7 de outubro de 2015

Capítulo 22 - Stevie Rae

— Você não pode matar ninguém! — Stevie Rae chorou enquanto Rephaim pegava a espada caída de um filho de Erebus.
Ele olhou para ela e sussurrou: — Force Kalona a ir contra os desejos de Neferet. É a única maneira de acabar com isso. — Então ele correu para cumprir as ordens de seu pai.
Forçar Kalona ir contra Neferet? O que Rephaim está falando? Kalona não está sob seu controle? Stevie Rae lutava para se levantar, mas os terríveis fios negros não tinham a cortado apenas por meio de seu escudo da terra, eles também tinham escorrido nela dela. Sentia-se fraca e tonta e queria vomitar as tripas para fora.
Então Zoey estava lá, agachada ao lado dela e Stark estava de plantão na frente das duas, posicionando-se entre eles e a sangrenta batalha entre os Filhos de Erebus e Kalona e Rephaim.
Stevie Rae olhou apenas a tempo de ver uma espada gigante materializar em sua mão.
Ela agarrou o pulso de Zoey.
— Não deixe Stark ferir Rephaim! — Stevie Rae pediu a sua melhor amiga. Zoey encontrando os olhos dela. — Por favor — disse ela. — Por favor, confie em mim.
Zoey, balançou uma vez a cabeça, em seguida, ela chamou seu Guerreiro.
— Não machuque Rephaim.
Stark virou a cabeça, embora ele não tirasse os olhos da batalha.
— Eu vou com maldita certeza machucá-lo se ele te atacar — ele retrucou.
— Ele não vai — Stevie Rae disse.
— Eu não apostaria nisso — Aphrodite disse, correndo até os dois, enquanto Darius, sua própria espada desembainhada, juntou a Stark, juntando-se a barreira entre o perigo e suas sacerdotisas. — Rústica, você está magestademente fodida neste momento.
— Odeio acordar com Afrodikey — disse Erin.
— Realmente odeio, mas ela está certa — disse Shaunee.
Damien abatido, olhou, ajoelhando-se no outro lado de Stevie Rae. — Nós podemos gritar com Stevie Rae mais tarde. Agora vamos apenas descobrir como tirá-la dessa bagunça — disse ele.
— Você não entende — Stevie Rae disse a ele, os olhos enchendo de lágrimas.
— Eu não quero sair dela, e a única coisa que está uma bagunça, é que vocês descobriram deste jeito, em vez de me dizendo a vocês sobre Rephaim.
Damien olhou para ela durante o que pareceu um longo tempo antes de ele responder:
— Ah, eu vejo. Eu não entendi antes porque eu perdi, eu aprendi muito sobre o amor.
Antes que Stevie Rae pudesse dizer qualquer coisa, um grito doloroso de um dos Guerreiros Filhos de Erebus chamou todos os seus olhos. Kalona acabara esfaqueando na parte carnuda da coxa, o jovem guerreiro e tinha ido para baixo, mas logo que ele caiu, outro guerreiro o arrastaram para fora do caminho e outro tomou seu lugar, fechando a quebra no círculo mortal ao redor dos seres alados.
Eles estavam lutando de costas. Stevie Rae queria enroscar-se e morrer, enquanto observava os Guerreiros da House of Night pressionar o ataque mais e mais. Perfeitamente combinados, em perfeita sintonia, Kalona e Rephaim complementavam o movimento uns dos outros. Em uma parte do cérebro dela, Stevie Rae poderia reconhecer a beleza da dança letal que estava acontecendo entre os guerreiros e os seres alados, havia uma graça e uma simetria com a luta que era inspiradora. Mas, na maior parte do cérebro que ela só queria gritar Rephaim, Corra! Voe para longe! Saia daqui! Salve-se!
