7 de outubro de 2015

Capítulo 20 - Zoey

Eu quase continuei andando, e então me lembrei que antes dele passar pela mudança, Erik tinha sido colega de quarto de Jack. E por isso também me lembrei que não importava naquele momento o que tinha acontecido entre eu e ele. Eu estava exercendo o papel de Alta Sacerdotisa esta noite por Jack, e eu sabia acima de qualquer dúvida que Jack não iria querer que eu deixasse Erik sentar á fora, sozinho, chorando.
Além disso, eu tive um súbito clarão em minha mente do tempo em que Erik havia me encontrado chorando depois do meu primeiro, desastroso Ritual das Filhas das Trevas. Naquela época ele tinha sido doce e sério e me fez sentir como se eu realmente pudesse lidar com a loucura que aconteceu nesta escola.
Eu lhe devia um favor em troca.
Apertei a mão de Damien e levei todo o meu grupo a um impasse. — Querido — eu disse a Damien — Eu quero que você vá com Stark e todos os outros para a fogueira. Há algo que tenho que fazer bem rápido. Além disso, de tudo o que eu li sobre funerais vamp e tal, você - porque Jack realmente era o seu consorte - precisa gastar tempo meditando antes de a pira ser acesa. — Pelo menos eu esperava que fosse o que Damien precisava fazer.
Como se tivesse materializado em resposta às minhas palavras, uma vampira saiu das sombras, vindo da direção da pira funerária. — Você está absolutamente correta, Zoey Redbird — disse ela.
Eu, juntamente com todos os meus amigos, demos a ele um grande olhar de questionamento.
— Oh, eu deveria me apresentar. — Ela me ofereceu seu antebraço na tradicional saudação vampira. — Eu sou Beverly — Ela fez uma pausa, limpou a garganta e começou novamente. — Eu sou professora Missal. A nova instrutora de feitiços e rituais.
— Oh, uh, legal conhecer você. — Voltei sua saudação, segurando seu antebraço. Sim, ela tinha uma tatuagem vamp completa num padrão bonito que me fazia lembrar de notas musicais, mas eu juro que ela parecia mais jovem do que Stevie Rae. — Hum, Professora Missal, você levaria Damien e o resto dos calouros para a fogueira? Há algo que eu preciso fazer aqui.
— Claro que sim. Tudo estará pronto para você. — Virou-se para Damien e disse gentilmente: — Por favor, siga-me.
Damien, disse um OK bem fraco, mas seus olhos pareciam super vidrados. Ainda assim, ele começou a seguir a nova professora. Stark recuou. Seus olhos se deslocaram para as sombras e o banco em que Erik estava sentado. Então voltou-se para mim. — Por favor — eu disse. — Eu preciso falar com ele. Confie em mim, okay?
Seu rosto relaxou. — Não tem problema, mo bann ri. — disse antes de começar a ir depois de Damien, acrescentando suavemente em seu sotaque escocês excelente, — Eu estarei esperando por você quando você acabar.
— Obrigado. — Tentei dizer-lhe com os meus olhos o quanto eu o amava e apreciava sua lealdade e sua confiança.
Ele sorriu e afastou-se com o resto do grupo. Bem, exceto por Aphrodite. E Darius, que pairava como sombra dela.
— O quê? — Eu disse.
— Como podemos deixá-la sozinha? — Aphrodite revirou os olhos. — Sério. Quão ignorante é você? Neferet conseguiu cortar a cabeça de Jack sem realmente estar lá. Darius e eu não vamos deixar você sozinha para o conforto Erik o Esguicho.
Olhei para Darius, mas ele balançou a cabeça e disse: — Desculpe, Zoey, Aphrodite tem um ponto.
— Você poderia pelo menos ficar fora do alcance da voz? — Eu perguntei em desespero.
— Como se nós quiséssemos ouvir porcaria de choro de bebê de Erik? Nenhum problema. Só se apresse. Ninguém precisa ficar esperando por um saco voador. — Aphrodite disse.
