7 de outubro de 2015

Capítulo 19 - Zoey

— Você parece muito cansado. — Eu toquei o rosto de Stark como se eu pudesse suavizar as olheiras sob seus olhos. — Eu pensei que você tivesse dormido a maior parte do voo.
Stark beijou minha mão e fez o que parecia ser uma tentativa de seu sorriso arrogante, que falhou miseravelmente. — Eu estou legal. É só o cansaço da viagem.
— Como você pode estar cansado da viagem antes mesmo de eles abrirem a porta do jato? — Mostrei meu queixo na direção da vampira aeromoça que estava ocupada fazendo o que é que eles faziam para conseguir abrir o avião para o desembarque. Havia um chiado e a luz do cinto de segurança fez um irritantemente barulhento som de ding!ding!.
— Lá, a porta está aberta. Eu posso ficar cansado da viagem agora — disse Stark quando ele soltou o cinto de segurança.
Sabendo que estava completamente cheio de côco de cachorro, agarrei-lhe o pulso e fiz ele ficar em seu lugar. — Você sabe que eu posso dizer que algo está errado. — Stark suspirou.
— Estou tendo pesadelos novamente, isso é tudo. E quando eu acordo, eu não
consigo nunca me lembrar deles. De alguma forma, parece ser a pior parte. É provavelmente um efeito colateral de ter estado no Outromundo.
— Ótimo. Você tem TEPT. Eu sabia disso. Ei, eu acho que eu lembro de ter lido em um dos jornais informativos da House of Night que Dragon é um dos conselheiros escolares. Talvez você pudesse vê-lo e –
— Não! — Stark interrompeu, e, em seguida, beijou meu nariz quando eu fiz uma careta para ele.
— Pare de se preocupar. Eu estou bem. Eu não preciso falar com Dragon sobre meus sonhos ruins. Além disso, eu não sei o que infernos é TEPT, mas parece bastante com uma doença sexualmente transmissível por ser desonesto.
Eu não pude fazer nada, eu dei uma risadinha. — Desonesto? Você parece Seoras.
— Sim, mulher, então isto está lembrando quem você deve ser! Tire sua bunda da cadeira.
Eu fiz uma carranca e balancei a cabeça. — Não. Me. Chame. De. Mulher. Além disso, é bizarro o quão bem você pode fazer aquele sotaque. — Ele tinha um ponto em sair do avião estúpido, então, por isso levantei-me e esperei por ele para pegar a minha bagagem de mão. Enquanto estávamos a subir a rampa do avião, acrescentou — E TEPT representa o Transtorno de Estresse Pós-Traumático.
— Como você sabe disso?
— Eu pesquisei no Google seus sintomas e apareceu isso.
— Você fez o quê? — Disse ele tão alto, que uma mulher vestindo uma camiseta com apliques nos deu o olho de mau-cheiro.
— Shhh. — Enrolei meu braço no seu para que pudéssemos conversar sem ninguém olhando com boca aberta. — Olha, você está agindo de forma estranha: cansado, distraído, mal-humorado, e você está esquecendo coisas. Procurei no Google. TEPT veio à tona. Você provavelmente precisará de aconselhamento.
Ele me deu seu olhar você-é-uma-mulher-louca. — Z, eu te amo. Vou guardá-la e ficar ao seu lado para o resto da minha vida. Mas você tem que parar de pesquisar coisas relacionadas com a saúde. Principalmente coisas relacionadas com a minha saúde.
— Eu apenas gosto de estar bem informada.
— Você gosta de assustar a você mesma pesquisando coisas bizarras de saúde.
— Então?
Ele sorriu para mim, e desta vez ele parecia arrogante e bonito. — Então você admite isso.
— Não necessariamente — disse eu, acotovelando-o. Eu não consegui dizer mais nada porque só então eu estava envolvido no que parecia um tornado mini Oklahoma.
— Zoey! Oh minha deusa, é tão bom ver você! Eu senti sua falta feito uma louca! Você está bem? É terrível sobre Jack, não é? — Stevie Rae estava me abraçando, chorando e falando todas ao mesmo tempo.
— Oh, Stevie Rae, eu senti de você, também! — E então eu estava a chorar junto com ela e apenas ficamos lá, segurando firmemente a cada toque uma a outra como se pudessem de alguma forma fazer tudo o que era louco e errado no nosso mundo melhor.