Um guerreiro atacou Rephaim e no último momento ele desviou o golpe. Doente e com medo equase completamente derrotado pelo desconhecido terrível do que ia acontecer para os dois, que levou Stevie Rae mais do que deveria ter para que ela realmente ver o que Rephaim estava fazendo – ou melhor, não fazendo. E quando ela viu, Stevie Rae sentiu a doce agitação da esperança.
— Zoey — ela apertou a mão de sua amiga, não querendo desviar o olhar da batalha. — Olhe Rephaim. Ele não está atacando. Ele não está prejudicando ninguém. Ele só se defende.
Zoey fez uma pausa, observando-se, e então disse:
— Você está certa. Stevie Rae, você está certa! Ele não está atacando.
O orgulho por Rephaim cresceu no peito machucado de Stevie Rae, assim como seu coração estava batendo muito dificilmente de aguentar dentro de sua caixa torácica. Os Guerreiros continuaram atacando, brutal e mortal em seu intento. Kalona continuava a ferir, mutilar e até matar. Rephaim continuava só a se defender – ele bloqueava os golpes, fintava e recuava, mas não machucou nenhum dos guerreiros que estavam tão obviamente tentando matá-lo.
— Ela está certa — disse Darius. — O Corvo Escarnecedor está totalmente na defensiva.
— Oprimam eles! Mate-os! — Neferet gritou.
Stevie Rae tomou o seu olhar de Rephaim tempo suficiente para olhar para ela. Neferet parecia inchada com o poder, deleitando-se com a violência e destruição que estava acontecendo diante dela. Por que ninguém mais via a escuridão horrível que pulsava e deslizava na excitação em torno dela, envolvendo em torno de suas pernas, acariciando seu corpo, alimentando-se de seu poder enquanto, por sua vez, Neferet alimentava a partir da morte e destruição ao seu redor?
Como um vingador, Dragon Lankford levou os Guerreiros Filhos de Erebus a redobraram os seus ataques.
— Eu tenho que parar isso — Stevie Rae falou mais do que a si mesma em voz alta. — Antes vá longe demais e ele não possa evitar matar alguém, eu tenho que parar.
— Não há como parar isso — Zoey disse calmamente. — Eu acho que Neferet tem algo como isto planejado o tempo todo. Kalona provavelmente está aqui porque ela lhe disse para estar.
— Kalona pode ser, mas não Rephaim — Stevie Rae disse com firmeza. — Ele veio aqui para ter certeza que eu estava bem, e eu não vou deixá-lo cair por causa disso.
Ainda observando a batalha sangrenta, Stevie Rae imaginava que era uma árvore – um gigante, carvalho forte, e suas pernas eram raízes indo muito, muito baixo nas profundezas da terra. Tão profundo que os doentios fios da Escuridão de Neferet não poderiam alcançá-la. E então ela imaginou que puxava a força do Espírito da Terra – rica e fértil e poderosa. A essência pura da terra se ergueu em seu corpo. Stevie Rae ficou. Ela acenou com a mão para Z se afastar, e quando ela fez Stevie Rae avistou sua própria mão. Ela estava radiante com um verde suave e familiar. Ela começou a andar para a frente, na direção de Rephaim.
— Ei, onde você acha que está indo? — Stark perguntou. Ao lado dele, Darius parecia sólido e grande em seu caminho.
— Parar com a dança dos animais, então eu vou penetrar no seu disfarce. — A citação do poema de Kramisha transbordou através de sua mente, como um sonho.
— Ok, muito louca? — Aphrodite disse. — Você precisa manter sua bunda aqui e fora daquela confusão ali.
Stevie Rae ignorou Aphrodite e o rosto para baixo dos dois guerreiros.
— Eu tenho um Imprint com ele. Minha decisão está feita. Se vocês tem que lutar contra mim, lutem comigo, mas estou indo lá por Rephaim...
— Ninguém está lutando com você, Stevie Rae — Zoey disse. — Deixe-a ir — disse a Stark e Darius.
