7 de outubro de 2015

Capítulo 18 - Rephaim

— Eu não posso acreditar que você vai fazer isso — disse Kalona, andando para lá e para cá em toda a varanda do último piso do Mayo.
— Estou fazendo isso porque é necessário, é hora, e é a coisa certa a fazer! — A voz Neferet cresceu no ritmo, enquanto ela falava como se fosse explodir de dentro para fora.
— A coisa certa a fazer! Como se você fosse uma criatura da Luz? — Rephaim não conseguiu parar as palavras, nem conseguiu controlar sua voz ao som de nada, mas incrédulo.
Neferet fez a volta em cima dele. Ela levantou a mão. Rephaim podia ver tópicos de poder tremendo no ar ao seu redor, absorvando em sua pele, rastejando por baixo dela. A visão fez seu estômago apertar enquanto ele lembrava o toque terrível desses fios das Trevas. Automaticamente, ele deu um passo para trás dela.
— Você está me questionando, criatura pássaro? — Neferet parecia que ela estava se preparando para lançar a Escuridão para ele.
— Rephaim não questionou você, como eu também não questionei você. — Seu pai se aproximou Neferet, pisando entre a Tsi Sgili e ele enquanto continuou a falar com a voz calma de autoridade. — Nós dois estamos simplesmente surpresos.
— É o que Zoey e seus aliados, pelo menos esperam que eu faça. Assim, mesmo que me enjoe, eu vou me humilhar – temporariamente. Ao fazer isso eu faço Zoey impotente. E ela fizer um sussurro contra mim, ela irá revelar-se ser a criança petulante ela realmente é.
— Eu acho que você iria destruí-la em vez de humilhá-la — disse Rephaim.
Neferet zombou dele e falou com ele como se ele fosse um idiota total. — Eu tenho a capacidade de matá-la esta noite, mas não importa como eu orquestrar, eu serei implicada. Mesmo aquelas idiotas no Conselho Superior, seriam obrigadas a vir aqui para me ver, e para interferir com os meus planos. Não, eu não estou pronta para isso, e até onde eu sou, eu quero Zoey Redbird amordaçada e colocada de volta em seu lugar. Ela é uma jovem simples, ela vai ser tratado como tal daqui pra frente. E como eu estou tendo o cuidado de Zoey eu também estarei revisitando seu pequeno grupo de amigos, especialmente a que se chama de primeira Alta Sacerdotisa Vermelha. — O riso de Neferet estava zombando. — Stevie Rae? Alta Sacerdotisa? Tenho a intenção de revelar o que ela realmente é.
— E o que é isso? — Rephaim teve que perguntar, mas ele manteve o seu nível de voz, sua expressão tão branca quanto ele poderia fazê-lo.
— Ela é uma vampira que tem conhecido, e até abraçado, a Escuridão.
— Finalmente ela escolheu Luz — disse Rephaim, e percebeu que ele tinha falado muito rapidamente quando os olhos de Neferet se estreitaram.
— Mas o fato de que a Escuridão a tocou a mudou para sempre — disse Kalona.
Neferet sorriu docemente para Kalona. — Você está tão certo, meu consorte.
— Não será possível saber se o toque das Trevas teve um efeito de ganhar força sobre a Vermelha? — Rephaim foi incapaz de se impedir de perguntar.
— Claro que tem. Os vermelhos são vampiros poderosos, se jovens e inexperientes, que é exatamente por isso que ela poderia ser de excelente uso para nós — disse Kalona.
— Eu acredito que há ainda mais em Stevie Rae do que ela tem mostrado a seus amiguinhos. Eu vi quando ela estava na Escuridão. Ela se deleitava com isso — Neferet disse. — Eu digo que é preciso vê-la e ver o que está debaixo daquele exterior brilhante e inocente. — Neferet enunciou as palavras em tom sarcástico.
— Como você quissssssssser — disse Rephaim, e ficando com nojo da raiva que Neferet causou dentro dele ele sibilou como um animal.
Neferet olhou para ele. — Eu sinto uma mudança em você.
Rephaim obrigou-se a continuar a manter os olhos constantemente. — Na ausência do meu pai eu estava perto da morte e da Escuridão do que nunca durante a minha longa vida. Se você sentir uma mudança dentro de mim, talvez seja por isso.
— Talvez — disse Neferet lentamente. — E talvez não. Por que é que eu suspeito que você não pode ficar inteiramente grato por seu pai e eu voltarmos para Tulsa?
Rephaim segurou-se muito para que a Tsi Sgili não visse o ódio e a raiva que estavam inundando o seu corpo. — Eu sou o filho predileto do meu pai. Como sempre, estou ao lado dele. Os dias que ele estive ausente de mim foram os mais obscuros da minha vida.
