5 de outubro de 2015

Capítulo 27 - Zoey

— Você quer uma Coca também? — Eu chamei por cima do meu ombro para Stark, que estava esperando impaciente por mim em um salão muito silencioso e estranho do nosso dormitório. Eu digo estranho porque estava silencioso, embora um monte de calouros, caras e gurias, estavam sentados nas cadeiras na frente das TVs de tela plana. Sério. Eles só estavam sentados e encaravam. Sem falar. Sem rir. Nada. Eles não olharam para cima quando Stark e eu entramos. Na verdade, eu estava semi-certa que algumas das garotas nos deram olhares do ódio, mas ainda não falaram nada.
— Não, estou bem. Só pegue sua Coca e vamos subir — ele disse, já andando em direção as escadas.
— Ok, ok. Estou indo. Eu só — E eu dei um encontrão numa garota chamada Becca.
— Jeesh, desculpe! — Eu disse, dando um passo para trás. — Não te vi porque eu estava –
— Yeah, eu sei o que você estava fazendo. O que você sempre está fazendo. Você estava olhando um cara.
Eu franzi. Eu não conhecia Becca muito bem. Só que ela tinha uma enorme queda por Erik. Oh, e eu peguei Stark mordendo e praticamente estuprando ela – antes dele escolher o caminho do bem e se jurar a mim como Guerreiro. É claro, Becca não lembrava da parte do estupro. Ela só lembrava do prazer de ser mordida, de novo graças ao idiota que Stark costumava ser. Ainda sim, eu não dei permissão a ela para cair com esse ridículo comportamento pra cima de mim. Mas eu não tinha tempo para acertar as coisas com ela e, honestamente, eu não me importava se ela era uma pilha grande de eu-tenho-inveja-da-Zoey. Então eu fiz uma das bufadas nada atraentes de Aphrodite e passei ao redor dela até a geladeira, abri, e comecei minha busca por Coca.
— Você fez isso, não fez? Você estragou tudo.
Eu suspirei. Eu encontrei minha lata de Coca e virei.
— Se você se refere a, se eu me livrei de Kalona, que não é Erebus que veio a terra, mas na verdade um imortal caído do mal, e afastei Neferet, que não é mais Alta Sacerdotisa de Nyx, mas uma maldosa Tsi Sgili que quer dominar o mundo, então sim. Sim, com a ajuda de alguns amigos eu fiz isso.
— Porque você acha que sabe de tudo?
— Eu definitivamente não sei tudo. Se soubesse, eu saberia porque você ainda não consegue enxergar que Kalona e Neferet e os Corvos Escarnecedores são do mal, mesmo depois que eles mataram a professora Anastasia.
— Os Corvos Escarnecedores só mataram ela porque você os irritou fugindo e brigando com Kalona, que vários de nós acham que ele é realmente Erebus.
— Se liga, Becca. Kalona não é Erebus. Ele é o pai dos Corvos Escarnecedores. Ele os criou estuprando mulheres Cherokee. Erebus não faria isso. Isso ocorreu a vários de vocês?
Ela agiu como se não tivesse ouvido uma palavra do que eu disse.
— Tudo estava bem quando você não estava. Agora você voltou e tudo está uma confusão de novo. Eu queria que você tivesse ido embora para sempre e deixado o resto de nós fazer o que queremos fazer.
— O resto de vocês? Você quer dizer os garotos na enfermaria que quase foram mortos por seus amigos alados. Ou você se refere a Dragon, que ainda estava em luto pela morte da sua esposa, sozinho?
— Isso só aconteceu por sua causa. Nenhum de nós foi atacado antes de você fugir.
— Sério, você não está ouvindo uma palavra do que estou dizendo?
— Hey, Becca. — Stark estava parado na porta da cozinha, atrás de Becca. Ela virou a cabeça, jogou seu cabelo para trás, e deu a ele um sorriso de flerte.
— Hey, Stark.
