8 de outubro de 2015

Capítulo 22 - Zoey

Eu tinha a intenção de voltar para a aula. Direto para a sexta aula. De verdade. Apesar dos meus atos recentes, eu não costumo matar aula. Quero dizer, isso nunca fez sentido.
Como se a lição de casa não fosse estar lá quando eu voltasse para a aula no dia seguinte. Ah, é claro que ela estaria, além do adorável bônus de eu estar encrencada.
Deixe-me apenas dizer eca para a detenção e para todos os outros sistemas de punição estranhos e ineficazes do ensino médio, que colocam bons garotos em uma sala de estudos junto com os membros de gangues e transgressores frequentes. Como se isso não fosse causar mais problemas.
Enfim, eu já estava na metade do caminho para o estábulo quando Thanatos pareceu se materializar das sombras ao lado da calçada, fazendo-me dar um pulo e colocar a mão sobre o coração para ter certeza de que ele não tinha saltado para fora do meu peito.
Eu não quis alarmá-la ela disse.
É, bem, hoje tem sido um dia cheio de sustos falei e então, lembrando de como o vento havia girado ao seu redor quando ela ficou irritada com Dallas, eu acrescentei: Ei, você tem uma afinidade com o ar? depois da minha pergunta ela levantou a sobrancelha para mim, e eu também me lembrei de como ela era super assustadora e poderosa. A menos que isso não seja da minha conta. Eu não quis ser rude nem nada parecido.
Não é rude perguntar, e minha proximidade com o ar não é segredo. Não é uma verdadeira afinidade. Eu não posso invocar o elemento, apesar de ele se manifestar frequentemente quando preciso dele. Há muito tempo eu acho que o ar fica perto de mim por causa da minha verdadeira afinidade.
A morte? agora eu estava realmente curiosa. Eu imaginei que o espírito ficaria perto de você por causa da sua afinidade.
Isso parece lógico, mas a minha afinidade só tem a ver com ajudar os mortos a seguir em frente e às vezes confortar os vivos que ficaram para trás ela explicou e nós andamos devagar, encontrando um ritmo confortável, uma ao lado da outra, enquanto conversávamos. Os mortos se movem como o vento, pelo menos quando eles se manifestam para mim. Eles são etéreos, diáfanos. Parece que eles não são formados por nenhuma matéria real, apesar de eles serem, de fato, muito reais.
Como o vento eu disse, compreendendo. É verdade. O vento pode mover coisas, mas você não pode vê-lo.
Exatamente. Por que você perguntou sobre o ar?
Bem, porque o vento estava soprando feito louco hoje. Eu fiquei imaginando se você poderia ter sentido alguma coisa estranha com ele.
Como se ele estivesse sendo manipulado?
Sim, é isso respondi.
Não, eu não posso dizer que senti o ar ser manipulado ela levantou os olhos para os galhos da árvore mais próxima, que estavam balançando devagar e perigosamente, ao mesmo tempo que a melodia calma e silenciosa do vento. Parece que está tudo tranquilo agora.
É, parece respondi e então imaginei que talvez o elemento ar não fosse o responsável por aquele galho quase ter me esmagado. Não seja tão paranoica, lembrei a mim mesma com firmeza. Então as próximas palavras de Thanatos varreram da minha mente todos os pensamentos sobre vento estranho e paranoia.
Zoey, eu preciso pedir a você duas coisas: primeiro, que me responda algo, e depois, que me desculpe.
Você pode me perguntar o que quiser mas vou tomar cuidado com o que eu vou responder, acrescentei para mim mesma silenciosamente. E não sei por que você precisaria me pedir desculpas.
A pergunta primeiro, e então eu vou explicar. Eu gostaria de pedir que você participasse de uma discussão na aula de amanhã ela levantou a mão para me impedir de falar quando abri a boca para responder “Sim, claro”. Você precisa saber que a discussão será sobre a superação da perda de um pai ou de uma mãe.
De repente, minha garganta ficou realmente seca. Eu engoli e então respondi:
Para mim vai ser difícil falar sobre isso, pois eu ainda não superei a perda da minha mãe.
Thanatos assentiu e então, sem ser indelicada, disse:
Sim, eu compreendo. Mas há vários outros estudantes que também não se recuperaram depois de perder um dos pais, apesar de a sua perda ser a única ligada à morte até agora.
Ahn?
