3 de outubro de 2015

Capítulo 18

Darius se voluntariou para ficar no carro cuidando de Malévola enquanto Aphrodite e eu pegávamos algo para comer, o que eu achei que era muito além do dever dele.
— Ele é bom demais para você — eu disse a Aphrodite. Mesmo sendo tão tarde, Charlie estava cheio, e parecendo um rebanho, nós nos juntamos com o resto da horda de animais, finalmente entrando na fila atrás de uma mulher obesa que tinha horríveis dentes e um cara careca que cheirava a pé.
— É claro que ele é bom demais para mim — Aphrodite disse.
Eu pisquei surpresa pelo o que ela disse, — Desculpa? Eu não te ouvi direito.
Aphrodite fez uma cara feia. — Você acha que eu não sei que sou horrível com meus namorados? Por favor – eu sou egoísta, não idiota. Darius provavelmente vai se encher de mim em alguns meses. Eu vou dar um pé na bunda dele antes dele me largar, mas pelo menos vai ser divertido até lá.
— Você já pensou em ser gentil e não fazer as suas merdas de sempre?
Aphrodite encontrou meus olhos. — Na verdade, eu estive pensando sobre isso e posso considerar mudar as coisas com Darius. — Ela pausou e acrescentou. — Ela me escolheu.
— Ela quem?
— Malévola.
— Bem, yeah, ela te escolheu. Ela é sua gata. Como Nala me escolheu e o gato de Darius, qualquer que seja o nome dela... uh...
— Nefertiti — Aphrodite disse.
— Yeah, Nefertiti, ela escolheu ele. Então qual o problema? Acontece sempre. Gatos escolhem seus calouros, ou as vezes os seus vampiros. Na maior parte cada vampiro eventualmente tem um e –
E de repente eu percebi porque a gata escolher ela deu tamanho impacto em Aphrodite.
— Me faz pertencer — ela disse quietamente. — De alguma forma eu ainda sou parte do tudo — ela pausou, falando tão baixo, que eu tive que me inclinar para ouvir — eu ainda sou parte dos vampiros. Eu não sou uma completa forasteira.
— Você não poderia ser uma forasteira — eu respondi. — Você é parte das Filhas das Trevas. Você é parte da escola. E mais importante, você é parte de Nyx.
— Mas desde que isso aconteceu — ela passou a mão pela testa onde ela não precisou de maquiagem para cobrir a Marca que já não estava mais ali — desde que isso aconteceu, eu não senti que era parte de algo. Mas Malévola mudou isso.
— Huh — eu disse, mais do que um pouco apegada à sinceridade de Aphrodite.
Então ela se balançou, deus nos ombros, e – parecendo muito mais como a Aphrodite que eu conhecia e não aguentava – disse, — Tanto faz. Minha vida ainda é uma droga. E depois de eu comer essa porcaria engordurada com você, eu provavelmente vou quebrar.
— Hey, um pouco de gordura é bom para o cabelo e unhas. Tipo vitamina E. — Eu bati no ombro dela. — Eu até vou pedir para você.
— Eu não posso comer algo diet?
— Por favor. Não tem nada diet em Charlie.
— Eles tem coca diet — ela disse.
Eu fiz careta para o tamanho 34 perfeito dela. — Não para você.
Já que realmente era fast food, eu não levei muito tempo para pedir, e Aphrodite e eu encontramos uma mesa semi-limpa e começamos a devorar nossas engorduradas galinhas fritas e fritas. Agora, não entenda errado. Mesmo que eu esteja devorando galinha e fritas porque precisamos voltar para a escola e seria rude deixar Darius como babá da gata do inferno de Aphrodite por muito tempo, eu aproveitei cada mordida. Eu quero dizer, depois de alguns meses de comida realmente nutritiva, e excelente da House of Night, minha papilas gustativas precisam de uma boa dose de algo nojentamente delicioso e nada bom para mim. Yum. Sério.
— Então — eu disse entre mordidas. — Stevie Rae e eu conversamos.
— Yeah, eu achei ter ouvido o sotaque dela da outra sala. — Aphrodite disse pegando delicadamente uma perna de galinha e enrugou o nariz para mim quando eu acrescentei sal nas já totalmente salgadas fritas. — Você vai inchar como um peixe morto.
— Se eu inchar, eu vou apenas usar malhas enquanto eu elimino tudo pela urina. — Eu ri e dei outra mordida no frango.
