6 de outubro de 2015

Capítulo 27 - Heath

Zoey estava piorando. Isso era exatamente nada bom. Como se ela não tivesse merda suficiente para lidar ultimamente? Agora isso tinha acontecido com ela, esta coisa da alma despedaçada, e ela foi escorregando para longe dele, de tudo. Primeiro, isso foi pouco a pouco. Recentemente, isto tem parecido mais com um gigantesco e cataclísmico pedaço por pedaço. Enquanto eles se moviam mais e mais no coração do bosque, mantendo-se longe das bordas das árvores e o que provavelmente era Kalona perseguindo-os lá fora, ela começou a mudar mais rapidamente. Não parecia haver alguma merda que ele pudesse fazer sobre isso. Ela não ouviria-o. Ele não podia discutir com ela. Ela não conseguia sequer se manter calma. Literalmente.
Ele podia vê-la na frente dele. Mesmo que ele estivesse quase correndo ao longo da margem musgosa do pequeno riacho musical, ele não estava se movendo rápido o suficiente para ela. Ela vagou na frente dele, às vezes cochichando coisas para o ar à sua volta, às vezes chorando baixinho, mas sempre inquieta, sempre em movimento.
Era como se ele estivesse vendo-a evaporar.
Heath tinha que fazer alguma coisa. Ele percebeu que, o que estava acontecendo com ela era porque sua alma não estava inteira. Isso fazia sentido. Ele tentou falar com ela sobre isso, tentou levá-la para chamar as partes, juntá-las e depois voltar para seu corpo.
Ele realmente não entendia toda essa coisa de Outromundo, apesar do tempo que ele estava aqui, a mais ele só sabia coisas, que provavelmente eram porque ele estava morto como a sujeira.
Jeesh, era totalmente estranho pensar que ele estava morto. Não assustadoramente estranho, mas bizarramente estranho, porque ele não se sentia morto. Ele sentia como se ele apenas estivesse em outro lugar.
Heath coçou a cabeça. Porra era difícil descobrir, mas o que não era difícil descobrir era que Zo não estava morta, e assim ela realmente não pertencia aqui.
Heath suspirou. Às vezes, ele sentia que não pertencia aqui, também. Não que esse não fosse um lugar legal. Certo, certo, Zo estava uma bagunça, e eles não podiam sair do bosque sem que Kalona ou “qualquercoisainfernal” agarrasse-os e provavelmente, fodesse-o o matando novamente. Se isso fosse possível. Tirando isso, seria bom aqui.
Mas apenas bom.
Era como se o seu espírito estivesse procurando por algo mais, algo que não podia encontrar aqui.
— Você morreu cedo demais. Isso é o que é.
Heath saltou de surpresa. Zoey estava em pé na frente dele, balançando para trás e para frente, de um pé para outro, olhando para ele com olhos que pareciam assombrados pela tristeza.
— Zo, querida, você é meio assustadora quando você faz essa coisa de aparecer na minha frente. — Ele se fez rir. — É como se você fosse o fantasma, e não eu.
— Desculpe... desculpe... — Ela murmurou, e começou a andar em círculo em torno dele. — É só que eles me disseram que você não está feliz aqui porque você morreu cedo demais.
Heath ficou parado, mas voltou a ela enquanto ela andava ao redor dele. — Quem são “eles”?
Zoey acenou sua mão em um gesto vago para o bosque. — Os que são um bocado parecidos comigo.
Heath aproximou-se dela de modo que ele caminhava ao seu lado enquanto ela continuava seu incessante movimento. — Baby, você não se lembra do que nós falamos sobre eles? Eles são partes de você. É por isso que você está se sentindo tão confusa agora. A próxima vez que eles falarem com você, eu quero que você peça a eles que voltem para dentro de você. Isto fará as coisas muito melhores.
Seus olhos eram grandes e perdidos quando ela olhou para ele. — Não, eu não posso.
