4 de outubro de 2015

Capítulo 1

O sonho começou com o som de asas. Em retrospectiva eu percebi que eu deveria saber que isso era um mau sinal, com os Corvos Escarnecedores livres e tudo mais, mas no meu sonho era só um barulho de fundo, como o barulho das fãs torcendo ou quando a TV está ligada no QVC.
No meu sonho eu estava parada no meio de uma linda campina. Era noite, mas havia uma enorme lua cheia pairando logo acima das árvores que emolduravam a campina. Ela lançava uma luz azul prateada forte o bastante para fazer sombras e fez tudo parecer como se estivesse debaixo da água, uma impressão que era fortificada pela gentil brisa soprando suavemente a grama contra minhas pernas nuas em curvas e voltas como ondas batendo suavemente contra a costa. Esse mesmo vento estava erguendo meu grosso cabelo preto de cima dos meus ombros nus e parecia seda flutuando contra a minha pele.
Pernas nuas? Ombros nus?
Eu olhei para baixo e soltei um gritinho de surpresa. Eu estava usando um minivestido de camurça seriamente curto. O topo dele era cortado em um V, costas e frente, então ele não ficava nos ombros, deixando muita pele visível. O vestido em si era incrível.
Era branco e decorado com penas, franjas, e conchas e parecia brilhar na luz do luar.
Todo ele estava bordado com designs intricados que eram impossivelmente lindos.
Minha imaginação é tão legal!
O vestido atiçou uma memória, mas eu a ignorei. Eu não queria pensar muito – eu estava sonhando! Ao invés de ponderar sobre momentos de déjà vu eu dancei graciosamente pela campina, me perguntando se Zac Efron ou até Johnny Depp iam de repente aparecer e flertar comigo.
Eu olhei ao redor enquanto eu fazia voltas e oscilei com o vento e através dele eu vi sombras se batendo e se movendo estranhamente com as massivas árvores. Eu parei e estava tentando dar uma olhada mais de perto no que estava acontecendo na escuridão.
Me conhecendo e meus estranhos sonhos, eu criei garrafas de coca penduradas nas árvores como frutas bizarras, só esperando para eu recolhê-las.
Foi então que ele apareceu.
Na ponta da campina, dentro das sombras das árvores, uma forma se materializou. Eu podia ver o corpo dele porque a luz do luar pegou as suaves, e nuas linhas da pele dele.
Nuas?
Eu parei. Minha imaginação tinha perdido a cabeça? Eu não a favor de ficar saltitando ao redor de uma campina com um cara nu, mesmo que ele fosse o incrivelmente misterioso Sr. Johnny Deep.
— Você hesita, meu amor?
Ao som da voz dele um calafrio passou pelo meu corpo, e a terrível, risada zombadora foi sussurrada pelas folhas das árvores. — Quem é você? — Eu fiquei feliz por minha voz no sonho não me trair com o medo que eu estava sentindo.
A risada dele era profunda e linda como a voz dele, e era assustador. Ela ecoou pelos galhos das árvores até ficar quase visível no ar ao meu redor.
— Você finge não me conhecer?
A voz dele passou contra o meu corpo, fazendo eu me arrepiar.
— Yeah, eu sei. Eu te inventei. Esse é o meu sonho. Você é uma mistura de Zac e Johnny. — Eu hesitei, espiando para ele. Eu falei de forma despreocupada embora meu coração estivesse batendo feito louco porque já era obvio que esse cara não era uma mistura desses dois atores. — Bem, talvez você seja o Superman ou o Príncipe Encantado — eu disse, procurando qualquer coisa menos a verdade.
— Eu não sou um fragmento da sua imaginação. Você me conhece. Sua alma me conhece.
Eu não havia movido meus pés, mas mes corpo estava vagarosamente sendo atraído em direção a ele, como se a voz dele me puxasse. Eu o alcancei e olhei para cima e para cima...
Era Kalona. Eu o reconheci pelas primeiras palavras que ele havia falado. Eu só não queria admitir para mim mesma. Como eu podia ter um sonho com ele?
Pesadelo - isso tem que ser um pesadelo e não um sonho.
O corpo dele estava nu, mas não era completamente substancial. A forma dele se movimentava e mudava junto com a brisa. Atrás dele, nas escuras sombras verdes das árvores, eu podia ver as sombras fantasmagóricas dos filhos dele, os Corvos Escarnecedores, enquanto eles se prendiam nos galhos com as mãos e pés de homens e me encaravam com olhos de homem e com o rosto mutante de aves.
— Você ainda alega não me conhecer?