— Sério? Quanto foi terrível para você — Neferet disse sarcasticamente. Então ela com desdém desviou-se dele para enfrentar Kalona. — As palavras de seu filho predileto lembram-me, onde estão o resto das criaturas que você chama de seus filhos? Certamente, um punhado de calouros e freiras não conseguiram matar todos eles.
A mandíbula de Kalona se apertou e abriu seus olhos brilhantes e âmbar. Reconhecendo que seu pai lutava para controlar sua raiva, Rephaim falou rapidamente. — Eu tenho os irmãos sobreviventes. Vi-os fugir quando você e meu pai foram banidos.
Os olhos de Neferet se estreitaram. — Eu não estou mais banida.
Não mais, Rephaim pensou, encontrando seu olhar sem tanta força sem piscar os olhos, mas um punhado de filhotes e as freiras conseguiram uma vez.
Novamente, Kalona chamou sua atenção dele. — Os outros não são como Rephaim. Eles precisam de ajuda para se esconder na cidade sem serem detectados. Eles devem ter achado locais seguros para aninhar mais distante da civilização. — Quando ele falou, sua ira apenas borbulhava sob a superfície de suas palavras e não ferviam, embora Rephaim questionasse a forma como Neferet tinha se tornado cega. Ela realmente acreditava que ela era tão poderosa que ela poderia continuamente
usar como isca um imortal antigo sem pagar as consequências de sua ira?
— Bem, estamos de volta. Eles deveriam estar aqui. São aberrações da natureza, mas têm seu uso. Durante o dia, eles podem ficar lá dentro, longe do meu quarto de dormir. — Ela acenou em direção à suíte luxuosa. — À noite, podem espreitar aqui e aguardar as minhas ordens.
— Você quer dizer as minhas ordens. — Kalona não tinha levantado a sua voz, mas o poder que retumbou por ele chamou de pelos do braço para cima e para baixo nos braços de Rephaim. — Meus filhos só me obedecem. Eles são obrigados a mim através do sangue e da magia e do tempo. Só eu os controlo.
— Então eu suponho que você possa controlá-los a virem aqui?
— Sim.
— Bem, convoque-os ou faça Rephaim arrebanhá-los aqui, ou seja lá o que é que você faz. Eu não posso esperar para cuidar de tudo.
— Como quiser — Kalona disse, repetindo a declaração anterior de Rephaim.
— Agora eu estou indo para humilhar-me diante de uma escola cheia de seres inferiores, pois você não impediu Zoey Redbird de voltar a este reino. — Seus olhos pareciam gelo verde. — E é por isso que agora obedecem apenas a mim. Esteja aqui quando eu voltar. — Neferet deixou a varanda. Sua longa capa deveria ter ficado presa na porta que bateu atrás dela, mas no último momento ele ondulou e deslizou mais perto do corpo da Tsi Sgili, rodando em torno de seus tornozelos como um tanque
de alcatrão pegajoso.
Rephaim encarou seu pai, o imortal antigo que ele tinha vindo a servir fielmente durante séculos.
— Como você pode deixá-la falar assim com você? Para usar você como gosta? Ela chamou meus irmãos de aberrações da natureza, mas é ela quem é o verdadeiro monstro! — Rephaim sabia que ele não deveria ter falado com seu pai desse jeito, mas ele não se conteve. Vendo o Kalona orgulhoso e poderoso ser ordenado como um servo era insuportável.
Enquanto Kalona se aproximou de Rephaim se preparou para o que estava certamente para vir. Ele tinha visto a ira de seu pai desencadeada antes – ele sabia o que esperar. Kalona desfraldou suas asas grandes e pairava sobre seu filho, mas o golpe que Rephaim esperava não veio. Em vez disso, quando ele encontrou o olhar de seu pai, viu o desespero e não a raiva. Parecendo um deus caído, Kalona disse: — Você também não. Eu esperava o desrespeito e deslealdade dela, ela traiu uma deusa para me libertar. Você, porém, você nunca acreditei que viraria contra mim.
— Pai! Eu não! — Rephaim disse, colocando em sua mente todos os pensamentos de Stevie Rae. — Eu simplesmente não suporto o jeito que ela o trata.
— É por isso que tem que descobrir uma maneira de quebrar esse juramento maldito. — Kalona fez um som mudo de frustração e passeou sobre o parapeito de pedra balaustrada, olhando para a noite. — Se apenas Nyx tivesse ficado de fora da batalha com Stark. Em seguida, ele teria permanecido morto, e eu sei em minha alma que Zoey nunca teria encontrado forças para voltar a este reino e seu corpo, não com dois de seus amantes mortos.
Rephaim seguiu seu pai até a murada. — Morto? Você matou Stark no Outromundo?