— Por que não, baby?
Zoey explodiu em lágrimas. — Eu não posso, Heath. Ela se foi há muito tempo. Eu não posso juntar minha alma. Eu não consigo me lembrar das coisas, eu não consigo me concentrar, a única coisa que eu sei com certeza é que eu mereço isso.
— Você não merece isso! — Heath foi se aproximando de Zoey e levantou suas mãos para colocá-las diretamente sobre seus ombros e fazê-la escutá-lo, de uma vez por todas, quando uma fita dourada pegou a borda de sua visão, desviando sua atenção momentaneamente para longe dela.
No momento todos os pedaços de Zoey se inquietaram, e com um grito miserável, ela disse, — Eu tenho que ir! Tenho que continuar Heath. Isso é tudo que eu consigo fazer. — Antes que ele pudesse detê-la, ela passou longe dele com um estranho e quase flutuante movimento que carregava seu corpo pálido como uma pena em um vento forte, rapidamente, de forma irregular, e mais para dentro do bosque.
— Bem, merda. Isto só não funciona para mim. — Ele começou a seguir Zoey. Ele tinha que fazê-la ouvir. Ele tinha que ajudá-la. Então, ele vacilou, diminuindo até parar. O problema era que ele não sabia como ajudá-la. — Eu não sei o que fazer! — ele gritou enquanto batia com o punho ao lado de uma das árvores do bosque cobertas de musgo. — Eu não sei o que fazer! — Heath bateu na árvore de novo, ignorando a dor na mão. —Eu. Não. Sei. Que. Caralho. Fazer! — Ele pontuou cada palavra com o punho, até os dedos se abrirem, e o cheiro de seu próprio sangue levantar-se em torno dele.
Foi quando a sombra cobriu o sol. Limpando sua palpitante mão sobre o musgo, ele olhou para cima.
Escuridão. Asas. Apagando a luz da Deusa.
Com o coração retumbando, Heath agachou, fechando defensivamente suas mãos sangrando em punhos, mas o ataque não veio.
O que veio em vez disso foi a revelação, sob a forma de sussurrantes pensamentos que pareciam penetrar das sombras acima e afundar com o cheiro de sangue em suas veias.
— Ela ficaria aqui com você, para sempre, mas ela deve estar inteira.
Heath piscou surpreso. — Huh? Quem está aí?
— Use sua mente, insignificante mortal!
— Sim, está bem — disse Heath, olhando para as sombras que pairavam. Era Kalona? Ele não poderia obter um bom olhar da coisa.
— Você deve fazer ela juntar as partes de sua alma , então ela será capaz de descansar aqui, no bosque sagrado, com você.
— Eu entendo. Eu só não entendo como conseguir que ela faça isso. Se isso faz sentido.
— A resposta está no seu vínculo com ela.
— Meu vínculo com ela, mas eu não sei... — e, em seguida, Heath percebeu que sabia como usar seu vínculo. Tudo que ele tinha que fazer era forçar Zo a ouvi-lo, e ele sempre foi capaz de fazer isso, mesmo quando ele estava agindo como um idiota bebendo e bagunçando na escola, e ela tentou terminar com ele. Ele sempre foi capaz de reconciliá-los, de mantê-los juntos.
Então Heath sorriu. Era isso! Escuridão Alada esquecida, ele apressou-se atrás de Zoey e a luz da Deusa, sem restrições, brilhava no bosque outra vez. Seu vínculo era a chave. Assim era que eles, juntos, sempre trabalharam, não importava o que estivesse acontecendo em suas vidas. O vínculo ainda estava lá, também. Isso tinha trazido Zo até ele, mesmo após sua morte. Era isso que ele usaria. Depois que Zo conseguisse, eles poderiam ficar juntos, e isso era legal com ele estando aqui e tudo mais, ela ia fazer-se inteira. E então tudo aquilo em que eles encontrassem dificuldades, eles enfrentariam juntos, para sempre. Inferno, isto não devia ser tão difícil. Sua Zo chutou seriamente alguns traseiros.
