8 de outubro de 2015

Capítulo 23 - Zoey

Então, eu não tinha contado a Stark sobre a coisa do galho caído. Sério, para quê? Como se Stark precisasse de mais estresse na vida dele. Ele ainda não estava dormindo bem porque ainda estava tendo pesadelos, o que ele se recusava a me contar, mas eu sabia porque eu dormia do lado dele e eu não sou burra. Além disso, a coisa toda do galho aconteceu rápido. Ninguém se feriu. Acabou. Ponto final.
Bem, exceto por uma coisinha. A parte sobre eu ter decidido que ia olhar para Aurox através da pedra vidente. Tudo bem, eu não ia fazer isso neste segundo. Quero dizer, Aurox nem estava ali. Mas eu tinha tomado a decisão. No momento em que ele havia me tocado, eu decidi.
Mas eu ainda estava com medo.
Quando o ônibus parou na estação e Darius abriu a porta, eu estava silenciosamente discutindo comigo mesma se eu devia ou não deixar Stark saber havia decidido espiar Aurox através da pedra vidente e estava meio que ouvindo Aphrodite e Stevie Rae debatendo sobre os detalhes da reforma dos túneis (Aphrodite queria um monte de trabalhadores e muita confusão; Stevie Rae não queria que ninguém sequer entrasse nos túneis, exceto gente nossa. Suspiro).
— Vou ligar para o Andolini’s e fazer um pedido  Stevie Rae disse quando ela e Rephaim desceram do micro-ônibus.
 Pelo menos em alguma coisa a gente concorda  Aphrodite falou, levantando-se para logo depois se sentar no colo de Darius, enquanto a gente começou a sair do ônibus.  Peça para mim pizza Santino. Ela é tão boa que compensa totalmente as calorias que tem. Além disso, combina perfeitamente com aquela garrafa de Chianti que peguei do refeitório quando eu estava matando a quinta...
E simplesmente aconteceu. Aphrodite estava falando sobre uma coisa totalmente normal como matar aula e o seu corpo entrou em colapso.
Ela ficou rígida. Seus olhos se reviraram e ela começou a chorar lágrimas de sangue. Foi como se ela deixasse de ser uma garota perfeita e maravilhosa e passasse a ser uma pessoa que mal parecia humana. Mal parecia viva.
Darius não hesitou. Ele pegou seu corpo duro, com olhos ensanguentados e ausentes e a carregou para fora do ônibus. Deixei de lado minha reação interna de aimeudeus e me levantei, voltando-me para o resto dos garotos que estavam olhando embasbacados de queixo caído ou cobrindo seus olhos, parecendo que iam chorar.
 Aphrodite está tendo uma visão  minha voz parecia vir de outra pessoa, de alguém que estava calma. Stark pegou minha mão, passando-me força. — Ela vai ficar bem  continuei, apertando a mão de Stark.
 Na verdade, ela vai ficar superlouca da vida quando voltar a si, pois ela odeia quando isso acontece em público  Stevie Rae falou.
Ela havia subido metade dos degraus do ônibus. Reparei que ela estava com os olhos super arregalados, mas a voz dela também soou totalmente calma e tranquila.
 Sim, Stevie Rae está certa — afirmei.  Portanto, não há necessidade de tornar isso um assunto sério, nem agora nem depois que ela acordar  fiz uma pausa e, sentindo-me uma débil mental, acrescentei: — E não vai querer ouvir todo mundo perguntando “ei, você está bem?”
— Eu vou ficar na frente para pedir as pizzas. Você acha que Aphrodite vai ter fome mais tarde?  Stevie Rae perguntou.
Eu lembrei da última vez em que ela havia tido uma visão e de como ela se sentira péssima depois de tudo. Pensei em responder que o que Aphrodite realmente iria querer era um Xanax e uma garrafa de vinho, mas achei que isso seria dar um mau exemplo. Então eu preferi dizer:
 Ahn, por que você não pede uma para ela e coloca na geladeira? A gente pode esquentar no micro-ondas mais tarde se ela tiver fome. Agora eu só vou conferir como ela está. Ela vai querer água e sossego por um tempo.
