11 de outubro de 2015

Capítulo 21 - Kalona

Morrer era mais doloroso do que Kalona havia imaginado que seria, embora durante os séculos de vida ele raramente tivesse imaginado isso. Ele estava familiarizado com a morte em um tipo de forma abstrata. Ele tinha, naturalmente, matado inúmeras vezes. Alguns dos assassinatos foram justificados; alguns não. Desde que ele deixou o Outromundo, a maioria das mortes das quais ele tinha sido responsável se encaixavam na última categoria.
Esta era uma coisa que ele lamentava quando morreu. Essas mortes injustas que tinha causado. Isso, mais o tempo que havia desperdiçado antes de aceitar o amor de seu filho, bem como a perda de Nyx. Aqueles eram seus três maiores arrependimentos, embora, mesmo quando morreu, ele mal pudesse suportar a ideia da perda de sua Deusa.
Quando não podia mais respirar, sua visão começou a ficar cinza, a escurecer e então, finalmente, os cacos de dor do que restavam de suas asas se dissiparam, e as labaredas de agonia que eram seu peito resfriaram lentamente. Kalona tinha apenas um instante para preparar-se para o inimaginável que estava por vir, e então tudo ficou escuro.
— Estenda a mão, Kalona. Pegue minha mão.
A voz de Thanatos pairou através da escuridão que sufocava Kalona. Ele tentou sugar o ar, mas não conseguia respirar. Tentou abrir os olhos, mas ele não podia ver. O espírito de Kalona golpeou contra as paredes que o aprisionava.
— Kalona! Você deve segurar a minha mão.
Eu não consigo ver sua mão!
— Você não precisa vê-la. Apenas tenha fé que ela está lá. Kalona, segure minha mão.
Às cegas, Kalona esticou o braço. E Thanatos estava lá! Ele não podia vê-la, mas podia sentir a mão quente, firme. Com todas as suas forças, ele manteve aquele aperto quando ela puxou. Com um assobio de luz e som, a visão de Kalona retornou. Ele cambaleou, mas Thanatos o manteve firmemente.
— Tudo está bem, Guerreiro. Você está livre do corpo que o limitava — disse Thanatos.
Kalona olhou para baixo e teve a inesperada vertigem, com a experiência de ver o seu próprio cadáver maltratado. Seu olhar se moveu rapidamente para longe do corpo e retornou a Thanatos.
Estou morto.
— Você está.
Eu só posso ver e sentir você por causa de sua afinidade.
— Sim e não. Você não pode sentir nada sobre esse reino, exceto o meu aperto que o libertou. Você pode ver os outros, embora eles provavelmente não possam vê-lo — Thanatos gesticulou ao redor deles.
Kalona piscou. Sua visão era estranha, como se estivesse vendo tudo, exceto Thanatos, através de uma lente espessa, nublada. Ele olhou em volta. Podia ver a árvore e o círculo. Ele olhou rapidamente de volta em seu corpo, e desta vez ele viu Rephaim, ajoelhando-se ao seu lado, chorando desesperadamente.
Diga a ele para parar de sofrer. Diga a ele que eu estou aqui, ao seu lado.
— Se isso é o que realmente deseja, vou fazê-lo. Mas você deve saber que eu só serei capaz de me comunicar com você por um tempo limitado. Até o meu dom tem limites.
O que eu devo fazer? Como posso ajudá-lo?
— Você não pode mais ajudá-lo, ou qualquer outra pessoa, neste reino. É hora de seguir em frente.
Kalona olhou para Thanatos. Quer dizer, para o Outromundo, para Reino de Nyx.
— Sim.
Kalona sentiu um pouco do pânico que ele havia experimentado quando fora preso em seu corpo rendido.
Ela me expulsou. Não vai permitir a minha entrada em seu Reino.
— Como você pode ter tanta certeza de que Nyx não vai permiti-lo lá?