Com uma nova determinação, Heath correu atrás de Zoey, quando um sussurro — Heath! — o trouxe de volta.
— Que diabos?
— Volte aqui!
Heath virou, para onde o fio de ouro tinha rasgado nos galhos de um espinheiro-alvar e piscou totalmente surpreso quando um cara pisou atrás da árvore.
— Stark? O que...
— Ssh! Não deixe Zoey saber que eu estou aqui.
Heath andou até a árvore. — Que diabos você está fazendo aqui? — Mas ele não deu a Stark chance de responder. — Ah, maldição! Você está morto, também? Zo nunca vai ser capaz de lidar com isso!
— Mantenha sua maldita voz baixa. Não, eu não estou morto. Estou aqui para proteger Zoey para que ela possa voltar ao seu corpo, onde ela pertence. — Stark fez uma pausa e depois acrescentou: — Você sabe que você está morto, certo?
— Cara, sem merda? Eu estou morto? — Heath disse sarcasticamente. — Ainda bem que você esta aqui para me esclarecer. Não sei o que diabos eu faria sem você.
— Bem, que tal isso: você sabe que a alma da Zoey está despedaçada?
Antes que Heath pudesse dizer alguma coisa, ambos os rapazes viram Zoey, e Stark saltou para trás da árvore, agachado em sua sombra. Heath apressou-se para interceptá-la, bloqueando sua visão de Stark.
— Você não veio atrás de mim. Você sempre vem depois de mim. — Seu corpo balançava para frente e para trás enquanto ela tentava ficar no lugar.
— Eu estou chegando, Zo. Você sabe que eu nunca vou te deixar. É só que você está mais rápida do que eu agora.
— Então você não está me deixando?
Heath tocou seu rosto, odiando que ela parecesse tão fraca e insegura, e totalmente contrária ao que a Zoey era. — Não. Eu não vou deixar você. Vá em frente. Vou te alcançar. — Quando ela hesitou, e era óbvio que ela ia começar a estimular o círculo frenético em torno dele novamente, o que a levaria muito perto de maldito lugar onde Stark estava se escondendo, ele acrescentou: — Ei, talvez isto faça você se sentir melhor para se mover mais rápido. Por que você não tipo corre, ou flutua, ou o que quer que seja que você possa fazer durante algum tempo, e depois volta aqui. Se estiver tudo bem com você, eu vou ficar aqui por um segundo. Preciso descansar um pouco.
— Desculpe... desculpe... Esqueci que você precisa descansar... esqueci...
Ela começou a flutuar, e Heath falou atrás dela, — Não vá muito longe, entretanto! E não se esqueça de voltar aqui.
— Eu não vou esquecer... Não posso esquecer você — disse ela. Sem olhar para ele, ela desapareceu nas sombras.
Stark se afastou da árvore. Sua voz era áspera com o choque: — Ah, merda! Ela está pior do que eu pensava.
Heath assentiu com seriedade. — É. Eu sei. A coisa da alma despedaçada a confundiu totalmente. Ela não pode descansar então ela não pode pensar, isso a está fazendo algo, algo realmente muito ruim.
Ainda olhando para Zoey, Stark disse: — O Alto Conselho afirmou que isso aconteceria. Ela está se transformando em um “Caoinic Shi”. Ela não está morta e nem viva, e ela está aqui no reino dos espíritos, sem sua própria alma. Isto faz ela ficar assim, e vai piorar. Ela nunca vai ser capaz de repousar, nunca.
— Então nós temos que levá-la a se recompor. Eu acho que eu poderia ser capaz de fazer isso, também. E, cara, eu não estou tentando ser um idiota, mas isso não é algo que você possa ajudar. Se você quiser me dar uma mão, vá lá e chute a bunda da merda assustadora que está nos mantendo presos aqui. Você pode lidar com isso. Eu vou lidar com Zo.