— Beleza  Stevie Rae sorriu e, parecendo totalmente normal, falou para o restante do ônibus:  Vou anotar os pedidos de pizza aqui. O sinal do celular é um lixo nos túneis. Então, antes que vocês disparem escada abaixo, digam o que vão querer, e é melhor que vocês fiquem por perto para ter certeza de que eu entendi direito. Por falar nisso, Kramisha, você pode escrever o que todo mundo quer para mim, por favor? Isso iria ajudar bastante  ela deu uma olhada para Shaunee, que estava parecendo bem perdida, e acrescentou:  Ei, será que a gente pode usar o seu cartão para fazer o pedido dessa vez? Z e eu vamos fazer com que você seja ressarcida depois.
Shaunee franziu a testa.
 Jura? Da última vez eu acabei pagando a conta do Queenies. Aqueles sanduíches enormes de cheese salada com ovos e bacon são incríveis, mas não valem duzentos dólares.
 Eu juro  Stevie Rae franziu a sobrancelha, fuzilando o resto do ônibus com o olhar.  Vocês aí façam o favor de pagar para ela.
 Sim, beleza, tudo bem  foi o coro que veio do fundo do ônibus.
Tive vontade de beijar minha melhor amiga. Ela tinha desviado a atenção de todo mundo da visão horrenda de Aphrodite e havia dado um jeito de todos ficarem ali em cima, decidindo sobre pizza e o pagamento, em vez de descerem nos túneis com cara de bobos, conversando sobre Aphrodite.
Enquanto isso, eu desci do ônibus com Stark.
 A gente quer um combo grande  ele falou quando passamos por Stevie Rae.
 Pizza? Sério?  eu sussurrei para Stark, como se ele tivesse dito “comam brioches!” ou qualquer outra coisa super sem consideração que aquela mulher tinha dito para as massas quando assuntos realmente importantes estavam acontecendo naquela época.
 Pensei que você queria agir normalmente  ele sussurrou de volta.
Suspirei. Bem, ele estava certo. Então falei para Stevie Rae:
 Com queijo extra e azeitonas  então, em voz baixa, acrescentei: — Obrigada.
— Eu vou estar na cozinha quando você estiver pronta para conversar  ela disse com uma voz quase tão baixa quanto a minha e então, bem alto e supernormal, começou a gritar.  E então, quantas pizzas de pepperoni vão ser?
 Vamos entrar pela estação, assim a gente pode pegar algumas garrafas de água na cozinha no caminho para o quarto de Aphrodite  eu falei para Stark quando ele automaticamente estava se encaminhando para a entrado do porão. Então ele mudou de direção, mas mesmo assim eu expliquei (provavelmente mais para ouvir a minha voz calma do que qualquer outra coisa):  Ela vai estar com sede. A gente também precisa pegar algumas toalhas de mão. Eu vou deixá-las bem encharcadas para fazer compressas sobre os olhos de Aphrodite.
 Os olhos dela sempre sangram assim?
 Sim, desde que ela perdeu a sua Marca. Da última vez que Aphrodite teve uma visão, ela me contou que a dor e o sangramento estavam ficando cada vez piores  dei uma olhada para Stark.  Parece que foi feio, não é?
 Ela vai ficar bem. Darius está com Aphrodite. Ele não vai deixar que nada aconteça com ela  ele apertou minha mão antes de me deixar descer na frente dele para os túneis, pela velha entrada da bilheteria.
 Acho que nem o guerreiro dela pode protegê-la contra esse tipo de coisa.
Ele sorriu para mim.
 Eu descobrir um jeito de protegê-la no Outromundo. Acho que Darius pode lidar com algumas visões e um pouco de sangue.
Eu não disse mais nada enquanto passávamos apressados pela cozinha, pegando água e toalhas de mão.
Eu queria que Stark estivesse certo. Eu queria muito, muito mesmo que Stark estivesse certo, mas eu estava com um mau pressentimento, e eu odiava quando isso acontecia. Sempre significava que alguma coisa ia dar terrivelmente errado.