Ela deu nos ombros. — Você é tão nojenta. Não acredito que somos amigas, o que prova minha crise de personalidade. De qualquer forma – quais as novidades com Stevie Rae e o zoológico de animais?
— Bem, a gente não falou muito sobre ela ou os outros — eu disse, sem querer falar a Aphrodite que Stevie Rae admitiu não ser ela mesma.
— Então já que vocês não falaram muito sobre os loucos, meu palpite é que vocês falaram sobre Stark.
— Yeah. E não é bom.
— Bem, não. O garoto está morto. Ou possivelmente morto vivo. Seja como for não é bom. O que Stevie Rae disse sobre o tempo para ele voltar? Ou a gente espera até ele começar a feder e descobrir que ele não vai acordar.
— Não fale sobre ele assim!
— Desculpe, eu esqueço que você teve algo por ele. O que Stevie Rae disse?
— Infelizmente, ela não pode me dar detalhes. A memória dela de tudo que aconteceu antes dela Mudar está bem ruim. O melhor conselho dela é roubar o corpo dele e ver se ele acorda, e se ele acordar vai precisar ser alimentado imediatamente.
— Alimentado? Como em hambúrguer e fritas, ou alimentado com uma veia aberta?
— O segundo palpite é o certo.
— Oh, ugh. Eu sei que você gosta de sugar sangue, mas ainda é nojento para mim.
— Também é nojento para mim, mas não tem como negar o poder disso — eu admiti desconfortável.
Ela me deu um longo olhar de contemplação. — O livro de Sociologia diz que é muito como sexo. Talvez melhor.
Eu dei nos ombros.
— Você vai ter que fazer melhor que isso. Eu quero detalhes.
— Ok. Yeah. É muito como sexo.
Os olhos dela se alargaram. — É bom?
— Sim. Mas o que acontece por causa disso nem sempre é bom. — Eu pensei em Heath e decidi que definitivamente era hora de mudar de assunto. — De qualquer forma, eu devo descobrir um jeito de pegar o corpo talvez-temporariamente-morto de Stark e o esconder em algum lugar que possamos, em teoria, observar ele pra ver se ele acorda. Daí nós o alimentamos –
— Uh, você não quer dizer você alimenta ele? Eu digo um grande de jeito nenhum sobre ter alguma coisa a ver com aquele garoto me morder.
— Sim, eu quis dizer eu alimento ele. — Um fato que era mais do que um pouco atraente para mim, embora eu definitivamente não fosse discutir isso com Aphrodite. — Eu não faço ideia de como roubar ele ou o esconder.
— Bem, vai ser difícil mover ele, especialmente já que estou assumindo que Neferet está mantendo os olhos nele.
— Você assumiu certo – ou pelo menos é isso que Stevie Rae disse. — Eu tomei um grande gole de coca.
— Me parece que você precisa de uma câmera babá — ela disse.
— Huh?
— Você sabe, uma daquelas câmeras escondidas que mães ricas usam para ver seus preciosos bebês enquanto estão no clube bebendo Martini as 11 da manhã.
— Aphrodite, você é de um mundo totalmente diferente.
— Obrigado — ela disse. — Sério, uma câmera babá funcionaria. Eu posso comprar uma na RadioShack. Aquele garoto Jack não é bom com equipamentos eletrônicos?
— Yeah — eu disse.
— Ele poderia instalar uma no necrotério, e você poderia manter um monitor no seu quarto. Diabos, eu poderia até comprar o tipo que vem com um monitor portátil, para você manter ele com você.
— Verdade?
— Totalmente.
— Excelente! Estava me assustando mais do que eu posso dizer pensar em colocar Stark no meu armário.
— Uh, nojento. — Nós mastigamos felizes por um tempo, e então Aphrodite disse, — Então o que mais a caipira disse?
— Na verdade, falamos sobre você — eu disse presumidamente.
— Eu? — Aphrodite estreitou os olhos.
— Bem, honestamente, só um pouco. Na maior parte falamos sobre ela assumir a posição da terra durante o ritual de limpeza amanhã.
— Você diz se tipo ela se esconder atrás de mim e tentar parecer que eu evoquei a terra, mas na verdade ela fazer?
— Uh, não. Não exatamente. Eu quero dizer você dar espaço e deixar Stevie Rae tomar o lugar dela no círculo.
— Na frente de todo mundo?
— Yep.
— Você está brincando, né?
— Não.