Três outros alunos fizeram a mesma pergunta que você.
Sério?
Sim. Você precisa saber que essa é uma experiência universal para aqueles que completam a Transformação. Nós não somos imortais, mas vamos viver mais do que os nossos pais humanos. Muitos preferem cortar os laços com os mortais da nossa infância logo que começam suas vidas de vampiro. Isso parece tornar a perda menos dolorosa. Já outros mantêm relacionamentos com as pessoas de nosso passado; para alguns, isso deixa a perda menos dolorosa.
Mas não é de nenhum desses jeitos para mim. Eu não sou uma vampira e minha mãe foi assassinada, ela não morreu simplesmente de velhice.
Você era muito próxima da sua mãe?
Pisquei com força, não querendo chorar.
Não. Não pelo menos nos últimos três anos.
Então o mais difícil para você é a maneira pela qual ela foi morta?
Pensei cuidadosamente na pergunta de Thanatos antes de responder.
Em parte sim. Acho que descobrir exatamente o que aconteceu com ela me ajudaria a superar isso. Mas há também o fato de que, agora que ela se foi, e não há mais nenhuma chance de eu e ela nos aproximarmos de novo.
Mas essa chance só acabou para vocês nesta vida. Se ela está esperando no Outromundo, vocês podem se reconciliar lá Thanatos afirmou. Ela conhecia a Deusa?
Eu sorri, desta vez entre lágrimas.
Mamãe não conhecia Nyx, mas Nyx conhecia minha mãe. A Deusa me enviou um sonho na noite em que ela morreu. Eu vi mamãe recebendo as boas-vindas no Outromundo.
Bem, então o seu espírito deve ter sido aliviado dessa tristeza. Tudo o que restou foi a incerteza que cerca a sua morte.
O seu assassinato eu a corrigi. Mamãe foi assassinada.
Houve um longo silêncio e então ela perguntou:
Como exatamente sua mãe foi assassinada?
A polícia disse que foram drogados que estavam saqueando a casa da minha avó. Mamãe estava lá e ficou no caminho deles minha voz soou tão vazia quanto eu me sentia.
Não, eu quero dizer como ela foi morta? Quais eram os seus ferimentos?
Eu me lembrei de vovó dizendo que o assassinato dela havia sido cruel, mas que mamãe não tinha sofrido. Eu também me lembrei da sombra que passou pela expressão de vovó quando ela me contou sobre isso.
Engoli em seco de novo.
Foi violento. Isso foi tudo o que vovó me contou.
Sua avó viu o corpo dela?
Vovó a encontrou.
Zoey, será que a sua avó conversaria comigo sobre o assassinato de sua mãe?
Tenho certeza de que ela conversaria com você. Mas por quê? Que beneficio isso traria?
Não quero que você fique muito esperançosa, mas, se uma morte é muito violenta, às vezes ficam marcas na própria estrutura da terra e eu consigo ter acesso a imagens da morte.
Você poderia ver como mamãe foi assassinada?
Talvez. Apenas talvez. Mas eu preciso conversar com a sua avó primeiro para saber se isso seria mesmo possível.
Não posso garantir que vovó vai contar muita coisa. Neste momento ela está cumprindo os sete dias de purificação ritual após uma morte expliquei e, em resposta ao olhar de interrogação de Thanatos, acrescentei: vovó é uma Sábia Cherokee. Ela preserva a religião ancestral e os seus costumes.
Então é importante que eu converse com ela imediatamente para ter alguma esperança de recuperar as imagens da morte de sua mãe. Quantos dias se passaram desde o assassinato dela?
Ela foi morta na ultima quinta à noite.
Thanatos assentiu.
Amanhã vai ser a quinta noite depois da morte dela. Eu tenho que falar com a sua avó hoje.
Eu poderia levar você até a fazenda de lavandas dela, mas sei que ela não quer ninguém por lá até que o local esteja purificado.
Zoey, a sua avó não tem um celular?
Ahn, sim. Quer ligar para ela?
Thanatos curvou os lábios em um sorriso.
O século XXI já chegou, até pra mim.
Sentindo-me uma débil mental, ditei o celular de vovó para Thanatos, que digitou o número no seu iPhone.
Vou ligar para ela, mas prefiro fazer isso sozinha.
A expressão de Thanatos me disse que ela realmente não queria que eu ouvisse o tipo de perguntas que ela iria fazer para vovó, e eu rapidamente concordei.