Heath começou a afastar-se, e seguir Zoey, mas as palavras de Stark o pararam. — Sim, você pode ajudá-la a juntar toda sua alma de novo, dizendo a ela que você vai ficar aqui com ela, mas se você fizer isso, vai foder tudo que Zoey ama no mundo real.
Heath voltou-se para enfrentar Stark. — Não é legal você dizer essas merdas. Basta deixá-la ir, cara. Eu sei que você a ama e tudo mais, mas sério, você só a conhece um pouco. Eu estive com ela há anos. Eu entendo que você vai sentir falta dela, mas ela vai estar bem aqui comigo, ela estará feliz.
— Não é sobre o amor. É sobre fazer a coisa certa. Eu te dou a minha palavra como um Guardião que eu estou te dizendo a verdade. Se Zoey não retornar ao seu corpo, o mundo que ela conheceu, que você conheceu, serão destruídos.
— O que é esta coisa de Guardião?
Stark atraiu uma respiração profunda. — É sobre a honra.
Algo sobre a voz de Stark fez Heath olhá-lo com novos olhos. O cara tinha mudado. Ele parecia mais alto de alguma forma, mais velho, e não o seu normal, convencido. Ele parecia triste. Muito triste.
— Você está me dizendo a verdade.
Stark assentiu. — Aphrodite teve uma visão. O que ela viu foi que você ajudava Zoey a juntar os pedaços de sua alma. Você fazia isso com a promessa de que ficaria aqui com ela. Então, ela não se transformava em um “Caoinic Shi”. Ela voltava a ser ela novamente. E ela ficava aqui com você, para sempre. Mas sem Zoey, não há ninguém para parar Neferet e Kalona.
— E eles acabam com o mundo — Heath acabou para ele.
— E eles acabam com o mundo — Stark concordou.
Os olhos de Heath encararam os de Stark. — Eu tenho que deixar Zoey ir.
— Eu não vou deixá-la ficar sozinha — Stark disse a ele. — Eu sou o seu Guerreiro, o seu Guardião. Eu te dou meu juramento de que eu me certificarei que ela esteja sempre protegida.
Heath assentiu com a cabeça, desviando o olhar de Stark, tentando lidar com suas emoções. Ele quis correr para encontrar Zo e ter a certeza de que ela ficaria com ele, aqui ou em qualquer lugar, sempre. Mas quando o seu olhar voltou a Stark, ele sabia a verdade absoluta: Zoey odiaria se seus amigos fossem destruídos. Ela odiaria isto mais do que ela o amava, mais do que ela amava qualquer um. Então, se realmente a amava, Heath teria que deixá-la.
Mesmo ele sentindo que ia vomitar, Heath estava satisfeito e sua voz soou calma e normal. — Como você vai levá-la a se recompor depois que eu for?
— Você não consegue dizer a ela que você ficará, ajudá-la a se recompor, e depois ir?
Heath suspirou, — Cara, eu não vou ser muito duro com você, porque você não estando morto e tudo está totalmente fazendo de você um imbecil sobre essas coisas do espírito, mas não há maneira nenhuma que eu possa ajudar Zo a juntar os pedaços de sua alma dizendo uma mentira. Quero dizer, vamos lá, isto não faz muito sentido.
— Sim, ok. Eu acho que você está certo. — Stark passou a mão pelos cabelos. — Então eu não sei como eu vou fazer isso, mas eu vou. Tenho que fazer. Se você é homem o suficiente para deixá-la, eu sou homem o suficiente para descobrir como salvá-la.
— Bem, ponha isto em mente, Zo não gosta de algum cara salvando-a. Ela gosta de cuidar de si mesma. A maior parte das vezes, você só tem que recuar e deixá-la fazer suas coisas.
Stark assentiu solenemente. — Vou me lembrar disso.
— Ok. Então. Vamos atrás dela.
