morta! — Erin disse.
— Eu não acho que estava — Aphrodite disse, esfregando a testa com uma mão e tocando a marca de mordida com a outra. — Ouch! Droga, você me machucou.
— Eu realmente realmente sinto muito, Aphrodite. — Stevie Rae disse. — Eu quero dizer, eu não gosto de você, mas eu com certeza não ia te morder. Ou pelo menos agora eu não ia.
— Yeah, yeah, tanto faz. — Aphrodite disse. — Não se preocupe. É tudo parte do plano de Nyx, por mais incoveniente e doloroso que possa ser. — Ela recuou de novo devido a dor no pescoço. — Deus, alguém tem um Band-Aid?
— Eu tenho algum lenço em algum lugar. Perai que eu vou ver se posso encontrar — Erin disse, mexendo na bolsa de novo.
— Tente encontrar um limpo para ela, Gêmea. Aphrodite já tem estresse o bastante para lidar sem uma horrível infecção.
— Jeesh, isso seria gentil da parte de vocês duas — Aphrodite disse. Ela olhou para as Gêmeas com um semi sorriso no rosto, e eu olhei para ela.
Meu estômago caiu em algum lugar nos meus tornozelos.
— Sumiu! — Eu arfei.
— Oh merda! Zoey está certa — Damien disse, encarando Aphrodite.
— O que? — Aphrodite disse — O que sumiu?
— Ah-oh — Shaunee disse.
— Yep, sumiu — Erin disse quando entregou um lenço para Aphrodite.
— Do que diabos vocês estão falando agora? — Aphrodite disse.
— Aqui. Use isso. — Stevie Rae passou um espelho para ela. — Olhe para o seu rosto.
Aphrodite suspirou, claramente irritada. — Ok, agora eu pareço uma merda. Olá! Stevie Rae acabou de me morder. Aqui tem uma notícia: Nem eu posso parecer perfeita o tempo todo, especialmente quando — Assim que ela se focou no espelho e olhou bem para o reflexo no rosto, as palavras de Aphrodite terminaram como se alguém tivesse apertado o botão dela de PARE DE FALAR. Com uma mão trêmula ela tocou o topo do meio da testa onde a Marca de Nyx tinha estado. — Sumiu. — A voz dela era um rouco sussurro. — Como pode ter sumido?
— Eu nunca, nunca ouvi sobre nada disso acontecer antes. Em nenhum livro – em lugar nenhum — Damien disse. — Uma vez que você é Marcada você não pode ser desmarcada.
— É como Stevie Rae foi curada. — Aphrodite soava deslumbrada, e ela continuava tocando o ponto vazio no meio da testa. — Nyx tirou de mim e deu para Stevie Rae. — Um horrível calafrio passou pelo corpo de Aphrodite. — E agora eu não sou nada mais do que uma humana normal. — Ela se ergueu, derrubando o espelho. — Eu tenho que ir embora. Eu não pertenço mais aqui. — Ela começou a se afastar em direção a porta escondida, com os olhos bem abertos e vidrados.
— Espera, Aphrodite — eu disse, correndo atrás dela. — Talvez você não seja humana de novo. Talvez isso seja algo estranho que vai sumir daqui um dia ou dois, e sua Marca volte.
— Não! Minha Marca sumiu. Eu sei. Só – só me deixe em paz! — Ela correu pela porta chorando.
No segundo que Aphrodite passou pelo perímetro da escola o ar se cortou e houve um barulho distinto de algo quebrando como se algo grande tivesse caído e quebrado.
Stevie Rae agarrou meu braço. — Você fica aqui. Eu vou atrás dela.
— Mas você –
— Não, estou bem agora. — Stevie Rae sorriu aquele sorriso cheio de vida dela. — Você me consertou, Z. Não se preocupe. Eu fiz isso acontecer com Aphrodite. Eu vou encontrar ela e me certificar que ela fique bem. Então eu volto para você.
Eu ouvi barulhos a distância, como se algo grande estivesse se movendo rapidamente.
— São os guerreiros. Eles sabem que a escola foi invadida. — Damien disse.
— Vá! — Eu disse a Stevie Rae. — Eu te ligo. — Então acrescentei. — Eu não vou te mandar mensagem. Nunca. Se você receber uma mensagem não vai ser de mim.
— Ok super-mega-entendido, eu vou lembrar — Stevie Rae disse e então sorriu para nós quatro. — Vejo vocês logo! — Ela passou pela porta, que se fechou atrás dela. Eu notei que o aviso não fez absolutamente nada quando ela passou e me perguntei brevemente o que diabos isso significava.