— Preciso de sua ajuda — Stevie Rae disse a Zoey. — Se você confiar em mim, venha comigo e me dê um impulso com o espírito.
— Não! Você não pode se meter nisso — Stark disse a Zoey.
Zoey sorriu para ele.
— Mas nós já nos metemos com Kalona e ganhamos, lembra?
Stark bufou.
— Sim, depois que eu morri.
— Não se preocupe, Guardião. Eu vou te salvar de novo se for preciso. — Zoey voltou a Stevie Rae. — Você disse que Rephaim salvou sua vida?
— Por duas vezes, e ele teve que enfrentar a Escuridão para fazê-lo. Rephaim tem algo bom dentro dele. Você tem a minha promessa, Z. Por favor, por favor, confie em mim.
— Eu confio em você. Eu sempre vou confiar em você — Zoey disse. — Eu estou indo com Stevie Rae — disse a Stark, que não parecia feliz em todas as notícias sobre isso.
— Eu também vou — disse Damien, de olhos secos. — Se você precisar do ar, ele vai estar lá para você. Eu ainda acredito no amor.
— Eu não gosto da coisa-pássaro, mas o ar não vai sem fogo — disse Shaunee.
— Idem, Gêmea — disse Erin.
Stevie Rae encontrou cada um dos seus olhares.
— Obrigada a todos vocês. Isto significa mais do que jamais poderei agradecer.
— Oh, por amor à merda. Vamos salvar o nada atraente garoto-pássaro para que a caipira possa viver infeliz para sempre — Aphrodite disse.
— Sim, vamos fazer isso, só deixe os ‘in’ da frase — Stevie Rae disse, e com o círculo se formando em torno dela, ladeado por Stark e Darius, Stevie Rae levou-os para a frente. Ainda canalizando a terra, ela não hesitou, mas andou a passos largos para a cena de sangue e destruição, chegando o mais próximo possível de Rephaim que podia.
— Não! — Gritou ele, um vislumbre dela. — Afaste-se!
— Como diabos eu vou! — Stevie Rae olhou para Damien. — Hora de cowboy. Chame o ar.
Damien enfrentou o leste.
— Ar, eu preciso de você. Venha a mim! — Vento girou em torno dele, levantando o cabelo dele e todos os outros.
Stevie Rae levantou as sobrancelhas em Shaunee, que revirou os olhos, mas enfrentou o sul e chamou:
— Fogo, venha queimar por mim, baby!
Enquanto o calor se juntou ao ar, e sem qualquer motivação, Erin enfrentou o oeste e disse:
— Água, venha e junte-se ao círculo!
O cheiro de chuva tocou seus rostos.
Tão rapidamente como a água se juntou a eles, Stevie Rae olhou para o norte e disse:
— Terra, você já está comigo. Por favor, junte ao círculo também.
A ligação de raiz, como o fundamento de que ela já havia se intensificou, e Stevie Rae sabia que ela era como um farol que brilha verde musgo brilhante. De seu lado, Z disse:
— Espírito, por favor, preencha o nosso círculo.
Havia uma maravilhosa sensação de bem-estar que Stevie Rae sustentou quando ela saiu de seu grupo, como se ela fosse a sua ponta de lança. Plenos poderes de seu elemento, ela levantou os braços, canalizou a força, a sabedoria intemporal de árvores, e disse:
— Terra, faça uma barreira para acabar com esta luta. Por favor. — Ela apontou para os homens.
— Ajude-a, ar — Damien disse.
— A acenda, fogo — Shaunee acrescentou.
— Apoie-a, água — disse Erin.
— Encha-a, espírito — Zoey disse.
Stevie Rae sentiu uma injeção de adrenalina do círculo da terra ao seu redor, para cima através dos seus pés e na mão dela. Como videira, gavinhas verdes saíram do chão, fazendo uma barreira em gaiolas em torno de Rephaim e Kalona, interrompendo completamente o confronto.
Todos se viraram para olhar para ela.