Os olhos dele eram pretos - um céu sem estrelas. Eles pareciam a coisa mais substancial dele. Isso e a voz líquida dele. Embora isso seja um pesadelo, ainda é meu. Eu posso só acordar! Eu quero acordar! Eu quero acordar!
Mas eu não acordei. Eu não podia. Eu não estava no controle. Kalona estava. Ele construiu esse sonho, essa escura campina, e de alguma forma me trouxe aqui, fechando a porta da realidade atrás de nós.
— O que você quer? — Eu disse as palavras rapidamente para que ele não ouvisse minha voz tremendo.
— Você sabe o que eu quero, meu amor. Eu quero você.
— Eu não sou seu amor.
— É claro que é. — Ele se moveu dessa vez, ficando tão perto de mim que eu podia sentir o calafrio que veio do corpo não substancial dele. — Minh A-ya.
A-ya era o nome da virgem que as Cherokke Mulheres Sábias tinham criado para prender ele séculos atrás. Pânico passou por mim. — Eu não sou A-ya!
— Você comanda os elementos — a voz dele era cuidadosa, horrível e maravilhosa, compelida e aterrorizante.
— Dons da minha Deusa — eu disse.
— Uma vez você comandava os elementos. Você era feita deles. Criada pra me amar.
As massivas asas escuras dele se mexeram e levantaram. Batendo para frente suavemente, elas me enrolaram num abraço espectral que era frio e congelado.
— Não! Você deve ter me confundido com outra pessoa. Eu não sou A-ya.
— Você está errada, meu amor. Eu sinto ela em você.
As asas dele se pressionaram contra meu corpo, me arrastando mais para perto dele.
Embora a forma física dele fosse semi-substancial, eu podia sentir ele. As asas dele eram suaves. Geladas contra o calor do meu corpo. As linhas do corpo dele eram uma fria névoa. Queimou minha pele, mandando correntes elétricas através de mim, me esquentando com um desejo que eu não queria sentir mais era incapaz de resistir.
A risada dele era sedutora. Eu queria me afogar nela. Eu me inclinei para frente, fechando meus olhos e arfando alto enquanto as crianças do espírito dele passavam contra meus seios, me enviando sensações que eram dolorosas, mas deliciosamente eróticas em lugares do meu corpo que me fizeram sentir descontrolada.
— Você gosta da dor. Te traz prazer. — As asas dele ficaram mais insistentes, o corpo dele mais duro e o frio e mais apaixonadamente doloroso enquanto ele se pressionava contra mim. — Se renda a mim. — A voz dele, já linda, era incrivelmente sedutora enquanto ele ficou estimulado. — Eu passei séculos nos seus braços. Dessa vez nosso juntar será controlado por mim, e você irá se alegrar com o prazer que posso te trazer. Seja meu amor, verdadeiramente, em corpo assim como em alma e te darei o mundo!
O significa das palavras dele penetraram através da neblina de dor e prazer como luz do sol queimando o orvalho. Eu encontrei minha vontade de novo, e tropecei para fora do abraço das asas dele. Os rebentos de fumaça gelada e negra passavam pelo meu corpo, se aderindo... tocando... acariciando...
Eu me chacoalhei como um gato irritado saindo da chuva e a escura névoa deslizou do meu corpo. — Não! Eu não sou seu amor. Eu não sou A-ya. E eu nunca vou me voltar contra Nyx!
Quando eu falei o nome de Nyx, o pesadelo se despedaçou. Eu sentei na cama, tremendo e ofegando. Stevie Rae estava dormindo ao meu lado, mas Nala estava bem acordada. Ela estava rosnando suavemente. As costas dela estavam arqueadas, o corpo totalmente inchado, e ela estava encarando no ar acima de mim.
— Ah, diabos! — Eu tremi e sai da cama, virando e olhando para cima, esperando ver Kalona pairando como um gigante morcego por cima de nós.
Nada. Não havia nada ali.
Eu peguei Nala e sentei na cama. Com as mãos trêmulas eu a acariciei. — Foi só um sonho ruim... foi só um sonho ruim... foi só um sonho ruim — eu disse a ela, mas eu sabia que era uma mentira. Kalona era real, e de alguma forma ele foi capaz de me alcançar no meu sonho.

3 comentários:

  1. nossa to mega feliz comprei o quarto da serie muitoo bom msm....brigado pk vcs tem todos os q eu nao posso compra!!!

    ResponderExcluir
  2. Eu li todos os outros parei nesse anges de a seleçao esse era meu favorito rs e continua sendo
    E uma pena nao ver tantos comentarios igual a seleçao

    ResponderExcluir
  3. Eu já imaginava que a Zoey iria lembrar a A-ya pro Kalona. As duas tem várias semelhanças. Agora fodeu!

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!