— Então o que estamos fazendo aqui? — Damien perguntou.
— Estamos aqui porque Erik largou Zoey — Shaunee disse.
— Yeah, ela está chateada — Erin disse.
— Não digam a eles sobre Aphrodite ou Stevie Rae — eu disse.
Meus amigos olharam para mim como se eu tivesse acabado de dizer ‘Talvez não devêssemos contar a nossos pais sobre aquele episódio com a cerveja.’
— Não brinca? — Shaunee disse sarcasticamente.
— Vamos contar tudo — Erin disse.
— Yeah, porque não se pode confiar na gente para manter segredo — Damien disse.
Bem, merda. Eles definitivamente ainda estão com raiva.
— Então quem quebrou a barreira? — Damien perguntou. Eu notei que ele não olhou para mim, mas fez a pergunta diretamente as Gêmeas.
— Aphrodite, quem mais? — Erin disse.
Antes de eu poder protestar, Shaunee acrescentou, — Yeah, não vamos dizer nada sobre o desaparecimento da Marca dela. Vamos apenas dizer que ela veio até aqui com a gente e se irritou com o choro de Zoey.
— E auto piedade — Erin acrescentou .
— E mentiras. Então ela foi embora. Tipicamente como Aphrodite — Damien terminou.
— Ela pode se meter em problemas — eu disse.
— Yeah, bem, consequências é uma merda — Shaunee disse.
— Uma merda que com certeza está seguindo algumas pessoas bem de perto — Erin disse, me dando um olhar afiado.
Então vários guerreiros, liderados por Darius, apareceram. Com as armas prontas eles pareciam assustadores e prontos para chutar bundas (potencialmente as nossas).
— Quem quebrou o perímetro? — Darius praticamente jogou a pergunta.
— Aphrodite! — Nós quatro dissemos juntos.
Darius fez um rápido gesto para os dois guerreiros. — Encontrem ela — ele disse. Então ele virou para nós, — A Alta Sacerdotisa foi chamada numa assembleia para a escola. Vocês precisam ir para o auditório. Eu escolto vocês para lá.
Docilmente, seguimos Darius. Eu tentei pegar o olhar de Damien, mas ele não olhava para mim. Nem o das Gêmeas. Era como se eu tivesse andando com estranhos. Pior, na verdade. Estranhos podem pelo menos sorrir e dizer oi. Definitivamente não houve sorriso ou oi acontecendo entre meus amigos.
Demos apenas alguns passos quando a primeira dor me atingiu. Era como se alguém estivesse me dando uma invisível facada no meu estômago. Eu tinha certeza que ia ficar enjoada, e eu me dobrei, gemendo.
— Zoey? Qual o problema? — Damien disse.
— Eu não sei. Eu — Eu não consegui mais falar, e ao mesmo tempo tudo ao meu redor ficou ultrafocado. A dor no meu estômago pareceu se apertar, e eu sabia que guerreiros estavam me cercando, mesmo quando peguei a mão de Damien. Embora eu soubesse que ele ainda estava fulo, ele me segurou com força, e eu podia ouvir ele me dizendo que tudo iria ficar bem.
A dor se espalhou do meu estômago para meu coração. Eu estava morrendo? Eu não estava tossindo sangue. Eu podia estar tendo um ataque cardíaco? Era como se eu tivesse presa no pesadelo de alguém onde eu estava sendo torturada por facas invisíveis e mãos invisíveis.
A dor que queimava de repente no meu pescoço foi demais, e tudo estava começando a ficar preto ao redor da minha visão. Eu sabia que eu estava caindo, mas a dor era insuportável. Não havia nada que eu pudesse fazer... eu estava morrendo. Mãos fortes me pegaram e me levantaram, e eu estava vagamente ciente que Darius me carregava.
Então houve um terrível rasgo dentro de mim. Eu gritei de novo e de novo. Eu senti como se meu coração estivesse sendo arrancado do meu corpo vivo. E quando eu sabia que não iria mais aguentar, ela parou. Tão bruscamente quanto a dor começou, ela sumiu, me deixando ofegando e suada, mas perfeitamente bem.
— Espera. Parou. Estou bem — eu disse.
— Minha senhora, você estava com uma dor horrível e você deve ser levada a enfermaria — Darius disse.