Eu não me incomodei mesmo a suspirar enquanto me afastava deles, fazendo meu caminho para Erik. Ok, sério. O cara nem sabia que eu estava lá. Eu estava em pé na frente dele. Seu rosto estava em suas mãos e ele estava chorando. Realmente a chorar. Sabendo que excelente ator que era, eu limpei minha garganta e fiquei pronta para ser semi-sarcástica, ou pelo menos muito passivo-agressiva.
Quando ele olhou para mim tudo mudou. Seus olhos estavam inchados e vermelhos. Lágrimas embebiam suas bochechas. Ranho ainda corria para fora de seu nariz. Ele piscou um par de vezes, como se ele estivesse precisando se um serio tempo para focar em mim. — Oh, uh, Zoey — disse ele, e fez um esforço para se arrumar. Ele sentou-se reto, e limpou o nariz ranhoso na parte de trás da manga. — Hum, ei. Você está de volta.
— Sim, eu desembarquei há pouco tempo. Eu vou acender a pira de Jack. Quer vir comigo?
Um soluço irrompeu de dentro dele. Erik baixou a cabeça e começou a chorar.
Foi totalmente horrível. Eu também não sabia o que fazer.
E eu juro que ouvi Aphrodite roncar ao longe.
— Hey. — Sentei-me ao lado dele e meio sem jeito dei um tapinha no ombro. — Eu sei que é terrível. Vocês foram realmente bons amigos.
Erik acenou com a cabeça. Eu podia ver que ele estava fazendo um esforço para se manter sob controle, então eu sentei e balbuciei enquanto ele fungava e enxugava o rosto na manga (EESH).
— É realmente um saco. Jack era muito bom inteiro e doce, jovem e algo como isso acontecer com ele. Nós todos vamos sentir muita falta dele.
— Neferet fez isso. — Falava baixinho, e eu o vi olhando ao redor como se ele estivesse com medo de ser ouvido. — Eu não sei como. Eu nem mesmo sei porque, mas ela fez isso.
— Sim — eu disse.
Nossos olhos se encontraram.
— Você vai fazer algo sobre isso? — Disse.
Meu olhar não vacilou nem um pouco. — Absolutamente tudo em meu poder.
Ele quase sorriu. — Bem, isso é bom o suficiente para mim. — Ele enxugou o rosto de novo e passou a mão pelo cabelo. — Eu estava indo embora.
— Huh? — Eu disse brilhantemente.
— Sim, indo. Deixando a House of Night de Tulsa para a de Los Angeles. Querem-me lá em Hollywood. Era para eu ser o próximo Brad Pitt.
— Era? — Eu perguntei, totalmente confusa. — O que é que fez você parar?
Lentamente, Erik levantou a mão direita e segurou-a, com a palma para fora, em direção a mim. Pisquei várias vezes, sem entender bem o que eu estava vendo.
— Sim, é o que você pensa — disse ele.
— É o labirinto de Nyx. — Claro que reconheci as tatuagens levantadas cor de safira, que enchiam a palma da mão, mas era como se minha mente estivesse tendo um tempo difícil de aproximar-se dos meus olhos, e eu não estava entendendo até que a voz de Aphrodite veio de trás de mim.
— Oh, por amor de merda! Erik é um Rastreador.
Os olhos de Erik moveram de mim para Aphrodite. — Felizes agora? Vá em frente e ria. Você sabe que isso significa que não posso deixar a House of Night de Tulsa por quatro anos que eu tenho que ficar aqui e seguir uma maldita essência e seja o babaca que está lá quando todas as crianças para os próximos quatro anos são marcadas e descobre que ele pode ou não pode morrer, mas com certeza tem que mudar sua vida para sempre.
Houve um momento de silêncio e, em seguida, Aphrodite disse: — É isso que está incomodando você? Que você é o novo Rastreador e é um trabalho duro, ou o que realmente está incomodando você, é que você tem que ficar fora de Hollywood por quatro anos e nesse tempo não há certeza de ser “o próximo Brad Pitt?”
Eu virei e olhei para ela. — Ele era colega de quarto de Jack! Você se lembra o que é perder um companheiro de quarto? — Eu vi sua expressão mudar e suavizar, mas eu só balancei minha cabeça. — Não. Você e Darius vão em frente. Eu vou seguir vocês. — Quando Aphrodite ainda hesitou falei diretamente com o Guerreiro dela. — Como Alta Sacerdotisa estou comandando a você. Eu quero ficar sozinha com Erik. Tome Aphrodite e me encontre na pira de Jack.