 Ei  Stark pegou meu braço e gentilmente me puxou para que eu parasse do lado de fora da cortina dourada e brilhante que era a porta do quarto de Aphrodite.  Ela precisa que você esteja bem.
 Eu sei, você está certo. É que essas visões realmente a machucam, então eu fico preocupada.
— Mas elas também são um dom de Nyx, e são informações de que nós precisamos, certo?
 Certo de novo  falei.
Seu sorrio ficou metido.
 Gosto quando você diz que eu estou certo.
 Não fique mal acostumado. Você é um cara. Portanto, você tem um número limitado de “eu estou certo”  coloquei aspas nos dedos  para usar.
 Ei, vou usar tudo o que eu puder  ele falou. Então o seu rosto voltou a ficar sério.  Apenas se lembre de que você precisa ser a Alta Sacerdotisa dela agora, não a sua amiga.
Eu assenti, respirei fundo e me abaixei para passar pela cortina dourada.
Ok, o quarto de Aphrodite continuava mudando e, cada vez que eu entrava nele, parecia mais o encontro de Kim Kardashian com Conan, o Bárbaro. Desta vez, ela havia acrescentado uma chaise longue dourada.
Não, eu não tinha ideia de onde ela tinha conseguido isso nem de como havia feito a poltrona ir parar ali embaixo. Na parede áspera de cimento atrás da chaise, ela havia pendurado parte da coleção de facas de Darius como decoração. Ela também havia colocado pingentes de contas douradas em todos os cabos das facas. Sem brincadeira. A cama dela era grande. Realmente grande. Naquela noite, o edredom era de veludo roxo com flores douradas bordadas. Ela tinha milhões de travesseiros fofos. E a sua horrível gata Persa, Malévola, tinha uma cama de gato combinando ao lado da dela. Só que neste momento Malévola não estava na sua cama.
Ela estava aconchegada de modo protetor no colo da sua dona. Aphrodite estava recostada no meio dos milhões de travesseiros, parecendo assustadoramente pálida. Darius havia colocado sobre os seus olhos uma toalha de papel molhada, que já estava rosa. Eu me senti um pouco melhor quando vi que Aphrodite estava acariciando Malévola, o que significava que ela estava consciente. Mas essa sensação boa foi embora quando me aproximei da cama e a gata horrenda começou a rosnar para mim.
— Quem está aí?  a voz de Aphrodite soou fraca e assustada, de um jeito nada típico dela.
Darius tocou o seu rosto.
 Zoey e Stark, minha bela. Você sabe que eu não deixaria ninguém mais entrar.
Stark apertou minha mão e depois a soltou. Eu enviei uma prece rápida e silenciosa para Nyx: Por favor, ajude-me a ser a Alta Sacerdotisa de que Aphrodite precisa. E então entrei no papel que eu ainda sentia que era um trabalho grande de mais para mim.
 Eu trouxe algumas toalhas de rosto e água gelada  eu disse com um tom animador, enquanto ia para a lateral da cama e umedecia uma das toalhas. — Mantenha seus olhos fechados. Vou trocar esta toalha de papel.
 Ok  ela disse.
Os olhos dela ficaram fechados. Mas ainda estavam gotejando sangue. O seu cheiro me atingiu e por um momento achei que eu fosse ter aquela reação do tipo “aimeudeus, nham-nham, quero sangue”. Mas não tive.
Aphrodite não tinha o cheiro de um humano. Tentei me lembrar do aroma do sangue dela da última vez em que ela havia tido uma visão, mas eu não consegui – o que provavelmente significava que não tinha sido normal também.
Deixei essa informação de lado e me sentei na cama perto dela.
 Trouxe uma garrafa de água também. Você já quer beber?
 Sim. Vinho. Tinto. Darius tem.
 Minha bela, por favor, beba água primeiro.
 Darius, o vinho é bom para a dor. E aproveite e pegue um Xanax na minha bolsa. Isso também ajuda.