Sua mente se debateu, lembrando o que acontecera quando ele transgrediu e pediu-lhe perdão. A resposta de Nyx tinha sido inabalável: “Se você um dia se mostrar digno de perdão, peça-o a mim. Mas não antes disso... Seu espírito, bem como seu corpo, estão proibidos de entrar em meu Reino.”
Eu pedi para ela. Nyx não me perdoaria. Ela proibiu a minha entrada.
— Você conseguiu o seu perdão desde então?
Não, é claro que não! Mas o consegui agora? Como eu poderia reparar os séculos de dor que causei à Deusa e Seus filhos, porque escolhi raiva e inveja sobre confiança e amor?
— Esta é uma pergunta que você deve ter a coragem de fazer à nossa Deusa — disse Thanatos.
E se ela se recusar a me perdoar? O que vai acontecer comigo?
Os olhos de Thanatos de repente pareciam antigos, com o conhecimento de muita dor, muito sofrimento.
— Se Nyx não permitir que você entre no Outromundo, você vagará no reino em que morreu.
Sem ser capaz de ser ouvido ou visto?
Thanatos assentiu.
Por quanto tempo?
— Quanto tempo é uma eternidade?
Um terrível arrepio passou por Kalona, e seu olhar voltou para o seu filho.
Você saberá se Nyx me aceitar ou não?
— Sim, mas eu vou perder a capacidade de me comunicar com você — disse ela tristemente.
Se ela me rejeitar, eu cuidarei de meu filho.
— Ele não vai saber disso — disse Thanatos.
Ele saberá se você contar a ele.
— Eu farei isso, se esse é o seu pedido.
Sim. Ele encontrou seu olhar novamente. Estou pronto. O que devo fazer?
— Eu sou tudo o que ancora você a este mundo no momento. Basta soltar a minha mão e subir.
Obrigado, Thanatos. Por tudo.
— Kalona, desejo eternamente que você abençoado seja.
No momento em que a Grande Sacerdotisa da Morte ergueu o braço, ele soltou sua mão, e seu espírito elevou-se...
Para cima... e para cima...
Kalona estava intimamente familiarizado com o voo. Ele tinha tomara os céus deste reino, bem como o do Outromundo. E, se tivesse tempo e disposição, poderia contar outros reinos pelos quais havia voado, sempre em negócios da Deusa.
Esta subida não foi como nada que ele já tivesse experimentado antes.
A princípio, a escuridão era total, tanto que ele só podia esperar que ele continuasse a subir. Quando estava começando a se desesperar, a pensar que Nyx já o havia julgado e o rejeitado, a escuridão diante dele ondulou, brilhou e assumiu uma iridescência que o lembrava da cor do mar que rodeava a antiga ilha de Capri.
O céu topázio ondulou novamente e, em seguida, como uma cortina, se separou para revelar um caminho familiar rodeado de terra cor de ferrugem. Ao fundo do solo estavam duas árvores, um espinheiro e uma sorveira. Kalona as reconheceu. Ele e Nyx tinham visitado frequentemente o local. Esta era a entrada de seu Bosque Sagrado. Tiras de pano coloridos estavam atados nos galhos retorcidos das árvores, amarrados lá com um manancial de desejos de Nyx, bem como aqueles que passaram pelo reino da Deusa. As tiras de pano voavam preguiçosamente ao vento, mudando de cores de modo que um número infinito de desejos estava representado. Atrás da árvore de desejos se estendiam hectares e hectares da mais sagrada terra de Nyx. Kalona conhecia cada caminho, cada árvore, cada lago cristalino e carpete de musgo do vale estreito.
Mesmo que ele não pudesse estar ao lado dela, Kalona desejava andar lá de novo e ter a paz que o bosque trazia mais uma vez.
Sua ascensão se concluiu, Kalona pisou no chão cor de ferrugem e esperou.