— Erik é carne livre — ele disse. Ela piscou e parecia um pouco confusa. — Ele e Zoey terminaram — ele acrescentou.
— Oh, mesmo? — Ela tentou soar indiferente, mas sua linguagem corporal mostrou seu prazer. Ela olhou para mim. — Já era hora dele te chutar.
— Ao contrário, sua... sua... vadia! — eu disse. Becca deu um passo em minha direção, erguendo sua mão como se ela fosse tentar me bater, o que me chocou tanto que eu nem pensei em chamar um dos elementos para derrubar ela. Felizmente, Stark não estava chocado, e ele se meteu rapidamente entre nós.
— Becca, eu já fiz mal o bastante para você. Não me faça te jogar para fora daqui. Só se afaste — ele disse, parecendo muito como um guerreiro perigoso. Becca se afastou instantaneamente.
— Oh, tanto faz. Como se eu me importasse com ela para estragar minhas unhas? — Ela virou e saiu.
Eu abri minha Coca e dei um longo gole antes de dizer, — Bem, isso foi muito perturbador.
— Yeah, eu devo estar enlouquecendo. O verdadeiro eu nunca impediria uma briga de garotas.
Eu virei os olhos para ele. — Você é tão homem. Anda, vamos subir onde está menos maluco.
Saímos da cozinha e passamos pelo salão principal para chegar às escadas, o que significou voltar na loucura. Becca era toda sussurros com vários garotos amontoados, embora tenha parado de falar para me olhar feio, que era o mesmo olhar de matar que os outros garotos estavam me dando também. Eu aumentei o ritmo e praticamente voei para cima.
— Ok, isso foi bizarro — Stark disse enquanto íamos ao meu quarto. Eu só acenei. Era difícil para mim encontrar palavras que descreviam como parecia para mim que quase todos na escola, meu lar, obviamente me odiavam. Abrindo a porta do meu quarto, eu instantaneamente fui atacada por uma bola laranja de pelo que se aninhou nos meus braços enquanto ela dava um ‘mee-uf-owed’ como uma senhora descontente.
— Nala! — Eu ignorei a irritação dela e a beijei no nariz, o que fez ela espirrar no meu rosto. Eu ri e passei minha Coca para a outra mão para não derrubar em meu gato. — Eu senti sua falta, garotinha.
Eu pressionei meu rosto no seu pelo suave, o que fez ela parar de reclamar e começou sua maquina de ronronar.
— Quando você terminar de se agarrar com sua gata, temos coisas para discutir – coisas importantes — Aphrodite disse.
— Oh, não seja tão odiosa — Damien disse a ela.
— Odeio isso, Damien — Aphrodite fez um gesto rude para ele.
— Parem! — Lenobia falou antes de eu poder dizer a eles para ficarem quietos. — O corpo de uma boa amiga ainda está esfriando lá fora e não estou com vontade de ouvir briga de adolescentes. — Aphrodite e Damien murmuraram desculpas e pareciam desconfortáveis, o que eu decidi que era uma excelente deixa para eu começar a falar.
— Ok, então, cada um daqueles garotos lá embaixo me odeia.
— Mesmo? Eles estavam sendo Stepfords quando chegamos — Damien disse.
— Mesmo — Stark disse. — Eu quase tive que tirar aquela Becca de cima de Zoey.
Eu podia ver o olhar nos rostos de Aphrodite e Damien que eles estavam lembrando do passado não tão bom de Stark. Nenhum deles disse nada.
— Isso não me surpreende — Lenobia disse.
Eu olhei para a mestra de cavalos.
— O que está acontecendo? Kalona se foi. Para muito longe. Eu acho que ele nem está mais nesse país. Como ele ainda pode estar afetando os calouros?
— E vampiros — Damien acrescentou. — Nenhum professor fora você foi ficar com Dragon. Isso significa que o resto deles ainda está sobre a influência de Kalona também.