Darius não se mexeu. Ele olhou para mim.
 Ahn, Aphrodite, que tal você escolher entre o Xanax e o vinho? Misturar os dois não parece saudável  afirmei.
 Minha mãe toma os dois juntos toda hora  ela falou rispidamente. Então Aphrodite apertou os lábios, respirou fundo e disse:  Você venceu. Fico com o vinho. Eu não sou a minha mãe.
— Você definitivamente não é a sua mãe  concordei.
Darius pareceu aliviado e começou a abrir o vinho.
 Tudo bem, então enquanto o seu homem está deixando o vinho respirar, quero que você beba um pouco desta água.
Os lábios dela se curvaram em um quase sorriso sarcástico.
 O que você sabe sobre deixar o vinho respirar? Você nem bebe.
 Eu assisto TV. Aff, todo mundo com meio cérebro sabe que o vinho precisa respirar  repliquei, enquanto guiava as mãos dela para a garrafa aberta e a ajudava a beber.  Como foi desta vez? Tão ruim como da última?
Quando ficou óbvio que ela não ia responder, Darius fez isso por ela:
 Foi pior  ele afirmou.  Talvez seja melhor vocês voltarem depois que ela descansar.
A Zoey amiga de Aphrodite concordava totalmente com ele. Mas a Zoey que era Alta Sacerdotisa em Treinamento sabia o que era melhor.
 Ela vai ficar bêbada e exausta pelo resto da noite e provavelmente até amanhã. Eu preciso saber sobre a visão antes que ela fique muito fora de si para poder conversar.
 Z está certa. De qualquer forma, esta visão foi curta  Aphrodite falou antes que Darius pudesse protestar. Fiquei feliz de ver que ela havia tomado toda a garrafa de água, mas ela estendeu uma mão cega e disse: — A água acabou. Cadê o vinho?
Darius trouxe para ela uma taça de vinho que parecia super simples, apenas de cristal com uma forma bonita, mas ela tinha uma pequena marca Riedel escrita na parte de baixo, então eu sabia que era uma taça boa comprada na Williams-Sonoma. Eu sabia disso porque Aphrodite havia me dado um sermão quando eu quase quebrei uma delas alguns dias atrás (como se eu me importasse). Enfim, Darius ajudou Aphrodite a dar um bom gole na taça de cristal. Então ela soltou o ar devagar.
 Prepare outra garrafa. Vou precisar de mais  ela ordenou. Ele nem olhou para mim para confirmar; simplesmente pareceu vencido.  E diga para Stark parar de ficar cobiçando as suas facas. Ele é o Homem do Arco, não o Homem das Facas.
 Agora eles são super-heróis?  perguntei, tentando (provavelmente sem sucesso) ser engraçada.
Ela sorriu de satisfação, e por um segundo ficou parecida demais com a sua gata para merecer algum consolo.
 Bem, o meu homem é um super-herói em vários sentidos. Você vai ter que decidir sozinha sobre o seu.
 A visão  Stark falou para mim só mexendo os lábios, do outro lado do quarto, onde ele estava, de fato, conferindo as facas ornamentais.
 Tudo bem, então me conte sobre o que foi a visão desta vez  eu pedi.
 Foi uma dessas malditas visões de morte de novo. E eu estava dentro do cara assassinado.
 Cara?  senti uma pequena bolha de pânico surgindo. Seria Stark?
 Relaxe, não era o seu nem o meu. Era Rephaim. Eu estava dentro dele quando ele foi morto. Aliás  ela hesitou, dando um outro longo grande gole de vinho  o menino-pássaro tem umas merdas estranhas na cabeça.
 Conte-me o básico. A gente fala sobre a parte da fofoca mais tarde  falei.
— Bem, a visão foi confusa, como sempre acontece quando eu estou dentro da pessoa que está sendo massacrada  ela começou, enquanto pressionava a mão contra a toalha nos seus olhos e fazia uma careta de dor.
 Apenas me conte o que você se lembra  sugeri.  Como ele morreu?