Zoey
Kalona estava morto! Era inacreditável, mas inegável. Eu estava de pé ao lado de Thanatos, segurando a vela do espírito, quando ele tinha morrido sorrindo e dizendo que ele não tinha quebrado seu juramento.
Rephaim se perdeu. Ele estava debruçado sobre o corpo de seu pai, chorando tão forte que parecia que quebraria seu corpo em pedacinhos. Stevie Rae estava atrás de mim, ainda na posição norte da terra, mas eu podia sentir sua inquietação. Ela estava a ponto de quebrar o círculo e ir para Rephaim. Eu não podia culpá-la. Eu estava prestes a apagar minha vela de espírito e fechar o círculo quando Thanatos estendeu a mão, como se estivesse oferecendo-a a Kalona, como se ele fosse alcançá-la e pegá-la. E me lembrei do que Thanatos dissera quando me pediu para lançar o círculo: Zoey, prepare seu círculo. Precisarei de seu poder emprestado...
Thanatos sabia que Kalona estava morrendo. Ela precisava do círculo para ele!
— Stevie Rae, você tem que ficar aí — falei, olhando por cima do ombro para a minha melhor amiga, que chorava seus olhos para fora. — Não podemos quebrar o círculo. Thanatos precisa dele e isso significa que Kalona precisa dele, também.
— Mas ele está morto! — Stevie Rae soluçou. — E Rephaim precisa de mim agora.
— Stevie Rae, Thanatos é a Morte. Assim como você é Terra — falei. — Ela nos pediu para lançar este círculo. Confie que ela nos deixará saber quando podemos fechá-lo.
A vela de Stevie Rae tremia com os ombros pesados dela, mas ela acenou com a cabeça e não quebrou o círculo.
Voltei minha atenção para Thanatos. Parecia que ela estava congelada com a mão estendida. Sua expressão se alterou, como se estivesse tendo uma conversa psíquica com alguém, mas nada mais mudou.
— Você sabe o que está acontecendo? — o detetive Marx me perguntou.
Ele parecia pálido e triste, e estava coberto com o sangue de Kalona.
Eu não sabia ao certo, mas aproveitei a oportunidade e falei do meu coração.
— Thanatos está ajudando a alma de Kalona. Lembra? Assim como fez na frente do Mayo.
Marx piscou e baixou a voz para um sussurro.
— Eu não vejo nenhuma luz brilhante.
— Aquelas eram almas humanas. Não importa o que aconteceu hoje, Kalona foi imortal por séculos e séculos. Sua alma provavelmente deve parecer muito diferente.
Mas eu estava errada. Thanatos de repente descongelou e agitou seu braço como se estivesse atirando um frisbee para o espaço, e uma esfera prateada incandescente, uma forma muito parecida com as que ela reunira em frente ao Mayo, foi atirada até as nuvens negras do céu antes do amanhecer.
— Thanatos estava certa. Somos mais semelhantes do que diferentes — disse Marx.
— Ohminhadeusa! Olhem lá em cima! — Shaylin estava apontando para cima.
Todos nós olhamos, e o céu sobre o rio Arkansas ondulou e se separou. Kalona estava de pé em um espaço rodeado de terra vermelha, em um lugar que eu me lembrava muito bem.
— É a entrada para o Outromundo e a árvore de pendurar! — Stark falou de sua posição, quase fora do nosso círculo.
— E o Bosque Sagrado de Nyx — acrescentei. Meu olhar encontrou o dele e nós compartilhamos um sorriso. Nós conhecíamos bem o local. Stark quase morrera lá para que eu pudesse viver.
— Filho, tire os olhos da concha que era seu pai e veja o que ele verdadeiramente se tornou — Thanatos falou, descansando a mão no ombro de Rephaim.
Ele olhou para cima a tempo de ver Nyx sair de seu bosque e se aproximar Kalona. Um imortal alado caminhava ao seu lado. Ele parecia quase exatamente como Kalona, exceto que suas asas eram douradas e ele parecia menor, mais delicadamente feito.
— Esse tem que ser Erebus — disse Damien.
Então Kalona caiu de joelhos e inclinou a cabeça, e nós estávamos muito encantados com a cena que se desenrolava para falar.
Nyx, eu me ajoelho diante de você e peço seu perdão.
A voz de Kalona viajou facilmente entre os reinos. Eu podia ouvir quão vulnerável e inseguro ele soava.
Você realmente quer pedir isso a ela, ou está simplesmente com medo de ser forçado a vagar eternamente no reino mortal?, perguntou Erebus. Ele não soava detestável. Ele parecia curioso. Mas eu podia sentir minha ira começando a subir. Por que ele de repente estava falando por Nyx?
