4 de outubro de 2015

Capítulo 20

Darius estava à frente, me puxando pelo braço. Demos uma pequena parada na entrada do dormitório das meninas. Havia escadas largas, emolduradas com as paredes, na altura da cintura, excelente para sentar e flertar com seu namorado depois que ele andou com você até a porta antes de te dar um beijo de boa noite.
O que Stark estava fazendo era uma gozação torcida de beijo de boa noite que geralmente acontecia ali. Ele estava segurando uma garota em que poderia ter sido um abraço, se não fosse evidente que, poucos segundos antes os dentes deles tinham se afundado no pescoço dela, e estava tentando fugir dele. Vi, horrorizada, como Stark, percebendo à nossa presença, continuou o seu ataque a ela. Não importava que a garota estava agora certamente gemendo sexualmente. Quero dizer, todos nós sabemos o que acontece quando um vampiro morde alguém: Os receptores sexuais de ambos, da “vítima” (e, neste caso, ela é definitivamente sua vítima!) E o vampiro são estimulados. Ela estava sentindo fisicamente os sentimentos, mas a largura, dos olhos aterrorizados, e à rigidez do seu corpo tornou evidente que ela ia lutar com ele se pudesse. Stark estava bebendo em goles enormes de sua garganta. Seus gemidos eram selvagens e da mão que não foi segurá-la apertado contra o seu corpo estava desastrada na saia da menina, levantando-a para que ele pudesse colocar entre suas pernas e de...
— Liberte-a! — Darius comandou, puxando o braço dele do meu aperto e saindo da névoa e noite que estávamos escondidos. Stark deixou cair a menina como eu não tinha pensado ele não deu mais nenhum enorme gole. Ela choramingou mexendo suas mãos e joelhos para longe dele para Darius. Darius jogou um lenço que antigamente ele puxou do bolso dele pra mim e disse: — Ajude ela.
Então, ele ficou como uma montanha muscular entre a histérica menina e eu e Stark. Eu me agachei para baixo, percebendo com surpresa que a garota era Becca Adams, uma loura bonita que antigamente costumava ter uma quedinha por Erik. Como eu assisti Darius enfrentar Stark, entreguei o lenço para Becca e sussurrei palavras acolhedoras para ela.
— Você parece se manter sempre no meu caminho — disse Stark.
Seus olhos brilhavam ainda vermelho, e havia sangue em sua boca que ele limpou com a palma de sua mão. Mais uma vez, eu podia ver uma escuridão pulsante em torno dele. Não era totalmente visível, mas mais uma sombra dentro de uma sombra que se tivesse deslocado para dentro e para fora da minha visão, algo que realmente foi visto mais fácil quando eu não estava olhando para ele.
E então me bateu. Eu sabia onde eu notei esse estranho líquido escuro antes. Estava na sombra dos túneis, e depois novamente no vislumbre da forma espectral da Neferet que virou o Corvo Escarnecedor, que quase me matou! Com mais esta súbita visão Reconheci mais essa escuridão. Eu tinha certeza que tinha estado presente, pulsante como uma sombra que vivem em torno de Stevie Rae antes dela mudar, só então os meus olhos e mente haviam registrado apenas a luta e angústia da minha melhor amiga, e eu tinha pensado que a escuridão que se apoderou dela era apenas interna.
Deusa, eu fui uma idiota! Oprimida, tentei fazer sentido deste novo conhecimento enquanto Darius confrontava Stark.
— Talvez ninguém tenha explicado a você que Vampiros machos não abusam do sexo feminino, sejam elas humanas, Vampiras, ou calouras. — Darius falou calmamente, como se estivesse tendo uma conversa normal com um amigo.
— Eu não sou um Vampiro. — Stark apontou para o contorno da lua crescente em vermelho na sua testa.
— Esse é um detalhe inconsequente. — Darius fez sinal de si mesmo para Stark — não abusar do sexo feminino. Nunca. A Deusa nos ensinou melhor.
Stark sorriu, mas o gesto faltava qualquer verdadeiro humor. — Acho que você vai descobrir que as regras mudaram por aqui.
— Bem, rapaz, eu acho que você verá que alguns de nós têm normas escritas aqui — Darius apontou para o seu coração — e há regras escritas que não estão sujeitos à volução pelos caprichos daqueles em torno de nós.
O rosto de Stark endureceu. Ele andou para trás e liberou o arco que estava preso em um cinto e puxou ele. Então, ele puxou uma flecha da aljava que eu assumi que era uma bolsa de homem pendurada sobre seus ombros (Eu sabia que não; Stark não é
exatamente um cara tipo bolsa de homem).
Ele colocou a seta no arco e disse: — Eu acho que eu vou ter certeza que você nunca estará no meu caminho novamente.
— Não! — Eu levantei e fui para o lado de Darius, meu coração batendo como um louco.
— Que diabos aconteceu com você, Stark?
— Eu morri! — ele gritou, seu rosto torcendo com a raiva e a fantasmagórica escuridão enrolada em torno dele. Agora que era visível para mim, me perguntei como eu nunca poderia ter esquecido dela. Ignorando a sombra do mal, eu continuei a enfrentá-lo.
— Eu sei disso! — Eu gritei. — Eu estava lá, lembra? — Isso fez ele pausar. Se curvando um pouco para baixo. Eu levei isso como um bom sinal, e continuei. — Você disse que ia voltar por Duquesa e por mim. — Quando eu disse o nome do seu cão, dor passou em toda a sua face, e de repente ele olhou e parecia fraco e jovem. Mas a expressão durou apenas um instante. Eu pisquei e ele voltou a ser perigoso e sarcástico, porém seus olhos tinham parado com o vermelho brilhante.
— Sim, estou de volta. Mas as coisas são diferentes agora. E mudanças maiores estão chegando. — Dando a Darius olhar de total repúdio. — Todos os que acreditam na mesma merda que você não significa mais nada. Fará você fraco, e quando você estiver fraco você morre.