Sim, eu entendo. Tudo bem por mim. Preciso ir para a sexta aula de qualquer jeito.
Antes, posso pedir desculpas?
Sim, claro. Mas por quê?
Eu disse uma inverdade mais cedo. Eu gostaria de me desculpar por isso e também pedir que você guarde o que eu vou contar só para você. Não conte nem para o seu guerreiro nem para a sua melhor amiga.
Ok. Vou guardar segredo.
Quando Stark me perguntou se eu conseguia ver as Trevas que cercavam Neferet e os calouros vermelhos de Dallas, minha resposta foi uma mentira.
Pisquei surpresa.
Quer dizer que você consegue ver as Trevas?
Consigo.
Balancei a cabeça.
Então você precisa pedir desculpas para Stark, Rephaim e Stevie Rae também. São eles que conseguem ver as Trevas, são eles a quem a sua mentira mais afeta.
Eles não podem saber. Eu tenho a sua palavra de que você vai manter isso em segredo?
Por quê? Por que eu devo saber e não eles?
Em vez de responder claramente, ela apenas começou a falar:
Eu já vivi quase cinco séculos. Na maior parte desse tempo, tenho lidado com a morte diariamente. Eu tenho visto as Trevas. Já vi os seus massacres, suas devastações, suas cobranças. Reconheço seus filamentos e sombras muito bem. Talvez seja porque eu observo isso há tanto tempo que eu consiga também ver o seu oposto: aquilo que faz o poder das Trevas ficar mais fraco e hesitante.
Do que você está falando?! eu queria gritar.
De você, Zoey Redbird. Há alguma coisa em você que não pode ser tocada pelas Trevas; portanto, é o seu destino permanecer ao lado da Luz e liderar a batalha contra o Mal.
Não. Eu não quero liderar nenhuma batalha. Faça isso você. Ou peça a Darius. Ou mesmo para Stark. Que inferno, chame Sgiach e os Guardiões! Todos eles são líderes. Todos são guerreiros que sabem como lutar. Eu não sei nada. Eu não sei nem o que fazer sem minha mãe parei para tomar fôlego, pressionando minha mão contra o peito. Como Thanatos não falou nada e simplesmente continuou a me fitar com seus olhos escuros, eu finalmente disse, com uma voz menos louca: Eu não quero nada disso. Só quero ser uma garota normal.
Isso deve ser parte da razão pela qual tudo isso caiu sobre os seus ombros, jovem Alta Sacerdotisa: porque você não quer isso. Talvez o poder que vai junto com esse chamado não seja capaz de corrompê-la.
Como Frodo sussurrei, mais para mim mesma do que para Thanatos. Ele nunca quis aquele maldito anel.
J.R.R. Tolkien. Bons livros, filmes excelentes.
Dei aquela olhada para ela e disse:
Sim, eu sei. Estamos no século XXI. Provavelmente você tem TV a cabo.
Claro que tenho TV a cabo.
Que bom para você, mas vamos voltar para a coisa do Portador do Anel. Ahn, se eu me lembro bem, e sei que lembro pois já vi a versão estendida do filme tipo milhões de vezes, Frodo é corrompido por esse anel que ele não queria carregar.
E dessa forma ele salvou o seu mundo das Trevas Thanatos afirmou.
Senti um arrepio congelante descendo pela minha espinha.
Eu não quero morrer. Nem quero salvar o mundo.
A morte chega para todos nós Thanatos disse.
Balancei a cabeça.
Eu não sou a Portadora do Anel. Sou só uma criança.
Uma criança que já venceu s Trevas e ganhou a sua vida de volta, não apenas uma vez, mas várias.
Ok, se você sabe disso... e se você sabe que Neferet está do lado das Trevas já que você pode vê-las, por que você está fingindo que não sabe?
Eu estou aqui para resolver a questão de Neferet e a quem ela realmente é fiel de uma vez por todas.
Então conte ao Conselho Supremo sobre as Trevas que a cercam!
E dessa forma fazer que ela seja repreendida levemente e depois volte, talvez mais forte, para fazer o mal ainda mais? E se ela for realmente a Consorte das Trevas? Se isso for verdade, então o poder completo do Conselho Supremo precisa se voltar contra ela, e para que isso aconteça nós precisamos de provas inequívocas de que ela se perdeu da Deusa para sempre.