— Ok, Não. — Eu estava feliz por ver minha voz ficar completamente normal. Eu lutei contra os braços super musculosos de Darius. — Me solta. Eu falei sério. Estou bem.
Relutantemente, Darius parou e me colocou gentilmente de pé. Eu me senti como uma experiência cientifica quando as Gêmeas, Damien e os outros guerreiros ficavam olhando para mim.
— Estou bem — eu disse firmemente. — Eu não sei o que aconteceu, mas acabou. Verdade.
— Você deveria ir para a enfermaria. Depois que a Alta Sacerdotisa terminar com o discurso ela vai te checar — Darius disse.
— Não. Absolutamente não — eu disse. — Ela está ocupada. Ela não precisa se preocupar com uma estranha cólica ou algo assim que fez meu... uh... estômago doer.
Darius não parecia convencido.
Eu ergui meu queixo e engoli cada gota do meu orgulho. — Eu tenho gases. Muitos. Pergunta a meus amigos.
Darius virou para as Gêmeas e Damien.
— Yep, ela é a garota dos gases — Shaunee disse.
— Senhorita Fedida, é como chamamos ela — Erin disse.
— Ela realmente é extraordinariamente flatulenta — Damien acrescentou.
Ok, eu sei que a tropa não tinha me ajudado porque tudo estava perdoado e nós éramos melhores amigos de novo. Eles simplesmente pegaram uma excelente oportunidade para me embaraçar.
Deus, eu tenho uma terrível dor de cabeça.
— Gases, minha senhora? — Darius disse, os lábios dele tremendo.
Eu dei nos ombros e tive problemas para não corar, — Gases — eu confirmei. — Podemos só ir para o auditório? Estou me sentindo muito melhor.
— Como quiser, minha senhora — Darius me saudou.
Mudamos de direção e fomos para o auditório de novo.
— O que foi aquilo? — Damien sussurrou, vindo para perto de mim.
— Não faço ideia — Eu respondi.
— Nem ideia — Shaunee disse quieta.
— Ou você sabe e não quer nos dizer — Erin murmurou.
Eu não podia dizer nada. Eu só balancei a cabeça triste. Eu fiz isso. Yeah, eu tinha bons motivos, pelo menos para parte disso. Mas a verdade é que eu estava mentindo para meus amigos a tempo demais.
Como Shaunee disse, consequências são uma merda, e como Erin tinha observado, ela definitivamente estava me seguindo. Ninguém falou comigo no resto do caminho para o auditório. Quando entramos na porta da frente, Jack se juntou a nós. Ele nem olhava para mim. Todos sentamos juntos, mas ninguém falou comigo. Ninguém. As Gêmeas falaram entre si como sempre, claramente vasculhando o auditório em busca de T.J e Cole, que as viram primeiro e correram para sentar ao lado delas... Eles fizeram aquele flerte que normalmente era quase nojento para me fazer querer desistir de namorar para sempre. Como se eu tivesse escolha.
Eu estava atrás de todos, então fiquei sentada na última poltrona da última fileira. Damien estava na minha frente com o resto da turma. Eu podia ouvir ele sussurrando para Jack e contando a ele o que tinha acontecido com Aphrodite e Stevie Rae. Nenhum deles disse nada para mim, ou sequer virou para me olhar.
Todos estavam ficando inquietos, e parecia que estávamos esperando para sempre. Eu me perguntei o que diabos Neferet estava aprontado. Eu quero dizer, ela chamou essa enorme reunião. Praticamente toda a escola estava ali e eu me sentia incrivelmente, e miseravelmente sozinha. Eu olhei ao redor para ver se Erik estava olhando para mim de algum lugar do salão, mas eu não vi ele em lugar nenhum. Eu vi o pobre pequeno Ian Bowser, que estava sentado nas fileiras da frente, olhos vermelhos e parecendo que tinha acabado de perder o melhor amigo. Eu definitivamente sabia como ele se sentia.
Finalmente ouve um murmúrio da multidão e Neferet entrou no auditório. Ela estava sendo seguida por vários professores, incluindo Dragon Lankford e Lenobia; e cercada por Filhos de Erebus ela fez para o palco. Todos ficaram em silêncio e atentos.
Ela não perdeu tempo, foi direto ao tempo. — Temos vivido em paz com os humanos a muito tempo, embora eles tenham nos insultado e maltratado a décadas. Eles invejam nosso talento e beleza – nossa saúde e poder. E a inveja deles tem crescido e se transformado em ódio. Agora esse ódio mudou para uma violência perpetuada contra nós pelas pessoas que se chamam de religiosas e corretas. — A risada dela era fria e linda. — Que abominação.