A cabeça de Kalona permaneceu baixa, como se ele não pudesse suportar olhar para a Deusa, mas ele falou de novo, desta vez com mais confiança.
Deusa, estou aqui apenas para pedir o seu perdão, e aceito plenamente qualquer consequência que eu deva enfrentar pelos os erros que cometi.
Quando Erebus abriu a boca para dizer algo mais, Rephaim ficou de pé, gritando:
— Deixe-o em paz! Ele nem sequer está falando com você!
Não pareceu que Kalona pudesse ouvi-lo. Mas Erebus foi silenciado.
— É isso mesmo! — Stevie Rae disse com um pequeno soluço. – Deixe o pai de Rephaim em paz. Ele está pedindo o perdão de Nyx, não o seu.
Prendi a respiração quando os bonitos olhos amorosos de Nyx moveram-se de Kalona para nós.
Ela deu um passo para frente. Eu podia ver Kalona tremer quando suas vestes diáfanas roçaram o braço dele. Ela levantou a mão e varreu o céu na frente dela, e de repente eles não estavam mais suspensos no ar. Estavam exatamente à nossa frente!
— Merry meet, queridos — cumprimentou a Deusa.
Nosso mecânico “Merry meet” passou ao redor do círculo, que agora brilhava com tal intensidade que era difícil de olhar.
Nyx se aproximou de Thanatos, que se inclinou profundamente para ela.
— Não há necessidade de tais formalidades entre nós — Nyx falou para sua Grande Sacerdotisa, levantando-a com um leve toque de seu braço. — Nos conhecemos há tempo demais para isso.
— Obrigada, minha Deusa — disse Thanatos.
— Você está indo bem aqui, Filha — Nyx falou-lhe. — O feitiço é difícil, mas sua intenção é pura.
— Farei o meu melhor para mantê-lo firme.
Nyx sorriu.
— Eu não esperaria nada menos da minha Sacerdotisa da Morte.
Em seguida, ela se virou para Rephaim, que chorava ao lado do corpo de Kalona. Ele olhava para seu pai, bem, a versão de espírito de seu pai, que ainda estava ajoelhado. Ele nem sequer pareceu enxergar Nyx, que estendeu a mão sobre o corpo de Kalona para tocar seu ombro, dizendo gentilmente:
— Seu sofrimento será aliviado, meu filho.
Rephaim sacudiu sob seu toque, e seu foco mudou para a Deusa. Com os olhos arregalados, ele respondeu:
— Obrigado.
E os seus soluços desaceleraram, e depois pararam, enquanto olhava para Nyx.
E então ela estava se virando para mim. Hoje o cabelo dela era tão claro que era quase branco, como uma lua cheia, e seus olhos eram lavanda. Era difícil olhar para diretamente para ela por muito tempo. Havia algo incompreensível em sua beleza.
— Zoey Redbird, de todos os mortais aqui, Kalona lhe causou mais dor. Ele mentiu para você, seduziu-a e tentou matá-la. Cheio de despeito, raiva e ciúme, ele assassinou quem lhe era querido. Dentro de você, reside a centelha da donzela criada pelas antigas mulheres sábias e soprada a vida pela Grande Mãe Terra para mantê-lo cativo pelos crimes que cometeu contra seus povos. Você reconhece tudo isso, Zoey?
Engoli em seco.
— Sim, reconheço.
— Então, fale com sua alma e diga-me verdadeiramente, Zoey Redbird. Devo perdoar Kalona?
Fiquei em silêncio, espantada por sua pergunta. Eu? Eu deveria julgá-lo?
Enquanto lutava para encontrar uma resposta, senti a mão de Vovó deslizar para mim.
— Considere com sabedoria e fale apenas a verdade, u-we-tsi-a-ge-ya.
Olhei para Kalona. Nyx estava certa. Ele tinha feito coisas terríveis, não só para mim, mas para as pessoas que eu amava, e para o povo Cherokee. Ele criou uma raça de monstros, os Corvos Escarnecedores, que aterrorizaram os velhos e doentes durante séculos. Meu olhar passou dele para Rephaim. Ele costumava ser um daqueles monstros, mas o amor o salvou. Nyx o havia perdoado, mesmo quando Rephaim mal conseguia encontrar uma maneira de perdoar a si mesmo.
E eu sabia a resposta certa à pergunta de minha Deusa.
— Deusa, acredito que você já tenha perdoado Kalona. Só queria que ele fosse digno de seu perdão.
— E ele é, jovem Sacerdotisa? Ele é digno? Você pode perdoá-lo?
Eu apertei a mão da vovó.
— Sim, e sim — respondi com certeza. — Ele conseguiu a sua segunda chance.