Darius não hesitou um segundo. Ele se curvou solenemente para mim, então ele pegou Aphrodite pelo cotovelo e puxou-a para longe, literalmente. Suspirei profundamente e se sentei ao lado de Erik no banco.
— Desculpe por isso. Aphrodite significa, bem, como Stevie Rae diria, ela não é muito agradável às vezes.
Erik bufou. — Você não precisa me dizer isso. Ela e eu namorávamos, lembra?
— Eu me lembro — eu disse calmamente. Em seguida, acrescentei: — Você e eu namoramos, também.
— Sim — disse ele. — Eu achei que te amava.
— Eu pensei que eu te amava, também.
Ele olhou para mim. — Estávamos errados?
Olhei novamente para ele. Realmente olhei para trás. Deusa, ele era realmente quente num jeito Superman/Clark Kent. Alto e musculoso e olhos azuis escuros. Mas havia mais para ele do que isso.
Sim, ele era controlador e arrogante, mas em algum lugar dentro dele eu sabia que havia um muito, muito bom rapaz. Eu apenas não era a garota certa para esse cara.
— Sim, nós estávamos errados, mas tudo bem. Recentemente fui lembrada de que está tudo bem por não ser perfeita, especialmente se você aprender com sua bagunça. Assim como sobre nós aprendemos com a nossa? Acho que poderíamos ser melhores amigos de qualquer maneira.
Seus lábios lindos viraram para cima. — Eu acho que você pode estar certa.
— Além disso — acrescentei, batendo-lhe com o meu ombro, — eu não tenho o suficiente belos caras certos como amigos meus.
— Eu sou um cara muito certinho. Quero dizer, realmente um cara hetero que é também, como vocês dizem, bonito.
— Sim, você é — eu disse. Então eu estendi minha mão. — Amigos?
— Amigos. — Erik pegou a minha mão na sua e, em seguida, com um sorriso jovial, ele deixou cair graciosamente do banco e ficou de joelhos. — Minha senhora, vamos sempre ser amigos.
— Dokie Okie — eu disse, meio sem fôlego, porque, bem, não importa o quanto eu amasse Stark, Erik era seriamente quente e um ator superbom.
Ele se curvou e beijou minha mão. Não em um assustador estou-tentando-entrar-em-suas-calças, mas de uma forma antiga de cavalheiro real. Ainda se joelhos, ele olhou para mim e disse:
— Você tem que dizer algo hoje à noite que nos dê esperança e ajude Damien, porque agora muitos de nós estão apenas flutuando por aí se perguntando o que diabos - e Damien não está seriamente bem.
Meu coração apertou. — Eu sei.
— Ótimo. Não importa os outros, eu acredito em você, Zoey.
Eu suspirei. Mais uma vez.
Ele sorriu e se levantou, me puxando para cima com ele. — Então, por favor deixe-me acompanhá-la para o funeral.
Tomei o braço de Erik e pisei em um futuro que eu não poderia ter começado a imaginar.


Foi um incrível, triste e inacreditável visão. Ao contrário da última vez que uma pira funerária tinha queimado por um vampiro na House of Night, a escola inteira estava lá. Calouros e vampiros fizeram um grande círculo em torno de uma estrutura tipo tribunal que tinha sido construída no centro do terreno da escola. Eu ainda podia ver a grama queimada que testemunhava o fato de que não há muito tempo o corpo Anastasia Lankford havia sido consumido pelo fogo da Deusa nesse mesmo lugar. Só que a escola não tinha saído para testemunhar e mostrar respeito por ela, então.
Muitos deles haviam estado sob o controle de Kalona ou apenas francamente com medo. Hoje era diferente. O controle de Kalona tinha sido quebrado e Jack estava recebendo uma despedida de guerreiro.
Meus olhos encontraram os olhos de Dragon Lankford antes mesmo de eu olhar para a pira funerária. Ele estava em pé atrás de Jack na sombra da árvore mais próxima de carvalho. Mas as sombras não escondiam sua dor. Eu pude ver lágrimas caindo silenciosamente pelo seu rosto cinzelado. Deusa ajude Dragon, foi minha primeira oração da noite. Ele é um homem tão bom. O ajude a encontrar paz.