Darius agitou sua cabeça. — Honrar o caminho da Deusa nunca é fraqueza.
— Sim, bem, eu não tenho visto muito de qualquer deusa passando por aqui, Você tem?
— Sim, eu absolutamente tenho — eu falei acima. — Eu vi Nyx. Ela apareceu lá — Apontei para o dormitório de meninas — apenas um par de dias atrás.
Stark me olhou em silêncio por um longo tempo. Eu pesquisei seu rosto, tentando encontrar algum indício de que o cara que eu senti uma conexão quem eu beijei direita antes dele morrer nos meus braços. Mas tudo que eu pude ver foi um imprevisível estranho, e acima de tudo na minha mente foi o conhecimento que se der um tiro com o arco ele nunca era o que ele mira. E de repente me lembrei. Ele não tinha matado Stevie Rae. O fato de que ela estava viva provou que ele não pretendia matá-la. Então, talvez houvesse alguma parte do velho Stark dentro dele.
— Stevie Rae está bem, de qualquer forma — eu disse.
— Isso não é nada para mim — disse ele.
Eu franzi. — Achei que você queria saber, sendo que foi sua flecha que acertou ela não mortalmente.
— Eu estava fazendo o que me disseram para fazer. O patrão disse para fazer sangrar; e fiz sangrar.
— Neferet? Ela é quem está controlando você? — Perguntei. Seus olhos chamejaram.
— Ninguém me controla!
— Sua sede está controlando você — Darius disse.
— Se você não estava sob seu controle, você não teria tomado a força desse calouro.
— Sim? Você acha que sim? Bem, você está errado. Ora, eu gosto da minha sede! Eu gosto de fazer o que sempre eu quero com essa menina. É hora vampiros pararem de estar em volta. Nós somos mais espertos, mais fortes, melhor do que seres humanos. Devemos estar no comando, não eles!
— Esta jovem não é humana. — A voz de Darius era como uma lâmina pura, lembrei que ele não era um cara tipo irmão mais velho, ele era um filho de Erebus e um dos mais poderosos guerreiros vivo.
— Eu estava sedento e não tinha um humano útil — disse Stark.
— Zoey, leve a garota para o dormitório. — Darius não tirou seus olhos fora Stark. — Ela é feita servindo sua conveniência.
Eu me apressei sobre Becca ajudando ela a ficar de pé. Ela estava um pouco hesitante, mas capaz de andar. Quando chegamos em Darius, ele avançou com a gente, sempre mantendo-se entre nós e Stark. Assim como nós estávamos passando por ele, Stark falou irritado com uma intensidade que enviou um calafrio em volta do meu pescoço.
— Você sabe, tudo o que tenho a fazer é pensar em matá-lo e atirar esta seta. Onde quer que você esteja, você está morto.
— Se assim é, então vou ser morto — disse Darius como um fato. — E você vai ser um monstro.
— Eu não me importo de ser um monstro!
— E não me importo de morrer pela minha Alta Sacerdotisa e encontrar, finalmente, a minha deusa — disse Darius.
— Se você machucá-lo, eu vou atrás de você com tudo o que tenho — eu disse a Stark.
Stark olhou para mim e seus lábios inclinaram em um fantasma, do bonitinho, sorriso confiante que ele costumava ter. — Você provou um pouco do mostro em você mesma, não é, Zoey?
Eu não acho que valia um desagradável comentário como resposta, e obviamente nem Darius. Ele continuou vigiando-nos por Stark, abrindo a porta do dormitório e ajudando Becca entrar. Mas, em vez de seguir com ela, eu parei. Minha intuição dizia que tinha algo que deveria fazer, e tanto quanto eu gostaria de ignorar a minha intuição, eu sabia que eu não devia.
— Eu já volto — disse a Darius. Eu pude ver que ele estava indo para argumentar comigo, mas eu apertei a minha cabeça e disse: — Confiem em mim. Só preciso de um segundo.
— Eu vou estar aqui dentro perto da porta — Darius disse, jogou a Stark um olhar duro e, em seguida, entrou no dormitório.
Eu enfrentei Stark. Eu sabia que eu estava tendo uma chance com o que eu ia dizer para ele, mas eu pensei lembrando do poema de Kramisha e da linha que disse: “humanidade a salva / Ela irá me salvar?” Eu tinha pelo menos que tentar.
— Jack esta cuidando da Duquesa — eu disse sem qualquer problema. Vi flashs de dor nos olhos dele novamente, mas sua voz não foi tocado por ele.
— E dai?
— E dai, eu estou apenas dizendo que seu cachorro está bem. Ela teve um tempo muito difícil, mas ela está bem.
— Eu não sou quem eu costumava ser, por isso ela não é mais minha cachorra. — Desta vez eu ouvi um requebro em sua voz, que me deu suficiente esperança e eu dei um passo em direção a ele.
— Ei, a grande coisa sobre cães é que eles dão amor incondicional. Duquesa não se importa quem você é agora. Ela vai ainda amar você.
— Você não sabe o que você está falando — disse ele.
— Sim, eu sei. Eu passei um tempo com seu cachorro. Ela tem um grande coração.
— Eu não estava falando sobre ela. Eu estava falando de mim.
— Bem, eu passei algum tempo com os calouros vermelhos, também. Sem contar que a primeira vampira vermelha adulta é minha melhor amiga. Stevie Rae é diferente do que ela costumava ser, mas eu ainda amo ela — eu disse. — Talvez se você passar algum tempo com Stevie Rae e o resto dos calouros vermelhos poderia, não sei, você se encontrar novamente. Eles têm. — Eu disse isso com muito mais confiança do que eu sentia. Afinal, eu tinha vislumbrado fragmentos da escuridão circulando Stark escondidas nesses túneis, em torno desses calouros vermelhos, mas eu não poderia deixar de crer que seria melhor tirá-lo daqui, onde o mal parecia ir e vir tão facilmente.