— Uma espada quase dividiu Rephaim ao meio. Totalmente nojento, apesar de a cabeça dele não ter sido cortada fora como a sua foi naquela outra visão.
— Bem, que bom para ele  eu disse, sem saber se eu estava sendo séria ou sarcástica.  Quem quase o cortou ao meio?
 É aí que começa a confusão. Eu não sei ao certo quem realmente o matou. Tenho certeza de que Dragon estava lá.
 Dragon mata Rephaim? Aff, isso é terrível.
 Bem, como eu falei, não tenho certeza. Posso dizer que eu me lembro da expressão de Dragon logo antes de a espada me atingir. Ele estava totalmente acabado. A aparência dele estava ainda pior do que tem estado recentemente. Era como se não houvesse esperança, Luz ou felicidade em nenhuma parte da sua vida, e ele estava chorando muito, pra valer, tipo com catarro e tudo mais.
 Então Rephaim foi morto por uma espada  concluí.
 Sim  ela concordou. — Eu sei. Deveria ser óbvio. Parece que Dragon fez isso, mas simplesmente não tenho cem por cento de certeza, especialmente quando você acrescenta a parte do choro e toda a outra confusão.
— Outra confusão?
 Sim, merdas bizarras continuavam acontecendo em relances ao meu redor. Havia alguma coisa branca que parecia morta. Havia gelo em um círculo de fogo. Havia sangue e peitos por toda parte, e então eu, quero dizer, Rephaim estava morto. Fim.
Esfreguei minha testa onde senti uma dor de cabeça se formando.
 Peitos?  Stark se empertigou com a palavra.
 Sim, Homem do Arco. Peitos. Como se tivesse uma mulher pelada por ali. Literalmente. Eu não vi o rosto dela, pois Rephaim ficou previsivelmente hipnotizado pelo seus peitos, mas eu sei que ela tinha alguma coisa a ver com o sangue e com a coisa branca e morta.
 Ei, espere aí  eu intervi.  O último poema de Kramisha não dizia algo sobre fogo e gelo?
 Hum, eu tinha me esquecido disso. Para mim é fácil esquecer porque, bem, foda-se a poesia.
 Não seja tão negativa  eu disse.  E não é poesia. É um poema profético.
 O que só faz com que ele seja pior  ela comentou.
 Eu me lembro. O poema também dizia algo sobre as lágrimas de Dragon — Stark afirmou.
 Talvez ele chore porque mata Rephaim, apesar de ter o dever de ser o seu protetor, já que ele é o Mestre da Espada da nossa House of Night  Darius sugeriu.
 Mas ele não é — repliquei.  Nós temos a nossa própria House of Night aqui, então tecnicamente ele não é o nosso Mestre da Espada. Talvez ele tenha raciocinado assim para ser capaz de matar Rephaim.
— Tudo isso parece lógico, mas ainda está faltando uma peça. É isso que meus instintos dizem. Eu só não consigo ver que peça é. Tudo, a não ser Dragon, fica entrando e saindo da minha visão, principalmente porque Rephaim estava superfocado em Stevie Rae, que por sua vez estava superfocado no ritual que ela estava conduzindo.
 Ritual? Eu estava lá?
 Sim, toda a hora nerds estava lá. Um círculo tinha sido traçado. Você estava liderando algumas coisas, mas o ritual propriamente dito era concentrado na terra, então Stevie Rae estava fazendo a parte principal — ela tomou fôlego. — Que merda, acabei de descobrir onde a gente estava: na fazenda de lavandas da sua avó.
 Ah, que inferno! O ritual de purificação que eu devo fazer daqui a alguns dias. Ou talvez não. Thanatos ia falar com vovó sobre a gente fazer algo mais cedo, algo que pode revelar o que realmente aconteceu com mamãe  fiz uma pausa, sentindo-me oprimida ao pensar na coisa branca morta, no sangue e nos peitos, tudo no contexto do assassinato da minha mãe.  Será que isso significa que não é para eu descobrir nada e que eu não devo fazer nada a respeito?
Aphrodite deu de ombros.