Sobre o ombro de Stevie Rae vi em pé Stark ali, sorrindo para nós. Ele estava saindo para entregar um pequeno pacote de lenços de viagem que guardou no bolso de sua calça jeans, desde que ele voltou do Outromundo, e eu pensei que talvez, apenas talvez, o toque adicionado ao amor poderia fazer melhor quase tudo em nosso mundo.
— Venha — eu disse a Stevie Rae enquanto pegamos os lenços de Stark e nós três caminhamos de braços dados através da porta giratória gigante que nos jogava para fora em uma noite fria de Tulsa. — Vamos para casa, e no caminho até lá você pode me dizer tudo sobre a gigante, fedida pilha de côco de cachorro que está esperando por mim.
— Veja como fala, u-we-tsi-a-ge-ya.
— Vovó — eu me desenrolei de Stevie Rae e Stark e corri para os seus braços. Eu a abracei com força, deixando o amor e o perfume suave de lavanda me cercar. — Oh, vovó, eu estou tão feliz por você estar aqui!
— U-we-tsi-a-ge-ya, filha, deixe-me olhar para seu rosto. — Vovó me segurou no comprimento do braço, as mãos nos meus ombros, enquanto ela estudava meu rosto.
— É verdade, você está inteira e bem novamente. — Fechou os olhos e apertou meus ombros, murmurando: — Graças a Grande Mãe para isso. — Então nós estávamos abraçando e rindo ao mesmo tempo.
— Como você sabia que eu estaria aqui? — Eu perguntei quando finalmente fui capaz de parar de abraçá-la.
— Será que o seu super legal sexto sentido lhe disse? — Stevie Rae perguntou enquanto ela intensificou e abraçou de Olá a avó.
— Não — ela disse, voltando sua atenção de Stevie Rae para Stark, que estava olhando para ela. — Algo muito mais mundano. — Ela sorriu angelicalmente. — Ou eu suponho que devo dizer a alguém muito mais mundano, embora eu não tenha nenhuma mundana certeza que está é uma boa palavra para usar quando se refere a este guerreiro valoroso.
— Stark? Você chamou minha avó?
Ele atirou-me o seu sorriso arrogante e disse: — Sim, eu gosto de ter uma desculpa para chamar outra bela mulher chamada Redbird.
— Vem cá, você é encantador — disse a Vovó.
Eu balancei minha cabeça enquanto Stark abraçava vovó com cuidado, como se ele não tivesse certeza se ela quebraria ou não. Ele chamou a minha avó e disse-lhe quando o nosso avião estava pousando. Os olhos de Stark encontraram os meus por cima do ombro da vovó. Obrigado, eu fiz silenciosamente com a boca para ele. Seu sorriso ficou maior.
Então, a avó estava lá ao meu lado novamente, tomando a minha mão.
— Ei, por que Stevie Rae e eu não vamos pegar o carro, enquanto você e sua avó conversam? — Mal tive tempo para acenar que sim, e os dois foram embora, deixando a Vovó e eu achar um banco posicionado convenientemente perto. Sentamos por um segundo, sem dizer nada. Nós apenas demos as mãos e olhamos uma para a outra. Eu não sabia que eu estava chorando, até a vovó delicadamente limpar as lágrimas do meu rosto.
— Eu sabia que você ia voltar para nós — disse ela.
— Sinto muito ter preocupado você. Lamento que eu não –
— Ssh — Vovó me silenciou. — Não há necessidade de desculpas. Você fez o seu melhor, e seu melhor sempre foi bom o suficiente para mim.
— Eu era fraca, vovó. Eu ainda sou fraca — eu disse honestamente.
— Não, U-we-tsi-a-ge-ya, você é jovem, isso é tudo. — Ela tocou o meu rosto suavemente. — Eu sinto muito sobre sua saúde. Vou sentir falta daquele jovem.
— Eu também — disse eu, piscando duro se não eu iria começar a chorar novamente.
— Mas sinto que vocês dois se encontrarão uns aos outros novamente. Talvez nesta vida, talvez na próxima.
Eu balancei a cabeça. — É isso que Heath disse, também, antes de se mudar para o próximo campo de Outromundo.
O sorriso da avó estava sereno. — O Outromundo – eu sei que ele estava sob condições de partir o coração, mas a você foi dado um grande presente quando foi autorizado a viajar para lá e para trás.
