5 de outubro de 2015

Capítulo 18 - Zoey

Eu estava num lugar mágico e nebuloso, entre estar acordada e dormindo quando ele me colocou contra seu corpo. Ele era tão grande e forte e duro que o contraste entre sua presença física e a respiração suave e doce que formigava na lateral do meu rosto junto com os gentis beijos que ele dava ali me fizeram tremer. Eu estava na maior parte adormecida e não queria acordar completamente ainda, mas eu suspirei feliz e me estiquei para que ele pudesse alcançar mais do meu pescoço. Os braços dele pareciam tão certos ao meu redor. Eu amava estar próxima dele e estava pensando o quão feliz eu estava por Stark ser meu guerreiro quando eu murmurei adormecida — você realmente deve estar se sentindo melhor.
O toque dele se tornou mais sexy e menos gentil. Eu tremi de novo. Então minha mente grogue registrou duas coisas simultaneamente. Primeiro: Eu não estava tremendo porque eu gostava do que ele estava fazendo, embora eu definitivamente gostasse do que ele estava fazendo. Eu estava tremendo porque seu toque era frio. Segundo: O corpo que se pressionava contra mim era muito grande para ser o de Stark. Naquele instante ele sussurrou — Você vê como sua alma me deseja? Você virá até mim. É o seu destino, e meu destino é esperar por você.
Eu suguei o ar, acordei, e sentei. Eu estava completamente sozinha. Se acalme... se acalme... se acalme... Kalona não está aqui... tudo está bem... foi só um sonho...
Sem pensar, eu automaticamente comecei a controlar minha respiração e firmar minhas emoções, que definitivamente estavam malucas. Stark não estava no quarto, e a última coisa que eu queria que ele fizesse era vir correndo de volta porque ele podia sentir o quão em pânico eu estava, quando eu não estava em real perigo. Eu podia estar incerta sobre várias coisas, mas eu tinha certeza de uma: eu não queria que Stark começasse a pensar que ele não podia me deixar sozinha. Yeah, eu era louca por ele, e feliz por dividirmos um laço, mas isso não significa que eu queria que ele acreditasse que eu não podia funcionar sem ele. Ele era meu guerreiro, não minha babá ou assediador, e se ele começasse a pensar que ele tinha que cuidar de mim constantemente... me olhando como idiota enquanto eu dormia... Eu suprimi um gemido de terror. A porta que levava ao pequeno banheiro que meu quarto dividia com o quarto de convidados ao lado se abriu, e Stark entrou, seu olhar indo direto para mim. Ele estava usando jeans e uma camiseta preta da Caridade Católica dos Gatos de Rua, e ele estava secando seu cabelo molhado. Eu acho que devo ter me acalmado e ajeitado a expressão de pânico em meu rosto o bastante porque assim que ele me viu sentado na cama, sozinha e sem perigo, o olhar dele mudou para um sorriso.
— Hey, você está acordada. Foi o que pensei. Você está bem?
— Yep. Bem e elegante — eu disse rapidamente. — Acabei de acordar e quase rolei para fora da cama. Meio que assustou.
O sorriso dele ficou arrogante. — Você provavelmente estava sentindo minha falta e do meu corpo quente, e foi isso que te fez rolar da cama. — Eu ergui uma sobrancelha para ele.
— Tenho certeza que não foi isso. — A menção dele ao seu corpo (sim, era quente, mas eu não vou deixar ele pensar que estou babando por ele) me fez estudar ele, e eu percebi que ele parecia bem – de uma forma mais do que apenas fofa e gostosa. Ele estava bem menos pálido do que ele esteve quando adormecemos, e ele estava muito mais firme de pé. — Você parece melhor.
— Estou melhor. Darius tinha razão – eu curo rápido. Sólidas 8 horas de sono, fora as três unidades de sangue que comi enquanto você estava roncando, me fizeram sentir muito bem. — Ele andou até a cama, se abaixou, e me beijou suavemente. — Acrescente a isso eu saber que posso te manter segura dos pesadelos de Kalona, e eu diria que estou pronto para enfrentar qualquer coisa.
