7 de outubro de 2015

Capítulo 26 - Neferet

Seu corpo doía, mas Neferet não se importava. A verdade era que ela gostava da dor. Ela respirou fundo, automaticamente, puxando-lhe os restos do poder do touro branco que deslizou na sombra se formando no crepúsculo da madrugada. A Escuridão reforçou ela. Neferet ignorou o sangue que cobria sua pele. Ela se levantou.
O touro tinha a deixado na varanda de sua suíte. Kalona não estava dentro. Mas isso pouco importava para ela. Ela não o queria mais, porque depois de hoje ela não precisava mais dele.
Neferet encarou o norte, a direção aliada ao elemento terra. Ela levantou os braços e começou a tecer os dedos no ar, alisando os invisíveis, poderosos fios antigos de magia e Escuridão. Então, em uma voz desprovida de emoção, Neferet falou o encantamento como o touro havia instruído.

A partir de terra e sangue que você nasceu
Um pacto com a Escuridão eu jurei
Cheio de poder você ouvirá somente a voz da minha
Sua vida é minha, você não tem escolha
Complete a promessa do touro esta noite
E sempre, sempre se deleite com a sua terrível Negra luz!

A Tsi Sgili arremessou a infernal Escuridão que invadiu suas mãos para baixo diante dela. Ele acertou o chão de pedra da varanda e surgiu subindo como uma coluna, girando, contorcendo-se, mudando...
Neferet observava, hipnotizada, como o recipiente tomou forma, o seu corpo formado a partir do pilar brilhante que a fazia lembrar muito do casaco cor de pérola do touro branco. Finalmente, estava lá – ele parou diante dela. Neferet balançou a cabeça em admiração.
Ele era lindo, um macho absolutamente lindo e jovem. Alto e forte, e perfeitamente formado. A pessoa média não veria nenhum indício de Escuridão nele. A pele que cobria seus músculos poderosos era lisa e sem mácula. Seus cabelos eram longos e grossos e loiros de trigo verão. Seus traços eram perfeitos – ele era impecável em sua fachada.
— Ajoelhe-se para mim, e eu vos darei o seu nome.
O recipiente obedeceu instantaneamente, deixando cair e ficar em um joelho diante dela. Neferet sorriu e colocou a mão manchada de sangue na parte superior de sua cabeça loura de seda.
— Eu vos chamo Aurox, depois do antigo touro.
— Sim, senhora. Sou Aurox — disse o recipiente.
Neferet começou a rir e rir e rir, sem se importar que a histeria e a loucura tingissem sua voz, não se importando que ela deixou Aurox ajoelhado no terraço de pedra aguardam seu comando seguinte, e não se importando que, enquanto ela se afastou enquanto o recipiente a olhava com olhos cintilantes e brilhavam com uma luz, antiga e especiais, como pedras semi-preciosas iluminadas dentro dele...


Zoey

— Sim, eu sei que Nyx o perdoou e o transformou em uma criança. De certa forma, porque eu não conheço você, mas eu não conheço nenhum outro garoto que se transforma em um pássaro durante o dia. — Stark soou supercansado, mas não supercansado o suficiente para parar de se preocupar.
— Essa é a consequência por todas as coisas ruins que ele fez — disse a Stark, enroscando-se contra ele e tentando ignorar o pôster da Jessica Alba na parede. Stark e eu tínhamos assumido o quarto de Dallas nos túneis sob o depósito. Eu tinha feito uma limpeza rápida, e todos tinham feito um monte de limpeza à moda antiga. Nós ainda tínhamos muito caminho a percorrer, mas pelo menos era um lugar habitável e uma Zona Livre de Neferet.
— Certo, mas ainda é estranho que até um pouco atrás, ele era o filho favorito Kalona, e um Corvo Escarnecedor — Stark continuou.
— Ei, eu não estou discordando com você. É estranho para mim também, mas eu confio em Stevie Rae e ela o ama. — Eu levantei o meu rosto, fazendo Stark sorrir.
— Mesmo antes de ele se livrar do bico e das penas. Jeesh, eew. Eu tenho que ter toda a história dela. — Fiz uma pausa, pensando. — Eu me pergunto o que está acontecendo agora entre eles.