Eu tinha que admitir que ela era muito boa. Ela hipnotizou a multidão. Se ela não fosse uma Alta Sacerdotisa ela seria uma ótima atriz.
— É verdade que existem muito mais humanos do que vampiros, mas devido a nossos números menores eles nos subestimam. Mas eu prometo isso: se eles assassinarem apenas mais um dos nossos irmãos ou irmãs, eu vou declarar guerra contra eles. — Ela teve que esperar até os guerreiros terminarem de torcer silenciosamente antes de poder continuar, mas ela não pareceu se importar. — Não será uma guerra aberta, mas será mortal e –
As portas do auditório abriram enquanto Darius e outros dois guerreiros entraram no salão, interrompendo Neferet. Com o resto de nós, ela se silenciou e observou os homens vampiros se aproximarem. Eu achei que Darius parecia estranho. Não pálido, mas plástico. Como se o rosto dele tivesse virado uma máscara viva.
Neferet saiu do microfone e se inclinou para ele poder sussurrar para ela as noticias. Quando ele terminou ela ficou parada muito dura, quase como se estivesse se recompondo de uma devido terrível dor. Então ela se mexeu e limpou a garganta com uma mão. Dragon parou ao lado dela para firmar, mas a sacerdotisa negou a ajuda dele. Devagar ela voltou para o microfone e a voz como a da morte ela disse, — O corpo de Loren Blake, nosso amado Vampiro Poeta Laureate, foi encontrado pregado no nosso portão.
Eu podia sentir Damien e as Gêmeas me olhando. Eu pressionei minha mão contra minha boca para segurar meu choro de horror, como eu tinha feito quando eu vi Loren e Neferet juntos.
— Foi isso que aconteceu com você — Damien sussurrou, o rosto dele ficou quase cinza de tão pálido. — Você teve um Imprint com ele, não teve?
Eu só podia acenar. Toda a minha atenção estava focada em Neferet, que continuou a falar.
— Loren foi estripado e decapitado. Como a professora Nolan, eles pregaram uma escritura no corpo dele. Esse do livro de Ezequiel. “Dizia, Livra-se de todas as coisas detestáveis disto e todas as abominações desde então, ARREPENDA-SE.” — Ela pausou e curvou a cabeça parecendo estar rezando para se reerguer. Então ela se ajeitou, erguendo o rosto, e a raiva dela era tão brilhante e gloriosa que vez meu coração bater mais rápido. — Como eu estava dizendo antes dessa trágica noticia, não será uma guerra aberta, mas será mortal e seremos vitoriosos. Talvez seja hora dos vampiros tomarem seus lugares nesse mundo, e o lugar apropriado não é ser subjugado por humanos!
Eu sabia que ia vomitar, então corri do auditório, feliz por meu lugar ser no fim da última fileira. Eu sabia que meus amigos não iriam me seguir. Eles ainda ficariam lá dentro, torcendo com todo mundo. E eu estaria ali fora, tendo minhas estranhas se revirado porque eu sabia com a minha alma que uma guerra com humanos era errada. Essa não era a vontade de Nyx.
Eu arfei, respirando fundo e tentando parar de tremer. Ok, eu posso saber que guerra não é a vontade de nossa deusa, mas o que eu iria fazer sobre isso? Eu era só uma garota – e minhas ações recentes provaram que eu não era muito esperta. Nyx provavelmente estava com raiva de mim também. Ela deveria.
E então lembrei da dor familiar que passou pela minha cintura. Olhei ao redor, me certificando que estava sozinha, então ergui a borda do meu vestido para poder ver minha pele. Elas estavam ali! Minhas lindas Marcas tinham aparecido ao redor da minha cintura. Eu fechei meus olhos. Oh obrigada, Nyx! Obrigada por não me abandonar!
Eu me inclinei contra a parede do auditório e chorei. Eu chorei por Aphrodite e Heath, Erik e Stevie Rae. Eu chorei por Loren. Chorei principalmente por Loren. A morte dele me abalou. Minha mente sabia que ele não me amava. Que ele tinha me usado porque Neferet queria que ele se aproximasse de mim, mas isso não parecia importar para a minha alma. senti a perda dele como se ele tivesse sido arrancado do meu coração. Eu sabia que tinha algo errado sobre a morte dele, e o errado era mais do que ser assassinado por fanáticos religiosos. E esses fanáticos podiam ser relacionados a mim. Meu padrasto podia ter causado a morte de Loren.