 Z, eu sei que vai ser difícil de acreditar, já que você foi a estrela de um monte das minhas visões, mas nesta você mal aparece. Eu acho que esta visão não é sobre você.
 Mas é na fazenda da vovó.
 Sim, mas é Rephaim sendo cortado ao meio e não você  ela lembrou.
— Espere aí, isso não é uma noticia boa?  Stark perguntou, aproximando-se de mim e pegando a minha mão.
Aphrodite bufou.
 Claro, a menos que você seja Rephaim.
Stark ignorou o comentário dela e continuou:
 Você viu Rephaim ser assassinado. Você sabe onde e você sabe quem tem que estar lá. E se nós cuidarmos para que esses elementos não se juntem? Isso vai impedir a morte, não vai?
 Talvez  Aphrodite disse.
 Esperamos que sim  eu falei.
— Nós precisamos nos certificar de que Dragon fique longe de Rephaim  Darius afirmou.  Mesmo que ele não o mate, você sabe com certeza que ele estava presente quando Rephaim foi assassinado.
 Isso eu realmente sei  Aphrodite confirmou.
 Então é isso. A gente tem que manter Dragon e Rephaim separados, mesmo que isso signifique que Rephaim não vá com a gente quando nós formos até a fazenda de vovó  concluí.
 Se eu for, Rephaim vai.
Stark, Darius e eu nos viramos para ver Stevie Rae e Rephaim passando por baixo da cortina e entrando no quarto. Aphrodite franziu a testa, mas manteve a toalha nos olhos.
 A visão dela foi com Rephaim  Stevie Rae afirmou.
Ela não formulou a frase como uma pergunta, mas eu respondi assim mesmo:
— Sim. Ele morre.
 Como? Quem faz isso?  a voz de Stevie Rae foi dura e inflexível.
Ela parecia pronta para dominar o mundo.
 Não tenho certeza  Aphrodite falou.  A maldita visão foi do ponto de vista do menino-pássaro, o que significa que a coisa toda foi muito confusa.
— Mas nós sabemos que tudo se passa na fazenda da vovó e que Dragon está lá  eu disse.  É por isso que eu estava dizendo que Rephaim deveria ficar aqui quando a gente for para lá, se a gente for para lá mesmo.
 Nós vamos  Stark afirmou.  Você não pode deixar que isso impeça o ritual que você ia fazer para a sua mãe.
 Não é para ela  eu discordei com tristeza.  Ela está morta. Isso não vai mudar.
 Está certo  ele reconheceu.  Mas é por você e por sua avó, o que é mais importante do que fazer alguma coisa por uma mulher morta  ele olhou para Rephaim e Stevie Rae. — O ritual precisa acontecer, mas Rephaim não precisa estar lá e correr perigo. Seria mais inteligente se ele, como Z estava dizendo, ficasse aqui.
 Para alguém como Dragon surpreendê-lo sorrateiramente quando ele estiver sozinho? Acho que não  Stevie Rae rebateu.
— Eu não entendo  Rephaim se manifestou.
Eu suspirei.
 Aphrodite tem visões de mortes. Algumas vezes, elas são bem claras e fáceis de evitar. Outras vezes são confusas.
 Porque estou dentro da pessoa que está sendo assassinada. Foi assim com você. E por falar nisso, voar é assustador. Não importa o que o seu cérebro de pássaro ache.
 Hum  eu disse.
 Não  Stevie Rae protestou.  Seja o que for que você tenha encontrado dentro da cabeça dele, guarde para você mesma. Não é da conta de ninguém.
— Ela estava dentro da minha cabeça?  Rephaim estava obviamente confuso.
 Na visão eu estava. Não vai acontecer de novo. Eu espero. E tinha outra coisa por perto na visão além de Dragon. Era um touro, ou pelo menos a sombra de um touro.
 A sombra de um touro?  meu estômago se contraiu.  Era a coisa branca morta que você viu?
 Não. Isso definitivamente era outra coisa.
 Você viu de que cor ele era?