Suas palavras me fizeram pensar, realmente pensar. Desde que eu tinha voltado para o mundo real que eu estava cansada e triste e confusa, e então, finalmente, com Stark eu estava feliz e amando. 
— Mas eu não tenho agradecido — disse eu em voz alta as palavras assim que eu percebi elas. — Eu não compreendi o presente que tinha me sido dado. — Eu queria bater-me na cabeça. — Eu sou uma porcaria de Alta Sacerdotisa, vovó.
A avó riu. — Oh, Zoey Passarinha, se isso fosse verdade você não se perguntaria ou se daria ao trabalho para seus erros.
Eu funguei. — Eu não acho que Altas Sacerdotisas supostamente cometem erros.
— Claro que sim. Quanto mais eles poderiam aprender e crescer?
Comecei a dizer que eu cometi erros suficientes que eu deveria crescer, assim, um zilhão de metros de altura, mas eu sabia que não era o que a avó queria dizer. Eu suspirei e disse: — Eu tenho um monte de faltas.
— É uma mulher sábia que reconhece isso. — Tristeza fez sorrir desaparecer. — É uma das principais diferenças entre você e sua mãe.
— Minha mãe. — Suspirei novamente. — Eu estive pensando sobre ela ultimamente.
— Como tenho eu. Linda ficou perto da minha mente durante os últimos dias.
Eu levantei minhas sobrancelhas para vovó. Normalmente, quando alguém estava “perto de sua mente”, significava algo estava acontecendo com aquela pessoa. — Você já ouviu falar dela?
— Não, mas eu acredito que em breve. Mantenha bons pensamentos para ela, U-we-tsi-a-ge-ya.
— Eu vou — disse eu.
Meu Bug apareceu então, parecendo familiar e bonito com sua pintura azul água brilhante e reluzente cromo.
— Melhor você voltar a sua escola, Zoey Passarinha. Você vai ser necessária lá hoje à noite — disse ela em seu avó numa voz sem-sentido.
Nós ficamos de pé, nos abraçando novamente. Eu tinha de me fazer deixar ela ir. — Você vai ficar esta noite em Tulsa, vovó?
— Oh, não, querida. Eu tenho muito o que fazer. Há um grande powwow amanhã Tahlequah e eu fiz lindos saquinhos de alfazema novo. — Ela sorriu para mim. — Eu frisei Redbirds neles.
Eu sorri e abracei-a uma última vez. — Guarde um para mim, ok?
— Sempre — disse ela. — Eu te amo, U-we-tsi-a-ge-ya.
— Eu também te amo — eu disse.
E então eu assisti como Stark saltou do Bug e tomou o braço da avó, ajudando-a a atravessar a rua movimentada entre o terminal de chegadas do aeroporto e o estacionamento de curta duração. Ele correu de volta para mim, desviando dos carros. Quando ele abriu a porta do carro para mim detive-me, apertei minha mão em seu peito e puxei a camisa dele até que ele se abaixou para que eu pudesse beijá-lo. — Você é o melhor guerreiro do mundo — eu sussurrei contra os lábios.
— Sim — ele disse, olhos brilhantes.
Amassando-me no fundo do meu Bug eu encontrei Stevie Rae com os olhos no espelho retrovisor.
— Obrigado por me dar algum tempo a sós com minha avó.
— Não é um problema, Z. Eu amo a sua avó.
— Sim, eu também — eu disse baixinho. Então eu ajeitei meus ombros e, sentindo-se totalmente habilitada, continuei, — Tudo bem. Então. Conte-me sobre o cocô de cachorro que estou me preparando para entrar na escola.
— Segure-se nos seus cavalos porque é realmente uma bagunça vermelha-quente — Stevie Rae disse enquanto ela sinalizava e se afastava do meio-fio.
— Você nem gosta de cavalos — disse.
— Exatamente — disse ela, não fazendo absolutamente nenhum sentido, mas também me fez rir.
Sim, bagunça quente de cocô de cachorro ou não, eu estava seriamente contente de estar em casa.


— Eu ainda não posso acreditar que o Conselho Superior poderia ser tão ingênuo — eu disse o que parecia ser um zilhão de vezes enquanto Stevie Rae me ajudou a decidir sobre o que roupa eu vou usar para acender pira funerária de Jack. Estremeci.