Kalona
De joelhos, Kalona assistiu Nyx sorrir para Zoey, mas em vez de responder a ela, a Deusa se virou para Erebus.
— Parece que o seu dever chegou ao fim, meu velho amigo.
O sorriso de Erebus foi brilhante como a luz do sol de verão.
— Levou muito tempo, mas nunca duvidei de que ele poderia fazer isso.
A Deusa levantou uma sobrancelha delgada.
— Nunca duvidou?
— Bem, quase nunca. Vou sentir falta de atormentá-lo.
— Você não deveria atormentá-lo. Deveria ajudá-lo a encontrar o seu caminho de volta para nós — disse a Deusa.
— Bem, nós dois sabemos quão teimoso Kalona pode ser — Erebus foi até Kalona, que olhava para seu irmão em estado de choque. — Diga-me, o que teria acontecido se eu tivesse dito que durante esses anos incontáveis eu era o seu maior aliado?
— Eu não teria acreditado — Kalona desabafou.
Erebus riu espontaneamente.
— Exatamente! E, no entanto, a partir do dia em que ambos fomos criados, eu queria apenas uma coisa, que a nossa Deusa fosse feliz. Você, meu irmão errante, costumava fazê-la muito feliz.
Confuso, Kalona balançou a cabeça.
— Mas comigo fora do caminho, você se tornou seu Consorte!
— Não, Kalona. Você esteve errado sobre isso por eras. Não importa o que aconteceu entre você e Nyx, sempre fui seu amigo e melhor amigo. Nunca fui seu Consorte.
— Não brinque comigo agora — disse Kalona.
Ele não estava com raiva, mas sentiu como se seu coração fosse quebrar se Erebus pregasse mais uma peça nele.
Seu irmão suspirou e olhou para Nyx.
— Devo continuar?
— Sim, meu amigo — concordou Nyx. — Talvez ele esteja pronto para ouvir com o coração de um irmão.
Erebus voltou para Kalona, dizendo:
— Quem é meu pai?
A testa de Kalona franziu.
— O sol, é claro.
— E o seu?
— A lua.
— E o qual é o símbolo mais reverenciado da nossa Deusa? O que ilumina seu céu? O que a segue, em constante mudança, diminuindo e encerrando a sua alegria eterna?
— A lua — a voz de Kalona estava rouca.
— Eu sou o calor amigável de sua primavera e verão. Você foi criado para passar a eternidade ao lado dela, protegendo-a e amando-a. Tudo o que tinha a fazer era escolher ser digno de seu amor. E isso, você finalmente fez. Abençoado seja, Irmão.
Erebus estendeu a mão para Kalona.
Mas Kalona não a pegou. Ao contrário, ele olhou para Erebus, finalmente entendendo.
— Desde o início eu estava errado sobre você. Pode me perdoar?
— Irmão, eu assisti seu sofrimento por eras. É de bom grado que lhe concedo o perdão.
— Obrigado, Erebus.
Kalona levantou então, e em vez de pegar a mão de Erebus, puxou seu irmão mais ou menos em seu abraço. Quando eles finalmente se separaram, Kalona não fez nenhuma tentativa de enxugar as lágrimas do rosto. Ele sorriu para seu irmão, cujas bochechas também estavam molhadas. Em seguida, um movimento ao lado de Erebus atraiu seu olhar para longe do irmão, e Nyx estava diante dele. Erebus deu vários passos para trás, deixando-o para enfrentar a sua Deusa, sozinho.
Kalona caiu de joelhos.
— Eu tenho estado tão errado sobre muitas coisas — ele falou, olhando para Nyx totalmente, seu corpo tremendo com sua proximidade. — Eu escolhi a raiva e a inveja sobre amor e confiança. Eu a traí, permitindo que as Trevas entrassem em seu reino. Eu odiava meu irmão por causa de minhas próprias inseguranças. Depois eu caí. Cometi atrocidades — as lágrimas corriam pelo rosto de Kalona. — Eu não tenho o direito de perguntar, mas Nyx, minha Deusa, meu único e verdadeiro amor, você me perdoa?
Nyx estendeu-lhe a mão e disse suave e carinhosamente:
— Oh, Kalona, como senti saudades de você!
Ele olhou para a mão esguia, de repente incapaz de se mover, incapaz de sequer olhar para ela. Quando finalmente levantou a cabeça, ele se sentiu tão cheio de felicidade que era quase incapaz de falar.
— Você me perdoou — disse ele, com uma voz que tremia.
— Eu perdoei.
— Você me ama.
— Eu amo e sempre amei.
Kalona pegou a mão dela na sua, mas não se levantou.
— Nyx, Deusa da Noite, eu me comprometo de corpo, coração e alma para amar e protegê-la. Peço-lhe que aceite meu Juramento de Guerreiro.
— Aceito de bom grado o seu juramento e o manterei para toda a eternidade.
Enquanto Nyx falava, o ar em torno Kalona brilhou. Poder varreu através de suas asas, mudando-as de negras como as de um corvo para o branco luminoso de uma lua cheia.
Rindo alegremente, Kalona se levantou e pouco antes de a cortina para o Outromundo ser fechada, ele tomou sua Deusa em seus braços e se perdeu em seu beijo de boas-vindas.