Os dois rapazes começaram a caminhar em direção à parte do bosque onde eles tinham visto um vislumbre de Zoey passando.
— Eu vou ficar aqui enquanto você diz adeus. Eu não vou deixar ela me ver até que você tenha ido — disse Stark.
Heath não podia confiar em sua voz, então ele apenas balançou a cabeça.
— Conte-me sobre esta outra coisa que você disse, a merda assustadora que interceptou vocês aqui.
Heath limpou a garganta e disse: — No começo eu pensei que era Kalona, mas hoje aconteceu algo estranho que me fez pensar que provavelmente não seja ele. Quer dizer, era como se aquela coisa lá fora estivesse me ajudando a descobrir como salvar Zoey .
— Mas para ficar aqui, certo?
— Sim, certo. Isso foi meio que o ponto de toda a ideia.
— Então Kalona disse-lhe como se certificar de que Zoey nunca deixe o Outromundo, nunca volte ao seu corpo — disse Stark. — Isto é exatamente o que ele devia fazer.
— E ele quase fez isso hoje me usando. Tomando no cú. Como se isso não fosse mau o suficiente ele me matou! — Heath olhou Stark. — Então é realmente por isso que você está aqui? Quer dizer, eu sei que você tinha que me dizer que eu tenho que continuar, mas basicamente você está aqui para chutar a bunda de Kalona para que Zoey realmente possa fazer isso e voltar para casa com você.
— Sim, isto está ficando mais e mais parecido com o que eu vim fazer aqui.
Heath suspirou. — Boa sorte em detonar um imortal, cara.
— Eu estive pensando sobre isso, e tudo que eu tenho que fazer é mantê-lo longe de Z tempo suficiente para ela se refazer novamente. Então, ela pode sair daqui de volta a seu corpo, onde Kalona não pode prejudicá-la ou, pelo menos agora ele não pode.
— Não. Desculpe bagunçar o seu plano, mas se fosse esse o negócio, Zo não precisaria de você para protegê-la.
Stark deu-lhe um olhar de interrogação.
— É como se Zo estivesse segura neste bosque. — Heath apontou para o bosque ao redor deles. — Merda ruim não pode entrar aqui. Há algo especial sobre este lugar. É como se alguma mágica debaixo da terra visse até aqui o bosque. É uma versão de Super Terra, um lugar de paz total. Você não consegue sentir isso?
— Sim, Super Terra é uma boa maneira de colocar isso — disse Stark. — E eu sinto a parte da paz, também. Eu senti desde o início. É por isso que eu sabia que ela estaria aqui com você.
— Sim, ela estaria. É por isso que ela precisa de você. Porque, enquanto ela permanecer segura aqui, ela não vai voltar ao mundo real. Então, novamente, eu digo boa sorte em protegê-la contra Kalona. O idiota me matou. Espero que você faça melhor do que eu. E se você fizer, chute a bunda dele por mim e por Zo, também.
— Eu farei. Ei, Heath, eu quero que você saiba de uma coisa — disse Stark. — Eu não seria corajoso o suficiente para fazer o que você está fazendo. Eu não seria capaz de deixá-la.
Heath olhou para ele e deu de ombros. — Sim, bem, eu a amo mais do que você.
— Você está fazendo a coisa certa, porém. A coisa honrada — disse Stark.
— Você sabe que onde eu estou agora, honra não significa merda nenhuma. O amor é o que trabalha para mim e Zo. Sempre foi. E sempre será.
Eles caminharam em silêncio, ambos perdidos em seus próprios pensamentos, e enquanto eles seguiram Zoey, as palavras de Heath se repetiram na cabeça de Stark, mais e mais, “O amor é o que trabalha para mim e Zo. Sempre foi. E sempre será”, até com golpe de surpresa, ele entendeu, ele realmente entendeu. Isto não fez o que ele estava prestes a fazer mais fácil, mas o tornou suportável.