Sem bater, Aphrodite entrou na sala. Ela deu uma olhada no preto, de mangas compridas, de gola alta preta e jeans preto que eu estava segurando e disse: — Oh, por amor de merda. Você não pode usar isso. Você está acendendo a pira funerária de um gay. Você sabe como mortificado Jack seria se ele te visse nisso, para não mencionar Damien? Parece o início de 1990 Anita Blake rejeitaria essa roupa.
— Quem é Anita Blake? — Stevie Rae perguntou.
— Vampira vadia assassina escrita por uma garota humana que tem um totalmente sentido de forma trágica. — Aphrodite usava um vestido justo ao corpo cor de safira, que era um pouco brilhante, mas não tanto que parecia um daqueles bailes dos rejeitos de David's Bridal. Na verdade, ela estava linda e elegante como ela normalmente era. Provavelmente porque Victoria, sua cliente pessoal em super elegante Miss Jackson na praça de Utica, tinha mandado a coisa para ela, logo que chegou e cobrado em seu cartão de crédito de platina da mamãe. Suspirei. E meio que fez minha cabeça doer.
Enfim, ela marchou para o meu armário, abriu-o e depois de um olhar de desdém no meu guarda-roupa tirou o vestido que ela tinha me dado na noite que eu tinha ido para o meu primeiro Ritual das Filhas das Trevas. Era preto, de mangas compridas, e (ao contrário do suéter e jeans) lisonjeiro.
Também foi cortado ao redor do decote redondo baixo, as mangas fofas, e na orla, com poucas miçangas vermelhas que brilhavam quando me movia e combinou perfeitamente com o colar de líder das Filhas das Trevas de lua tripla que descansava no meu pescoço. Encontrei os olhos dela. — Este vestido não trás lembranças tão agradáveis ligadas a ele — disse eu.
— Sim, bem, ele fica bem em você. É apropriado. E, mais importante, Jack iria amá-lo totalmente. Além disso, de acordo com a minha mãe, memórias mudam como as pessoas fazem, especialmente se há álcool suficiente envolvido.
— Olha Aphrodite, não me diga que você vai beber esta noite. Isso simplesmente não é apropriado — Stevie Rae disse.
— Não, caipira. Ou pelo menos não até mais tarde. — Jogou o vestido em mim. — Agora, coloque isso e se apresse. As Gêmeas e Darius estão trazendo Damien aqui para que todos possamos caminhar para a pira juntos, um show de solidariedade da horda de nerds e tudo mais, que acredito ser uma boa decisão — acrescentou ela rapidamente quando Stevie Rae sugou no ar e abriu a boca para interromper. — Oh, e oi. É bom ver você e seu namorado hipocondríaco de volta ao mundo real.
— Tudo bem. Vou usar isso. — Eu entrei em nosso banheiro, em seguida, coloquei a cabeça para fora e encontrei os olhos azuis frios de Aphrodite. — Ah, e Stark é o meu Guardião e Guerreiro em primeiro lugar, o namorado é segundo. E ele com certeza não é hipocondríaco. Você sabe disso. Você viu o que aconteceu com ele.
— Huh — Aphrodite zombou baixinho.
Eu ignorei o som rude, mas mantive a porta aberta para que eu pudesse ainda falar com elas enquanto eu me vestia. Quando eu vi a pedra fiz uma pausa, e decidi deixá-la cair abaixo da parte superior do vestido – de maneira nenhuma eu me sentia bem em responder às perguntas sobre Skye e Sgiach hoje. Eu penteei meu cabelo rapidamente e disse:
— Ei, vocês acham que Neferet vai deixar-me por luz na fogueira, porque ela espera que eu estrague tudo? — O inferno, eu esperava não estragar tudo, porque ela não?
— Bem, acho que seu plano é muito mais nefasto do que o desastrado em torno de algumas palavras, porque você está gritando, porque você realmente se importava sobre Jack — Stevie Rae disse.
— Nef o quê? — Disse Shaunee enquanto ela, também, entrava no meu quarto, sem fazer nenhum como vai.
— Relacionado a quem? — Opinou Erin. — O que ela está fazendo, Gêmea? Tentando pegar a folga de vocabulário de Damien?
— Totalmente soa como ele, Gêmea — Shaunee respondeu.
— Eu gosto de palavras, e vocês duas podem ir chupar um limão — Stevie Rae disse.
Aphrodite começou a rir e depois cobriu com uma tosse quando saí do banheiro e olhei para todos eles.