— E ela vai fazer?
— Yep — eu disse com mais confiança do que eu sentia.
Aphrodite mastigou por um tempo, e então acenou devagar. — Ok, eu entendo. Você está contando com Shekinah para te salvar.
— Nos salvar na verdade. O que inclui você, eu, Stevie Rae, os calouros vermelhos, e Stark – se ele for um morto vivo. Eu acho que se todos souberem sobre eles, será difícil Neferet usar eles para seus planos malignos.
— Parece bem filme Classe B.
— Pode soar patético assim, mas não é. Estou falando sério. É melhor todos falarmos. Neferet é assustadora. Ela tentou começar uma guerra com humanos, e eu não acho que ela vai parar de tentar. Além do mais — eu adicionei hesitando, — eu tenho um mal pressentimento.
— Merda. Que tipo de mal pressentimento?
— Bem, honestamente, eu estive tentando ignorar, mas eu estou com um mal pressentimento sobre Neferet desde que Nyx apareceu para nós.
— Zoey, fala sério. Você tem um mal pressentimento sobre Neferet a meses.
Eu balancei a cabeça. — Não assim. Isso é algo diferente. Algo pior. E Stevie Rae também sente. — Eu hesitei de novo, e então acrescentei, — e depois do que pulou em mim ontem, a noite tem me assustado.
— A noite?
— A noite — eu repeti.
— Zoey, somos criaturas da noite. Como a noite pode te assustar?
— Eu não sei! Tudo o que eu sei é que parece que alguém está me observando. O que você sente?
Aphrodite suspirou. — Sobre?
— Sobre a noite ou Neferet ou o que for! Só me diga se você notou alguma vibração negativa.
— Eu não sei. Eu não tenho pensado sobre vibrações. Estive ocupada com meus próprios problemas.
Eu mantive minha mão ocupada com frango e fritas para que elas não tentassem estrangular ela. — Bem, porque você não passa mais tempo pensando sobre isso? Eu quero dizer, é um pouco importante. — Eu baixei a voz, embora todos estivessem ocupados comendo sua própria gordura para prestar atenção na gente. — Você teve aquelas visões sobre eu ser morta. Duas visões, e pelo menos uma delas envolve Neferet.
— Yeah, e isso pode contar para o seu novo mau pressentimento sobre ela. — Ela fez uma citação para as palavras mau pressentimento. — E eu dizer a você que eu vi sua morte pode ajudar o seu fator para estar assustada.
— Parece mais do que isso para mim. Muitas coisas aconteceram comigo nos últimos meses, e até recentemente eu nunca senti medo. Eu quero dizer honestamente, medo de me fazer querer chorar. Eu — minhas palavras se quebraram quando uma risada familiar me fez olhar para a entrada do salão de jantar. E todo o ar pareceu sair do meu corpo, como se alguém tivesse me dado um soco no estômago.
Ele estava carregando uma bandeja cheia da comida combo favorita dele (o número 3, com fritas extra-grandes), junto com uma refeição de criança. Você sabe, uma daquelas refeições que garotas compram quando estão num encontro para parecer que não comem muito, e então voltam para casa e assaltam a geladeira quando estão sozinhas. A garota com ele não carregava nada, mas ela estava colocando a mão no bolso da frente dele (Bolso! Da frente!), brincando tentando tirar umas notas dele. Mas ele sente muitas cócegas, que é o do porque, embora ele estivesse de modo não naturalmente pálido e tivesse olheiras nos olhos, ele estava rindo como um idiota enquanto ela sorria um sorriso de flerte para ele.
— Qual o problema? — Aphrodite disse.
Quando eu só fiquei sentada ali e não consegui responder, ela se remexeu na cadeira para poder ver o que eu estava encarando.
— Hey, aquele não é, qual o nome dele? O seu namorado humano?
— Heath — eu disse, mal capaz de sussurrar a palavra.
Deveria ser impossível. Estávamos do outro lado do sala e ele não podia ter me ouvido, mas no momento que o nome dele saiu dos meus lábios, a cabeça dele se virou e os olhos dele encontraram os meus instantaneamente. Eu vi a risada dele morrer. O corpo dele se endureceu – realmente se endureceu – como se quando ele me viu eu tivesse causado a ele dor física. A garota do lado dele parou de brincar com o bolso dele. Ela seguiu a direção que ele estava olhando, me viu, e os olhos dela se alargaram. Heath olhou rapidamente de mim para ela, e eu vi ele dizer, “preciso falar com ela.” A garota acenou solenemente, pegou a bandeja, e foi para a mesa que era o mais longe de mim possível. Então Heath andou devagar até mim.