A morte dele... Loren está morto...
E me atingiu. Eu não sei quanto tempo fiquei inclinada contra a parede do auditório e chorei e tremi. Eu só sabia que estava sentindo a morte da garota que eu costumava ser assim como a de Loren.
— É sua culpa. — A voz de Neferet me cortou. Eu olhei para cima, limpando meu rosto com minha manga, para ver ela parada ali, com os olhos vermelhos mas sem lágrimas.
Ela me deixou doente.
— Todos pensam que você não está chorando porque você é corajosa e forte — eu disse. — Mas eu sei que você não está chorando porque você não tem coração. Você não é capaz de se importar o bastante para chorar.
— Você está errada. Eu o amava, e ele me adorava. Mas você já sabe disso, não é? Você nos viu como a pequena cobra que é — ela disse. Neferet olhou rapidamente por cima dos ombros para as portas e levantou o dedo para mim, como se estivesse dizendo que precisava de um minuto. Eu podia ver que os guerreiros que estavam indo até ela pararam e viraram as costas contra as portas; obviamente o trabalho deles era impedir que alguém nos interrompesse. Então Neferet virou de novo para mim. — Loren está morto por sua causa. Ele podia sentir o quão chateada você estava, e quando o perímetro foi quebrado, ele achou que era você correndo da pequena cena que eu orquestrei entre você e o pobre e chocado Erik. — Ela disse numa voz sarcástica. — Loren foi procurar você. E porque estava te procurando, Loren foi morto.
Eu balancei minha cabeça, deixando minha raiva e nojo se afogar na dor e medo.
— Você fez tudo isso. Você sabe. Eu sei. E, mais importante, Nyx sabe.
Neferet riu.
— Você usou o nome da deusa antes quando me ameaçou, e no entanto aqui estou, uma poderosa Alta Sacerdotisa, e aí está você, uma boba e estúpida caloura que foi abandonada por seus amigos.
Eu engoli com força. Ela estava certa. Ela era tudo aquilo, e eu era nada. Eu fiz escolhas estúpidas, e por causa disso quebrei a confiança dos meus amigos. E ela ainda estava, muito, no comando. Eu sabia no meu coração que Neferet estava escondendo mal o ódio, mas eu podia olhar para ela e ver. Ela era linda e brilhante e poderosa. Ela parecia a imagem perfeita de uma Alta Sacerdotisa e alguém Escolhido pela deusa. Como eu achei que podia enfrentar ela?
Então eu senti o vento mudando, o calor dos dias de verão, a doce frieza da costa do mar, a selvagem e vasta terra, e a força do meu espírito. A nova evidência do favor de Nyx passou ao meu redor da minha cintura enquanto as palavras da deusa passaram pela minha memória: Lembre-se, escuridão nem sempre equivale ao mal, assim como luz nem sempre trás o bem.
Eu arrumei as costas. Me focando nos cinco elementos eu ergui as mãos, palmas para cima, e sem tocar Neferet, eu a empurrei.
A Alta Sacerdotisa foi jogada para trás, cambaleando, perdeu o equilíbrio, e caiu de bunda. Quando vários guerreiros saíram do auditório para ajudar ela a se levantar, eu me curvei, fingindo estar me certificando que ela estava bem, e sussurrei, — Você pode querer reconsiderar em me irritar, velha mulher.
— Isso não acabou entre nós — ela assoviou.
— Pela primeira vez, eu concordo totalmente com você.
Então eu me afastei dela e deixei os guerreiros e o resto dos novatos e vampiros que estavam saindo do auditório e se colocando ao redor dela. Eu podia ouvir ela dizendo a eles que ela tinha quebrado um salto e tropeçado – e que tudo estava bem – e então a multidão suspirou.
Eu não esperei as Gêmeas e Damien saírem para me ignorarem. Virei minhas costas para todos eles e fui em direção ao meu dormitório. Dei alguns passos quando Erik saiu das sombras do auditório. Os olhos dele estavam bem abertos e chocados, e ele parecia abatido e pálido. Claramente, ele tinha testemunhado a cena toda entre Neferet e eu. Ergui meu queixo e encontrei o familiar olhos azuis dele.
— Yeah, tem mais acontecendo do que você achou — eu disse.