É por isso que você está aqui. Para conseguir essas provas.
Sim.
Eu não vou contar nada a ninguém sobre o fato de você conseguir ver as Trevas. E eu digo sinceramente: prepare-se para ver um monte de Trevas. Prepare-se para encontrar a sua prova, pois eu sei com a mais profunda certeza que Neferet já se perdeu nelas eu quase acrescentei que ela nem era mais mortal. Mas não. Isso era algo que Thanatos precisava descobrir sozinha. Ah, e eu desculpo você. Apenas me prometa que você vai manter os seus olhos abertos e, quando a hora chegar, você vai garantir que o Conselho Supremo faça a coisa certa.
Eu te dou a minha palavra.
Ótimo eu disse e, enquanto Thanatos estava ligando para vovó, finalmente fui para a sexta aula.


Shaunee

Ela não tinha a menor ideia de como ia ser péssimo não ser mais gêmea de Erin. Era como se apenas uma coisa – não ser mais a melhor amiga de Erin – mudasse todo o seu plano de vida.
Caramba, era tudo tão confuso.
Quando ela tinha deixado de ser Shaunee e virado gêmea? Ela realmente não sabia. Elas haviam sido marcadas no mesmo dia e tinham chegado a House of Night exatamente na mesma hora. E ficaram amigas instantaneamente. Shaunee pensava que, como elas eram irmãs de alma, não importa o fato de ela ser negra e Erin ser branca. De ela ser de Connecticut e Erin ser de Tulsa.
Elas haviam ficado amigas e de repente. Shaunee nunca mais se sentiu sozinha. Principalmente porque ela nunca teve que ficar sozinha. Literalmente. Ela e Erin eram companheiras de quarto, tinham o mesmo horário escolar, frequentavam as mesmas festas e até namoravam garotos que eram amigos.
Sozinha no seu assento no micro-ônibus da escola, Shaunee balançou a cabeça. Ela ouviu Erin rindo com Kramisha em algum lugar no fundo do ônibus. Por um segundo, um pensamento maldoso serpenteou pela sua mente: aposto que ela está me trocando por outra garota negra como melhor amiga.
Mas Shaunee parou de pensar naquela besteira na mesma hora. Não tinha nada a ver com a cor da pele. Nunca teve. Tinha a ver com não ser capaz de ficar sozinha. O que era superirônico, porque o fato de descobrir isso havia de algum modo a colocado em uma posição em que ela estava sozinha.
Ei, eu posso sentar aqui?
Shaunee desviou os olhos da janela, por onde estava vendo o céu mais claro do pré-amanhecer, e se voltou para Damien, em pé no corredor do ônibus.
Sim, é claro.
Obrigado ele sentou ao lado dela e colocou sua pesada mochila de livros entre seus pés. Eu tenho taaaaaaanta lição de casa. E você?
É, eu também. Eu acho ela respondeu. Ei, você viu Zoey na sexta aula?
Não na sexta aula. Ela tinha Estudos Equestres e eu, aula de negócios. Mas eu a vi logo depois da escola. Por quê? O que está rolando?
Você achou que ela estava bem?
Bem? Você quer dizer fisicamente ou não estressada?
Ela está sempre estressada. Eu quis dizer fisicamente.
Sim, bem. O que está acontecendo?
Nada Shaunee disse. É só que, ahn, eu a vi no começo da sexta aula. A gente conversou aqui perto do estacionamento. Depois fomos para a aula ela analisou Damien, imaginando se devia contar a verdade a ele. Você sentiu alguma coisa estranha no ar hoje?
Damien inclinou a cabeça para o lado.
Nada incomum. Bem, estava ventando, mas isso não é exatamente raro em Oklahoma. Você sabe que nós somos o Estado em que o vento chega varrendo a planície ele cantarolou.
Eu sei disso, senhor Musical da Broadway. Só estou dizendo que o vento estava soprando forte mesmo quando Z e eu nos separamos, e acho que escutei alguma coisa sobre galhos de árvores quebrados e...
Um galho realmente caiu Stark entrou na conversa quando ele e Zoey se sentaram na frente de Damien e Shaunee.
Pois é, estava um vento muito louco Stevie Rae comentou, acomodando-se com Rephaim no assento do outro lado do corredor. Mas falar isso para Damien é a mesma coisa do que falar sobre branco com o arroz.