 Zoey, sombras só têm uma cor  ela respondeu.
 Aurox  Stark afirmou.
 Você viu Aurox?  eu perguntei rápido.
 Não. Só a sombra do touro. E só para registrar, eu concordo com você, Stark e Darius: o menino-pássaro deve ficar longe de Dragon. Se isso significa que é melhor ele ficar aqui, é isso que deve acontecer. Agora, será que eu posso tomar mais vinho e descansar um pouco?
 Acho que não é bom você beber enquanto está sangrando assim — Stevie Rae recomendou.
 Não me questione. Eu sou uma profissional  Aphrodite replicou.
 O que isso significa?- — eu quis saber.
— Significa que a minha bela já terminou de falar e precisar dormir — Darius disse.
 A pizza deve chegar logo  Stevie Rae falou.  Eu pedi uma para você.
 Se eu ainda estiver acordada quando a pizza chegar, vou comer — Aphrodite afirmou. Então ela tirou a toalha dos olhos e piscou devagar para abri-los. Eu estava preparada, já tinha visto isso antes. Mas Rephaim não estava.
 Por todos os deuses! Você chora lágrimas de sangue mesmo  ele se espantou.
Ela voltou o seu olhar tingido de vermelho para ele.
 Sim. Apesar de eu saber que isso é um simbolismo horrível. Menino-pássaro, você precisa se lembrar disto: eu tive essa maldita visão porque havia uma mensagem nela para você. Mantenha o seu corpinho seguro. Fique longe de objetos pontudos e, se isso significa que você precisa ficar longe de Dragon Lankford, então faça isso.
 Por quanto tempo?  ele perguntou.  Por quanto tempo eu preciso me esconder desse vampiro?
Ela balançou a cabeça.
 Eu recebi um aviso, não uma linha do tempo.
 Eu preferia não me esconder.
 Eu preferia que você não morresse  Stevie Rae rebateu.
 Eu preferia dormir  Aphrodite aproveitou a deixa.
 Tudo bem, vamos embora  eu disse. Entreguei a última garrafa de água para Darius.  Tente fazer com que ela beba isso entre as taças de vinho.
 Eu estou bem aqui. Você não precisa falar sobre mim como se eu não pudesse ouvir  ela levantou a taça como um brinde e depois bebeu tudo.
 Você está sob influência de bebida, então eu estou ignorando você  eu respondi.  Descanse um pouco. Falo com você mais tarde.
Saímos do quarto de Aphrodite. Rephaim e Stevie Rae foram embora de mãos dadas, conversando em voz baixa, enquanto nós passamos pelos túneis e fomos até lá fora, onde a gente ia esperar por um garoto de entrega muito confuso, a quem eu ia deixar uma excelente gorjeta.
— O que você achou da visão?  Stark perguntou, colocando seu braço em volta de mim e me puxando para mais perto dele.
 Acho que Stevie Rae vai ser um problema. Ela vai tentar proteger tanto Rephaim que vai acabar fazendo com que ele seja assassinado.
Stark concordou e pareceu sombrio.
 É assim que as Trevas funcionam. Elas transformam o amor em algo ruim.
As palavras dele me surpreenderam. Ele pareceu tão cético, tão velho.
 Stark, as Trevas não podem transformar o amor em coisa alguma. O amor é a única coisa que perdura entre Trevas, morte e destruição. Você sabe disso, ou pelo menos sabia.
Então ele parou e de repente eu estava nos seus braços, e ele estava me apertando tão forte que quase não conseguia respirar.
 O que foi?  sussurrei para ele.  O que há de errado?
 Às vezes eu acho que quem deveria ter morrido era eu e que Heath é quem deveria ter ficado com você. Ele acreditava em amor muito mais do que eu.
 Eu acho que o quanto você acredita não é importante, mas sim no que você acredita.
 Então a gente vai ficar bem, pois eu acredito em você  ele afirmou.
Coloquei meus braços em volta de Stark e me agarrei a ele, tentando tranquilizar nós dois com o toque, já que as palavras simplesmente não pareciam suficientes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!