Ele balançou a cabeça, mas mais em surpresa do que em descrença.
— Neferet... ela – ela... — ele lutou, olhando por cima dos meus ombros para a multidão que ainda cercava a Alta Sacerdotisa.
— Ela é uma vaca do mal? São essas as palavras que você está procurando? Sim, ela é. — Foi bom dizer isso. Me senti especialmente bem ao dizer para Erik. Eu queria explicar mais para ele, mas as próximas palavras dele me impediram.
— Isso não muda o que você fez.
Eu de repente não sentia, nada a não ser muito muito cansada.
— Eu sei disso Erik. — Sem outra palavra eu me afastei.
O amanhecer estava clareando o céu, dando a escuridão o tom pastel do amanhecer. Eu respirei profundamente, respirando o frio do novo dia. O confronto com Neferet e Erik me deixou estranhamente pacífica e meus pensamentos facilmente se organizaram em duas novas colunas.
Pelo lado positivo: Um, minha melhor amiga não era mais um monstro louco por sangue morto vivo. É claro, eu não tinha certeza do que ela era, ou, por sinal, onde ela estava. Dois, eu não tinha mais três namorados para brigar. Três, eu não tinha um Imprint com ninguém, que era uma boa coisa. Quatro, Aphrodite não estava morta. Cinco, eu disse a meus amigos várias coisas que eu queria conta a eles há muito tempo. Seis, eu não era mais virgem.
Pelo lado negativo: Um, eu não era mais virgem. Dois, eu não tinha mais namorado. Nenhum. Três, eu posso ter causado a morte do Vampiro Poeta Laureate, se é que não tinha sido causada por alguém da minha família. Quatro, Aphrodite era humana, e estava claramente apavorada. Cinco, a maior parte dos meus amigos estavam fulos comigo e não confiavam em mim. Seis, eu não tinha parado de mentir a eles porque eu não contei a verdade sobre Neferet. Sete, estava presa no meio de uma guerra entre vampiros (que eu não era uma ainda) e humanos (que eu não era mais). E, para nosso grande vencedor, Oito, a mais poderosa Alta Sacerdotisa do nosso tempo era minha inimiga jurada.
“Mee-uf-ow!” A voz mau humorada de Nala me deu um aviso suficiente para abrir meus braços logo antes dela pular em cima de mim.
Eu acariciei ela. — Algum dia você vai pular cedo demais e cair de bunda. — Eu sorri lembrando, — como o que aconteceu com Neferet.
Nala ronronou e esfregou o rosto contra o meu.
— Bem, Nala, parece que estou no meio de uma profunda merda. O negativo na minha vida totalmente sobrepuja o positivo, e sabe o que é estranho? Eu estou começando a me acostumar. — Nala continuou se esfregando, e eu beijei ela em cima da pequena mancha branca em cima do nariz. — Coisas difíceis estão por vir, mas eu acredito honestamente que Nyx me Escolheu, o que significa que ela estará comigo. — Nala fez um barulho de uma velha mulher, e eu me corrigi. — Eu digo, nós. Nyx estará conosco. — Eu mudei Nala nos meus braços para poder abrir a porta do dormitório. — É claro, Nyx me escolher fez eu duvidar da habilidade dela de fazer escolhas — eu murmurei, meio brincando.
Acredite em si, Filha, e fique pronta para o que está por vir.
choraminguei quando a voz de deusa flutuou pela minha mente.
Ótimo. Fique pronta para o que esta por vir não parece muito bom. Eu olhei para Nala e suspirei.
— Lembra quando achamos que eu ter um aniversário horrível era nosso maior problema?
Nala espirrou no meu rosto, me fazendo rir quando eu disse “eew” e corria para meu quarto, indo até a caixa de lenços que eu mantinha na cabeceira.
Como sempre, Nala resumiu minha vida perfeitamente: meio engraçada, meio nojenta, e mais do que um pouco confusa.

5 comentários:

  1. Respostas
    1. Pois é, mas ainda assim, fiquei abalada pela morte dele, tão horrível.

      Excluir
  2. Não sei se é verdade o que a Neferet falou sobre o Loren ter ido atrás da Z, mas prefiro acreditar que sim, prefiro acreditar que ele se sentiu culpado pensando que ela tinha fugido e se exposto ao perigo por causa dele, prefiro acreditar que ele morreu tentando fazer uma boa ação.

    ResponderExcluir
  3. eu ainda acho q é Neferet que anda matando os vampiros

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!