— Não muito. O sol acabou de vir à tona. Ele é um pássaro. Ei, Stevie Rae disse que ela estava indo para colocá-lo em uma gaiola, ou o quê?
Eu o bati. — Ela não disse nada disso e você sabe disso!
— Faz sentido para mim. — Stark bocejou enormemente. — Mas o que ela fizer, você vai ter que esperar até o pôr do sol para ouvir sobre isso.
— Passou a hora de dormir, menino? — Eu perguntei, sorrindo para ele.
— Menino? Você está desrespeitando-me, menina?
— Desrespeitando? — Eu ri. — Sim, claro. Heehees!
— Vem cá, mulher! — ele disse com um sotaque escocês
Stark começou a me fazer cócegas como um louco e eu tentei revidar, puxando os cabelos em seus braços. Ele gritou (como uma menina) e depois a coisa toda se transformou em uma luta que eu, de alguma forma, acabei sendo presa.
— Você se rende? — Stark me perguntou. Com uma mão ele tinha os meus pulsos e estava segurando meus braços sobre minha cabeça, fazendo cócegas no meu ouvido com sua respiração ofegante.
— De jeito nenhum; você não manda em mim — Lutei (inutilmente). Ok, eu admito que não lutava muito bem. Quero dizer, ele estava pressionado contra mim e totalmente não me machucando – como Stark nunca iria me machucar – e ele estava superquente, e eu o amava. — Na verdade, eu vou facilitar para você. Tudo o que tenho a fazer é chamar meu mega poder dos elementos e seu bumbum bonito vai ser expulso.
— Huh, bonito? Você acha que minha bunda é bonita?
— Talvez — disse a ele, tentando não sorrir. — Mas isso não significa que eu não vou chamar os elementos para chutá-la.
— Bem, então é melhor manter a boca ocupada, para que você não possa fazer isso — disse ele.
Quando ele começou a me beijar eu pensei sobre como uma coisa estranha e maravilhosa era que algo tão simples, apenas um beijo, me fazia sentir tantas coisas. Seus lábios contra os meus eram macios, e com um contraste surpreendente com seu corpo rígido. Como ele continuou a me beijar eu parei de pensar em como era maravilhoso porque ele me fez parar de pensar. Tudo que fiz foi sentir: o seu corpo, meu corpo, o nosso prazer.
Então, eu realmente não tinha pensado sobre o fato de que ele ainda estava segurando meus braços por meus pulsos, presos na minha cabeça. Eu não pensei sobre isso quando a mão livre deslizou até a camiseta Extra-Grande do Superman que eu estava usando como pijama. Eu ainda não pensei sobre isso quando sua mão se moveu sob minha camisa para cima da minha calcinha. Eu só comecei a pensar sobre isso quando o beijo dele mudou. Passou de suave e a muito profundo. Muito profundo. Era como se ele de repente se tornasse faminto, e eu era a refeição que terminaria a sua fome.
Eu tentei puxar meus pulsos de sua mão, mas o seu aperto era sólido.
Virei a cabeça e os lábios a minha boca deixou de fazer uma trilha quente no meu pescoço. Eu estava tentando colocar minha cabeça em conjunto – a tentar descobrir o que estava me incomodando muito – quando ele me mordeu. Forte.
A mordida não era como antes, como a nossa primeira vez em Skye. Em seguida, ele tinha sido algo que nós tínhamos compartilhado. Algo que tanto queria. Desta vez ele era áspero e possessivo e que definitivamente não era algo que estavam compartilhando. — Ai! — Eu puxei meus pulsos e conseguiu quebrar uma mão livre de seu aperto. Com ele me empurrou em seu ombro. — Stark, está me machucando.
Ele gemia e empurrou seu corpo contra mim, como se eu não tivesse falado ou empurrado ele.
Senti seus dentes contra a minha pele novamente e desta vez eu gritei e, com minhas emoções, assim como meu corpo, eu empurrei ele mais forte – canalizando muito. — Sério! Você está me machucando!