— Ou estão simplesmente permitindo que medo os derrote. — Lenobia disse. — É difícil dizer se eles estão com medo, ou se o demônio começou algo neles que ainda funciona, embora ele não esteja mais presente.
— Ele não é um demônio — eu me ouvi dizer.
Lenobia me deu um olhar afiado. — Porque você diria isso, Zoey?
Eu me mexi desconfortável escrutínio dela e sentei na minha cama, colocando Nala no meu colo.
— É só que eu sei coisas sobre ele, e uma delas é que eu sei que ele não é um demônio.
— Que diferença faz como chamamos ele? — Erin perguntou.
— Bem, nomes verdadeiros são poderosos — Damien disse. — Tradicionalmente usar o nome verdadeiro de alguém em um feitiço ou ritual pode ter mais força do que enviar energia de forma geral, ou até mesmo usando seu primeiro nome.
— Você tem razão, Damien. Então não vamos chamar Kalona de demônio — Lenobia disse.
— E também não vamos esquecer que ele é do mal, como aqueles outros garotos são — Erin disse.
— Mas nem todos são — eu disse. — Aqueles garotos na enfermaria não estão sob o feitiço de Kalona, e nem Lenobia e Dragon – nem Anastasia estava. Mas por que? O que vocês tem que todo mundo não tem?
— Já decidimos que Lenobia e Dragon e Anastasia tem dons vindos de Nyx — Damien disse.
— Ok, então o que tem de especial com aqueles garotos que enfrentaram os Corvos Escarnecedores? — Aphrodite disse.
— Hanna Honeyyweager pode fazer florescer flores — Damien disse. Eu o encarei.
— Flores? Sério?
— Yeah. — Damien deu nos ombros. — Ela tem uma ótima mão.
Eu suspirei. — O que mais sabemos sobre os garotos na enfermaria?
— T.J é um ótimo boxeador — Erin falou.
— E Drew é um ótimo lutador — eu disse.
— Mas alguma dessas habilidades são verdadeiros dons? — Lenobia disse. — Vampiros são talentosos. Esse é o normal e não uma exceção.
— Alguém sabe alguma coisa sobre aquele garoto Ian Bowser? — eu perguntei. — Eu só conheço ele da aula de teatro. Ele costumava ser caidinho pela professora Nolan.
— Eu conheço ele — Erin disse. — Ele é um doce.
— Ok, ele é um doce — eu disse, me sentindo sobrepujada com a tarefa impossível. Os garotos eram gentis e bons com coisas, mas ser bom em algo não é igual a ter um dom de Nyx. — E quanto aquela garota nova, Red?
— Nenhuma de nós a conhece. — Damien olhou para Lenobia. — Você conhece?
Lenobia balançou a cabeça. — Não, só que sua mentora era Anastasia, e ela tinha se tornado próxima o bastante dela em apenas alguns dias para arriscar sua vida para salvar sua professora.
— O que não significa nada especial sobre ela a não ser que ela fez a escolha certa e — minhas palavras morreram quando percebi o que estava dizendo. De repente eu estava rindo. — É isso! — Todo mundo me olhou que nem idiota.
— Ela perdeu a cabeça — Aphrodite disse. — Estava fadado a acontecer mais cedo ou mais tarde.
— Não, eu não perdi a cabeça. Eu a encontrei. Encontrei a resposta. Deusa, é tão óbvio! Aqueles garotos não são dotados. Eles são apenas garotos que fizeram a escolha certa.
Ninguém disse nada por vários segundos, e então Damien pegou o fio da meada.
— Como na vida. Nyx deu a todos nós escolhas.
Eu sorri para ele. — E alguns de nós escolhem sabiamente.
— Alguns fazem besteira — Stark disse.
— Deusa! É realmente óbvio — Lenobia disse. — Não tem mistério no feitiço de Kalona.
— É sobre escolhas — Aphrodite disse.
— E verdade — eu acrescentei.
— Faz sentido. — Damien falou. — Eu não conseguia entender porque só 3 professores foram capazes de ver através de Kalona. Eu sempre pensei que todos os vampiros aqui tinham dons especiais dados pela deusa.