— Agora, assim é melhor. Agora nós podemos descobrir isso — Stevie Rae disse.
— Então, Zoey e seu círculo –você decidiu se aliar com a Escuridão, também — Neferet disse.
Antes que Z pudesse responder, Stevie Rae disse:
— Neferet, você é tão boa quanto merdas de esquilo. Z acabou de voltar de uma estada com Nyx no Outromundo. Ela conseguiu arrebentar Kalona lá, e trazer seu Guerreiro de volta são e salvo com ela – nenhuma outra Alta Sacerdotisa jamais foi capaz de fazer. Ela não é exatamente material da Escuridão. — Neferet abriu a boca para falar e Stevie Rae cortou. — Não! Eu só tenho mais uma coisa para te dizer – não importa quem você é engana, eu quero que você saiba que eu nunca vou acreditar que você mudou. Você é uma mentirosa, e você realmente, realmente não é bom. Eu vi o touro branco, e eu sei que você está brincando com a Escuridão, sei o quão intoxicante você é. Heck, Neferet, eu posso ver essas coisas deslizando em volta de você agora. Tão. Pretas. Como. O. Inferno.
Ela virou de costas para Neferet e focou em Kalona. Ela abriu a boca e de repente as palavras secaram. O imortal alado parecia um deus vingativo. Seu peito nu estava sujo de sangue e sua lança negra escorria sangue. Seus olhos brilharam âmbar enquanto olhava para ela com uma expressão que era diversão misturada com desprezo.
Como sempre achei que poderia enfrentá-lo? A mente de Stevie Rae gritou dentro de sua cabeça. Ele é muito poderoso, e eu não sou nada – apenas nada...
— Reforce o espírito dela — a voz de Zoey sussurrou para ela, levando com o vento que Damien havia conjurado.
Stevie Rae puxou olhar de Kalona, encontrou os olhos de Zoey. Sua melhor amiga sorriu.
— Vá em frente. Termine o que começou. Você pode fazê-lo.
Stevie Rae sentiu uma onda de gratidão. Quando o seu olhar voltou a Kalona, ela puxou profundamente a partir das raízes imaginou ligando-a a seu elemento e com essa tábua de salvação de poder, e com o apoio de seus amigos, ela terminou o que tinha começado.
— Ok, todo mundo sabe que você costumava ser guerreiro de Nyx, mas que você está aqui porque alguma coisa aconteceu com isso — ela disse a questão com naturalidade — o que significa que você estragou tudo. Isso também significa que mesmo que você tenha sido todo o mal e outras coisas, que você conhecia sobre honra e lealdade, e talvez até mesmo o amor. Então, eu tenho algo a dizer sobre o seu filho, e eu quero que você me escute. Eu não sei como ou por que isso aconteceu, mas eu amo ele, e acho que ele me ama. — Aqui ela parou e encontrou o olhar de Rephaim. — Eu amo — disse clara e distintamente, para que sua voz levada para todo mundo que estava olhando.
— Eu te amo, Stevie Rae.
Ela levou um momento para sorrir para ele, completamente, cheia de orgulho e felicidade, e acima de tudo, amor. Então ela reorientou-se para Kalona.
— Sim, é estranho. Não, isso nunca vai ser um relacionamento normal, e Deusa sabe que nós vamos ter que lidar com muitos problemas com meus amigos, mas aqui está o que é mais importante: posso dar a Rephaim a bondade de uma vida onde ele vai conhecer a paz e a felicidade. Mas eu não posso fazer isso a menos que você faça algo primeiro. Você tem que libertá-lo, Kalona. Você tem que deixá-lo fazer sua própria escolha entre permanecer com você ou mudar seu caminho. Eu vou sair desmembrada aqui e acredito que com tudo dentro de mim, que em algum lugar profundo dentro de você ainda há uma pequena porção de Guerreiro de Nyx, e do Kalona, o que protegeu a nossa Deusa, faria a coisa certa. Por favor, seja aquele Kalona novamente, apenas por um segundo.