Eles a encontraram em uma pequena clareira no fundo do bosque. Ela estava andando em círculos ao redor de uma alta sempre-viva que parecia magnífica, mas estranhamente fora de lugar entre as sorveiras, os espinheiros e o musgo. O cheiro da árvore enchia a região. Eles moveram-se furtivamente para dentro, tomando cuidado para manter arbustos entre eles e a linha de visão de Zoey. Quando Stark acenou e fez sinal para um aglomerado de pedras cobertas de musgo do tamanho de um homem que estava perto o suficiente de Zoey, mas ainda escondido, Heath parou lá com ele e respirou fundo, testando o ar.
— Isso é estranho. — Heath manteve sua voz baixa, para que ela não pudesse ouvi-lo. — Gostaria de saber o que uma árvore de cedro está fazendo aqui fora.
— Cedro? É isso o que aquilo é? — Disse Stark.
— É. Há uma enorme entre a casa velha de Zo e a minha que parece quase exatamente assim, o cheiro é totalmente parecido, também.
— É o que avó da Zoey disse para queimar perto de mim enquanto eu estiver aqui, no Outromundo. Aphrodite trouxe um grande saco cheio dele. Acenderam-no pouco antes de eu deixar o meu corpo. — Ele olhou para Heath. —A árvore é um bom sinal. Significa que estamos no caminho certo.
Heath encarou os olhos de Stark por um longo tempo antes de dizer, — eu espero que seja um bom sinal, mas você tem que saber que isso não torna nada disso mais fácil para mim.
— Sim, eu entendo.
— Você entende? Porque eu estou me preparando para deixar a única menina que eu sempre amei para você para sempre, embora eu saiba que ela precisa de mim, muito.
— O que você quer que eu diga a você, Heath? Que eu desejo que não tenha que ser dessa maneira? Eu desejo. Que eu queria que você não estivesse morto e alma da Zoey não tivesse sido quebrada, e a pior coisa que eu tenha que me preocupar era com ter ciúmes de você e daquele idiota, Erik? Eu queria.
— Você não precisa ter ciúmes de Erik. Zo nunca estará por muito tempo com qualquer cara que é uma merda possessiva. Não deixe que esse tipo de garoto estresse você.
— Se eu levá-la de volta, inteira e em seu corpo, eu não vou nunca mais deixar qualquer outro cara me estressar novamente — disse Stark.
— Quando — disse ele solenemente. Stark franziu a testa. Heath suspirou e explicou. — Quando você levá-la de volta, não se. Eu não vou deixá-la se você não puder ter certeza sobre o que você está fazendo.
Stark assentiu. — Ok, você está certo. Quando eu levá-la de volta. Tenho certeza de que estou fazendo a coisa certa, estamos fazendo a coisa certa. Isto é só o que eu sei e não importa o que, isso vai acabar machucando Zoey.
— Sim, eu sei. — O queixo de Heath apontou na direção de Zoey. — Mas nada é tão ruim quanto o que está acontecendo com ela agora. — Heath inclinou a cabeça por um momento e, em seguida, bateu em cada um de seus ombros, como se estivesse batendo contra as almofadas do ombro de seu uniforme de futebol. Sacudiu-se, soltou uma longa respiração, em seguida, ergueu a cabeça para encontrar os olhos Stark uma última vez. — Certifique-se de que ela saiba que eu não quero que ela esteja toda chorosa cheia de catarro e nervosa por mim. Lembre a ela por mim que ela fica seriamente feia quando ela fica assim.
— Eu lembrarei.
— Oh, falando nisso, é melhor você se acostumar a carregar alguns lenços de papel em seu bolso, porque eu não estou exagerando nem um pouco. Zo chorando cheia de catarro é desagradável.
— Ok, sim, eu vou fazer isto.
Heath estendeu a mão para Stark. — Cuide dela para mim.
Stark agarrou seu braço. — De Guerreiro para Guerreiro, eu te dou meu juramento sobre isso.