Ele ergueu-se nos cotovelos e seu olhar encontrou o meu. Por um instante, que durou menos de um segundo, vi algo dentro de seus olhos que fez estremecer a minha alma. Encolhi-me de volta, Stark piscou e olhou para mim com uma interrogação que se transformou em total estado de choque. Imediatamente ele soltou meu pulso.
— Merda! Sinto muito, Zoey. Jesus, me desculpe! Você está ferida?
Ele foi acariciando meu corpo um pouco para baixo freneticamente e eu dei um tapa para por suas mãos longe, franzindo a testa para ele. — O que quer dizer, eu estou machucada? O que o infernos está errado com você? Isso era muito difícil.
Stark passou a mão pelo rosto. — Eu não sabia – eu não sei porque — Ele parou, respirou fundo e começou novamente. — Sinto muito. Eu não sabia que estava machucando.
— Você me mordeu.
Ele esfregou o rosto novamente. — Sim, parecia uma boa ideia na hora.
— Doeu. — Esfreguei meu pescoço.
— Deixe-me ver.
Mudei minha mão e ele estudou o meu pescoço. — Está um pouco vermelho, isso é tudo. — Ele se inclinou e beijou o local dolorido, delicadamente, e então disse: — Ei, eu realmente não acho que que mordi você tão forte. Sério, Z.
— Falando sério, Stark, você mordeu. E você não liberou meus pulsos quando eu disse para você soltar.
Stark soltou um longo suspiro. — Ok, bem, eu vou ter certeza de que não volte a acontecer. É só o que eu te quero tanto, e você me liga muito –
Ele parou e eu terminei a frase, — que você não pode controlar a si mesmo? Mas que diabos?
— Não! Não, não é isso. Zoey, você não pode pensar que é isso. Eu sou o seu Guerreiro, o Guardião é o meu trabalho para protegê-la de alguém que possa prejudicá-la.
— Isso inclui a si mesmo? — Eu perguntei. Seu olhar encontrou o meu fixamente. Nos seus olhos eu vi a confusão familiar, tristeza e amor muito amor.
— Isso inclui a mim mesmo. Você realmente acha que eu realmente a machucaria?
Eu suspirei. Por que diabos eu estava fazendo um negócio tão grande sobre isso? Então, ele se deixou levar, agarrou meus pulsos, me mordeu, e não saltou no segundo que eu lhe disse para fazê-lo. Ele era um cara. Como era aquele velho ditado? Se ele tiver pneus ou testículos, que vai te dar problemas.
— Zoey, realmente, eu nunca deixaria você se machucar. Eu te dei meu voto, mais eu te amo e –
— Ok, sssh. — Insisti meu dedo contra seus lábios, fechando-o. — Não, eu não acho que você ia deixar que nada me machucasse. Você está cansado. O sol está lá fora. Nós tivemos um dia louco. Vamos apenas dormir e fazer um acordo de nada de mordidas.
— Isso soa bem para mim. — Stark abriu os braços. — Será que você vem aqui?
Eu concordei e eu fui como um macaco-aranha nele. Seu toque foi normal: forte e seguro, mas muito, muito delicado.
— Eu tenho tido problemas para dormir — disse ele, hesitante, depois que ele beijou o topo da minha cabeça.
— Eu sei que você tem – Eu tenho dormido com você. Tem sido um bocado óbvio. — Eu beijei seu ombro.
— Não vai me perguntar se eu quero ir para a terapia com o Dragon Lankford desta vez?
— Ele ficou. Ele não deixou a House of Night com a gente — disse eu.
— Nenhum dos professores fez. Lenobia ficou, e você sabe que ela é cem por cento por nós.
— Sim, mas ela não pode deixar os cavalos, e não há nenhuma maneira que nós podemos fazê-los aqui — eu disse. — De qualquer forma, o Dragon é diferente. Ele parece diferente para mim. Ele não perdoou Rephaim, mesmo depois de Nyx, basicamente, dizer que ele deveria.
Eu podia sentir Stark balançando. — Isso foi ruim. Mas, você sabe, eu não perdoaria alguém que te matasse, também.
— Seria como eu perdoar Kalona por Heath — eu disse calmamente.
Os braços de Stark me seguraram mais. — Você poderia fazer isso?
— Eu não sei. Eu honestamente não sei — eu hesitei, minhas palavras tropeçando.