— Eu não ronco — eu disse a ele firmemente, então suspirei e envolvi meus braços ao redor da cintura dele, me inclinando nele, deixando a força da presença física dele afastar o que permaneceu da presença de Kalona do meu pesadelo. — Fico feliz por você estar se sentindo melhor. — Eu deveria ter dito a Stark que Kalona ainda entrava nos meus sonhos, mesmo com ele tão perto e tão focado em me proteger? Provavelmente. Talvez dizer a ele fizesse diferença no que iria acontecer mais tarde. Então eu estava só pensando sobre não estragar a energia positiva que ele tinha, então eu descansei em seus braços até que me lembrei que nem tinha escovado meu cabelo nem nada. Passando meus dedos por meu horrível cabelo de recém desperta, e desviando meu rosto dele para impedir de atingir Stark com um bafo matinal, eu me afastei do seu abraço e corri para o banheiro. Por cima do meu ombro eu disse, — Hey, me faz um favor enquanto tomo banho?
— Claro. — Ele me deu seu sorriso arrogante, o que mostrava o quão bem ele realmente estava se sentindo. — Quer que eu esfregue suas costas?
— Uh, não. Mas obrigado. Eu acho. — Jeesh, caras tem a mente tão pequena! — Quero que reúna os calouros, vermelhos e azuis, e encontre Aphrodite, Darius, Irmã Mary Angela, minha avó, e qualquer outro que você consiga pensar que precisa estar na discussão de quando e como vamos voltar para a escola.
— Prefiro esfregar suas costas, mas sem problemas. Seu desejo, minha senhora, é minha ordem. — Ele curvou sua cabeça e me saudou, sua mão sobre seu coração.
— Obrigado. — As palavras saíram suaves. A expressão dele de respeito e confiança de repente me fizeram sentir prestes a chorar.
— Hey. — O sorriso dele sumiu. — Você parece meio triste. Tudo está bem?
— Só estou feliz por você ser meu guerreiro. — O que eu disse era verdade, mas não era tudo. Ele sorriu em resposta.
— Você é uma Alta Sacerdotisa de sorte. — Eu balancei a cabeça para seu sorriso arrogante e pisquei as lágrimas ridículas dos meus olhos.
— Só reúna todo mundo, ok?
— Ok. Quer se reunir no porão?
Eu fiz uma careta. — Definitivamente não. Que tal você perguntar a Irmã Mary Angela se podemos nos encontrar no refeitório? Daí podemos comer e conversar.
— Farei isso.
— Obrigado.
— Te vejo logo, minha senhora. — Olhos brilhando, ele me saudou formalmente de novo antes de sair do quarto. Mais devagar, eu entrei no banheiro. Mecanicamente, eu escovei os dentes e entrei no banho. Eu fiquei parada por um longo tempo deixando a água quente cair sobre mim. E então, quando eu soube que pude manter minhas emoções calmas, eu pensei em Kalona. Eu relaxei nos braços dele. Eu não estava revivendo a memória de A-ya, e nem sobre sua influência, mas me deixei relaxar quando ele me tocou, e o resultado foi tão aterrorizante como revelador. Tinha parecido certo estar com ele – tão certo que eu confundi ele com meu guerreiro jurado! E não tinha parecido um sonho. Eu estava acordada demais; muito perto de consciência total. A última visita de Kalona tinha abalado meu núcleo. — Não importa o quanto você tente lutar, sua alma reconhece ele — eu sussurrei para mim mesma; e então, como se meus olhos estivessem com ciúmes da água que já caía por meu rosto, eu comecei a chorar.
Para encontrar o refeitório eu segui meu nariz e minhas orelhas. No fim do corredor que levava a ele, eu podia ouvir vozes familiares rindo e raspando pratos e talheres e me perguntei brevemente se as freiras estavam realmente tranquilas com aquela tamanha invasão de adolescentes futuros vampiros. Eu pausei na porta de entrada grande e arqueada que dava ao grande salão, checando como as freiras estavam se dando com o pessoal. Haviam três enormes mesas. Eu esperava que as freiras estivessem amontoadas juntas, naturalmente se segregando de nós, mas elas não estavam. Claro, elas tendiam a sentar em grupos de duas ou três, mas elas estavam cercadas por calouros – vermelhos e azuis – e todos estavam conversando, o que matou a imagem típica que eu tinha em minha cabeça do refeitório das freiras ser um lugar de reza e uma (chata) reflexão silenciosa.
— Então, você vai entrar ou vai ficar aí? — Eu virei para ver Aphrodite e Darius parados atrás de mim. Eles estavam de mãos dadas e pareciam muito felizes e, como as Gêmeas diriam, felizinhos-alegres.
— Merry mett, Zoey. — Darius me saudou formalmente, mas seu sorriso deu a seu gesto calor e uma sensação casual. Eu joguei a Aphrodite um olhar de viu-alguém-tem-modos antes de sorrir para o guerreiro.