— Olá, Zoey — ele disse com uma voz tão contida, que ele soava um estranho.
— Oi — eu disse. Meus lábios pareciam congelados e meu rosto parecia quente e frio ao mesmo tempo.
— Então você está bem? Você não está machucada nem nada disso? — ele disse com uma quieta intensidade que o fez parecer muito mais velho do que 18 anos.
— Estou bem — eu consegui dizer.
Ele soltou muito ar como se estivesse segurando o fôlego há dias, tirou o seu olhar de mim, e então começou a olhar o nada, como se ele não aguentasse me ver. Logo ele pareceu se recuperar e voltou para mim. — Algo aconteceu na outra noite — ele começou, mas parou quando olhou significativamente para Aphrodite.
— Oh, uh, Heath, essa é minha, uh, minha amiga da, da, uh, House of Night, Aphrodite — eu disse, mal sendo capaz de fazer minha voz funcionar.
Heath olhou de Aphrodite para mim questionadoramente.
Quando eu não disse nada, Aphrodite suspirou, e no tom sarcástico dela disse, — O que Zoey quer dizer é que sim, está tudo bem em falar sobre Imprints e coisas assim na minha frente. — Ela pausou, e ergueu uma sobrancelha para mim. Quando eu ainda não disse nada, ela falou, — Ele pode falar na minha frente. Não é, Zoey? — Quando eu não consegui me fazer falar, ela deu nos ombros e continuou, — a não ser que você queira falar com ele sozinha. Por mim está tudo bem. Vou esperar no carro e –
— Não! Você pode ficar. Heath, você pode falar na frente de Aphrodite. — Eu finalmente consegui dizer através da dor que se formou na minha garganta.
Heath acenou e olhou rapidamente para longe de mim, mas não antes de eu ver uma onda de dor e desapontamento que de alguma forma eram uma sombra nos olhos marrons deles.
Ok, eu sabia que ele queria falar comigo sozinha.
Mas eu não podia. Eu não podia ficar sozinha com ele enquanto ele me magoava. Ainda não. Não tão cedo depois de perder Loren e Erik e Stark. Eu não poderia suportar ouvir ele me dizer o quanto ele me odiava e agora o quanto ele se sentia arrependido por termos ficado juntos. Ele não podia dizer tudo isso na frente de Aphrodite. Eu conhecia Heath. Sim, ele vai terminar comigo, mas (diferente de Erik) ele não iria me xingar publicamente e fazer uma cena. A mãe e o pai de Heath o criaram bem. Ele era um cavalheiro, 100%, e sempre seria.
Quando ele olhou de novo para mim, a expressão dele era cuidadosamente vazia. — Ok. Como eu estava dizendo. Algo aconteceu na outra noite. Eu acho que o Imprint entre nós quebrou.
Eu consegui acenar.
— Então desapareceu. Para sempre?
— Sim. Desapareceu para sempre.
— Como? — ele perguntou.
Eu respirei fundo e disse, — quebrou quando eu tive um Imprint com outra pessoa.
Ele estava olhando para mim com a cabeça meio curvada um pouco, e quando eu falei, o rosto dele foi para o lado como se eu tivesse batido nele. — Você esteve com outro humano?
— Não!
Ele cerrou os dentes antes de dizer, — então com o calouro que você me contou? Aquele tal de Erik?
— Não — eu disse suavemente.
Dessa vez ele não desviou o olhar – não fez uma tentativa de esconder a dor nos olhos dele e na voz. — Tem outra pessoa? Outro além do cara que você já me contou?
Eu abri minha boca para dizer a ele que tinha havido outra pessoa, mas que não havia mais, e que eu cometi um enorme erro, mas ele não me deixou falar.
— Você fez com ele.
Heath não disse como uma pergunta, mas eu acenei mesmo assim. Ele já sabia – ele tinha que saber. Nosso Imprint tinha sido forte, e mesmo que ele não tivesse sentido o que estava acontecendo com Loren e eu através dele, ele teria adivinhado que algo grande tinha acontecido para quebrar o laço que nós dividíamos.
— Como você pode, Zo? Como você pode fazer isso comigo? Com a gente?