— Bom, porque eu vou prendê-lo ao seu juramento na próxima vez que eu te ver.
Heath deixou cair o braço de Stark, chamou outra respiração profunda, e se afastou da onde estava se escondendo. Ele tentou não pensar no que ia acontecer.
Em vez disso, ele olhou para Zoey e viu além da coisa parecida com uma sombra que ela estava se tornando, e pensou sobre a garota que ele amava desde que ele era uma criança. Ele podia ver a franja desigual que ela tinha cortado ela mesma na quarta série. Ele sorriu, pensando em seu tempo de moleque no ensino médio, quando ela tinha machucado os joelhos e ficado cicatrizando por meses e meses. Depois houve o verão antes de seu primeiro ano, quando ele tinha ido de férias com sua família durante um mês e deixou-a desengonçada e desajeitada, mas voltaram para descobrir que ela tinha se transformado em uma jovem deusa. Sua jovem deusa.
— Ei, Zo — ele disse enquanto ele entrou e caiu em sintonia com seu inquieto ritmo circular.
— Heath! Eu estava exatamente me perguntando onde você estava. Eu, uh, parei aqui para que você pudesse me acompanhar. Eu senti sua falta.
— Você é rápida, Zo. Eu alcancei você logo que pude. — Ele a envolveu em seus braços. Sua pele estava assustadoramente fria. — Como você está se sentindo, baby?
— Eu não sei. Eu me sinto meio estranha. Tonta, mas pesada também. Você sabe o que há de errado comigo, Heath?
— É, baby, eu sei. — Ele parou de andar, mas manteve o braço dela ligado com o seu, de modo que ela foi forçada a parar também. — Sua alma se despedaçou, Zo. Estamos no Outromundo, lembra?
Seus grandes olhos escuros encararam ele, e por um instante, ela quase se pareceu como ela era antes. — Sim, eu me lembro agora, e eu estou te dizendo, é um grande monte de porcaria!
Lágrimas se formaram na visão dele, mas ele piscou duro, e sorriu. — Inferno está certo, mas eu sei como consertar as coisas.
— Você sabe? Isso é ótimo, mas, uh, você pode consertar as coisas enquanto eu ando, porque esta coisa de ficar parada simplesmente não está funcionando para mim.
Em vez de deixá-la ir, Heath colocou as mãos firmemente sobre os ombros e a forçou a ficar ali e olhar em seus olhos.
— Você tem que juntar os pedaços da sua alma e depois voltar ao seu corpo lá no mundo real. Você tem que fazer isso por seus amigos, por Stark, por sua avó. Zo, você tem mesmo que fazer isso, por mim.
Zoey contraiu seu corpo, mas ele podia ver que ela estava fazendo um grande esforço para manter-se imóvel.
— Não sem você, Heath. Eu não quero voltar para o mundo real sem você.
— Eu sei, querida — ele disse baixinho. — Mas às vezes você tem que fazer coisas que você não quer fazer. Como eu agora, eu não quero deixá-la, mas está hora de eu seguir em frente.
Seus olhos se arregalaram, e suas mãos subiram para cobrir as suas agarrando-lhe os ombros. — Você não pode me deixar, Heath! Eu vou morrer se você me deixar.
— Não, querida. Você vai fazer o oposto. Você vai se sair bem, e você vai viver.
— Não, não, não! Você não pode me deixar. — Zoey começou a chorar. —Eu não posso ficar aqui sem você!
— Isso é o que eu estou tentando fazer você ver, Zo. Se eu não estiver aqui, você vai voltar para onde você pertence e parar de ser essa coisa-fantasma patética em que você está se transformando.
— Ok, não. Não. Eu vou me recompor. Apenas fique aqui. Fique comigo. Vai ser bom, você vai ver. Eu prometo, Heath.
Ele sabia que ela diria algo como isso, então ele estava pronto e com uma resposta, mas esta não partiria menos seu coração.