— Merry meet, Darius. Vocês dois parecem felizes um com o outro. Você deve ter encontrado um lugar para dormir ontem. — Eu pausei, olhei para Aphrodite de novo, e acrescentei, — Dormir ou algo assim.
— Eles me asseguraram que dormiram. — Irmã Mary Angela enfatizou a palavra quando se juntou a nós na porta. Aphrodite virou os olhos para a freira, mas não disse nada.
— Darius me explicou que o anjo caído tem visitado seus sonhos, e que Stark parece ser capaz de impedir ele — disse a freira em seu jeito casual de ir direto ao ponto.
— O que Stark fez? — Heath parou e me deu um abraço gigante, me dando um beijo nos lábios. — Você precisa que eu chute a bunda dele?
— Dificilmente você poderia — Stark disse, se juntando a nós de dentro do refeitório. Diferente de Heath, ele não me agarrou, mas seu olhar era tão quente e íntimo que parecia que ele tinha me tocado tanto quanto o abraço de Heath. E de repente eu estava me sentindo muito claustrofóbica de caras. Eu quero dizer, um harém de caras pode soar como uma boa ideia em teoria, mas eu estava rapidamente descobrindo que, como as pernas de jeans de marca, só em teoria é uma boa ideia. Como se para reforçar meus pensamentos, Erik escolheu aquele instante para se juntar a nós. Vênus, a caloura vermelha que era a antiga colega de quarto de Aphrodite, estava praticamente colada ao lado dele. Uhg. Só Ugh.
— Oi todo mundo. Cara, estou faminto! — Erik disse. Ele deu aquele sorriso quente e grande de astro de cinema que eu costumava amar tanto. Pela minha visão periférica eu podia ver Heath e Stark olhando feito idiotas para Erik e Vênus, que estava definitivamente grudada ao seu lado, e foi quando eu lembrei que nenhum dos meus outros caras sabia que eu tinha largado Erik. Eu segurei um suspiro de pura irritação e ao invés disso ignorei ele com uma atitude gelada que eu gostei de jogar, plantando meu próprio sorriso falso no meu rosto e cheio de alegria.
— Oi, Erik, Vênus. Bem, vocês definitivamente vieram para o lugar certo se estão com fome. Tudo está com um cheiro ótimo.
O sorriso de Erik falhou por só um instante, mas a habilidade de atuação dele estava bem armada para fazer ele parecer que tinha movido em frente, tipo, 15 segundos depois que terminamos.
— Oi, Zoey. Não te vi aí. Como sempre, você está cercada por caras. Droga, está sempre cheio ao seu redor. — Com uma sarcástica risada ele se afastou, batendo no ombro de Stark.
— Se eu atirar uma flecha e pensar em um bundão, você se surpreenderia se atingisse Erik? — Stark me perguntou em uma voz agradável e descontraída.
— Não me surpreenderia — Heath disse.
— Eu posso contar para vocês garotos, por experiência pessoal, que Erik realmente tem um ótimo traseiro — Vênus disse enquanto se movia para seguir Erik até o refeitório.
— Hey, Vênus, eu tenho duas palavras para você — Aphrodite disse. Vênus hesitou e olhou por cima do ombro para sua ex colega de quarto. Aphrodite deu seu melhor sorriso vadia-maldosa e disse, — Fique. Longe.
Ela pausou e deu um sorriso vadio e então disse, — Boa sorte com isso.
Foi então que eu notei que todos no refeitório estavam virados em nossa direção e a conversa tinha parado. Erik fez um pequeno movimento possessivo com sua mão e Vênus praticamente trotou até ele. Passando seu braço ao redor do dele, ela esmagou seu peito contra o cotovelo dele. E então os sussurros começaram como se alguém tivesse acendido eles com um fósforo. “Erik e Zoey terminaram!” “Erik com Vênus!” “Zoey e Erik não estão juntos!” Bem, diabos.

6 comentários:

  1. — Se eu atirar uma flecha e pensar em um bundão, você se surpreenderia se atingisse Erik? — Stark me perguntou em uma voz agradável e descontraída.
    — Não me surpreenderia — Heath disse.
    kkkkkkkk rachei

    ResponderExcluir
  2. kkkk com certeza acertaria nele kkk ERIK idiota
    ass:leticia

    ResponderExcluir
  3. isso apenas confirma minha teoria..
    lanny

    ResponderExcluir
  4. ele e idiota ou oque ??? nao ate ofinal do livros ele tem queevar uma :/:+

    ResponderExcluir
  5. Odeio caras babacas, e o Erik está dando um belo de um babaca, sem contar que ele sempre tem que sugerir, diretamente ou indiretamente, que a Zoey é uma vadia. BABACA DE COCÔ!

    ResponderExcluir

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!