— Claro — disse ele muito rapidamente. — Por que você não me leva a essa Stevie Rae consertada e eu vou ver o que acontece?
— Claro — eu disse tão rapidamente. — Por que você não deixa o seu arco e flechas aqui e mostra-me como sair fora do campus sem que os pássaro malucos saibam e eu faço isso? — Sua expressão endureceu e ele era um estranho novamente.
— Eu não vou a lugar nenhum sem o meu arco, e não deixo o campus sem eles saberem.
— Então, parece que não irá ver Stevie Rae — eu disse.
— Eu não preciso de você para me mostrar onde está Stevie Rae. Ela sabe tudo sobre seu esconderijo. Quando ela quiser sua amiga, ela irá pegar com ela. Se eu fosse você, eu esperaria ver Stevie Rae muito mais cedo do que você imaginava que veria.
Aviso, sinos estavam tocando como um alarme de incêndio em minha mente, e eu definitivamente não tinha que perguntar quem era “ela” que Stark estava falando. Mas em vez de mostrar o quão assustada estava com o que Stark falou, eu sorri e disse
calmamente:
— Não há uma forma disso acontecer. Estou bem aqui, e Stevie Rae esta bem segura onde ela está porque ela se mudou. Não é grande coisa. Além disso, é sempre muito bom vê-la, por isso, se ela aparecer aqui, vai ser legal.
— Sim, tanto faz. Não é grande coisa. E eu estou bem onde estou.
Ele parecia longe de mim, fora para o nevoeiro que estava gelado passando preguiçosamente em torno de nós.
— Não entendo por que você se importa, de qualquer forma.
E de repente eu sabia exatamente o que dizer. — Vou manter apenas minha
promessas para você.
— O que você quer dizer?
— Você me pediu para prometer-lhe duas coisas antes de morrer. Uma delas foi não esquecer você, e eu não esqueci. A outra era para cuidar da Duquesa, e eu estou deixando você saber que eu tenho a certeza que ela está bem.
— Você pode dizer a esse garoto Jack que Duquesa agora é o seu cão. Diga a ele...— Ainda não olhando para mim, ele deu uma pausa e uma forte respiração. — Diga a ele que ela é um bom cão e para cuidar dela.
Continuando a seguir a minha intuição, eu cruzei a poucos metros entre nós e coloquei minha mão sobre seu ombro, quase exatamente como eu havia feito na noite em que morreu.
— Você sabe que não importa o que você disser ou que você fazer para ela, Duquesa irá sempre pertencer a você. Quando morreu, ela chorou. Eu estava lá. Eu vi ela. Eu não esqueço. Não vou esquecer nunca.
Ele não olhou para mim, mas ele deixou sua cabeça cair lentamente para baixo e colocou sua mão sobre a minha. Nós ficamos lá desse jeito. Tocando, mas sem dizer nada. Tentava ver o seu rosto com cuidado, para ver a transformação. Quando ele pressionou a mão sobre minha, ele deu uma longa e lenta respiração, e seu rosto relaxou. A última pista do vermelho deixou os olhos dele, bem como a estranha, sombria escuridão evaporou. Quando ele finalmente olhou para mim, ele era o garoto que tinha sido, quando estava em meus braços, ouvi ele dizer que ele ia voltar.
— E se não há nada deixado em mim para amar? — Ele perguntou em uma voz tão baixa que se eu não tivesse tão quieta eu não teria ouvido dele.
— Eu acho que você ainda pode escolher o que você é, ou pelo menos o que você está se tornando. Stevie Rae escolheu a sua humanidade ao invés do monstro. Acho você também pode.
Sei o que fiz depois foi estúpido. Não estou certa, porque fiz isso. Quer dizer, eu já havia questões pendentes com Erik e Heath. A última coisa que eu precisava era outro menino complicando na minha vida, mas, naquele momento, havia apenas Stark e eu, e ele era novamente o cara que tinha se agonizado pelo dom que Nyx tinha dado porque ele tinha acidentalmente causado a morte do seu mentor, o cara que tinha sido horrorizado com o pensamento de matar ninguém. O cara que eu senti uma imediata e profunda ligação que eu pensei que talvez só lá estavam realmente tal coisa como almas gêmeas, e que tinha considerado, pelo menos por alguns breves momentos, que ele poderia ser minha. Isso é tudo que eu estava pensando quando eu pulei em seus braços.
Quando ele curvou hesitantemente e pressionou seus lábios nos meus, eu fechei os olhos e beijei suavemente e docemente. Ele beijou de volta, segurando-me tão suavemente que era como se ele pensasse que eu poderia quebrar. Então eu senti ele endurecer e ele se puxou para longe, tendo um rápido retrocesso. Eu tinha certeza que vi lágrimas em seus olhos antes que ele gritou.
— Você deveria ter me esquecido! — Stark pegou seu arco e apressadamente sumiu na noite tempestuosa. Quando ele tinha ido embora eu ficava olhando atrás dele, me perguntando o que diabos estava errado comigo. Como eu poderia ter beijado um cara que estava minutos antes atacando alguém? Como poderia sentir uma ligação com alguém que poderia ser mais monstro do que homem? Talvez eu nem sabia mais de mim.
Eu não sabia o que eu estava ficando. Eu estremeci. A fria umidade da noite parecia ter passado através de minhas roupas para a minha pele e ossos. E me senti cansada. Realmente, muito cansada.
— Obrigado, fogo, ar e água — sussurrei escutando os elementos. — Vocês saíram bem esta noite. Vocês podem ir agora.
A névoa e o frio passaram por mim mais uma vez e, em seguida, foram para longe, deixando-me a sós com a noite e as tempestades em minha confusão. Cansada eu andei de volta ao dormitório, desejando que poderia entrar, tomar uma ducha quente, e espatifar na minha cama para dormir durante vários dias. Naturalmente, o meu desejo não era um comando da...