Então olhei para Jack.
O que eu vi me fez suspirar e sorrir através das minhas lágrimas. Como era tradicional para os funerais vampiros, ele tinha sido envolvido, dos pés à cabeça, na mortalha de vampiro tradicional, mas a que envolvia Jack era roxa. Super brilhante. Super brilhante. Super roxa.
— Ela realmente fez. — A voz embargada de Erik veio do meu lado. — Eu sabia que roxo era sua cor favorita, então eu fui até The Dolphin na Utica Square e comprei faixas roxas. Muitas delas. Então eu disse a Sapphire na enfermaria para embrulhar Jack nelas, embora eu não achei que ela realmente faria.
Virei-me para Erik, subi na ponta dos pés, e beijei sua bochecha. — Obrigado. Jack iria adorar que você fizesse isso. Você foi um bom amigo para ele, Erik.
Ele acenou e sorriu, mas não disse nada, e eu vi que ele estava chorando de novo.
Antes que eu pudesse acompanhá-lo e gritar tão duro que eu não poderia ser confundida com uma Alta Sacerdotisa, eu olhava para longe e meus olhos encontraram os de Damien. Ele estava de joelhos na cabeça da pira de Jack.
Duquesa estava sentada ao lado dele e sua gata, Cammy, estava enrolada tristemente entre os joelhos. Stark estava próximo a Duquesa e eu podia ver que ele estava acariciando-a e murmurando para o cão e Damien, ao mesmo tempo. Stevie Rae estava ao lado de Stark, olhando super infeliz e gritava constantemente. Aphrodite estava no outro lado de Damien, com Darius bem atrás dela. As Gêmeas foram para a esquerda. E de cada lado do meu grupo de melhores amigos, a escola inteira esticava em um círculo, calma e respeitável em torno da pira. Muitos dos calouros e vampiros, incluindo Lenobia e a maioria dos outros professores, estavam segurando velas roxas.
Parecia que ninguém, exceto Stark, estava falando, mas eu podia ouvir muitos a soluçar.
Neferet não estava em lugar algum visível.
— Você pode fazer isso — Erik sussurrou.
— Como? — Eu quase não falei a palavra.
— Como sempre fez, com a ajuda de Nyx — disse ele.
— Por favor, Nyx, me ajude. Eu não posso fazer isso sozinha — eu sussurrei em voz alta. E então a professora Missal estava lá, conduzindo-me para a frente. Então, movendo como que eu esperava serem os passos confiantes de uma realmente adulta Alta Sacerdotisa, caminhei diretamente para Damien.
Stark me viu primeiro. Quando seus olhos encontraram os meus, eu não vi qualquer sinal de ciúme ou raiva, mesmo sabendo que Erik estava andando atrás de mim. Meu guerreiro, meu guardião, meu amante, afastou-se e curvou-se formalmente para mim.
— Merry Meet, Alta Sacerdotisa. — Sua voz soou sobre o terreno da escola. Todo mundo virou para mim e parecia, como um, a House of Night inclinou, reconhecendo-me como Alta Sacerdotisa.
Ela me deu um sentimento como eu nunca tinha sentido antes. Professores, vampiros de centenas de anos, e calouros estavam todos olhando para mim – acreditando em mim, confiando em mim.
Foi tão terrível quanto foi incrível. Nunca se esqueça deste sentimento, a voz da Deusa cantava através da minha mente. Uma verdadeira Alta Sacerdotisa é humilde, assim como orgulhosa, e nunca se esqueça da responsabilidade que implica de ser uma líder.
Eu parei diante de Damien e me curvei para ele, o punho fechado no meu coração. — Merry Meet, Damien. — Então, não se importando que eu estava desviando o texto de etiqueta vampira de funeral que eu li no avião, eu levei as mãos e puxou Damien, de modo que ele levantou-se. Eu passei meus braços em torno dele e repeti: — Merry Meet, Damien.