Ele me cutucou. — Vá em frente. Você pode me dizer.
Eu enrosquei meus dedos nos dele e disse: — No Outromundo, quando você estava, uh, morto — eu mal podia falar as palavras e apressei — Nyx estava lá.
— Sim, você me disse isso. Ela fez Kalona pagar sua dívida perpétua por matar Heath, e trazer-me vivo.
— Bem, o que eu não lhe disse foi que Kalona ficou super emocional na frente de Nyx. Ele perguntou se ela nunca iria perdoá-lo.
— O que a Deusa disse?
— Ela disse para perguntar novamente se ele alguma vez foi digno de seu perdão. Na verdade, Nyx soou um pouco como ela fez esta noite, quando ela estava conversando com Neferet.
Stark bufou. — Não é um bom sinal para Neferet ou Kalona.
— Sim, sem brincadeira. Enfim, meu ponto é, bem, não que eu esteja fingindo ser uma deusa ou algo assim, mas a minha resposta sobre o perdão Kalona é muito parecida com a de Nyx para ele e Neferet. Eu acho que o perdão real é um dom que alguém tem de ganhar, e eu nem sequer precisa se preocupar com Kalona pedindo o meu perdão a menos que ele seja digno de sequer considerar essa possibilidade, e eu não vejo isso acontecendo.
— Ele colocou Rephaim em liberdade esta noite, embora. — Eu podia ouvir as emoções conflitantes em sua voz. Eu entendia. Eu tinha elas, também.
— Eu estive pensando sobre isso, e tudo que eu posso deduzir é que, de alguma forma Rephaim livre iria beneficiar Kalona — eu disse.
— Isso significa que precisamos manter um olho em Rephaim — disse Stark. — Você vai falar a Stevie Rae?
— Sim, mas ela o ama — eu disse.
Ele balançou a cabeça novamente. — E quando você ama alguém, você nem sempre o vê de forma realista.
Recuei apenas o suficiente para lhe olhar. — Você está dizendo a partir da sua experiência?
— Não, não, não — disse ele rapidamente, dando-me o seu cansado, mas arrogante sorriso. — Não é a experiência, é apenas observação. — Stark me puxou gentilmente e eu me enrolei contra ele novamente. — É hora de dormir agora. Deite sua cabeça, e me deixe descansar.
— Ok, sério, você soa horripilantemente como Seoras. — Olhei para Stark e balancei a cabeça. — Se começar a crescer um cavanhaque em você e tingir sua barba de branca como a dele eu vou demiti-lo.
Stark esfregou o queixo com uma mão como se estivesse pensando no assunto. — Você não pode me demitir. Eu eu jurei pela vida.
— Eu vou parar de beijar você.
— Sem barba para mim, garota. — Ele sorriu.
Eu sorri para ele, pensando em como eu estava feliz por ele “jurar por toda a vida”, e quanto eu esperava que ele tivesse o seu “trabalho” por muito, muito tempo.
— Ei, que tal isso: Você adormece primeiro, e eu vou ficar acordado por um tempo — eu pus a mão em seu rosto. — Hoje eu vou guardar o Guardião.
— Obrigado — disse ele, meio grave mais do que eu esperava. — Eu te amo, Zoey Redbird.
— Eu também te amo, James Stark.
Stark virou a cabeça e beijou o interior da palma da minha mão e as intrincadas tatuagens que a Deusa tinha colocado lá. Quando ele fechou os olhos e seu corpo começou a relaxar, eu acariciava seus cabelos castanhos e perguntei brevemente quando Nyx gostaria de acrescentar algo à minha tatuagem incrível. Ela tinha me dado Marcas, tirado elas – ou pelo menos os meus amigos disseram que foram embora quando minha alma estava no Outromundo – e, em seguida, Nyx devolveu-me novamente quando voltei a mim mesma. Talvez eu tenha sido definitivo, agora talvez
eu não consiga mais. Eu estava tentando decidir se isso era uma coisa boa ou uma coisa ruim quando minhas pálpebras ficaram demasiado pesadas para manter abertas. Pensei em tirá-las, só por um tempinho. Stark estava definitivamente dormindo, talvez por isso, não machucaria nem um pouquinho...