— Estamos nos preparando para ir a um funeral. Eu acho que deveríamos mostrar um pouco mais de respeito por Jack, já que ele era nosso amigo e tudo.
As gêmeas instantaneamente olharam contritas. Elas vieram até mim e cada uma me deu um abraço, murmurando e feliz que você está volta.
— Z tem um ponto sobre sermos mais séria, e não apenas porque é funeral de Jack e isso é realmente terrível. Nós todos sabemos que não há nenhuma maneira de Neferet de repente decidir fazer a coisa certa a respeito de Zoey e seus poderes — Stevie Rae disse.
— Precisamos estar atentos — eu concordei. — Fiquem perto de mim. Estejam prontas. Se eu tiver que lançar um círculo de proteção, não imagino que vou ter muito tempo para fazê-lo.
— Por que não lança um? — Aphrodite disse.
— Eu ia fazer isso, mas eu olhei o material sobre um funeral vampiro, a Alta Sacerdotisa não faz um. É o seu trabalho, bem, hum, eu quero dizer o meu trabalho esta noite, para valer como testemunho respeitoso com a perda de um vampiro do companheiro, e para ajudar a enviar o espírito vampiro ao Outromundo de Nyx. Não há círculo envolvido nisso, apenas orações para Nyx e tal.
— Você deve ser boa nisso, Z, desde que você acabou de voltar do Outromundo — Stevie Rae disse.
— Eu só espero que Jack se orgulhe. — Senti as lágrimas começarem a picar os olhos e eu piscava duro, forçando-as de volta. A última coisa que nenhum dos meus amigos precisava era eu ficar berrando, com catarro esta noite.
— Então, nenhum de vocês tem alguma ideia do que Neferet pretende fazer? — Eu perguntei a eles.
Havia um monte de cabeças balançando, e Aphrodite disse: — Tudo o que posso pensar é que ela vai, de alguma forma tentar humilhá-la, mas não vejo como isso pode acontecer se você ficar calmo e forte e concentrar-se sobre o porquê nós estamos todos aqui esta noite.
— Por Jack — Shaunee disse.
— Para dizer adeus a ele — disse Erin, com a voz tremendo um pouco.
— Bem, isso é bom e tudo — Stevie Rae disse, e olhou para ela. — Mas acho que os funerais, não importa o que eles gostam, são na maior parte das pessoas deixou-se para trás, como Damien.
— Esse é um ponto muito bom, Stevie Rae. — Sorri em gratidão — vou me lembrar disso.
Stevie Rae limpou sua voz. — Eu sei porque eu vi minha mãe hoje, e ela estava fazendo tipo um mini-funeral para mim. Era sua maneira de tentar achar o fim.
Eu tive um momento de choque intenso, enquanto as Gêmeas explodiram com — Ohminhadeusa, que horror!
— Ela veio aqui? — Aphrodite perguntou. Fiquei surpresa como sua voz parecia gentil.
Stevie Rae assentiu. — Ela estava saindo pelo portão da frente com uma coroa fúnebre para mim, mas realmente o que ela estava fazendo era o que Damien vai tentar fazer hoje à noite: Dizendo adeus.
— Você falou com ela, não é? — Eu disse. — Quero dizer, ela sabe que você não está morta, certo?
Stevie Rae sorriu, embora seus olhos ainda estivessem supertristes. — Sim, mas isso me fez sentir horrível que eu não tivesse ido falar com ela primeiro. Foi terrível vê-la chorar muito.
Fui para a minha melhor amiga e a abracei. — Bem, pelo menos agora ela sabe.
— E pelo menos você tem uma mãe que se preocupa o suficiente para chorar por você — Aphrodite disse.
Eu encontrei o olhar de Aphrodite com compreensão completa. — Sim, é verdade.
— Vocês, por favor, sua mamãe estaria chorando se algo acontecesse com vocês — Stevie Rae disse.
— Pelo menos em público, porque isso é esperado dela, e porque ela estaria sob prescrição-médica que ela poderia trabalhar até uma lágrima sobre praticamente nada — Aphrodite disse brandamente.
— Bem, acho que a minha iria chorar também, mas seria tudo sobre como ela poderia ter feito isso comigo e agora ela está indo direto para o inferno e é tudo culpa dela. — Fiz uma pausa e depois acrescentei: — Minha avó teria dito que é uma pena que minha mãe não entende que não há mais do que apenas uma resposta certa sobre para sempre. — Sorri para os meus amigos. — Eu sei porque eu estive lá e isso é maravilhoso. Realmente, realmente maravilhoso.