16 comentários:

  1. Kalona e Nix são d+, mas só falando.
    Pior que estar na Friendzone ou até na Snapzone é estar na Erébuszone

    ResponderExcluir
  2. Muito llindo, estou muito feliz pelo Kalona, já chorei o mar inteiro 💜

    ResponderExcluir
  3. Uau. Eles se amam, sempre se amaram, soh a cabeça dura de Kalona pra pensar o contrario... A morte valeu a pena para ele! :3

    ResponderExcluir
  4. Uoou, não esperava por essa reviravolta... P. C Cast nos surpreendendo sempre.

    ResponderExcluir
  5. Gente do céu essa foi a morte mais linda que eu já li. . . Quase que choro com a morte e chorei litros com a outra vida. . . :D

    ResponderExcluir
  6. Chorando litros, com certeza casal mais lindo do livro
    -Isa

    ResponderExcluir
  7. Que amor, com certeza casal mais lindo do livro. Ela esperou ele por eons

    ResponderExcluir
  8. xiiii erebus e gay,ficar tanto tempo com uma deusa sem dar uma coçadinha .....kkkkkkkk rachei

    ResponderExcluir
  9. Mds como eu amei!! Chorei litros e q perfeição esse casal!! ❤❤❤❤❤❤

    ResponderExcluir
  10. aiminhadeusa!!!!!!! O que dizer sobre nyx e kalona???????? AMEI AMEI AMEI ♥♥♥♥

    ResponderExcluir
  11. ELA PERDOOU ELE!!!Ai como estou feliz ,pareço ate uma criança dando rizada e chorando.😂😂😂
    Concordo com vcs .Nix e Kalona🙌 ai que tudo.💏👍❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤💖💖💖💖💖💖💖💖💖💖#amando esse casal. Finalmente Neferet fez algo que presta.

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!