Ele soluçou uma vez. Seu corpo se sentia forte e ele se movia lentamente, como se ele estivesse com medo de quebrar em um zilhão de pedaços, mas ele me abraçou de volta com muita dificuldade. Antes de me afastar dele, fechei os olhos, centrei-me, e sussurrei: — Ar, venha para o seu Damien. Preencha-o com leveza e esperança, e ajude-o a mantê-lo nesta noite. — O ar respondeu imediatamente. Ele levantou meu cabelo e enrolou Damien e eu. Eu ouvi ele sugar a respiração, e quando ele exalou, um pouco do terrível aperto saiu de seu corpo. Eu pisei para trás e encontrei seus olhos tristes. — Eu amo você, Damien.
— Eu também te amo, Zoey. Vá em frente. — Ele acenou na direção do corpo envolto em roxo de Jack. — Faça o que você tem que fazer. Eu sei que Jack não está lá de qualquer maneira. — Fez uma pausa e sufocou um soluço e, em seguida, acrescentou: — Ele ficaria feliz que é você, embora.
Ao invés de explodir em lágrimas e cair no chão em uma poça encharcada como eu queria, eu virei a cara para a pira e House of Night. Eu tomei duas respirações profundas, deixando-as sair, e na terceira, eu sussurrei, — Espírito, venha a mim. Torne a minha voz alta o suficiente para que todos ouçam. — O elemento com o qual tinha a mais estreita afinidade encheu-me e fortaleceu-me. Quando eu comecei a falar a minha voz era como um farol da Deusa, e ecoou com o som e o espírito sobre o terreno da escola.
— Jack não está aqui. Em nossas mentes todos nós entendemos isso. Damien só disse isso para mim, mas hoje eu quero que todos vocês saibam disso. — Eu podia sentir os olhos de todos em mim, e eu falava devagar e claramente as palavras da Deusa tocava eles enquanto vinham a minha mente. — Eu fui para o Outromundo e posso prometer-lhes que é tão belo e surpreendente e real como o coração quer acreditar. Jack está lá. Ele não sente nenhuma dor. Ele não está triste ou preocupado ou com medo. Ele está com Nyx em seus prados e bosques. — Fiz uma pausa e sorri com o brilho das lágrimas. — Ele provavelmente está brincando alegremente nos prados e bosques. — Ouvi risadinhas surpreendidas de Damien ecoar por alguns dos calouros.
— Ele está encontrando amigos íntimos, como o meu Heath, e provavelmente decorando como um louco. — Aphrodite bufou uma risada e Erik riu. — Nós não podemos estar com ele agora. — Olhei para Damien. — É difícil. Eu sei que é difícil. Mas podemos ter certeza de que vamos vê-lo novamente, nesta vida ou na próxima. E quando o fizermos, não importa quem somos ou onde estaremos, eu prometo a você que uma coisa sobre o nosso espírito, nossa essência, permanecerá o mesmo: o amor. Nosso amor vive e vai durar para sempre. E isso é uma promessa que eu sei que vem diretamente da Deusa. — Stark entregou-me um longo cajado de madeira que tinha algo pegajoso enrolado no outro extremo do mesmo. Eu peguei, mas antes de eu caminhei até a pira meus olhos encontraram os de Shaunee.
— Você vai me ajudar? — Eu perguntei a ela.
Ela enxugou as lágrimas, diante sul, levantei os braços, e com uma voz ampliada pelo amor e perda, ela chamou: — Fogo! Venha a mim! — As mãos que ela levantou sobre sua cabeça brilhavam enquanto, comigo, Shaunee caminhava até a frente da pilha gigante de madeira sobre a qual o corpo de Jack estava deitado.
— Jack Swift, você era um menino doce e especial. Eu sempre vou te amar como um irmão e um amigo. Até a próxima vez que te vir, merry meet, merry part e merry meet again. — Quando toquei o fim da minha tocha na pira, Shaunee arremessou seu elemento em que, de imediato, acendeu com um brilho sobrenatural que brilhava amarela e roxo.
Eu tinha voltado para Shaunee e estava abrindo a boca para agradecer a ela e seu elemento, quando a voz de Neferet perfurou a noite.
— Zoey Redbird! Caloura Sacerdotisa! Eu peço que você testemunhe!

2 comentários:

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!