No longo silêncio onde Kalona olhava sem piscar para Stevie Rae, a voz de Neferet intrometeu – desdenhosa e arrogante.
— Chega desta charada boba. Vou cuidar da grama da barreira. Dragon, vingue o seu exato no Corvo Escarnecedor. E você, Kalona, que será banido do meu lado como você estava antes. Nada mudou entre nós. — Enquanto ela falava, Stevie Rae viu ela puxar as sombras ao redor deles, e de seu próprio corpo, os tentáculos deslizaram pretos que parecia sempre estar perto dela agora.
Stevie Rae se preparou. Ia ser terrível, mas ela estava com maldita certeza de não recuar, e isso significava que ela estava indo ter que enfrentar a Escuridão novamente.
Mas assim como ela sentiu o primeiro rebocado da dor e do frio e da Escuridão fugir dentro da terra, o imortal alado levantou a mão um pouco, e disse: — Alto lá! Há muito tempo estou aliado com a Escuridão. Obedeça meu comando. Esta batalha não é sua. Vá embora!
— Não! — Neferet gritou quando os fios pegajosos, invisíveis a quase todos os presentes, começando a deslizar para longe para serem reabsorvidos nas sombras de onde eles vieram. Neferet virou para Kalona. — Criatura insensata! O que você está fazendo? Eu pedi que você saísse. Você deve obedecer meu comando! Eu sou a Sacerdotisa aqui!
— Eu não estou sob seu controle! Também nunca estive.
O sorriso de Kalona era vitorioso e ele parecia tão magnífico por um momento que Stevie Rae perdeu o fôlego pela visão dele.
— Eu não sei do que você está falando — Neferet se recuperou rapidamente. — Eu é que estava sob seu controle. — Kalona olhou ao redor da escola, tendo os calouros de olhos arregalados e os vampiros que estavam armados contra ele ou congelados em algum lugar entre o seu desejo de fugir dele e seu desejo de adorá-lo. — Ah, filhos de Nyx, como eu, muitos de vocês já pararam de ouvir sua Deusa. Quando vocês vão aprender?
Em seguida, o imortal alado olhou para a direita. Rephaim estava lá, silenciosamente observando seu pai.
— É verdade que você Imprinted com a Vermelha?
— Sim, pai. É.
— E você salvou a vida dela? Mais de uma vez?
— Como ela salvou a minha, por sua vez, mais de uma vez. Foi ela quem realmente me curou da queda. Foi ela que transformou a terrível ferida rasgada pela Escuridão dentro de mim depois, quando eu enfrentei o touro branco por ela. — Os olhos de Rephaim encontraram os de Stevie Rae. — Como pagamento por libertá-la da Escuridão, ela me tocou com a força da Luz que ela exerce o da Terra.
— Eu não fiz isso como forma de pagamento. Eu fiz isso porque eu não podia ver você estar machucado — disse Stevie Rae.
Lentamente, como se fosse difícil para ele, Kalona levantou a mão e pousou-a sobre o ombro do filho. — Você sabe que ela nunca pode amar você como uma mulher ama um homem? Você vai sempre desejar algo que ela não pode dar-lhe.
— Pai, o que ela me dá é mais do que eu jamais conhecera antes.
Stevie Rae ao ver o rosto se contorcer de dor de Kalona, apenas por um instante. — Dou-os o amor como o meu filho, meu filho favorito — disse ele tão baixinho que ela tinha que se esforçar para ouvi-lo.
Rephaim hesitou e quando ele respondeu ao seu pai, Stevie Rae podia ouvir a honestidade crua em sua voz, e as dores lhe custaram a admissão. — Talvez em um Outromundo, outra vida, pode ter sido verdade. Neste você me deu poder da disciplina e da raiva, mas você não me dá amor. Nunca o amor.