— Desculpe, Heath. Eu nunca quis te magoar. Eu só –
— Não! — Ele ergueu a mão como se pudesse parar minhas palavras. — Não quis me machucar uma mentira. Eu te amei desde o fundamental. Você ficar com outra pessoa me machuca. Não tem como não machucar.
— Você está com outra pessoa hoje a noite. — As palavras frias de Aphrodite pareceram cortar o ar entre nós três.
Os olhos de Heath passou para ela. — Eu deixei uma amiga me convencer de sair de casa pela primeira vez em dias. Uma amiga — ele repetiu. Então ele virou para mim, e eu notei de novo o quão pálido e doente ele parecia. — É Casey Young. Lembra dela? Ela costumava ser sua amiga também.
Eu olhei para a mesa onde Casey estava sentada sozinha, parecendo mais do que um pouco desconfortável. Eu nem notei que era ela quando eles entraram. Agora eu reconheci o cabelo grosso, os olhos cor de mel, e as fofas sardas. Heath tinha razão – ela tinha sido minha amiga. Não minha melhor amiga, como Kayla, mas nós andávamos juntas. Heath sempre a tratou como uma irmã. Ela gostava dele, mas eu nunca senti a vibração de eu-quero-roubar-seu-namorado como eu senti tanto da minha suposta melhor amiga Kayla. Casey viu eu olhar para ela, e hesitantemente, ergueu a mão e acenou tristemente. Eu consegui dar um pequeno aceno de volta.
— Você sabe o que acontece com um humano quando o Imprint se quebra? — As palavras de Heath chamaram minha atenção de volta para ele. Ele não soava frio ou triste mais. A voz dele era afiada, como se ele cortasse cada palavra da alma dele.
— Isso – isso causa dor no humano — eu disse.
— Dor? Isso é pouco. Zoey, primeiro eu achei que você tinha morrido. E quando eu pensei isso, eu desejei morrer também. Eu acho que parte de mim morreu ai.
— Heath — eu sussurrei o nome dele, horrorizada pelo que eu tinha causado. — Eu sinto –
Mas ele não terminou. — Mas eu soube que você não estava morta porque eu podia sentir parte do que estava acontecendo com você. — Ele fez uma careta. — Uma parte do que ele estava fazendo você sentir. Então eu não soube nada a não ser que minha alma tinha um buraco no lugar em que você tinha estado. Eu ainda sinto como se houvesse uma parte de mim faltando. Uma grande parte de mim. Dói o tempo todo. Todo dia. — Ele fechou os olhos contra a dor e balançou a cabeça. — Você nem me ligou.
— Eu queria — eu disse miseravelmente.
— Oh, espere. Você me mandou uma mensagem essa manhã. Muito obrigado por isso — ele disse sarcasticamente.
— Heath, eu queria falar com você. Eu só não podia. Eu estava... — eu pausei, tentando descobrir como poderia explicar Loren para ele em apenas algumas frases. Mas não havia como explicar. Não assim. Não aqui. Então ao invés disso eu só disse, — eu estava errada. Desculpe.
Ele balançou a cabeça de novo. — Desculpe isso não é bom o bastante, Zo. Não dessa vez. Não sobre isso. Você sabe quando você dizia que eu só te amava e te queria tanto por causa do nosso Imprint?
— Sim. — Eu me segurei para ele me dizer a verdade – que ele nunca esteve realmente apaixonado por mim e nunca realmente me quis, e que ele estava feliz por se livrar de mim e do nosso estúpido Imprint.
— Eu te falei que você estava errada. Você ainda está errada. Eu me apaixonei por você na terceira série. Eu te amei sempre. Eu te amo e te quero agora; eu provavelmente sempre amarei. — Os olhos de Heath estavam cheios de lágrimas. — Mas eu nunca mais quero te ver. Amar você dói demais, Zoey.
Heath andou devagar até Casey. Quando ele voltou para a mesa, ela disse algo tão suave que eu não consegui ouvir. Ele acenou, e então, sem olhar para mim, Casey passou os braços dela ao redor dele e os dois deixaram a comida parada na mesa e Heath saiu da minha vida.

3 comentários:

  1. Eita quanta dor...
    Ana.

    ResponderExcluir
  2. De coração partido pelo Heath

    ResponderExcluir
  3. AH CARAMBA! EU AMO TANTO ELE! </3 Mas provavelmente é o melhor pra ele, pq ele é humano e tal T_T CARAMBAAAA! TADINHOO

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!