O que merda quer dizer? Aphrodite forçou Zoey a abrir espaço e se espremeu ao lado dela, enquanto Darius fez uma contagem rápida de cabeças e depois se sentou no banco do motorista, dando a partida.
Isso quer dizer, Detestável, que Damien já sabia que estava ventando muito hoje porque a afinidade dele é com o ar. Assim como o arroz é branco. Não sei o que você achou tão difícil nessa analogia Stevie Rae explicou.
Cala a boca Aphrodite falou para Stevie Rae.
O arroz pode ser marrom também Shaunee afirmou.
Aphrodite levantou uma sobrancelha.
Você acabou de fazer um comentário irritante sem a sua gêmea?
Sim Shaunee respondeu, sustentando o olhar dela sem se abalar.
Aphrodite bufou e desviou os olhos, depois de dizer:
Já estava na hora.
Falando em vento, sim, ele estava soprando feito louco hoje Zoey disse. Até quebrou um galho de um daqueles carvalhos antigos ela encolheu os ombros. Como Damien disse, venta bastante em Oklahoma. Por falar nisso, Damien, você sabia que Thanatos tem uma pequena afinidade com o ar?
Aimeudeus! Isso não me surpreende! Vocês viram como ela ficou assustadora hoje quando Dallas disse aquela coisa na aula? Eu não acreditei...
Shaunee deixou as palavras de todo mundo fluírem ao seu redor, mas ela continuou a observar Zoey, esperando que ela dissesse alguma coisa – qualquer coisa – sobre o que realmente tinha acontecido quando o galho da árvore quebrou. Ela sabia. Ela tinha visto a coisa toda.
Enquanto eles foram sacolejados de volta para a estação, Shaunee percebeu que Zoey não ia dizer nada.
Ok, bem, talvez ela só tenha contado a Stark o que aconteceu, sobre como ela teria sido esmagada por aquele galho se Aurox não a tivesse salvado.
Durante a próxima pausa na conversa, que aconteceu quando eles pararam em um cruzamento com a linha de trem feito um Micro-Ônibus Gigante de Idiotas, Shaunee soltou:
Alguém mais acha que é estranho Aurox assistir só a uma aula e depois não fazer mais nada além de patrulhar a escola tipo um androide pelo resto do tempo?
Tem um monte de coisas super estranhas com aquele cara Aphrodite respondeu. Mas isso não é nenhuma surpresa. Ele é o homem-objeto de Neferet.
Eu acho que eles não fazem sexo Zoey afirmou.
Shaunee estudou a expressão de Z.
Por que não?
Não sei Z respondeu de um jeito indiferente demais. Acho que Neferet não demonstra isso. Ela age mais como se ele fosse o seu escravo.
Stark riu alto.
Neferet age como se todo mundo fosse seu escravo.
Eu aposto que a Mulher Olho de Peixe Morto realmente odiou o fato de a gente ter sido tirado da aula dela Aphrodite disse.
É claro que ela odiou, principalmente porque Thanatos é uma ótima professora Stevie Rae falou. E por falar nisso, eu realmente não gostei de você ter sido tão detestável sobre nosso Imprint supercurto e totalmente não sexual na aula de hoje. Isso também aconteceu comigo, e eu digo que para mim também não foi divertido como um PitBull numa festa de gatos.
Por favor, diga que você não acabou de usar outra analogia de pobretões Aphrodite protestou.
Shaunee ficou de fora da discussão, que continuou o caminho inteiro até o estacionamento em que eles pararam na frente da estação. Em vez de se envolver, ela ficou observando Zoey. Ela também observou Stark. Na hora em que desceu do ônibus, ela acreditava em duas coisas.
Uma era de que Stark não tinha a menor ideia de que Aurox salvara a vida de Zoey naquela noite. A outra era que ela não saberia nada sobre Aurox, Zoey e Stark se ainda fosse gêmea. Uma gêmea estaria concentrada demais em ser a outra pessoa para realmente poder prestar atenção em qualquer outra coisa ou em mais alguém.
Ela não sabia o que estava acontecendo com Zoey e Aurox, mas sabia que deveria continuar a manter os olhos e a mente abertos e, se ela pudesse, descobriria tudo. Por contra própria. Sozinha. O que de repente não era uma coisa tão terrível. E pela primeira vez desde que ela havia parado de completar os pensamentos de Erin, Shaunee sorriu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!