Os olhos de Kalona brilharam, mas Stevie Rae pensou ter visto mais dor do que a raiva dentro de suas profundezas âmbar. — Então, neste mundo, nesta vida, vou dar-lhe mais uma coisa: a escolha. Escolha, Rephaim. Escolha entre o pai que tem servido e seguido fielmente por eras e do poder que o serviço tem proporcionado a você, ou o amor da vampira Alta Sacerdotisa, que nunca será completamente sua, porque ela vai sempre, sempre estar horrorizada com o monstro dentro de você.
Os olhos de Rephaim encontraram os dela. Ela viu a pergunta em si e respondeu, antes que ele pudesse perguntar em voz alta.
— Eu não vejo um monstro quando eu olhar para você, não fora, não dentro. Então eu não estou horrorizada com você. Eu te amo, Rephaim.
Rephaim fechou os olhos por um instante, e ela sentiu um tremor de inquietação. Ele era bom, Stevie Rae acreditava que era, mas para escolher o ela sobre o seu pai iria mudar o curso da sua vida para sempre. Ele era parte imortal, e sempre pode ser uma coisa literal para ele. Talvez, ele não pudesse – talvez ele não – talvez ele –
— Pai — Stevie Rae abriu os olhos no segundo que ouviu a voz de Rephaim. Ele estava falando para Kalona, mas ele ainda estava olhando para ela. — Eu escolho Stevie Rae, e o caminho da Deusa.
O olhar dela disparou para Kalona a tempo de ver a careta de dor passar pelo rosto. — Então que assim seja. Deste dia em diante você não é mais meu filho.
Fez uma pausa e virou o seu olhar de Rephaim para o imortal alado. — Gostaria de oferecer-lhe a bênção de Nyx, mas ela não me ouve. Então, ao invés eu ofereço-lhe um conselho: Se você ama com tudo dentro de você, quando você perceber que ela não te ama da mesma maneira e ela não vai, não posso, ele vai matar tudo dentro de você — Kalona desfraldou sua grandes asas, ergueu os dois braços, e proclamou: — Rephaim está livre de mim! Então, eu tenho falado. Então deixe estar!
Depois, Stevie Rae iria pensar sobre esse momento e a forma como o ar em torno de Rephaim tremeu com a liberação de seu pai imortal. Então tudo o que podia fazer era olhar com os olhos arregalados de Rephaim com a tonalidade vermelha que esteve presente em seus olhos enquanto ela estava olhando para eles se desvaneceu, deixando apenas os olhos grandes e escuros de um garoto humano olhando para ela da cabeça de um corvo enorme.
Asas ainda estendidas, o corpo ainda ampliado pelo poder e, Stevie Rae gostava de acreditar, pelo sofrimento que ele tinha de se sentir em algum lugar dentro dele com a perda de seu filho, Kalona mudou seu olhar âmbar para Neferet. Ele não disse uma palavra. Ele só riu e, em seguida, lançou-se no céu da noite, deixando um rastro de riso zombeteiro atrás dele e uma outra coisa. Do ar, uma única pena branca caiu no chão aos pés de Stevie Rae. A chocou tanto que a barreira que havia erigido em torno de Rephaim dissipou, mas ela estava olhando para a pena tão atentamente que Stevie Rae nem sequer percebeu que sua concentração tinha totalmente destruído. Ela estava inclinando-se para pegar a pena quando Neferet comandou Dragon.
— Agora que o imortal fugiu, mate seu filho. Eu não sou enganada por essa charada.
Stevie Rae sentiu a dor terrivelmente familiar da Escuridão quebrando a conexão com a terra, enfraquecendo-a. Ela era incapaz até de chorar, enquanto observava Dragon descer sobre Rephaim.

2 comentários:

  1. Merda! A zo vai te q ajudar agr!!! Se n eles vão estar ferrado!

    ResponderExcluir
  2. Que algem solte fogos pela declaração de amor tão esperada

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!