10 comentários:

  1. Acho que ela desmaiou.

    ResponderExcluir
  2. Como a zoey consegue ser tao vadia, cara?
    Ja ta acabando com os sentimentos do Heath e do Erik e ainda quer trazer mais um macho pra roda. Me poupe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Stark já estava na roda antes. Ela estava solteira quando o conheceu e começou a gostar dele, ela não tinha Heath nem Erik

      Excluir
  3. Estou completa e profundamente apaixonada pelo Stark *--* Shippando loucamente ele com a Zoey <3.<3

    ResponderExcluir
  4. TUDO QUE POSSO DIZER REALMENTE É... COITADO DO HEATH...
    LANNY

    ResponderExcluir
  5. como ficaria o nome dela junto com de stark?
    zoark kkkkk que estranho!!!

    ResponderExcluir
  6. Eu fico indecisa entre Heath e Stark.
    Se tivesse um jeito do Heath se transformar, eu torceria por ele, mas ele é humano, o melhor a fazer seria deixar ele ir embora... MAS EU AMO TAAANTO ELEEE!

    ResponderExcluir
  7. Acho q a deusa deu um dom pra Zoey, e nem ela percebeu ainda... Acho que o dom é "Putiane Para Sempre" kkkkkkk

    ResponderExcluir
  8. gosto muito heath e muito do erik tambem,mas acho que stark precisava precisou precisa e sempre precisara de zoey!

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!