— Jack está lá, não é? Seguro, no Outromundo, com a Deusa? — Olhamos para cima para ver Damien no pé da soleira da porta que as Gêmeas tinham deixado
aberto. Darius estava ao lado dele e Stark estava no outro.
Damien parecia absolutamente horrível, mesmo que ele estivesse vestido impecavelmente em Armani. Ele estava tão pálido que parecia que eu podia ver através de sua pele, e as sombras sob seus olhos pareciam hematomas. Fui até ele e peguei-o em meus braços. Ele parecia magro frágil e totalmente não-Damien.
— Sim. Ele está com Nyx. Eu te dou minha palavra que, como de sua Alta Sacerdotisa. — Eu o abracei e sussurrei: — Eu sinto muito, Damien.
Damien voltou meu abraço e, em seguida, com esforço, deu um passo para trás. Ele não estava chorando. Ao contrário, ele olhou drenado, vazio – sem esperança.
— Estou pronto para ir, e eu estou realmente feliz por você estar aqui.
— Eu também gostaria de ter estado aqui antes. — Senti as lágrimas começarem a ameaçar novamente. — Talvez eu pudesse ter –
— Não, você não poderia ter — Aphrodite disse, acelerando para ficar ao meu lado. Mais uma vez, sua voz foi atenuada com a compreensão e ela parecia muito mais velha do que dezenove anos. — Você não poderia impedir a morte de Heath. Você não teria sido capaz de parar a de Jack. — Meus olhos se encontraram brevemente com Stark e eu vi no seu olhar um reflexo do que eu pensava – que eu tinha parado sua morte. Mesmo se isso significasse que ele tinha pesadelos e ainda não estivesse cem por cento, pelo menos ele estava vivo.
— Sério, pare com isso, Z — Aphrodite disse. — Todos vocês – não vamos começar com o jogo da auto culpa. O único responsável por Jack estar morto é Neferet. Sabemos que é, mesmo que ninguém mais saiba.
— Eu não posso lidar com isso agora — disse Damien, e por um segundo eu pensei que ele poderia desmaiar. — Não temos que enfrentar Neferet hoje à noite?
— Não — eu disse rapidamente. — Eu não estou planejando nada parecido.
— Mas nós não podemos controlar o que ela vai fazer — Aphrodite disse.
— Stark e eu vamos ficar perto. O resto de você tenha certeza que você está perto de Zoey e Damien. Não vamos começar qualquer coisa, mas se Neferet tentar prejudicar qualquer um de nós, estaremos prontos.
— Eu vi ela na frente do Conselho. Eu não acho que ela vai fazer algo tão óbvio como atacar a Z — Stevie Rae disse.
— Tudo o que ela fizer, nós estaremos prontos — Stark ecoou as palavras de Darius.
— Eu não vou estar pronto — disse Damien. — Eu não acho que nunca vou ser capaz de lutar contra qualquer coisa de novo.
Peguei a mão de Damien na minha. — Bem, esta noite, você não terá que fazer. Se há uma batalha a ser travada, seus amigos vão fazê-lo. Agora vamos ver Jack.
Damien respirou fundo, muito instável, assentiu com a cabeça, e saiu do meu quarto. Ainda segurando a mão de Damien, que levou o grupo a descer as escadas e saiu para a sala comum, que estava completamente vazia. Eu mentalmente enviei uma pequena oração até a Deusa: Por favor, deixe todo mundo estar lá fora – por favor, deixe Damien saiba o quanto Jack era amado.
Caminhamos pela calçada que levava em torno da parte da frente da escola. Eu sabia onde estávamos indo. Lembrei-me muito bem onde a pira de Anastasia tinha sido colocada no centro do terreno da escola, em frente ao Templo de Nyx.
Enquanto nós nos movíamos ao longo da calçada, em silêncio um pequeno som me pegou e eu olhei para um banco que descansava sob uma árvore recém brotada perto da frente da escola. Erik estava ali sentado, sozinho. Seu rosto estava em suas mãos e o som que eu ouvia era o choro.

Um comentário:

  1. Estou simplesmente de coração partido por Jack e Damien :(

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!