Kalona resmungou: — Claro que eu matei aquele menino. Eu e ele lutamos. Ele não poderia ter me derrotado, mesmo que ele conseguisse se tornar um Guardião e empunhar a grande claymore de Guardião.
— Nyx ressuscitou Stark? — Rephaim disse, incrédulo. — Mas a Deusa não interfere com a escolha humana. Foi a escolha de Stark defender Zoey contra você.
— Nyx não ressuscitou Stark. Eu ressuscitei.
Rephaim piscou em choque. — Você?
Kalona balançou a cabeça e continuou a olhar para o céu à noite, não encontrando o olhar de seu filho enquanto ele falava com uma voz tensa, como se tivesse a força de cada palavra de sua garganta. — Eu matei Stark. Eu acreditava então que Zoey recuaria e permaneceria no Outromundo com as almas de seus Guerreiro e companheiro. Ou talvez o seu espírito se quebraria para sempre e que ela seria um errante Caoinic Shi. — Kalona uma pausa e acrescentou: — Ainda que eu não queira esse último para ela. Eu não a odeio como Neferet.
Para Rephaim parecia que seu pai estava falando em voz alta para si mesmo mais do que falar com ele, então quando Kalona ficou em silêncio, ele ficou silencioso e paciente, sem querer interrompê-lo, esperando que ele continuasse.
— Zoey é mais forte do que eu esperava. — Kalona continuou falando para a noite. — Em vez de recuar ou quebrar, ela atacou. — O imortal alado riu com a memória. — Ela me espetou com a minha própria lança e depois mandou-me devolver a vida a Stark para pagar a dívida de vida que a devia por ter matado o menino dela. Recusei-me, é claro.
— Pai, mas as dívidas de vida são coisas poderosas. — Incapaz de permanecer em silêncio, Rephaim desabafou.
— É verdade, mas eu sou um imortal poderoso. Consequências que governam os mortais não se aplica a mim.
Os pensamentos de Rephaim, como um vento frio, sussurraram em sua mente: Talvez ele esteja errado. “Talvez o que está acontecendo com o Pai faz parte das consequências que ele se considerava demasiado poderoso para pagar.” Mas Rephaim sabia que era melhor do que corrigir Kalona, então ele simplesmente continuou, — Você recusou a Zoey e, em seguida o que aconteceu?
— Nyx aconteceu — disse Kalona amargamente. — Eu poderia recusar a uma infantil Alta Sacerdotisa. Eu não poderia recusar a uma Deusa. Eu nunca poderia recusar a Deusa. Eu respirei um pedaço de minha imortalidade em Stark. Ele viveu. Zoey voltou ao corpo e conseguiu resgatar seu Guerreiro do Outromundo, também. E eu estou sob o controle de uma Tsi Sgili que eu acredito ser totalmente louca. — Kalona olhou para Rephaim. — Se eu não romper com a escravidão, ela pode me levar à loucura com ela. Ela tem uma conexão com a Escuridão que eu não sentia tanto como em séculos. Ela é tão poderosa como é sedutora e perigosa.
— Você deve matar Zoey. — Rephaim falou as palavras lentamente, hesitante, odiando-se por cada sílaba, porque sabia a dor que a morte de Zoey causaria a Stevie Rae.
— Tenho, naturalmente, já considerei isso. — Rephaim prendeu a respiração quando Kalona pausou. — E eu considerei a acreditar que se eu matar Zoey Redbird seria uma afronta aberta à Nyx. Eu não tenho servido a Deusa há muitas épocas. Tenho feito coisas que ela veria como — Kalona parou novamente, desta vez lutando com suas palavras — imperdoável. Mas eu nunca teria tirado a vida de qualquer sacerdotisa em seu serviço.
— Você tem medo de Nyx? — Rephaim perguntou.
— Só um tolo não tem medo de uma deusa. Mesmo Neferet evita a ira de Nyx por não matar Zoey, apesar da Tsi Sgili não admitir isso para si mesma.
— Neferet é tão inchada com a Escuridão que ela já não pensa racionalmente — disse Rephaim.
— É verdade, mas só porque ela é irracional, isso não significa que ela não é inteligente. Por exemplo, eu acredito que ela pode estar correta sobre a vermelha – que ela pudesse ser usada ou talvez até se desviar do caminho que ela escolheu — Kalona encolheu os ombros. — Ou ela pode continuar a ficar com Zoey e ser destruída quando Neferet vier de encontro a ela.
— Pai, eu não acredito que seja simplesmente Stevie Rae que está com Zoey. Acredito que ela está com Nyx, também. É lógico supor que a primeira vermelha Alta Sacerdotisa de Nyx seria especial para a Deusa e, portanto, ela deveria permanecer intocada, como Zoey?