— Não é apenas sobre você, Zo. É também sobre o que é certo para mim. É hora de me mudar para outro reino.
— O que você quer dizer? Heath, eu não entendo — ela soluçou.
— Eu sei que não, baby. Eu realmente não entendo, mas eu posso sentir isso — ele disse a verdade. Enquanto ele falava, as palavras certas vieram a ele, e enquanto elas vinham, uma paz encheu Heath, acalmando o seu sofrimento e fazendo-o reconhecer que além de tudo, ele realmente estava fazendo a coisa certa. — Eu morri muito cedo. Eu quero minha vida, Zo. Eu quero a minha chance.
— Eu estou arrependida, Heath. A culpa é minha, e eu não posso dar a sua vida de volta para você.
— Ninguém pode Zo. Mas eu posso ter outra chance na vida. Não se eu ficar aqui com você, no entanto. Se eu ficar aqui, eu nunca terei a chance de viver, e nem você.
Zoey parou de soluçar, mas as lágrimas ainda escapavam de seus olhos, inundando suas bochechas e escorrendo por seu rosto como se estivesse do lado de fora durante um dia de verão chuvoso.
— Eu não posso. Eu não posso continuar sem você.
Heath a sacudiu suavemente e forçou um sorriso. — Sim, você pode. Se eu puder fazer isso, você também pode. Porque você sabe que você é mais inteligente e mais forte do que eu, Zo. Você sempre foi.
— Não, Heath — Zoey sussurrou.
— Eu quero que você se lembre de algo, Zo. É importante, e isto vai fazer mais sentido quando você estiver inteira novamente. Eu vou sair daqui e vou ter outra chance na vida. Você vai ser grande, uma famosa vamp Alta Sacerdotisa. Isso significa que você vai viver tipo um zilhão de anos. Eu vou te encontrar novamente. Mesmo que demore uma centena desses anos. Eu prometo a você, Zoey Redbird, nós estaremos juntos novamente. — Heath a puxou em seus braços e beijou-a, tentando através do tato mostrar a ela que seu amor era interminável. Quando ele finalmente se forçou a deixa-la ir, ele pensou que viu entendimento no assombrado e chocado olhar dela. — Eu vou te amar para sempre, Zo.
Em seguida, virou-se e Heath andou para longe de seu verdadeiro amor. O ar diante dele se abriu, parecendo uma cortina, e ele saiu de um reino para o outro e desapareceu completamente.
Totalmente quebrada, Zoey cambaleou para trás da árvore de cedro. Silenciosa como um cadáver, com lágrimas escapando constantemente do seu rosto, ela retomou seu ritmo circular.

9 comentários:

  1. Oh Heath T.T Não pode ser. Chorando rios aqui, sdds Heath sdds :/

    ResponderExcluir
  2. Sabe o teto?
    ....
    To no chão.

    ResponderExcluir
  3. Sabe a morte ?
    Eu morri.

    Hum... Cara eu acho q Zoe vai casar vai criar ima familia e Heath vai ser tipo o filho dela .
    So acho ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Matar um personagem? Ta ok isso acontece. Fazer o casal se reencontrar em outro mundo para depois se separarem com a promessa que um verá o outro em outra vida? Isso é pedir pra chorar.

      Excluir
  4. Eu acho que ele vai reencarnar para ajudar a zo na sua missão tipo ele tem que.

    ResponderExcluir
  5. Heath se foi,,, chorando rios aqui!!

    ResponderExcluir
  6. eu acho que morri e to c=no outromundo T_T

    ResponderExcluir
  7. Meu Deus, nunca chorei tanto. Que lindo!!! Que triste.

    ResponderExcluir
  8. afss to com muita raivaaaaaaaaaaaaaa pq o Heath morreu não tem mais graça ,pq o amor deles era realmente único e verdadeiro.Pra mim acabou ...

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!