— E a maior parte é — Lenobia disse.
— Mas com dom ou não, encontrar a verdade e seguir o caminho certo é sempre uma escolha. — Stark falou suavemente enquanto seu olhar se envolvia no meu. — Isso é algo que nenhum de nós deve esquecer.
— E pode ser por isso que Nyx nos trouxe aqui. Para nos lembrar que seus filhos tem livre arbítrio — Lenobia disse.
Esse é todo meu ponto com A-ya. Eu tenho a escolha de não seguir o caminho dela. Mas isso não significa que Kalona também tem livre arbítrio, e pode escolher o bem ao invés do mal? A ideia passou pela minha mente. Eu a afastei e disse, — Ok, então, alguma ideia de onde seguimos daqui?
— Absolutamente. Você segue Kalona. Vamos com você — Aphrodite disse. Quando todos a encaramos, ela continuou, — Olha, Kalona provou que é do mal, então vamos fazer a escolha de destruir ele. — Antes de qualquer um poder dizer algo, Aphrodite acrescentou, — Não é impossível. Uma das minhas visões mostrou Zoey o derrubando.
— Visões? — Lenobia disse.
Aphrodite brevemente recapitulou as duas visões que teve, deixando de lado a parte especifica de que na visão “não tão boa” eu me juntei a Kalona. Então quando ela terminou, eu limpei a garganta, dei um grande sorriso, e disse, — Na visão ruim eu estava com Kalona. Tipo com ele. Nós éramos amantes.
— Mas na outra visão você destruiu ele — Lenobia disse.
— Isso era claro, mesmo que todo o resto fosse uma confusão — Aphrodite disse. — Então, como eu estava dizendo antes, ela tem que ir até ele.
— Eu não gosto disso — Stark disse.
— Nem eu — Lenobia disse. — Eu queria saber mais – ter mais detalhes sobre o que causou cada visão acontecer.
— Deusa! Sou uma idiota — eu disse, buscando em meu bolso pelo pedaço de papel que pus ali. — Eu esqueci do poema de Kramisha.
— Ugh, eu também —Aphrodite disse. — Eu odeio poesia.
— Um fato que me encanta, minha beleza — Darius disse quando entrava no quarto com Stevie Rae e Shaunee.
— Alguém com sua inteligência deveria gostar. — Aphrodite deu a ele um doce sorriso.
— Eu gostaria que você lesse para mim, mas de novo, eu gosto de qualquer coisa que você lê para mim.
— Nojento — Shaunee disse, indo até Erin.
— Totalmente — Erin concordou, sorrindo para sua gêmea.
— Bom, não perdemos a parte do poema — Stevie Rae disse, sentando perto de mim e acariciando Nala. — Eu estava me perguntando com o que Kramisha bolou.
— Ok, bem, eu vou ler em voz alta — eu disse, e comecei:

Uma espada de dois gumes
Um lado destrói
Um libera
Eu sou seu
Nó górdio
Você vai me liberar ou me destruir?
Seguir a verdade você deverá:
Encontre-me água
Purifique-me com fogo
Nunca mais presa pela terra
O ar vai sussurrar para você
O que o espírito já sabe:
Que mesmo quebrada
Tudo é possível
Se você acreditar.
Então ambos seremos livres

— Eu odeio dizer isso, mas até eu posso perceber que é de Kalona para você — Aphrodite falou através do grosso silêncio que seguiu minha leitura.
— Yep, parece isso para mim também — disse Stevie Rae.
— Ah, diabos — eu murmurei.

5 comentários:

  1. Só que sonho com calona fazendo a "escolha" certa

    ResponderExcluir
  2. céus o Stark podia simplesmente lançar uma flecha pensando em Neferet e metade do problema estaria resolvido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, seria uma ótima solução.

      Excluir
    2. Se fosse tão fácil assim, acho que deve ter alguma complicação sobre esse plano.

      Excluir
  3. Esse "Ah diabos" kkkkkkkkk

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!