— Eu vejo validade em suas palavras, meu filho. — Kalona acenou com a cabeça em acordo solene. — Se ela não se desviar do caminho da deusa, eu não vou prejudicar a Vermelha. Em vez de mim, Neferet irá incorrer a ira de Nyx, se ela destruir Stevie Rae.
Rephaim manteu-se controlado e apertado sobre a sua voz e expressão. — Essa é uma decisão sábia, Pai.
— É claro que existem outras maneiras de impedir uma Alta Sacerdotisa sem matá-la.
— O que você pretende fazer para impedir a Vermelha? — Rephaim perguntou.
— Eu não pretendo fazer nada para a Vermelha, até Neferet conseguir coagi-la de seu caminho, e depois vou direto ou seus poderes ou me afastar, enquanto Neferet a destrói. — Kalona acenou fora a questão. — Eu estava pensando em Zoey. Se Zoey puder ser persuadida a ir contra Neferet publicamente, a Tsi Sgili será completamente distraída. Eu e você poderemos nos concentrar em quebrar meu vínculo com ela.
— Mas, como Neferet disse, depois desta noite se Zoey falar contra ela, ela vai ser admoestada e desacreditada. Zoey é sábia o suficiente para saber isso. Ela não vai colidir com Neferet publicamente.
Kalona sorriu. — Ah, mas se seu guerreiro, seu guardião, a única pessoa na Terra que ela confia acima de todos os outros, começar a sussurrar que ela não deveria permitir que Neferet fugisse com as maldades que fez? Que ela deve cumprir seu papel de Alta Sacerdotisa, não importa as supostas consequências, e enfrentar Neferet?
— Stark não faria isso.
O sorriso de Kalona se alargou. — Meu espírito pode entrar no corpo de Stark.
Rephaim ofegou. — Como?
Ainda sorrindo, Kalona encolheu os ombros largos. — Eu não sei. Eu não tinha experimentado isso antes.
— Então isso é mais do que entrar no reino dos sonhos e encontrar um espírito que está dormindo?
— Muito mais. Stark estava completamente desperto e eu segui uma ligação que eu acreditava que iria me levar para A-ya no reino dos sonhos, se Zoey estivesse dormindo. A ligação levou-me a Stark, em Stark. Eu acredito que ele sentiu algo, mas eu não acredito que ele sabia que era eu. — Kalona inclinou a cabeça, considerando. — Talvez a minha capacidade de misturar o meu espírito com o dele é um resultado do pedaço da minha imortalidade, que eu respirei dentro dele.
...A imortalidade que eu respirei dentro dele. As palavras de seu pai rodaram ao seu redor e ao redor da mente de Rephaim. Algo estava lá – algo que estava ausente nos dois.
— Você nunca dividiu sua imortalidade com outro ser?
O sorriso de Kalona desvaneceu-se. — Claro que não. Minha imortalidade não é um poder que eu estaria disposto a compartilhar com outro. — E de repente o que era miudinho na ponta dos pensamentos Rephaim se quebrou em compreensão.
Não é de admirar que Kalona parecia diferente desde que ele retornou do Outromundo. Tudo fazia sentido agora. — Pai! Qual foi o texto exato do juramento que jurou a Neferet?
Kalona franziu o cenho para seu filho, mas ele recitou o juramento: — Se eu falhei em meu juramento de buscar e destruir Zoey Redbird, caloura Alta Sacerdotisa de Nyx, Neferet deve ter domínio sobre o meu espírito, enquanto eu sou um imortal.
Excitação percorria o corpo de Rephaim. — E como você sabe se Neferet realmente tem domínio sobre o seu espírito?
— Eu não destruí Zoey, ela deve ter domínio sobre mim.
— Não, pai. Se você compartilhou a sua imortalidade com Stark, que já não é completamente um imortal, assim como Stark já não é completamente um mortal. As condições do juramento não existem, nem nunca existiram. Você não está verdadeiramente ligado a Neferet.
— Eu não sou realmente obrigado a Neferet? — A expressão de Kalona passava de descrença ao choque e, finalmente, para a alegria.
— Eu não acredito que você esteja — disse Rephaim.
— Há apenas uma maneira de ter certeza — disse Kalona.
Rephaim assentiu. — Você deve desobedecer abertamente a ela.
— Isso, meu filho, será um prazer.
Quando ele viu o pai jogar seus braços para trás e gritar alegremente para o céu, Rephaim sabia que esta noite mudaria tudo, e não importa o que ele tinha que descobrir uma maneira de ter certeza de que Stevie Rae estava segura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

• Não dê SPOILER!
• Para comentar sem conta, escolha a opção Nome/URL. Escreva seu nome/apelido e deixe URL em branco

Os comentários estão demorando alguns dias para serem aprovados... a situação será normalizada assim que possível. Boa leitura!