Os sonhos são tão estranhos. Eu estava tendo um sonho que eu estava voando como o Superman – você sabe, com as mãos para fora na minha frente meio que me guiando, e a música tema do Superman legal filmes antigos, aquela com o incrível Christopher Reeve, estava jogando na minha cabeça quando tudo mudou.
O tema foi substituído pela voz da minha mãe.
— Estou morta! — disse.
Nyx voz respondeu imediatamente: — Sim, Linda, você está.
Meu estômago se apertou. É um sonho. É apenas um sonho muito ruim!
Olhe para baixo, minha filha. É importante que você testemunhe. Quando a voz da Deusa sussurrou em minha mente eu sabia que tinha vazado da realidade no reino dos sonhos.
Eu não queria. Eu realmente não queria, mas eu olhei para baixo.
Abaixo de mim era o que eu viria a pensar em como a entrada ao reino de Nyx. Havia a vasta escuridão em que eu pulei para obter o meu espírito volta ao meu corpo. Então havia um arco de pedra esculpido acima sujeira seriamente encrustrada, e do outro lado do arco esticado o bosque mágico de Nyx, a começar com a árvore etérea de suspensão que era uma versão ampliada da que Stark e eu tínhamos amarrado os nossos sonhos um para o outro durante esse dia maravilhoso na Ilha de Skye.
E logo na entrada Outro arco estava minha mãe, de frente para Nyx.
— Mãe! — Eu disse, mas nem a Deusa, nem a minha mãe reagiram à minha voz.
Testemunhe em silêncio, minha filha.
Então eu pairava acima deles e observando enquanto lágrimas sem som lavavam meu rosto. Minha mãe estava olhando para a Deusa. Finalmente, ela disse em uma voz baixa e assustada:
— Então, Deus é uma menina, ou meus pecados me mandaram para o inferno?
Nyx sorriu. — Aqui não estamos preocupados com os pecados do passado. Aqui, no meu Outromundo, só nos preocupa o seu espírito e a essência do que ele escolhe para levar com ele: Luz ou Escuridão. É uma coisa simples, realmente.
Minha mãe mordeu o lábio por um segundo, e então disse: — Qual é que eu carrego, Luz ou Escuridão?
O sorriso de Nyx não vacilou. — Diga-me, Linda. O que você escolheu?
Meu coração se apertou enquanto eu observava minha mãe começar a chorar. — Até recentemente, eu acho que fui mais para o lado ruim.
— Há uma grande diferença entre ser fraca e ser má — disse Nyx.
Mamãe assentiu. — Eu era fraca. Eu não quero ser. É que minha vida era como uma bola de neve rolando montanha abaixo, e eu não consegui achar meu caminho fora da avalanche. Mas eu estava tentando lá no final. É por isso que eu estava na casa da mamãe. Eu ia fazer a minha vida minha de novo e voltar a ficar junto com a minha filha Zoey. Ela — Mamãe parou. Seus olhos se arregalaram em compreensão. — Você é a Deusa de Zoey, Nyx!
— Eu sou, realmente.
— Oh! Então, Zoey vai estar aqui um dia?
Eu passei meus braços em volta de mim. Ela me amava. Mamãe me amou verdadeiramente.
— Ela estará, mas espero que não por muitos e muitos anos.
Hesitante, a mãe perguntou: — Posso entrar e esperar por ela?
— Você pode. — Nyx espalhou seus braços e declarou: — Bem-vinda ao Outromundo, Linda Redbird. Deixe a dor e o pesar e perda para trás, e traga consigo o amor. Sempre o amor. — E depois a minha mãe e Nyx desapareceram em um clarão de luz brilhante. Eu acordei, deitada na beira da cama, braços me envolvendo ao meu redor, chorando imediatamente.
Stark acordou instantaneamente. — O que é? — Ele se apressou até mim e puxou-me em seus braços.
— É m-minha mãe. E-ela está morta — eu soluçava. — E-ela realmente me amava.
— É claro que ela amava, Z, é claro que ela amava.
Fechei os olhos e deixei que Stark me confortasse quando eu chorava a dor e pesar e perda, até que tudo o que me restava era o amor. Sempre o amor.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!